O setor elétrico vem recebendo apoio do Governo Federal durante pandemia do novo coronavírus. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou a liberação de R$ 250 milhões à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica. A medida garante às famílias de baixa renda desconto de 100% na conta de luz durante a pandemia.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o primeiro repasse, de R$ 400 milhões de reais, foi liberado em abril, e uma terceira parcela, de R$ 250 milhões será transferida em junho.

Na prática, esses recursos, no valor de R$ 900 milhões de reais, oriundos do Tesouro Nacional, são para cobrir os descontos relativos à tarifa de fornecimento de energia elétrica dos consumidores incluídos na Tarifa Social.

“A isenção vale entre 1º de abril e 30 de junho deste ano, beneficiando mais de nove milhões de famílias cadastradas no Programa Tarifa Social”, ressaltou o diretor-geral da Aneel. Segundo o Ministério de Minas e Energia, a medida, além de solucionar a perda de capacidade de pagamento dos consumidores de baixa renda, atende também as distribuidoras de energia elétrica, que passam pelo aumento da inadimplência e da redução do consumo de energia neste momento de pandemia.

Os senadores aprovaram, em sessão remota nesta quarta-feira (13), medida provisória que destina R$ 9 bilhões para estados e municípios investirem nas ações de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus. Os recursos serão originários do FRM (Fundo de Reserva Monetária), que é coordenado pelo Banco Central (BC), mas que não recebe recursos desde 1988. Em 2016, o TCU (Tribunal de Contas da União (TCU) considerou irregular o fundo, determinando que houvesse uma destinação dos recursos. A proposta foi aprovada por 75 votos favoráveis e nenhum contrário. A medida provisória perderia a validade no próximo dia 18, caso não fosse apreciada. A matéria vai à sanção do presidente da República, Jair Bolsonaro.
13
maio

Registros

Postado às 21:45 Hs

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (13) o mais recente balanço dos casos de  no Brasil.

Os principais dados são: 13.149 mortes, eram 12.400 na terça-feira (12); Foram mais 749 novos registros de mortes acrescentados em 24 horas;

188.974 casos confirmados, eram 177.589 na terça-feira (12); Foram 11.385 casos incluídos no balanço em 24 horas, o número é recorde; D️e acordo com o Ministério da Saúde, há 97.402 pacientes em acompanhamento (51,4% do total dos casos) e outros 78.424 recuperados (41,5%).

11
maio

Registros

Postado às 20:49 Hs

O Ministério da Saúde divulgou nesta segunda-feira (11) o mais recente balanço dos casos de novo coronavírus no Brasil.

Os principais dados são:

11.519 mortes, eram 11.123 no domingo (10); Foram 396 registros de mortes acrescentados em 24 horas; 168.331 casos confirmado, eram 162.699 no domingo (10); Foram 5.632 casos incluídos no balanço em 24 horas.

Enquanto segue com o gesto de descumprir orientações para manter o distanciamento social, o presidente Jair Bolsonaro passou a agir também para romper o isolamento político agravado pelo embate com governadores e com seu próprio ministro da Saúde sobre medidas de enfrentamento ao novo coronavírus. Após líderes partidários serem recebidos no Palácio do Planalto durante essa semana, Bolsonaro tentará uma reaproximação com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), durante uma visita, marcada para hoje, a um hospital de campanha no município goiano de Águas Lindas. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), com quem protagoniza uma guerra fria sobre a condução do enfrentamento à covid-19, também acompanhará a agenda. Mandetta ganhou o cargo no governo Bolsonaro justamente com o apoio de Caiado. Então aliado, o governador de Goiás, que é médico, rompeu com o presidente no mês passado, após o chefe do Executivo minimizar o coronavírus, chamada por ele de “gripezinha”, e incentivar a população retomar suas rotinas, contrariando medidas de isolamento adotadas pelos Estados.
O município de Mossoró deverá receber 170 novos leitos, para o combate ao novo coronavírus. O assunto foi tratado em reunião, por vídeoconferência, nesta segunda-feira, entre a governadora Fátima Bezerra (PT) e a prefeita Rosalba Ciarlini (PP). Os secretários de Saúde do estado, Cipriano Maia, e do município, Saudade Azevedo, também participaram do encontro. No Hospital Regional da Polícia Militar serão criados 25 novos leitos. O Hospital São Luiz está em negociação para a criação de 20 leitos de UTI e mais 20 enfermarias. Já no Hospital Rafael Fernandes serão 18 leitos, enquanto que no Hospital Maternidade Almeida Castro serão 10 UTIs e 40 Unidades de cuidados intermediários (UCI/enfermarias). No Hospital Regional Tarcísio Maia serão 20 novos leitos de UTI e 7 UCI, além de mais 10 leitos de estabilização nas UPAs.
30
mar

Registros

Postado às 17:57 Hs

Com 9 novos casos confirmados nesta segunda-feira (30) pela Secretaria Estadual de Saúde, o Rio Grande do Norte passa a ter 77 pessoas com o – Covid-19. De acordo com o boletim da Sesap, o estado tem 1494 casos suspeitos e 379 já foram descartados para a doença.
As cidades com casos confirmados são Natal (36), Mossoró (16), Parnamirim (10), Assú (1), Apodi (1), Caicó (2), Carnaubais (1), Luís Gomes (1), Macaíba (1), Monte Alegre (1), Passa e Fica (1), São Gonçalo do Amarante (2), São José de Mipibu (1), Tibau (1).

Segundo a pasta, há ainda dois casos confirmados de pessoas que moram nas cidades de Recife e Fortaleza, que foram atendidas no RN. A primeira morte por Covid-19 no estado aconteceu na noite de sábado (28): trata-se de um professor de química, de 61 anos. Até este domingo (29), 68 pacientes tinham testado positivo para a doença.

O reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz, envia carta aberta à comunidade universitária sobre as ações de combate ao novo coronavírus (Covid-19). Confira o texto:

Natal, 22 de março de 2020.

Vivemos um momento particularmente difícil, com a chegada do (Covid-19), que tem afetado a todos nós e a cada família brasileira, numa ocorrência que – por seu caráter de pandemia – verifica-se hoje em todos os lugares do mundo.

Na UFRN, bem no início da crise, criamos o Comitê Covid-19, formado por especialistas nesta área de conhecimento para nos assessorar nas decisões tomadas pela instituição. Atendendo sua recomendação, suspendemos por tempo indeterminado, as aulas, os eventos e, em seguida, todas as atividades presenciais não essenciais. Sabemos o quanto isso afeta as vidas de todos nós. Mas essa foi uma medida necessária para diminuir o convívio social enquanto durar o risco de transmissão do vírus.

A UFRN segue cumprindo sua missão institucional de compromisso com a sociedade, atuando em várias frentes para apoiar o enfrentamento dessa crise. Os nossos três hospitais universitários são parte do esforço conjunto em todo o estado, no combate ao novo coronavírus. O Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas está realizando exames de arboviroses para reduzir a demanda do Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte. Outro esforço, coordenado pelo Instituto de Medicina Tropical (IMT-UFRN), consiste na busca de aquisição de insumos necessários para iniciar testes do Covid-19. Além disso, uma linha de teleatendimento está sendo avaliada para implementação pelo IMT para informar e tirar dúvidas da população.

Estamos também buscando alternativas para a produção de álcool no Núcleo de Pesquisa em Alimentos e Medicamentos (Nuplam-UFRN) e no Departamento de Farmácia. Várias outras medidas podem ser tomadas, a exemplo da iniciativa do Departamento de Nutrição e do Programa de Pós-Graduação em Nutrição, que elaboraram uma cartilha nutricional de orientações de enfrentamento ao coronavírus. Ações como essas são muito importantes e exemplificam como a nossa diversidade de áreas de conhecimento permite contribuir de diferentes maneiras.

Não é possível ainda saber quando nossas atividades poderão ser retomadas. Por oportuno lembramos que ficar em casa e evitar contato físico com as pessoas é também uma maneira de ajudar e conter a disseminação do vírus. Portanto, pedimos a manutenção do diálogo pelos diversos canais de comunicação, em especial por meio dos nossos sistemas.

Por fim, queremos registrar os nossos sinceros agradecimentos aos servidores dedicados dos nossos hospitais, que estão e continuarão à frente deste enorme esforço de atendimento à população, bem como a todos os outros que mantêm as atividades essenciais.

Reiteramos a necessidade de ressaltar que o momento exige ainda mais solidariedade de cada um de nós. Estamos confiantes de que superaremos unidos este momento e que dele haveremos de sair mais fortes.

Agradecemos a compreensão de cada um e reforçamos que a UFRN continuará à disposição do nosso estado e do nosso país.

José Daniel Diniz Melo
Reitor

INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) confirmou as datas da antecipação das duas parcelas do 13º salário, que serão depositadas nas competências de abril e maio como parte de um conjunto de medidas adotadas pelo governo para tentar amenizar a crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus.

O pagamento da primeira parcela ocorrerá entre os dias 24 de abril e 8 de maio de 2020. A segunda parte da gratificação será entre 25 de maio e 5 de junho. A distribuição dos beneficiários entre as datas de pagamento seguirá a mesma ordem dos depósitos mensais de aposentadorias, pensões e auxílios.

Segurados que ganham salário mínimo começam a receber primeiro, já na última semana do mês de cada competência, ou seja, em abril e maio. Para segurados que ganham acima do piso, os depósitos da primeira e da segunda parcelas do abono ocorrerão, respectivamente, a partir dos dias 4 de maio e 1º de junho.

As parcelas cairão nas contas dos segurados, portanto, nas mesmas datas em que eles receberão os benefícios relativos às competências de abril e maio.

Reunidos nesta segunda-feira, os três bispos do Rio Grande do Norte definiram uma série de orientações aos católicos de todo o estado. As medidas têm o objetivo de prevenir e combater a disseminação do novo coronavírus.

Dentre elas, a suspensão das procissões no RN e a orientação aos idosos e demais grupos de risco a assistirem as missas em casa até que seja superada a pandemia. Nas capelas, paróquias e demais locais, as missas serão realizadas, mas com algumas restrições, como mostra a imagem abaixo.

O documento, contendo as orientações, é assinado pelos três bispos potiguares: Dom Mariano Manzana (Mossoró), Dom Antônio Carlos (Caicó) e Dom Jaime Vieira Rocha (arcebispo de Natal).

Confira : 

 

Fonte: Saulo Valle

 

maio 28
quinta-feira
23 58
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
65 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5824411 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram