13
jun

§ § Espaço Web § “Perfeição …”

Postado às 21:00 Hs

Se as coisas fossem perfeitas
Não existiria lições de vida
Não haveriam arrependimentos
E nem descobertas…

Se tudo fosse perfeito
Mãos não se uniriam
E sonhos não seriam valorizados.
Se tudo fosse perfeito
Olhares não se completariam
E gestos passavam despercebidos.
Se tudo fosse perfeito
As lágrimas não existiriam
As palavras seriam perfeitas.
Se tudo fosse perfeito
Eu pularia no abismo
Sem medo da morte
Pois asas eu ganharia…

Se tudo fosse perfeito
Eu atravessaria o oceano
Sem medo de ser levado pelas ondas
Sem receios de me perder em suas profundezas.
Se tudo fosse perfeito
Dores não existiriam
E a cura não seria procurada…
Se tudo fosse perfeito
Não haveria a busca pela perfeição…
Nada é por acaso
Pois nem o destino
É Perfeito.

“Na vida nada acontece por acaso. O que você faz hoje, pode fazer a diferença em sua vida amanhã.

Autor Desconhecido

A morte nada mais é do que uma passagem. A passagem de um mundo que conhecemos bem, para outro totalmente desconhecido.

E, por isso, amedronta e traz dor…

Essa era a sensação de dois fetos gêmeos dentro do útero da mãe, que percebiam que chegava a hora de nascer.Um perguntou ao outro:

– E aí, você acredita na vida após o parto? E o irmão respondeu: – Não, ninguém voltou para contar.
Nascer, para eles, seria passar de um mundo conhecido para o desconhecido… Aquele mundo imenso fora dos limites do útero materno.

Quantas vezes nós também olhamos para a nossa vida com a mesma limitação? Pois igual aos fetos, cremos que o mundo se reduz ao que conhecemos ao que nos parece familiar, ao que podemos perceber com os nossos sentidos.
Os dois gêmeos estavam familiarizados com o calor da bolsa, as batidas do coração da mãe e o alimento que chegava fácil por um tubo… Assustados, conversavam sobre aquele momento traumático.

Como seria o mundo lá fora? Escuro? Frio? Ameaçador? Estavam prestes a ser expelidos daquela penumbra repousante para um mundo de luz, cores, cheiros e ruídos…
Eles sentiam medo de sair dali…
As contrações começaram, o mundo em torno se fechava e eles estavam sendo forçados de lá para fora.

Ao nascer, a força dos pulmões se enchendo de ar pela primeira vez causou um impacto tão violento que até a memória da vida intra-uterina se extinguiu…

E o que eles tinham á frente era nada mais do que a vida… A vida num mundo, até então desconhecido, onde eles iriam crescer, se formar, ter descendentes, envelhecer e novamente se preparar para uma nova passagem…
Por isso, os monges beneditinos jamais falam de morte, mas de passagem.
Passamos por esta vida, como um grande presente de amor que Deus nos deu…

Nosso nascimento,  o nascimento desses fetos , certamente trará muita felicidade e amor aos seus pais e, vendo assim, como uma passagem, podemos imaginar que o que nos espera, na outra etapa, na outra passagem… É algo muito melhor.

Nada mais natural que a morte! E, tenho certeza, que um dia todos nos encontraremos porque a vida é um mistério maravilhoso!
Lembre-se… A morte não existe… Ela é apenas uma passagem.
Pense Nisso e Seja feliz.

07
jun

§ § Espaço Web § ” O Trem da Vida “

Postado às 20:30 Hs

O Trem da Vida

 

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina na mão. À medida que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando. Porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho. Porque pensa que não é importante.

A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas. Pesa demais. Então, você pode escolher: ficar sentado à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é difícil, pois todos os que passarem por ali já terão sua própria bagagem, ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala. Mas o que tirar?

Você começa tirando tudo para fora, e vendo o que tem dentro. Amizade, nossa! Tem bastante, e curioso, não pesa nada. Mas, tem algo pesado, você faz força para tirar. É a raiva, e como ela pesa! Aí você começa a tirar, tirar, e aparecem a incompreensão, o medo, o pessimismo…

Nesse momento o desânimo quase leva você para dentro da mala. Mas, você o puxa para fora com toda a força, e aparece um sorriso, que estava sufocado no fundo de sua bagagem. Pula para fora outro sorriso e mais outro e aí, sai a felicidade.

Você coloca as mãos dentro da mala de novo e tira para fora a tristeza. Agora você vai ter que procurar a paciência dentro da mala, pois você vai precisar bastante. Procure então o resto: força, esperança, coragem, entusiasmo, equilíbrio, responsabilidade, tolerância, bom humor…

Tire a preocupação também, e a deixe de lado. Depois você pensa o que fazer com ela? Bem, sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo! Mas, pensa: o que vou colocar lá dentro? Agora é com você, e não se esqueça de fazer isso mais vezes, pois o caminho é muito, muito longo!

02
jun

§§ Espaço Web § Olho Mágico

Postado às 21:44 Hs

Todo ser humano quando nasce, recebe da Divindade um potencial maravilhoso a ser desenvolvido. Uns criam uma vantagem competitiva pela liberdade de expressão e tornam-se vanguardistas, revolucionários, seres criativos e inovadores. Outros apenas assimilam idéias. São cúmplices estáticos de um sistema que não evolui, apenas absorve. Um sistema que não multiplica, apenas ” vive “.

 Nesta Nova Era Humanitária, de mudanças (alguns falam da crise), construímos uma nova sociedade, com sonhos diferentes, com poderes diferentes, com uma força de trabalho especializada e com absoluta certeza, com novos pensamentos: – Mas quem vai se destacar neste novo cenário? Quem tiver fé e ousadia. Quando falamos em fé, não abordamos as religiões ou crenças. Falamos da fé em acreditar em si mesmo. De ser capaz de alcançar metas e objetivos, de superar medos, conflitos e dúvidas, transformando crenças limitadoras em crenças com infindáveis possibilidades de realização.

 Quando incorporamos em ousadia no nosso dia-a-dia, trabalhamos todo o nosso Poder Mental e Pessoal, descobrindo novas fontes de excelência, expandindo a consciência e fortalecemos a energia criadora. Ousadia é ouvir a voz do coração, é seguir pelos caminhos da intuição, é construir cenários positivistas, é seguir em frente mesmo com críticas e pessoas insensíveis ao seu lado. É jamais aceitar o medo como conselheiro ou amigo fiel.

 Para finalizar um pensamento de um autor desconhecido: É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão.

 O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem souber ver. É tempo de ousar e de fazer diferente, buscar novos, buscar novas idéias e novos caminhos, já que a evolução é uma condição natural que marca o caminho das pessoas. O futuro lhe espera de braços abertos para vivermos uma nova realidade. Comece hoje mesmo dando o primeiro passo nesta direção.

 APOSTE EM VOCÊ !

01
jun

§ § Espaço Web § : Esmolas

Postado às 20:23 Hs

 

 

Havia um cego que pedia esmola em uma movimentada praça de uma grande cidade. Todos os dias passava por ele, de manhã e à noite, um publicitário que deixava sempre alguns centavos no chapéu do pedinte. O cego trazia pendurado no pescoço um cartaz com a frase:

”Cego de nascimento. Uma esmola, por favor”.

 Certa manhã, o publicitário teve uma idéia: virou o letreiro do cego ao contrário e escreveu outra frase. À noite, depois de um dia de trabalho, perguntou ao cego como é que tinha sido seu dia.

O cego respondeu, muito contente:

– Até parece mentira, mas hoje foi um dia extraordinário! Todos que passavam por mim, deixavam alguma coisa. Afinal, o que é que o senhor escreveu no letreiro?

 

O publicitário havia escrito uma frase breve, mas com sentido e carga emotiva suficientes para convencer os que passavam a deixarem algo para o cego. A frase era:

“Em breve chegará a primavera e eu não poderei vê-la”.

 

Na maioria das vezes não importa O QUE você diz, mas COMO você diz.

 

 

29
maio

§ § Espaço Web § ” SEJA PRIMAVERA ! “

Postado às 22:09 Hs

SEJA PRIMAVERA !

Uma vez alguém me disse que sobre o amor, eu pulo de galho em galho.

Embora os galhos tenham sido poucos, é sim, verdade.

Acho que há dentro da gente, uma necessidade, uma certa urgência de amar, de estar com alguém, de estar sempre com o coração pleno.

O fato é que estar com o coração pleno, nem sempre significa estar bem.

E muitas vezes, precisa-se de uma vida inteira para entender isso.

E passamos tanto tempo vivendo em terremotos emocionais, por pura teimosia, que nos acostumamos a eles, e quando de repente tudo passa, a gente olha para os lados, e pensa:

Por que nao me protegi? Por que nao saí fora desses vendavais que me cegaram os olhos, me taparam os ouvidos, me prenderam os passos e apertaram tanto meu coração? Mas antes da resposta, vem sempre a sensação de alívio.

Um quase não acreditar. E a resposta perde totalmente a importância.

Não importa o tempo perdido. O que importa é poder dizer:

“Finalmente tudo passou!” E se só sobraram destroços de tudo o que um dia foi inteiro, é sinal que nasci inteira e posso me refazer, sempre e todas as vezes que eu me quebrar.

E a sensação de alívio por ter conseguido sair e respirar livremente, é deliciosa.

Olhar no meu espelho interior e finalmente me reconhecer.

Quebrada ou não, a essência continua a mesma.

O sorriso ainda é largo, a moleca arteira continua a caminhar com os pés descalços em chãos incertos, agora totalmente sem medo.

Porque quem ja passou pelas tormentas, não se abala mais com chuviscos de verão…

E pra você que passou os olhos despretensiosos por esse texto, que ele lhe tenha alguma valia:

Seja o Sol que aquece, o desejo incontido, as mãos que acolhem, seja os projetos de um futuro lindo, os braços que protegem. Seja brisa perfumada que beija, seja as manhãs na vida de alguém, para que quando inevitavelmente, tudo tiver passado, você seja lembrado não como um inverno cinza, rabugento e solitário, mas como a mais bela das estações.

Por Luciane Trevejo

28
maio

§ § Espaço Web § Reflexão

Postado às 20:34 Hs

Perdi a pressa

Quando entendi

Que o que é para ser, será.

Algum dia

Em algum lugar

A terra tocará o céu mais uma vez

E o corpo num sopro libertará a alma para voar.

Se não for hoje, tudo bem

Um dia será.

Enquanto isso mantenho acesa a chama

Do amor que me faz

Do sentir que me guia

Do toque que a cada anoitecer o sonho traz

Da alegria que a cada amanhecer a vida permeia em meu olhar.

Há dias de plena euforia

Há instantes em que o choro se faz

Pouco importa

Quando o importante é amar um pouco mais.

Um dia será…

Quando o coração sente

Ele sabe o que virá

Ali na frente

Numa curva qualquer

O que é para ser

Se encontrará.

Por Tânia Gorodniuk

 

Por Carlos Sena. (*)

 

Há ensinamentos na escola da vida que são interessantes. Um desses é a lição que a vida nos dá no quesito “juventude e velhice”. Algo como na juventude tudo em abundância e na velhice o contrario disso. Porque na juventude a vida nos dá fartura de visão, de audição, de tesão, de…

Na velhice, ela vai gradativamente “recolhendo” o que nos deu em sobra e que depois os recolhe das nossas “prateleiras existenciais”. Com isso ela nos vai tornando mais perto da dura realidade com a qual, indistintamente todos algum dia terão que se deparar – o nosso “Grand Finale”.

 Há quem aprenda com a vida que cada idade tem seu encanto. Mas, há aqueles que ficam driblando o tempo. Via plásticas no rosto, via tingimento de cabelos, via exageros no vestir, via excentricidades comportamentais.

Fato é que a vida em si mesma não se permite por muito tempo a “truques”. Porque chega um belo dia em que não há espaços no rosto para mais plásticas. E as tintas já não funcionam mais para iludir os cabelos brancos.

Há senhores que tingem os cabelos de preto, mas o rosto não tem mais o frescor da juventude e, dessa forma, fica tudo muito esquisito. A idade fica muito mais à mostra e tudo se torna mais frio, mais destoante dentro da estética.

 Descobrir que a vida é processo talvez ajude a encontrar um ponto de equilíbrio na compreensão. Outra coisa que o tempo retira e que incomoda bastante é a memória. Os idosos, mesmo os viciados em palavra cruzada não escapam.

Talvez seja melhor o entendimento de que, quando jovens, as pessoas se lembram de muitas coisas que não prestam e que, na velhice, só há espaço para coisas importantes.

Assim, a memória se redime e passa a ser ressignificada para o arquivo daquilo que, de fato, merece ser armazenado: os amores, as relações, a fé… Esquecer-se da hora de tomar remédios? Que mal há nisso? Remédio é um veneno às avessas que vez por outra pode ser esquecido, por que não?

Porque tudo tem seu prazo de validade, inclusive a existência…

26
maio

§ § Espaço Web § ” Arrogância…”

Postado às 22:00 Hs

Acima da capacidade intelectual e profissional, está a capacidade de reconhecer que nenhuma verdade é absoluta. Ter a humildade em admitir o próprio erro, mesmo que isto represente situação adversa, é digno e nos aproxima das outras pessoas.  O segredo do sucesso, começa por ser querido pelas pessoas.  A chance de se obter sucesso é inversamente proporcional ao número de inimigos que você cria. Ter autoconfiança, sim. Ser arrogante, JAMAIS.  Não confunda arrogância com coragem, ousadia, liderança ou segurança.

Os arrogantes colecionam fracassos (nem sempre financeiros), mas todos sempre são justificados e cada justificativa incabível, gera outro fracasso e o ciclo nunca é interrompido.

Às vezes, agindo com a arrogância, algumas pessoas conseguem o que querem à curto prazo, mas a longo prazo perdem o que há de mais precioso na vida: a amizade, o respeito e o carinho das demais pessoas. O indivíduo “tem tudo na vida”, mas não se sente feliz.

O arrogante é cercado por uma nuvem negra de problemas que afeta todos aqueles que por uma infelicidade, estão ao seu lado.

Por Agnaldo Pila.
25
maio

§ § Espaço Web § O tempo e as escolhas

Postado às 21:06 Hs

Quando crianças, além do tentar caminhar, um dos maiores desafios de todos é a formação das primeiras palavras e das primeiras frases, com as quais nos comunicaremos pelo resto de nossas vidas.Nos primeiros anos, tudo é diversão, brincadeira. Além da alfabetização, que já parece ser uma responsabilidade enorme, ninguém quer ter qualquer outra. Só as brincadeiras e passeios com os amigos da escola são importantes. Na juventude descobrimos as sensações e os sentimentos, tanto os prazeirosos quanto os dolorosos. É também quando começamos a perceber que a vida nos exigirá estudos, trabalho e responsabilidades, sem os quais nosso futuro será pouco promissor.Quando adultos, temos muitos sonhos, projetos, vontades, esperanças e ambições. No futuro só vislumbramos o sucesso, o que conseguiremos, até onde chegaremos e como seremos vitoriosos. A grande maioria imagina, inclusive, que todos admirarão seu sucesso. Na maturidade, enxergamos a realidade, o que a vida dá e o que ela cobra
A vida é um mistério, tanto para você quanto para aquela pessoa que você imagina que a entenda muito bem. Somos todos seres que vieram parar num corpo humano e que têm que aprender diariamente como lidar com os desafios desse mistério chamado vida. O fato é que não há verdade absoluta sobre as coisas. Como alunos diferentes que chegam a conclusões distintas sobre o mesmo conteúdo, cada um vai aprendendo da sua maneira a melhor forma de tocar os seus dias. Esse assunto recorrente me veio mais uma vez à tona ao ler um texto de um blog estrangeiro chamado de Raptitude na qual o autor listou algumas “verdades” que ele aprendeu sobre a vida. Concordei com uma boa parte delas e achei que seria bacana trazer as nossas preferidas aqui para vocês.
21
maio

§ Espaço Web § “A Livraria “

Postado às 20:45 Hs

O universo é uma imensa livraria.
A Terra é apenas uma das suas estantes.
Somos os livros colocados nela.
Da mesma maneira que as pessoas compram livros apenas pela beleza da capa, sem pesquisarem o índice e conteúdo do mesmo, muitas pessoas avaliam os outros pela aparência externa, pela capa física, sem considerarem a parte interna.

Outras procuram livros com títulos bombásticos, sensacionalistas, histórias de terror ou romances.
Também é assim com as pessoas:
Há aquelas que buscam sensacionalismos baratos, dramas alheios ou apenas um romance, seja profundo ou rasteiro.
Somos homens-livros, lendo uns aos outros.
Podemos ficar só na capa ou aprofundarmos nossa leitura até as páginas vivas do coração.

A capa pode ser interessante, mas é no conteúdo que brilha a essência do texto.
O corpo pode ter uma bela plástica, mas é o espírito que dá brilho aos olhos. Também podemos ler nas páginas experientes da vida muitos textos de sabedoria. Depende do que estamos buscando na estante.
Podemos ver em cada homem-livro um texto impresso nas linhas do corpo.

 

Deus colocou sua assinatura Divina ali, nas páginas do coração, mas só quem lê o interior é que descobre isso.
Só vence a ilusão da capa e mergulha nas páginas da vida íntima de alguém, é que descobre seu real valor, humano e espiritual.

Que todos nós possamos ser bons leitores conscientes.
Que nas páginas de nossos corações possamos ler uma história de amor profundo. Que em nossos espíritos possamos ler uma história imortal e que, sendo homens-livros, nós possamos ser a leitura interessante e criativa nas várias estantes da livraria-universo.

A capa amassa e as folhas podem rasgar.
Mas, ninguém amassa ou rasga as idéias e sentimentos de uma consciência imortal. O que não foi bem escrito poderá ser bem escrito mais à frente.
Mas com toda certeza será publicado pela editora da vida, na estante Divina.
Pense Nisso.

Fonte: Edilson Silva

 

Sempre se lembre que a pele se enruga o cabelo se torna branco, os dias se transformam em anos, mas o importante não muda.

Seu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha.
Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida,
Atrás de cada engano, há outro desafio…

Enquanto estiveres vivo, sinta-se vivo se fizestes algo diferente, volte a fazê-lo.
Não vivas de fotos amareladas,
Segue em frente ainda que todos esperem que desistas,
Não deixes que se oxide o ferro que existe em ti,
Faz que, em vez de pena, tenham respeito por ti.

Quando, devido à idade, não possas correr, ande depressa,
Quando não possas andar depressa, caminha,
Quando não possas caminhar, usa a bengala….
Mas não pares nunca!!!

Dizem que isto aconteceu em um mosteiro chinês muito tempo atrás. Um discípulo chegou para seu mestre e perguntou:

 – Mestre, por que devemos ler e decorar a Palavra de Deus se nós não conseguimos memorizar tudo e com o tempo acabamos esquecendo? Somos obrigados a constantemente decorar de novo o que já esquecemos.

 O mestre não respondeu imediatamente ao seu discípulo. Ele ficou olhando para o horizonte por alguns minutos e depois ordenou ao discípulo:

 – Pegue aquele cesto de junco, desça até o riacho, encha o cesto de água e traga até aqui.

 O discípulo olhou para o cesto sujo e achou muito estranha a ordem do mestre, mas, mesmo assim, obedeceu. Pegou o cesto, desceu os cem degraus da escadaria do mosteiro até o riacho, encheu o cesto de água e começou a subir de volta. Como o cesto era todo cheio de furos, a água foi escorrendo e quando chegou até o mestre já não restava nada.

 O mestre perguntou-lhe: – Então, meu filho, o que você aprendeu? O discípulo olhou para o cesto vazio e disse, jocosamente: – Aprendi que cesto de junco não segura água.

 O mestre ordenou-lhe que repetisse o processo de novo. Quando o discípulo voltou com o cesto vazio novamente, o mestre perguntou-lhe:

 – Então, meu filho, e agora, o que você aprendeu? O discípulo novamente respondeu com sarcasmo: – Que cesto furado não segura água.

 O mestre, então, continuou ordenando que o discípulo repetisse a tarefa. Depois da décima vez, o discípulo estava desesperadamente exausto de tanto descer e subir as escadarias. Porém, quando o mestre lhe perguntou de novo: – Então, meu filho, o que você aprendeu? O discípulo, olhando para dentro do cesto, percebeu admirado:

 – O cesto está limpo! Apesar de não segurar a água, a repetição constante de encher o cesto acabou por lavá-lo e deixá-lo limpo. O mestre, por fim, concluiu:

 – Não importa que você não consiga decorar todas as passagens da Bíblia que você lê, o que importa, na verdade, é que no processo a sua mente e a sua vida ficam limpas diante de Deus.

1°Não se preocupe.

De todas as atividades humanas,preocupar-se, é a menos produtiva .

  Não se deixe dominar pelo medo

A maior parte das coisas que tememos nunca acontecem.

  Não guarde rancor

Ele é uma das cargas mais pesadas da vida.

  Enfrente um problema de cada vez 

Seja como for, só poderá tratá-los um por um.

  Não leve os problemas para a cama 

São maus companheiros do sono.

6°  Não compre os problemas dos outros

Eles podem lidar com eles melhor do que você.

  Não reviva o passado 

Ele já passou. Concentre-se no que se passa na tua vida e seja feliz agora.

  Seja um bom ouvinte

Só quando escutar, obterás ideias diferentes das tuas.

9°Não se deixe abater pela frustração

A autocompaixão só interfere com as ações positivas.

10°Contabilize todas as coisas boas 

Mas não esqueça as pequenas. Muitas coisas boas pequenas, fazem uma grande.

16
maio

§ § Espaço Web § ” O tempo “

Postado às 23:00 Hs

Sonhos, planos e objetivos temos aos montes. O que nos falta, são as oportunidades para realizá-los, falta o começo do fio, o primeiro degrau, o primeiro caminho de uma estrada que prevemos longa e rica.

Perdemos um grande tempo porque nos conhecemos o bastante para saber quais são nossos desejos, mas não o suficiente para acreditar que podemos chegar ao fim deles.

Claro, essa regra não se aplica a todo mundo e é por isso que o mundo continua a andar.

Há quem chegue a uma certa idade e se ache velho demais para construir.

Essas pessoas olham para trás e admiram os que consideram fortes e determinados e se dizem que tudo o que eles mesmos fizeram foi viver o dia-a-dia como o mais comum dos mortais. E mesmo se os sonhos não morreram em si, acham que agora é tarde para tentar encontrar o caminho ao qual teriam dado o primeiro passo.

Claro, voltar atrás é impossível. O que é possível ainda é não se considerar velho demais e nem morto em vida, é saber que o mundo continua enquanto nós continuamos e que, mesmo se precisamos rever nossos planos e traçar outros, sempre é tempo de começar algo.
Não é por que corremos o risco de nunca ver as flores que devemos deixar de plantá-las.

Se não alcançarmos a bênção de vê-las floridas, outros o farão, sentirão seu perfume e pensarão em nós.

Os que esperam o tempo de saber onde começar nunca fazem nada, porque a idéia já é o começo e as atitudes a serem tomadas para dar vida a ela são os passos seguintes.
Quando não sabemos por onde começar, devemos começar pelo que sabemos, nos aplicar nas pequenas coisas e pequenos detalhes que, juntos, poderão realizar grandes coisas.

Se você tem planos no fundo do seu coração para fazer o bem, a caridade e não começa por que não sabe por onde, comece com seu irmão, a casa do seu vizinho ou com seu colega de trabalho. A gentileza, o dom sincero de si e a bondade, são recursos que temos naturalmente.

O que você parece insignificante, para uma outra pessoa pode ser o ponto que vai transformar sua vida.

Quaisquer que sejam nossos projetos, comecemos pela fé de que se realizarão.

Depois podemos olhar para nossas mãos e ver o que já possuímos, o que pode ser aproveitado.
O fato é que de braços cruzados nunca chegaremos a voar por nós mesmos.

Mesmo os pássaros quando voam e procuram alimentos estão sempre de asas abertas, observam o mundo, o movimento e descobrem onde podem pousar.

Ponha amor nas mãos e mãos à obra! É bem conhecido que grandes feitos sempre começaram por pequenos passos.

Por Letícia Thompson


Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito: “Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes”.

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava: – Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ? – Ainda bem que esse infeliz morreu !

Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas.

Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles. A pergunta ecoava na mente de todos: “Quem está nesse caixão”?

No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo… Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida.

Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. “SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA… QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA.” (Desconheço autor)

O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando “você muda”.

(Luís Fernando Veríssimo)

13
maio

§ § Espaço Web § ” O trabalho “

Postado às 20:00 Hs

REFLEXÃO:

Você já reparou quantas vezes reclamamos do trabalho?

Se vamos falar de trabalho, sempre o associamos à dificuldade, ao desprazer, a algo difícil e penoso de se fazer.

Será mesmo o trabalho algo tão ruim, como se fosse um castigo a se cumprir?

A origem da palavra trabalho remonta à Roma antiga, quando essa palavra era associada a um instrumento de tortura, o tripalium.

Vem daí a conotação do trabalho com sofrimento. Mas será essa mesma a função do trabalho?

Se observarmos a natureza, será fácil verificar que não há quem não trabalhe.

Seja o joão-de-barro construindo o ninho para acolher sua companheira e a futura prole; ou a lagarta, tecendo o casulo que guarda a beleza da borboleta em gérmen; ou ainda a abelha colhendo o pólen para fabricar seu doce alimento.

Tudo em a natureza trabalha. Não poderia ser diferente com o homem.

Para os animais, o trabalho é sinônimo de sobrevivência.

Trabalha a ave, o inseto, o grande e o pequeno, todos trabalham, como lei de sobrevivência, lei do instinto que os faz buscar o alimento, construir o abrigo, proteger a prole.

E para que serve o trabalho para nós

Longe da conotação latina de tortura, devemos entender o trabalho como ferramenta que a Divindade nos oferece como processo de aprendizado.

Sendo o trabalho toda ocupação útil a que nos vinculamos, serve como exercício do desenvolvimento de nossas capacidades intelectuais, morais ou emocionais.

Dessa forma, trabalha a dona de casa, ao buscar o asseio do lar, ao confeccionar a comida saborosa para nutrir a família.

Trabalham o pedreiro e o engenheiro na construção do edifício, trabalha o voluntário, doando seu tempo em nome do amor ao próximo.

De uma ou de outra forma, é o trabalho a ferramenta bendita que a Divindade nos oferece para o progresso pessoal.

O ócio, o tempo descomprometido, servem como oportunidades para que os desajustes de nossa intimidade ganhem corpo, ao longo das horas vazias.

Ao contrário, a hora preenchida pela ocupação útil é oportunidade de aprendizado, de interiorizar novas capacidades, nos mais variados campos de nossa intimidade.

Jesus nos lembrava que Ele trabalhava sem cessar, assim como o Pai Celeste igualmente trabalha.

Assim, nunca reclamemos do trabalho que a vida nos ofereça.

Ao contrário, a cada dia, agradeçamos a Deus o trabalho bendito e honesto, que nos será passaporte para dias mais felizes, nessa e na outra vida.

Por: Yanni Danniely

jun 18
terça-feira
08 50
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
18 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5787102 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram