11
ago

Grande líder

Postado às 12:43 Hs

Fundador da Tribuna do Norte, o ex-ministro Aluízio Alves completaria neste sábado (11) seus 97 anos.

Uma Missa será celebrada às 19h na Igreja de Nossa Senhora da Esperança, na Cidade da Esperança, em sua memória. Aluízio era jornalista, advogado e político. No jornalismo, não só fundou a TN, como dirigiu a TV Cabugi, a Rádio Cabugi e a Difusora de Mossoró.

Na política, seu maior legado foi retomar como Ministro da Integração o projeto da transposição do Rio São Francisco. Foi ainda deputado federal, Ministro da Administração e governador do Rio Grande do Norte.

Aluízio Alves faleceu em 06 de maio de 2006 aos 84 anos.

12
ago

In memorian

Postado às 21:45 Hs

Henrique participa de missa em ação de graças pelos 93 anos de nascimento de Aluízio Alves

 

O deputado federal Henrique Alves, candidato do PMDB ao Governo do Estado, participou nesta terça-feira (12) da missa em ação de graças para celebrar o aniversário de nascimento do seu pai, o ex-governador Aluízio Alves, que no dia 11 de agosto completaria 93 anos se estivesse vivo.

“Todo ano nós fazemos aqui essa mesma homenagem a ele, relembrando a sua vida que é uma semente plantada e indestrutível de muitas alegrias e muitas emoções por todo o Rio Grande do Norte. Estou mais uma vez aqui pedindo a ele, sobretudo este ano, neste momento, que me abençoe e me ilumine nessas nossas caminhadas pelo Estado”, afirmou Henrique.

A missa, celebrada pelo padre Agostinho, reuniu amigos e familiares na igreja Nossa Senhora da Esperança, na Cidade da Esperança. Henrique assistiu à missa ao lado do irmão, Aluízio Alves Filho. A candidata ao Senado Wilma de Faria (PSB), o prefeito Carlos Eduardo (sobrinho de Aluízio) e os sobrinhos-netos Walter Alves, deputado estadual, e Felipe Alves, vereador, também compareceram.

Jornalista e advogado, Aluízio Alves foi governador do Rio Grande do Norte, deputado federal e duas vezes ministro. Morreu no dia 6 de maio de 2006, aos 83 anos, por falência múltipla de órgãos.

20
jan

Todos juntos e misturados…

Postado às 20:56 Hs

O presidente da Câmara e do PMDB/RN, Henrique Alves, faz malabarismo e até se esforça para dizer que não está sendo  formando chapão, e que espera o apoio das legendas ao projeto político de desenvolver o RN.

O fato é que o movimento migratório Tsunami Bacurau  do PV, PROS, PR, PDT, PSB e, quem sabe, PSDB e DEM, para o ninho  parece sim um chapão ou acordão ou como queiram…pelo bem do RN.

Nessa perspectiva, PSD e PT estariam caminhando para formar o grupo dos excluido? Tem candidato ao governo, Robinson Faria, e ao Senado, Fátima Bezerra, e até estratégia. Colariam nas candidaturas dos adversários o selo da responsabilidade por apoiar a gestão de Rosalba Ciarlini. O sonho de Aluízio Alves pode está muito próximo, ver Henrique governador. E o xadrez da política potiguar fervendo nos bastidores…

A Comissão de Educação do Senado aprovou, nesta terça-feira (19), projeto de lei da Câmara denominando “Governador Aluízio Alves” o aeroporto internacional em construção no município de São Gonçalo do Amarante (RN), região metropolitana de Natal. O relator da proposta foi o senador Gim Argelo, cujo parecer foi aprovado por unanimidade.

A empresa construtora – Inframérica – estima que a nova unidade estará em funcionamento em abril de 2014. O aeroporto de São Gonçalo terá uma estação de passageiros com 40 mil metros quadrados e estacionamento com 1.500 vagas. Atualmente, cerca de 1.300 pessoas trabalham na obra.
No início das operações, a Inframérica prevê que o Aeroporto terá capacidade para receber até 10 aeronaves simultaneamente, com um movimento inicial de 4 milhões de passageiros/ano, chegando a 6,2 milhões em 2024 e aos 11 milhões em 2038. Já no primeiro ano, serão 10 balcões de atendimentos aos passageiros e cinco esteiras de bagagens.

O ex-deputado federal pelo Amazonas, ex-senador e ex-ministro da Justiça, Bernardo Cabral, prestou uma emotiva homenagem, ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, ao proferir na tarde desta quarta-feira (16), a palestra de abertura da programação comemorativa aos 25 anos da criação do Superior Tribunal de Justiça.

Bernardo Cabral lembrou ter recebido do presidente Felix Fischer a missão de falar na condição de relator-geral da Constituição de 1988, aonde chegou após ter tido seu mandato de deputado federal cassado em fevereiro de 1969 por força do Ato Institucional número 5. Na mesma ocasião ele teve os  direitos políticos suspenso por 10 anos.

Cabral assinalou que, com ele, também estava na lista de punidos pelo poder ditatorial o colega deputado federal Aluízio Alves. Dois anos depois, ele e Aluízio encontraram-se no Rio de Janeiro, onde passaram a exercer atividades profissionais após terem sido excluídos da vida pública, e ouviu do amigo uma grata notícia: “Acabei de eleger o meu filho, de 22 anos, deputado federal”.

Sem esconder a emoção com que relembrava o fato, Bernardo Cabral citou que a solenidade lhe oferecia a oportunidade de estar lado a lado com aquele então jovem deputado federal de 22 anos, agora na condição de presidente da Câmara dos Deputados do Brasil: o deputado federal Henrique Eduardo Alves.

14
ago

Homenagem

Postado às 17:45 Hs

Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprova nome de Aluízio Alves para Aeroporto de São Gonçalo do Amarante Brasília (DF) – A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (14), o projeto de lei que denomina de “Governador Aluízio Alves”, o aeroporto internacional que está sendo construído em São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal-RN. O projeto foi relatado pelo deputado Arthur Oliveira Maia (PMDB-BA). Ao tomar conhecimento da votação, o deputado Henrique Eduardo Alves afirmou ter ficado muito feliz com a decisão e agradeceu a cada integrante da comissão.
12
ago

Homenagem

Postado às 20:39 Hs

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, participou nesta segunda-feira (12), em Brasília, da solenidade que marcou os 25 anos da criação da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) na gestão do então ministro da Administração, Aluizio Alves. Durante a solenidade também foram comemorados os 25 anos da aula inaugural da primeira turma do curso de Especialistas em Políticas Públicas e Gestão Governamental (EPPGG). O ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho, também prestigiou a solenidade. Ao discursar para uma plateia de gestores públicos, Henrique Alves reforçou o papel dos servidores de carreiras que gerenciam as principais políticas do governo desde a criação da ENAP por Aluizio Alves.
11
ago

Histórico de Aluizio Alves

Postado às 16:30 Hs

Aluízio Alves, Nasceu em Angicos em 11 de agosto de 1921 —Faleceu em Natal em 6 de maio de 2006 foi um jornalista,advogado e político brasileiro  com base eleitoral no Rio Grande do Norte, estado do qual foi governador entre 1961 e 1966 sendo depois cassado pelo AI-5 em 1969. É o decano do clã dos Alves, contraparte política da família Maia num embate que há anos domina a cena política potiguar, em especial a partir dos anos oitenta do século XX.

§ Antes e depois da política §

Filho de Manuel Alves Filho e Maria Fernanda Alves, é Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito de Maceió com especialização em Serviço Social. Após obter sua graduação voltou-se para às atividades jornalísticas: primeiro como funcionário dos jornais A Razão e A República, ambos em Natal tendo se dirigido em 1949 ao Rio de Janeiro onde foi redator-chefe do jornal Tribuna da Imprensa, que pertencia a Carlos Lacerda  retornando ao seu estado natal no ano seguinte onde fundou e dirigiu a Tribuna do Norte. Ainda no ramo de comunicação foi diretor da Rádio Cabugi, da TV Cabugi e da Rádio Difusora de Mossoró. Antes foi Oficial de Gabinete da Interventoria potiguar chefe do Serviço Estadual de Reeducação e Assistência Social (SERAS) e diretor estadual da Legião Brasileira de Assistência.

 

Sua vocação política foi desperta concomitantemente às atividades profissionais que desenvolveu e sua estréia na vida pública se deu sob o apadrinhamento de Dinarte Mariz então líder-mor da UDN no estado e assim Aluísio Alves foi eleito deputado federal em 1945 participando dos trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte que promulgaria a nova Constituição em 18 de setembro de 1946. Reeleito em 1950, 1954 e 1958, chegou aos postos de secretário-geral da UDN e de vice-líder da bancada. Figura de proa quando da eleição de Mariz para o governo do estado em 1955  logo romperia com seu antigo aliado em face de um episódio onde o governador recém-eleito ignorou uma série de ações de governo que foram reunidas por Aluísio Alves num extenso documento. Irritado, rompeu politicamente com seu mentor e ingressou no PSD sendo eleito governador em 1960 para o desgosto de Dinarte Mariz. A animosidade entre os dois líderes tornou-se cada dia mais férrea e com o advento do Regime Militar de1964 foi Mariz quem retomou o comando da cena política, o que não impediu, contudo, o ingresso de Aluísio Alves na Aliança Renovadora Nacional (ARENA) e a conquista de seu quinto mandato de deputado federal em 1966 após ter sua candidatura a senador vetada por Mariz.

Veio então o revés: em 7 de fevereiro de 1969 teve seu mandato cassado pelo AI-5  sob a acusação de corrupção sendo indiciado em um processo arquivado em fevereiro de 1973. Mesmo sem poder atuar diretamente na vida pública fez uso de sua experiência política e se manteve influente ao levar o seu grupo político para o MDB em 1970 sem mencionar que sua condição de empresário permitiu que mantivesse boas relações com os arenistas, à exceção, claro, de Dinarte Mariz. Executivo da União das Empresas Brasileiras, logo expandiu suas atividades para além da área de comunicação e tão logo foi restaurado o pluripartidarismo ingressou no Partido Popular  e a seguir no PMDB sendo derrotado na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte em 1982 por José Agripino Maia do PDS.

Entusiasta da candidatura vitoriosa de Tancredo Neves à Presidência da República foi indicado Ministro da Administração pelo presidente eleito sendo confirmado no cargo por José Sarney e permaneceu à frente desse ministério entre 15 de março de 1985 e 15 de fevereiro de 1989. Foi durante a sua gestão que foi criada a Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. Em 1990 foi eleito para o seu sexto mandato de deputado federal, cargo do qual esteve licenciado durante o governo Itamar Franco quando foi Ministro da Integração Regional entre 8 de abril de1994 e 1 de janeiro de 1995. Aluísio Alves faleceu em Natal vítima de isquemia cerebral.

Opinião Minha: Foi o maior líder político do seu tempo, introduziu o marketing eleitoral e tinha carisma inegável.Se vivo estivesse completaria hoje 92 anos…Fazendo falta na política potiguar.


07
Maio

Homenagem a Aluizio Alves

Postado às 8:58 Hs

O deputado federal, Henrique Eduardo Alves. participou da missa pelos 7 anos da morte do ex-governador e ministro Aluizio Alves. A celebração, na noite desta segunda-feira (6), foi na capela do colégio Imaculada Conceição, em Natal.

Além de Henrique Alves, os irmãos do deputado, Ana Catarina Alves e Aluísio Filho, também estavam na missa. O senador Garibaldi Alves, o deputado estadual Agnelo Alves e a madre Carmem Alves, irmãos de Aluizio, acompanharam a celebração ao lado dos demais familiares e amigos do ex-governador.

Aluizio Alves governou o Rio Grande do Norte de 1961 a 1965. Ele foi eleito deputado federal 6 vezes e por duas vezes foi ministro de estado: da Administração, no governo Sarney, quando criou a Escola Nacional de Administração Pública e estendeu o 13º salário aos servidores públicos; e da Integração Regional, no governo Itamar Franco, quando deu início ao projeto de transposição do rio São Francisco. O ex-governador e ministro faleceu aos 85 anos em 6 de maio de 2006.

06
dez

Solenidade…

Postado às 22:23 Hs

A Câmara dos Deputados realizou sessão solene, nesta quinta-feira (6), para devolver, simbolicamente, os mandatos dos 173 deputados cassados pela ditadura militar, entre eles Aluízio Alves (RN). O ex-deputado, que teve os direitos políticos cassado em 1969, por 10 anos, foi representado pelo filho e atual líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves. Os mandatos, reparados simbolicamente, foram cassados a partir de 1964, quando milhões de eleitores foram calados e impedidos de se manifestar através de seus deputados. “Foi uma das maiores violências cometidas durante o processo revolucionário. Um homem com a força popular, competência e capacidade administrativa, como Aluízio Alves, deveria ser um exemplo de político e de vida pública”, disse Henrique Alves, ao relembrar a cassação do pai há 43 anos. Por força do ato ditatorial, Henrique Alves, ainda jovem, foi levado a suceder Aluízio Alves na política precocemente. “O que Aluízio Alves teve daquele processo revolucionário foi uma violenta cassação, mas graças a Deus e a força dele, eu e Garibaldi Filho pudemos continuar a sua luta e os seus ideais”, disse Henrique, ao receber a homenagem em nome da família. O deputado lembrou que, além do pai, os irmãos de Aluízio, Agnelo Alves e Garibaldi Alves também tiveram os direitos políticos suspensos.

Há 91 anos nascia um dos maiores líderes políticos do Rio Grande do Norte. O senhor Aluízio Alves nasceu no Sertão do Cabugi, na cidade de Angicos, em 11 de agosto de 1921, e teve a formação profissional como jornalista e advogado.

Filho de Manuel Alves Filho e Maria Fernanda Alves, foi funcionário dos jornais A Razão e A República, ambos em Natal tendo se dirigido em 1949 ao Rio de Janeiro onde foi redator-chefe do jornal Tribuna da Imprensa, que pertencia a Carlos Lacerda retornando ao seu estado natal no ano seguinte onde fundou e dirigiu a Tribuna do Norte.
Devido a grande influência junto ao governo Costa e Silva, Dinarte Mariz faz sérias acusações ao governo de Aluízio Alves, que desembocaram no seu processo de cassação, entre elas destacaram-se: populismo, corrupção, abuso do poder econômico durante as eleições e atos incompatíveis com o golpe de 1964. Com isso, em 7 de fevereiro de 1969 teve seu mandato cassado pelo AI-5 sob a acusação de corrupção sendo indiciado em um processo que foi arquivado em fevereiro de 1973
Em 1982, Aluízio foi derrotado na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte por José Agripino Maia.

Entusiasta da candidatura vitoriosa de Tancredo Neves à Presidência da República foi indicado Ministro da Administração pelo presidente eleito sendo confirmado no cargo por José Sarney e permaneceu à frente desse ministério entre 15 de março de 1985 e 15 de fevereiro de 1989. Foi durante a sua gestão que foi criada a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). Em 1990 foi eleito para o seu sexto mandato de deputado federal, cargo do qual esteve licenciado durante o governo Itamar Franco quando foi Ministro da Integração Regional entre 8 de abril de 1994 e 1º de janeiro de 1995.

Faleceu em 6 de maio de 2006, às 14h55, vítima de falência múltipla. Aluízio foi velado no Palácio da Cultura, antigo Palácio da Esperança, local onde Aluízio Alves exerceu o cargo de governador do Estado entre 1961 e 1966. O ex-governador e ex-ministro está sepultado no Cemitério Morada da Paz.

11
dez

Justa Homenagem

Postado às 13:47 Hs

O ex-deputado Federal, ex-governador e ex-ministro Aluízio Alves, será homenageado com o nome do Aeroporto Internacional e de cargas, que está sendo construído no município de São Gonçalo do Amarante, da Grande Natal.

O Aeroporto, que vai ser construído pelo consórcio Inframérica, conforme concessão feita pelo governo Federal, deverá ser denominada através de projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional e depois sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

De acordo com o deputado Federal Henrique Alves, autor do projeto que denomina de Aluízio Alves o Aeroporto de São Gonçalo, está tudo definido para a votação da homenagem: ‘Já conversei com todos os líderes dos partidos na Câmara e todos se comprometeram em apoiar e facilitar a aprovação do projeto’. Henrique conversou com o blog na tarde deste sábado (10), logo após cumprimentar o senador mineiro Aécio Neves, num restaurante de Ponta Negra.

Questionado a respeito de informação circulante de que a presidente Dilma Rousseff gostaria de homenagear uma mulher do RN, Henrique Alves afirmou: ‘Isso não existe’. Na verdade, dificilmente a presidente da República iria comprar, desnecessariamente, uma briga com o líder de uma bancada de 80 deputados federais. Afinal, Dilma sabe quem foi e o que representa Aluízio Alves para o RN e não iria se envolver contra a homenagem ao pai do deputado peemedebista.

Vários políticos do Estado já se manifestaram favoráveis ao nome do ex-ministro, inclusive a governadora Rosalba Ciarlini.

Portanto, segundo o deputado Henrique Alves, não há dúvidas de que, quando estiver em operação, o novo aeroporto de cargas e passageiros do Estado será denominado de Aeroporto Internacional Aluízio Alves.

Informações:  Túlio Lemos

03
dez

Justa homenagem

Postado às 19:26 Hs

O Aeroporto de São Gonçalo do Amarante(ASGA) será, sem dúvida, o maior gigante regional da infraestrutura para a Copa do Mundo 2014, além dos benefícios econômicos para o RN e o Nordeste. Essa superpotência tem em seu “gigantismo” alguma coisa que esteja ligada ao nome de Aluízio Alves.

Ainda em seu mandato de governador, quando este Blogueiro ainda nem tinha nascido, Aluízio Alves revolucionou a administração pública do Rio Grande do Norte.

Em seu governo, o Patriarca dos Alves criou novas entidades, como a Companhia de Serviços Elétricos do Rio Grande do Norte (Cosern), Companhia Telefônica do Rio Grande do Norte (Telern), Codern (Companhia de Desenvolvimento do Rio Grande do Norte), Serviço Cooperativo de Educação (Secern), além do plano de “FAZER EM 3 ANOS O QUE NÃO SE FEZ EM TRÊS SÉCULOS”, com a meta de alfabetizar 100 mil pessoas acima da idade escolar primária.

Aluízio Alves construiu durante o seu governo cerca de 1.300 obras durante 1.825 dias.

Um nome revolucionário para uma obra que abrirá as portas do mundo para o Rio Grande do Norte.

Sem falar que foi o maior marketing político  quando nem se sabia o que era isso, o maior líder que esse estado já teve e arrojado para o seu tempo. Nada mais justo do nome do aeroporto ser o dele, não desmerecendo outro nome. Ele merece esta homenagem.

27
nov

Justa homenagem

Postado às 10:05 Hs

Deu no Blog de Belmont:

A proposta é do filho, deputado-líder Henrique Alves, que quer homenagear o pai Aluízio Alves, dando o seu nome ao aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

“O aeroporto é uma obra fundamental para o povo potiguar e representa para o Rio Grande do Norte uma arrancada no crescimento só vista antes na gestão modernizadora de Aluízio Alves, um político à frente de seu tempo, que impulsionou a economia do estado com a energia da hidrelétrica de Paulo Afonso”, comparou o deputado.

Como governador, Aluizio criou as companhias de água, luz e telefone e o Instituto de Previdência do Rio Grande do Norte. As faculdades de jornalismo e serviço social foram obras sociais do jornalista que também fundou o Sistema Cabugi de Comunicação (Rádios, TV e jornal).

24
mar

Homenagem aos 45 anos do PMDB

Postado às 14:06 Hs

A Câmara Municipal do Natal realizará nesta sexta-feira (25), às 18h, uma sessão solene em homenagem aos 45 anos de fundação do Partido do Movimento Democrático Brasileiro, o PMDB. A solenidade é de autoria do vereador Luís Carlos, presidente em exercício da legenda em Natal.

Estarão presentes na comemoração o ministro da Previdência Garibaldi Alves Filho, o presidente do diretório estadual do partido, deputado federal Henrique Alves, os deputados estaduais Hermano Morais e Walter Alves, assim como a vereadora de Natal Rejane Ferreira, além de membros do diretório, filiados e simpatizantes.

Fundado em 1980, o PMDB é sucessor do Movimento Democrático Brasileiro, legenda de oposição ao Regime Militar de 1964. Participou ativamente de importantes momentos da história política brasileira, como o “Diretas Já”, em 1984, comandado por Ulysses Guimarães – uma das maiores figuras na História do partido.

Aluízio

No Rio Grande do Norte, o partido foi berço de nomes importantes para a história política local, como o do ex-ministro Aluízio Alves, além de ter destaque no cenário nacional através da atuação do ministro Garibaldi e do deputado federal Henrique Alves.
Foi sem  dúvida um dos maiores lideres políticos deste Estado, e o pioneiro em Marketing Eleitoral, jingle, polegar e galhos verdes.Tudo isso faz parte da  minha memória pessoal e mesmo criança ainda lembro das memoráveis passeatas de outrora.
31
jan

O tempo passa…

Postado às 19:16 Hs

No dia 31 de janeiro de 1961 tomava posse do cargo de governador do Rio Grande do Norte Aluízio Alves.

A data representa a chegada da Família Alves ao poder.

Falecido em 2006, Aluízio Alves, hoje, 50 anos após a sua posse, continua sendo referência no cenário político local.E tido como a maior liderança e um político avançado em seu tempo,pelo que fez e trouxe para o estado como governador.

Para relembrar a época de ouro da política potiguar, um dos panfletos da campanha eleitoral de 1982, quando Aluízio disputou o cargo de Governador do Estado contra José Agripino. Naquela eleição, o cigano feiticeiro perdeu para o então Prefeito de Natal.

Ele estaria feliz com o bom resultado dos Alves este ano, só não da divisão do PMDB,que continua do mesmo jeito da eleição,dividido.

Fato inédito na história do Senado a presença à partir deste novo periodo legislativo de 2011, de um pai e de um filho ocupando duas das três vagas de senadores pelo mesmo estado, tem chamado à atenção da imprensa nacional.
Garibaldi Alves (87) e Garibaldi Alves Filho (63), são filiados ao PMDB do RN.
O pai, primeiro suplente da ex-senadora Rosalba Ciarlini (DEM/RN), ocupará sua vaga em razão da vitória em 03 de Outubro para o governo do Estado do Rio Grande do Norte.

jul 15
quarta-feira
02 50
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
26 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.828.876 VISITAS