O sol não tinha nascido quando um grupo de jovens oficiais do Exército, rebelados contra o primeiro-ministro, Visconde de Ouro Preto, bateram na porta de uma casa modesta, próxima do Campo de Santana. Vinham pedir ao morador que os liderasse, pois faltava um general de desenvoltura política que, à frente das tropas insubordinadas, depusesse o ministério. Sem dormir por toda a madrugada, o marechal Deodoro da Fonseca sofria de dispnéia, respirando mal e até, conforme seus vizinhos, talvez não passasse do dia 15, que nascia. Os boatos eram sobre a dissolução do Exército, substituindo-o pela Guarda Nacional. Também se falava da iminente prisão de Deodoro. Com muito esforço, e acreditando na boataria, o marechal fardou-se e tentou montar no cavalo baio a ele oferecido. Não conseguiu, ocupando então uma charrete.
14
nov

PREVI Solidário

Postado às 23:53 Hs

O Instituto Municipal de Previdência Social dos Servidores de Mossoró (PREVI-Mossoró) iniciou o segundo ano da campanha Previ Solidário. O objetivo do projeto é de sensibilizar as pessoas para doação de mantimentos (alimentos e/ou itens de higiene pessoal) ao abrigo de idosos Amantino Câmara, em Mossoró. A campanha começou no dia 5 de novembro e segue oficialmente até o dia 19 de dezembro com pontos de arrecadação distribuídos pela cidade, através de empresas parceiras. A campanha acontece pelo 2º ano consecutivo. Em 2017, foram arrecadados cerca de 400kg de alimentos. “Na edição deste ano [2018], nosso objetivo é que as arrecadações superem as do ano passado”, frisa o presidente da Previ-Mossoró, Elviro Rebouças.

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou, há pouco, o nome do embaixador Ernesto Araújo para ocupar o cargo de ministro das Relações Exteriores. “A política externa brasileira deve ser parte do momento de regeneração que o Brasil vive hoje. Informo a todos a indicação do Embaixador Ernesto Araújo, diplomata há 29 anos e um brilhante intelectual, ao cargo de Ministro das Relações Exteriores”, afirmou Bolsonaro.

Ele é o 8º ministro escolhido até agora.

O presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (14) que examina com “muito cuidado” o reajuste salarial para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo ele, só decidirá se vai sancionar ou vetar “lá na frente”. Temer lembrou que tem até até o dia 28 para tomar a decisão.

“Estou examinando este assunto com muito cuidado e só decidirei lá na frente. Vamos ver como fazemos. Temos até o dia 28 de novembro para a sanção”, disse em Campinas, no interior de São Paulo, após inauguração do projeto Sirius, um acelerador de partículas.

O reajuste altera o subsídio dos 11 integrantes do STF e da atual chefe do Ministério Público Federal, Raquel Dodge, de R$ 33,7 mil para R$ 39 mil, e provoca um efeito cascata sobre os funcionários do Judiciário, abrindo caminho também para um possível aumento dos vencimentos dos parlamentares e do presidente da República.

O Senado aprovou o aumento no último dia 7. Alguns governadores, como o eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), disse ter receio do possível efeito cascata causado pelo reajuste.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, disse que o aumento era “inoportuno” e sugeriu o veto.

Agência Brasil

Em seu primeiro encontro com os governadores eleitos e reeleitos em outubro, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que, por vezes, é necessário adotar “medidas que são um pouco amargas” para evitar o agravamento da crise no país. Ele não detalhou que medidas são essas, mas disse que o esforço é para evitar que o Brasil se transforme em uma Grécia. Bolsonaro lembrou que as reformas têm de passar pela Câmara e pelo Senado e pediu a compreensão dos presentes. “Algumas medidas são um pouco amargas, mas nós não podemos tangenciar com a possibilidade de nos transformarmos naquilo que a Grécia passou, por exemplo”, afirmou Bolsonaro. “Temos de buscar soluções, não apenas econômicas. Se conseguirmos diminuir a temperatura da insegurança no Brasil, a economia começa a fluir.”

Em encontro com 20 governadores eleitos, realizado nesta quarta-feira em Brasília, o presidente eleito Jair Bolsonaro fez um discurso de conciliação e pregou a união entre todos, independentemente dos partidos de cada um. De acordo com Bolsonaro, é preciso dar uma satisfação à população, que espera mudanças.

— Vamos dividir o desafio com vocês, e os senhores podem dividir o desafio de vocês conosco. Faremos todo o possível para atendê-los, independente de coloração partidária. Não interessa se o colega é do PT ou de outro partido, do DEM ou do meu PSL — afirmou.

Em outro momento, Bolsonaro afirmou que o partido de todos agora “é o Brasill”:

— A partir desse momento não existe mais partido. Nosso partido é o Brasil.

O encontro foi organizado pelos governadores eleitos de São Paulo (Joao Doria), Rio de Janeiro (Wilson Witzel) e Distrito Federal (Ibaneis). Todos os presentes fizeram uma breve fala para apresentar as demandas de seu estado. Bolsonaro chegou na última fala, e discursou em seguida.

Fonte: Daniel Gullino – O Globo

14
nov

Amanhã na cidade

Postado às 12:40 Hs

Feriado de Proclamação da República altera horário de funcionamento do comércio em Mossoró

  O feriado do Dia da Proclamação da República, comemorado nesta quinta-feira, 15 de novembro, vai alterar o horário de funcionamento do comércio de Mossoró. A Câmara de Dirigentes Lojista de Mossoró (CDL-Mossoró) informa que o comércio de rua mossoroense estará fechado, representando principalmente as lojas do centro da cidade.

Agências bancárias também ficarão fechadas, mas retornando o funcionamento normal na sexta-feira, dia 16. Shopping, cinema, área de lazer e rede de supermercados vão funcionar em horário especial. Confira abaixo o que abre e o que fecha no feriado.

Comércio de Rua

Centro da cidade: Fechado

 Partage Shopping Mossoró

Lojas: 14h às 20h

Praça de Alimentação: 11h às 22h

Cinema: a partir das 14h

Lazer: 11h às 22h

Bancos

Agências: Fechadas

Supermercados

Funcionamento de 7h às 13h

14
nov

Charge: Um Brasil que não muda…

Postado às 12:08 Hs

O governo eleito do Rio Grande do Norte informa, por meio de nota, que não estará presente na reunião que vai acontecer hoje (14) entre o presidente eleito Jair Bolsonaro e os governadores eleitos e reeleitos.
Os chefes do Executivo da região serão representados pelo governador do Piauí, que vai requerer a Jair Bolsonaro uma audiência exclusiva sobre os interesses do Nordeste. Ao invés disso, Fátima Bezerra (PT) participa de Fórum de governadores da região, em que formarão pauta comum para apresentar ao presidente da República.
Veja informação na íntegra:
NOTA DE ESCLARECIMENTO
 
Os governadores eleitos e reeleitos do Nordeste decidiram, em fórum próprio, que o governador do Piauí, Wellington Dias, representará os estados da região durante a reunião que ocorrerá nesta quarta-feira (14) com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, e o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes. O chefe do executivo piauiense solicitará, na ocasião, uma nova audiência para que os representantes dos estados nordestinos possam tratar e apresentar as demandas e defender os interesses da região.
 
A governadora eleita do Rio Grande do Norte, senadora Fátima Bezerra, participará na próxima semana do Fórum dos Governadores eleitos e reeleitos do Nordeste, ocasião em que se desenhará uma pauta em comum a ser apresentada ao presidente da República eleito e equipe.
 
Fátima Bezerra reafirma a total disposição em dialogar com o futuro Governo da República e defender, como sempre fez, os interesses do povo potiguar.
 
Veja nota dos governadores do NE:
 
Governadores do Nordeste Unidos e prontos para trabalhar pelo Brasil. 
 
“Quando os governadores eleitos pelo DF, SP e RJ tiveram a importante iniciativa deste encontro,  nós do Nordeste, conforme fazemos desde 2004, tínhamos agendado para 21/11 agenda preparatória da região e pedido agenda ao Presidente Eleito para pauta comum. Até 20/11 os governadores  organizaram suas agendas de transição e missões internacionais. Por isto é que coube a mim apresentar neste encontro e ao Presidente eleito Jair Bolsonaro a memória da pauta do Fórum dos Governadores e pedido de agenda sobre Pauta, priorizando no primeiro encontro Fomento ao Crescimento Econômico para Geração de Emprego e também a prioridade para Plano Nacional de Segurança”.

A informação foi dada à Rádio Gaúcha pelo ministro que coordena a transição de governo e futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O“martelo está batido” para a criação do “Ministério da Cidadania” no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Lorenzoni ainda explicou que a nova pasta cuidará das áreas de desenvolvimento social, direitos humanos e políticas de combate às drogas – atualmente o governo federal tem o ministério do Desenvolvimento Social e o ministério dos Direitos Humanos. Ele também declarou que parte do Ministério do Trabalho poderá ficar com a nova estrutura, mas que o modelo será analisado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

14
nov

Rosalba decreta ponto facultativo

Postado às 11:11 Hs

A Prefeitura Municipal de Mossoró decretaram ponto facultativo nesta sexta-feira, 16, nesta sexta-feira, 16, para os servidores que atuam em órgãos da administração direta, indireta, autarquias e entidades fundacionais do Município.

Os decretos foi no Jornal Oficial do Município (JOM). A exceção é para quem trabalha em unidades que exercem atividades consideradas essenciais, como unidades de saúde e segurança, por exemplo. O Feriado nacional da Proclamação da República é comemorado no dia 15 de novembro.

Leia íntegra do  decreto:

DECRETO Nº 5288, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2018

Estabelece ponto facultativo nas repartições públicas municipais no dia 16 de novembro de 2018 e dá outras providências.

A PREFEITA MUNICIPAL DE MOSSORÓ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 78, inciso IX, da Lei Orgânica do Município; e,

DECRETA:

Art. 1º – Fica declarado Ponto Facultativo nos órgãos e entidades da administração direta, indireta, autárquica e fundacional do município de Mossoró, (sexta-feira) dia 16 de novembro de 2018.

Art. 2º – O dia referido no artigo 1º deste Decreto deverão funcionar regularmente as unidades cujas atividades não possam sofrer solução de continuidade, em particular aquelas que se relacionam aos serviços essenciais à coletividade.

Art. 3º – Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

PALÁCIO DA RESISTÊNCIA, em Mossoró/RN, 13 de novembro de 2018.

ROSALBA CIARLINI

Prefeita

14
nov

Robinson Faria decreta ponto facultativo

Postado às 11:01 Hs

Nesta Sexta-feira, dia 16 de novembro, será ponto facultativo para os servidores do Estado. O decreto foi publicado no  Diário Oficial do Estado

Veja:

14
nov

Lula será interrogado hoje

Postado às 10:43 Hs

O ex-presidente Lula será interrogado, em Curitiba,hoje, às 14h. A audiência – referente a um processo da Operação Lava Jato – está marcada, no prédio da Justiça Federal. Esta será a primeira vez que o ex-presidente deixará a Superintendência da Polícia Federal, onde está preso desde abril.

A oitiva será conduzida pela juíza federal Gabriela Hardt. Lula é réu nesta ação penal. Ele responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Conforme o Ministério Público Federal, o ex-presidente recebeu propina de empresas como a OAS e a Odebrecht por meio da reforma e decoração no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que frequentava com a família. Outras 12 pessoas são rés neste processo.

Por Dinarte Assunção (Blog do BG)


O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deve julgar nos próximos dias agravo regimental (recurso sobre uma decisão) para definir se valida ou não o registro de candidatura de Kericlis Alves Ribeiro, o Kerinho.

Ele teve quase 9 mil votos e, se tiver a candidatura validada, seus votos modificam a composição da bancada federal potiguar, saindo Fernando Mineiro (PT) e entrando Beto Rosado (PP) na Câmara dos Deputados.

A peleja de Kerinho se deu porque a Justiça Eleitoral e Ministério Público Eleitoral (MPE/RN) não reconhecem sua candidatura. Ele teria deixado de apresentar documentos obrigatórios para se tornar candidato. A íntegra do processo que tramita no TSE, com 319 páginas e 51 megabytes de luta, foi obtida na íntegra pela reportagem.

Dependendo do que constar no CD (a fonte do Blog não revelou o conteúdo) os 8.990 votos de Kericlis Alves Ribeiro (PDT) serão validados e a coligação 100% RN ultrapassa a Do Lado Certo na soma de votos para deputado federal.

Caso isso se confirme teremos a troca de Fernando Mineiro (PT) por Beto Rosado (PP). Mudando a representação potiguar na Câmara Federal. Vamos aguardar !

14
nov

@@@ O dia de hoje na História… @@@

Postado às 7:00 Hs

14 de novembro:
Dia do Designer.
Dia do Bandeirante.
Dia de São Leopoldo
Dia Mundial das Diabetes.
Neste data em:

1945 – A Bolívia é admitida como Estado-Membro da ONU.
1985 – A erupção vulcânica do Nevado del Ruiz, nos Andes, soterra a cidade de Armero, na Colômbia.
2003 – É descoberto o planetóide Sedna.

Nasceram neste dia…

1839 – Júlio Dinis, médico e escritor português (m. 1871).
1840 – Claude Monet, pintor francês (m. 1926).
1948 – Charles, Príncipe de Gales, da Inglaterra.

Morreram neste dia…

565 – Justiniano I, Imperador Romano do Oriente (n. 483).
1716 – Gottfried Leibniz, cientista alemão (n. 1646).
1921 – D. Isabel, na imagem, a Redentora, Princesa Imperial e regente do Brasil (n. 1846).

1970 — Nestor de Holanda, jornalista e escritor brasileiro (n. 1921).

1974 — Vittorio De Sica, ator e cineasta italiano (n. 1901).

1992 — João Leitão de Abreu, jurista brasileiro (n. 1913).

2001 – Charlotte Coleman, atriz inglesa (n. 1968).

2001- Juan Carlos Lorenzo, futebolista argentino (n. 1922).

2005 — Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila, bispo católico brasileiro (n. 1929).

2007 — Bertha Fry, supercentenária norte-americana (n. 1893).

Guilherme Mazui / G1

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesta terça-feira, dia 13,  que indicou para o cargo de ministro da Defesa o general da reserva Fernando Azevedo e Silva. Bolsonaro confirmou a indicação por meio do Twitter logo após chegar a Brasília. O presidente eleito pousou na manhã desta terça na base área para uma nova rodada de conversas com autoridades.

Azevedo e Silva foi chefe do Estado-Maior do Exército e passou para a reserva neste ano. Atualmente, o general assessora o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Com a escolha de um general, Bolsonaro mantém um oficial-general de quatro estrelas (topo da carreira) à frente do Ministério da Defesa. O atual ministro é o também general Joaquim Silva e Luna. O presidente eleito chegou a anunciar o general Augusto Heleno para a Defesa, porém optou por colocar o militar no Gabinete de Segurança Institucional.

CARREIRA –  Azevedo e Silva nasceu na cidade do Rio de Janeiro. Tornou-se aspirante a oficial de Infantaria em 14 de dezembro de 1976. Chegou ao posto de general do Exército em 2014, e passou para a reserva em 2018. Entre os postos que ocupou na carreira militar estão o de comandante militar do Leste e chefe do Estado-Maior do Exército. Ele ainda chefiou a Autoridade Pública Olímpica durante a gestão da presidente Dilma Rousseff.

Neste ano, passou a assessorar o atual presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli. Sua indicação foi atribuída ao atual comandante do Exército, general Eduardo Villa Bôas. Azevedo e Silva foi contemporâneo de Bolsonaro na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), onde o presidente eleito concluiu o curso de formação em 1977, um ano depois de seu futuro ministro.

Azevedo e Silva, assim como Bolsonaro, tem formação de paraquedista. O ministro exerceu funções de instrutor e serviu na Presidência da República e no Gabinete do Comandante do Exército, como chefe da assessoria parlamentar e como subchefe de gabinete. No exterior, desempenhou a função de Chefe de Operações na Missão de Paz da ONU, no Haiti. Já na posto de general, Azevedo e Silva comandou a Brigada de Infantaria Paraquedista e o Centro de Capacitação Física do Exército.

“EXCELENTE ESCOLHA” – O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), informou, por meio de nota, que foi consultado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), na manhã desta terça-feira (13/11), a respeito da indicação do general Fernando Azevedo e Silva, ex-chefe do Estado Maior do Exército, para estar à frente do Ministério da Defesa, como antecipou o Broadcast Político/Estado. “Prontamente disse que seria uma excelente escolha”, disse Toffoli, que desejou sucesso ao general.

Azevedo e Silva foi nomeado para exercer o cargo em comissão de assessor especial no gabinete da presidência do Supremo em 27 de setembro. Desde então, o general assessora a presidência da Corte na formulação de políticas do Conselho Nacional de Justiça de segurança pública, em especial do sistema carcerário. Auxiliares do Supremo ainda não sabem se o general continuará no tribunal nas próximas semanas.

“É com muita alegria que vejo o anúncio do nome do General Fernando Azevedo e Silva para Ministro de Estado da Defesa. Certamente sua larga experiência contribuirá para o fortalecimento da atuação das Forças Armadas, da segurança e da defesa no Brasil”, diz nota assinada por Toffoli e divulgada por sua assessoria. Para o presidente do Supremo, o “perfil técnico” de Azevedo e Silva, “sua dedicação ao serviço público e sua visão republicana são aspectos fundamentais para a nova missão na Administração Pública Federal”.

Pelo menos cinco dos 14 partidos atingidos pela cláusula de barreira nas últimas eleições negociam fusões ou incorporações para preservar o acesso ao fundo partidário e a tempo de rádio e TV no horário eleitoral. Estão nesse grupo a Rede, da ex-senadora Marina Silva, PCdoB, Patriota, PPL e PHS. Em paralelo, o PCdoB, assim como o Democracia Cristã (DC), tentam reverter a medida na Justiça Eleitoral. Outros, como PTC, PMN, PMB, PSTU e PCB pretendem, a princípio, atravessar os quatro anos até a próxima eleição com contribuições de militantes e simpatizantes, ou com economias que têm em caixa, na expectativa de ter um desempenho melhor em 2022. Também planejam investir nas redes sociais para levar sua mensagem ao eleitor. Enquanto isso, partidos maiores tentam filiar os 32 deputados eleitos pelos nanicos, que estão autorizados a migrar sem o risco de perder o mandato por infidelidade.
13
nov

Em Brasília…

Postado às 17:52 Hs

O presidente eleito Jair Bolsonaro informou nesta terça-feira (13) que a pasta do Trabalho manterá status de ministério e não se tornará uma secretaria. Bolsonaro deu a declaração numa entrevista coletiva em Brasília, após ser questionado sobre o assunto. Na semana passada, o presidente eleito havia dito que pasta do Trabalho perderia status ministerial e seria incorporada a algum ministério. “O Trabalho vai continuar com status de ministério. Não vai ser secretaria, não”, afirmou.
nov 15
quinta-feira
01 56
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
38 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5750431 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram