12
jun

FELIZ Dia dos Namorados !!!

Postado às 7:45 Hs

Namorados de todo o país já estão se esquematizando para o “grande dia”. Nesta quarta feira , eles correrão serelepes para comemorar o Dia dos Namorados em restaurantes, motéis, cinemas. Não sem antes se presentearem. Pode ser com um perfume, uma roupa, um livro. Mas dependendo do programa ou do presente, os apaixonados vão gastar um bom dinheiro. No último ano, os produtos e serviços mais procurados na ocasião subiram acima da inflação, segundo um levantamento divulgado pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

No comércio de Mossoró, na manhã e tarde passadas, as vendas foram aquecidas. Perfumes, roupas, sapatos, bolsas, aparelhos de som, celulares… Cada um fazia o esforço possível para presentear sua amada.

Importante mesmo, a nosso ver, é manter a chama acesa. Namorar sempre. Não importa a idade, as condições financeiras, a cidade, rua ou bairro em que você mora. Há de se preservar o sentimento, o desejo, o amor.

De acordo com o economista André Braz, coordenador da pesquisa, não foram registrados aumentos reais (acima da inflação) para os produtos tradicionalmente dados como presentes no Dia dos Namorados. Tirando os livros, que tiveram uma alta um pouquinho superior (6,99%). Se a namorada curte bijuteria e o namorado deixou o presente para a última hora, deve ser bom saber que o aumento no último ano foi de 2,89%. Difícil pode ser escolher a peça Com aumento ou sem aumento, os namorados acabam consumindo.

A data é considerada a terceira melhor para o mercado varejista, atrás do Natal e do Dia das Mães. A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) estima um aumento de 12% nas vendas dos centros de compras só em função do Dia dos Namoradosque melhor combina com a moça. Mas sempre dá para pedir ajuda aos universitários

Namorar todos os dias, namorar sempre. Mas nem por isso vamos desprezar uma data tão especial: é importante ter um Dia dedicado aos que se gostam, se tocam, se enroscam, se grudam.

Feliz Dia dos Namorados!

O Índice de Confiança do Comércio, medido pela da Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 0,4 ponto de janeiro para fevereiro e atingiu 95,5 pontos, em uma escala que vai até 200. Esse é o maior nível desde abril de 2014 (97,8).

Segundo a FGV, a alta do indicador foi percebida em oito dos 13 segmentos comerciais pesquisados. O avanço do indicador foi provocado por um aumento da confiança no momento presente, medida pelo Índice da Situação Atual, que cresceu 4,8 pontos e atingiu 92,8 pontos, o maior patamar desde agosto de 2014 (93,1 pontos). Já a opinião do empresários do comércio em relação ao futuro pioraram. O Índice de Expectativas caiu 4,0 pontos no mês, para 98,4 pontos.

“Um aspecto positivo dos resultados do primeiro bimestre de 2018 é o expressivo avanço dos indicadores de satisfação com a situação atual, retratando um quadro de recuperação de vendas e margens. No extremo oposto, o retorno do indicador de expectativas a um patamar inferior aos 100 pontos sugere que a recuperação continuará ocorrendo de maneira gradual”, diz nota da FGV.

De acordo com a metodologia da fundação, o índice 100 indica neutralidade; de zero a 99 indica pessimismo e de 101 a 200 indica otimismo.

Agência Brasil

17
jan

Que diminua

Postado às 12:07 Hs

A inflação de janeiro medida pelo Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) subiu 0,88% após alta de 0,20% em dezembro, informou nesta terça-feira (17/1), a Fundação Getulio Vargas (FGV). O resultado ficou dentro das projeções dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam alta de 0,77% a 1,01%, com mediana de 0,92%.

No caso dos três indicadores que compõem o IGP-10 de janeiro, os preços no atacado representados no IPA-10 tiveram alta de 1,08% este mês, após se elevarem 0,22% em dezembro.

Os preços ao consumidor medidos no IPC-10 apresentaram avanço de 0,54% em janeiro, após elevação de 0,09% no mês anterior. Já o INCC-10, da construção civil, teve taxa positiva de 0,30%, ante avanço de 0,31% em dezembro.

Por: Diário do Poder

A confiança do consumidor aumentou de maio para junho, segundo aponta pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV). O indicador avançou 3,4 pontos, passando de 67,9 para 71,3 pontos. É o maior nível desde junho do ano passado.A FGV atribui a alta exclusivamente à melhora das expectativas dos consumidores, uma vez que os indicadores que medem a percepção sobre a situação atual ficaram estáveis no mês.

Em junho, o Índice de Expectativas (IE) chegou a avançar 6 pontos, atingindo 77,1 pontos, o maior desde os 81,7 de janeiro de 2015. Já o Índice da Situação Atual (ISA), ficou praticamente estável entre um mês e outro, ao fechar em ligeira queda de 0,8 ponto percentual, entre maio e junho, atingindo 64,7 pontos.

“Enquanto as primeiras [expectativas] avançam expressivamente pelo segundo mês consecutivo, a outra revisita o mínimo histórico. Considerando que a confiança do consumidor se mantém baixa em termos históricos, que a recuperação da economia deve ocorrer de forma lenta e que as famílias ainda se encontram muito comprometidas com endividamentos contraídos no passado, acredito que ainda veremos alguns trimestres de queda do consumo das famílias antes de retornarmos ao terreno positivo“, afirma a coordenadora da Sondagem do Consumidor da FGV, Viviane Bittencourt.

Houve alta da confiança em todas as quatro classes de renda pesquisadas. A melhora expressiva ocorreu entre os consumidores com renda familiar entre R$ 4.800,01 e R$ 9.600, em que o índice aumentou 4,2 pontos. Já em relação ao futuro, os consumidores tornaram-se menos pessimistas em relação à evolução das finanças familiares nos próximos seis meses, uma vez que o indicador que mede o grau de otimismo com a evolução da situação financeira familiar chegou a subir 6,2 pontos, de maio para junho, passando de 75,6 para 81,8 pontos, o maior desde os 87.6 pontos de janeiro de 2015. Entre maio e junho, a parcela de consumidores projetando melhora avançou de 25,8% para 29,6%; enquanto a dos que preveem piora recuou de 8,8% para 9%.

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) recuou 2,3% em julho de 2015, em relação a junho, atingindo 82 pontos, informou hoje (24), pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV).O indicador tem uma média histórica de 111,6 pontos. Quanto mais baixa for pontuação em relação à média histórica, menor é a intenção do consumidor de ir às compras. A pesquisa abrangeu 2.116 consumidores nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Salvador, Porto Alegre e Belo Horizonte.

“Pela quarta vez neste ano o ICC atinge um novo recorde negativo. A queda em 2015 vem sendo influenciada pela insatisfação e pessimismo em relação à economia e piora da situação financeira das famílias”, disse a coordenadora da Sondagem do Consumidor da FGV, Viviane Seda Bittencourt. Segundo ela, diante deste quadro, o consumidor retrai seu ímpeto para compras diminuindo ainda mais as possibilidades de melhora do cenário atual.”Os dados divulgados indicam que, entre junho e julho, o Índice de Situação Atual (ISA) recuou 5,2%, passando de 75,1 para 71,2 pontos, enquanto o Índice de Expectativas (IE) – que vinha se mantendo estável nos dois últimos meses – caiu 2,4%, passando de 88,6 para 86,5 pontos.

Entre os quesitos que medem o grau de otimismo em relação ao futuro próximo, a maior queda neste mês foi do indicador de intenção de compras de bens duráveis nos próximos seis meses. O indicador que mede esta previsão caiu 3,5% atingindo 69,7 pontos, o terceiro mais baixo da série, superando apenas setembro (66,5%) e outubro de 2005 (68,4). A proporção de consumidores que projetam maiores gastos passou de 13,3% para 13,2% entre junho e julho. Já a parcela dos que preveem diminuir os gastos subiu de 41,1% para 43,5% do total.

Fonte: Terra

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que apura a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, fechou o segundo trimestre do ano, com aumento de 2,46%, informou nesta segunda-feira (13) o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (Ibre-FGV).

Os dados indicam que os preços da cesta das famílias da terceira idade vem subindo mais do que os que compõem o Índice de Preços ao Consumidor para o total do país (IPC-BR).

No segundo trimestre do ano, o IPC3i fechou 0,29 ponto percentual acima do IPC-BR (2,17%). Nos últimos 12 meses, enquanto o IPC para o total do país ficou em 9,15%, a inflação para as famílias da terceira idade fechou com inflação anualizada de 9,37%, resultado 0,22 ponto percentual superior.

Na passagem do primeiro trimestre de 2015 para o segundo trimestre de 2015, no entanto, a taxa do IPC-3i registrou desaceleração de 1,69 ponto percentual, passando de 4,16% para 2,46%, com quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação.

A principal contribuição partiu do grupo habitação, cuja taxa passou de 6,88% para 2,53%. O item que mais influenciou o comportamento desta classe de despesa foi tarifa de eletricidade residencial, que variou 2,91%, no segundo trimestre, ante 35,11%, no anterior.

Fonte:  ABr 

 

13
maio

Viajando

Postado às 0:33 Hs

De acordo com boletim que mede a intenção de viagem em sete capitais, mês de abril registrou a maior procura por destinos nacionais. Entenda as razões que elevaram a procura pelo país A intenção do brasileiro de viajar pelo próprio país foi de 77,4%, a maior dos últimos dez anos se considerados os meses de abril da série histórica, de acordo com boletim que acaba de ser divulgado pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Fundação Getulio Vargas. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve um crescimento de 11,2%. “Os atrativos naturais, culturais e de negócios, aliados ao ganho de infraestrutura, são forças que impulsionam o turismo brasileiro”, diz o ministro do Turismo, Henrique Alves. “São também um grande potencial a ser explorado”, afirmou. Se analisada toda a série de monitoramento de intenção de viagem, os destinos brasileiros sempre estiveram à frente dos internacionais na preferência da população, mas o aumento recente da procura pelo próprio país se explica por três razões, que juntas projetam o turismo brasileiro. A primeira delas é a alta do dólar, que encareceu os destinos estrangeiros e abriu caminho para as opções dentro do próprio país.
Pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que 82% dos brasileiros consideram fácil desobedecer as leis no país. Ao mesmo tempo, 74% acham que se deveria cumprir a lei mesmo quando esta é contrária ao que elas avaliam ser o certo. Para 79% dos entrevistados, sempre que possível o brasileiro opta pelo “jeitinho” em vez de seguir o que determina a legislação. Os dados fazem parte do Índice de Percepção do Cumprimento da Lei (IPCLBrasil), lançado pelo Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada da Escola de Direito de São Paulo. O objetivo é avaliar o grau de percepção do brasileiro sobre o respeito às leis e às ordens de autoridades. A primeira sondagem cobriu o quarto trimestre de 2012 e o primeiro trimestre de 2013 e abrangeu oito unidades da Federação: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Amazonas e Distrito Federal. O tamanho da amostra foi de 3.300 entrevistas, distribuídas proporcionalmente segundo dados do Censo de 2010.
19
abr

Um grande número…

Postado às 9:38 Hs

O Brasil deve vender uma média de um computador por segundo para um total de 22,6 milhões de aparelhos do tipo comercializados em 2013, aponta um estudo divulgado hoje, 18/4, pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV). De acordo com o levantamento, que inclui tablets pela primeira vez, atualmente existem cerca de 118 milhões de computadores em uso no país, levando em conta números de uso doméstico e nas empresas. Isso corresponde a uma média de 3 computadores para cada 5 habitantes.

Com a projeção de vendas da FGV para este ano no Brasil, o país deve atingir a marca de um computador por habitante em 2016. Empresas A pesquisa mostrou também que a maior parte das empresas utiliza, nas estações de trabalho, produtos da Microsoft, como Windows, Office e Explorer, presentes em mais de 90% dos equipamentos. Segundo Meirelles, a escolha pelo sistema operacional Windows, presente em 98% das estações de trabalho, continua predominante ao longo do tempo no país.

“Esse diagrama não muda há 5 anos”, disse. Já nos servidores, o uso do Windows chegou a 69%, o do Linux, 18% e Unix, 11%. O navegador mais usado nas empresas, em 2012, foi o Microsoft Explorer (91%), seguido pelo Mozilla FireFox (7%). O correio eletrônico mais comum foi o Microsoft (73%), seguido pelo Lotus (12%), Linux Mail (6%) e Gmail (5%). O levantamento, que é divulgado anualmente há 24 anos, pesquisou 5 mil grandes e médias empresas com 2,2 mil respostas válidas.

Fonte: IDGNOW

17
abr

Preço deve cair…

Postado às 9:50 Hs

O preço do tomate deve começar a dar um alívio ao ao consumidor final ainda neste mês, prevê o economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) Salomão Quadros. A expectativa é de que uma desaceleração já percebida nos últimos dias no atacado apareça em breve no varejo.

Segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que faz parte do Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10), a inflação do tomate foi de 8,55% para 15,77%, na passagem de março para abril. No ano, acumula alta de 90,77% e, em 12 meses, de 170,48%.

O grupo alimentação, com aceleração de 1,26% para 1,40% no período, permanece liderando a inflação no varejo neste mês. As influências, contudo, não partiram só do tomate. São destaques as altas de preços das frutas, que avançaram de 1,07% para 5,44%; da batata inglesa, de 6,72% para 13,43%; e da cebola, de 14,27% para 21,17%.

09
abr

Cidades Miseráveis…

Postado às 16:23 Hs

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou ontem um ranking de miserabilidade das cidades brasileiras. O levantamento mostra que as cidades com menor proporção de miseráveis estão no Rio Grande do Sul e, as com um maior número de famílias carentes, no Maranhão e no Piauí. Veja a listagem abaixo:

 

As cidades com mais miseráveis:

Centro do Guilherme (MA) 95,32%

Jordão (AC) 94,56%

Belágua (MA) 93,75%

Pauini (AM) 91,95%

Santo Amaro do Maranhão (MA) 91,37%

Guaribas (PI) 91,16%

Novo Santo Antônio (PI) 91,07%

Matões do Norte (MA) 90,59%

Manari (PE) 90,41%

Milton Brandão (PI) 90,18%

Pelo menos neste ranking não aparecem cidades potiguares incluidas, pois existe uma diferença entre miserável e pobre. Uma vergonha para o Brasil ainda…

18
mar

Mais recursos

Postado às 21:41 Hs

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, afirmou nesta segunda-feira, 18, que, em 2012, os recursos aplicados pelo governo no programa Bolsa Família atingiram 0,46% do Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com dados da sua pasta, o orçamento para o programa alcançou R$ 20 bilhões no ano passado. Para 2013, esse montante deverá subir para R$ 23,9 bilhões. “É uma ninharia o que se gasta com o Bolsa Família no Brasil”, comentou o diretor da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Yoshiaki Nakano, ao lado da ministra, logo após ela ter proferido aula magna na instituição de ensino.

Ele afirmou que, em 1979, foi trabalhar no grupo Pão de Açúcar, onde foi incumbido de montar o departamento econômico. “Certo dia, o Abílio Diniz me perguntou quanto seria preciso gastar para acabar com a miséria no Brasil”, relatou. “Fiz os meus cálculos, e na época seria necessário algo entre 1% e 1,5% do PIB”, relatou.

De acordo com a ministra, como o Bolsa Família atende um universo de 50 milhões de pessoas e conseguiu reduzir em 89% a extrema pobreza no País, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o programa é muito eficiente.(Estadão)

31
jul

Muito atrasado ainda…

Postado às 23:48 Hs

Entre 156 países, o Brasil ocupa a 72ª posição em ranking de inclusão digital. Divulgado hoje (31) pela primeira vez, o Índice Integrado de Telefonia, Internet e Celular (Itic) de Inclusão Digital mede o acesso das pessoas ao computador, à internet e à telefonia, segundo cálculos da Fundação Getulio Vargas (FGV) e da Fundação Telefônica/Vivo, com base em dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Instituto Gallup.

De acordo com o índice, 51,25% da população brasileira têm acesso ao computador, à internet, ao celular e ao telefone fixo. A média mundial é 49,1%. O país com maior índice de inclusão digital é a Suécia (95,8%), seguido pela Islândia e Cingapura, empatadas com 95,5%. Nas últimas colocações da lista, estão a Etiópia (8,25%), República Centro-Africana (5,5%) e Burundi (5,75%), todos no Continente Africano.

 

Na América Latina, Venezuela (62%) tem o maior índice de acesso às tecnologias da informação por pessoa, seguida pelo Chile e Uruguai, ambos com 55%. Na Argentina e na Colômbia, os percentuais são 54% e 51% respectivamente, acima do indicador brasileiro.

Na avaliação do economista da FGV e responsável pela pesquisa, Marcelo Neri, o Brasil está no meio do caminho em termos de inclusão digital. “O Brasil é um copo meio cheio ou meio vazio, depende da maneira como se vê”, disse, durante a divulgação dos dados. Para ele, nos próximos anos, o acesso ao telefone celular será decisivo.

29
maio

Saiba mais…

Postado às 21:09 Hs

avatarA recente pesquisa Mapa da Inclusão Digital, da Fundação Getúlio Vargas com a Fundação Telefônica, apontou os números de domicílios com computadores e acesso à internet com base nos dados do Censo 2010 do IBGE. Confira as dez cidades com mais e menos acesso à internet no Brasil:


Mais acesso:

  1. São Caetano do Sul (SP): 74,07% de residências com acesso à internet
  2. Vitória (ES): 68,41%
  3. Santos (SP): 67,83%
  4. Florianópolis (SC): 67,67%
  5. Niterói (RJ): 62,72%
  6. Curitiba (PR): 62,71%
  7. Santo André (SP): 61,40%
  8. São José (SC): 60,57%
  9. Valinhos (SP): 60,24%
  10. Americana (SP): 60,05%

Menos acesso:

Nenhuma destas cidades abaixo têm acesso à internet, os números ao lado são referentes a quantidade de lares que possuem computadores somente.

  1. São Lourenço do Piauí (PI): 0,43% de residências com computadores
  2. São João da Ponta (PA): 0,68%
  3. Chaves (PA): 0,69%
  4. Aroeiras do Itaim (PI): 0,77%
  5. Santo Amaro do Maranhão (MA): 0,98%
  6. Paquetá (PI): 1,39%
  7. Currais (PI): 1,39%
  8. Coronel José Dias (PI): 1,46%
  9. São Félix de Balsas (MA): 1,73%
  10. Pavussu (PI): 2.07%
21
maio

Mossoró dispõe do Portal

Postado às 19:58 Hs

 

A Internet e o seu futuro.

O RN tem uma boa situação no ranking nacional da Internet  à domicilio representando 22%, e 27,9% com pessoas com computadores em casa. Com relação ao Nordeste o RN é o primeiro na liderança de ambas as pesquisas.

No Mundo moderno ter acesso a computador,internet e telefone é tão importante quanto ter energia elétrica. O Brasil ainda ocupa o 63º entre os países mapeados pela FGV na pesquisa de inclusão digital.

Mossoró tem Portal

O Portal do Saber Vingt Neto, localizado no conjunto Abolição I, possui equipamentos  novos ,buscando  melhorar a qualidade do atendimento aos usuários, e neste ano completa 10 anos de bons serviços a comunidade mossoroense.

O Portal do Saber funciona de segunda à sexta, das 7h às 17h. Além dos computadores, o Portal dispõe de uma biblioteca com mais de dois mil títulos. O espaço é muito utilizado por estudantes e comunidade, tanto para acesso à internet grátis  para estudos e pesquisas.

18
abr

Brasil interligado…

Postado às 15:45 Hs

# # Mais celulares do que habitantes…

O Brasil fechou o mês de março com 250,8 milhões de linhas de telefones celulares ativas. Os terminais 3G, a banda larga móvel, totalizaram quase 52 milhões de acessos. Só em março, foram registradas 3,2 milhões de novas habilitações em telefonia móvel e a teledensidade chegou a 128 acessos para cada grupo de 100 habitantes. Os dados foram divulgados hoje (17) pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Do total de acessos em operação no país, em março, 205,2 milhões eram pré-pagos (81,83%) e 45,6 milhões pós-pagos (18,17%). A operadora Vivo lidera o mercado brasileiro, com 29,81% de participação, seguida da TIM (26,80%), Claro (24,56%), Oi (18,53%), CTBC (0,27%) e Sercomtel (0,03%).

Ligados na Grande Rede…

Há no Brasil 99 milhões de computadores em uso, somados os utilizados no ambiente corporativo e no doméstico, o que representa cerca de um equipamento para cada dois habitantes. Os dados são da 23ª Pesquisa Anual de Tecnologia da Informação (TI), divulgada hoje (18) pelo Centro de Tecnologia de Informação Aplicada da Escola de Administração de Empresas de São Paulo, da Fundação Getulio Vargas (FGV).

O levantamento mostra que o total de computadores em uso no país dobrou nos últimos quatro anos e que, em 2012, devem ser vendidos mais 17,9 milhões de unidades. A pesquisa estima que, em seis anos, o Brasil passará a ter um computador por habitante.

O percentual de computadores por habitante no Brasil (cerca de 51%) coloca o país acima da média mundial (42%). Nos Estados Unidos, há cerca de 354 milhões de computadores, ou 114% da população.

12
mar

Anulado !!

Postado às 16:08 Hs

Uma falha na aplicação das provas para o concurso do Senado fez com que o teste para três cargos fosse anulado. Em todo o Brasil, quem prestou o exame para analista de sistema legislativo, de suporte e de enfermagem deverá fazer a avaliação em 29 de abril.

A assessoria de imprensa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), responsável pela aplicação do concurso no país, no entanto, informou que a nova data ainda pode sofrer alterações caso haja outro concurso no mesmo dia.

O problema ocorreu porque, em algumas salas, não havia prova suficiente para todos os candidatos.

Ao todo, 10.447 candidatos concorriam a esses três cargos. Segundo o edital, o salário é de R$ 18.440 para essas áreas.

Os prejudicados devem receber nos próximos dias, pelos Correios, um comunicado com informações sobre o incidente e com as orientações para o novo dia de prova.

A FGV ainda não confirmou em quais cidades o problema ocorreu.

Em Brasília, quem tentava vaga para enfermagem recebeu o teste para o cargo de redator. Ao detectar o problema, alguns candidatos conseguiram solicitar a substituição e fizeram uso de uma reserva técnica do exame, insuficiente para todos os candidatos, segundo conta o enfermeiro Márcio da Mata, 33.

“Como não dava para todo mundo, começou uma confusão dentro da sala. Todo mundo conversando, discutindo as perguntas em voz alta e até postando fotos das questões no Facebook”, afirmou.

09
mar

Eitá país alegre…Isso é Brasil !!

Postado às 11:31 Hs

Pela quarta vez o Brasil foi eleito o País mais feliz do mundo de acordo com uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas em parceria com a consultoria Gallup. Na pesquisa, que contou com a participação de mais de 200 mil pessoas em 158 países, o Panamá ficou em segundo lugar, seguido pela Costa Rica e Colômbia. A Síria ficou no último lugar no ranking da felicidade.
A pesquisa ainda mostrou que as mulheres são mais felizes que os homens, sendo apontado como um possível fator o aumento no nível de educação atingido por elas nos últimos anos, pois mais estudo significa mais dinheiro no bolso – embora elas ainda ganhem quase a metade que os homens.
Outro dado interessante: Em todo o mundo as solteiras são mais felizes que as casadas e isso só muda quando a mulher envelhece.

jun 25
terça-feira
15 19
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
24 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5788241 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram