O Mercosul decidiu neste sábado, 5, suspender a Venezuela do bloco por rompimento da ordem democrática, após a escalada da crise no país e a instalação da Constituinte, convocada pelo presidente Nicolás Maduro. A decisão foi anunciada durante reunião dos chanceleres de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai em São Paulo.

“O Mercosul se organizou depois do restabelecimento da democracia em nossos paises”, afirmou o brasileiro Aloysio Nunes ao começar a explicar como o bloco tem o dever de defender e exigir a vigência da democracia nos países do bloco.

Segundo o chanceler, a medida tem efeito político, “de isolamento político” e não está prevista a suspensão de laços comerciais com o pais vizinho. Essa decisão é prevista no protocolo de Ushuaia II, que nunca foi aderido pela Venezuela. As informações são de O Estado de são Paulo.

No noticiário imediato sobre a rejeição do processo contra “o presidente mais odiado do Brasil”, “Washington Post”, “New York Times” e outros observaram o contraste das ruas, antes cheias contra Dilma Rousseff. Agora, no dizer da “Economist”, “a apatia é um aliado” para Michel Temer.

Num segundo momento, jornais como “Financial Times”, “Wall Street Journal” e o francês “Les Échos” se voltaram para os efeitos econômicos da votação.

Entre os enunciados, “Crescem as esperanças de reforma após Temer vencer votação sobre corrupção” e “Líder brasileiro enfrenta novo teste depois de sobreviver à votação sobre corrupção: passar sua agenda”.

Para um analista ouvido, “ele sai fortalecido”, mas não há garantia para as próximas votações, caso da impopular reforma previdenciária. Para outro, os “instrumentos” que usou desta vez, como a distribuição de cargos e recursos públicos, “se desgastam com o tempo”.

LULA?

Para o jornal alemão “Die Welt”, traduzido pela Deutsche Welle, “Temer continuará sendo o homem forte do Brasil até o fim de seu mandato, um duro golpe para a democracia na nação sul-americana”.

Mas “um outro pode sair ganhando com essa situação”, Lula. É o próprio título do texto, “Condenado na Justiça — E o novo, velho presidente do Brasil?”. O ex-presidente “agora tem tempo para se defender e enfraquecer as acusações”.

DILMA VS. TEMER

Para o também alemão “Der Tagesspiegel”, “o que os deputados brasileiros ofereceram foi, mais uma vez, um espetáculo indigno”, sublinhando que “há semanas Temer e seus seguidores os assediam” com cargos e verbas.

Citou, de um observador não nomeado, que, “se Dilma Rousseff tivesse somente a metade da sede de poder e da degeneração moral de Michel Temer, ela ainda estaria no poder”.

INDIFERENÇA

O francês “Le Monde”, sob o título “O presidente do Brasil escapa em meio a indiferença quase geral”, avalia que Temer foi “beneficiado pelo vácuo político”, porque seria substituído por Rodrigo Maia, “seu duplo”, que representaria pouca ou nenhuma mudança.

Fonte: Folha de São Paulo

psg-768x461
Depois de uma novela que teve vários capítulos, muitas informações, capas de sites e jornais em todo o mundo, e frustração e comemoração para dois lados distintos, o Paris Saint-Germain anunciou nesta quarta-feira a contratação do atacante Neymar. O clube francês efetuou o pagamento da cláusula de rescisão no valor de € 222 milhões (R$ 812 milhões), e o brasileiro se tornou o jogador mais caro da história do futebol. Neymar assinou contrato por cinco temporadas com o PSG. O vínculo termina em 30 de junho de 2022. Com isso, o compromisso do craque com o PSG termina antes da Copa do Mundo do Catar, que será disputada entre novembro e dezembro de 22.
EAM2551-e1501003741485
Por mais um ano, o Programa Ciência para Todos no Semiárido Potiguar da Ufersa, em parceria com o Governo do RN, está dando oportunidades de conhecimento e qualificação internacional para estudantes e professores da rede pública potiguar. Nesta terça, 25, dois alunos e um professor embarcaram rumo ao Fórum Internacional de Jovens Cientistas de Londres, que reúne mais de 500 estudantes, entre 16 e 21 anos, de 75 países. Os jovens Jandson Isaías Nunes de Araújo, de 18 anos, e Luiz Fernando Nunes Silva, de 16, são alunos de Escolas Estaduais do interior potiguar que vão representar o RN e o Brasil no Fórum de Londres. Eles receberam as credenciais do evento após serem selecionados na última Feira de Ciências do Semiárido realizada na Ufersa em outubro de 2016.
12
jul

