Quem não votou no segundo turno das eleições municipais de 2016 tem até hoje (29) para justificar a sua ausência junto à Justiça Eleitoral. Para tanto, o eleitor deve preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (disponível na internet) e entregá-lo em qualquer cartório eleitoral, onde deve apresentar também um documento oficial original com foto, como carteira de identidade (RG), carteira de habilitação ou carteira de trabalho. Devem ser anexados ainda documentos que comprovem o motivo da ausência, tais como atestado médico ou comprovante de viagem. A justificativa será analisada por um juiz eleitoral, que pode acatar ou não a explicação dada pelo eleitor. O portador de título eleitoral que não justificar a ausência fica sujeito a diversas sanções, como requerer passaporte ou carteira de identidade; receber salário de entidades públicas ou assistidas pelo governo; solicitar empréstimos em qualquer banco ou estabelecimento de crédito subsidiado pelo governo; inscrever-se em concursos públicos ou tomar posse de cargos públicos.
22
nov

Diplomação

Postado às 12:00 Hs

No próximo dia 19 de dezembro acontece a diplomação dos candidatos eleitos em Mossoró nas eleições realizadas no último dia 2 de outubro. A confirmação foi feita pelo Cartório Eleitoral da 34ª Zona Eleitoral do Rio Grande do Norte, responsável pelo ato de diplomação em Mossoró.

A solenidade será realizada no Teatro Municipal Dix-huit Rosado, às 19 horas. Serão diplomados a prefeita eleita Rosalba Ciarlini (PP), a vice-prefeita eleita Nayara Gadelha (PP), os 21 vereadores eleitos, além de 11 primeiros suplentes.

No dia 1º de janeiro de 2017 é que acontecerá a posse, em ato do Legislativo.

Aguardemos…

Dos 80 deputados federais que concorreram nas eleições municipais deste ano, 18 foram eleitos e deixarão a Câmara dos Deputados nos próximos meses. Desses, 14 assumirão as chefias dos Executivos locais e quatro as vice-prefeituras.

O número de deputados eleitos no pleito municipal deste ano é menor que o verificado na eleição municipal de 2012, quando 26 deputados se elegeram prefeitos. Na ocasião, 87 concorreram ao cargo.

Na disputa em segundo turno, dos 16 concorrentes, seis foram eleitos prefeitos: Nelson Marchezan Júnior (PSDB), Porto Alegre; Luís Carlos Busato (PTB), Canoas (RS); Duarte Nogueira (PSDB), Ribeirão Preto (SP); Max Filho (PSDB), Vila Velha (ES); Washington Reis (PMDB), Duque de Caxias (RJ); Anderson Ferreira (PR), Jaboatão dos Guararapes (PE). Dois se elegeram vices: Marcos Rotta (PMDB), Manaus (AM); e Moroni Torgan (DEM), Fortaleza (CE).

Por Valdo Cruz / Folha

Talvez nada simbolize melhor a situação dos derrotados nesta eleição municipal de 2016 do que a decisão dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff de não votarem no segundo turno. O primeiro, pela idade, não precisava ir. A segunda justificou a ausência. Numa eleição de elevada abstenção, uma forma de protesto e desencanto do eleitor com a política, os dois petistas deram um mau exemplo. Deles esperava-se o contrário, o de mostrar a importância de uma eleição. Decidiram desprestigiá-la.

Os dois têm lá seus motivos para não terem comparecido às suas seções eleitorais em São Bernardo do Campo e Porto Alegre. Seus candidatos ficaram de fora do segundo turno. Mas isso não seria, com certeza, o que eles defenderiam se ainda estivessem no comando do país.

PSDB COMEMORA – Enquanto o PT de Lula e Dilma sai como o grande derrotado da eleição municipal, o PSDB, que perdeu a eleição presidencial para a petista, desponta com o principal vitorioso. No ninho tucano, o segundo turno reforçou a posição de Geraldo Alckmin. Ele elegeu João Doria no primeiro turno em São Paulo e derrotou o PT no Grande ABC, berço político do Partido dos Trabalhadores. Já seu principal opositor dentro do PSDB amargou nova derrota. Aécio Neves não elegeu seu candidato, João Leite, prefeito de Belo Horizonte. Para quem era considerado imbatível no seu Estado natal, o novo revés não ajuda nem um pouco.

ALCKMIN VITORIOSO – Daí que, hoje, Alckmin ganha pontos na disputa interna para ser o candidato tucano a presidente em 2018. Em situação privilegiada. O PSDB seguirá na aliança de Temer, apoiando medidas até impopulares, mas poderá desembarcar lá na frente. Já o presidente Temer não tem do que reclamar. Seus aliados ganharam a eleição. O que pode ajudar nas votações de suas medidas no Congresso. Se reverter a crise econômica, pode até ser o que diz que não será, candidato. Mas temos de esperar a Lava Jato, que tudo pode mudar.

31
out

Os eleitos

Postado às 9:46 Hs

O segundo turno ocorreu em 57 municípios neste domingo (31). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as eleições envolveram cerca de 32,9 milhões de eleitores. Aqueles que não puderam comparecer às urnas e não justificaram, podem preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) e entregá-lo em qualquer cartório eleitoral ou enviá-lo, por via postal, ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito até 60 dias após cada turno da votação, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito.

O prazo para que isso seja feito é até 1º de dezembro, com relação ao primeiro turno;e, até 29 de dezembro de 2016, com relação ao segundo turno. Depois de acompanhar o começo da apuração de votos do segundo turno na sede do TSE, o presidente da corte, Gilmar Mendes, disse que a eleição “transcorreu em clima de paz e normalidade” mesmo nos municípios que precisaram de reforço de segurança, como São Luís, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

O TSE registrou mais de 300 ocorrências e mais de 80 prisões durante o período de votação. Na maioria dos casos, a Justiça Eleitoral flagrou cabos eleitorais fazendo propaganda para candidatos, a tradicional boca de urna. De acordo com os dados, nenhum candidato foi preso.

 

Confira os prefeitos eleitos nas capitais no segundo turno:

 

Aracaju: Edvaldo Nogueira (PCdoB)

Belém: Zenaldo Coutinho (PSDB)

Belo Horizonte: Alexandre Kalil (PHS)

Campo Grande: Marquinhos Trad (PSD)

Cuiabá: Emanuel Pinheiro (PMDB)

Curitiba: Rafael Grega (PMN)

Florianópolis: Gean Loureiro (PMDB)

Fortaleza: Roberto Cláudio (PDT)

Goiânia: Iris Rezende (PMDB)

Macapá: Clécio Luis (Rede)

Maceió: Rui Palmeira (PSDB)

Manaus: Artur Virgilho Neto (PSDB)

Porto Alegre: Nelson Marchezan Junior (PSDB)

Porto Velho: Dr. Hildon (PSDB)

Recife: Geraldo Julio (PSB)

Rio de Janeiro:Marcelo  Crivella (PRB)

São Luís: Edivaldo Holanda Júnior (PDT)

Vitória: Luciano Rezende (PPS)

30
out

Triunfo

Postado às 13:48 Hs

Eleição deste domingo vai consolidar triunfo do PSDB

O maior vencedor das eleições municipais deste ano já é o PSDB. A partir de janeiro do próximo ano, um em cada cinco brasileiros deverá viver em uma cidade administrada pelo partido – a maior proporção entre as 31 siglas que conseguiram eleger algum prefeito em 2016. Mas a vitória tucana pode ser ainda mais impressionante caso as urnas confirmem o resultado das últimas pesquisas do Ibope do segundo turno.

Se o PSDB vencer nas sete grandes cidades em que é favorito ou está empatado dentro da margem de erro, a legenda concentrará a maior fatia do eleitorado já governada por prefeitos de um mesmo partido desde 2004, o primeiro ano para o qual o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulga dados de resultados eleitorais digitalizados. Será o melhor desempenho da própria sigla desde aquele ano, que foi a última vez em que o PSDB conquistou a maior fatia do eleitorado em comparação com os demais partidos.

Levando em conta apenas os resultados do primeiro turno, o PSDB já conseguiu vencer em cidades que somam pouco mais de 18% do total de eleitores, bem à frente do segundo colocado, o PMDB (11,5%). Mas ainda há candidatos do partido em 19 dos 57 municípios que decidirão seus prefeitos hoje, o maior número entre todas as siglas. E, se das 27 cidades em que o Ibope divulgou pesquisas eleitorais o PSDB ganhar nas 7 em que tem chance real, o partido governaria 22,2% do eleitorado a partir de 2017. Apesar de ter conquistado cerca de 200 cidades a menos que o PMDB, é provável que o PSDB governe quase duas vezes mais eleitores do que os peemedebistas após o segundo turno. (Estadão)

 

 

 

 

 

30
out

2º Turno

Postado às 12:38 Hs

Praticamente 33 milhões de eleitores (32.986.856) são esperados neste domingo (30) em postos de votação em todo o país para escolher em segundo turno os próximos prefeitos de 57 municípios.

Ao todo, são 114 candidatos a prefeito, em 18 capitais e 39 cidades com mais de 200 mil eleitores. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foram disponibilizadas 157.548 urnas para o pleito. Desse número, 67 mil estarão disponíveis para o caso de equipamentos quebrados.

Durante todo o dia, 332.618 mesários, dos quais 151.805 voluntários, trabalharão na eleição. De acordo com o TSE, 12 cidades em cinco estados contarão com apoio da Força Nacional de Segurança e das Forças Armadas para o esquema de segurança.

O efetivo disponibilizado, segundo a pasta, será de cerca de 13 mil militares. A Justiça Eleitoral disponibilizou diversos aplicativos para smartphones que, além de ajudar o eleitor a escolher melhor os candidatos, também fornecem informações sobre a própria votação.

Via Folha de S.Paulo

Além dos próprios opositores, os candidatos que disputam o segundo turno nas principais capitais terão que enfrentar mais um adversário poderoso: os votos brancos, nulos e abstenções. Pesquisas Datafolha e Ibope apontam que as intenções de votos brancos e nulos superam o patamar de 15% em seis capitais: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis e Campo Grande.  A defesa do voto nulo tem sido feita por partidos como PT e PSOL, sobretudo em cidades onde não há um candidato de esquerda no segundo turno. Os petistas, por exemplo, lavaram as mãos em 12 capitais. Mas a iniciativa não se restringe aos partidos. Parte dos eleitores, por conta própria, tem encampado a defesa do voto nulo com campanhas na internet e até passeatas.

Em Porto Alegre, eleitores fizeram vídeo com o jingle “Anula lá”, paródia da música “Lula lá”, que marcou a campanha presidencial de 1989. O vídeo, que soma 214 mil visualizações desde 12 de outubro, quando foi publicado, mostra a insatisfação com os candidatos Nelson Marchezan Jr. (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB) : “Prefiro votar no diabo do que votar nesses dois”, diz um trecho.

“É um [jingle] clássico, lendário. Mas levou muita gente a nos chamar de petista, não tem nada a ver. É só uma referência”, conta Valmor Pedretti Jr. 37, um dos autores. Para fazer frente às campanhas por voto nulo, candidatos iniciaram ofensiva na reta final deste segundo turno para tentar convencer os eleitores a não anular o voto.

Em Curitiba, os candidatos Rafael Greca (PMN) e Ney Leprevost (PSD) usaram o horário eleitoral para tentar convencer os eleitores a não anular o voto: “O voto é individual, mas a responsabilidade é coletiva”, diz a campanha de Greca na TV.

Na capital gaúcha, Melo disse à Folha que o voto nulo é a “rejeição da política”, o que “leva à escuridão”. A campanha do peemedebista fez caminhada contra o voto nulo na quarta (26).

Marchezan atacou o adversário e disse que “o voto nulo é muito mais pregado pelo Melo do que por qualquer outro partido [de esquerda]”. O PT e o PSOL, terceiro e quarto colocados no primeiro turno, defenderam que seus eleitores não apoiassem nem PMDB, nem PSDB. Para o cientista político Marcos Paulo dos Reis Quadros, do Centro Universitário da Serra Gaúcha (FSG), o voto nulo é reflexo do “desencanto generalizado com a política”. Mas, segundo Quadros, o fenômeno em algumas capitais tem “ingrediente” a mais: “a esquerda, como um todo, ficou fora do segundo turno”. Candidatos de esquerda foram derrotados em capitais como Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte.

27
out

2º turno é domingo

Postado às 20:04 Hs

O segundo turno das eleições municipais, no domingo (30), será realizado em 57 cidades de 20 estados, de acordo com dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A situação do município de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foi definida hoje (27) pelo TSE, que deferiu o registro do candidato confirmando o segundo turno.

Ainda dependem de decisão definitiva dois municípios: Nova Iguaçu, também na Baixada Fluminense, e Montes Claros, em Minas Gerais. No caso dessas duas cidades, pelo menos um dos candidatos depende de decisão final sobre o registro de candidatura, mas essas pendências não impedirão que os eleitores dessas duas cidades possam escolher seus prefeitos no domingo.

Os estados com o maior número de cidades com segundo turno são São Paulo (13) e Rio de Janeiro (8). Ao todo, os eleitores de 18 capitais vão escolher os prefeitos para os próximos quatro anos. São elas: Maceió (AL), Manaus (AM), Macapá (AP), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), São Luís (MA), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Belém (PA), Recife (PE), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ), Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Florianópolis (SC), Aracaju (SE) e Vitória (ES).

Não haverá segundo turno em seis estados: Acre, Roraima, Tocantins, Piauí, Rio Grande do Norte e Paraíba. Em nove estados, as eleições serão realizadas apenas para escolher os prefeitos das capitais: Rondônia, Amazonas, Pará, Amapá, Maranhão, Alagoas, Sergipe, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

Em Pernambuco, Ceará, Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande Sul, as eleições serão realizadas nas capitais e em cidades do interior. Apenas os estados de Bahia e São Paulo terão eleições só no interior.

Capitais

Porto Alegre – Nelson Marchezan Júnior (PSDB) X Sebastião Melo (PMDB)
Florianópolis – Gean Loureiro (PMDB) X Ângela Amin (PP)
Curitiba – Rafael Greca (PMN) X Ney Leprevost (PSD)
Rio de Janeiro – Marcelo Crivella (PRB) X Marcelo Freixo (PSOL)
Belo Horizonte – João Leite (PSDB) X Alexandre Kalil (PHS)
Vitória – Luciano (PPS) X Amaro Neto (SD)
Campo Grande – Marquinhos Trad (PSD) X Rose Modesto (PSDB)
Cuiabá – Emanuel Pinheiro (PMDB) X Wilson Santos (PSDB)
Goiânia – Iris Rezende (PMDB) X Vanderlan (PSB)
Aracaju – Edvaldo Nogueira (PCdoB) X Valadares Filho (PSB)
Maceió – Rui Palmeira (PSDB) X Cícero Almeida (PMDB)
Recife – Geraldo Júlio (PSB) X João Paulo (PT)
Fortaleza – Roberto Cláudio (PDT) X Capitão Wagner (PR)
São Luís – Edivaldo Holanda Júnior (PDT) X Eduardo Braide (PMN)
Macapá – Clécio Vieira (Rede) X Gilvam Borges (PMDB)
Belém – Zenaldo Coutinho (PSDB) X Edmilson (PSOL)
Manaus – Artur Neto (PSDB) X Marcelo Ramos (PR)
Porto Velho – Dr. Hildon (PSDB) X Léo Moraes (PTB)

Justificativa

O segundo turno das eleições 2016 acontecem neste domingo em 55 cidades do Brasil, o eleitor apto a votar em um dos municípios onde haverá segundo turno das eleições 2016 e que, no dia das eleições, estiver fora de seu domicílio eleitoral poderá justificar sua ausência na circunscrição do Rio Grande do Norte, em qualquer mesa receptora de justificativa (MRJ). Em todas as zonas do Estado esses eleitores poderão se dirigir às mesas receptoras de justificativa que funcionarão no mesmo horário da votação, de 8h às 17h. Os requerimentos de justificativas serão recebidos exclusivamente por formulário impresso, dispensado o uso de urnas eletrônicas, exceto nas cidades de Natal, Mossoró, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante, que utilizarão urnas eletrônicas.

16
out

2º turno

Postado às 18:44 Hs

O segundo turno das eleições municipais acontece no dia 30 de outubro, em 55 municípios, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Com isso, a partir deste domingo (16), nenhuma candidato a prefeito pode ser preso, salvo em casos de flagrante. Segundo a legislação eleitoral, a regra vale até 48 após a votação. Para o órgão, a medida é necessária para garantir a realização da campanha e o equilíbrio da disputa.

No caso dos eleitores, a regra que impede a prisão começa a valer cinco dias antes de eleição, no dia 25 de outubro. A proibição está no Artigo 236, do Código Eleitoral.

Nesse sábado (15), a propaganda eleitoral no rádio e na televisão retornou onde as inserções ainda não tinham voltado a serem exibidas. No segundo turno, a propaganda é exibida no rádio e na televisão em blocos de 20 minutos, que terão início às 7h e às 12h, e na televisão, às 13h e às 20h30.

Confira onde haverá segundo turno e os candidatos que concorrem nas capitais:

Capitais:

 

Porto Alegre – Nelson Marchezan Junior (PSDB) X Sebastião Melo (PMDB)

Florianópolis – Gean Loureiro (PMDB) X Ângela Amin (PP)

Curitiba – Rafael Greca (PMN) X Ney Leprevost (PSD)

Rio de Janeiro – Marcelo Crivella (PRB) X Marcelo Freixo (PSOL)

Belo Horizonte – João Leite (PSDB) X Alexandre Kalil (PHS)

Vitória – Luciano (PPS) X Amaro Neto (SD)

Campo Grande – Marquinhos Trad (PSD) X Rose Modesto (PSDB)

Cuiabá – Emanuel Pinheiro (PMDB) X Wilson Santos (PSDB)

Goiânia – Iris Rezende (PMDB) X Vanderlan (PSB)

Aracaju – Edvaldo Nogueira (PCdoB) X Valadares Filho (PSB)

Maceió – Rui Palmeira (PSDB) X Cícero Almeida (PMDB)

Recife – Geraldo Júlio (PSB) X João Paulo (PT)

Fortaleza – Roberto Claudio (PDT) X Capitão Wagner (PR)

São Luís – Edivaldo Holanda Junior (PDT) X Eduardo Braide (PMN)

Macapá – Clécio Vieira (Rede) X Gilvam Borges (PMDB)

Belém – Zenaldo Coutinho (PSDB) X Edmilson (PSOL)

Manaus – Artur Neto (PSDB) X Marcelo Ramos (PR)

Porto Velho – Dr. Hildon (PSDB) X Léo Moraes (PTB)

15
out

Eleições 2016

Postado às 12:00 Hs

Candidatos ao segundo turno não podem ser presos a partir deste sábado…

A partir deste sábado (15), os candidatos que vão participar do segundo turno das eleições municipais deste ano só poderão ser presos em casos de flagrante delito. A regra está prevista no Código Eleitoral e registrada no calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Amanhã também é a data limite para o início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. Em algumas cidades, o horário eleitoral já foi retomado.

A segunda rodada de votação das eleições municipais está marcada para o próximo dia 30 de outubro, quando eleitores de 55 cidades voltarão as urnas para definir as eleições em seus municípios.

As regras para a divulgação de propaganda em rádio e televisão estão previstas em resolução do TSE, que define, entre outros pontos, o tempo destinado aos candidatos. Segundo o texto, no segundo turno, serão destinados, em cada um dos veículos, dois blocos de 20 minutos diários. O tempo será dividido entre os candidatos, ou seja, cada um terá direito a dez minutos. Outra regra determina a ordem de aparição dos concorrentes no horário eleitoral gratuito. Na primeira propaganda a ser veiculada, o candidato mais votado aparece primeiro. A partir daí, a ordem será alternada a cada programa. (Agência Brasil)

09
out

Saiba mais…

Postado às 19:03 Hs

Eleições 2016: maioria dos candidatos a prefeito eleitos em 2 de outubro tem de 50 a 54 anos

 

Dos 5.496 candidatos a prefeito eleitos no primeiro turno das Eleições Municipais 2016, ocorrido no último dia 2 de outubro, a maioria tem entre 50 e 54 anos, de acordo com os dados estatísticos divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para vereador, a média de idade cai um pouco, uma vez que a maioria dos eleitos tem de 40 a 44 anos de idade.

A média de idade dos prefeitos já eleitos abrange várias faixas etárias: foram 1.019 eleitos de 50 a 54 anos; 927 na faixa de 45 a 49 anos; 776 de 40 a 44 anos; 711 estão na faixa de 55 a 59 anos; e 635 têm de 60 a 64 anos, entre outras. O prefeito mais jovem tem 21 anos e foi eleito em Milagres do Maranhão (MA). O prefeito mais idoso, por sua vez, tem 88 anos e foi eleito em Catende, Pernambuco.

Vereadores

Foram eleitos 57.814 vereadores no pleito municipal deste ano. Desse total, 10.073 têm de 40 a 44 anos; 9.795 estão na faixa de 45 a 49 anos; são 9.400 vereadores de 35 a 39 anos; 8.278 de 50 a 54 anos; 6.372 de 30 a 34 anos; 5.182 de 55 a 59 anos; 3.100 de 25 a 29 anos e 2.825 de 60 a 64 anos.

As disputas para prefeito e vereador têm requisitos de idade diferentes. Para se candidatar a vereador, a pessoa precisa ser maior de 18 anos – além de ter nacionalidade brasileira, ser alfabetizada e estar em dia com a Justiça Eleitoral. Já para se candidatar a prefeito, é necessário ter 21 anos ou mais.

09
out

Charge: Resultado das urnas…pelo Brasil

Postado às 16:42 Hs

07
out

Saiba Também…

Postado às 8:11 Hs

 


# Greve dos bancários

A greve dos bancários no Rio Grande do Norte acabou para os bancos da rede privada, BNB e Banco do Brasil. A assembleia da categoria acatou a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Somente os servidores da Caixa continuarão de braços cruzados em Natal.

A proposta acatada pelos bancários de vários estados país foi de um reajuste de 8%, mais abono de R$ 3.500 em 2016. Para 2017, o compromisso é de reposição integral da inflação (INPC/IBGE), mais 1% de aumento real em para os salários de demais benefícios dos profissionais.

 

#  Brasil goleia a Bolívia por 5 a 0 pelas eliminatórias

O Brasil venceu a Bolívia por 5 a 0 nesta quinta-feira e manteve a vice-liderança das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. A goleada brasileira na Arena das Dunas, em Natal, foi construída com gols de Neymar, Coutinho, Filipe Luís, Gabriel Jesus e Firmino.

Foi a terceira vitória seguida do técnico Tite no comando da seleção, que chegou aos 18 pontos, um a menos que o Uruguai, que lidera. O Brasil volta a campo na próxima terça-feira, fora de casa contra a Venezuela, lanterna do torneio com apenas dois pontos.

 

 #  Mantido

O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio Grande do Norte (TRE/RN) manteve a sentença de primeiro grau que indeferiu o registro das candidaturas de Cássio Cavalcante e ‘Hélio de Mundinho’, candidatos a prefeito de Ielmo Marinho e Guamaré, respectivamente. Nos dois casos cabe recurso.

Cássio Cavalcante, do PMDB, foi o mais votado em Ielmo Marinho. Ele teve 5.711 votos. O segundo mais votado foi Sheik, do PSD, com 2.587 votos. Os votos de Cássio não foram considerados válidos no dia da eleição porque a candidatura estava subjudice. No site do TRE, Sheik aparece como o candidato eleito.O mesmo acontece em Guamaré onde ‘Hélio de Mundinho’, do PMDB, teve 6.249 votos. O segundo mais votado foi Mozaniel, do Solidariedade, com 5.294.

 

03
out

Saiba mais…

Postado às 14:26 Hs

O tamanho dos partidos nas eleições municipais de 2012 e 2016.

Das eleições municipais de 2012 para as deste ano, muitos partidos praticamente deixaram de existir no mapa das prefeituras. Como o PV, que elegeu dois prefeitos no pleito passado e nenhum agora; como o PMN, que apesar de continuar existindo migrou para legendas como o PROS que já migrou para o PSDB…

Novas legendas também apareceram no cenário de 2016 como o Solidariedade, o PTN e o PRB que não tinham representantes… O Blog Thaisa Galvão  fez um levantamento sobre o peso dos partidos nas eleições passadas e nas de ontem.

Vale lembrar que muitos prefeitos que se elegeram por um partido, se bandearam para outro, portanto, o retrato que mostro aqui é referente aos resultados das urnas nos dois pleitos municipais em questão. Ou seja: quantos prefeitos cada partido elegeu, e não quantos prefeitos o partido tem hoje.

PMDB passou de 50 para 40

PSD de 21 para 52

PSDB de 3 para 11

PR de 18 para 13

DEM de 23 para 16

PSB de 20 para 5

PRB de zero para 4

PV de 2 para zero

PT de 6 para 2

PP de 8 para 5

PCdoB de 1 para 3

PHS de zero para 2

PPS de 2 para 1

PTN de zero para 2

PDT se manteve com 2

PSOL de zero para 2

PRP de zero para 1

PRTB de zero para 1

PROS de zero para 2

PMN de 7 para zero

SD de zero para 2

PTB de 2 para 1

 

Dezoito das 26 capitais terão segundo turno para a escolha de prefeito. O número é maior que nas últimas eleições, em 2012, quando 17 capitais tiveram segundo turno. A votação ocorre próximo dia 30. Nas regiões Sul e Centro-Oeste, haverá segundo turno em todas as capitais. No Sudeste, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória terão segundo turno. Apenas São Paulo definiu João Doria (PSDB) como prefeito no primeiro turno.  No Nordeste, haverá segundo turno em cinco das nove capitais: Aracaju, Maceió, Recife, Fortaleza, São Luís. Na Região Norte, quatro das sete capitais definirão o prefeito no dia 30: Belém, Macapá, Porto Velho e Manaus.

Veja os candidatos que disputarão o segundo turno para prefeito nas capitais:

Sudeste
Rio de Janeiro (RJ): Marcelo Crivella (PRB) e Marcelo Freixo (PSOL)
Belo Horizonte (MG): João Leite (PSDB) e Alexandre Kalil (PHS)
Vitória (ES): Luciano Rezende (PPS) e Amaro Neto (SD)

Sul
Curitiba (PR): Rafael Greca (PMN) e Ney Neto (PSD)
Florianópolis (SC): Gean Loureiro (PMDB) e Angela Amin (PP)
Porto Alegre (RS): Nelson Júnior (PSDB) e Sebastião Melo (PMDB)

Nordeste
Aracaju (SE): Edvaldo Filho (PCdoB) e Antonio Valadares (PSB)
Maceió (AL): Rui Palmeira (PSDB) e Cicero de Almeida (PMDB)
Recife (PE): Geraldo Filho (PSB) e João Lima e Silva (PT)
Fortaleza (CE): Roberto Claudio (PDT) e Capitão Wagner (PR)
São Luís (MA): Edivaldo de Holanda (PDT) e Eduardo Salim (PMN)

Norte
Belém (PA): Zenaldo Júnior (PSDB) e Edmilson Rodrigues (PSOL)
Macapá (AP): Clecio Luís (Rede) e Gilvam Borges (PMDB)
Manaus (MA) Artur Neto (PSDB) e Marcelo Ramos (PR)
Porto Velho (RO): Hildon Chaves (PSDB) e Leonardo de Moraes (PTB)

Centro-Oeste
Goiânia (GO): Iris Machado (PMDB) e Vanderlan Cardoso (PSB)
Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro (PMDB) e Wilson dos Santos (PSDB)
Campo Grande (MS): Marcos Trad (PSD) e Rose (PSDB)

03
out

Cobertura

Postado às 11:24 Hs

TCM faz maior cobertura eleitoral do RN com 13 horas de programação ininterrupta ao vivo. O projeto Vota Mossoró 2016 chegou ao fim com 13 horas de transmissão ininterrupta e ao vivo neste domingo, 02 de outubro. A TCM (TV Cabo Mossoró) abriu a programação às 7h30, com a divulgação da pesquisa TCM/Seta e seguiu no ar com informações sobre todo processo eleitoral de Mossoró, dos primeiros votos à declaração da candidata vencedora Rosalba Ciarlini. “Não dá para a gente colocar 13 horas no ar sem tudo estar bem preparado. É mérito da equipe que se organizou. Clarissa Paiva na coordenação do projeto deu uma contribuição fundamental para que o Vota acontecesse. Porque a gente precisa organizar escala, horários, integrar os estúdios da 95 FM e da TCM, as plataformas como Portal e Facebook. O Vota Mossoró coroa todo um projeto que inicia no começo do ano e naturalmente o agradecimento a todos que contribuíram para esse dia”, diz Moisés Albuquerque, âncora do Vota Mossoró e Diretor de Jornalismo da TCM. Repórteres, cinegrafistas, produtores estiveram nas ruas, no TRE, nos colégios eleitorais, estúdios. “É uma experiência interessante. A cada eleição que a gente participa, consegue aprimorar a informação que a gente leva para o telespectador”, conta o repórter João Carlos Brito. “E fazemos isso com muita satisfação por saber e perceber que o telespectador confia no nosso trabalho. A gente sente que nossa missão foi cumprida”, completa o repórter Erisberto Rêgo.
02
out

Em Natal

Postado às 14:34 Hs

Governador vota em Natal pelas eleições municipais

O governador Robinson Faria votou pelo primeiro turno do pleito municipal, na manhã deste domingo (2). O líder do Executivo estadual chegou à sede do América Futebol Clube, em Natal, acompanhado da esposa Julianne Faria e da filha Janine Faria.  Após votar, Robinson conversou com a imprensa. Na avaliação dele, é necessário que a população leve em consideração o momento que vive o País na hora de dar seu voto.

“É importante que sejam escolhidos candidatos que possam ter respostas aos clamores da sociedade, que tenham compromisso com o diálogo, e que governem para todos. É preciso ter o perfil do diálogo”, destacou, lembrando ainda que o Estado disponibilizou mais da metade do efetivo da segurança para o pleito eleitoral.

set 19
quinta-feira
22 49
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
9 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5798784 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram