As manchas de óleo que têm atingido as praias nordestinas desde 2 de setembro não provocaram problemas ao turismo no Rio Grande do Norte. A informação é da Secretaria de Turismo do RN e se baseia em levantamento feito junto a hotéis de Natal e de Pipa pela Associação Brasileira de Hotéis (ABIH).

De acordo com o presidente da entidade, José Odécio, não houve nenhum cancelamento e alguns hotéis estão com ocupação de 100% até este fim de semana. “Estamos sempre em contato com os órgãos municipais e agentes de turismo que estão nas praias. A ABIH está monitorando esse processo para divulgarmos notícias verdadeiras, por meio de vídeos”, disse.

Ele acrescentou que “as principais praias que o turista frequenta não estão sofrendo com esse acidente”. “Sabemos que é algo pontual, mas estamos cobrando que os culpados sejam responsabilizados”, comentou.

A secretária de Turismo do RN, Ana Maria Costa, disse que as providências por parte do Governo do RN, em parceria com os municípios e os entes federais estão sendo tomadas. Para ela, pelo menos por enquanto, o que preocupa mesmo são informações erradas com relação às manchas.

“Para o turismo é muito prejudicial dissiparmos a ideia de que estamos com nossas praias completamente sujas de óleo; o que é uma inverdade. Devemos ter muito cuidado ao disseminar uma notícia para saber se ela condiz com a realidade ou não”, afirmou.

A secretária alertou que “o que pode afetar a economia e afastar o turista são essas fakenews que precisam ser combatidas”. Desde sexta-feira (11) o Instituto de Meio Ambiente do RN (Idema) promove um levantamento sobre o problema no litoral potiguar.

“A proposta é obtermos informações mais elucidativas, além dos relatórios que temos recebido do Ibama. Estamos unindo esforços para elaborarmos um diagnóstico da situação do Rio Grande do Norte em relação aos impactos desse material em nosso litoral”, explicou o diretor-presidente do Instituto, Leonlene Aguiar.

De acordo com levantamento que vem sendo feito pelo IBama, o Rio Grande do Norte aparece como um dos estados menos afetados pelas manchas, apesar da alta frequência de registros. Pelo levantamento do Instituto, o RN possui 44 pontos inspecionados.

Fonte: OP9

A Petrobras já havia recolhido 133 toneladas de resíduos contaminados pela mancha de óleo de origem indeterminada que atinge diversas praias do Nordeste.

Segundo o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o material oleoso é petróleo cru que, desde o dia 2 de setembro, se espalhou por nove estados nordestinos (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe).

Uma investigação do governo federal aponta que o óleo que está poluindo as praias têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele viria. Segundo a Petrobras, trata-se de óleo cru, que não é produzido no Brasil.

Uma tragédia ambiental sem limites.

12
out

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 18:12 Hs

  • Voltou a ganhar força a aposta de que a Economia deve fatiar sua proposta de reforma tributária. Em um primeiro momento, trataria apenas dos tributos federais, notadamente o PIS/Cofins, tema exaustivamente testado pela Receita. O restante só em 2020.
  • Em reuniões nesta semana, parlamentares discutiram aproveitar a troca de guarda na Receita para levar ao governo proposta de criação de um código de defesa do contribuinte. Tese semelhante já foi defendida pelo ex-ministro Jorge Bornhausen. A ideia é inserir na proposta dispositivo que preveja punição para o acesso injustificado a dados fiscais. Para fazer o projeto andar, os parlamentares querem envolver empresários e o ministro Paulo Guedes (Economia) na discussão. Nos últimos meses, o inferno astral político da Receita foi agravado com as acusações de devassas em contas de autoridades, entre elas ministros do Supremo.
  • Depois que o Banco Central deu, nesta sexta (11), o último aval para o cadastro positivo, os quatro birôs de crédito do país agora se preparam para avisar 130 milhões de consumidores que seus dados bancários serão usados para compor as notas de crédito. A mensagem será feita em conjunto. Foram escolhidas vias mais baratas, como SMS ou e-mail. Mas quando não localizarem o consumidor, vai pelo correio. O investimento é alto, diz Leila Martins, da Serasa. Outro procedimento novo será o pedido de assinatura do consumidor para permitir o acesso a dados mais detalhados de sua movimentação financeira por quem concede crédito. SPC Brasil e Boa Vista dizem que devem ser adotados formulários em papel em primeiro momento e, com o tempo, também confirmações via smartphone.
  • A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, informou que todo o litoral do Rio Grande do Norte até o estado do Maranhão poderão ter vento forte com rajadas de até 74 km/h. A previsão compreende o período desde a sexta-feira (11) até a noite deste domingo (13). Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.
  • Murilo Portugal, presidente da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), vê no cadastro positivo um cenário de competição mais acirrada com as fintechs e as empresas do mercado de crédito. O presidente da entidade dos bancos se mostra otimista. Ele afirma que a concorrência vai estimular a produtividade das instituições e projeta queda na taxa de juros dos bancos com aumento na aprovação de crédito, mas só a médio prazo.  “Os bancos são irmãos siameses da economia. Se uma grande varejista conseguir dar melhor crédito, vai ser bom para as instituições financeiras que trabalham com ela.”
A Marinha do Brasil afirmou nesta quinta-feira, 10, que “após uma triagem das informações do tráfego mercante na região de interesse”, está notificando 30 navios-tanque de 10 diferentes bandeiras a prestarem esclarecimentos”. A Marinha não informa quais são os dez países cujos navios trafegaram pelo litoral brasileiro, a partir do momento que houve o grave vazamento de óleo que sujou as praias nordestinas desde o início de setembro e já atingiram 139 locais em 63 municípios de nove Estados do Nordeste. “A Marinha entrará em contato com as autoridades competentes dos países dessas bandeiras, com a Organização Marítima Internacional e com a Polícia Federal, visando elucidar todos os fatos”, afirma a nota. Segundo a Marinha, a ação tem apoio do Ministério da Defesa, do Exército e de instituições dos Estados Unidos.
10
out

Manutenção

Postado às 11:06 Hs

Caern realiza manutenção programada na Adutora Pureza-João Câmara

No próximo domingo (13), a partir das 7h, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) realiza uma manutenção programada na Adutora Pureza-João Câmara. O serviço é necessário para o correto funcionamento do sistema; a manutenção prevê correções de registros, reparo de tubulações, além de ajustes no sistema elétrico.

A parada deve durar até às 12h de terça-feira (15) e suspenderá o fornecimento de água para quatro municípios: João Câmara, Bento Fernandes, Poço Branco e Taipu.  O prazo para completa normalização da distribuição é de 24h.

A recomendação da Companhia é que a população reserve água para o período e faça o uso de forma racional.

Fonte: Assessoria

A Marinha emitiu uma nota sobre o surgimento de manchas no litoral nordestino informando as ações que está tomando desde o os primeiros casos notificados.

Nota

A Marinha do Brasil informa que desde o início do aparecimento das manchas, no dia 2 de setembro, foram realizadas as seguintes ações:

• inspeções ao longo do litoral da região Nordeste;
• divulgação de Aviso aos Navegantes, solicitando a informação tempes
identificação de poluição hídrica por navios em trânsito nas Águas Jurisdicionais
Brasileiras (AJB), visando à obtenção de dados para análise das possíveis origens da
poluição por óleo cru no Nordeste;
• realização de Patrulha Naval por navios da M
Marítimas de ocorrência de poluição mais recentes, nos litorais de Sergipe e norte da
Bahia; e
• continuidade das análises das informações do tráfego mercante na região, com o
monitoramento dos navios que passaram pel
Nessas ações, a Marinha contabiliza o emprego de 1583 militares, cinco navios, uma
aeronave, além de embarcações e viaturas pertencentes às diversas Capitanias dos Portos,
Delegacias e Agências, sediadas ao longo do litoral nordestino.
Marinha do Brasil: Protegendo nossas riquezas, cuidando da nossa gente
www.marinha.mil.br
MARINHA DO BRASIL
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte (CBMRN) segue combatendo o fogo na Serra que fica entre as cidades de Portalegre e Viçosa, no interior do Estado. Desde ontem (7) dez militares e cerca de 30 voluntários estão trabalhando para debelar o fogo que se encontra no meio da serra.

Durante a madrugada desta terça-feira (8) o trabalho de abertura de estradas foi iniciado para se conseguir chegar ao foco central do fogo. “Alguns focos já foram debelados. Estamos utilizando máquinas e o conhecimento dos voluntários nativos para abrirmos estradas. Vamos trabalhar o dia todo”, disse o capitão Joilton Cunha, oficial do CBMRN no local.

Ainda não há informações sobre a área atingida e o que teria motivado o fogo. Também não há registros de vítimas e danos em edificações até o momento.

Levantamento do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama) mostra que a mancha negra de óleo que apareceu pela primeira vez no litoral do Rio Grande do Norte, no começo de setembro, já atingiu 124 praias da região Nordeste. A maior área atingida é no litoral potiguar, com 43 ocorrências em Natal e ao sul e norte da capital. Ontem, nas proximidades da Praia do Forte placas de óleo se acumulavam nas areias.

Até ontem a poluição do óleo negro havia atingindo praias de 59 municípios dos nove estados, tendo chegado à Bahia, mas registro oficial do Ibama. Dessas praias, dez estão em processo de limpeza, 70 ainda têm manchas visíveis e 44 já estão livres do óleo. Segundo a Petrobras, a mancha preta trata-se de óleo cru não originário do País. Nos municípios afetados, a fauna e a flora também estão sendo vítimas do óleo. Ao todo, 12 animais, sendo 11 tartarugas e uma ave, foram encontradas nas praias do Nordeste cobertas de óleo. Destas, apenas quatro estavam vivas. Das 12, três eram no RN e uma não resistiu.

A Polícia Federal do Rio Grande do Norte já instaurou inquérito para investigar a origem do piche (substância preta e resinosa) que apareceu nas praias de Natal, como a Praia do Forte, na Zona Leste da cidade, e se espalhou pelo litoral do Nordeste, chegando até ao estado da Bahia. Segundo a Superintendência Regional da PF, o caso começou a ser apurado desde que começaram a circular informações sobre a ocorrência de manchas pretas de aspecto oleoso nas praias em setembro, quando o óleo começou a ser visto em Camurupim, Nísia Floresta e Pipa, Tibau do Sul, além de Muriú, Ceará Mirim e Maxaranguape.

A Petrobras assinou hoje (30/9), com a empresa Central Resources do Brasil Produção de Petróleo Ltda., contratos para a venda da totalidade de sua participação nos campos terrestres de Ponta do Mel e Redonda, localizados no Estado do Rio Grande do Norte. O valor da venda é de US$ 7,2 milhões, a serem pagos integralmente no fechamento da transação, sem considerar os ajustes devidos. A produção de petróleo dos campos Ponta do Mel e Redonda, no primeiro semestre de 2019, totalizou cerca de 540 bbl/dia. As descobertas desses campos, ocorridas nos anos de 1984 e 1987 foram resultados de contratos de prestação de serviços para exploração de petróleo com cláusula de risco (os chamados “Contratos de Risco”), atualmente detidos pela Central Resources.

Os registros de manchas de óleo em praias do Nordeste subiram para 113, de acordo com o mais recente levantamento, divulgado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), no último  domingo (29). Ao todo, oito estados registram casos de óleo na praia. Ao menos 13 animais foram atingidos – nove tartarugas e uma ave foram encontradas mortas ou morreram após o resgate.

Uma investigação do órgão aponta que o óleo que está poluindo as praias têm a mesma origem, mas ainda não é possível afirmar de onde ele viria. Segundo a Petrobras, trata-se de óleo cru, que não é produzido no Brasil. A suspeita é que o petróleo tenha vindo de navios que passam pela região, segundo a Agência Estadual de Meio Ambiente de Pernambuco (CPRH), que está analisando imagens de satélite do mar. A pesquisa, no entanto, ainda está em estágio inicial.

A Marinha e a Petrobras constataram, após análises, que a substância que atingiu nas últimas semanas praias de diversos Estados do Nordeste é petróleo, produzido no exterior, mas de origem ainda não identificada, informou o órgão ambiental federal Ibama em uma nota publicada em seu site nesta quinta-feira. Uma série de ações estão sendo realizadas desde 2 de setembro entre Ibama, Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, Marinha e a petroleira estatal, com o objetivo de investigar as causas e responsabilidades do despejo no meio ambiente.
21
set

Controlado

Postado às 9:37 Hs

Incêndio na Serra do Lima, RN, é controlado após 5 dias, diz Corpo de Bombeiros.

O incêndio florestal na Serra do Lima, no município de Patu, no Rio Grande do Norte, foi controlado na tarde desta sexta-feira (20). A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros do estado. Os militares, no entanto, vão seguir na cidade como medida de precaução.
A área de vegetação estava em chamas desde a tarde de segunda-feira (16), quando a queimada começou, e ameaçou inclusive o Santuário de Nossa Senhora dos Impossíveis. Segundo o prefeito da cidade, Rivelino Câmara, as chamas chegaram a ficar a cerca de 60 metros do local, que é o principal ponto turístico da região.

Os 135 municípios potiguares incluídos no decreto número 29.131 de 8 de setembro, publicado na edição desta terça-feira (10) no Diário Oficial do Estado, têm até dia 20 de setembro para preencher o Formulário de Informação do Desastre (Fide), do Ministério do Desenvolvimento Regional, relatando as perdas na agricultura, pecuária, indústria e comércio em decorrência da estiagem prolongada.

Segundo o coordenador estadual da Defesa Civil, Marcos de Carvalho, o documento é critério para que o Governo Federal faça o reconhecimento da situação de seca e colapso de abastecimento de água nas cidades e, assim, possa liberar recursos. O preenchimento do Fide deve ser feito pelas Coordenadorias Municipais de Defesa Civil (Comdecs).

“O município que não enviar as informações será prejudicado e poderá perder programas como o Garantia Safra, Operação Carro Pipa e ficará impedido de fazer refinanciamento de dívidas no Banco do Nordeste”, explica Marcos de Carvalho.

09
set

Previsões

Postado às 21:54 Hs

A semana começa com predominância de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado e possibilidades de ocorrências de pancadas de chuvas fracas e isoladas no Leste do Estado devido a atuação do sistema de brisa e essa condição predominará durante toda a semana. Essa é a previsão da Unidade de Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), para o período de 9 a 15 de setembro. Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, as temperaturas, tanto as máximas como as mínimas deverão se manter próximo das normais que deverão variar na capital entre as mínimas de 22º C, as máximas de 29,0º C. Para o interior nas regiões serranas, as mínimas poderão chegar a 21ºC e as máximas a 35ºC.

Para a semana as revisões são as seguintes: Hoje (09/09), céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas fracas e isoladas na região leste. Amanhã (10/09), também com céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas fracas e isoladas na região leste. Na quarta-feira (11/09), o céu permanece parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas fracas e isoladas na região leste. A quinta-feira (12/09) será de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com possibilidades de pancadas de chuvas fracas e isoladas na região leste.

Na sexta-feira (13/09) o céu fica parcialmente nublado a claro em todo o Estado, com possibilidade de pancadas de chuvas fracas e isoladas na região Leste. O sábado, dia 14, será de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado, com possibilidade de pancadas de chuvas fracas e isoladas na região Leste. O domingo, dia 15, será de céu parcialmente nublado a claro em todo o estado, com chuvas fracas e isoladas na região Leste.

Chuvas

O fim de semana, da sexta-feira (06) até a manhã desta segunda-feira (09), foi marcado por chuvas nos municípios de Boa Saúde, Tangará, São Gonçalo e Natal, entre outros do Agreste e Leste do RN

No período de 10 a 12 de setembro será realizado o II Encontro Estadual dos Comitês de Bacias Hidrográficas do Rio Grande do Norte, com o tema “Gestão das Águas e Mudanças Climáticas”. O evento acontecerá no auditório da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e tem abertura marcada às 18h da terça-feira (10), com previsão da presença da Governadora Fátima Bezerra e do diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Ricardo Andrade.

Promovido pelo Fórum Potiguar de Comitês de Bacias Hidrográficas, com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e do Instituto de Gestão das Águas do Rio Grande do Norte (Igarn), o encontro vai contar com a presença do Secretário da Semarh, João Maria Cavalcanti, o presidente do Igarn, Caramuru Paiva, da diretoria do Comitê da Bacia do Rio São Francisco, ANA, Ministério Público Federal, técnicos e gestores de órgãos da área de meio ambiente e recurso hídricos do RN, usuários de água, professores, estudantes e líderes comunitários.

08
set

Alerta

Postado às 17:32 Hs

A Marinha do Brasil divulgou nesse sábado (7) um novo alerta de ventos fortes para o litoral do Rio Grande do Norte. O aviso de rajadas até 61 km/h que valia até a segunda foi estendido para até a noite de terça-feira (10), às 21 horas. Além do RN, os litorais de Ceará, Piauí e Maranhão também podem ser atingidos pelos ventos fortes.

A Marinha orienta ainda que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

As informações meteorológicas podem ser visualizadas na página do Serviço Meteorológico Marinho no Facebook, e por meio do aplicativo “Boletim ao Mar”, disponível para download na internet, tanto para o sistema Android quanto para iOS, desenvolvido em parceria entre a Marinha do Brasil e o Instituto Rumo ao Mar (RUMAR).

O Governo do Rio Grande do Norte vai decretar, por 180 dias, situação de emergência pela seca em 135 municípios, o que representa quase 81% das cidades potiguares. O decreto será publicado na edição do Diário Oficial da próxima terça-feira (10).

Para definir os municípios atingidos pelo decreto, o Comitê Estadual para Ações Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca se baseia em análises técnicas dos diversos órgãos que integram o comitê, incluindo relatórios de índice pluviométrico, de reserva hídrica no Estado, fornecimento de água potável para a população e perdas na agricultura e pecuária, além dos dados do Monitor das Secas, da Agência Nacional de Águas (Ana).

Todos os municípios inseridos no Decreto Estadual deverão realizar o Preenchimento do Formulário de Informações de Desastres (FIDE), na Plataforma do Sistema Integrado de Informações de Desastres (S2ID) da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (SEDEC) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) – Site: www.s2id.mi.gov.br para que a Defesa Civil envie o processo de pedido de reconhecimento federal.

05
set

Tremor em Caraúbas

Postado às 13:55 Hs

Nesta quinta-feira(05), às 03:37 UTC (00:37, hora local) um novo tremor foi sentido em Caraúbas(município distante 296 km de Natal), desta vez de magnitude preliminar estimada em 2.7 e foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

Esse evento foi sentido na sede do município e, principalmente, em diversas localidades ao norte. O Laboratório entrou em contato com o Coordenador de Defesa Civil de Caraúbas, Sr. Ricardo Adriano, e, segundo ele, há informações de que esse sismo teria sido sentido mais forte no Assentamento Petrolina, onde foi ouvido um estrondo e a terra tremeu. Segundo notícias de site de Caraúbas, além do estrondo e do tremor, objetos sobre geladeira chegaram a ser derrubados e, na localidade de Petrolina, “o tremor foi muito forte, as casas se estalaram tudo”.

Essa atividade vem sendo registrada há algum tempo, tendo vários eventos sido sentidos pela população. Como sempre afirmamos nesse tipo de situação é impossível saber como a atividade sísmica em Caraúbas vai evoluir. No entanto, o LabSis/UFRN vem mantendo um monitoramento permanente dessa atividade visando obter dados que permitam informar a sociedade sobre o que realmente está ocorrendo na região e que servem para orientar ações de Defesa Civil.

out 15
terça-feira
19 32
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
30 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5803133 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram