19
mar

Com as bençãos de São José

Postado às 6:58 Hs

Reza a tradição nordestina que se chover aamnhã no Nordeste será bom e a colheita do milho, em junho (ou seja, já nas festas juninas, quando a base das comidas típicas é o milho) será abundante; caso não chova, haverá inverno seco, e, portanto a colheita do milho será escassa. No Rio Grande do Norte, a previsão da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN(EMPARN) para o Dia de São José é de que haverá pancadas de chuvas tanto no interior quanto no litoral do estado. Mas independente das previsões da Emparn, os fiéis já estão fazendo suas orações pedindo chuva ao santo padroeiro do agricultor nordestino.

Coincidência ou não, a crença não morre, prossegue nos filhos e netos que ainda esperam um dia 19 de março chuvoso, como garantia de fartura para afastar o fantasma da destruição das estiagens. Mas será uma questão de Fé, ou será uma questão de Ciência? Ou ambas as coisas?

Para resolver a questão, entrevistamos um padre devoto e peregrino de São José, afinal ninguém melhor do que ele para dizer os poderes do santo.Apesar da igreja não estimular esse tipo de crendice, preferindo enaltecer a figura de São José como o pai adotivo de Jesus, esposo de Maria e patrono universal da igreja, temos que respeitar a crendice popular pois é fruto da experiência do agricultor que não criou a devoção por acaso.

Viva São José !!! Que elas venham…

18
mar

Amanhã

Postado às 19:16 Hs

Emparn prevê chuvas isoladas por todo o Rio Grande do Norte no Dia de São José

Neste domingo 19, data em que se comemora o Dia de São José, o povo norte-rio-grandense poderá ter um outro motivo para celebrar: a Emparn (Empresa Potiguar de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte) prevê chuvas isoladas por todos os cantos do estado potiguar.

Em Angicos na região Central do estado  estão marcadas grandes festas religiosas para este fim de semana, encerrando-se, justamente, no domingo com procissão em homenagem ao santo.

19
mar

Garibaldi e Rosalba na festa de São José

Postado às 18:18 Hs

O ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho, foi hoje de manhã (19) a Angicos prestigiar a tradicional missa do padroeiro da cidade, São José. A cerimônia foi celebrada pelo arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha. Além de Garibaldi, o evento contou com a participação do deputado estadual Walter Alves, da governadora Rosalba Ciarlini, e do deputado federal Henrique Alves, responsável pela primeira leitura da cerimônia realizada na praça central de Angicos.

Para protegerem-se do sol forte, os devotos de São José usaram guarda-chuvas e sombrinhas. Também participaram da celebração o prefeito da cidade, Dr. Ronaldo Teixeira, e outros deputados estaduais.  Após a missa, Garibaldi Filho cumprimentou os devotos na praça e seguiu para a FM Cabugi Central, onde concedeu entrevista.

Depois de falar com a imprensa local, o ministro Garibaldi Filho visitou algumas famílias angicanas e almoçou na casa de Elina Soares, residência de amigos da família Alves (que é natural de Angicos) e onde sempre é oferecido um almoço no dia da missa de São José.

19
mar

Potiguares aguardando às chuvas…

Postado às 10:40 Hs

 (Luiz Freitas/DN/D.A Press)

Reza a tradição nordestina que se chover hoje no Nordeste será bom e a colheita do milho, em junho (ou seja, já nas festas juninas, quando a base das comidas típicas é o milho) será abundante; caso não chova, haverá inverno seco, e, portanto a colheita do milho será escassa. No Rio Grande do Norte, a previsão da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN(EMPARN) para o Dia de São José é de que haverá pancadas de chuvas tanto no interior quanto no litoral do estado. Mas independente das previsões da Emparn, os fiéis já estão fazendo suas orações pedindo chuva ao santo padroeiro do agricultor nordestino. ”Desde criança ouço a ladainha de que o dia de São José foi abençoado por Deus para ser um sinal de chuva no sertão. Me acostumei com isso e todos os anos, mesmo não estando mais na atividade no roçado, fico ansioso para saber as previsões meteorológicas e rezo para que o santo interceda a Deus por chuva na minha terra e em todo sertão porque isso é bom tanto para quem vive no campo como para nós que estamos na cidade”, declara o servidor público aposentado Francisco Alves de Souza, 73. Nascido na fronteira do Rio Grande do Norte e Ceará, seu Francisco viveu a juventude em Pau dos Ferros, onde trabalhava em plantações de feijão, algodão, milho e outras culturas de subsistências. “Foi capinando, alimentando o gado e olhando pro alto que passei a acreditar na providência do Dia de São José”.  Já a dona de casa Elita Barbosa de Amorim disse que seu pai era agricultor e ainda hoje lembra de suas falas entre a família e amigos: “Se até 19 de março não chover, não tem inverno, é a seca”. Esse pensamento não era só do meu pai, era também do meu avô, a serra de Portalegre inteira, onde temos nossas terras se mobilizava fazendo procissões e novenas, pedindo ao santo misericórdia para o sertão.

Quando o santo atendia, era festa no sertão. “Mas, ocorria períodos que o santo não queria ouvir o apelo e o que se via era morte do gado e da lavoura no sertão e a triste partida do nordestino num pau de arara para outras terras menos secas deixando sua terra numa triste partida. Pode até ser coincidência, mas normalmente cai um chuva nesse dia, pouca ou muita, mas cai”, disse dona Elita. Coincidência ou não, a crença não morre, prossegue nos filhos e netos que ainda esperam um dia 19 de março chuvoso, como garantia de fartura para afastar o fantasma da destruição das estiagens. Mas será uma questão de Fé, ou será uma questão de Ciência? Ou ambas as coisas? Para resolver a questão, entrevistamos um padre devoto e peregrino de São José, afinal ninguém melhor do que ele para dizer os poderes do santo. O padre José Gilberto dos Santos, que também é capelão do Exército Brasileiro, trabalha na divulgação de São José, divulga o ‘terço abençoado de São José’ e, segundo ele, através dele muitas pessoas têm alcançado graça através da oração diária. ”Temos ido às paróquias ensinamos as pessoas rezarem e a ler os documentos da igreja sobre São José. Mas em nenhum deles há referência a São José comoum santo intercessor de chuvas. Isso faz parte da devoção popular, não há base nem teológica nem científica. Apesar da igreja não estimular esse tipo de crendice, preferindo enaltecer a figura de São José como o pai adotivo de Jesus, esposo de Maria e patrono universal da igreja, temos que respeitar a crendice popular pois é fruto da experiência do agricultor que não criou a devoção por acaso”, explica o padre José Gilberto.

abr 30
domingo
13 40
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
18 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5568205 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram