29
jun

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 7:04 Hs

29 de junho:

Dia do Telefonista.

Dia do Papa.

Dia do Pescador

Festa de São Pedro e São Paulo

 Nesta data em:

1720 – Ocorre a Revolta de Vila Rica, em Vila Rica, Minas Gerais, no Brasil.

1945 – A União Soviética anexa a Transcarpátia.

1958 – O Brasil ganha a sua primeira Copa do Mundo de futebol.

Nasceram neste dia…

1798 – Giacomo Leopardi, poeta italiano (m. 1837).

1900 – Antoine de Saint-Exupéry, aviador e escritor francês mais conhecido pelo livro O Pequeno Príncipe (m. 1944).

1978 – Nicole Scherzinger (Pussycat Dolls),cantora e dançarina americana.

Morreram neste dia…

67 – São Pedro, na imagem, Apóstolo de Jesus Cristo e primeiro Papa da Igreja Católica.

1895 – Floriano Peixoto, político brasileiro (n. 1839).

1967 – José Leitão de Barros, cineasta português (n. 1896).

2003 — Katharine Hepburn, atriz norte-americana, ganhadora de 4 Academy Awards (n. 1907).

2004 — Yara Lins, atriz brasileira (n. 1930).

2011 — Stefano Gobbi, religioso italiano (n. 1930).

2013 — Jim Kelly (ator), ator, artista marcial e jogador de tênis americano (n. 1946).

Blog da Andréia Sadi

RENAN SAI DA LIDERANÇA DO PMDB E DIZ QUE NÃO ACEITA SER MARIONETE

O senador Renan Calheiros disse a senadores da bancada do PMDB que quer entregar, hoje, o posto de líder do PMDB do Senado. A informação foi confirmada ao blog por assessores do senador e auxiliares do presidente Michel Temer.

Renan, no entanto, ainda deve fazer um pronunciamento às 16h no plenário comunicando a decisão. Ele já comunicou a sua intenção a alguns senadores do PMDB. Renan se antecipou a uma articulação de Romero Jucá e do presidente Michel Temer para destitui-lo.

No discurso, de pouco mais de 15 minutos, Renan Calheiros disse, ainda, que não “detesta” Michel Temer, mas não “tolera” a postura “covarde” do presidente de “desmonte” das leis trabalhistas. O favorito para substituir Renan na liderança do PMDB é o senador Garibaldi Filho.

28
jun

Saiba Mais…

Postado às 10:37 Hs

Procon orientam consumidor sobre compras pagas com cartão ou dinheiro. Foi sancionada na última segunda-feira (26) a lei que permite a cobrança diferenciada de valores, de acordo com a forma de pagamento escolhida pelo consumidor. Na prática, caso o cliente opte por pagar em dinheiro, poderá ter um desconto
28
jun

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 6:47 Hs

28 de junho:
Dia da Renovação Espiritual/ Dia do Ipê Amarelo
Dia de Santo Ireneu de Lyon.
Nesta data em:

1389 – As forças otomanas arrasam os exércitos da coalizão de reinos eslavos, liderada pela Sérvia, na Batalha do Kosovo.
1838 – É coroada a rainha Vitória do Reino Unido .
1914 – Francisco Fernando, arquiduque e herdeiro do trono austro-húngaro, é assassinado em Sarajevo, desencadeando a Primeira Guerra Mundial.

Nasceram neste dia…

1491 – Henrique VIII de Inglaterra (m. 1547).
1712 – Jean-Jacques Rousseau, filósofo suíço (m. 1778).
1930 – Itamar Franco (na imagem), político brasileiro.

1945 – Raul Seixas

Morreram neste dia…

1929 – Edward Carpenter, poeta britânico (n. 1844).
1981 – Terry Fox, atleta e ativista canadiano (n. 1913).
1992 – Mikhail Tal, enxadrista soviético (n. 1936).

2009 — Billy Mays, ator estadunidense (n. 1955).

2010 — Robert Byrd, político estadunidense (n. 1917).

2011 — Angélico Vieira, ator e cantor português (n. 1982).


Por Catia Seabra / Folha

Dentro da estratégia de blindagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o presidente do PT do Rio, Washington Quaquá, divulgou nesta segunda-feira (dia 26), uma nota em que prega “confronto popular aberto nas ruas” caso o petista seja condenado pelo juiz Sergio Moro. “Queremos, a partir do Rio de Janeiro, dizer em alto e bom som: condenar Lula sem provas é acabar de vez com a democracia! Se fizerem isso, se preparem! Não haverá mais respeito a nenhuma instituição e esse será o caminho para o confronto popular aberto nas ruas do Rio e do Brasil!”, afirmou Quaquá.

“Nós queremos repactuar o Brasil em torno da democracia e dos direitos e reformas que melhorem, de fato, a vida do povo, com emprego, desenvolvimento econômico e soberania nacional. Mas quem dirá se será pacto democrático ou luta aberta será a burguesia que deu o golpe!”.

SEM DEMOCRACIA – No texto, o presidente estadual do PT diz ainda que a possibilidade de Lula concorrer é a última trincheira dentro das normas democráticas. E, “caso ultrapassada, não haverá mais compromisso democrático no Brasil”, a exemplo do que já aconteceu com o golpe militar de 1964.

“Vamos nos preparar pra luta da forma como ela vier. O judiciário brasileiro precisa dizer se vai aprofundar o golpe ou vai ajudar a restituir a democracia roubada. A garantia de eleições e do direito do Lula concorrer às eleições limpas (já que está mais do que evidente que não há crime por ele cometido e nenhuma prova produzida, depois de anos de investigação e de pressões e benefícios absurdos concedidos para quem se dispusesse a delatá-lo) é a última trincheira, que caso ultrapassada, não restará mais nenhum compromisso democrático no Brasil”, completa a nota.

Por Sebastião Nery

“Pavão misterioso/ pássaro formoso/ tudo é mistério/ nesse seu voar/ mas se eu corresse assim/ tantos céus assim/ muita história/ eu tinha pra contar” – começa assim a bela canção do cearense Ednardo. Agora apareceu outro pavão, o procurador-geral da República, cheio de poses, bocas e madeixas medievais. Nas mãos dele se embala o boiadeiro trambiqueiro goiano.

Surgiram os verdadeiros números e nomes do império bovino. É quase todo público disfarçado atrás das asas do pavão:

1 – A estrutura do grupo JBS é toda construída pelo dinheiro público: o BNESPAR é dono de 22% de todo o seu capital e a Caixa Econômica Federal dona de 5%. Logo 27% de recursos públicos.

2 – A compra nos Estados Unidos do Grupo Swift foi de 2,7 bilhões de reais, totalmente financiado pelo BNDES.

3 – A compra do Grupo Alpargatas foi totalmente financiada pela Caixa Econômica: 2,3 bilhões de reais.

4 – A Eldorado Celulose foi montada com dinheiro do FGTS, dos Fundos de Pensão Petros, Previ e Funcef. A dívida total hoje do grupo Eldorado, que está a venda, é de 8,5 bilhões de reais junto a estas instituições de propriedade dos trabalhadores.

5 – O Banco Original, que está a venda, tem dívida total de 3,5 bilhões de reais junto ao FGC – Fundo Garantidor de Crédito. O patrimônio líquido do Banco é de 2,1 bilhões de reais.

6 – Hoje a dívida bruta do grupo JBS é de 58,6 bilhões de reais, com agravante de que 31% têm vencimento nos próximos 12 meses.

7 – As linhas de crédito do JBS para o exterior que garantem a presença deles no mundo, tem esse perfil: Banco do Brasil – 5 bilhões de reais; na Caixa Econômica – 10 bilhões. Nos bancos privados: Santander 4,5 bilhões de reais, no Bradesco 3,2 bilhões de reais e no Itaú 1,5 bilhões.

Este é o retrato financeiro do grupo JBS.

Ainda bem que Procurador da República se troca de dois em dois anos. Este de agora, quando setembro vier.

protesto-corrupção-país
Uma questão pertinente é saber como caímos neste buraco da corrupção. Os pesquisadores suecos Eric Uslaner e Bo Rothstein, autores de “As Raízes Históricas da Corrupção”, detectaram a existência de uma relação inversamente proporcional entre os níveis históricos de educação no final do Século XIX e a corrupção percebida atualmente em uma amostra de 78 países para os quais há informações. Os lugares atualmente menos corruptos eram relativamente bem educados em um passado distante, não necessariamente mais ricos. VÍNCULO REAL – Há várias razões para acreditar no vínculo entre essas variáveis. Primeiro, a educação fortalece os laços sociais entre grupos distintos, consolidando noções de cidadania e de lealdade em relação ao Estado que, por sua vez, são favoráveis à honestidade. Segundo, a educação tende a criar um ciclo virtuoso de riqueza e igualdade, fatores materiais que costumam inibir a roubalheira. De fato, a elite tem mais dificuldade em adotar políticas socialmente prejudiciais em sociedades mais igualitárias. Além disso, populações mais educadas precisam recorrer menos a estruturas de poder clientelísticas. Terceiro, a educação propicia a criação de um mercado para a imprensa, revigorando seu papel de sentinela. Resumindo, ao prover educação em massa, o estado sinaliza a seus cidadãos que não serve a um grupo específico, estimulando a honestidade.

O presidente Michel Temer afirmou na tarde desta terça-feira (27) que não há provas concretas na denúncia por corrupção passiva contra ele apresentada nesta segunda (26) ao STF pela Procuradoria Geral da República. Segundo ele, a peça acusatória é uma “ficção“.

Foi a primeira fala de Temer desde que a denúncia foi apresentada, na noite desta segunda. Ele fez o pronunciamento no Salão Leste do Palácio do Planalto. O presidente chegou ao local acompanhado de diversos ministros e parlamentares da base aliada, que se postaram de pé ao lado do presidente em sinal de apoio.

Somos vítimas dessa infâmia de natureza política. […] Fui denunciado por corrupção passiva sem jamais ter recebido valores. Onde estão as provas concretas de recebimento desses valores? Inexistem“, afirmou o presidente.

Na denúncia, Rodrigo Janot afirmou que as provas de que Temer recebeu dinheiro de propina são “abundantes”. Antes da denúncia, em um relatório elaborado após as investigações, a Polícia Federal afirmou que as provas colhidas no inquérito indicam “com vigor” que Temer praticou corrupção.

Criaram uma trama de novela. Digo sem medo de errar que a denúncia é uma ficção. […] Tentaram imputar a mim um ato criminoso e não conseguiram porque não existe, jurídica ou politicamente“, complementou.

Em outro momento do pronunciamento, Temer se disse tranquilo, do ponto de vista jurídico. Isso porque, para ele, não há fundamentos que embasem a denúncia.

“Não me impressiono muitas vezes com os fundamento ou até com a falta de fundamento jurídico. Sei quando uma matéria é substanciosa, quando tem fundamento jurídico e quando não tem. Então, sob o foco jurídico, minha preocupação é mínima“, afirmou o presidente. “Incluíram uma nova categoria. A denúncia por ilação”.

Acusação

A acusação formal contra ele foi enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal (STF) na noite de segunda-feira (26), por volta das 20h. No mesmo dia, Temer se reuniu a portas fechadas com ministros e aliados políticos até pouco depois das 23h.

Nesta terça, a habitual reunião pela manhã no gabinete presidencial com assessores e ministros próximos não foi realizada. Temer permaneceu durante a manhã no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência, local onde reside. É a primeira vez na história do Brasil que um presidente da República é denunciado por corrupção durante o exercício do mandato. (Fonte: G1-Brasília/foto: Evaristo Sá/AFP)

27
jun

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 7:10 Hs

27 de junho:
Dia do Progresso.
Dia Nacional do Volei
Dia do artista lírico e do mestiço.
Dia de São Cirilo
Dia Internacional do Diabético
Nesta data em :

1954 – Entra em funcionamento a primeira central nuclear do mundo, em Obninsk, perto de Moscovo.
1967 – É instalado o primeiro caixa automático, em Londres.
2007 – A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro invade as favelas do Complexo do Alemão, um episódio recordado como o Massacre no Complexo do Alemão.

Nasceram neste dia…

1846 – Charles Stewart Parnell, ativista irlandês (m. 1891).
1885 – Guilhermina Suggia, violoncelista portuguesa (m. 1950).
1908 – João Guimarães Rosa (na imagem), escritor brasileiro (m. 1967).

Morreram neste dia…

1831 – Sophie Germain, matemática francesa (n. 1776).
1996 – Albert R. Broccoli, produtor cinematográfico (n. 1909).
2002 – John Entwistle, músico britânico (n. 1944).

2007 – Bruno Tolentino, poeta brasileiro (n. 1940).

2009 — Gofredo da Silva Teles Júnior, jurista brasileiro (n. 1915).

2016- Caçapava, futebolista brasileiro (n. 1954).

2017 -Bud Spencer, ator e nadador italiano. (n. 1929).

 

 

lava-jato-charge
Iniciada em 2013, a Lava Jato é operação policial que mais efetuou prisões no país. O primeiro lugar nesse ranking foi garantido com 179 prisões – 72 preventivas, 101 temporárias e seis flagrantes. Os delitos financeiros investigados são os que mais mandaram suspeitos para cadeia (113 vezes), seguidos pelos desvios de verbas públicas (63) e pelos crimes fazendários (3). “É comum isso acontecer em operações”, disse o procurador da República Rodrigo De Grandis. De 2013 a 31 de março deste ano, a PF registrou 1.426 prisões em 359 operações por desvios de verbas públicas – no geral, foram 11.197 prisões em 2.325 operações. Nas detenções por suspeita de corrupção, foram 869 prisões preventivas, 569 temporárias e 93 flagrantes.

Por Celso Toledo / Site da Exame

O mundo é desonesto. Nenhum dos 176 países cobertos na lista de corrupção percebida da Transparency International recebe a nota máxima. Na última edição, apenas 22 registraram escore igual ou maior do que 7,0 em 10,0. O Chile é o campeão da América Latina, figurando em 24º lugar com 6,6. O Brasil situa-se próximo do meio da distribuição, exatamente ao lado da China, com 4,0. Por incrível que pareça, há mais de 90 países com corrupção percebida maior do que a nossa.

Seguindo a obra clássica de Raymundo Faoro, a corrupção no Brasil resulta de um processo histórico em que, nos primórdios da colonização, instituições foram formadas para perpetuar as regalias e o poder de uma burocracia administrativamente inoperante, mas muito resistente, no âmbito de um “capitalismo politicamente orientado” que abriu um fosso entre o Estado patrimonialista e a nação – especialmente após 1930.

DISCURSO DE DEFESA – Basta uma leitura descompromissada dos periódicos recentes para verificar que a descrição de “Os Donos do Poder”, se non è vera, è ben trovata. Sobram indícios de que a prioridade do aparelho estatal é advogar em causa própria, frequentemente a partir de um discurso de defesa do que deveria ser o justo. Vide a diferença brutal existente entre a renda de funcionários do setor público e do setor privado para a mesma atividade – sem mencionar o fosso de produtividade existente entre os dois grupos e os privilégios não pecuniários do primeiro.

Uma questão pertinente é saber como caímos neste buraco. Que condições históricas propiciaram o florescimento de burocracias parasitas como a que tomou conta do Brasil? Além disso, dá para sonhar com um futuro melhor, menos desonesto, em que o mérito e competição em condições igualitárias sejam premiados?

ESTUDO COMPARATIVO – Os pesquisadores Eric Uslaner e Bo Rothstein escarafuncharam os dados existentes e encontraram alguns padrões interessantes para iluminar o problema. O trabalho recente intitulado “The Historical Roots of Corruption: State Building, Economic Inequality and Mass Education” foi publicado na edição de janeiro de 2016 da revista “Comparative Politics”.

Os autores de “As Raízes Históricas da Corrupção” detectaram a existência de uma relação inversamente proporcional entre os níveis históricos de educação no final do Século XIX e a corrupção percebida atualmente em uma amostra de 78 países para os quais há informações.  Os lugares atualmente menos corruptos eram relativamente bem educados em um passado distante, não necessariamente mais ricos. E há várias razões para acreditar no vínculo entre essas variáveis da educação e da corrupção.

26
jun

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 6:52 Hs

26 de junho:
Dia da Meteorologia.
Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas363 – O imperador romano Juliano é morto durante uma retirada com o seu exército do Império Sassânida, sucedendo-lhe o general Joviano.
1976 – A Torre CN, a mais alta estrutura autossustentável do mundo, é inaugurada em Toronto, no Canadá.
2006 – A República do Montenegro torna-se o 192º membro das Nações Unidas.

Nasceram neste dia…

1908 – Salvador Allende, político chileno (m. 1973).
1942 – Gilberto Gil (na imagem), cantor, compositor e político brasileiro.
1968 – Paolo Maldini, ex-jogador de futebol italiano.

Morreram neste dia…

1541 – Francisco Pizarro, conquistador espanhol (n. 1475).
1975 – Josemaría Escrivá de Balaguer, religioso espanhol, fundador da Opus Dei (n. 1902).
1982 – Alfredo Marceneiro, fadista português (n. 1891).

1984 – Michel Foucault, filósofo francês. (n. 1926).

1987 – Sônia Ribeiro, radialista, apresentadora de televisão e atriz brasileira (n. 1930)

1992 – Buddy Rogers, lutador estadunidense (n. 1921).

1996 – Veronica Guerin, jornalista irlandesa (n. 1958.

1997 – Israel Kamakawiwo’ole, cantor havaiano (n. 1959).

2000 – Judith Arundell Wright, escritora australiana (n. 1915).

2003 – Marc-Vivien Foé, futebolista camaronês (n. 1975)

2004 – Naomi Shemer, cantora e escritora israelense (n. 1930).

2007 – Filipe Ferrer, ator e encenador português (n. 1936).

2007 – Jupp Derwall, futebolista e treinador alemão (n. 1927).

 2010 -Algirdas Brazauskas, político lituano (n. 1932).

Alberto Guzik, ator brasileiro (n. 1944).

 

 

Via Eduardo Aquino / O Tempo

Antes de mais nada, vale a advertência: quem teme o futuro não semeia o presente e assim terá eternamente uma entressafra que tira o prazer em viver. Posto isso, vale a pena viajar para o outro lado do mundo e ver a cultura japonesa. Japão é um país à parte: um conjunto de ilhas super-habitadas, onde quase não houve mistura racial, portanto, uma genética pura – vide a aparência e as características físicas que dão sensação que todos são parentes próximos.

Isso faz do japonês um povo que tem características comportamentais muito demarcadas, para o bem ou para o mal. Algumas delas: perfeccionismo, mania de limpeza, organização, excesso de culpa quando erra (a ponto de cometer haraquiri, ou suicídio com espada), autoritarismo, rigidez, excesso de trabalho e medo do futuro.

POUPANÇA ETERNA – Li outro dia que foi localizada uma caderneta de poupança de tradicional banco japonês, aberta em 1907, que há sete gerações vem depositando e ninguém nunca utilizou ou retirou! Além de ser o povo que mais poupa e menos tem lazer.

Futuro não existe do ponto de vista do cérebro. O computador divino apenas processa o que a mente processa. Toda vez que a mente projeta um futuro ruinoso, em que o temor de perda, o sofrer antecipado, as projeções negativistas e pessimistas ocupam os pensamentos e sentimentos, o coitado do cérebro passa a emitir sinais de alerta, acionando um sinal crônico de estresse.

Essa “pensação” disparada, de conteúdo trágico, sempre esperando o pior, faz com que a glândula mãe, que é a hipófise, mantenha dois hormônios – cortisol e a famosa adrenalina – em níveis elevados e perigosos na corrente sanguínea.

ANGÚSTIA DE VIVER – Daí a ter insônia, aperto no peito e viver angustiado, triste, ansioso e cheio de sintomas físicos é um pulo. Temos dito, repetidamente, pois educar é a arte de repetir até assimilar: o que mais nos adoece é o pensar errado! Se a mente projeta pensamentos, sentimentos e desejos negativos, o cérebro e o corpo padecerão.

Muitas vezes não está na pessoa; pode ser que o centro que controla e administra emoções e estresse esteja com um erro de funcionamento que exige tratamento medicamentoso. Mas o que cura é o processo de terapia, que permite à pessoa ter consciência e percepção do mecanismo doentio, para que abra alternativas e possa mudá-lo. É preciso pensar diferente, agir diferente.

É a arte do relaxamento, de desacelerar o pensamento e entender o tempo natural das coisas, pois o passado é fonte de aprendizado, o presente é o tempo de ações positivas, e o futuro, consequência da boa semeadura. Calma, serena e desapegada. Viver um dia de cada vez é um bom começo.

SEJA PRIMAVERA !

Uma vez alguém me disse que sobre o amor, eu pulo de galho em galho.

Embora os galhos tenham sido poucos, é sim, verdade.

Acho que há dentro da gente, uma necessidade, uma certa urgência de amar, de estar com alguém, de estar sempre com o coração pleno.

O fato é que estar com o coração pleno, nem sempre significa estar bem.

E muitas vezes, precisa-se de uma vida inteira para entender isso.

E passamos tanto tempo vivendo em terremotos emocionais, por pura teimosia, que nos acostumamos a eles, e quando de repente tudo passa, a gente olha para os lados, e pensa:

Por que nao me protegi? Por que nao saí fora desses vendavais que me cegaram os olhos, me taparam os ouvidos, me prenderam os passos e apertaram tanto meu coração? Mas antes da resposta, vem sempre a sensação de alívio.

Um quase não acreditar. E a resposta perde totalmente a importância.

Não importa o tempo perdido. O que importa é poder dizer:

“Finalmente tudo passou!” E se só sobraram destroços de tudo o que um dia foi inteiro, é sinal que nasci inteira e posso me refazer, sempre e todas as vezes que eu me quebrar.

E a sensação de alívio por ter conseguido sair e respirar livremente, é deliciosa.

Olhar no meu espelho interior e finalmente me reconhecer.

Quebrada ou não, a essência continua a mesma.

O sorriso ainda é largo, a moleca arteira continua a caminhar com os pés descalços em chãos incertos, agora totalmente sem medo.

Porque quem ja passou pelas tormentas, não se abala mais com chuviscos de verão…

E pra você que passou os olhos despretensiosos por esse texto, que ele lhe tenha alguma valia:

Seja o Sol que aquece, o desejo incontido, as mãos que acolhem, seja os projetos de um futuro lindo, os braços que protegem. Seja brisa perfumada que beija, seja as manhãs na vida de alguém, para que quando inevitavelmente, tudo tiver passado, você seja lembrado não como um inverno cinza, rabugento e solitário, mas como a mais bela das estações.

Por Luciane Trevejo

Via  Agência Estado

Milhões de pessoas que foram às ruas em junho de 2013 não pediram a aprovação da Lei 12.850, que regulou as delações premiadas. Mas a mudança legal – parte do pacote aprovado pelo Congresso em resposta aos protestos – abriu o caminho para que o número de prisões temporárias e preventivas e os flagrantes de suspeitos de desvio de verbas públicas no país fosse multiplicado por quatro de 2013 para 2016.

Números da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (Dicor), da Polícia Federal, mostram que, no ano passado, dez pessoas foram presas a cada semana por agentes federais em operações de combate ao desvio de verbas públicas. Em 2013, antes da aprovação da lei sobre colaboração premiada, esse número não chegava a três por semana (2,5 em média).

ESTATÍSTICAS – O jornal “O Estado de S. Paulo” analisou dados de 2.325 operações da PF no país de 1º de janeiro de 2013 a 31 de março deste ano. As informações foram obtidas por meio da Lei de Acesso à Informação.

“O marco disso é a lei de 2013”, afirmou a delegada Tânia Prado, presidente do Sindicato dos Delegados da PF. Para ela, a legislação que emparedou o mundo político dificilmente passaria hoje no Congresso. “Ela foi aprovada no contexto da pressão popular. Devem (congressistas) ter achado que era bom para prender traficante”, opina.

Em 2013, a PF fez 302 operações de combate a organizações criminosas – desde as envolvidas com crime comuns, como tráfico de drogas, até as especializadas em delitos financeiros. Em 2016, esse número aumentou 205%, chegando a 922. Já no primeiro ano depois da lei, em 2014, o número de prisões concedidas pela Justiça e flagrantes nessas operações chegou a 2.798 e somou 4.122 em 2016 – aumento de 771% em comparação com as 473 registradas em 2013.

DIVISOR DE ÁGUAS – Para o procurador da República Rodrigo De Grandis, a lei foi “um divisor de águas no combate à corrupção”. “Não havia o procedimento de como se fazer a colaboração premiada e hoje ela é fundamental”, avalia. No caso das operações de combate ao desvio de verbas públicas, as prisões passaram de 135 (2013) para 524 (2016) – crescimento de 288%. De Grandis disse que, hoje, o combate à corrupção é uma prioridade na PF e no Ministério Público Federal (MPF).

Os números da PF mostram que não só as prisões de suspeitos de corrupção aumentaram, mas as de todos os demais tipos de organizações criminosas, como a de traficantes. Ou seja, a lei afetou as máfias de forma indistinta – a exceção foram os crimes financeiros. “É mais difícil obter uma prisão por crime financeiro. A materialidade do delito é mais complexa”, disse De Grandis. Para ele, “culturalmente”, a tendência é achar que o crime com sangue merece uma resposta mais severa da sociedade.

MAIS PRISÕES – Para o criminalista Roberto Podval, há uma escalada de prisões preventivas no país nos últimos anos. “Mudou a cultura com relação à prisão no Judiciário. Saímos da impunidade absoluta para os crimes econômicos para a punibilidade absoluta, que está nesse momento. A tendência é que a gente chegue ao meio-termo. Se houve uma banalização da corrupção, houve também uma banalização das prisões provisórias”, avalia.

Por trás do aumento das operações e das prisões, especialistas apontaram ainda razões tecnológicas, como a criação de bancos de dados e laboratórios de combate à lavagem de dinheiro.

Via Folha de S. Paulo – Thais Bilenky

As Forças Armadas são a instituição em que a população deposita mais confiança no país hoje, enquanto o Congresso, a Presidência e os partidos políticos caíram em descrédito. Pesquisa Datafolha aponta que 40% da população diz confiar muito nas Forças Armadas e 43% confiam um pouco. Outros 15% não confiam e 2% não souberam responder.

Essa opinião ecoa mais entre os homens (49%) do que entre as mulheres (31%), entre os mais ricos (47%) e entre os eleitores do deputado Jair Bolsonaro (58%). O possível candidato a presidente homenageou torturador da ditadura militar e já afirmou à Folha que metade de seu ministério, se eleito, seria composto por pessoas da carreira.

O discurso favorável à intervenção militar foi ouvido nas ruas do país ao longo do ano passado e deste em manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e contra a corrupção. O instituto ouviu 2.771 pessoas de 21 a 23 de junho para realizar o levantamento, cuja margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

A Presidência da República viu a sua credibilidade despencar desde 2012. Em agosto daquele ano, 33% disseram confiar muito, 52% um pouco e 15% nem um pouco. Hoje, 3% disseram confiar muito na instituição, 31% um pouco e 65% não confiam. O quadro espelha a impopularidade do ocupante da cadeira, Michel Temer (PMDB), cuja aprovação atingiu o menor nível em 28 anos, 7%, como mostrou pesquisa publicada neste sábado (24).

O Congresso, que já não usufruía de tanta credibilidade, viu sua imagem se deteriorar ainda mais em meio à crise econômica e política instalada no país. Hoje os índices de confiança são os mesmos da Presidência (65% não confiam, 31% confiam um pouco e 3% confiam muito). Em agosto de 2012, 8% confiavam muito, 40% um pouco e 52% não confiavam.

Os partidos políticos têm hoje muita confiança de apenas 2% da população; 28% confiam um pouco e 69% não confiam neles enquanto instituição. Na comparação com cinco anos atrás, antes de a Operação Lava Jato revelar a corrupção sistêmica em partidos de diferentes matizes ideológicos, a imagem era um pouco melhor: 7% confiavam muito, 41% um pouco e 52% não confiavam.

A imprensa é a instituição de segunda maior confiança dos brasileiros, segundo o Datafolha: 22% disseram confiar muito nela, 49% um pouco e 28%, não, absolutamente. Entre os mais novos, contudo, a desconfiança é maior. Dos entrevistados de 16 a 24 anos, 10% confiam muito na imprensa, 48% um pouco e 41% não confiam.

25
jun

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 7:07 Hs

25 de junho:
Dia do Imigrante
Dia de São Guilherme
Nesta data em:
1940 – A França, derrotada, é oficialmente dividida e ocupada pela Alemanha Nazi.
1950 – Tem início a Guerra da Coreia, com a invasão da República da Coreia, ao sul, pela República Popular Democrática da Coreia, no norte.
1975 – Moçambique obtém sua independência em relação a Portugal.

Nasceram neste dia…

1852 – Antoni Gaudí , arquiteto espanhol (m. 1926).
1900 – Louis Mountbatten, 1.º Conde Mountbatten de Burma (m. 1979).
1903 – George Orwell, escritor britânico (m. 1950).

Morreram neste dia…

1767 – Georg Philipp Telemann, compositor alemão (n. 1681).
1997 – Jacques-Yves Cousteau, oceanógrafo francês (n. 1910).

2000 – Wilson Simonal, cantor brasileiro. (n. 1938)

2008 – Sylvinha Araújo cantora brasileira (n. 1951)

2009 – Michael Jackson (na imagem), músico norte-americano (n. 1958).

2009- Farrah Fawcett, atriz estadunidense (n. 1947)

2014 – Eli Wallach, ator estadunidense (n. 1915).

Amarrada com o apoio inicial de presidentes de sete partidos, a proposta de autoria do líder do governo e presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), para criação do fundo parlamentar com estimativa de R$ 3,5 bilhões de recursos públicos para financiar a eleição de 2018 passou a enfrentar forte reação entre diversos partidos e poderá ser alterada. O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) alertou para o risco de a nova regra de distribuição, que levaria em consideração o tamanho das bancadas na data de promulgação da proposta, resultar na compra de filiações.

— Definir tudo pelo tamanho das bancadas no momento da promulgação da lei é um convite à compra de filiações, à velha barganha política. Essa portabilidade dos eleitos para outro partido, para o qual migrarem, é um esbulho à ética e ao mínimo bom senso. Um estímulo à mercantilização de mandatos — disse.

 No caso da distribuição do fundo partidário, única forma de financiamento público dos partidos hoje, é usada como regra o número de votos obtidos pelo partido na última eleição de deputado. Pelas novas regras do fundo, serão usadas como referência as bancadas atuais na Câmara e no Senado.

Fonte:  O Globo.

jun 29
quinta-feira
09 34
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
21 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5607392 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram