09
jul

RN Notícias

Postado às 23:46 Hs

Oiticica: Moradores aprovam qualidade das casas e ritmo das obras na Nova Barra de Santana
O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, João Maria Cavalcanti, realizou, na manhã de hoje (08), mais uma visita a Nova Barra de Santana para verificar andamento das obras e apresentar as cinco tipologias das casas que vão realocar os moradores atingidos pela área alagada da Barragem de Oiticica, em Jucurutu. Uma comissão do movimento dos atingidos também participou da vistoria e aprovou o trabalho realizado pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos.

Na presença de cinco futuros proprietários, o secretário mostrou as residências explicando todos os detalhes de engenharia envolvidos nos diferentes modelos de moradia. “Conseguimos reverter o serviço mal feito, já executado, e imprimir, além de ritmo, qualidade na construção dos imóveis” explica João Maria destacando também um avanço significativo na parte de planejamento urbano.

“Estamos muito satisfeitos em ver como coisas estão avançando de forma organizada. O negócio agora está bonito de se ver! Gostaria de agradecer o empenho pessoal do secretário João Maria, que inclusive é engenheiro, e vem orientando muito bem os representantes da construtora” disse Euzimar Araújo morador de Barra de Santana.

A comitiva, que também contou com representantes do consórcio construtor, EIT/ENCALSO, visitou os terrenos onde serão construídas os comércios, indústrias e serviços.

“O andamento da obra está em ritmo bastante satisfatório, os moradores já estão relatando isso desde a semana passada e hoje fortalecemos ainda mais essa constatação” frisou Procópio Lucena, assessor do Movimento dos Atingidos.

A obra da Nova Barra de Santana se encontra atualmente com 55% de execução. De acordo com o titular da Semarh, se os repasses federais continuarem sendo mantidos, o cronograma estabelecido que prevê a conclusão da obra até final de 2021 será atendido. “Verificamos também que todos os protocolos de segurança para evitar o contágio pelo novo coronavírus continuam sendo respeitados por parte da empresa”, finaliza João.

Fonte: Assessoria

Um novo tremor, desta vez de magnitude preliminar 1.4, foi registrado pelo Laboratório Sismológico da UFRN no município de Pedra Preta, a cerca de 120 km de Natal. O evento sismológico ocorreu nesta quarta-feira (08), às 10h38 (hora local) e foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

O mapa em destaque mostra a localização epicentral do tremor. A estrela vermelha indica o epicentro. A estrela azul indica o epicentro de outro sismo, ocorrido em 2010, de magnitude 3.5. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR). Em destaque, os limites do município de Pedra Preta.

“Como se pode ver na Figura 1, o evento de ontem está aproximadamente 8 km ao sul do sismo de 2010 e 6 km a NE de Pedra Preta e, provavelmente, não pertence à mesma falha sismogênica que os eventos de 2010. Como sempre dizemos, não é possível prever como será a evolução dessa atividade sísmica”, divulgou o Laboratório Sismológico da UFRN.

Foto: Reprodução/Twitter/Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou, nesta sexta-feira (26), no Ceará, da inauguração de um trecho das arrastadas e polêmicas obras da transposição do Rio São Francisco a municípios do Nordeste.

Em entrevista rápida à imprensa local, o presidente afirmou que o compromisso de seu governo foi não deixar nenhuma obra parada no país. “[A transposição] É uma novela enorme que está chegando ao fim.” Bolsonaro destacou a importância da obra para a irrigação das terras e para o consumo dos nordestinos dessas regiões.

O presidente acionou a abertura da comporta do município de Penaforte, no sul do Estado do Ceará e a cerca de 550 quilômetros da capital, Fortaleza. Bolsonaro participou do evento ao lado dos ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Augusto Heleno, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

O trecho inaugurado pelo mandatário faz parte do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco. Com a ação, a água que já abastece o Reservatório Milagres (em Pernambuco) passará pelo Túnel Milagres (na fronteira dos dois estados), começará a encher o Reservatório Jati (no Ceará) e seguirá, por fim, até a Paraíba e Rio Grande do Norte.

O governador do Estado, Camilo Santana (PT), não participou da inauguração. Ele declarou, em um post em suas redes sociais, que só voltará ao local da transposição “após superarmos este grave momento de pandemia”.

A obra, quando for terminada, terá 477 quilômetros de extensão e levará as águas do rio a 12 milhões de pessoas que hoje sofrem com a escassez. Segundo o governo federal, a transposição concluída vai beneficiar 390 municípios de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Fonte: R7

As águas do Rio São Francisco chegam nesta sexta-feira (26) ao Ceará, com o acionamento da comporta do Eixo Norte do Projeto de Integração do São Francisco. A cerimônia deverá ter a presença do presidente República, Jair Bolsonaro.

Com a abertura da comporta, as águas que já abastecem o Reservatório Milagres, em Pernambuco, passarão pelo Túnel Milagres, na divisa dos dois estados, chegarão ao Reservatório Jati e seguirão, por fim, até a Paraíba e o Rio Grande do Norte.

“Esse é um marco para o Ceará, para o Rio Grande do Norte e para todo o Nordeste. Além de garantir água a milhões de pessoas, o Eixo Norte impulsionará o desenvolvimento econômico na região que sempre enfrentou muita escassez hídrica”, disse o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que também participa do evento..

O Projeto de Integração do Rio São Francisco soma 477 quilômetros de extensão é o maior empreendimento hídrico do país. Quando todas as estruturas e sistemas complementares nos estados estiverem em operação, cerca de 12 milhões de pessoas em 390 municípios de Pernambuco, da Paraíba, do Ceará e Rio Grande do Norte serão beneficiadas.

Agência Brasil

25
jun

Em debate

Postado às 14:10 Hs

“Resíduos sólidos em tempos de pandemia” será tema de debate on line

A secretaria de estado de meio ambiente e recursos hídricos (Semarh) realiza a 7ª Edição do Programa Sociedade e Ambiente (PROSA) que discutirá sobre a temática dos “Resíduos Sólidos”. Será nesta sexta-feira, dia 26/06, às 10:00h (sexta-feira), no modo virtual, por videoconferência que será transmitida pelo Canal de Youtube da própria secretaria. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no link https://bit.ly/3fJ4Kp4 .

A ideia é trazer uma discussão sobre a geração e o manuseio dos resíduos sólidos em tempos de pandemia. Diversas ações têm sido vistas a partir de diferentes setores da sociedade, envolvendo orientações e recomendações sobre o manuseio dos resíduos nesta época de COVID-19. Essas informações podem ser alinhadas entre esses setores e agentes envolvidos, de modo que se atinja um maior contingente no tocante as medidas de enfrentamento a pandemia.
Para enriquecer o debate haverá a participação de especialistas e representantes de órgãos e instituições relacionados à temática dos resíduos sólidos, entre eles, IDEMA, SESAP, MPRN, MPT, UFRN, IFRN e Cooperativa de Catadores.

Sobre o PROSAO PROSA é o espaço para debater os temas ambientais da sociedade, conduzido pela Comeas, a Coordenadoria de Meio Ambiente e Saneamento da Semarh, instituição que atua na formulação de políticas, planos e programas de meio ambiente e recursos hídricos, supervisionando também a execução dessas ações.
Informações Gerais:

7ª Edição do PROSA – “Resíduos Sólidos”.
Dia: 26/06 (sexta-feira).
Hora: 10:00h.
Palestras:  “A gestão de resíduos sólidos em tempos de pandemia: a experiência do estado do Ceará.
”Maria Dias Cavalcante. Secretária Executiva da Secretaria de Meio Ambiente –SEMA – CE.
“COVID-19 e a geração de resíduos sólidos: orientações e recomendações.”Prof. Fernando Jucá. ABES – Câmara Técnica de Resíduos Sólidos / Nordeste/PE.

O inverno de 2020 começa neste sábado, 20, às 10h31 e segue até o dia 22 de setembro, quando inicia a primavera. No Rio Grande do Norte, as análises da unidade de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN- EMPARN- apontam a tendência de inverno com temperaturas um pouco abaixo do normal, devido às condições oceânicas, a maior circulação do vento, aumento da umidade e a predominância de dias nublados. As temperaturas médias do Estado deverão variar em junho, entre 20,8°C e 27,8°C, em julho, entre 19,5ºC e 28,5°C, em julho, 20,0°C e 30ºC em agosto, 22° e 31ºC, em setembro. Nas regiões serranas poderão acontecer temperaturas com variando entre 15oC a 16oC, nas regiões serranas (Serra de Martins, Serra de Santana, Serra João do Vale, Serra do Doutor e Serra de São Miguel). “Na análise global das condições oceânicas e atmosféricas, o inverno deste ano acontecerá sob a influência do Fenômeno La Niña, isto é, as águas no oceano Pacífico Equatorial estarão mais frias do que o normal durante os próximos meses.
Pancadas de chuva fraca marcaram o final de semana em praticamente todas as regiões do Rio Grande do Norte, com maior concentração no litoral leste, nos municípios que formam a região metropolitana de Natal. Os municípios que mais choveram, de sexta-feira(05) às 07h, até esta segunda-feira(08), no mesmo horário foram Santana dos Matos (Central) com 40,2 milímetros(mm), João Câmara (Agreste)com 40 mm, Montanhas (Leste) com 25,9 e Baraúna (Oeste) com 13,4 mm. Em Natal choveu 15 mm e em Mossoró choveu 10 mm. O boletim pluviométrico completo pode ser acessado em emparn.rn.gov.br, clicando no ícone azul ‘Chuvas Diárias’ ou na aba ‘Meteorologia’. PREVISÃO Para esta semana a previsão, para a faixa litorânea leste, as chuvas devem ocorrer durante as madrugadas e início das manhãs e no interior, pancadas isoladas devem ocorrer nas regiões serranas, no Vale do Rio Piranhas e Região de Mossoró
O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, atualizado nesta quinta-feira (04), indica que as barragens monitoradas pelo instituto continuam a receber aporte hídrico e as reservas estaduais já são de 2.425.608.441 m³, que correspondem a 55,42% do total que o estado consegue acumular, que é de 4.376.444.842 m³. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, com capacidade para 2,37 bilhões de metros cúbicos acumula, nesta quinta-feira, 1.519.088.450 m³, que correspondem a 64,01% do seu volume máximo. No início de junho de 2019, o manancial represava 831.752.000 m³, percentualmente, 34,66% da sua capacidade.
29
Maio

Previsão

Postado às 18:32 Hs

Passado o período de chuvas mais intensas no interior do Rio Grande do Norte, a previsão para os meses de junho, julho e agosto de 2020, quando as precipitações se deslocam para o Leste e Agreste do estado, é de ocorrência de precipitações dentro da normalidade. A análise foi feita durante reunião virtual de avaliação e previsão climática, ocorrida na última terça-feira (27), coordenada pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Sustentável de Sergipe (SEDURBS/SE), e contou com a participação do chefe da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte- EMPARN, Gilmar Bristot.

A média esperada para o período no Leste do RN é de 467,8 milímetros (mm), para o Agreste é de 209,6 mm, Oeste, 81,2 e a Central é de 69,7mm. “Os modelos de previsão climática sazonal indicam a persistência da situação de neutralidade na região equatorial do Oceano Pacífico no decorrer do trimestre junho-julho-agosto de 2020 (JJA/2020), ou seja, ausência de fenômenos climáticos, tais como El Niño e El Niña”, avaliou Bristot.

Os meteorologistas não descartam a ocorrência do fenômeno La Niña até o final do ano, a depender das as condições oceânicas e atmosféricas. “Estas condições, observadas em abril e primeira quinzena de maio, mostraram uma tendência de resfriamento das águas subsuperficiais e intensificação dos ventos em baixos níveis no setor leste do Pacífico Equatorial, podendo evoluir para uma condição de La Niña até o final do ano corrente”, considerou Bristot.

Participaram da reunião especialistas dos Centros Estaduais de Meteorologia do Nordeste (LABMET/NUGEO/UEMA/MA, SEMAR/PI, FUNCEME, EMPARN/RN, AESA/PB, APAC/PE, SEMARH/AL e INEMA/BA), do INMET e CPTEC/INPE.

Balanço

O primeiro quadrimestre de 2020 registrou a ocorrência de bons volumes e boa distribuição das chuvas no RN, o que beneficiou o reabastecimento das reservas hídricas do estado e o aumento da área territorial sem o fenômeno natural da seca.

A média das chuvas observadas no estado em janeiro foi de 100,7 (mm), fevereiro com 110,9mm, março com 204,7mm e abril com 154,6mm.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. Segundo o Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, atualizado nesta terça-feira (26), as últimas chuvas levaram aporte hídrico para diversos reservatórios pelo interior do RN. As reservas hídricas superficiais totais do estado atualmente somam 2.285.747.999 m³, que correspondem a 52,22% do total que os reservatórios monitorados pelo Igarn conseguem acumular juntos, que é de 4.376.444.842 m³. No dia 26 de maio de 2019 as reservas estaduais eram 1.464.157.184 m³, que em termos percentuais representavam 33,45% do máximo que o Estado consegue acumular na soma dos volumes dos seus principais reservatórios. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório estadual, continua recebendo aporte hídrico e acumula atualmente 1.409.378.178 m³ que correspondem a 59,39% da sua capacidade máxima que é de 2,37 bilhões de metros cúbicos. No mesmo período de maio de 2019, o reservatório estava com 831.752.000 m³, que correspondiam a 34,66% do seu volume máximo.

Nesse domingo (24), às 07h34 (UTC), um tremor de terra, de magnitude preliminar 1.7 mR, foi localizado nas proximidades da Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no Rio Grande do Norte, mais especificamente no município de Assu.

O evento foi detectado por estações sismográficas pertencentes à Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) e analisado pela equipe do Laboratório Sismológico da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (LabSis/UFRN).

Segundo o Coordenador do LabSis, Prof. Aderson Nascimento, “a região do lago já teve sismicidade registrada e analisada nas década de 80 e 90, e no ano de 2012”. Ainda segundo ele, os eventos sísmicos na época estariam associados à variação do nível dos reservatórios. “É um fenômeno denominado sismicidade induzida, observado em várias partes do mundo também no qual a presença do lago (artificial) induz (ou engatilha) eventos sísmicos em falhas geológicas da região”, concluiu.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de chuva intensas em 127 municípios do Rio Grande do Norte. O aviso é válido deste sábado (23) até 8h do domingo (24).

As chuvas mais fortes vão acontecer em Natal, em cidades da Região Metropolitana, além de alguns outros municípios. Ao todo, o órgão alertou que 46 cidades potiguares terão chuvas que podem ir de 50 a 100 milímetros por dia ou de 30 a 60 mm/h.

De acordo com o Inmet, as chuvas que vão acontecer nessas cidades estão na escala de “perigo”, a terceira de quatro possíveis do órgão. Portanto, há riscos de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios em cidades com essas áreas de risco.

22
Maio

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 11:25 Hs

  • A Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia informou nesta quinta-feira (21) que o número de pedidos de seguro-desemprego subiu 76,2% na primeira quinzena de maio na comparação com o mesmo período de 2019. Ao todo, foram 218.041 pedidos a mais.
    Segundo a secretaria, foram 504.313 pedidos para seguro-desemprego na primeira quinzena de maio de 2020. Nos primeiros quinze dias de maio de 2019, foram 286.272. Com relação à segunda quinzena de abril, houve aumento de 4,9%.
  • Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira, 21, projeto que estabelece o pagamento de uma indenização no valor de R$ 50 mil a profissionais de saúde que, atuando no combate à pandemia, se infectaram com o novo coronavírus e ficaram permanentemente incapacitados.A proposta será agora encaminhada ao Senado. Câmara e Senado já haviam aprovado projeto de teor semelhante, mas que foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro sob a justificativa de falta de precisão e clareza. Pelo texto aprovado nesta quinta pelos deputados, no caso de morte desses profissionais, o valor será repassado a cônjuges, dependentes ou herdeiros, que poderão dividir o dinheiro. A cifra pode ultrapassar os R$ 50 mil no caso de morte de trabalhadores com dependentes menores de 21 anos.
  • A Prefeitura de Natal (RN), ao ser procurada, pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste, optou por não se pronunciar sobre a recomendação pelo isolamento social total. O argumento é de que o boletim do comitê não foi enviado oficialmente à administração. Já a Prefeitura de Mossoró (RN) afirmou que “ainda não avalia a necessidade de lockdown, mas o quadro da pandemia na cidade vem sendo observado e discutido pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19, que delibera as ações e define os próximos passos.”
  • As emissões de gases de efeito estufa devem subir entre 10% e 20% no Brasil em 2020 em comparação com 2018, último ano de dados disponíveis. A análise feita pelo Observatório do Clima coloca o país na contramão de outras nações. A expectativa é de que a recessão causada pela pandemia de Covid-19 leve a uma queda de 6% na emissão destes gases no planeta neste ano. A razão para que o Brasil contrarie a tendência mundial é o forte aumento no desmatamento da Amazônia, segunda nota técnica do Sistema de Estimativas de Emissão de Gases de Efeito Estufa (SEEG) do Observatório do Clima divulgada nesta quinta-feira (21).
  • A maioria dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votou nesta quinta-feira (21) a favor de limitar a medida provisória assinada pelo presidente Jair Bolsonaro que livra agentes públicos de punição por equívocos ou omissões no combate ao coronavírus. Até a última atualização desta reportagem, o julgamento não havia terminado, e o alcance desse limite não estava determinado. Se prevalecer esse entendimento até o final do julgamento, a medida não terá validade para atos de improbidade administrativa.

    O texto da medida provisória diz que os agentes públicos somente poderão ser responsabilizados nas esferas civil e administrativa se agirem ou se omitirem com dolo (intenção de causar dano) ou erro grosseiro. Os ministros entenderam como erro grosseiro atos que atentem contra a saúde, a vida e o meio ambiente se o agente público deixou de seguir critérios técnicos e científicos das autoridades reconhecidas nacionalmente e internacionalmente. E nada que não seja comprovadamente seguro pode ser legitimamente feito.

18
Maio

Reservas hídricas em alta no RN

Postado às 18:05 Hs

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. Segundo o Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, atualizado nesta segunda-feira (18), a barragem de Umari, localizada em Upanema, com capacidade para 292.813.650 m³, acumula 242.131.839 m³, correspondentes a 82,69%. No mesmo período de 2019, o reservatório estava com 122.053.354 m³, percentualmente, 41,68% do seu volume total. As reservas hídricas superficiais totais do Estado atualmente acumulam 2.223.779.352 m³, que correspondem a 50,81% da capacidade total do RN, que é de 4.376.444.842 m³. No mesmo período do ano passado os reservatórios monitorados pelo Igarn represavam juntos 1.454.203.705 m³, percentualmente, 33,22%da capacidade total do RN. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, com capacidade para 2,37 bilhões de metros cúbicos, acumula atualmente 1.357.909.162 m³, percentualmente, 57,22% do seu volume total. No mesmo período do mês de maio do ano passado o manancial estava com 822.632.000 m³, que representavam 34,28% da sua capacidade total.

Em nota divulgada nesta quarta-feira (13), o Ministério do Desenvolvimento Regional fez duras críticas ao Governo do Estado por causa da suspensão da retomada das obras da Barragem de Oiticica, mesmo após a repasse de R$ 50 milhões no final de abril deste ano. Confira a íntegra da nota abaixo:

NOTA| MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL – BARRAGEM DE OITICICA

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) acompanha de perto o andamento da obra da Barragem de Oiticica, no Rio Grande do Norte.

O empreendimento receberá águas do Projeto de Integração do Rio São Francisco, sendo fundamental para garantir segurança hídrica para o desenvolvimento produtivo e beneficiará mais de 350 mil pessoas nas regiões do Seridó, Vale do Açu e Central do estado. O Governo Federal considera a obra prioritária, já liberou R$ 151,3 milhões desde janeiro de 2019 e assegura que não faltarão recursos para a sua conclusão.

Desse total, R$ 50 milhões foram repassados no final de abril, provenientes de emenda de bancada, por meio do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS). Esses recursos assegurariam a celeridade e a continuidade do empreendimento, além da manutenção dos empregos neste momento em que o País enfrenta a pandemia da Covid-19.

O MDR tomou conhecimento hoje, com preocupação, de que a retomada, prevista para o último dia 6 e depois 10 de maio, ainda não ocorreu, mesmo com a pactuação entre DNOCS, Governo do Estado e o Consórcio EIT/ENCALSO para que a obra siga observando os protocolos do Ministério da Saúde em relação aos cuidados para evitar a contaminação pelo coronavírus. Um plano de medidas preventivas foi elaborado pela construtora e acordado com o DNOCS e governo do estado.

O próprio Decreto nº 29.634, do Governo Estadual, ampliou os serviços essenciais nos municípios potiguares, reconhecendo a construção civil como uma dessas atividades que não devem ser interrompidas.

Essa prorrogação do retorno provocará atrasos na conclusão do empreendimento, prevista para dezembro de 2020. A obra está com 83% de execução física e será responsável por regularizar oferta de água aos potiguares. Novos atrasos podem provocar a perda de oportunidades para iniciar o enchimento do reservatório, postergando a solução de problemas de abastecimento e a promoção do desenvolvimento regional.

O Ministério do Desenvolvimento Regional espera que o governo do Rio Grande do Norte, como executor da obra, tome providências para reiniciar os trabalhos, observando os protocolos de saúde já pactuados, protegendo os trabalhadores e a população local. É importante que a barragem de Oiticica seja concluída dentro do prazo estabelecido, resolvendo em definitivo a segurança hídrica da população beneficiada.

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios, com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. Segundo o Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, atualizado nesta terça-feira (12), as reservas hídricas superficiais totais do RN somam 2.215.247.855 m³, que correspondem a 50,61% da capacidade total do RN. Neste mesmo período de maio de 2019, o volume de água acumulado nos reservatórios monitorados pelo Igarn era de 1.427.149.397 m³, correspondentes a 32,60%da capacidade de reservação dos principais mananciais potiguares. A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório estadual, com capacidade para 2,37 bilhões de metros cúbicos, acumula atualmente 1.353.845.818 m³, percentualmente, 57,05% do seu volume máximo. Em meados de maio do ano passado o manancial represava 804.392.000 m³, correspondentes a 33,52% da sua capacidade total.
30
abr

Informativo

Postado às 23:44 Hs

Passamos por um momento de conscientização em relação a muitas práticas diárias. A pandemia do novo coronavírus nos fez repensar hábitos. Ao mesmo tempo, o Rio Grande do Norte comemora chuvas em várias regiões. O inverno encerrou uma seca de oito anos. Mesmo com muitos vídeos que recebemos de reservatórios transbordando, temos que lembrar das nossas práticas diárias sobre o uso correto da água. Estamos mais tempo em casa, passamos a usar mais água e por vezes não temos essa percepção. Mas estamos lavando mais louça, mais roupa, higienizando mais as mãos. Vamos comemorar as chuvas, mas lembrando a importância da água que nos fez tanta falta no período seco. A boa notícia é que a barragem Armando Ribeiro Gonçalves ultrapassou o volume de 50%. Em janeiro de 2018, ela chegou a entrar em volume morto, ou seja, praticamente seca. 

As notícias que chegam sobre a barragem Armando Ribeiro Gonçalves são cada vez mais animadoras. Dados divulgados neste domingo, dia 26 de abril, apontam para uma elevação de 70 centímetros no seu nível de água nas últimas 24 horas, atingindo a cota de 46 metros e 20 centímetros.

O reservatório que abastece cerca de 40 cidades potiguares no Vale do Açu, região Central, parte do Oeste e do Seridó está com a melhor reserva dos últimos anos.

Atualmente acumula 1 bilhão, 90 milhões, 342 mil metros cúbicos. Isso representa 45,94% da sua capacidade máxima que é de 2,4 bilhões de metros cúbicos. Para atingir a cota que garante o seu trasbordamento é preciso ainda uma elevação de 08 metros e 80 centímetros em seu nível.

Assú Todo Dia

jul 11
sábado
21 56
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
136 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.828.635 VISITAS