30
out

§ § Espaço Web § ” O trabalho “

Postado às 20:00 Hs

REFLEXÃO:

Você já reparou quantas vezes reclamamos do trabalho?

Se vamos falar de trabalho, sempre o associamos à dificuldade, ao desprazer, a algo difícil e penoso de se fazer.

Será mesmo o trabalho algo tão ruim, como se fosse um castigo a se cumprir?

A origem da palavra trabalho remonta à Roma antiga, quando essa palavra era associada a um instrumento de tortura, o tripalium.

Vem daí a conotação do trabalho com sofrimento. Mas será essa mesma a função do trabalho?

Se observarmos a natureza, será fácil verificar que não há quem não trabalhe. Seja o joão-de-barro construindo o ninho para acolher sua companheira e a futura prole; ou a lagarta, tecendo o casulo que guarda a beleza da borboleta em gérmen; ou ainda a abelha colhendo o pólen para fabricar seu doce alimento.

Tudo em a natureza trabalha. Não poderia ser diferente com o homem.

Para os animais, o trabalho é sinônimo de sobrevivência. Trabalha a ave, o inseto, o grande e o pequeno, todos trabalham, como lei de sobrevivência, lei do instinto que os faz buscar o alimento, construir o abrigo, proteger a prole.

E para que serve o trabalho para nós

Longe da conotação latina de tortura, devemos entender o trabalho como ferramenta que a Divindade nos oferece como processo de aprendizado.

Sendo o trabalho toda ocupação útil a que nos vinculamos, serve como exercício do desenvolvimento de nossas capacidades intelectuais, morais ou emocionais.

Dessa forma, trabalha a dona de casa, ao buscar o asseio do lar, ao confeccionar a comida saborosa para nutrir a família.

Trabalham o pedreiro e o engenheiro na construção do edifício, trabalha o voluntário, doando seu tempo em nome do amor ao próximo.

De uma ou de outra forma, é o trabalho a ferramenta bendita que a Divindade nos oferece para o progresso pessoal.

O ócio, o tempo descomprometido, servem como oportunidades para que os desajustes de nossa intimidade ganhem corpo, ao longo das horas vazias.

Ao contrário, a hora preenchida pela ocupação útil é oportunidade de aprendizado, de interiorizar novas capacidades, nos mais variados campos de nossa intimidade.

Jesus nos lembrava que Ele trabalhava sem cessar, assim como o Pai Celeste igualmente trabalha.

Assim, nunca reclamemos do trabalho que a vida nos ofereça. Ao contrário, a cada dia, agradeçamos a Deus o trabalho bendito e honesto, que nos será passaporte para dias mais felizes, nessa e na outra vida.

Por: Yanni Danniely

29
abr

Crescendo com as Redes Sociais

Postado às 6:17 Hs

Com nos dias de hoje, as Redes Sociais passam a assumir um papel relevante dentro e fora das empresas.De olho no grande número de pessoas que interagem diariamente por meio das redes sociais, passaram a expor as suas marcas e seus produtos de forma desenfreada, em busca de oportunidades para alavancar seus negócios. Mas será que estão fazendo isto da forma correta? Como todo projeto de crescimento é preciso investir. E diante da novidade que as redes sociais ainda são para muitos empresários, a maioria deles iniciam um trabalho nas redes sociais de forma amadora, sem planejamento, verba ou profissionais especializados para administrar seus perfis.

Apesar do crescimento muitos empresários não querem investir em um serviço especializado em redes sociais, pois antes de iniciarem já querem saber o retorno sobre investimento (ROI), o que muitas vezes só é possível após um período de teste e execução do trabalho. Outro detalhe importante é planejar a produção de conteúdos que explore ao máximo cada ferramenta das redes sociais (textos, fotos, vídeos, notas e aplicativos) para que o perfil não se torne monótono e irrelevante. Com um bom trabalho de conteúdo se conquista o interesse e fidelidade dos seguidores.

É possível afirmar que as mídias sociais se posicionam como mais um importante canal de comunicação, formando uma rede de relacionamento direto entre a empresa e seus consumidores. Ficar de fora delas é deixar de lado opiniões importantes que podem colaborar para crescimento da marca/empresa. Estar inserido no ambiente digital, sem um planejamento adequado, poderá deixar os seguidores, fãs e possíveis novos clientes entediados e com uma percepção negativa sobre a empresa.

23
jan

* * * Quentinhas… * * *

Postado às 22:11 Hs

* * * O deputado Hermano Morais, do PMDB, avalia que a governadora Rosalba Ciarlini, do DEM, precisa melhorar muito o seu desempenho para poder se credenciar na disputa pelo Governo do Estado nas eleições de 2014. Ele entende ainda, que na atual situação de dificuldades em que se encontra a administração estadual, e caso a governadora não se recupere administrativa e politicamente em tempo hábil, será muito difícil a sua reeleição. “Rosalba está legitimada, mas precisa melhorar o governo para ter condições de ser candidata à reeleição”, ressaltou o parlamentar peemedebista, que foi candidato a prefeito de Natal nas últimas eleições. Sobre um possível rompimento político do seu partido com o governo Rosalba Ciarlini, o deputado Hermano Morais entende que primeiramente é necessário uma discussão prévia com relação a esse assunto. Para isso, ele, diz que o PMDB deverá se reunir em março. “Vamos nos reunir para uma avaliação política e definição de um projeto para 2014. Temos que saber quais são os anseios dos nossos filiados e dos líderes partidários, também”, observa o deputado, acrescentando que naturalmente o assunto sucessão estadual, particularmente a aliança com a governadora será discutido. Mas, reforça o deputado: “O PMDB tem que primeiramente definir o que quer. O seu projeto, inclusive a possibilidade de apresentar candidato ao Governo do Estado em 2014”.* * * Jornal de Hoje

* * * O PSOL busca um candidato à presidência da Câmara para enfrentar o favorito Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) na eleição de 4 de fevereiro, de acordo com a Agência Estado. A plataforma de campanha já tem as linhas gerais: democratização da participação parlamentar no plenário e nas comissões; fim do voto secreto; independência em relação ao Executivo e ao poder econômico; fim do 14º e do 15º salários; transparência absoluta nos gastos, entre outros compromissos. O escolhido deverá ser Chico Alencar (PSOL-RJ), mas, segundo o presidente do partido, Ivan Valente, nomes de outros partidos ainda estão em discussão. O deputado do Rio está encarregado da minuta da plataforma, que será encaminhada a um grupo de 40 deputados, entre os quais Reguffe (PDT-DF), Paulo Rubem Santiago (PDT-PE), Luiza Erundina (PSB-SP) e Domingos Dutra (PT-MA). As propostas também serão enviadas aos dois concorrentes de Henrique Alves, a também peemedebista Rose de Freitas (ES) e Júlio Delgado (PSB-MG). * * * Magno Martins

* * * A Prefeitura de Mossoró, através da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Ambiental, está empenhada em um projeto que pode trazer diversos benefícios ao trabalhador mossoroense: a municipalização do Sistema Nacional de Emprego (SINE). A ação da prefeitura é baseada na resolução 560 do Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (CODEFAT), que autoriza a municipalização do sistema como instrumento federal de integração e operacionalização das funções e ações do sistema público de emprego, trabalho e renda, em capitais ou municípios com mais de 200 mil habitantes.A secretária Izabel Montenegro, responsável pela pasta, disse que a solicitação será encaminhada ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Para isso, ela está concluindo a nota técnica, na qual constará a situação em que se encontra o desenvolvimento econômico da cidade. “Esta Resolução destina-se às prefeituras de municípios com mais de 200 mil habitantes. Algumas cidades brasileiras já conseguiram e estão tendo ótimos resultados”, disse. Izabel Montenegro, inclusive está visitando cidades onde o serviço está funcionando.

Segundo a secretária, a municipalização do SINE é um passo importante no sentido de otimizar os serviços voltados para a população. Entre os benefícios, a entrada direta de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), os quais deverão ser aplicados para desenvolver as atividades de serviço de habilitação ao seguro desemprego, intermediação de mão de obra, qualificação profissional, entre outras atividades.* * *

22
jan

Fim da carteira de trabalho…

Postado às 9:32 Hs

A velha carteira de trabalho deve ser substituída no próximo ano por um cartão eletrônico. O projeto do ministro do Trabalho, Brizola Neto, está na Câmara de Gestão e tem a aprovação da presidente Dilma Rousseff, que o quer concluído ainda neste ano, informa reportagem do jornal O Estado de S.Paulo.

Além de diminuir a burocracia, o cartão facilitará e muito a vida do trabalhador, que poderá consultar se a empresa depositou sua contribuição previdenciária, o FGTS e o recolhimento de Imposto de Renda. “Os empregados terão acesso online aos locais e períodos em que trabalharam. A iniciativa também tem o objetivo de coibir fraudes”, explica a reportagem.

“Quer melhor fiscal que o próprio trabalhador?”, afirmou o ministro do Trabalho, a respeito do projeto. “Vamos eliminar coisas que hoje estão em papel”, acrescentou o coordenador-geral de Fiscalização substituto da Receita, Daniel Belmiro, citando como exemplo a folha de pagamentos e o livro de empregados, documentos que a empresa é obrigada a imprimir.

O projeto visa reunir num único banco de dados todas as informações sobre o trabalhador e sua relação com as empresas. O projeto reúne, além do Ministério do Trabalho, a Receita Federal, o INSS e a Caixa Econômica Federal. A ideia é que a partir do início do ano que vem as empresas já comecem a fazer uma única declaração às instituições.

10
jun

Top 10: Dificuldades em chegar ao trabalho

Postado às 23:40 Hs

avatarDe acordo com dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estes são os estados onde os trabalhadores levam mais tempo para se locomover até o trabalho. O percentual é de acordo com o número de pessoas que gastam mais de uma hora para chegar ao trabalho, pelo número total de trabalhadores do respectitivo estado. Seguem os dez mais:
.

  1. Rio de Janeiro: 23,1% dos trabalhadores levam mais de 1 hora
  2. São Paulo: 16,8%
  3. Distrito Federal: 16,5%
  4. Amazonas:  13,4%
  5. Goiás: 11,6%
  6. Pernambuco: 10,4%
  7. Bahia: 9,4%
  8. Maranhão: 9,2%
  9. Alagoas: 9%
  10. Espírito Santo: 8,9%
23
mar

Ação Parlamentar

Postado às 17:52 Hs

Desempregadas poderão receber           salário-maternidade

Será votado na próxima semana na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados o substitutivo da deputada Sandra Rosado (PSB-RN) ao projeto de Lei 4.448/2004, que assegura o benefício do salário-maternidade às mulheres desempregadas. A regra vale para mulheres que, mesmo em situação de desemprego, não tenham perdido a qualidade de segurada do Regime Geral de Previdência Social.

O projeto veda a exigência das seguradas comprovarem emprego como pré-requisito para a concessão do benefício. Segundo a proposta, a renda para as gestantes corresponderá ao valor de sua última remuneração. O texto original da deputada federal Marinha Raupp (PMDB-RO) justifica que a Lei nº 8.213 já prevê a manutenção da qualidade de segurado por até 12 meses após o fim das contribuições, período que pode ser prorrogado para até 36 meses, caso a segurada já tenha contribuído por mais de 120 meses e estar comprovadamente desempregada.

O projeto de lei foi baseado em uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Federal com o objetivo de afastar a exigência de comprovação de relação de emprego como pré-requisito para a concessão de salário maternidade para as seguradas empregadas e trabalhadoras avulsas. A decisão foi confirmada pelo Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro. Posteriormente, o INSS formulou pedido de suspensão da decisão perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ), mas teve seu pedido negado.

17
mar

Top 10 onde predomina trabalho feminino

Postado às 20:23 Hs

avatarDe acordo com um novo estudo realizado pela Catho Online, site de classificados de currículos e vagas de emprego de maior audiência da América Latina, as mulheres já ocupam mais de 48% dos cargos de Supervisão, igualando-se aos homens, e, 64% dos postos de Coordenação, destacando-se como maioria. Além disso, 24% dos cargos mais elevados das organizações, como Presidentes e CEOs, também já pertencem a estas profissionais. Confira os setores com maior porcentagem de mulheres atuando:

  1. Recursos Humanos: 73,51% do setor são mulheres
  2. Educação: 62.02%
  3. Administrativa: 60,58%
  4. Relações Públicas: 59,97%
  5. Medicina e Saúde: 52,93%
  6. Jurídica: 47%
  7. Comercial: 37,29%
  8. Suprimentos/Compras: 30,07%
  9. Industrial/Engenharia: 20,73%
  10. Tecnologia: 16,60%
06
mar

Multa !!

Postado às 15:51 Hs

O Senado aprovou nesta terça-feira projeto que multa as empresas que pagarem às mulheres salários inferiores aos dos homens quando ambos ocuparem as mesmas funções.

A multa estipulada pelo projeto é de cinco vezes a diferença entre os salários durante todo o período de contratação da funcionária.

Como a proposta foi aprovada em caráter terminativo pela Comissão de Direitos Humanos no Senado, e já foi aprovada na Câmara, segue para sanção da presidente Dilma Rousseff –se não houver pedido para que seja votada no plenário da Casa.

Relator do projeto na comissão, o senador Paulo Paim (PT-RS) disse que a multa obriga as empresas a pagarem às mulheres salários equivalentes aos dos homens como forma de acabar com a discriminação entre os sexos.

“A iniciativa é bem-vinda pois se revela com grande sensibilidade social e política com uma causa justa, já que consistirá numa ferramenta jurídica a efetivar o princípio de igualdade de todos perante a lei de homens e mulheres em direitos e obrigações”, disse Paim.

Segundo o senador, a multa não sofre desatualização monetária –o que facilita a sua aplicação.

“O valor é proporcional ao agravo, tem caráter pedagógico bastante perceptível por guardar estreita vinculação com as consequências do ato discriminatório e inova ao estabelecer que o seu valor será revertido em favor da empregada discriminada”, afirmou Paim.

O relator afirma que a proposta não é inconstitucional, uma vez que a legislação brasileira prevê a “igualdade de todos perante a lei” entre os direitos fundamentais da Constituição Federal.(Folha)

05
mar

Nova Lei Trabalhista

Postado às 14:11 Hs

O governo Dilma Rousseff vai propor ao Congresso mudanças nas leis trabalhistas para criar duas novas formas de contratação: a eventual e por hora trabalhada. A proposta vai beneficiar o setor de serviços, que é o que mais emprega no País, estimulando a formalização de trabalhadores que hoje não têm carteira assinada. A alteração faz parte do Plano Brasil Maior, como é chamada a nova política industrial.

“Estamos formatando a proposta”, disse o ministro do Trabalho, Paulo Roberto dos Santos Pinto. “Vamos concluir o mais rapidamente possível.”

As mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) podem dar mais dinamismo ao mercado e, na prática, permitir carteira assinada para quem trabalha dois dias por semana ou três horas por dia, por exemplo, com direito a pagamento de férias, 13.º salário e FGTS.

Para reduzir as eventuais críticas, o governo pretende vender as mudanças na CLT como uma “modernização” do marco regulatório do mercado de trabalho. Também será repetido que as mudanças não representarão perdas de direitos trabalhistas.

Em janeiro, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, defendeu a ideia em Nova York. “Podemos avançar nesse campo sem comprometer um único direito trabalhista já conquistado. As propostas feitas pela classe empresarial às quais eu tive acesso preservam os direitos que os trabalhadores brasileiros têm”, afirmou o ministro, petista histórico e próximo de Dilma há quatro décadas.

Modalidades. As mudanças permitirão que as empresas contratem um empregado que só vai receber quando for chamado para alguma atividade. Esse mecanismo deve beneficiar, por exemplo, as empresas que realizam shows, curta-metragens, ou mesmo serviço de buffet.

No caso do “horista”, o contrato deve ajudar na complementação de pessoal em bares, restaurantes e eventos sazonais, como Natal e feriados. Com isso, o governo acredita que o trabalhador poderá usar o horário livre para investir em qualificação.

“Imagina o que podemos fazer no turismo, arquitetura e imobiliário na próxima década”, disse o secretário de Comércio e Serviços, Humberto Ribeiro. “Estamos num ministério, inclusive, que é do PT, mas a gente quer, está na hora dessa discussão.”

Com a mudança, a empresa que organiza um festival de música terá mais facilidade para dispor de funcionários no caso de chuvas que exijam reparos e limpeza na estrutura, por exemplo. Outra possibilidade será a contratação por bares de reforço para feriados ou dias de feijoada.

“Garantidos os direitos trabalhistas, é possível customizar para que cada atividade tenha uma forma diferente de contratação”, disse o secretário executivo do Ministério do Turismo, Valdir Simão.(Tribuna)

A presidente Dilma Rousseff estuda entregar o Ministério do Trabalho a um bloco formado por dois partidos: PTB e PSC. A pasta é ocupada pelo PDT, sigla dividida sobre o apoio ao governo.

Há diversos cotados no páreo, sendo o deputado Hugo Leal (PSC-RJ) um dos nomes mais fortes para a vaga, segundo avaliação de petistas.A solução de repartir a pasta surgiu após o Palácio do Planalto constatar a dificuldade de manter o PDT unido na base aliada.

Setores da sigla flertam com o PSDB em São Paulo, sobretudo após o anúncio da candidatura do tucano José Serra à corrida na capital.Ao mesmo tempo, a alternativa contemplaria legendas menores que, juntas, equivalem a uma bancada de médio porte na Câmara. Hoje, nem PTB nem PSC possuem cargos no primeiro escalão.

Além de Leal, os deputados Alex Canziani (PTB-PR), Nelson Marquezelli (PTB-SP) e Cadoca (PSC-PE) também figuram a lista da sucessão ministerial.

O PDT, ex-reduto de Dilma, comanda o Trabalho desde a gestão Lula. Acabou perdendo o então titular Carlos Lupi (PDT-RJ) no fim do ano passado após suspeitas de irregularidades o derrubarem do cargo.

De lá para cá, os líderes da sigla passaram a disputar a sucessão. De um lado, o deputado Paulo Pereira da Silva (SP) e o próprio Lupi. Do outro, Brizola Neto (RJ), hoje o pedetista mais ligado à presidente da República.

Dilma gostaria de ver o aliado no cargo, mas ele controla menos de 10 deputados na Câmara, o que dificulta sua indicação.Esse racha interno inviabilizou a construção de um substituto imediatado para a pasta e vem motivando traições em votações caras ao Planalto no Legislativo.

O PDT, mais próximo do PSDB de José Serra em São Paulo que do PT, votou em peso esta semana contra a criação de um fundo de previdência complementar para os servidores públicos.

Num gesto de afronta captado pelo Executivo, também apresentou uma liminar na Justiça tentando evitar a aprovação do texto na Câmara. Isso ocorreu em um momento em que Dilma Rousseff buscava um pedetista de consenso para o Trabalho, azedando as negociações para a sucessão no ministério.(Folha)

01
mar

Ponto eletrônico…

Postado às 14:43 Hs

Por Armando Monteiro Neto

Dois temas recentes têm polarizado as discussões no mundo do trabalho. A recém-sancionada Lei 12.551/2011 trouxe para o plano legal as atividades realizadas fora da empresa e com a ajuda de meios eletrônicos.

É a tendência moderna do trabalho humano. Assim, o computador, o telefone celular, o fax e outros meios desse tipo passaram a ser válidos para o exercício de comando, supervisão e controle, o que permite a caracterização da subordinação jurídica e do vínculo empregatício. Outro tema ainda em evidência é o REP (Registrador Eletrônico de Ponto), ferramenta imposta pela Portaria 1.510/2009 como única maneira de registrar eletronicamente a jornada de trabalho. Por ser onerosa e descabida, a sua vigência foi adiada cinco vezes.

Afinal, dentro e fora das empresas, os empregados têm registrado suas jornadas das mais diversas e adequadas formas. Os empresários demonstraram este fato à exaustão e propuseram sistemas alternativos, igualmente e até mais seguros do que o próprio REP.

Com a sanção da Lei 12.551, surgem novas e importantes questões: 1. Como serão controladas as jornadas realizadas à distância? 2. Haverá um REP na casa de cada empregado, no hotel, no trem, no avião e em todos os locais onde ele trabalhe? 3. Como serão controladas as horas extras? A Portaria 1.510 baseou-se em uma visão equivocada de que tudo é feito para prejudicar o trabalhador. Ela impede, por exemplo, as adequações de horários de marcação de ponto, utilizadas em empresa com muitos empregados e que começam o turno ao mesmo tempo. Hoje em dia, eles têm a possibilidade de deixar os filhos na escola, chegar mais cedo ao trabalho, marcar o ponto e esperar para entrar no horário junto com os demais colegas.

Empurradas pela Portaria 1.510, muitas empresas estão sendo levadas a implantar restrições físicas de acesso, ao invés das eletrônicas, o que é um contrassenso e prejudica os empregados. Enfim, o excesso de regulamentação, além de prejudicial, é impróprio, e não se coaduna com a Lei 12.551.

O desafio do Brasil é o de criar um ambiente de negócios propício à competitividade e de estímulo à geração de empregos formais, ampliando a proteção aos trabalhadores e reduzindo a sonegação da Previdência Social decorrente de quase 50% de informalidade que ainda existe no mercado de trabalho.O Brasil corre sérios riscos de desindustrialização.
A concorrência internacional ameaça a sobrevivência de um parque industrial construído a duras penas. Não se pode reduzir ainda mais a competitividade das empresas.
Neste contexto, a Portaria 1.510, materializada pelo REP, é símbolo de impertinência, inadequação, ineficiência, burocratização, desconforto, insegurança jurídica e custos.
Relações do trabalho sadias são fundamentais para a produtividade, a competitividade e a geração de bons empregos. A hora é de propor soluções que induzam a confiança e a cooperação entre as partes.

04
dez

Luppi deixa o cargo…

Postado às 21:00 Hs

NOTA OFICIAL

Tendo em vista a perseguição política e pessoal da mídia que venho sofrendo há dois meses sem direito de defesa e sem provas; levando em conta a divulgação do parecer da Comissão de Ética da Presidência da República – que também me condenou sumariamente com base neste mesmo noticiário sem me dar direito de defesa — decidi pedir demissão do cargo que ocupo, em caráter irrevogável.

Faço isto para que o ódio das forças mais reacionárias e conservadoras deste país contra o Trabalhismo não contagie outros setores do Governo.

Foram praticamente cinco anos à frente do Ministério do Trabalho, milhões de empregos gerados, reconhecimento legal das centrais sindicais, qualificação de milhões de trabalhadores e regulamentação do ponto eletrônico para proteger o bom trabalhador e o bom empregador, entre outras realizações.

Saio com a consciência tranquila do dever cumprido, da minha honestidade pessoal e confiante por acreditar que a verdade sempre vence.

Carlos Luppi

Ministro do Trabalho e Emprego

24
nov

Trabalhar menos ?

Postado às 6:00 Hs

Não, não se trata de um sonho. Um grupo de pensadores de origem inglesa argumenta que: uma semana de 21 horas laborais pode ser uma solução para muitos dos problemas ambientais e sociais do planeta.

Trata-se da Fundação para uma Nova Economia (NEF, na sigla em inglês), que publicou um relatório denominado “21 horas – Por que uma semana laboral mais curta pode ajudar todos a prosperar no século XXI”. Segundo esta visão, a redução das horas de trabalho pode distribuir melhor a renda e proporcionar maior bem-estar à população.

“Muitos de nós estamos consumindo muito acima de nossas possibilidades econômicas (leia-se “endividando-se”) e muito além dos limites do meio ambiente, e mesmo assim, não conseguimos nos sentir melhor. Enquanto isso, outros sofrem com a pobreza e a fome”, afirma o relatório da NEF.

“Avançar na direção de uma semana laboral muito mais curta poderia nos ajudar a romper com o hábito de viver para trabalhar, trabalhar para ganhar e ganhar para consumir. […] Uma semana de 21 horas poderia ajudar a distribuir o trabalho pago de forma mais equitativa entre a população”.

A premissa é simples: as pessoas que trabalham demais, com uma semana laboral mais curta, poderiam reduzir o estresse e melhorar sua qualidade de vida, ganhando tempo para viver de forma mais sustentável, praticando o consumo responsável e se concentrando em outros valores que não os materiais.

Por sua vez, as horas economizadas poderiam ser assumidas por pessoas hoje desempregadas, repartindo a riqueza de forma mais equilibrada.

O relatório indica também que a redução da jornada poderia engendrar uma economia mais robusta, que não se baseie no crédito, mas reconhece que o processo deve ser gradual.

O documento do NEF pretende promover a discussão para viabilizar esta nova visão entre a sociedade. Trata-se de uma ideia simples, mas realmente interessante. Apesar de a implementação maciça ser um tanto complicada, como seria deixar de “viver para trabalhar, trabalhar para ganhar e ganhar para consumir” e começar a trabalhar para viver? É um ponto para reflexão dentro da esfera de ação individual.

Qual é a sua opinião?

Fonte: Portaldeltag

18
out

Emprego em queda…

Postado às 15:44 Hs

A economia brasileira criou 209.078 postos de trabalho com carteira assinada em setembro, o pior resultado para o mês em cinco anos, mostraram números do Ministério do Trabalho nesta terça-feira.

Na comparação com setembro do ano passado, quando foram criados 246.875 postos formais, a queda foi de 15 por cento. Em setembro de 2006, foram abertas 176.735 vagas.

No acumulado do ano até setembro, 2.079.188 vagas foram criadas, reforçando a perda de fôlego em relação a 2010, quando no mesmo período 2.490.148 postos de trabalhos formais engordaram a economia.

Ainda assim, o dado dos nove primeiros meses de 2011 é o terceiro melhor da série, perdendo também para 2008, quando haviam sido criados 2.251.714 postos até setembro.

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, reforçou que a meta deste ano é criar pelo menos 2,7 milhões postos de trabalho. A meta anterior era de 3 milhões.

“Estamos no meio de uma crise e apesar disso estamos numa geração de empregos robusta”, afirmou Lupi a jornalistas. Para chegar a 2,7 milhões, o país deve apresentar uma média de abertura de postos de trabalho de 206,9 mil de outubro a dezembro.

Fonte: Reuters

28
set

Informativo

Postado às 20:00 Hs

Federação da Agricultura participa de seminário sobre “Projeto Trabalho Decente”

Debater as políticas públicas para o trabalho, emprego e proteção social foi o tema do 1º Seminário Regional de Emprego e Trabalho Decente que a Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e Assistência Social (Sethas) promoveu nesta terça-feira (27) na cidade de Caicó, na região Seridó do Estado. O debate foi no auditório do IFRN e foi aberto pelo secretário da Sethas, Luiz Eduardo Carneiro.

No evento foram abordados temas como os investimentos para elevar a oferta de melhores empregos, as questões políticas das macroeconomias, entre outros. Ainda dentro dessa temática, foram abordados o emprego rural e a agricultura familiar. Do ponto de vista econômico e social, a igualdade de oportunidades para jovens, mulheres e negros.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), maior instituição representativa dos produtores rurais potiguares, foi uma das entidades que participaram do evento em Caicó. Para tanto, enviou as assessoras Janaína de Paula e Thereza Montenegro a advogada Juliana Xavier, que faz parte do quadro jurídico da Faern, e os presidentes dos sindicatos rurais de Florânia, Rogério Roosevelt Medeiros, Caicó, Ivonaldo Diniz e Serra Negra do Norte, Antônio Gomes do Santos.  “O foco das discussões foi o emprego rural, e igualdade de oportunidades para jovens, mulheres e negros, medidas de prevenção para erradicação do trabalho infantil e o combate ao trabalho degradante”, resumiu a assessora da Faern, Janaína de Paula.

Conferência em Natal

Foram formados, durante o encontro, quatro grupos de trabalho: Proteção Social, Princípios e Direitos Trabalhistas, Trabalho e Renda e o que discutirá o Fortalecimento do Modelo Tripartite (Estado, União e Município).

As proposições deste seminário serão encaminhadas para o debate na 1ª Conferência Estadual do Emprego e Trabalho Decente, a ser realizada nos dias 13 e 14 de outubro, em Natal, e desta, para a Nacional, a ser realizada em Brasília em maio de 2012.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Caicó, Ivonaldo Diniz, esses encontros servem para esclarecer e aprimorar os conceitos que muitas pessoas da sociedade civil possuem sobre trabalho decente. “Acredito que foi positivo o seminário em Caicó. Com ele, as pessoas terão outras visões sobre como se deve portar no mercado de trabalho e no respeito aos direitos de seus funcionários. E no meio rural isso é muito salutar”, finalizou Diniz.

19
Maio

De volta ao trabalho

Postado às 8:31 Hs

Mais 432 servidores públicos, demitidos no governo do presidente Fernando Collor (1990-1992) e anistiados pela Comissão Especial Interministerial (CEI), coordenada pelo Ministério do Planejamento, poderão retornar aos cargos de origem, caso desejem, de acordo com 19 portarias publicadas no Diário Oficial da União de ontem (18).

Os atos beneficiam ex-empregados de cinco empresas estatais de telefonia (Telesp, Telebahia, Teleceará, Telemig e Telerj. Relaciona também ex-empregados da Eletronorte e da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), bem como dos extintos Fundo de Previdência dos Funcionários da Petrobras (Portobras), Banco Nacional de Crédito Cooperativo (BNCC), Banco Meridional e Legião Brasileira de Assistência (LBA).

Também foram chamados ex-funcionários do Serpro, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), dos Correios, da Indústria Nacional de Material Bélico (INB), da Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM), da Vale do Rio Doce, da Docas da Bahia (Codeba) e do Laboratório Químico-Farmacêutico da Aeronáutica (Laqfa).

Os nomes relacionados nas portarias assinadas pela ministra Miriam Belchior serão notificados pelo órgão ou entidade em que serão reintegrados e terão prazo de 30 dias para se apresentar ao serviço, sob regime celetista. A reintegração não contempla ressarcimento de salários.

O processo de anistia e reintegração começou em 2008, mas ainda restam 1,4 mil pedidos de reconsideração em análise. A previsão é que todos sejam concluídos até o fim do ano, de acordo com a presidenta interina da CEI, Erida Maria Feliz.

Fonte: Agência Brasil / Folha de Pernambuco

12
Maio

Informativo

Postado às 6:43 Hs

TRT/RN: Presidente e corregedor realiza correição  na 8ª Vara do Trabalho de Natal

Um dos pontos destacados pela correição ordinária, realizada na 8ª Vara do Trabalho de Natal pelo presidente-corregedor do TRT-RN, desembargador Ronaldo Medeiros, foi o total de valores pagos aos reclamantes e arrecadados para a Previdência Social e para a Receita Federal durante o ano de 2010.

Ao todo, foram pagos aos reclamantes uma soma de R$ 3.209.920,11; R$ 1.106,847,62 em execução, e R$ 2.103.072,49 por meio de acordos realizados entre as partes.

Em contribuição previdenciária, a 8º vara recolheu R$ 645.167,76 e mais R$ 101.450,66 em imposto de renda. Em custas processuais, foram apurados R$ 406.032,47, enquanto os emolumentos pagos pelas partes (reclamantes e reclamadas) totalizaram R$ 88,48.

Entre os meses de janeiro e março deste ano, a 8ª Vara do Trabalho de Natal já pagou a seus reclamantes um total de 283.473,22 em decorrência de execução e R$ 597.588,19 por meio de acordos.

Para a Previdência Social foram recolhidos R$ 92.037,09 e mais R$ 19.734,74 para a Receita Federal (Imposto de Renda). As custas processuais somaram R$ 66.052,31 e as custas e emolumentos R$ 16,59.

Como aspectos positivos da 8ª Varado Trabalho, a correição verificou a utilização regular do SAP-1 – Sistema de Acompanhamento Processual da 1ª instância, com alimentação correta e atualizada, retratando o real andamento dos processos; a utilização efetiva das ferramentas eletrônicas BACEN JUD, RENAJUD e INFOJUD; sentenças líquidas em todos os processos submetidos ao rito sumaríssimo e em alguns dos ordinários;  a pequena quantidade de erros formais, processuais e procedimentais detectados, o que demonstra a qualidade do trabalho realizado pela equipe da Vara;  a redução considerável do percentual de processos submetidos a despacho correicional (de 42,44% para 22%) em relação à correição do ano anterior; e a observância dos prazos fixados pelo sistema de agendamento de tarefas.

No seu relatório final, o presidente-corregedor do TRT-RN registrou o cumprimento por parte da 8º vara de duas metas prioritárias do Conselho Nacional de Justiça para 2010, a nº 1, julgando quantidade igual à de processos de conhecimento distribuídos e parcela de estoque e a nº 2, julgando todos os processos de conhecimento distribuídos até 31 de dezembro de 2007.

Na correição, constatou-se também que a vara não conseguiu cumprir a meta prioritária nº 3, determinada pelo CNJ, que prevê a redução em, pelo menos, 10% do acervo de processos da fase de execução e em 20% o seu acervo de processos de execuções fiscais pendentes em 31 de dezembro de 2009.

A 8ª Vara do Trabalho de Natal tem como titular o juiz Bento Herculano Duarte Neto.

Fonte: Ascom/TRT 21ª Região

15
mar

Só em setembro…

Postado às 9:02 Hs

O Ministério do Trabalho e Emprego informou à Agência Brasil que adiou para setembro a entrada em vigor da portaria que disciplina o registro de ponto eletrônico e a utilização do Sistema de Registro Eletrônico de Ponto. A portaria devia entrar em vigor no dia 1º. O ministério não deu informações sobre os motivos que levaram à transferência de data. Esta é a segunda vez que a portaria tem sua data de entrada em vigor adiada. A primeira foi em agosto do ano passado.

À época, a mudança de data foi uma reivindicação de representantes dos trabalhadores e dos empregadores. No ano passado, o MTE argumentou que um estudo da Secretaria de Inspeção do Trabalho constatou a falta de equipamentos no mercado para atender a regulamentação. A falta de equipamentos poderia provocar uma onda de contestações judiciais pelas empresas, que não poderiam ser multadas porque não tinham o aparelho eletrônico. A Portaria do Ministério do Trabalho nº 1.510/2009 estabelece que as empresas que já utilizam o registro eletrônico de ponto terão que adotar o sistema regulamentado pelo ministério.

Segundo a portaria, as empresas terão de entregar aos funcionários um comprovante de marcação com a hora de entrada e saída do empregado. Empresas que usam o controle manual ou máquinas de registro mecânicas estão dispensadas.

jul 15
quarta-feira
20 54
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
86 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.828.933 VISITAS