Lançamento

Postado às 11:03 Hs

LivronoMexico-300x169
Livro Educação, (Auto) Biografia e Inclusão é lançado em evento no México. O livro “Educação, (Auto) Biografia e Inclusão – Entre a escuta e a escrita de si” foi lançado durante o XI Congresso Internacional de Historia Oral, “Paradigmas y desafíos de la historia oral: nuevos temas y problemáticas del presente”, realizado no México. O evento reúne pesquisadores de diferentes países e promove uma discussão para quem trabalha com Historia Oral e a (Auto) Biografia direcionada aos estudos sobre a diversidade e inclusão.
05
jul

@@@ O dia de Hoje na História… @@@

Postado às 6:31 Hs

5 de julho: 
Dia Nacional da Coluna Prestes
Dia de Santo Antônio Maria
Dia da Independência de Cabo Verde.
Nesta data em:

1687 – É publicada a Philosophiae Naturalis Principia Mathematica (“Princípios Matemáticos de Filosofia Natural”), onde o físico britânico Isaac Newton descreve suas leis.
1975 – Cabo Verde garante a sua independência em relação a Portugal.
1996 – Nasce a Ovelha Dolly, o primeiro mamífero clonado a partir de uma célula adulta.

Nasceram neste dia…

1853 – Cecil Rhodes, empresário britânico (m. 1902).
1879 – Wanda Landowska, musicóloga e cravista polaca (m. 1959).
1926 – Ivo Pitanguy, na imagem, médico-cirurgião brasileiro.

Morreram neste dia…

1833 – Nicéphore Niépce, inventor francês (n. 1765).
1911 – Maria Pia de Saboia, princesa italiana e rainha consorte de Portugal (n. 1847).
1969 – Walter Gropius, arquiteto alemão (n. 1883).

2008 – Frank Schaeffer, artista plástico e professor brasileiro (n. 1917).

2009 — John Bachar, alpinista norte-americano (n. 1957).

2015 — Amanda Peterson, atriz norte-americana (n. 1971).

protesto-corrupção-país
Uma questão pertinente é saber como caímos neste buraco da corrupção. Os pesquisadores suecos Eric Uslaner e Bo Rothstein, autores de “As Raízes Históricas da Corrupção”, detectaram a existência de uma relação inversamente proporcional entre os níveis históricos de educação no final do Século XIX e a corrupção percebida atualmente em uma amostra de 78 países para os quais há informações. Os lugares atualmente menos corruptos eram relativamente bem educados em um passado distante, não necessariamente mais ricos. VÍNCULO REAL – Há várias razões para acreditar no vínculo entre essas variáveis. Primeiro, a educação fortalece os laços sociais entre grupos distintos, consolidando noções de cidadania e de lealdade em relação ao Estado que, por sua vez, são favoráveis à honestidade. Segundo, a educação tende a criar um ciclo virtuoso de riqueza e igualdade, fatores materiais que costumam inibir a roubalheira. De fato, a elite tem mais dificuldade em adotar políticas socialmente prejudiciais em sociedades mais igualitárias. Além disso, populações mais educadas precisam recorrer menos a estruturas de poder clientelísticas. Terceiro, a educação propicia a criação de um mercado para a imprensa, revigorando seu papel de sentinela. Resumindo, ao prover educação em massa, o estado sinaliza a seus cidadãos que não serve a um grupo específico, estimulando a honestidade.
charge-desigualdade-social
Em todo o mundo, o número de milionários e bilionários está crescendo. Apesar do crescimento mais lento da economia global, os ricos ficaram ainda mais ricos. São quase 18 milhões de famílias que possuem mais de US$ 1 milhão, segundo o último relatório do Boston Consulting Group (BCG). Os ricos representam apenas 1% da população mundial, mas detêm 45% da riqueza de US$ 166,5 trilhões do planeta. Segundo o BCG, até 2021, eles vão controlar mais da metade da riqueza mundial. Para analistas, o crescimento da desigualdade não é uma surpresa na medida em que, nas últimas décadas, os ricos têm concentrado as maiores fatias de renda — especialmente nos Estados Unidos, onde os lucros das empresas atingiram recordes, enquanto os salários dos trabalhadores permanecem estagnados.
meirelles
Para os cientistas políticos estrangeiros, denominados “brazilianistas”, está cada vez mais difícil entender a política brasileira. Nos países tidos como civilizados (se é que já exista realmente algum…), jamais se viu uma situação como a do presidente Michel Temer. Pela primeira vez, um político chega ao poder por via de impeachment e um ano depois já se vê ameaçado de também sofrer cassação. As denúncias e provas já colhidas contra ele são muito mais graves do que as acusações feitas à sua antecessora, a presidente Dilma Rousseff, cujo envolvimento direto em corrupção somente agora vem sendo provado, mas apenas em caixa 2 eleitoral, reconheça-se. Os analistas estrangeiros enlouquecem, porque o mais incrível nesta trama é que Temer ainda tem condições de seguir em frente e terminar o mandato-tampão, que vai até 31 de dezembro de 2018.
989307-09122015dsc_9882
Na véspera de embarcar para viagem oficial de quatro dias por Rússia e Noruega, e na expectativa de ser denunciado pela PGR (Procuradoria-Geral da República) nos próximos dias, o presidente Michel Temer gravou neste domingo (18) um vídeo em que, sem citar diretamente o empresário Joesley Batista, sócio do grupo J&F, defende punição a quem cometeu crimes. O vídeo de cerca de quatro minutos será divulgado na tarde desta segunda-feira (19) nas redes sociais. Oficialmente, o material aborda a viagem do presidente, que embarca no final da manhã e buscará aprofundar relações comerciais. Segundo pessoas que acompanharam a gravação, Temer fala de encontros com o empresariado e com autoridades europeias e se compromete com as reformas que, segundo o governo, combatem privilégios. Mas o presidente se posiciona também, de maneira indireta, em relação à crise política em que seu governo está imerso.
11
jun

Redução

Postado às 19:13 Hs

Banco Mundial reduz previsão de crescimento da economia do Brasil.

O Banco Mundial reduziu a previsão de crescimento da economia brasileira este ano. A atualização do documento Perspectivas Econômicas Mundiais, divulgado ontem (4), prevê crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, de 0,3%. A estimativa ficou 0,2 ponto percentual menor do que a informada em janeiro e está abaixo da projeção do mercado financeiro (0,5%).

Mesmo com expectativa de crescimento menor, o banco ressalta que o Brasil deve sair “lentamente” da recessão neste ano. “Indicadores de atividade melhoraram, incluindo a retomada do crescimento da produção industrial e expansão das exportações, assim como ganhos de confiança. Entretanto, o país continua a lutar contra o crescimento do desemprego e as consideráveis necessidades de ajuste fiscal”, diz o documento. Em 2018, o Banco Mundial espera que o crescimento do Brasil chegue a 1,8%, a mesma projeção divulgada em janeiro. “O crescimento na América Latina e no Caribe deverá se fortalecer para 0,8% em 2017, quando o Brasil e a Argentina emergem da recessão e o aumento dos preços das commodities [matérias-primas com cotação internacional] apoia os exportadores agrícolas e de energia”, diz o relatório. A previsão para o crescimento da região em 2018 é 2,1%.

A previsão para o crescimento da economia mundial é de 2,7% em 2017, estimulado pela indústria e comércio, aumento da confiança do mercado e estabilização do preço de commodities. Para 2018, a previsão de expansão do PIB mundial é de 2,9%.

Fonte:  Agência Brasil

 

 

04
jun

Made in Mossoró…

Postado às 16:56 Hs

De Mossoró/RN para o mundo: Claudinha Gadelha vence luta do UFC aos 3 minutos.

A mossoroense Claudinha Gadelha deixou a Arena da Barra com uma das melhores performances do evento. Ela nem tomou conhecimento da adversária Karolina Kowalkiewicz. Aos 3m03s do primeiro round, Claudinha foi para as costas da adversária e finalizou sem dificuldades.

O nocaute de Max Holloway rendeu ao americano o cinturão dos penas do Ultimate e, de carona, o bônus de melhor luta da noite. José Aldo e o americano garantiram 50 mil dólares pela premiação (aproximadamente R$ 160 mil), assim como Claudia Gadelha e Brian Kelleher.

Holloway precisou de três rounds para desbancar José Aldo no Rio de Janeiro. O americano derrubou o brasileiro, fez pressão no chão, tentou a finalização, mas terminou o combate com uma sequência de golpes na cabeça – Big John McCarthy foi obrigado a intervir.

Kelleher foi uma das grandes surpresas do evento. Estreante no Ultimate, aproveitou deslize de Iuri Marajó e venceu por nocaute.

Com informações do SporTV

57809500_BSB-Brasilia-Brasil12-05-2016PAA-presidente-afastada-Dilma-Rousseff-discursa-ao-l
Antes mesmo de vir à tona o conteúdo das delações de Joesley Batista na Operação Lava Jato, um banco suíço usado para movimentar recursos ilícitos para abastecer campanhas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente cassada Dilma Rousseff, conforme relato do empresário, denunciou suas contas para autoridades do país europeu. O volume de dinheiro e os padrões de transferências sem justificativa levantaram a suspeita de crimes financeiros, embora a instituição desconheça os beneficiários das movimentações. A Procuradoria-Geral da República espera que as informações coletadas pelas autoridades sejam agora transferidas ao Brasil. Na avaliação de autoridades suíças próximas ao caso, o Ministério Público Federal terá “forte chance” de apurar mais detalhes sobre as transferências. O banco Julius Baer (ou Julius Bär) fechou as contas na Suíça e o dinheiro foi transferido para Nova York, onde hoje vivem Joesley e sua família. DUAS CONTAS – Em sua delação premiada, o empresário afirmou à Procuradoria que reservou duas contas para atender às demandas dos petistas. Segundo ele, o dinheiro era usado para pagar propinas a políticos do PT e também a aliados. Joesley contou que as contas chegaram ao saldo de US$ 150 milhões em 2014. O empresário disse também que o dinheiro era operado a mando do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, com o conhecimento de Lula e Dilma. Os petistas negam as acusações.
CBDU CONQUISTA
A equipe de futebol da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) representará o Brasil no campeonato Sul-americano em 2018. A participação é fruto de uma conquista inédita: em maio, a UFRN fez história ao se tornar a primeira universidade pública a conquistar a Liga de Desporto Universitário, tradicional evento da Confederação Brasileira de Desporto Universitário (CBDU). De quebra, o time da UFRN conta com três atletas potiguares pré-selecionados para integrar a equipe brasileira na Universíade os jogos olímpicos universitários, que acontecerá em Taiwan. O título é o ponto alto de um quadriênio com expressivos resultados: em 2014 e 2015, a equipe foi vice-campeã do torneio; em 2016, quarto lugar. Em 2017, uma conquista invicta, com cinco vitórias, 14 gols assinalados e apenas três sofridos. Presente em todas as campanhas, o técnico Ijailson Gomes da Silva, bacharel em Educação Física pela UFRN, destaca que os resultados têm íntima relação com a dedicação dos alunos e da comissão, bem como da estrutura física que auxilia no trabalho. Ao fazer uma retrospectiva, o técnico afirma que a própria postura dos adversários mudou.
1713386
O ministro do Supremo Luís Roberto Barroso inaugurou na manhã deste sábado (13) o Brazil Forum 2017 em Londres, do qual é presidente honorário. Ele afirmou ali que as coligações são “inconstitucionais”, porque “fraudam a vontade do povo” –uma declaração mais tarde interpretada pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad a um grupo de jornalistas. A fala foi, segundo Haddad, uma “dica de como ele votará. Abriu uma avenida para que a reforma política possa ser resolvida no Judiciário.” O discurso de Barroso foi interrompido pelo protesto de alguns dos presentes. Havia um cartaz de “STF golpista”. “Entendo que haja uma percepção de que houve um golpe”, disse, e foi interrompido por um grito: “Foi golpe!”. Parte da plateia pediu silêncio. A tensão política brasileira foi transferida ao evento na capital britânica, organizado para discutir temas como educação e sustentabilidade.

Brigitte Macron está na vida de seu marido desde que ele tinha 15 anos – primeiro como professora, depois como companheira sentimental e agora como sua primeira-dama. E ela estará ao lado de Emmanuel Macron quando o centrista pró-União Europeia (UE), de 39 anos, assumir o cargo como o presidente mais jovem da história da França, depois de ter vencido a eleição deste domingo.

Elegante e esbelta, Brigitte Macron, de 64 anos, é a colaboradora mais próxima de seu marido e ele lhe prometeu um papel oficial no palácio presidencial. “Todas as noites conversamos e repetimos o que ouvimos um sobre o outro”, disse Brigitte à revista Paris Match no ano passado. “Eu tenho que prestar atenção em tudo, fazer o máximo para protegê-lo”. Brigitte já saiu na capa de quase uma dúzia de revistas, e esteve ao lado de seu marido em muitos comícios lotados, enquanto o mundo acompanhava com fascínio o romance pouco ortodoxo do casal.

Mas antes disso tudo ela foi esposa de outro homem e mãe de três filhos, e ensinava francês, latim e teatro. Brigitte estava no caminho para uma vida confortável, embora um tanto convencional.

História de Amor

Brigitte Trogneux nasceu em 13 de abril de 1953 em Amiens, no norte da França, que também é a cidade natal de Emmanuel Macron, em uma família próspera que dirige um negócio conhecido de pastelaria e chocolate. No início da década de 1990, ela foi surpreendida por um jovem que estava atuando em uma produção de “Jacques e seu Amo”, de Milan Kundera. Era Emmanuel. (Veja)

08
mai

Parabenizando

Postado às 8:26 Hs

Temer parabeniza Macron e diz que Brasil e França continuarão a trabalhar juntos

O presidente da República, Michel Temer, cumprimentou neste domingo (07) o candidato eleito presidente da França em segundo turno, Emmanuel Macron.

Além de felicitar o candidato vencedor do pleito, Temer disse em sua conta no Twitter que “Brasil e França continuarão a trabalhar juntos em favor da democracia, dos direitos humanos, do desenvolvimento, da integração e da paz”.

De acordo com as estimativas de votos válidos divulgadas pela imprensa francesa, Macron teria obtido 65% dos votos contra 35% de Le Pen, com uma participação de 75%, um dos índices mais baixos da história das eleições no país.

As informações são da Agência Brasil.

O ex-ministro da Economia Emmanuel Macron venceu as eleições presidenciais na França, indicam pesquisas de boca de urna divulgadas às 20h locais (15h no Brasil), logo após o fechamento das urnas.

Segundo a sondagem, Macron obteria 65,5% dos votos e sua rival, a nacionalista Marine Le Pen, 34,5%. Pesquisas de boca de urna na França são confiáveis e costumam bater com a apuração oficial.

A candidata de extrema direita, inclusive, já reconheceu a derrota no pleito momentos antes do encerramento da votação. Em um disurso, Le Pen desejou que o novo presidente tenha “êxito” frente aos “enormes desafios da França”. As informações são de O Estado de São Paulo.

ago 18
sexta-feira
11 14
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
19 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5618676 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram