Via Pedro do Coutto

A tragédia em Manaus é o resultado da incompetência, omissão e da absoluta ineficácia que o governo federal vem demonstrando, juntando-se a ele o governo do Amazonas e a prefeitura de Manaus, que assistiram a anunciada escassez de oxigênio hospitalar sem sequer se moverem para evitar o desencadeamento da tragédia, que poderia ter sido evitada na dimensão que ocorreu, se houvesse resposta aos dramáticos pedidos até ao governo americano para um suprimento extremamente urgente colocado entre a linha que separa a vida e a morte.

Absolutamente incrível, o caso não tem precedentes até porque se desenrolou dentro de um panorama de uma pandemia que começou a se tornar evidente há cerca de um ano atrás.

SOLUÇÃO SIMPLES – A empresa White Martins comunicou ao governo brasileiro que está pronta a fornecer o oxigênio excedente da Venezuela para o Brasil. O presidente Nicolas Maduro informou que não vetará essa transferência ajudando assim para impedir que tragédia ainda maior poderia ocorrer caso não houvesse uma intervenção tão urgente como evitável.

Os jornais brasileiros focalizaram com grande destaque o episódio da verdadeira catástrofe resultado da falta do simples acompanhamento dos equipamentos na luta por salvar vidas ameaçadas pelo Corona Vírus.

Não se consegue explicar a inércia das autoridades responsáveis que uma vez informadas teriam obrigação de agir a tempo. O ministro Pazuello anunciou o início da vacinação no dia 20, quarta-feira. O governador João Dória assegurou o início da vacinação em São Paulo para o dia 19.

À MODA DE CHAPLIN – O fato lembra uma sequência do filme “O Grande Ditador”, de Charles Chaplin, quando Hitler e Mussollini empenham-se na busca de um lugar mais alto. A sequência é hilariante mas que tanto no nazifascismo quanto no drama de Manaus significa uma ausência de empatia humana.

Nesse caso parece que a vontade de um sobrepor-se ao outro esquece o ser humano para quem a vacinação se destina. Um jogo entre o presidente e o governador com os olhos voltados para as eleições de 2022.

A vacinação começa na próxima semana. Mas no plano federal, responsabilidade do ministro-general Eduardo Pazzuello, à primeira vista parece necessitar de um planejamento racional e adequado. Afinal de contas o país em 5600 municípios que têm de ser incluídos no mapa da vacinação. Até agora esperamos esse plano. É desanimador.

O Governo do Estado lançou oficialmente nesta sexta-feira (15) o sistema RN Mais Vacina para monitorar o processo de vacinação contra a Covid-19. O sistema vai registrar a chegada da vacina enviada pelo Governo Federal, a transferência aos 167 municípios e a aplicação que será feita pelas secretarias municipais de saúde. Na próxima segunda-feira (18) o RN Mais Vacina estará disponível para o cidadão iniciar o autocadastramento, que não é obrigatório, mas importante para agilizar o processo. Dentro da estruturação do estado para a vacinação, a governadora Fátima Bezerra anunciou também a compra de mil tablets que serão utilizados nas 711 salas de vacinação ativas nos municípios. O equipamento vai agilizar o cadastramento e o controle da aplicação.
14
jan

Registros

Postado às 17:20 Hs

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta quinta-feira (14). Foram mais 1.315 casos confirmados, totalizando 126.865. Na quarta-feira (13) eram 125.550 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 3.138 no total. Foram 08 (oito) mortes ocorridas nas últimas 24 horas, (sendo 02 em Natal, 02 em Parnamirim, 01 em Senador Elói de Sousa, 01 em Caraúbas, 01 em Caicó e 01 em Mossoró). Óbitos em investigação são 524.

A Sesap também registrou 05 (cinco) óbitos ocorridos em dias ou semanas anteriores, após a confirmação de exames laboratoriais. Até quarta-feira (13), eram contabilizados 3.125 mortos.

Casos suspeitos somam 66.388 e descartados são 288.305. Recuperados são 88.210. A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 64%, registrada no fim da manhã desta quinta-feira (14). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 295.

Até o momento desta publicação são 86 leitos críticos (UTI) disponíveis e 153 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 146 disponíveis e 135 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Oeste apresenta 59,5% dos leitos críticos ocupados, a região metropolitana de Natal tem 62,4% e a Região Seridó 80%.

Em pronunciamento nesta quarta-feira (13), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 começará ainda neste mês. “Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Ninguém receberá a vacina antes de Manaus”, disse o ministro. “A vacina será distribuída simultaneamnte em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também”, afirmou Pazuello. Após o pronunciamento de Pazuello, o ministério esclareceu que a vacinação em Manaus ocorrerá como em outros locais do país, de forma “simultânea e proporcional”, e que não haverá diferença de data e nem de quantidade de doses em comparação com outras cidades. Haverá apenas diferença de horário, por causa do fuso. O ministro ainda alertou que a população deverá compreender que o início da imunização não significa ir para “rua fazendo festa”.
A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, renovou nesta quinta-feira 31 o estado de calamidade pública no Estado. A justificativa é o aumento de gastos públicos e a manutenção das atividades públicas para o enfrentamento da pandemia. A medida foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira. O decreto entra em vigor por um prazo de 90 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Além disso, o Gabinete Civil do Governo do Estado (GAC) vai emitir ofício requerendo Reconhecimento Federal de Estado de Calamidade Pública, instruído na forma estabelecida pela Portaria Ministerial nº 743, de 26 de março de 2020, do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Segundo o texto, a grave crise de saúde pública em decorrência da pandemia da Covid-19 afeta todo o sistema de promoção e defesa da saúde pública, estruturado nacionalmente por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).
A vacinação contra a covid-19 pode começar no dia 20 de janeiro, segundo o Ministério da Saúde. Se não for possível, em um cenário “médio”, a imunização poderia ter início entre esta data e 10 de fevereiro. Em um cenário menos favorável, a vacinação no Brasil poderá ocorrer a partir de 10 de fevereiro. A projeção foi apresentada pelo secretário executivo da pasta, Élcio Franco, em entrevista coletiva hoje (29) na sede do órgão, em Brasília. Franco destacou que o melhor cenário depende de uma conjunção de aspectos, especialmente dos laboratórios com vacinas em desenvolvimento cumprirem os requisitos de registro, seja emergencial ou definitivo. “Isso [a vacinação no dia 20 de janeiro] vai depender de uma série de fatores, inclusive de logística, e dos laboratórios estarem em dia com o seu processo de submissão contínua e do  processo de registro com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Não depende de nós, depende do laboratório cumprir com a sua parte”, declarou.

No dia que o Brasil registra 191 mil mortes por covid, o vice-presidente Hamilton Mourão testa positivo para a doença. A assessoria da vice-presidência disse em nota que ele permanecerá isolado no Palácio do Jaburu. Mourão é mais um entre os integrantes do governo a ser infectado pelo coronavírus. O documento não informa o estado de saúde do vice-presidente e não menciona se ele manifestou algum tipo de sintoma.

Veja quem mais teve covid no primeiro escalão, além de Mourão e do presidente Bolsonaro.

-Eduardo Pazuello (Saúde)
-Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo)
-Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
-Bento Albuquerque (Minas e Energia)
-Milton Ribeiro (Educação)
-Onyx Lorenzoni (Cidadania)
-Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações)
-Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União)
-Braga Netto (Casa Civil)
-Jorge Oliveira (Secretaria-Geral)
-Fábio Faria (Comunicações)
-André Mendonça (Justiça)
-Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura)

O México, o Chile e a Costa Rica iniciaram a vacinação contra a Covid-19 nesta quinta-feira (24). O México foi o primeiro país latino-americano a começar a imunizar a população. Os dois países vão aplicar a vacina desenvolvida em conjunto pela Pfizer e BioNTech. A primeira dose na América Latina foi aplicada em Maria Irene Ramirez, de 59 anos, chefe de enfermagem da unidade de terapia intensiva do Hospital Geral Ruben Leñero, na Cidade do México.  “Estou um pouco nervosa, mas muito feliz. É o melhor presente que pude receber em 2020, me dá mais segurança e mais coragem para continuar na guerra contra um inimigo invisível. Temos medo, mas devemos continuar”, disse Maria Irene, antes de ser vacinada.
Com a chegada das festas do fim de um ano marcado pela pandemia de covid-19, reunir familiares para as tradicionais ceias natalinas e de réveillon, segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pode ser uma atividade perigosa. A avaliação se dá, sobretudo, pelo novo perfil de infectados identificado, que hoje é quatro anos mais jovem do que o apresentado em julho de 2020. Segundo os dados da PNAD Contínua do terceiro trimestre de 2020, em cerca de 147 mil domicílios potiguares (12,2% do total), há idosos residindo com jovens de 18 a 35 anos. Isso aumenta o risco de contaminação, especialmente pelo fato de que, segundo relatórios da Secretaria Estadual de Saúde do RN (Sesap/RN), a população jovem corresponde a quase a metade de casos de covid-19 atualmente (46,5%).
21
dez

Registros

Postado às 18:31 Hs

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (21). Foram mais 800 casos confirmados, totalizando 109.734. No domingo (20) eram 108.934 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 2.873 no total. Foram 2 (duas) mortes nas últimas 24 horas (Jardim do Seridó e Mossoró).

A pasta também registrou 2 (dois) óbitos ocorridos em dias anteriores após a confirmação de exames laboratoriais. Até domingo (20), eram contabilizados 2.869 mortos. Óbitos em investigação são 455. Casos suspeitos somam 53.557 e descartados são 260.429. Recuperados são 59.105.

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 64,5%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (21). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 268. Até o momento desta publicação são 77 leitos críticos (UTI) disponíveis e 140 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 107 disponíveis e 128 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Metropolitana de Natal apresenta 55,8% dos leitos críticos ocupados, a região Seridó tem 62,9% e a Região Oeste 79,7%.

A atriz Nicette Bruno morreu na manhã deste domingo (20), aos 87 anos. Ela estava internada com Covid-19 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Casa de Saúde São José, no Humaitá, Zona Sul do Rio.
De acordo com o boletim médico divulgado neste sábado (20), o estado de saúde de Nicette “era considerado muito grave”. Ela estava sedada e dependente de ventilação mecânica.
A informação da morte foi confirmada pela hospital por volta das 13h20. De acordo com a Casa de Saúde São José ela morreu por “complicações decorrentes da Covid-19”.
“A Casa de Saúde São José informa que a atriz Nicette Bruno, que estava internada no hospital desde 26 de novembro de 2020, faleceu hoje, às 11h40, devido a complicações decorrentes da Covid-19. O hospital se solidariza com a família neste momento”, diz a nota de divulgação do hospital.

G1

A Prefeitura de Mossoró publicou nesta quinta-feira, 17, na edição 592 D, do Jornal Oficial de Mossoró, o Decreto nº 5919 que dispõe sobre o Protocolo Sanitário Municipal, que deverá ser seguido pelas empresas e pessoas que promovem buffet, recepções, festas e eventos similares e dá outras providências.

Com a publicação do Decreto ficam suspensas no município a realização de festas, shows e eventos comerciais similares, que reúnam mais de 50 (cinquenta) pessoas. Respeitando a limitação, deverá haver a observância de 1 pessoa para cada 5 m² de área local do evento, bem como distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os presentes.

O Decreto considera outros decretos anteriores; o aumento exponencial dos casos da COVID-19 no Brasil, no Estado do Rio Grande do Norte e em Mossoró; a atual taxa de ocupação dos leitos de UTI existentes na cidade de Mossoró e a estruturação de equipamentos de saúde dedicados ao cuidado e tratamento da COVID-19; e ainda a Recomendação da 1ª Promotoria de Justiça da comarca de Mossoró.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estima que poderá avaliar e conceder autorização emergencial de vacinas contra a covid-19 em até 10 dias para empresas que cumpram os requisitos fixados. Esta modalidade de permissão foi estabelecida pelo órgão para permitir uma análise mais rápida em condições especiais de imunização diante do cenário de pandemia.

No início do mês, a Anvisa divulgou o guia de critérios e procedimentos para a aprovação de autorizações emergenciais para vacinas em caráter experimental contra a covid-19.

A permissão especial poderá ser fornecida para vacinas que estejam em estudo no Brasil na chamada Fase 3, em que a eficácia e a segurança são analisadas. Nesse caso, as vacinas serão destinadas a programas de governo, não podendo ser comercializadas pelas empresas que obtiveram a permissão.

Apenas as empresas que estão desenvolvendo as vacinas poderão solicitar a autorização na Anvisa. Deve ser comprovada a capacidade de fabricar ou de importar a substância. As companhias interessadas em tal alternativa deverão fazer antes uma reunião com a equipe da Anvisa, que é chamada de “pré-submissão”. Será preciso também já ter aprovado na Anvisa um dossiê de desenvolvimento clínico.

O ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo ​Lewandowski deu neste domingo (13) prazo de 48 horas para que o Ministério da Saúde informe uma data de início e de término de seu plano de vacinação da população contra a Covid-19.

“Intime-se o Senhor Ministro de Estado da Saúde para que esclareça, em 48 (quarenta e oito) horas, qual a previsão de início e término do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid – 19, inclusive de suas distintas fases”, escreveu o ministro em seu despacho, que é endereçado a Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, e também à Advogacia-Geral da União.

No sábado, o STF divulgou ter recebido um plano de vacinação do governo, mas o documento não apresenta prazo de início e término. A Saúde diz que isso só será possível após aprovação de alguma vacina pela ​Anivsa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

FolhaPress

O governo federal, por meio da AGU (Advocacia-Geral da União), entregou hoje o “plano nacional de operacionalização da vacinação contra a covid-19” ao STF (Supremo Tribunal Federal). O plano de imunização foi elaborado pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. O governo prevê serem necessárias 108 milhões de doses de vacina para os grupos prioritários e incluiu o imunizante CoronaVac entre os candidatos a serem utilizados. A vacina produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan se tornou alvo de disputas políticas entre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). As diretrizes no plano buscam apoiar as Unidades Federativas e os municípios no planejamento e na operacionalização da vacinação contra a covid-19. O ministério ressalta que as informações serão atualizadas conforme forem surgindo “evidências científicas, conhecimentos acerca das vacinas”. Também serão avaliados o cenário epidemiológico da covid-19 e a compra dos imunizantes após aprovação pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para alterações. O plano lembra que ainda não há uma vacina registrada e licenciada no Brasil.
11
dez

Registros

Postado às 17:28 Hs

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta sexta-feira (11). Foram mais 1.131 casos confirmados, totalizando 102.340. Na quinta-feira (10) eram 101.209 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 2.786 no total. Foram 04 (quatro) mortes nas últimas 24 horas. Óbitos de dias anteriores e registrados após a confirmação de exames laboratoriais foram 12(números não detalhados em datas). No dia anterior eram contabilizados 2.770 mortos. Óbitos em investigação são 420. Casos suspeitos somam 49.182 e descartados são 244.888. Recuperados são 48.821.

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 73,5%, registrada no fim da manhã desta sexta-feira(11). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 291. Até o momento desta publicação são 54 leitos críticos (UTI) disponíveis e 150 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 90 disponíveis e 141 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Seridó apresenta(65,7%) dos leitos ocupados, seguida da região Metropolitana de Natal (67%), e a Região Oeste (90%).

Governadores declararam, hoje, após reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que vacinas contra a Covid-19 que conseguirem registros em agências internacionais poderão ser liberadas para uso emergencial no Brasil. Segundo os governos estaduais, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) terá 72 horas para se manifestar sobre essa liberação. O prazo já é previsto em uma lei aprovada em fevereiro (veja detalhes abaixo) e relacionada ao estado de calamidade pública, decretado em razão da pandemia do novo coronavírus. Na reunião desta terça, os gestores disseram ter firmado esse acordo diretamente com o governo federal. Segundo o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), a Anvisa terá 72 horas, como prevê a lei, para se manifestar sobre essa liberação. Caso a resposta não seja dada, a autorização excepcional estará concedida.

Os secretários de saúde estaduais e municipais de Saúde publicaram uma nota neste sábado (5) no site do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) pedindo que o governo federal adquira todas as vacinas contra a Covid-19 com eficácia e segurança comprovadas, assim como imunize toda a população brasileira o mais breve possível por meio de um Plano Nacional de Imunizações unificado.

“O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) reiteram a defesa da incorporação pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) de todas as vacinas contra a Covid-19, com reconhecidas eficácia e segurança, especialmente as que já estão sendo testadas no Brasil, considerada, ainda, a necessidade de se alcançar a imunização de toda a população brasileira, com a máxima brevidade”, afirmaram os secretários em uma nota.

jan 17
domingo
12 24
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
121 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.844.934 VISITAS