O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) publicou, na manhã deste sábado (07), um aviso de chuvas intensas com grau de severidade “perigo potencial” para 136 cidades do Rio Grande do Norte. O aviso se inicia às 10h45 de hoje e vai até às 10h da manhã deste domingo (08). O alerta prevê chuvas entre 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 mm por dia, com ventos intensos (entre 40-60 km/h), baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. Confira a lista de municípios:

Um novo alerta do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informa possibilidade de chuvas intensas, com perigo potencial, em todos os municípios do Rio Grande do Norte.

Vale lembrar que o Inmet já havia feito um primeiro alerta nesta quarta-feira (19), que agora foi renovado. O novo aviso é válido das 10h25 desta quinta (20) até as 10h da sexta (22).

Segundo o as chuvas terão entre 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 milímetros por dia. Além disso, os ventos serão intensos, atingindo de 40 a 60 km/h.

Em caso de rajadas de vento, o Instituto Nacional de Meteorologia orientou que a população não se abrigue debaixo de árvores e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Outra recomendação é evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

17
jan

Alerta de chuvas

Postado às 18:26 Hs

Pelo menos 73 municípios potiguares, dentre eles, a capital potiguar, foram comunicados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) de alerta de chuva com “perigo potencial”, que vale das 10h desta sexta-feira (17) às 9h deste sábado (18). Além do Rio Grande do Norte, cidades no Piauí e Ceará foram avisadas de previsão de volume de 20 e 30 milímetros por hora ou até 50 mm/dia, e ventos intensos de 40 a 60 km/h. O Inmet, por outro lado, destaca o baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas. Em caso de rajadas de vento, orienta a população que não se abrigue debaixo de árvores e não estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Outra recomendação é evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.
23
set

Primavera começa hoje

Postado às 9:47 Hs

A primavera começa nesta segunda-feira (23) em todo o hemisfério sul do planeta. No Brasil, a estação é caracterizada pela chegada das chuvas. Este ano, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) as precipitações deverão começar em outubro, um pouco mais tarde que no ano passado, quando tiveram início em setembro.

“A primavera, no geral, é a mudança da estação do inverno para a chegada do verão. Estamos saindo de um período frio para começar um período quente. Quando vamos para a parte central do Brasil e Sudeste, a estação é associada com a chegada das chuvas. Por isso, grande parte do Brasil tem plantio nessa época do ano, em outubro, quando as chuvas começam a se fixar”, disse, em Brasília, o chefe da previsão do tempo do Inmet, Francisco de Assis.

Acrescentou que a primavera é sempre associada a temporais, pancadas de chuva e trovoadas: “Exatamente por isso que estamos entrando em um período quente com a formação de nuvens, para começar o período de chuva”, explicou.

Nordeste

A previsão para a primavera indica maior probabilidade de chuvas perto da média na parte leste do Nordeste. Nas demais áreas, haverá o predomínio de chuvas ligeiramente abaixo da média. Ressalta-se que o trimestre de outubro a dezembro é o mais seco da parte leste do Nordeste.

As temperaturas estarão mais elevadas sobre todo o Nordeste, principalmente na região sul do Maranhão e do Piauí. Durante os meses de inverno, as chuvas registradas foram próximas ou abaixo da média em grande parte da região.

Em lugares como João Pessoa, na Paraíba, onde geralmente chove em torno de 790 milímetros (mm) entre os meses de junho a agosto, choveu 670 mm somente em junho. As chuvas amenizaram as temperaturas nesta região, principalmente no sudeste da Bahia, onde a média das máximas em agosto ficou entre 24 ºC e 26 ºC.

Ventos

A Marinha do Brasil emitiu um alerta de ventos fortes para o litoral do Rio Grande do Norte. Segundo o aviso, as rajadas podem chegar até 61 km/h no trecho entre a costa potiguar e o Maranhão desta segunda-feira (23) até a quarta-feira (25). Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Agência Brasil

Em previsão publicada na tarde desta quarta-feira, 6, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) alertou sobre risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios por causa da chuva no Ceará. Além dele, outros dois estados, Piauí e Rio Grande do Norte, estão em alerta laranja e podem ter precipitações entre 30 a 60 mm/h ou de 50 a 100 mm/dia.

O sinal é classificado como “situação meteorológica perigosa“. Segundo o INMET, o aviso teria início às 12h49min desta quarta e término às 8 horas de quinta-feira, 7. As áreas da Região Metropolitana de Fortaleza e do Norte, Noroeste, Sertão e Jaguaribe Cearenses seriam as mais afetadas.

22
fev

Elas estão chegando…

Postado às 15:29 Hs

O semiárido da região Nordeste, vai tem um inverno com chuvas de normal a acima do normal, nos meses de março, abril e maio. Essa foi a conclusão da II Reunião de Análise Climática para o Semiárido do Nordeste Brasileiro, que foi realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN). Meteorologistas dos centros de previsão climática do Nordeste e de centros nacionais como o Centro de Pesquisa Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE) e o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) se reuniram nos dias 20,21 e 22 de fevereiro, para analisar e discutir as informações geradas pelos modelos meteorológicos, assim como, as condições climáticas e qual a influência delas na geração chuvas. Esse resultado da reunião, é semelhante a conclusão do encontro realizado em janeiro, pela Funceme, no Ceará.

O verão – que começa hoje (21) – promete ter um regime de chuva regular na maior parte do país, sem grandes extremos como secas ou enchentes.

A previsão é do meteorologista Luiz Cavalcanti, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Brasília. “A perspectiva é de muitas chuvas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e particularmente na Região Sul. É um período que, essencialmente, é muito chuvoso. Estamos com chuvas bem marcantes e a tendência é que o verão permaneça como está terminando a primavera, com muita chuva nessas regiões”, disse.

Segundo o meteorologista, o fenômeno conhecido como La Niña, quando ocorre o resfriamento das águas do Oceano Pacífico, este ano é predominante, mas com pouca intensidade, o que deve contribuir para garantir uma normalidade climática no Brasil. Inclusive, haverá chuva no semi-árido do Nordeste, que sofre com seca há cinco anos.

“O La Niña tem se manifestado, mas com intensidade fraca, e a tendência é que neste verão seja o fenômeno predominante. Em função do La Niña, a gente prevê chuvas no semi-árido já a partir de dezembro. Já temos bastante chuvas no sul do Maranhão e do Piauí. Nas partes oeste e norte da Bahia e em algumas regiões do Ceará, Pernambuco e Paraíba já ocorreram chuvas. Isto é prenúncio de que teremos uma estação diferente do que foi nos últimos cinco anos, que foi de muito seca”, afirmou Cavalcanti.

Agência Brasil

18
fev

Registro

Postado às 18:12 Hs

Chuvas nas últimas horas no RN.

O monitoramento da Agência Nacional de Águas (ANA) registrou chuvas em diversos municípios do Rio Grande do Norte nesta sexta-feira e sábado (18). Nas últimas doze horas choveu em Pau dos Ferros (78mm), Apodi – Barragem Santa Cruz (173mm), Caicó – Açude Itans (54mm), entre outros com chuvas de menor intensidade.

As estações pluviométricas do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registraram chuvas nas últimas doze horas em Apodi (112mm), Caicó (53mm), Caraúbas (52mm), Pau dos Ferros (43mm), Campo Grande (22mm), Patu (20mm) e João Câmara, 20 milímetros.
Registro de chuvas também em Natal, Mossoró (49 mm), Ceará-Mirim, Jardim de Piranhas, Monte Alegre, Ipanguaçu, Alto do Rodrigues, Assú, entre outros.
Informações não oficiais apontam para o registro de chuvas em Caicó de 200 mm. Precipitações pluviométricas também em Baraúna (62mm), Rafael Godeiro (84mm), São José do Seridó, Cruzeta, Timbaúba dos Batistas (44mm), Tenente Ananias (37mm), Luis Gomes, Paraná e Martins (90mm).

Também tem informações extra oficiais de chuvas em Viçosa (87mm), Severiano Melo (80mm), Apodi (122mm), Rodolfo Fernandes (40mm) e Pau dos Ferros, 90 milímetros.

O Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) emitiu alerta amarelo de chuvas intensas no Ceará, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte. O alerta amarelo significa risco de corte de energia elétrica, risco de queda de galhos de árvores e alagamentos. Os ventos intensos podem alcançar uma velocidade de 40 a 60 Km/h, e as chuvas até 50 mm/dia. Recomenda-se que a população fique atenta e acione a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros em caso de alagamento ou problemas estruturais na residência.

31
dez

Que elas venham…

Postado às 17:55 Hs

Inmet prevê céu nublado e pancadas de chuva para o Réveillon do litoral

O ano de 2016 deve começar com leves chuvas no litoral potiguar. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) é de que, em Tibau, a última noite do ano de 2015 seja de céu nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuvas isoladas. A temperatura ao longo do dia na cidade deve variar de 22ºC a 36ºC e os ventos de leves a moderados.

Nesta sexta-feira, o Inmet prevê Tibau com céu encoberto, sem indicação de chuvas, a temperatura máxima esperada para o município pode cair até 7ºC em relação a esta quinta-feira.

Quem vai ficar em Mossoró no feriadão poderá aproveitar o clima com cara de inverno, pois o boletim do tempo do Inmet para a cidade é de céu nublado a parcialmente nublado com pancadas de chuva isolada para hoje.

16
abr

Possibilidades de chuvas no feriadão ?

Postado às 13:03 Hs

É bom se preparar…

Fortes áreas de instabilidade avançam do mar para o Nordeste devendo alcançar o Rio Grande do Norte no decorrer desta quarta-feira, 16 de abril. Há risco de chuva forte também em Natal. Pelas medições do Inmet, em 15 dias de abril Natal acumulou aproximadamente 80 mm de chuva, 30% da média normal para abril que fica em torno dos 265 mm.

As imagens de satélite mostram claramente o deslocamento destas nuvens carregadas que aparecem em cor vermelha. Na imagem do radar meteorológico de Natal, operado pela Aeronáutica, a chuva moderada a forte já era visível às 21h10 desta terça-feira (00h10 de 16 de abril).

Vamos ver ser elas se  irão mesmo acontecer…

30
jan

Tempo nublado

Postado às 14:59 Hs

O tempo chuvoso anima o homem do campo e traz esperança de um 2014 melhor do que 2012 e 2013, quando a estiagem tomou conta do sertão potiguar.

De acordo com dados da EMPARN, até às 07:00 horas desta quinta-feira (30), o registro para algumas cidades da região Agreste-Trairi-Potengi eram os seguintes:

Jundiá(Emater) – 100,0

Boa Saúde(Emater) – 56,0

Vera Cruz(Emater) – 53,5

Serrinha(Emater) – 51,4

Tangara(Emater) – 43,5

Passa E Fica(Prefeitura) – 41,7

Monte Alegre(Emater) – 40,0

Serra De São Bento(Emater) – 29,0

Bom Jesus(Particular) – 27,5

Barcelona(Particular) – 25,0

Santa Cruz(Emater) – 23,8

João Câmara(Centro Saude) – 23,5

Sítio Novo(Prefeitura) – 17,0

 

De acordo com o INMET, as condições meteorológicas são favoráveis a ocorrência de chuva moderada a forte, com descargas elétricas, rajadas de ventos ocasionais e acumulado de chuva significativo no leste do Rio Grande do Norte, litoral e Mata da Paraíba, Rondônia, Acre, sul do Amazonas, norte e leste do Amapá, nordeste do Pará e no norte do Maranhão.Fica a esperança de um bom inverno neste ano de 2014.Profetas populares ou pessoas experientes como queiram também estão animados com inverno de 2014. Aguardemos !

Em Mossoró a madrugada foi de chuva leve e agora o tempo continua nublada pode ocorrer chuvas a qualquer momento.

Atingido por uma estiagem severa nos últimos dois anos, o Nordeste pode voltar a ter chuvas abaixo da média em 2014. A previsão é do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com Mozart de Araújo Salvador, meteorologista do órgão, a temperatura do Atlântico Norte, cuja alta causou a diminuição das chuvas em 2012 e 2013, continua elevada, embora em patamar menor que o do ano passado. Segundo Salvador, caso a situação se mantenha, há chance de menos chuva do que tradicionalmente. No entanto, não é possível prever a intensidade de um eventual novo período de seca. “A possibilidade [de estiagem] não está afastada”, diz.

 

O meteorologista explica que em dezembro, quando o Inmet levantou os dados para seu prognóstico mais recente sobre o Nordeste, a temperatura do Atlântico Norte estava de 0,5°C a 1°C acima da média. “Espera-se que [a alta de temperatura] não se intensifique, ou o risco de prejuízos para as chuvas é grande”, explica. Salvador esclarece que, no ano passado, a temperatura do oceano chegava a 1,5°C acima da média. Para normalização das chuvas no Nordeste, o ideal é que ela recue nos próximos meses. Uma nova medição será feita na segunda quinzena de janeiro.

 

Para o primeiro trimestre deste ano, o prognóstico do Inmet vê 40% de possibilidade de chuvas dentro da média e 35% de probabilidade de ficarem abaixo da média para o semiárido do Ceará, do Piauí, da Paraíba, do Rio Grande do Norte e do norte da Bahia. Existe, ainda, 25% de chance de precipitações acima da média. (Agência Brasil)

Em Mossoró hoje a tarde ocorreu a primeira chuva do ano, animou muita gente. Espero que venha ocorrer muitas outras.

20
jan

Chuvas chegaram no RN…

Postado às 18:45 Hs

É destaque na Tribuna do Norte :

Tempo nublado, trovoadas e chuvas com intensidade acima de 100 milímetros foram registrados entre a tarde de sábado e a manhã deste domingo no Rio Grande do Norte, onde 80% dos municípios decretaram situação de emergência ou de calamidade em consequência da estiagem prolongada que provocou colapso no abastecimento de água de 32 cidades.

De acordo com informações postadas em blogs do interior, a maioria das chuvas se concentra no Seridó, região que está reduzindo a produção de um de seus produtos mais tradicionais – o queijo de manteiga e de coalho – por falta de leite. A maior chuva foi em Jardim de Piranhas: 140 milímetros, seguida pela verificada no Sitio São Roque, Ouro Branco, com 110 mm. No Sítio Emboca, também em Jardim de Piranhas, a chuva foi de 85 mm; em Timbaúba dos Batistas 65 mm; Sitio Tapera (Caicó) 60 mm; Sítio São Jerônimo (Caicó) 21 mm; Sitio Toco (Timbaúba dos Batistas) 20 mm.Também há relatos de chuvas na cidade e na área urbana de Jucurutu. No Distrito de Boi Selado choveu 24 milímetros.

Nesta segunda-feira, a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) divulgará um boletim com as chuvas do final de semana. A Emparn tem 196 pluviômetros espalhados por todas as regiões do Estado. Apesar da previsão dos chamados “profetas da chuva” de que 2013 será um ano bom de inverno para o Nordeste, o sistema de acompanhamento de chuvas do governo do RN mostra o contrário. Nos 18 dias de janeiro, quem apresenta o maior volume acumulado de chuvas é o município de Upanema, com 44 milímetros. Em anos de bons invernos, a chuvas começa na região serrana do Alto Oeste e depois vão subindo no sentido Oeste-Leste, atingindo o semiárido potiguar, até chegar ao Litoral por volta da segunda quinzena de maio.

As chuvas deste final de semana estão sendo provocados por fenômenos climáticos secundários e não pela Zona de Convergência Intertropical, sinônimo de garantia de chuvas abundantes quando o conglomerado de nuvens se descola do Hemisfério Norte em direção à Linha do Equador. O ponto máximo desse deslocamento geralmente acontece em março, daí a relação entre inverno e o Dia de São José.

A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é de tempo nublado com possibilidade de chuvas esparsas no Litoral e na região Oeste do Rio Grande do Norte neste domingo e durante toda a semana.

 

 

26
dez

Mais quente do que MOSSORÓ…

Postado às 21:01 Hs

 

O Sul e o Sudeste do país estão vivendo temperaturas muito além do normal… Mossoró tá no chinelo neste comparativo

A capital registrou hoje (26) a temperatura mais alta do ano: 43,2 graus Celsius em Santa Cruz, na zona oeste da cidade. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a sensação térmica era de 47 graus Celsius. No bairro da Saúde, zona portuária do Rio, a máxima chegou a 41,3 graus. O dia mais quente do ano tinha sido, até então, 19 de setembro, com registro de 41,6 graus na região da Marambaia, também na zona oeste.

Desde 1915, quando começaram as medições de temperatura, esta foi a temperatura mais alta da história. Segundo a meteorologista Michelle Lima, os dias quentes são característicos do verão, estação que começou na última sexta-feira (21). ‘Além disso, há um sistema de alta pressão atuando na Região Sudeste, impedindo a entrada de frente fria, que ameniza as altas temperaturas.’

No Rio, a sensação térmica, superior à temperatura real, levou muita gente a procurar abrigo em lojas de eletrodomésticos, agências bancárias e shopping centers, que funcionam com o ar condicionado ligado. ‘Eu nunca vi um calor como este no Rio. Para dormir esta noite foi muito difícil. O colchão estava quente e não corria um vento.

O calor está tão intenso nos dois últimos dias no Rio de Janeiro, que a água sai quente das torneiras de casas, prédios e condomínios. As praias, do Leme ao Recreio dos Bandeirantes, ficaram lotadas durante todo o dia. Era tanta gente que ficou difícil achar espaço na areia para armar as barracas.

Com a chegada do verão, os preços também subiram na orla. Um coco, que antes custava R$ 4 nos quiosques da orla, subiu para R$ 5. A latinha de cerveja e refrigerante está custando R$ 4 nas barracas na areia da praia. Os guarda-sóis estão sendo alugados por R$ 5 reais e as cadeiras de praia, por R$ 3. (Agência Brasil)

O Ministério da Integração Nacional estima que cerca de 8 milhões de pessoas sofrem com a falta de chuva na Região Nordeste, informa a Agência Brasil. Desde setembro de 2011, não chove regularmente na região e meteorologistas já consideram esta como a pior seca dos últimos 30 anos.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há possibilidade de chuva em algumas regiões do Nordeste, principalmente no litoral. Mesmo assim, as precipitações não serão suficientes para amenizar a situação. As temperaturas devem variar de 12 graus Celsius (ºC) a 37 ºC .

A Secretaria Nacional da Defesa Civil informou que 1.209 municípios já decretaram situação de emergência na Região Nordeste.

Balanço levantado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em 5 de julho aponta queda de 80% na produção de milho e feijão na região do semiárido.

No começo do ano, o governo federal anunciou um pacote de R$ 2,7 bilhões para enfrentamento à estiagem. Desse total, R$ 200 milhões é destinado ao pagamento do Bolsa Estiagem, programa voltado aos pequenos agricultores, e R$ 500 milhões para o Garantia-Safra. Foram recuperados ainda, 2.400 poços artesianos ao custo de R$ 60 milhões. Para a Operação Carro-Pipa, foram destinados R$164 milhões, o que beneficiou mais de 2 milhões de pessoas.

 

Aumentou para 1.134 o número de municípios do semiárido brasileiro onde foi declarada situação de emergência por causa da estiagem. Na comparação com balanço divulgado na primeira quinzena de junho, 121 localidades passaram a integrar a lista da Secretaria Nacional de Defesa Civil.

Este ano choveu pouco no interior do Nordeste em janeiro, fevereiro e março, meses em que seria normal haver precipitações no semiárido. “O interior não teve chuva na época tradicional e, agora, está ingressando no período de estiagem”, disse a meteorologista Márcia Seabra, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), um dos órgãos integrantes do Comitê de Combate à Seca no Semiárido, divulgou hoje um balanço da aplicação do recurso extraordinário de R$ 2,7 bilhões liberado em abril para enfrentamento da estiagem.

A maior parte do valor – R$ 799 milhões – está sendo destinada à construção de cisternas. Do início de 2011 até junho deste ano, 123 mil unidades foram entregues a famílias do semiárido. A intenção é que o número cresça para 290 mil até dezembro. Também foram contratados 3.360 carros-pipa por R$ 164,4 milhões.

Dos recursos restantes, R$ 500 milhões foram destinados ao Plano Garantia Safra, de auxílio a produtores que perderam suas plantações; e R$ 200 milhões ao Bolsa Estiagem, de ajuda à população que ganha até dois salários mínimos. Por fim, R$ 60 milhões devem ser aplicados na recuperação de poços até o fim deste ano. A divulgação dos valores foi realizada durante reunião plenária do Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea) para debater os impactos da seca em 2012.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, afirmou que as cisternas e carros-pipas são importantes porque viabilizam a convivência dos moradores do semiárido com a estiagem. “A gente não tem aquelas velhas cenas de êxodo rural, porque as pessoas estão conseguindo conviver com essa seca”, disse. (Agência Brasil)

01
fev

Cadê as chuvas ???

Postado às 16:22 Hs

A previsão climática apontada pelo Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INMET) para o trimestre de fevereiro a abril de 2012 deixa as famílias agricultoras e organizações de apoio em estado de alerta. De acordo com as estimativas, neste período as chuvas ficarão abaixo da média no norte do nordeste brasileiro.

Com os baixos índices de chuva o agricultores terão que se planejar para conviver com a escassez de água, que pode ser maior que a de 2011. A notícia foi dada no último dia 25, por meio da carta circular sobre a previsão de El niño/ La niña e a estação de chuva de 2012 para entidades e produtores no semiárido brasileiro.

Esta mudança deve-se à irregularidade das chuvas no Nordeste, causada pelos vários fatores que influenciam o clima. Quando existe La Niña, tem normalmente mais chuva no Nordeste, mas desta vez os efeitos de La Niña são anulados, porque as águas próximas à costa da América do Sul são anormalmente quentes, o que diminui as chuvas no Norte do Nordeste, explica o colaborador do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA), João Gnadlinger.

Para auxiliar as famílias agricultoras a conviverem com essa realidade, o Caatinga vai reforçar a lógica da convivência com o semiárido, e orientá-las a plantar cultivos mais resistentes à seca como o sorgo, palma e feijão e estocar os alimentos para nutrir a família e os animais no período de estiagem. Além disso, é importante estocar também plantas da caatinga e a água das chuvas que virão como também, cobrar dos órgãos competentes políticas públicas no sentido de apoiar os agricultores.

O Coordenador Geral do Caatinga, Paulo Pedro de Carvalho, lembra que isso é uma previsão, mas que a instituição vai fortalecer o apoio as famílias e unir-se a outras organizações da sociedade civil para conviver com essa possível realidade.

Embora as previsões de chuva tenham mudado segundo a CPTEC/INMET as temperaturas devem estar dentro da normalidade, no decorrer deste trimestre, na maior parte do Brasil. Em relatório publicado no final de 2011, estimava-se que havia a probabilidade de 40% das chuvas ocorrerem na categoria normal e 35% na categoria acima da faixa normal.

Fonte:Ascom / Caatinga

12
jan

Tragédia Carioca de novo!!

Postado às 18:23 Hs

Chegou, na tarde de hoje, a 114 o número de mortos por deslizamentos de terra só no município de Teresópolis (RJ). A Região Serrana do Rio já contabiliza 142 vítimas das chuvas. Petrópolis registra 18 mortos, de acordo com a prefeitura. Em Nova Friburgo há dez vítimas, segundo autoridades locais. A Prefeitura de Teresópolis decretou estado de calamidade pública e estima que o número de desabrigados já passa de mil pessoas. A área mais atingida é a periferia do município.

O prefeito de Teresópolis, Jorge Mário Sedlacek (PT), assinou o decreto de estado de calamidade pública no município em razão dos danos. A Marinha autorizou a liberação de dois helicópteros nas ações de resgate das vítimas das chuvas que atingem a região serrana. As aeronaves serão utilizadas para auxiliar o transporte de pessoal e equipamentos do Corpo de Bombeiros.

A situação no Rio de Janeiro pode se agravar. De acordo com a previsão do Instituo Nacional de Meteorologia (Inmet), há condições para chuva ainda hoje em várias regiões do Estado. Com informações da GloboNews.

abr 5
domingo
22 10
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
28 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5819671 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram