17
out

Acontece

Postado às 15:07 Hs

Fest Bossa & Jazz está de volta à Praia da Pipa.

Festival acontece de 13 a 16 de dezembro em novo formato.

 Um dos mais esperados Festivais do Rio Grande do Norte volta à Praia da Pipa neste ano. O Fest Bossa & Jazz vai adicionar mais charme e muito jazz, blues e bossa a uma das praias mais bonitas e visitadas do RN, no período de 13 a 16 de dezembro, e promete realizar uma edição 2018 especial, em novo formato, mas com a mesma essência do que é o Festival.

Nesta edição, àquele grande palco conhecido pelo público não vai existir e dará espaço para que o evento aconteça nas ruas com Pockets Shows simultâneos. As apresentações terão início com a Bossa & Jazz Street Band pelas ruas, às 19h30, circulando pelos locais nos quais acontecerão os shows, desde o Kanto da Pipa, na Avenida Baía dos Golfinhos, até a Praça do Pescador. Todo o percurso da avenida vai receber decoração personalizada com adereços e grandes flâmulas do Fest Bossa & Jazz. Hotéis e comércios locais também estarão ‘vestidos’ desse grande evento.

Nas tardes haverá apresentações em bares da praia do centro até o pôr do sol, com interseções da Street Band, conhecida pela qualidade e animação que propaga nos lugares por onde passa. A Street Band vai fazer passeios musicais em todo o percurso da avenida e nos intervalos dos shows do Festival. Terá ainda, no término dos pockets, as Jam Sessions a partir da meia noite, nos bares parceiros.

Como não poderia ser diferente, a programação também inclui oficinas gratuitas para toda a comunidade, que serão promovidas no Kanto da Pipa e no Vila da Pipa Shopping. Em breve, a organização vai divulgar outras novidades e nomes dos artistas convidados para o Fest em Pipa. Aguarde!

A realização do evento é da Juçara Figueiredo Produções. A edição conta com o patrocínio da Prefeitura Municipal de Tibau do Sul, da Associação dos Hoteleiros de Tibau do Sul e Pipa (ASHTEP), Pipa Convention Bureau e apoio dos comerciantes locais.

15
out

§ § Espaço Web § Cordel do professor!

Postado às 20:35 Hs

Quisera um dia se faça
A justiça à profissão
Aquela que é a base
Para qualquer cidadão
Falo do professor
O verdadeiro construtor
De toda e qualquer nação
Ensinando o be-a-bá
Ou a tabuada antiga
É sempre de um professor
Que chega uma palavra amiga
E nos dá o ensinamento
Que serve ali no momento
E também pra toda a vida
Todo mundo tem guardado
No fundo do peito alguém
Que foi professor um dia
Mas foi amigo também
E é com sinceridade
Que não esconde a saudade
De gente que ainda quer bem
Na escolinha e no colégio
Deixamos parte da gente
E levamos um aprendizado
Do passado ao presente
E aquela velha história
É um livro na memória
Que não sai da nossa mente
E os professores de hoje
Aprenderam a lição
São a prova que ainda temos
Futuro na profissão
E deve ser com alegria
Pra comemorar este dia
Não é emprego, é missão!
Nunca se menosprezem
Nem se sintam inferiores
Dinheiro não é sinônimo
De pessoas superiores
Pois a verdade é a questão
Todo e qualquer cidadão
Deve tudo aos professores
Levantem a cabeça triunfantes
Sintam o orgulho no peito
Pois tem um mundo de gente 
Que pensa também desse jeito
E neste dia exuberante
Tenham de todo estudante
Profundo carinho e respeito! Lecionar é uma bênção
Para esta gente trabalhadora
Um giz, um quadro, um caderno
São a base construtora
De uma sociedade a pulsar
Por isto, se alguém perguntar:
Sou professor, Sou professora! E é sempre emocionante
Na vida de um professor
Quando mesmo anos depois
Ainda sente o amor
Se alguém lhe para por aí
Abraça, e diz ao sorrir
– Nunca esqueci do senhor!

Cordel: Ronaldo Cesar Carvalho- 15/10/2013

Cora Coralina, pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (1880-1985), nasceu em Goiás Velho. Mulher simples, doceira de profissão, tendo vivido longe dos grandes centros urbanos, alheia a modismos literários, produziu uma obra poética rica, conforme o belo poema “Elevar”, que publicamos hoje para homenagear o Dia do Mestre.

ELEVAR 
Cora Coralina

Professor, “sois o sal da terra e a luz do mundo”.
Sem vós tudo seria baço e a terra escura.
Professor, faze de tua cadeira,
a cátedra de um mestre.
Se souberes elevar teu magistério,
ele te elevará à magnificência.
Tu és um jovem, sê, com o tempo e competência,
um excelente mestre.

Meu jovem Professor, quem mais ensina e quem mais aprende?
O professor ou o aluno?
De quem maior responsabilidade na classe,
do professor ou do aluno?
Professor, sê um mestre. Há uma diferença sutil
entre este e aquele.
Este leciona e vai prestes a outros afazeres.
Aquele mestreia e ajuda seus discípulos.
O professor tem uma tabela a que se apega.
O mestre excede a qualquer tabela e é sempre um mestre.
Feliz é o professor que aprende ensinando.
A criatura humana pode ter qualidades e faculdades.
Podemos aperfeiçoar as duas.
A mais importante faculdade de quem ensina
é a sua ascendência sobre a classe
Ascendência é uma irradiação magnética, dominadora
que se impõe sem palavras ou gestos,
sem criar atritos, ordem e aproveitamento.
É uma força sensível que emana da personalidade
e a faz querida e respeitada, aceita.
Pode ser consciente, pode ser desenvolvida na escola,
no lar, no trabalho e na sociedade.
Um poder condutor sobre o auditório, filhos, dependentes, alunos.
É tranquila e atuante. É um alto comando obscuro
e sempre presente. É a marca dos líderes.

A estrada da vida é uma reta marcada de encruzilhadas.
Caminhos certos e errados, encontros e desencontros
do começo ao fim.
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.
O melhor professor nem sempre é o de mais saber,
é sim aquele que, modesto, tem a faculdade de transferir
e manter o respeito e a disciplina da classe.

 

Mossoró em 30 de Setembro de 1883 libertou os seus escravos,enquanto que a data de hoje está relacionada ao ato que a Princesa Isabel liberta os escravos brasileiros. Mossoró à frente do seu tempo.

Há 129 anos , no Rio de Janeiro, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, o que representou o fim da escravidão dos negros, comemorando, no Brasil, o dia da Abolição da Escravatura. A palavra “abolir” significa acabar, eliminar, extinguir e a escravidão foi oficialmente extinta do dia 13 de maio de 1888. A palavra “Áurea”, por sua vez, quer dizer “de ouro”, o que nota-se o valor que se deu a essa lei. Porém, mesmo com esse ocorrido, muito se diz que a escravidão ainda existe.

Em um texto curto e objetivo, a princesa devolve aos negros a liberdade, assim como foi escrito na carta, naquela época, acabando a escravidão em apenas dois artigos que assim dizia – (A Princesa Imperial Regente, em Nome de Sua Majestade, o Imperador, o senhor dom Pedro II, faz saber a todos os súditos do Império que a assembléia Geral decretou e ela sancionou a Lei seguinte: Art. 1º – É declarada extinta desde a data desta Lei a escravidão no Brasil. Art. 2º – Revogam-se as disposições em contrário)

29
set

Um Novo Teatro

Postado às 12:36 Hs

O governador Robinson Faria (PSD) anunciou a conclusão das obras de reforma do Teatro Lauro Monte Filho, localizado no Centro de Mossoró. Foram investidos pouco mais de R$ 5 milhões, de recursos do Governo Cidadão.

A obra havia sido anunciada em setembro de 2012, pela então governadora Rosalba Ciarlini, mas não havia saído do papel. Há mais de 10 anos sem funcionar, o teatro estava em avançado estágio de deterioração servindo para abrigo de pombos, ratos e morcegos. A reinauguração será no dia 15/10.

Na segunda-feira, às 16h, o secretário Vagner Araújo estará realizando visita técnica à obra do Teatro Lauro Monte, na ocasião, o secretário concederá entrevista sobre a finalização do cronograma da obra.

Mossoró na espera…

Com tudo pronto para receber o público do Rio Grande do Norte e redondezas, a organização do Fest Bossa & Jazz dá início a edição 2018, em Mossoró-RN. É a terceira vez consecutiva que a cidade recebe o Festival, um dos maiores do gênero no Brasil. Na programação dessa quinta-feira (13), primeiro dia do evento, foram promovidas sessões da Oficina Musical Infantojuvenil – A Bossa Nova, ministrada pelo professor Bruno Hermínio, na Escola de Artes, para crianças de escolas públicas do município. Para esta sexta-feira (14), oficinas, workshop, Cine SESC além de três grandes atrações musicais do cenário nacional e internacional. A animação começa na Praça da Convivência, a partir das 20h30, com Cortejo Bossa & Jazz Street Band que leva o público à Estação das Artes Elizeu Ventania, onde Alan Jones (RN) toca seu repertório que passeia da bossa ao pop, às 21h. Logo após, a autêntica e original, Taryn Donath Trio (EUA), com participação do gaitista Marcelo Naves e, para encerrar a primeira noite, a SESI Big Band convida Roberta Sá, repetindo a parceria de 2015, quando tocaram juntos no Fest, em Pipa/RN. Finalizando as apresentações no palco, a festa continua com a Jam Session, no i’l Giardino della Pizza.

PROVÉRBIOS SOBRE O DINHEIRO
“Não estimes o dinheiro nem em mais nem em menos do que aquilo que vale, porque ele é um bom serve e um mau amo.”

“O dinheiro faz homens ricos; o conhecimento faz homens sábios e humildade faz homens grandes.”

“Amor, sofrimento e dinheiro não podem estar ocultos.”

“Só quando a última árvore for derrubada, o último peixe for morto e o último rio for poluído é que o homem perceberá que não pode comer dinheiro.”

“Você não pode forçar ninguém a amá-lo ou emprestar-lhe dinheiro.”

“Rico é aquele que conquista o que o dinheiro não pode comprar, pois tudo o que o dinheiro compra é barato.”

“Dinheiro perdido, nada perdido; saúde perdida, muito perdido; caráter perdido, tudo perdido.”

“Você percebe que é rico quando possui coisas que não trocaria por dinheiro nenhum.”

“O dinheiro e o homem exibem amizade mútua: o homem faz dinheiro falso e o dinheiro faz o homem falso.”

“Administrar dinheiro eu sei. Não sei administrar a falta dele.”

“Dinheiro não é necessidade para ninguém, é matéria-prima com que construímos felicidades…”

“Dinheiro faz sempre falta, mas é o amor o que mais enriquece nossa vida.”

“A glória é de quem ganha, o dinheiro de quem agarra.”

“O dinheiro nas mãos de quem não sabe usar pode ser motivo de risos ou de lágrimas!”

“Não metas dinheiro em saco, sem ver se tem buraco.”

“Consegui dinheiro é como cavar com uma agulha, gastá-lo é como a água encharcando a areia.”

“É o homem que ganha o dinheiro… ou é o contrário?”

“O dinheiro ganho com desonestidade diminuirá, mas quem o ajunta aos poucos terá cada vez mais.”

“Ter dinheiro é bom, mandar no dinheiro é melhor ainda.”

“O dinheiro não traz felicidade, mas ajuda a sofrer com conforto.”

 

Por Aristeu Bezerra

Por Bernardo Mello Franco / O Globo

A destruição do Museu Nacional é uma tragédia para a cultura, a ciência e a história do Brasil. Infelizmente, uma tragédia anunciada. A instituição científica mais antiga do país foi vítima de décadas de descaso. De 2014 para cá, os cortes passaram a afetar até a verba de manutenção. O museu chegou a fechar as portas por falta de pagamento aos funcionários de limpeza e vigilância.

Em junho, a instituição completou 200 anos sem motivo para comemorar. Muitas salas de exposição estavam fechadas. Uma vaquinha virtual pedia doações para reabrir uma delas, que abrigava um enorme fóssil de baleia. A estrutura de madeira estava consumida por cupins.

SEM CONSERVAÇÃO – Apesar do esforço dos servidores da UFRJ, os visitantes podiam notar o péssimo estado de conservação do palácio na Quinta da Boa Vista. O prédio agonizava: reboco caindo, paredes descascadas, fios elétricos expostos. A causa do incêndio ainda não foi divulgada, mas não era preciso ser bombeiro para ver que os riscos estavam lá.

O edifício consumido pelas chamas era tão valioso quanto seu acervo de 20 milhões de peças, que incluía fósseis de dinossauros, múmias egípcias e o crânio mais antigo das Américas. O Palácio de São Cristóvão foi a residência da família real no Brasil. Depois sediou a primeira Assembleia Constituinte da República, que editou a Carta de 1891.

SEM MEMÓRIA – No livro “1808”, que narra a chegada da Corte portuguesa, Laurentino Gomes descreveu o local como “um prédio descuidado e sem memória”. “É como se nesse local a história tivesse sido apagada de propósito”, resumiu. O texto foi publicado há quatro anos. De lá para cá, a situação só piorou.

Segundo funcionários, o último presidente a pisar no museu foi Juscelino Kubitschek, que deixou o poder há 58 anos. Na festa do bicentenário, nenhum ministro apareceu por lá. Agora todos vão dar declarações de pesar e prometer as verbas que sonegaram em nome do ajuste fiscal.

Um país morre um pouco quando destrói a sua própria história. A tragédia deste domingo é uma espécie de suicídio nacional. Um crime contra o nosso passado e contra as gerações futuras.

22
ago

Dia do Folclore

Postado às 8:17 Hs

Em 1965, o Congresso brasileiro oficializou o dia 22 de agosto como o Dia do Folclore, numa justa homenagem à cultura popular brasileira. A palavra folclore tem origem no inglês antigo, sendo que “folk” significa povo e “lore” quer dizer conhecimento, cultura.

O folclore brasileiro, portanto, é a cultura de nosso povo e não há nada mais nacional do que ele. Afinal, ele é precisamente o conjunto das tradições culturais dos conhecimentos, crenças, costumes, danças, canções e lendas dos brasileiros de norte a sul. Formada pela mistura de elementos indígenas, portugueses e africanos, a cultura popular brasileira é riquíssima.Na área musical, por exemplo, são inúmeros e muito variados os ritmos e melodias desenvolvidos em nosso país. É o caso do frevo, do baião, do samba, do pagode, da música sertaneja… Há ainda as danças típicas das festas populares, como o bumba-meu-boi, o forró, a congada, a quadrilha e – é claro – o próprio carnaval, um verdadeiro símbolo de nosso país.

Um dos aspectos mais interessantes do folclore brasileiro, porém, são os seres sobrenaturais que povoam as lendas e as superstições da gente mais simples. O mais popular é o Saci, um negrinho de uma perna só, que usa um barreta vermelho, fuma cachimbo e adora travessuras, como apagar lampiões e fogueiras ou dar nó nas crinas dos cavalos.Mas há vários outros seres fantásticos em nosso folclore: o Curupira, um anão de cabelos vermelhos, que tem os pés ao contrário; a Mula-sem-cabeça, que solta fogo pelas narinas; a Boiúna, cobra gigantesca cujos olhos brilham como tochas; e o Lobisomem, o sétimo filho homem de um casal, que vira lobo nas sextas-feiras de luas cheias, entre outros.

O Brasil apresenta um cultura invejável e rica.

20
ago

Em Natal

Postado às 21:50 Hs

A Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (OSUFRN) realiza nesta quarta-feira, 22, às 9h, mais uma edição do Concerto Didático na Escola de Música da UFRN (EMUFRN). O evento, que acontece semestralmente, é direcionado para alunos das redes de ensino públicas e privadas, objetivando uma interação dinâmica entre todos os participantes. A forma como acontece o concerto é algo único entre os grupos musicais de grande porte do estado, visto que é realizado com uma abordagem pedagógica, pois os alunos são convidados a participar de forma ativa na composição do espetáculo, conhecendo os instrumentos, o repertório e as novas formas de percepção da música erudita.
11
ago

Jornada Cultural

Postado às 13:15 Hs

Começa neste sábado, 11, a programação oficial de aniversário do Teatro Municipal Dix-huit Rosado. A Jornada Cultural terá programação variada e neste sábado, começará às 17h, com acolhimento pelo grupo Arte e Violão. Às 18h, a prefeita Rosalba Ciarlini fará a abertura oficial do evento. O primeiro espetáculo a se apresentar será “A Casatória c’a Defunta”, da Companhia Pão Doce de Teatro. Em seguida muita música, desfile de moda e apresentações de dança, além de uma praça de alimentação com um encontro de Food Trucks. As atrações se apresentarão no palco do Teatro, no Foyer e na Praça Cícero Dias.”Celebrar esses 14 com um movimento com a Jornada Cultural é mais uma prova de união entre a Prefeitura e a classe artística que abriu mão do cachê para fazer essa grandiosa festa. Viva o nosso teatro!”, disse a prefeita Rosalba Ciarlini.
10
jul

QUAL O MOSSORÓ CIDADE JUNINA QUE QUEREMOS

Postado às 12:36 Hs

Via César Santos / De fato

A edição 2018 do Mossoró Cidade Junina começou mal e terminou bem. O desgaste com atraso na instalação da estrutura e o desabamento de parte de camarote privado, na primeira noite, foi atenuado por pontos positivos como a nova roupagem do espetáculo Chuva de Bala no País de Mossoró e a qualidade de shows na Estação das Artes, com destaque para o de Alceu Valença.

Passe a régua. Agora, é o momento de discutir o MCJ. E duas perguntas exigem respostas imediatas:

1 – A cidade quer ou não quer o evento?

2 – Qual é a proposta para o São João de Mossoró?

A resposta para a primeira pergunta está na ponta do lápis. Se quer o Cidade Junina forte, que tenha orçamento para bancar o alto custo. Um evento dessa natureza não é barato. É um investimento alto.

Portanto, o gestor público tem que perguntar direto à população: “Vocês querem o evento? Se querem, tenha a consciência de que o custo é alto.” Não adianta contar moedas. Atrações são caras, estrutura é cara, evento é caro.

Aliás, é um absurdo a Secretaria Municipal de Cultura ter menos de 30 servidores para organizar um evento do tamanho do MCJ, além de cuidar de outros eventos importantes como a Festa da Liberdade, por exemplo.

A resposta para a segunda pergunta foi dada pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP) neste ano, ao afirmar que o Cidade Junina se tornaria o São João mais cultural do País. Ótimo, afinal, Mossoró não tem condições de disputar o título de maior do País.

Ser o mais cultural é uma grande sacada. No entanto, precisa colocar em prática. Não vimos neste ano. Pelo contrário. O Cidade Junina perdeu expressões importantes, uma vez que projetos culturais deixaram de existir.

Veja o que o MCJ tinha e deixou de ter em 2018:

1 – Praça de Eventos;

2 – Festival de Bonecos e Mamulengos – Botando Boneco;

3 – Fórmula Jegue;

4 – Brinquedo e Brincadeiras Populares;

5 – Festa da Colheita;

6 – Tapera Cor;

7 – Burro Táxi;

8 – Concurso de Maquete Junina;

9 – Festival de Humor – Sorrindo no São João;

10 – Circo do Forró;

11 – Seminário do Cangaço;

12 – Festival Canta Sanfona;

13 – Memorial Jazz;

14 – Feira de Artesanato;

15 – Feira de Comidas Típicas.

Portanto, se a cidade quer ter um São João entre os maiores do País, assumindo a identidade de multicultural, que o faça de forma correta. E que tal começar a pensa nisso a partir de agora?

Não vale deixar para última hora, como aconteceu este ano. Os imprevistos não perdoam.

Do blog :  Estamos na torcida que a próxima edição em 2019, realmente tenhamos esses projetos de volta e com o sucesso de sempre. Mossoró merece ! Vamos esperar…2019 chega logo.

A Associação dos Escritores Mossoroenses (Ascrim) promoverá no dia 9 de julho a entrega da Comenda Milton Marques de Medeiros, a partir das 10h, na Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte.
O reitor Pedro Fernandes Ribeiro Neto será agraciado com a comenda.
O evento consta na programação da Semana Cultural Milton Marques de Medeiros, uma homenagem ao professor e ex-reitor da UERN que tanto contribuiu com a Universidade.
Milton Marques de Medeiros (in memoriam) é uma referência também na área empresarial e na área de Comunicação em Mossoró.

O Mossoró Cidade Junina 2018 será encerrado em grande estilo na noite deste sábado, o Boca da Noite chega a sua segunda edição,  encerrando o São João mais cultural do Brasil neste sábado (30).

Semelhante ao Pingo da Mei Dia, o Boca da Noite se diferencia por ser realizado à noite, a partir das 18 horas, além de contar com algumas novidades, como o encontro de trios no Teatro Municipal Dix-Huit Rosado. “É bom ressaltar que o evento inicia pontualmente às 18h e teremos a abertura com  três trios elétricos.

Sábado tem Boca da Noite… Porque senão for pra se despedir do Mossoró Cidade Junina em grande estilo a gente nem vai.
Boca da Noite
🔹18h
Circuito Musical
Thyalis Martins
Classe A
🔸20 h
Farra de Playboy
🔹20h30
Ewerton Linhares
🔸20h50
Municipal Santos
🔹23h
Bloco do Magão

 

 

29
jun

Amanhã

Postado às 22:19 Hs

A TCM Cidade Junina encerra as transmissões do Mossoró Cidade Junina neste fim de semana. Dois grandes eventos marcarão o final das festas.

Neste sábado, 30, o Boca da Noite, que acontece na avenida Rio Branco, estará no ar às 19h. Já no domingo, dia primeiro, o Festival Interestadual de Quadrilhas ganha a tela do TCM Canal 10, a partir das 20h. Vale lembrar que, além do Canal 10 da TV Cabo Mossoró, as transmissões estarão disponíveis pela internet, no www.tcm10hd.com.br e aplicativo TCM Play em tempo real.

28
jun

HOJE no Mossoró Cidade Junina

Postado às 16:23 Hs

27
jun

Acontece

Postado às 18:48 Hs

A Cidadela Junina será reaberta nesta quarta-feira (27) para a transmissão do jogo da seleção brasileira. O local vai dispor de um telão para que os torcedores possam acompanhar a disputa entre Brasil e Sérvia a partir das 15h.

Logo após o encerramento do jogo iniciam os shows de Forró com Ella e Lucas Lima, no Palco 2, além de Gaby Viegas, no Palco 1.

A programação segue na sexta-feira com atrações musicais, além do funcionamento de bares, restaurantes e feira de artesanato instalados no polo.

Dia 24/jun – Domingo /  Mossoró Cidade Junina  /22 ª Edição

17h às 22h – CIDADELA :

Comidas Típicas, Artesanato, Pau de Arara Eletrônico, Brinquedos e Brincadeiras Populares.

17h – Memorial da Resistência –   Cia Pão Doce

Cidadela (Palco 1) – 22.00 h – Symara Tâmara

Cidadela (Palco 2) 22 h   André Luvi

00 h –  Akarajazz

17h às 22h – FEIRA DE ARTESANATO TALENTOS DE MOSSORÓ (Praça de Eventos)

19h – FESTIVAL  DE QUADRILHAS JUNINAS

Concurso Quadrilhas  Estadual  e Tradicionais

Local: Arena Deodete Dias – Corredor Cultural Professor  Antônio Gonzaga Chimbinho

20h – Anima Chuva (Adro da capela de são Vicente)  /   Banda Filarmônica 15 de Novembro

# Procissão de Encerramento da Festa

20: 30 – FESTA DE SÃO JOÃO  /  Largo  da Igreja ( Bairro Doze Anos ) – Show Musical –   Show Padre Nunes

21h – Espetáculo “ CHUVA DE BALA NO PAÍS DE MOSSORÓ”

 

 

out 22
segunda-feira
14 10
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
36 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5747065 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram