Toda a estrutura do evento foi montada para que Henrique Meirelles brilhe sozinho.

Michel Temer corre o risco de ser vaiado por congressistas do MDB se não anunciar a desistência de sua candidatura à reeleição em evento da sigla hoje.

O Planalto foi avisado de que a expectativa de vê-lo fora do jogo é enorme. Toda a estrutura do evento foi montada para que Henrique Meirelles brilhe sozinho.

Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, encontrou uma desculpa para justificar o mau humor no plenário: a falta de janelas. Sem circulação de ar, o local fica abafado e altera o ânimo dele.

Sites vendem camisetas, bonés e até garrafas de água em apoio ao pré-candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL), com preços que variam de R$ 20 a R$ 60.  (Coluna do Estadão – Andrezza Matais)

Igor Gadelha – O Estado de S.Paulo

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB-MS), se antecipou ao MDB e lançou o nome do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles como candidato do partido à Presidência. Marun era um dos principais defensores de uma candidatura de Michel Temer à reeleição.

“Vamos fazer barba, cabelo e bigode. (Waldemir) Moka senador, André (Puccinelli) governador e, quem sabe, Meirelles, o nosso Presidente da República. Gente que fez, gente que faz e gente que sabe continuar fazendo”, afirmou o ministro durante evento do MDB do Mato Grosso do Sul no sábado, 19.

Procurado, Marun negou ter se antecipado e disse que estava falando em Meirelles como possível candidato. “Eu disse que vamos ganhar e que este vitorioso pode ser o Meirelles”, afirmou o ministro.

Oficialmente, o lançamento de Meirelles como pré-candidato do MDB deve acontecer na terça-feira, 22, durante evento em Brasília com a participação de Temer. Na ocasião, o partido apresentará o documento “Encontro com o Futuro”, que reúne propostas da sigla para o País. A ideia é que a nova cartilha da legenda sirva como base para a campanha de Meirelles.

Três líderes do PDT usam uma frase atribuída à principal liderança histórica da legenda, o ex-governador Leonel Brizola, para justificar a rota traçada pelo presidenciável Ciro Gomes de consolidar primeiro alianças à esquerda para depois buscar o centrão: “Na carroceria do caminhão cabe todo mundo, mas na boleia só quem se confia”. Com a cotação cada vez melhor nas bolsas de apostas após a inelegibilidade e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Ciro tem o desejo de ter um empresário como candidato a vice, imitando a dobradinha Lula-José Alencar. Além disso, pretende ter a seu lado um partido que lhe permita transitar mais ao centro, como o PP, do seu amigo e xará Ciro Nogueira. Mas tal passo só será dado depois que consolidar apoios tidos como fundamentais na esquerda, especialmente PSB e PC do B, isolando o PT. — Nossa prioridade absoluta é o fechamento com o PSB. Avançou bem. Como temos afinidade muito grande e uma relação histórica, facilita muito. Mas vai depender muito da configuração dos palanques regionais — afirma Carlos Lupi, presidente do PDT.

O presidenciável Flávio Rocha (PRB), dono da Riachuelo, é outro pronto para abrir suas vultosas contas pessoais para bancar a campanha. Detentor de uma fortuna avaliada em R$ 1,3 bilhão, ele já avisou que não precisará de dinheiro do fundo público.

— Ele externou que pode custear a campanha. Quando me perguntou quanto podia gastar, respondi que seria o teto que já está estabelecido pela lei. E aí já não se falou mais no assunto. Estava decidido — contou ao GLOBO o presidente do PRB, Marcos Pereira. Outro nome em cogitação para compor uma aliança eleitoral como vice, Flávio Rocha rechaça a hipótese:

— Não tenho vocação para ser vice, tenho certeza de que ainda vou crescer.

Apesar disso, o PRB já iniciou conversas com lideranças de outros partidos visando à campanha presidencial. Caso não decole nas pesquisas até julho, Flávio Rocha pode entrar numa composição como vice de outro candidato de centro.

— Tem uma brincadeira que diz que vice que tem tempo de TV vale. Se não, tem que ter voto ou tem que ter dinheiro — resume o ex-ministro Helder Barbalho, que tentará se eleger governador do Pará.

BRUNO GÓES / CATARINA ALENCASTRO – O Globo

Conversas adiantadas para alianças na chapa proporcional envolvendo o PSDB, do deputado estadual Ezequiel Ferreira, com o PROS, de Albert Dickson, o PR, do ex-deputado federal João Maia, e o PP, do deputado federal Beto Rosado. Os quatro estarão juntos, mas ainda não definiram sobre o palanque da majoritária.

O PSDB tem o nome do ex-senador Geraldo Melo para disputar o Senado, no entanto, permanece indefinido sobre o quadro para o Governo.

Aguardemos os arranjos eleitorais…Só depois do São João teremos definições.

Pessoas ligadas ao senador Garibaldi Alves estão percebendo que ele terá dificuldades de enfrentar uma campanha para o Senado em decorrência do seu estado de saúde.

Visivelmente pode-se constatar sua debilidade que se manifesta cada vez com mais intensidade.

Familiares e amigos preocupados com Garibaldi, estão aconselhando ele a disputar um mandato de deputado estadual e colocar seu filho Walter Alves na disputa do Senado. Garibaldi sendo candidato a deputado estadual e Walter Alves ao Senado, abre vaga para filha de Henrique Alves, Andressa Alves ser candidata a deputada federal.

Uma candidatura de Garibaldi Alves a deputado estadual fortaleceria a chapa do MDB para Assembleia Legislativa já que ele seria um grande puxador de votos.

Carlos Eduardo Alves tem tido dificuldades em receber apoios das lideranças do MDB.

Via Blog do Primo

15
maio

Acréscimo

Postado às 9:24 Hs

Rio Grande do Norte terá 84,6 mil novos eleitores nas eleições de 2018.

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE/RN) informou que 84.604 potiguares tiraram o título de eleitor pela primeira vez. O cadastro eleitoral, visando as eleições deste ano, terminou na última quarta-feira, 9.

Segundo o órgão, somente no último dia houve 4.607 inscrições do 1º título, além de 2.596 transferências, 3.608 revisões (biometria, atualização do nome, etc), e 55 de segunda via de título, totalizando 10.866 eleitores atendidos no estado em 9 de maio.

No período de cadastramento e regularização eleitoral, que teve início em novembro de 2016, foram atendidos 721.052 eleitores, correspondendo aos serviços: 84.602 Inscrições 1º Titulo; 66.731 Transferências; 565.884 Revisões; 3835 segunda via de título. O RN está com 100% da população biometrizada, ou seja, nas eleições 2018, 100% do eleitorado potiguar votará a partir da identificação biométrica.

A união de PP, DEM, PRB e Solidariedade não mira só as eleições de 2018. O grupo, que ainda trabalha para atrair PTB e PR, quer se estabelecer como bloco partidário indispensável à governabilidade de qualquer que seja o presidente eleito. Somadas, as seis siglas chegam hoje a 181 deputados. A adesão daria a eles peso para desequilibrar a corrida deste ano —e também para se proteger: se escolherem o candidato errado, terão um tamanho que assegura assento na mesa de negociação do vencedor.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é pré-candidato ao Planalto e está à frente das negociações, mas sabe que o ponto central do acordo com as demais siglas é só definir o herdeiro do apoio do grupo entre junho e julho. Como publicado no sábado (11), ele é um dos escalados para falar com PTB e PR.

Neste momento, PP e SD usam o que chamam de “pré-apoio” a Maia como rede de proteção à ofensiva de nomes como Geraldo Alckmin (PSDB) e o presidente Michel Temer (MDB), que tenta se posicionar como árbitro da própria sucessão.

Até a definição, Maia tem carta branca para rodar o país e divulgar suas ideias. Nesse cenário, dirigentes da Força Sindical sugeriram que o deputado encampe projeto que aumenta de cinco para sete o número parcelas do seguro-desemprego.

Daniela Lima – Folha de S.Paulo

13
maio

Opinião: Vão botar a mãe no meio

Postado às 19:10 Hs

Por Carlos Brickmann

Acha que há candidatos demais à Presidência? Pois o número se reduziu muito, falando-se apenas dos mais conhecidos; e, do jeito que a coisa vai, sobra pouca gente. Os motivos são variados, mas há um predominante: já estão batendo nos candidatos abaixo da cintura. E vão botar a mãe no meio.

Michel Temer, embora presidente, chefe de um grande partido e dono da máquina oficial, desistiu. É difícil se eleger com tantas denúncias e inquéritos (e com aliados presos). Joaquim Barbosa parou: aos 64 anos, cobrando mais de R$ 200 mil por parecer, com tempo para viajar, sua vida pioraria tendo de falar da casa de Miami (comprada legalmente, mas e daí?), e de uma briga conjugal já resolvida, mas que sempre volta à tona.

Lula está preso e não pode ser candidato, faça as firulas que fizer. Plano B? Haddad está na delação da empreiteira UTC, que afirma ter-lhe passado R$ 2,6 milhões em propinas extraídas da Petrobras. Jaques Wagner? É investigado num caso de R$ 82 milhões de propinas da Odebrecht e OAS.

Alckmin patina (isso antes dos inquéritos). O PSB, possível aliado, está sob investigação em seu maior reduto, Pernambuco. É coisa séria: Armando Monteiro, que há anos se preparava para o Governo, desistiu (como o candidato do partido à Presidência, Joaquim Barbosa). O PMDB poderia dar tempo de TV a Alckmin, mas 70% dos diretórios o rejeitam.

Campanha é para quem tem casca dura. E não teme ficar em evidência.

Por Efrem Ribeiro – O Globo

A pré-candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, disse que vai em busca dos eleitores do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (PSB), que desistiu de concorrer, e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso em Curitiba. Marina esteve em Teresina, onde participou de um culto evangélico ao lado da pré-candidata da Rede ao governo do Piauí, Irmã Graça Nunes.

— Para conquistar esse eleitorado, em primeiro lugar, devemos respeitar as pessoas. Não existem votos da Marina, do Lula, do Ciro (Gomes), do Joaquim. Os votos são dos cidadãos, que darão seus votos livremente no dia 7 de outubro (data do primeiro turno). Não vamos permitir que, agora, nos roubem a única coisa que pode fazer o Brasil andar para frente que é nossa união — disse a presidenciável. Marina, que descartou abdicar da disputa para ser candidata a vice em alguma chapa, defendeu mudanças para que os problemas criados por governos anteriores sejam efetivamente resolvidos.

— Criaram o problema de 13 milhões de desempregados, criaram o problema de uma Saúde e Segurança que não funcionam, e eles não vão resolver esses problemas. O PT, PSDB e PMDB já tiveram suas chances. Agora é a hora de a sociedade avaliar e fazer uma mudança profunda, porque, como eu disse, quem criou o problema não vai resolver o problema — avaliou.

(*Especial para O  Globo)

A carta de Lula defendendo a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, surpreendeu e desanimou lideranças da legenda que defendiam a discussão de planos alternativos à candidatura dele, ainda que não fossem adotados agora e mesmo que não fossem abordados publicamente.

O texto na prática bloquearia de vez qualquer conversa: ao dizer que “se aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime”, Lula jogaria o mesmo peso nos que defendem a discussão sobre alternativas, segundo lideranças que defendiam a análise de cenários sem ele.

Ao fazer isso, estariam acusando Lula de criminoso. De acordo com uma das lideranças, o ex-presidente, com a carta a Gleisi Hoffmann, saiu do plano da razão para jogar exclusivamente com o da emoção.

Fonte: Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo

Igrejas e templos não podem ser utilizados para discursos ou distribuição de panfletos e materiais similares, sob pena de multa e até cassação do registro dos beneficiados

O Ministério Público Eleitoral emitiu uma recomendação às entidades religiosas do Rio Grande do Norte alertando líderes, pastores, ministros e religiosos quanto à proibição de propaganda eleitoral – seja de forma verbal ou impressa – nos templos religiosos. O desrespeito a essa regra da legislação pode resultar em aplicação de multa à entidade e até na cassação de registro do candidato.

A recomendação destaca que “a liberdade de manifestar a religião ou convicção, tanto em local público como em privado, não pode ser invocada como escudo para a prática de atos vedados pela legislação” e cita o entendimento recente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), segundo o qual propagada realizada por entidade religiosa, ainda que de modo velado, pode caracterizar abuso de poder econômico.

A procuradora regional Eleitoral, Cibele Benevides – autora da recomendação -, lembra ainda que o fato de as doações eleitoral por pessoa jurídica a partidos políticos e candidatos terem sido vedadas “reforça a proibição de as entidades religiosas contribuírem financeiramente para a divulgação direta ou indireta das campanhas”.

A desistência do ex-ministro Joaquim Barbosa em disputar a presidência pode jogar o PSB para a órbita do PDT, reforçando o palanque de Ciro Gomes.

O impacto regional dessa configuração seria o impulso dado para que as siglas também se unam nos estados. Levantamento da Folha mostra que PDT e PSB têm mais probabilidade de se alinhar do que se imagina.

“Em estados como Paraíba, Rio Grande do Norte e Tocantins, a avaliação é que uma aliança nacional daria impulso a uma união entre PDT e PSB localmente”, destaca a reportagem. “No Rio Grande do Norte e no Tocantins, os dois partidos têm seus respectivos pré-candidatos, mas há portas abertas para uma composição. Na disputa pelo governo potiguar, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo (PDT) pode receber o apoio do atual vice-governador Fábio Dantas (PSB)”, reforça ainda o texto.

Agência de Notícias

O pré-candidato do PSDB ao senado, Geraldo Melo, foi quem mais cresceu na corrida eleitoral, segundo pesquisa Certus/Fiern, publicada ontem, domingo (6), no site da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte. Geraldo já está em terceiro lugar, – empatado com a deputada Zenaide Calado Maia(PHS) -, mesmo sem o seu partido ter confirmado se o prefere no Senado ou no Governo do Estado. Segundo, ainda, o instituto Certus, Garibaldi Alves(MDB) lidera para o Senado, seguido de José Agripino(DEM).

O crescimento de Geraldo, a partir de sua filiação ao PSDB, surpreende os meios políticos do Estado e força os tucanos a discutirem uma possível candidatura própria ao governo do Estado. Segundo a pesquisa, Geraldo Melo, também, aparece em condições de disputar o pleito com Carlos Eduardo (PDT) e Fátima Bezerra (PT). Geraldo teria, inclusive, boas chances de ser o vencedor, especialmente, pelo seu perfil contrário ao Lula petismo. Carlos Eduardo estaria situado mais à esquerda, muitas vezes, tendo o seu discurso confundido com o da candidata do PT.

Já a deputada Zenaide Calado Maia parece ter atingido o seu limite. Chegou a ser a segunda colocada para o senado, superando o senador José Agripino. Na última rodada de pesquisas, entretanto, engatou uma ré, e aparece empatada com o ex-governador Geraldo Melo, na disputa pelo quarto lugar. Ao que tudo indica, a candidata Fátima Bezerra, que lidera a corrida sucessória estadual,  não cola o voto com os seus candidatos ao Senado.

Fonte: Blog Pinga Fogo.

Essa semana, o pré-candidato a presidente da República e senador da República, Álvaro Dias, filiado ao Podemos, esteve em Natal participando de um evento organizado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern). O evento, Fórum Fiern: Caminhos do Brasil, tem por objetivo exatamente escutar os presidenciáveis sobre os projetos dos presidenciáveis para o país.

Mesmo sem agenda oficial como pré-candidato, o empresário potiguar Flávio Rocha desembarcou agora pela manhã em Natal recebido por apoiadores e simpatizantes. Todos com camisas e bandeiras do Brasil 200, projeto que já foi apresentado no Rio Grande do Norte para apresentar a livre iniciativa como uma alternativa para o problema da economia brasileira.

O próximo que visitará Natal será o deputado federal Jair Bolsonaro, filiado ao PSL. Ele também participará do evento da Fiern no dia 17 de maio durante a noite, mas terá uma programação própria com apoiadores e simpatizantes do seu projeto durante o dia.

Quem também confirmou que estará em Natal é o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que renunciou ao cargo para se candidatar presidente pelo PSDB. Ele virá à capital potiguar no dia 19. A programação ainda está sendo organizada pela equipe do tucano com o deputado federal Rogério Marinho, do mesmo partido.

Vale lembrar que recentemente o empresário João Amoedo, pré-candidato a presidente da República pelo Avante, já teve uma agenda em Natal tanto participando do Fórum Fiern: Caminhos do Brasil, quanto para reuniões com correligionários e apoiadores.

A partir das 7 horas da manhã deste domingo (06) o Rio Grande do Norte ficará sabendo quem são os preferidos dos eleitores para a presidência da República, governo do estado e senado. Nesse horário a FIERN inicia, exclusivamente pelo Twitter (twitter.com/sistemafiern), divulgação da pesquisa de opinião sobre as eleições 2018.

Às 14 horas do domingo (06) a pesquisa estará disponível na íntegra no portal da FIERN (www.fiern.org.br).

Registrada na justiça eleitoral sob os números RN-01096/2018 e BR-08786/2018, a pesquisa “Retratos da Sociedade Potiguar” foi realizada em todo o estado pela Certus para a Federação das Indústrias. Vários cenários eleitorais são levantados junto aos eleitores.

O levantamento também mediu a rejeição dos pré-candidatos à presidência da república, ao governo do estado e ao Senado, bem como apurou os índices de rejeição do presidente Michel Temer e do governador Robinson Faria.

03
maio

Visitando

Postado às 20:00 Hs

O projeto visitará os bairros de Mossoró.

Na noite da última quarta-feira, 02, o pré-candidato a Deputado Federal, Lawrence Amorim, esteve dialogando com lideranças políticas, comunitárias, amigos e moradores no Alto da Conceição. A iniciativa busca ouvir as necessidades da população e discutir propostas.

De modo interativo, o pré-candidato pôde discutir questões como reforma tributária, foro privilegiado, combate à corrupção e a importância de ter um Deputado Federal que represente verdadeiramente a população do Rio Grande do Norte.

“A gente tem um espaço muito bom no ano de 2018 e é um momento decisivo para a mudança do nosso Estado através do voto consciente. Nós estamos aqui para fazer um mandado moderno e participativo”, declarou o pré-candidato Lawrence Amorim.

Clorisa Linhares, que tem seu nome cotado para disputar o Governo do Estado, esteve presente para somar nesta iniciativa e discutir o projeto de governo do Solidariedade

O projeto “Conversa com Lawrence” visitará os bairros de Mossoró para divulgar as ideias, propostas e dialogar com a população sobre os problemas do nosso Estado e como enfrentá-los.

Fonte: Assessoria

O presidente do PPS, Wober Júnior, anunciou nesta quinta-feira (3) que o partido apoiará a reeleição do governador Robinson Faria. É a terceira legenda do grupo de dez partidos que se reuniram com foco no Legislativo a anunciar a adesão. Antes do PPS foram o PTB e o PRB.

Wober antecipou ainda que o Avante e o PRP estão em avançadas negociações para também fechar apoio com o governador. O chamado G10 vai lançar 48 candidaturas a deputado estadual e 18 a deputado federal.

maio 22
terça-feira
16 46
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
28 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5699024 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram