29
jun

Encontro

Postado às 10:45 Hs

Acontece nesta sexta-feira (29), na presidência do PSDB que fica no bairro Tirol, a reunião da Executiva Estadual da sigla, como foi antecipadamente divulgada. No encontro será confirmado o nome do ex-senador Geraldo Melo para concorrer a uma das vagas ao Senado Federal. Todos os pré-candidatos do PSDB, deputados, prefeitos e lideranças que integram a legenda participaram das discussões e apoiaram as diretrizes partidárias, deixando o encaminhamento das decisões para a Executiva Estadual. A chapa proporcional do PSDB para a Assembleia Legislativa é a mais forte até agora apresentada por todos os partidos. Candidatos à reeleição, Raimundo Fernandes e Gustavo Fernandes, com atuação na região do Alto Oeste. Já Tomba Farias sai de Santa Cruz e do Trairi com grande votação. Duas mulheres vão integrar a nominata: as deputadas Márcia Maia e Larissa Rosado, que são atuantes na Assembleia Legislativa. O decano José Dias, aumentou suas bases no Estado. Gustavo Carvalho tem bases sólidas no Potengi, Alto Oeste e Médio. O médico Tiago Almeida, que tem bases no Seridó será candidato pela primeira vez. Já Ezequiel Ferreira, que preside a Assembleia Legislativa é votado na Grande Natal, Seridó, Agreste, Mato Grande, nas regiões Central e Salineira, além de apoios novos em Mossoró.
Aconteceu na manhã desta segunda-feira (25) uma reunião com todos os pré-candidatos do PSDB, na Presidência do Partido, que fica no bairro Tirol. A pauta do encontro discutiu as nominatas que o PSDB lançará para a chapa proporcional de estadual e federal, além do nome de Geraldo Melo, como postulante ao Senado. Ficou agendada para o início de agosto a Convenção Estadual do PSDB, que homologará todos os candidatos e as coligações. “Estamos ouvindo todos os deputados, pré-candidatos, prefeitos e lideranças que fazem do PSDB um partido forte e respeitado em todo Estado. Estamos sendo democráticos e todos juntos pensando no fortalecimento da legenda. Até a sexta-feira, vamos convocar a Executiva Estadual para encaminhamos a posição do partido a Convenção Estadual”, afirma o deputado Ezequiel Ferreira de Souza, presidente Estadual do PSDB Potiguar. Também foi discutida a visita do pré-candidato à presidência da República, Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo, que cumprirá agenda no Rio Grande do Norte no próximo mês de julho.
17
jun

* * * Quentinhas … * * *

Postado às 18:30 Hs

* * * Em todas as rodas políticas do Estado já se comenta a aproximação do PSDB com o PSD para as eleições do próximo ano no Rio Grande do Norte. Também o PR. Aguardemos…Eleições com fortes emoções pós Copa do Mundo.  Diante de números e avaliações internas, o PSDB convocou uma reunião para segunda-feira.Debate marcado para às 9 da manhã. * * *

* * * Pré-candidata ao Governo,senadora Fátima Bezerra (PT) não deverá, em nenhuma hipótese, fechar uma chapa puro-sangue, com o nome do diretor do Sebrae, João Hélio, como vice. João Hélio é do PT e se afasta do Sebrae para cuidar do plano de Governo da pré-candidata.Não para ser vice.O vice deverá sair dos partidos aliados como o PCdoB, PHS, possivelmente PSB…ou quem sabe, PPL.O nome da deputada Cristiane Dantas (PPL) já foi ventilado, mas ainda não seria o perfil que o PT tenta emplacar no palanque principal. * * *

* * * Flávio Rocha tenta costurar alianças em torno de sua candidatura ao Planalto. Nesta semana, o pré-candidato do PRB deve se encontrar com ACM Neto, presidente do DEM, para buscar apoio ao seu nome, registra a Folha. Com 1% das intenções de voto, Rocha “apresenta como trunfo pesquisa qualitativa que contratou e que aponta seu perfil como o ideal: de fora da política, com experiência de gestão”. * * *

* * * Não é impossível a prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini(PP) indicar o candidato a vice-governador do pré-candidato a governador Robinson Faria(PSD).  E haja especulação. É só aguardar…* * *

 

O presidente do PSDB estadual, o deputado Ezequiel Ferreira de Souza recebeu na manhã desta sexta-feira (11), na Presidência do partido, que fica no bairro Tirol, a prefeita de Mossoró, Rosalba Ciarlini (PP) e o ex-deputado Carlos Augusto Rosado. Os deputados Larissa Rosado e Gustavo Carvalho também acompanharam a conversa demorada com os líderes do PP estadual.

Rosalba e Carlos Augusto Rosado já demonstraram que não tem interesse em integrar um projeto político que esteja o senador José Agripino Maia (DEM), que em 2014 barrou à reeleição da então governadora. O PSDB tem hoje o nome do ex-senador Geraldo Melo, que vem crescendo nas pesquisas e até surpreendendo em cenários para o Governo.

Como o PSDB tem nominata forte e o PP também, os partidos agregariam… Ezequiel recebeu o PP na companhia dos deputados tucanos Gustavo Carvalho e Larissa Rosado, ela já aliada da Rosa em Mossoró. Os principais nomes do PP na proporcional são o deputado federal Beto Rosado, que busca reeleição, e o pré-candidato a estadual, Kadu Ciarlini, filho de Rosalba e Carlos Augusto.

E aguarde os próximos capítulos…Eleições 2018

Fontes: Thaisa Galvão e Robson Pires

Vem aí o 1º Encontro Estadual dos Vereadores do Partido da Social Democracia Brasileira que acontece segunda-feira (7), no Auditório Deputado Cortez Pereira, das 8h às 12h. O presidente do PSDB, deputado Ezequiel Ferreira de Souza, também presidente da Assembleia Legislativa disse que diante das opiniões deste agente político que está mais próximo do cidadão nas cidades pretende oxigenar o partido com novas ideias e anseios das comunidades para as eleições deste ano.

“É na figura do vereador que as cobranças chegam primeiro. O PSDB trilha este caminho de ouvir e prestigiar este porta-voz da comunidade. Como deputado e como presidente do Poder Legislativo Estadual busco sempre contribuir com o trabalho do vereador e com os legislativos municipais”, disse Ezequiel Ferreira, ao citar o Ciclo de Debate Legislativo nas regiões do Estado em parceria com União dos Vereadores do Rio Grande do Norte (UVERN), e da Federação das Câmaras Municipais do Rio Grande do Norte (FECAM/RN).

Ezequiel Ferreira durante o encontro pretende pontuar as iniciativas de parceria da atual gestão da Assembleia para proporcionar melhorias aos Legislativos municipais. “Convênios entre a Assembleia Legislativa e Câmaras Municipais possibilitam o repasse de conhecimento tecnológico para efetivar melhorias nos portais de transparência, programas para gestão da folhas de pessoal e para a produção de Boletim Eletrônico”, explicou.

Com o PSDB indeciso, é possível identificar as simpatias dos tucanos pelos pré-candidatos ao governo. O único que mantém a neutralidade é o presidente, Ezequiel Ferreira.

O deputado federal Rogério Marinho, assim como os deputados estaduais Gustavo Fernandes, Tomba Farias, Larissa Rosado e Raimundo Fernandes são mais simpáticos ao vice-governador Fábio Dantas (PSB).

Os deputados estaduais José Dias e Gustavo Carvalho são do time do governador Robinson Faria (PSD). Nenhum tucanos ainda demonstrou afinidade com o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo (PDT).

Via Robson Pires

A PF (Polícia Federal) prendeu na manhã desta sexta-feira (6) Paulo Vieira de Souza, conhecido como “Paulo Preto”. A ordem é da 5° Vara Federal de São Paulo após um pedido da força-tarefa da Lava Jato. Paulo Preto foi detido em casa no bairro de alto padrão Vila Nova Conceição, em São Paulo. No final do mês de março, a Lava Jato ofereceu denúncia contra Paulo Preto, José Geraldo Casas Vilela e outras três pessoas por terem desviado recursos, em espécie e em imóveis, entre os anos de 2009 e 2011, no total de R$ 7,7 milhões, destinados ao reassentamento de pessoas desalojadas pela Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A) para a realização das obras do trecho sul do Rodoanel, o prolongamento da avenida Jacu Pêssego e a nova Marginal Tietê, na região metropolitana de São Paulo.

A filiação do deputado Tomba Farias ao PSDB completa uma conta nunca antes vista nos 181 anos da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte: de um partido com uma bancada de 7 deputados.

Além do presidente da Casa, Ezequiel Ferreira de Souza, que preside o partido e vem articulando com os colegas a formação de um bloco forte, compõem a bancada o vice-presidente Gustavo Carvalho, as deputadas Márcia Maia e Larissa Rosado, e os deputados José Dias, Raimundo Fernandes e agora Tomba.

Com 7 deputados estaduais, um federal (Rogério Marinho) e um pré-candidato a senador já anunciado – o ex-governador Geraldo Melo – o PSDB é o sonho de consumo dos pré-candidatos a governador.

Presenças que chamaram atenção na sede do PSDB, na filiação do deputado Tomba Farias: dos dois Fábios. O Faria (PSD), deputado federal filho do governador Robinson Faria (PSD)…

E o Dantas (PSB), vice-governador e pré-candidato a governador. Os dois agradando o PSDB.

Então… Até as convenções – a dos tucanos será em agosto – e acompanhando o passo das pesquisas eleitorais, o PSDB vai conversar, tanto com partidos quanto entre si.

Tem bala para aguardar e não tomar decisão intempestiva. Além dos deputados citados, o partido tem 33 prefeitos e vice-prefeitos e 107 vereadores pelo estado afora.

Fonte: Thaisa Galvão

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), promoveu nesta segunda-feira (2), uma série de filiações, em reunião extraordinária, no Hotel Arituba, na Av. Hermes da Fonseca, Tirol. De reunião passou a um grande reencontro de lideranças políticas, com destaque para a chegada de Geraldo Melo para colocar o nome do ex-senador e ex-governador na disputa político-partidária deste ano, numa composição majoritária dentro da coligação partidária em que o PSDB poderá fazer parte. Representantes de todas as regiões do Estado marcaram presença e de outras agremiações políticas, também, como Fábio Dantas e Ricardo Motta do PSB. Ezequiel Ferreira de Souza, presidente Estadual do PSDB e presidente da Assembleia Legislativa do RN enalteceu o retorno de Geraldo Melo as fileiras do PSDB. “Trata-se de um reencontro com o ex-senador e ex-governador, Geraldo Melo, que retorna ao seu ninho que o ninho dos tucanos. É um momento de alegria, de crescimento e fortalecimento do partido. Somos a maior bancada da Assembleia, temos excelentes nomes para compor a chapa majoritária e o PSDB é o partido que mais cresce deste a última eleição”, disse.
31
mar

Ninho Tucano

Postado às 11:51 Hs

A deputada estadual Larissa Rosado, que está a caminho do PSDB, teve quase 25 mil votos em Mossoró na última eleição. O eleitorado de Larissa é tradicionalmente oposição à prefeita Rosalba Ciarlini (PP). Larissa poderá ser “obrigada” a romper com a prefeita por uma questão de sobrevivência política.

Não é só a deputada estadual Larissa Rosado que está de malas prontas para o PSDB. A vereadora mossoroense Sandra Rosado (PSB) e seu filho, Lairinho Rosado (PSB), também vão para o ninho tucano.

Via Saulo Vale

A executiva estadual do PSDB aguarda a saída definitiva do empresário Tião Couto do tucanato, para definir os rumos da sigla em Mossoró, segundo maior colégio eleitoral.

Tião já pediu à executiva desfiliação, mas ouviu de lá que a sua filiação a outro partido garante a saída automática do PSDB. Atualmente, o PSDB de Mossoró está sob a presidência de Diego Couto, filho de Tião. O provável destino do empresário mossoroense é o PR, onde está abrigado Jorge do Rosário, numa articulação de uma provável dobradinha Tião a deputado federal e Jorge a deputado estadual.

Enquanto aguarda a saída definitiva de Tião do ninho tucano, a executiva estadual planeja e traças mudanças, em bastidores que andam cada vez mais às alturas.

Aguardemos…novos capítulos.

Felizmente para os brasileiros, o PT e o PSDB acabaram. Podem até ganhar eleições porque isso não depende no Brasil de projetos, programas nem de idoneidade dos políticos. Mas são partidos que não existem mais, não têm mais qualquer ligação com o que os constituiu. Podem até mesmo ganhar as eleições de 2018, mas não creio que possam ser refundados. Creio que não devemos lamentar esse fim. Seria pior se estivessem vivos e fortes. O campo democrático vai ter de inventar outra coisa. Tem a oportunidade e o desafio de inventar outra coisa melhor. Talvez nem tenha de ser outro partido.

Um pedaço do tucanato voltou a analisar a hipótese de acordar em outra legenda até o mês de março. A revoada já tem até um destino provável: o Livres, partido que virá à luz por meio de um rebatismo do nanico PSL. Dois fatores estimulam a banda insatisfeira do PSDB a olhar para a porta de saída:

1. Ao assumir a presidência do partido, há uma semana, Geraldo Alckmin não expressou interesse por uma pauta de renovação da legenda. Passou batido pela ideia de autocrítica esboçada pelo senador Tasso Jeressati antes de ser destituído por Aécio Neves da presidência interinada da legenda. Ao discursar, Alckmin absteve-se até mesmo de citar o vocábulo “corrupção”. E ainda afagou o governo de Michel Temer.

2. Os tucanos que flertam com a dissidência farejaram no subsolo da legenda um acordo tácito entre Alckmin e o grupo de Aécio. Prevê que, ao mergulhar na campanha presidencial, Alckmin entregaria o dia a dia do partido para o governador de Goiás, Marconi Perillo. Alçado na convenção tucana ao posto de vice-presidente do PSDB, Marconi é visto como uma espécie de longa manus (mão estendida) de Aécio no comando partidário.

Suprema ironia: nascido de uma costela do PMDB, o PSDB chega às portas de 2018, ano em que fará aniversário de 30 anos, tendo que tourear sua própria dissidência. Por ora, o grupo é estimado em algo como dez parlamentares —o que equivale a 21,7% da bancada de 46 deputados federais do PSDB.

Em privado, até um tucano de alta plumagem como Tasso Jereissati declara-se de saco cheio do PSDB. Há coisa de duas semanas, Tasso disse a pelo menos um correligionário que não exclui a hipótese de bater em retirada. O interlocutor não levou Tasso a sério. Não acredita que o senador esteja de saída para outra legenda. Mas o simples desabafo de Tasso dá ideia do ponto a que chegou a deterioração do ninho.

Andreza Matais – Coluna do Estadão

A comissão executiva nacional do PSDB decidiu obrigar os deputados a votarem a favor da reforma da Previdência. A reunião foi conduzida pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que assumiu a presidência do partido no sábado. Quem votar contra, contudo, não será punido.

O PSDB é o quinto partido a determinar a votação em bloco atrás do PMDB, PTB, PPS e PP. A decisão dos tucanos, por unanimidade, pode ajudar o PSDB a conquistar apoio dos partidos da base de Temer, incluindo o PMDB, à candidatura de Geraldo Alckmin ao Planalto.

Em recente entrevista, o ministro Henrique Meirelles disse que Alckmin não poderia ser o candidato do Centro se o PSDB não apoiasse a reforma do INSS.

12
dez

Paz ? Tucanos continuam se engalfinhando

Postado às 12:34 Hs

Por Mônica Bergamo / Folha de S.Paulo

O ex-governador Alberto Goldman (PSDB-SP) diz que o prefeito de SP, João Doria, “é um mentiroso” ao afirmar que recebeu dele um pedido de desculpas por ter criticado a administração. E diz que o prefeito jamais se desculpou por chamá-lo de fracassado. “Nunca conversamos sobre isso.”

Em entrevista à Folha, no sábado (9), Doria afirmou que Goldman “já pediu desculpas a mim e eu já falei com ele”, também para se desculpar.

“Eu nem tinha por que me desculpar. Não ofendi ninguém. E, se ele tivesse me procurado, eu não teria nem conversado”, diz Goldman. “Ele me faz uma ofensa desse nível, dizendo que minha história inteira não valeu nada. Vai se desculpar de quê?”. Goldman afirma que na época reconheceu que errou ao dizer que todas as licitações da prefeitura eram dirigidas. “Ofendi outras pessoas e com elas que me desculpei”, afirma.

Goldman segue fazendo críticas duras. Em outubro, afirmou num vídeo que, em nove meses de administração Doria, nascera um candidato a presidente. Mas um prefeito, ainda não. “Agora, o candidato a presidente morreu. E nasceu um candidato a governador [o prefeito estaria pleiteando concorrer ao cargo].”

Doria não quis comentar as novas declarações. “Não vou entrar em polêmicas. Respeito a unidade do PSDB. E vou ajudar a preservá-la”, afirma ele.

Via  O Tempo

O Planalto atua nos bastidores para evitar que a convenção do PSDB, marcada para o dia 9 deste mês, seja transformada em palco de ataques ao presidente Michel Temer. Na tentativa de revestir como uma separação amigável o desembarque anunciado pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o Planalto espera que dois dos três ministros do PSDB deixem os cargos nos próximos dias, antes do encontro tucano.

A ideia é amenizar o impacto político da convenção, que, dessa forma, não seria um marco do divórcio litigioso. Além disso, os governistas do PSDB lideram um movimento para que o partido feche questão sobre o apoio à reforma da Previdência, obrigando seus deputados a votar a favor da proposta.

NA COTA DE TEMER – Dos três ministros do PSDB, apenas o titular das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, permanecerá no governo, na “cota pessoal” de Temer. O chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, deve ser substituído pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS), e Luislinda Valois, dos Direitos Humanos, também vai entregar o cargo.

A “ala Jaburu” do PSDB, que frequenta a residência oficial de Temer, articula uma estratégia para que a convenção se concentre apenas na eleição de Alckmin como presidente do partido. “Colocar esse tema de rompimento agora na pauta é amesquinhar o PSDB”, disse Aloysio Nunes.

Temer está negociando com Alckmin o roteiro da “saída negociada” do PSDB. Na prática, os governistas tucanos fazem de tudo para que o partido não queime pontes com o Planalto e avaliam que Alckmin, pré-candidato à Presidência, só se viabilizará se tiver o apoio e o tempo de TV do PMDB na campanha.

CENTRO-DIREITA – Temer está à procura de um concorrente para defender seu legado em 2018 e quer reunir os aliados em uma frente de centro-direita.

Para o presidente interino do PSDB, Alberto Goldman, não há razão para que o partido aprove o desembarque oficial no dia 9: “Não coloquei na pauta da convenção esse debate”. A expectativa, porém, é que Alckmin use o encontro para reafirmar sua posição pelo fim do casamento com o PMDB.

02
dez

A aposta dos tucanões

Postado às 20:17 Hs

1 – Mestre | Fernando Henrique Cardoso – Comanda o show, mas suas palavras às vezes saem truncadas 2 – Feliz | Aloysio Nunes – Vê o lado positivo de tudo, inclusive ficar no governo Temer 3 – Dengoso | João DOria – Topa qualquer parada que o tire da prefeitura de São Paulo 4 – Dunga | José Serra – Tem duas obsessões: vagar pela noite e ser presidente 5 – Atchim | Aécio Neves – Com seus espirros, espalha calamidade à sua volta 6 – Soneca | Geraldo Alckmin – Vive fazendo cara de sono, mas está mais acordado do que nunca 7 – Zangado | Tasso Jereissati – Vive furioso com os colegas que se comportam mal: quase todos (Ilustrações Cazo//)

Depois de meses de guerra fratricida, PSDB entra em acordo sobre candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência da República. Falta saber se ela vai decolar.

Os tucanos finalmente avançaram algumas casas no tabuleiro. Na semana passada, a briga pela presidência do PSDB chegou ao fim. O governador Geraldo Alckmin será o chefe do partido e com isso se encerra a luta fratricida que se desenrolava havia quatro meses entre as alas dos senadores Tasso Jereissati e Aécio Neves. Com o acordo, uma segunda e mais importante disputa — essa pelo posto de candidato da sigla à Presidência da República — também fica praticamente liquidada.

Na condição de comandante e “pacificador” do partido (além, claro, de deter a chave do cofre da legenda), Alckmin passa a ser “o” nome do PSDB para as eleições presidenciais de 2018. Já havia contribuído para essa definição a desidratação do prefeito João Doria, que agora se dará por satisfeito se conseguir a indicação para a vaga de candidato do partido ao governo de São Paulo.

Por último, mas não menos importante, a terceira boa notícia da semana para os tucanos foi o anúncio feito por Luciano Huck. O apresentador da Globo garantiu que não mais será o que nunca chegou a ser de fato: candidato ao Palácio do Planalto e, nessa condição, ocupante da mesma raia de centro em que os tucanos pretendem bater suas asas no ano que vem. Bons para o conjunto do partido, os três eventos, vistos de outra forma, apontam para uma vitória individual — a de Geraldo Alckmin.

VEJA – Ana Clara Costa

30
nov

Fique Sabendo…

Postado às 18:35 Hs

# Amianto

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira, 29, proibir uso do amianto do tipo crisotila, material usado na fabricação de telhas e caixas d’água. A decisão dos ministros foi tomada para resolver problemas que surgiram após a decisão da Corte que declarou a inconstitucionalidade de um artigo da Lei Federal 9.055/1995, que permitiu o uso controlado do material.

# Calote

No Brasil, ninguém ganha isenção de impostos ao contratar um plano de saúde. Mesmo assim, os planos (e, indiretamente, os usuários) precisam pagar quando enviam algum paciente para o Sistema Único de Saúde. Por outro lado, é justo que a saúde pública custeie um serviço pelo qual as operadoras já estão cobrando? É essa questão que deve ser decidida pelos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). A corte pode perdoar hoje um “calote” de R$ 5,6 bilhões das operadoras de planos de saúde no SUS. O STF dirá se é constitucional ou não que o sistema público cobre dos planos toda vez que atende um paciente encaminhado pela rede privada.

# Créditos

Foram sancionadas e publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira (30) quatro leis que concedem um total de mais de R$ 7,5 bilhões a diversos órgãos do governo. Todos os recursos liberados serão remanejados de outros setores do Orçamento da União. Foi vetada a verba de R$ 300 mil ao Ministério da Saúde. Só a Lei 13.528/2017 (originada do PLN 33/2017) é responsável por abrir crédito de quase R$ 7 bilhões, em favor da Presidência da República e de diversos ministérios. O crédito permitirá, na Presidência da República, a continuidade das ações publicitárias relacionadas à reforma da Previdência Social, do Brasil Eficiente, entre outras.

# Tucanos

Depois de ser rebatido pelo ministro tucano Aloysio Nunes, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que Aloysio pode continuar na Esplanada, como cota pessoal do presidente Michel Temer. Nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores negou que o PSDB tenha saído do governo, ao contrário do que havia dito Padilha na véspera. — O ministro Aloysio pode vir a ser um ministro da cota pessoal do presidente — declarou Padilha após a divergência pública do chanceler tucano. ]Até então, Padilha não citava nomes quando questionado sobre que ministros tucanos seguiriam no governo. Há três: Aloysio, no Itamaraty, Antonio Imbassahy, na Secretaria de Governo, e Luislinda Valois, nos Direitos Humanos.

jul 21
sábado
23 52
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
30 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5726333 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram