22
ago

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 15:30 Hs

  • Recém-confirmada como candidata à Presidência na coligação liderada pelo PSB, a ex-ministra Marina Silva poderá fazer campanha normalmente até que o pedido de registro da sua candidatura seja julgado, segundo o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O PSB informou que deve entregar ainda hoje o pedido de renúncia dela como vice na chapa antes encabeçada por Eduardo Campos, morto em acidente aéreo na semana passada, e o de registro da nova chapa, com Marina e o deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS) de vice. O prazo termina amanhã. Depois, o pedido ainda precisará ser julgado pela Corte, que pode aceitar ou rejeitar a candidatura, o que não tem data para acontecer. Enquanto isso, porém, Marina poderá participar de atos de campanha e do horário eleitoral gratuito como candidata à Presidência.A candidata do PSB à presidência, Marina Silva, pretende ficar apenas quatro anos se for eleita presidente nas eleições do dia 5 de outubro.
  • A campanha do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, pretende reforçar a agenda em São Paulo e no Rio de Janeiro, temendo o efeito da candidatura de Marina Silva pelo PSB. Na avaliação dos aliados, esses seriam os estados mais suscetíveis a sofrer um eventual impacto com a entrada da ex-senadora na disputa ao Planalto. Em São Paulo, o plano é intensificar a presença de Aécio ao lado do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 55% das intenções de voto. No Rio, onde foi criada a chapa “Aezão” pelos dissidentes do PMDB que não concordam com o apoio à presidente Dilma Rousseff no âmbito nacional, a campanha trabalha para colocar mais pessoas na rua e casar os materiais de Aécio com candidatos a deputados. A cúpula do PSDB se reuniu ontem na capital paulista para discutir o novo cenário eleitoral, após a reviravolta com a morte de Eduardo Campos e a candidatura de Marina Silva. Os tucanos avaliam que a ex-ministra deve crescer nas próximas pesquisas eleitorais, mas que Aécio tem todas as condições de chegar ao segundo turno.
  • Os servidores do Poder Judiciário Federal deflagraram greve na manhã de ontem, 21, durante ato público realizado em frente à sede do Tribunal Regional Eleitoral, na zona Leste de Natal. Apesar disso, os três tribunais – TRE/RN, TRT/RN e Justiça Federal – não registraram atrasos na prestação de serviços. O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Rio Grande do Norte (Sintrajurn) prometeu cumprir os procedimentos legais da paralisação, mantendo os 30% do efetivo trabalhando.
  • A direção nacional do PSB escolheu na noite desta quinta-feira a deputada federal Luiza Erundina (SP) para coordenar a campanha de Marina Silva à Presidência. O partido avaliava se o candidato a vice-presidente, Beto Albuquerque, que havia se oferecido para ocupar a coordenação interinamente, conseguiria conciliar a função com os compromissos de campanha. O nome de Erundina foi anunciado por meio de nota divulgada pelo PSB, que afirma que a ex-prefeita de São Paulo foi designada pelo presidente nacional do partido, Roberto Amaral.
  • O jornal espanhol El País lembra que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) terminou seu segundo mandato, em 2002, o governo brasileiro era composto por 24 ministérios. Hoje, 12 anos depois, são 39. A gestão Lula-Dilma criou 15 novas pastas em pouco mais de uma década. A justificativa era valorizar assuntos que ficavam em segundo plano e dar-lhes caráter estratégico. Era o caso do Ministério da Pesca, criado em 2009, que se justificaria pelo fato de o país ter 8.000 quilômetros de costa marítima. Ou a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, criada pela presidenta Dilma Rousseff (PT), há dois anos. O novo órgão tem status ministerial e teria a função de valorizar os pequenos negócios.
17
ago

Recado de Eduardo Campos

Postado às 12:44 Hs

Ao chegar, a presidente Dilma Rousseff (PT) passou por um grande constrangimento quando a maioria dos populares entoaram uma sonora vaia. Eleitores supostamente do PT, quando ouviram a vaia, tentaram minimizar os efeitos da austeridade aplaudindo a presidente. Dilma chegou em companhia do ex-presidente Lula, e, além da vaia, ouviu o povo gritar: “Eduardo guerreiro do povo brasileiro”. O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), rival político de Campos, considerou justificadas as vaias a Dilma. Ele criticou a presença da presidente no velório. Quem revela é Letícia Lins, correpondente do jornal O Globo, no Recife, em reportagem dando conta da presença da presidente no funeral de Eduardo Campos.

Escolha do Vice

A cúpula do PSB está colocando algumas diretrizes para que Marina Silva seja a candidata do partido, entretanto a acreana arretada também, uma delas é que o vice seja do grupo de Eduardo Campos, alguém de sua confiança e que tenha trânsito entre o PT e o PSDB. Alguns nomes foram citados como Beto Albuquerque (PSB-RS), Júlio Delgado (PSB-MG) e Maurício Rands (PSB-PE).

A novidade é Marina ter pensado em Renata Campos, que é economista, servidora do Tribunal de Contas e entende de administração e política, além de agregar a história do marido na chapa presidencial. É difícil, pois Renata, mesmo consciente de sua importância neste momento, deve se voltar aos cinco filhos que precisarão da presença da mãe.

O nome de Antônio Campos (Tonca, para os pernambucanos) surgiu após sua nota de apoio a Marina. Tentaram descredibilizar, dizendo que ele fez a defesa pensando em ser o vice. Não faz o perfil de Antônio Campos, um homem digno e inteligente usar estes artifícios. Mas o seu nome acabou entrando no processo, e com boa aceitação.

Outros nomes foram citados, a deputada Luíza Erundina (PSB-SP) e o presidente em exercício da legenda, Roberto Amaral. Mas este não tem agradado a gregos e troianos, estava afastado da campanha de Eduardo e é próximo do governo.

Tem também Roberto Freire (PPS-SP). Acho que está nas mãos de Renata, caso queira ser. Depois vai para a decisão do partido, aí apostaria entre Beto Albuquerque, por sua aproximação a Marina, ou Maurício Rands, representando o grupo político pernambucano liderado por Eduardo Campos. Maurício tem referências em Brasília, foi lider do governo do PT, tem bom diálogo com diversos setores, inclusive patronais e sindicais, e era o coordenador do Programa de Governo de Eduardo/Marina.

Anúncio

A viúva de Eduardo Campos, Renata Campos, chama para si a responsabilidade de manter unidos o PSB e a Frente Popular. Apesar da dor pela morte do marido, decidiu, após se reunir com a família no final da manhã deste sábado (16), convocar líderes políticos e a militância de todos os partidos da Frente Popular para um encontro na segunda, na Blue Angel do Derby, às 10h. Como líder natural e herdeira do legado do ex-governador, Renata deve pedir aos correligionários que continuem o projeto de Eduardo e assumam a missão de eleger em Pernambuco, Paulo Câmara, candidato a governador, e apoiar Marina Silva na corrida pela Presidência da República. O pronunciamento de Renata, ao lado dos filhos, ocorrerá um dia após enterrar o marido e na data em que comemora 47 anos de idade.

Fonte: Blog de Ronaldo César

16
ago

Mais de 150 mil…

Postado às 16:38 Hs

Via Estadão

O governo de Pernambuco já trabalha com a possibilidade de que o funeral de Eduardo Campos reúna de 100 mil a 150 mil pessoas nas ruas do Recife. A cerimônia também deverá ser acompanhada pelas principais autoridades políticas do País.

A presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, e o presidenciável do PSDB, Aécio Neves, confirmaram presença. Além deles, dez governadores vão acompanhar o funeral.

Os restos mortais de Campos serão transportados em carro do Corpo de Bombeiros da base aérea do Recife até o Palácio Campo das Princesas, sede do governo estadual, onde vai ocorrer o velório. Também serão transportados – em carros funerários – os restos mortais do assessor de imprensa Carlos Percol e do fotógrafo Alexandre Severo, que serão velados juntos com o ex-governador. O cinegrafista Marcelo Lira será velado no Cemitério Morada da Paz, em Paulista (PE).

O cerimonial contava ontem com a possibilidade de os restos mortais chegarem à base aérea de Recife só na noite de hoje ou na madrugada de amanhã.O velório será na calçada da sede do governo. Uma foto de cada um será colocada sobre os caixões, que devem estar cobertos com as bandeiras do Brasil. A viúva de Campos, Renata, já escolheu a foto que ficará sobre o caixão do marido: o candidato aparecerá com uma bandeira do Brasil de fundo.

Uma rua nas imediações do Palácio será destinada para o estacionamento dos ônibus que estão a caminho da capital pernambucana com eleitores e admiradores de Campos. O cerimonial do governo já estimava que a despedida a Campos reuniria mais admiradores que as 80 mil pessoas que acompanharam o funeral do avô, o ex-governador Miguel Arraes.

Único irmão do ex-governador Eduardo Campos, o advogado Antonio Campos defende que a candidata a vice, Marina Silva, assuma a candidatura à Presidência pelo PSB no lugar do ex-governador, morto nessa quarta-feira em um acidente aéreo em Santos. “Vou defender publicamente e dentro do partido esta posição”, afirmou ele, em entrevista por telefone, ao Estado. “Marina vai agregar valor à chapa presidencial e ao debate no Brasil”, afirmou ele, ao anunciar que vai encaminhar uma carta ao partido,explicitando sua defesa. “Se meu irmão chamou Marina para ser sua vice, com esta atitude ele externou sua vontade”, afirmou Antonio Campos, confiante de estar defendendo a posição que o ex-candidato aprovaria. “Acho que o mundo está nas mãos daqueles que têm coragem de sonhar e de correr riscos para viver seus sonhos
Todos devem lamentar a morte de Eduardo Campos, em plena campanha eleitoral. Sempre tive simpatia por ele, a quem conheci aqui no Rio de Janeiro, quando veio participar da cerimônia de filiação do economista Carlos Lessa ao PSB. Não se conhece nada que desabonasse sua vida pública, caso contrário o entrevistador/inquisidor William Bonner não teria perdido tempo criticando a nomeação da mãe de Eduardo, Ana Arraes, para o Tribunal de Contas da União, com apoio decisivo do filho. Pois é, o grande erro na vida pública do ex-governador de Pernambuco parece ter sido a ajuda para que a própria mãe ganhasse um cargo público importante. Perto dos “malfeitos” dos outros políticos de renome, este ato impróprio do neto de Miguel Arraes pode até ser considerado sem a menor importância, até porque Ana Arraes não somente possui totais habilitações para exercer o cargo no TCU como também apresenta uma trajetória limpa, ao contrários de muitos ministros que já passaram pelo Tribunal, sem que os jornalistas fizessem a menor celeuma.
14
ago

Saiba também…

Postado às 12:18 Hs

O corpo do ex-candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, morto ontem (13) em um acidente aéreo, será enterrado no mesmo túmulo do avô Miguel Arraes – que também morreu em um dia 13 de agosto, há nove anos -, no cemitério de Santo Amaro, no Recife.O corpo do presidenciável Eduardo Campos (PSB) será velado durante uma missa campal na Praça da República, que fica em frente ao Palácio do Campos das Princesas. O pedido foi feito pela viúva do ex-governador de Pernambuco Renata Campos para que a população possa dar o último adeus a Eduardo.

A informação foi passada para a imprensa por representantes da família. Ainda não há previssões sobre o velório e a data do sepultamento.

Desde o início da tarde, amigos, correligionarios e politicos têm prestado solidariedade à Renata Campos (viúva de Eduardo), Ana Arraes (mãe do ex-governador) e aos cinco filhos do casal, na casa da família, no Recife. Segundo pessoas próximas à família, apesar do clima de profunda tristeza, ninguém precisou ser medicado.

A caixa-preta do avião que levava o ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) foi encontrada no fim da tarde desta quarta-feira (13). O trabalho de perícia buscará respostas para o acidente que vitimou, além de Campos, mais seis pessoas.

A presidente Dilma Rousseff (PT) decretou luto oficial de 3 dias pela morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB).Em Pernambuco, o governador João Lyra estendeu o luto oficial: são 7 dias. (Agências de Notícias)

A morte do ex-governador Eduardo Campos é daquelas tragédias que reúne todos os elementos para alimentar a mitologia política, dado o contexto que retira de cena precocemente um dos políticos mais promissores de sua geração , destinado a consolidar-se como referência política permanente no país. Sua saída de cena, de forma abrupta, aos 49 anos, remete à máxima política de que presidência da República é destino. Campos tinha tempo e pressa, a urgência que o orientava a não postergar a candidatura para 2018, certo de que não poderia confiar em acordo com o PT nesse sentido, e de que chegara a hora de romper a polarização PT/PSDB. Era um dos quadros mais preparados na cena política nacional. Economista, tinha gosto pela articulação política e pela gestão, uma combinação rara no Brasil. Sua gestão em Pernambuco tinha a aprovação de mais de 70% da população, o que o credenciava a ser uma liderança regional nordestina.
13
ago

* * * Quentinhas… * * *

Postado às 21:56 Hs

* * * A direção de jornalismo da Band cancelou o debate com os candidatos ao governo em todos os estados. A informação é do diretor-geral da Band Natal, Augusto Correia Lima. A decisão foi tomada após a morte do presidenciável Eduardo Campos (PSB), em acidente aéreo na manhã de hoje (13). O programa estava marcado para amanhã (14), às 22h30, em todas as praças da Band no país. * * *

* * * Em votação simbólica, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) elegeu hoje (13) o ministro Ricardo Lewandowski para a presidência da Corte. Lewandowski ocupava a vice-presidência do Supremo desde o início deste mês, devido à aposentadoria do ministro Joaquim Barbosa. Em rápido discurso, o novo presidente comprometeu-se a “honrar as tradições mais que seculares do STF e também a cumprir a consagrada liturgia desta casa de Justiça”. Nasceu do Rio de Janeiro, Lewandowski tem 66 anos e foi nomeado para o STF pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. Ele terá mandato de dois anos. * * *

* * * A presidente Dilma Rousseff (PT) decretou luto oficial de três dias pela morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), que era candidato a presidente nas eleições deste ano. A presidente disse ainda estar “tristíssima” e declarou que Campos era uma “grande liderança política” * * *

13
ago

Nota

Postado às 21:14 Hs

Nota de pesar pelo falecimento de Eduardo Campos

 

A morte do ex-governador Eduardo Campos marca de uma vez por todas esta campanha eleitoral com a tintura da tristeza.Estou particularmente chocado. Mantinha fraterna relação com Eduardo Campos, um dos ícones da nova geração política, que morre de maneira trágica, no esplendor de sua trajetória política de idealista e realizador.

Estivemos juntos em recente visita ao Rio Grande do Norte e Eduardo Campos nos trouxe o carisma que encantou sua terra, Pernambuco. Era o governador mais bem avaliado do Brasil, homem de sonhos, tenacidade e convicções sociais, marcas que o credenciaram a disputar a sucessão presidencial com a garra herdada do avô, o lendário Miguel Arraes.

Não há palavras a mais. Há o sentimento de perda irreparável que impõe ao Brasil a paz entre cidadãos e cidadãs de todas as ideologias e partidos, perplexos pelo prematuro fim de uma biografia honrada de homem público.

 

Ricardo Motta

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

 

 

13
ago

Sessão Solene

Postado às 18:30 Hs

Câmara realizará sessão solene em homenagem a Eduardo Campos

O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), convocou, para a próxima terça-feira, às 15 horas, sessão solene em homenagem ao ex-deputado Eduardo Campos, morto nesta quarta-feira (13) em acidente aéreo na cidade de Santos (SP). A realização de sessão solene é a maior honraria oferecida pelo Plenário da Câmara.

Campos era o candidato do PSB à Presidência da República. Ele começou sua carreira política em 1986, quando abriu mão do mestrado que faria nos Estados Unidos para se envolver na campanha que elegeu o avô Miguel Arraes como governador de Pernambuco. Em 1990, entrou oficialmente na vida política ao ingressar no Partido Socialista Brasileiro (PSB), e foi eleito deputado estadual.

Aos 29 anos, foi eleito para a Câmara dos Deputados com 133 mil votos. Licenciou-se para integrar o governo de Miguel Arraes como secretário de Governo e, depois, como secretário da Fazenda, entre 1995 e 1998. Em 1998, foi eleito pela segunda vez deputado federal, com 173.657 votos, a maior votação de Pernambuco. Em 2003 assumiu pela terceira vez uma vaga na Câmara dos Deputados. Foi ministro da Ciência e Tecnologia em 2004 e, no ano seguinte, assumiu a presidência nacional do PSB.Eduardo Campos foi eleito governador de Pernambuco em 2005 e reeleito em 2010 com mais de 60% dos votos válidos.

Em abril deste ano, renunciou ao governo de Pernambuco para se dedicar à campanha presidencial pela Coligação Unidos pelo Brasil (PSB-REDE-PPS-PPL-PRP-PHS-PSL),que tem Marina Silva como candidata à vice-presidência.

13
ago

Nota

Postado às 18:16 Hs

Nota de pesar pelo falecimento de Eduardo Campos

É com profundo pesar que a Câmara Municipal de Mossoró recebe a notícia da trágica e repentina morte do candidato à Presidência da República e ex-Governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos.

Não apenas o Estado de Pernambuco, mas o Brasil perde um jovem e promissor político, que mantinha profundo zelo pelo ente público e que marcou sua trajetória por sua competência, despreendimento e patriotismo. Trata-se de uma perda irreparável.

Neste momento de profunda dor, os vereadores mossoroenses manifestam suas mais sinceras condolências aos familiares, amigos e admiradores de Eduardo Campos em Mossoró e em todo o país.

 

Francisco Carlos Carvalho de Melo

Presidente da Câmara Municipal de Mossoró

 

13
ago

Nota

Postado às 15:53 Hs

NOTA OFICIAL

 

É com profundo pesar e estarrecimento que todos os que fazem o PSB de Mossoró acompanham a trágica notícia do acidente aéreo que vitimou nosso amigo e líder Eduardo Campos.

O Brasil perde um homem que carregava o sonho de transformar a vida das pessoas. Com garra, ele foi construindo espaços e agregando companheiros, com sua postura conciliadora de diálogo, entusiasmo e inovação.

Em nome do PSB de Mossoró, fica nossa solidariedade aos familiares de Eduardo Campos e de todas as vítimas do acidente, assim como aos eleitores, aos militantes e aos que, como nós, também acreditam na “coragem para mudar”.

Eduardo Campos morre, mas deixa viva entre nós a esperança de que “não vamos desistir do Brasil”. Não perdemos apenas um candidato, mas um amigo, um líder.

Fica assim, por três dias, suspensa toda a atividade partidária do PSB em Mossoró.

 

Lahyre Rosado Neto

Presidente PSB Mossoró

13
ago

Eduardo Campos morre em acidente aéreo

Postado às 13:20 Hs

O jato em que viaja o presidenciável Eduardo Campos (PSB-PE ) é o mesmo que caiu em Santos na manhã desta quarta-feira.  Foi  confirmado que o candidato estava a bordo.  A aeronave em que viajava do Rio para Guarujá perdeu contato com controle aéreo.  Assessores, amigos e correligionários não consegueram fazer contato com candidato. Seu avião não chegou ao destino.

O Corpo de Bombeiros confirmou a queda, que ocorreu na altura do número 136 Rua Alexandre Herculano, esquina com Rua Vahia de Abreu, nas imediações do Canal 3, a cerca de sete quadras da praia. Logo após a queda, a primeira informação era a de que se tratava de um helicóptero. Sete pessoas ficaram feridas e pelo menos três imóveis foram atingidos.

A Aeronáutica investiga as causas do acidente. O local onde ocorreu a queda é bastante movimentado. Testemunhas relatam que ouviram barulho de uma explosão. O quarteirão foi isolado pela Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e equipes de resgate. Com o estrondo na hora da queda, vidraças de lojas quebraram-se.

O presidenciável Eduardo Campos (PSB) morre num fatídico 13 de agosto. Dia em que morreu o avô, fonte de inspiração política do candidato a presidente da República.

(G1)

13
ago

Eduardo Campos no JN

Postado às 12:19 Hs

11
jul

Por Mossoró…

Postado às 18:49 Hs

A deputada estadual Larissa Rosado (PSB) reforçou ao candidato Eduardo Campos (PSB), hoje, em Natal, a região de Mossoró nas prioridades da coligação Unidos pelo Brasil, que apoia chapa Eduardo/Marina Silva à Presidência da República. Ela justificou a importância de Mossoró para a economia nacional, como referência no Brasil na produção de petróleo em terra e de frutas tropicais irrigadas, e alertou para crise nesses segmentos e possível impacto na economia brasileira. “Demissões no setor petrolífero e queda na exportação de frutas em Mossoró criam ambiente de pessimismo, que tendem a repercutir nacionalmente. Por isso, a região de Mossoró precisa estar definitivamente na agenda nacional”, afirma.
08
jul

O que eles disseram…

Postado às 21:31 Hs

Eduardo Campos

Minutos depois do fim da partida desastrosa entre Brasil e Alemanha, que resultou na derrota de 7 a 1 para a seleção brasileira, o candidato à presidência da República Eduardo Campos (PSB) deixou seu registro no Facebook em ‘solidariedade’ aos brasileiros. O presidenciável assistiu ao jogo em sua casa, no Bairro de Dois Irmãos, Zona Norte do Recife. Em seu texto, Campos exaltou a alegria do ‘povo brasileiro’ e, nas entrelinhas, aproveitou o espaço para demarcar território durante a disputa rumo à presidência da República. “O sonho do hexa foi, por hora, adiado. Tenho certeza de que voltaremos mais fortes em 2018″, afirmou o ex-governador de Pernambuco.

Dilma Roussef

A presidente Dilma Rousseff disse, na sua conta pessoal no microblog Twitter, que sente “imensamente” pela derrota da seleção brasileira nesta terça-feira, 08, em jogo contra a Alemanha, que terminou com um placar de 7 a 1 para os alemães, no Mineirão. “Sinto imensamente por todos nós, torcedores, e pelos nossos jogadores. Assim como todos os brasileiros, estou muito, muito triste com a derrota”, escreveu Dilma no Twitter. Ontem, a presidente participou de bate-papo com internautas no Facebook para falar de Copa do Mundo. Na ocasião, Dilma confirmou que vai entregar a taça à seleção campeã do torneio no próximo domingo, no Maracanã.

Aécio Neves

O candidato à presidência da República Aécio Neves (PSDB) recorreu nesta terça-feira, 08, às redes sociais para comentar sobre a derrota da seleção brasileira para a Alemanha na Copa do Mundo. “Como torcedor e como brasileiro, compartilho a frustração que estamos todos sentindo. Uma derrota sofrida, difícil de entender, mas que não apaga o brilho do futebol brasileiro e muito menos do nosso povo”, escreveu o tucano após a partida em sua página oficial do Facebook. “Apesar do resultado, envio o meu abraço aos nossos jogadores, à comissão técnica e a todos que lutaram para colocar o Brasil no lugar mais alto do pódio. Dessa vez não deu, mas vamos em frente! Outras vitórias virão!”, acrescentou. Acompanhado da filha, Aécio esteve na última sexta-feira no jogo das quartas de finais do Mundial em que a Alemanha derrotou a França no Maracanã. A ida dele nesta terça ao estádio do Mineirão não foi confirmada nem negada pela assessoria de campanha do tucano.

Fonte: Agência de Notícias

set 18
quarta-feira
19 28
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
22 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5798631 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram