Cleide Carvalho / O Globo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o Brasil continuará no Acordo de Paris e que o presidente Jair Bolsonaro concordou com a posição. Ele argumentou que há pontos importantes no acordo que podem trazer recursos para o país, e que o problema está na internalização de princípios para a legislação nacional. O acordo estabelece metas de para redução da emissão de gases que causam o efeito estufa.

— Por ora vamos manter a participação. Há pontos importantes, que podem trazer recursos para o país. O acordo está feito. É um guarda-chuva com metas de redução de emissão para o Brasil e outros países. O problema é como internaliza na legislação pátria, de forma que não restrinja o empreendedorismo.  Vamos olhar com cuidado – afirmou o ministro, que participou nesta segunda-feira de almoço com empresários do setor de construção no Secovi – Sindicato de Habitação de São Paulo.

DIVERGÊNCIAS – Salles disse que Bolsonaro concordou com a manutenção. Ponderou que em todo o governo há opiniões divergentes, mas que o importante é que sejam discutidas e que as posições sejam construídas.

No ano passado, ainda em campanha, Bolsonaro disse que poderia retirar o Brasil do Acordo de Paris caso fosse eleito, pois as premissas afetariam a soberania nacional. Afirmou que era desfavorável ao acordo porque o Brasil teria que “pagar um preço caro” para atender às exigências.

“O que está em jogo é a soberania nacional, porque são 136 milhões de hectares que perdemos ingerência sobre eles. Eu saio do Acordo de Paris se isso continuar sendo objeto. Se nossa parte for para entregar 136 milhões de hectares da Amazônia, estou fora sim”, afirmou na época sobre o Acordo de Paris, aprovado em 2015 e que tem como meta a redução de emissão de gases do efeito estufa, de forma a evitar o aquecimento global.

O ano de 2019 começa sem taxa extra nas contas de luz. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira que irá aplicar a bandeira tarifária verde no próximo mês, sem custo adicional para os consumidores. Em dezembro, essa bandeira também ficou em vigor.

A justificativa para a manutenção da cor verde nas bandeiras é o período de chuvas. “A estação chuvosa está propiciando elevação da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e do nível dos reservatórios”, informou a Aneel, em nota.

Apesar da manutenção da bandeira verde, a Aneel alerta que é necessário manter as ações relacionadas ao uso consciente e ao combate ao desperdício de energia.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2), está relacionada aos custos da geração de energia elétrica.

E para o verão que está chegando, a tendência é que as temperaturas fiquem um pouco acima do normal, pois a estação se inicia sob os efeitos do Fenômeno El NiÑO (águas mais aquecidas no Oceano Pacífico Equatorial). Essa condição presente, causa a formação de uma massa de ar quente sobre a região Nordeste, diminuído a circulação dos ventos e impedindo a formação de chuvas. Outra condição que irá contribuir para uma sensação térmica de mais calor, é uma maior concentração de umidade ao longo da faixa litorânea do Nordeste, uma vez que as águas superficiais do Oceano Atlântico estão e devem permanecer mais aquecidas nos próximos meses, liberando mais umidade para atmosfera e como os ventos deverão estar mais fracos, essa umidade permanecerá sobre a região contribuindo para o aumento da sensação térmica.

No interior, quente por natureza do clima semiárido as condições não deverão apresentar mudanças significativas nas temperaturas máximas e mínimas, devendo ter um comportamento próximo da normalidade, muito quente durante o dia e condições mais amenas durante a noite.

Previsão Climática para os próximos meses

Nos meses que compõem o verão (dezembro, janeiro e fevereiro), ocorrem as chuvas da pré-estação chuvosa, que derivam da presença de sistemas meteorológicos transientes (frentes frias e vórtices ciclônicos de ar superior). Esses sistemas são de difícil previsibilidade e dificulta estabelecer um comportamento para a chuva nesse período, mas normalmente em Natal temos valores médios de 15,5mm para dezembro, o mês nem acabou e já choveu 66 milímetros; 35,6mm para janeiro e 90,0mm para fevereiro. No interior as chuvas médias para esse período os valores variam muito de acordo com a região, por influência do relevo. Normalmente os valores de chuva apresenta valores baixos em dezembro (variando de 10mm a 15mm), média já ultrapassada em muitos municípios potiguares neste dezembro de 2018.

Para janeiro os valores variam entre 20,0mm a 70mm, aumentando um pouco em fevereiro para valores médios variando entre 50mm a 110mm. Para a estação que se inicia agora, segundo Gilmar Bristot, é esperado que tenhamos ocorrência de chuvas próximo da normalidade, não descartando a ocorrência de veranicos (períodos superiores a 10 dias sem chuva), e ocorrência de chuvas intensas ocasionas por vórtices ciclônicos de ar superior, comuns de atuarem nessa época.

O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro, disse hoje (25) que fará parcerias com Israel para beneficiar o Nordeste com projetos de dessalinização de água. Por meio de seu perfil no Twitter, Bolsonaro afirmou que o futuro ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, visitará em janeiro instalações de dessalinização, plantações e o escritório de patentes no país do Oriente Médio.

Ainda em janeiro, espera-se que seja implantada no Nordeste brasileiro uma instalação piloto para tirar água salobra de poços, dessalinizar, armazenar e distribuir para a agricultura familiar da região.

“Também estudamos junto ao embaixador de Israel e empresa especializada testar tecnologia que produz água a partir da umidade do ar em escolas e hospitais da região. Poderemos, inclusive, negociar a instalação de fábrica no Nordeste para venda desses equipamentos”, escreveu no Twitter.

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou neste domingo (9) pelo Twitter o nome do advogado Ricardo de Aquino Salles para o Ministério do Meio Ambiente. Foi o 22º e último ministro anunciado para o novo governo. O nome de Salles já era cotado para comandar a pasta. Ele concorreu a deputado federal de São Paulo pelo partido Novo nas últimas eleições. Com 36.603 votos, não se elegeu, mas ficou na suplência. Participação no governo Alckmin Ainda enquanto integrante do PP, foi secretário particular do então governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB) entre 2013 e 2014. Em julho de 2016, retornou ao governo do tucano como secretário estadual do Meio Ambiente, cargo no qual permaneceu até agosto de 2017, após enfrentar desgastes por sucessivos enfrentamentos com líderes ambientalistas e por resistência ao seu nome dentro do próprio PP, cujos dirigentes expressavam publicamente a insatisfação com o desempenho do correligionário.

Em reunião com a governadora eleita, senadora Fátima Bezerra, seu suplente, Jean-Paul Prates e a deputada Zenaide Maia, o secretário executivo do Ministério da Integração, Gustavo Canuto, garantiu a liberação de R$ 239 milhões para a barragem de Oiticica e afirmou que a obra será concluída em 2019. Participou também da reunião o secretário de Recursos Hídricos do RN, José Mairton Figueiredo de França.

Fátima ressaltou a necessidade da liberação de R$ 56 milhões, oriundos de emenda parlamentar de bancada para o Orçamento deste ano. “Fiquei muito satisfeita com as notícias que recebemos nesta tarde, uma vez que teremos a possibilidade de inaugurar a obra no nosso primeiro ano de governo. Desde 2013, venho batalhando, aqui em Brasília, para a liberação e conclusão da obra”, disse.

Gustavo Canuto garantiu que a pasta vai agilizar os documentos encaminhados pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS, para a liberação dos recursos da emenda de bancada ainda este ano.

08
nov

Pelo RN

Postado às 12:13 Hs

Reservas hídricas acumulam 24% da sua capacidade total, diz relatório do IGARN
O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora os 47 reservatórios com capacidade superior a cinco milhões de metros cúbicos existentes em todo o Estado do Rio Grande do Norte. Destes, atualmente, seis se encontram em volume morto e outros oito já completamente secos. Em termos percentuais, os reservatórios em nível crítico já somam 12,76% dos mananciais monitorados, os secos representam outros 17% do total. Somadas todas as reservas hídricas superficiais estaduais, o RN atualmente possui 1.076.834.033 de metros cúbicos de água, o que corresponde a 24,41% do total que consegue acumular.

Maior reservatório do Estado, com capacidade para 2,4 bilhões de metros cúbicos, a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves está atualmente com 558,318 milhões de metros cúbicos, que representam 23,26% da capacidade total do reservatório.

Já a Barragem Santa Cruz do Apodi, com capacidade para 600 milhões de metros cúbicos, está acumulando 145,404 milhões de m³, percentualmente, 24,75% do total que consegue acumular quando completamente cheia.

O açude Umari, localizado em Upanema, com capacidade para 292 milhões de metros cúbicos está com 111,967 milhões de metros cúbicos, percentualmente, 38,24% da capacidade total do reservatório.

Entre os reservatórios considerados em volume morto estão: Bonito II, com apenas 1,63%, da sua capacidade total; Pilões, com 3,89%, do seu volume total; Itans, com 4,59%, da capacidade; Zangalheiras, com 2,17% do total que consegue acumular; e Esguicho, com 0,33% da capacidade.

Entre os já totalmente secos estão: Cruzeta, na cidade homônima; Dourado, em Currais Novos; Inharé, localizado em Santa Cruz; Trairi, em Tangará; Japi II, em São José do Campestre; Marechal Dutra, popularmente conhecido como Gargalheiras, em Acarí; Santa Cruz do Trairi, em Santa Cruz e Santana, em Rafael Fernandes.

07
nov

Chamada Pública

Postado às 0:31 Hs

De acordo com o Edital da Chamada Pública Coordenada, a Companhia Potiguar de Gás visa o recebimento de propostas até 31 de janeiro de 2019 para aquisição de 450 mil metros cúbicos por dia de gás natural de produtores nacionais ou internacionais, importadores ou agentes comercializadores. A Companhia também expressou interesse nos projetos de Biogás. As distribuidoras de gás natural do Nordeste buscam uma alternativa de suprimento em virtude do reposicionamento estratégico da Petrobras de desinvestimentos em ativos do mercado de distribuição de gás natural. O edital e os documentos anexos, incluindo o termo de referência além de perguntas frequentes e respostas, estão disponíveis no site da empresa: http://www.potigas.com.br/chamada-publica. As propostas devem ser encaminhadas através do e-mail: chamadapublicagn@potigas.com.br.
01
set

Destaque

Postado às 10:58 Hs

RN é destaque em leilão de energia da Aneel com 742,3 MW arrematados

O leilão de energia A-6 realizado nesta sexta-feira (31), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) teve uma forte concorrência diante do grande número de projetos ofertados e da pouca demanda por parte das distribuidoras. O grande destaque foi o Rio Grande do Norte com 742,30 MW de um total de 1.250,70MW.

Foram viabilizados 48 projetos da fonte eólica, em um total de 1.250,7 MW de capacidade instalada, três termelétricas totalizando 391 MW e 11 usinas hidrelétricas somando 457,7 MW. O total contratado somou R$ 23,67 bilhões com prazos de 20 a 30 anos. Os destaques ficaram por conta do RN com 742,30 MW e Bahia com 508,4MW.

15
ago

Informes

Postado às 16:11 Hs

Potigás disponibiliza edital para compra de gás. A Companhia Potiguar de Gás (Potigás) lançou, na terça-feira, 14, o edital da chamada pública para recebimento de propostas para aquisição de até 450 mil metros cúbicos por dia de gás natural, visando diversificar a compra do suprimento, hoje centrada na Petrobras. O edital e os documentos anexos, incluindo o termo de referência além de perguntas frequentes e respostas, estão disponíveis no site da empresa: http://potigas.com.br/chamada-publica. A iniciativa é coordenada por sete estados do Nordeste, reunindo além da Potigás, as distribuidoras dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Sergipe (Algás, Bahiagás, Cegás, Pbgás, Copergás e Sergás, respectivamente). No entanto, o diferencial da Potigás é a previsão expressa para a compra de gás natural, podendo o suprimento ter origem no Biogás, tendo em vista o grande potencial do Rio Grande do Norte para a produção desse combustível.
Pesquisadores potiguares patentearam biomassas desenvolvidas a partir de rejeitos do caju e do jerimum a partir das quais poderão ser produzidos aditivos antioxidantes, alimentos com ação nutritiva, e ainda, novos fitomedicamentos. O trabalho é fruto de projetos desenvolvidos por estudantes do Curso de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGB) da UnP, integrante da rede Laureate, que culminaram no depósito de três patentes junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). Por meio da nanobiotecnologia, é feito o reaproveitamento desses alimentos. O interesse em desenvolver projetos nessa linha abrange um contingente nacional, pois mediante os resultados encontrados, são produzidas novas matérias da indústria alimentícia. Esses materiais podem ser comercializados e assim contribuir para um ambiente economicamente sustentável.
Na semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, a Ufersa foi reconhecida como uma instituição parceira da natureza com a entrega do 100º Selo Solar conferido pelo Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina, o Instituto Ideal. A comenda foi entregue ao Reitor, o professor José de Arimatea de Matos, durante o 9º Seminário Energia + Limpa, que aconteceu nos dias 04 e 05 de junho em Florianópolis (SC). A Ufersa foi agraciada com o Selo Solar devido a instalação e o funcionamento da Usina Fotovoltaica inaugurada em janeiro de 2016, no Campus Sede, em Mossoró. A Usina foi adquirida com recursos do Projeto Desafio da Sustentabilidade, do MEC em 2014, no qual as pessoas participavam apresentando ou curtindo ideias sobre economia de água e energia elétrica.
05
jun

Mais verde

Postado às 19:53 Hs

Dia Mundial do Meio Ambiente: TCM distribui mais de 150 mudas de várias espécies para os funcionários

No Dia Mundial do Meio Ambiente, a TCM (TV Cabo Mossoró) distribuiu para os funcionários mais de 150 mudas de várias espécies de plantas que vão desde as ornamentais às medicinais. A ação realizada durante todo dia de hoje na empresa faz parte da programação da Semana do Meio Ambiente aberta ontem a noite, no Pátio das Antenas, e que tem atividades até a sexta-feira.

Entre as atividades para toda Semana estão oficinas de reciclagem de lixo, melhor aproveitamento do consumo de água, de energia elétrica, sobre uso de papel e copo descartável, além de sessões de ginástica laboral, exposições de artistas plásticos a partir de produtos recicláveis e jogos educativos. A Semana do Meio Ambiente da TCM é uma ação do selo de Responsabilidade Ambiental criado pela própria empresa e conta com a parceria da EcoHabil.

05
jun

Informativo

Postado às 0:58 Hs

A Semana do Meio Ambiente contará com ações no Centro de Convivência da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da Diretoria de Meio Ambiente (DMA) da Superintendência de Infraestrutura (Infra), que realiza entre os dias 4 e 6 de junho a Mostra de ecoprodutos e ecodesign e serviços sustentáveis, além de oficinas de reaproveitamento de materiais e reciclagem. As atividades estão inseridas na programação da Prefeitura do Natal alusiva ao Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em 5 de junho.
29
maio

Crescimento

Postado às 12:32 Hs

Alta dos combustíveis e garantia de fornecimento impulsionam mercado GNV. A procura pela conversão de veículos para Gás Natural Veicular (GNV) aumentou no Rio Grande do Norte com a disparada do valor da gasolina nos postos de combustíveis em todo o Brasil. Como resultado, no primeiro quadrimestre de 2018, o número de conversões para GNV aumentou 50,72% com relação ao mesmo período do ano passado, segundo estatísticas oficiais do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran/RN). Nos meses de janeiro a abril de 2018, foram realizadas 526 conversões. Em 2017, os mesmos meses registraram 349.
22
maio

Conta de energia mais barata no mês de junho

Postado às 19:28 Hs

A bandeira tarifária deve permanecer no patamar amarelo no mês de junho, o mesmo adotado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em maio. A manutenção da bandeira amarela implica no adicional de R$ 1,00 para cada 100 kilowatts-hora (kWh) de energia consumidos.

De acordo com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, não houve alterações relevantes nas condições que levaram a agência a adotar a bandeira amarela em maio e que poderia apontar para um retorno à bandeira verde em junho. “Nada aponta na direção de voltar para a bandeira verde. Então, a amarela é a mais provável”, afirmou Rufino.

16
maio

Melhoria

Postado às 20:01 Hs

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) restabeleceu, no início desta semana o fornecimento de água para as cidades de José da Penha e Rafael Fernandes, ambas no Alto Oeste. A região é uma das mais afetadas com a seca. Os cerca de 6 mil josé-penhenses voltarão a ter o fornecimento regular de água. José da Penha estava em colapso desde outubro de 2016. Também, no Alto Oeste, Rafael Fernandes volta a ter abastecimento regular depois de dois anos em colapso. Já na próxima semana, a previsão é retomar o abastecimento de Marcelino Vieira,
16
maio

Leilão

Postado às 10:26 Hs

Via Agência Brasil

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem (15) o edital do leilão para a construção de novas linhas de transmissão. O certame vai licitar a contratação de 2,6 mil quilômetros de linhas e está programado para ocorrer em 28 de junho na sede da B3, antiga BM&F Bovespa.

No total, as linhas que serão licitadas passarão por 16 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

De acordo com a Aneel, as linhas serão divididas em 20 lotes e a estimativa é que as obras exigirão R$ 6 bilhões em investimentos.

As instalações deverão entrar em operação comercial no prazo de 36 a 63 meses, a partir da data de assinatura dos contratos de concessão.

jan 16
quarta-feira
03 42
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
32 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5757328 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram