26
jan

Em Pau dos Ferros

Postado às 12:02 Hs

Prefeita Marianna Almeida e o vereador Reginaldo Alves

Vereador Reginaldo Alves é indicado Líder do Governo na Câmara Municipal de Pau dos Ferros/RN

Na manhã desta segunda-feira (25), a Prefeita Marianna Almeida (PSD), protocolou o ofício Nº 033/2021-PMPF, indicando o Vereador Reginaldo Alves da Silva (PL) para ser o Líder do Governo na Câmara Municipal de Pau dos Ferros/RN.

Entre as funções do líder estão esclarecimentos de dúvidas sobre projetos encaminhados pelo poder executivo, além de ser o elo de ligação entre os parlamentares e o prefeito.

“Estou preparado para ouvir as críticas e elogios, pois fazem parte do processo democrático. Aproveito para agradecer a prefeita Marianna Almeida pela confiança e também ao povo de Pau dos Ferros que me elegeu para representá-los no Poder Legislativo”, disse o parlamentar. O vereador escolhido também afirmou que irá colaborar para estreitar as relações entre os poderes, e que está à disposição dos pares para juntos construir diálogos construtivos em prol dos pau-ferrenses.

Reginaldo Alves alcançou êxito na primeira vez que disputou uma cadeira na Casa Legislativa, recebendo o apoio de 785 eleitores.

Começam hoje (26) e vão até o dia 29 de janeiro as inscrições para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) 2021. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), este ano o Fies vai oferecer 93 mil vagas. As inscrições podem ser feitas no portal do Fies. O resultado da seleção será divulgado no dia 2 de fevereiro. Em caso de pré-seleção para uma vaga na chamada única do Fies, o candidato terá o período de 3 a 5 de fevereiro de 2021 para complementar sua inscrição.

Quem não for pré-selecionado vai automaticamente para a lista de espera. A convocação por meio da lista de espera ocorrerá de 3 de fevereiro até 18 de março de 2021. Pelo regulamento do programa, os candidatos pré-selecionados na lista de espera deverão complementar a inscrição no prazo de três dias úteis, contados do dia subsequente ao da divulgação de sua pré-seleção no FiesSeleção.

Termina na próxima sexta-feira (29) o prazo para a regularização e inscrição no Simples Nacional das micro e pequenas empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano. A solicitação é feita exclusivamente pela internet, por meio do portal do Simples Nacional. Com o pedido aceito, a adesão retroagirá ao dia 1º de janeiro.

O Simples Nacional é regime tributário diferenciado, que reúne em um único documento de arrecadação os principais tributos federais, estaduais, municipais e previdenciários devidos pelas micro e pequenas empresas. O recolhimento, feito por esse documento único, deve ser pago até o dia 20 do mês seguinte àquele em que houver sido auferida a receita bruta.

Também poderão aderir ao Simples as empresas que estavam no Lucro Presumido ou Lucro Real e tiveram queda significativa no faturamento em 2020, por causa da pandemia. Essas empresas deverão cumprir o mesmo prazo. Em outra novidade, que vale excepcionalmente agora, o governo federal não excluiu empresas com débitos tributários em 2020 e as empresas optantes que estavam inadimplentes permaneceram no Simples em 2021.

No caso de empresas que ainda não eram optantes pelo Simples, no momento da opção o sistema responde automaticamente se há pendências com os fiscos federal, estadual ou municipal. Para a regularização de pendências com a Receita Federal ou com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional não é necessário que o contribuinte se dirija a uma unidade da Receita Federal, basta seguir as orientações para regularização de pendências no site da Receita Federal. Para a regularização de pendências com os estados, o Distrito Federal e municípios, o contribuinte deve procurar a Administração Tributária responsável.

Agência Brasil

Marcado para o próximo dia primeiro de fevereiro, o retorno às aulas na rede estadual de ensino, programadas para acontecer em um formato híbrido, com aulas presenciais e remotas, através da internet, não agrada a direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Rio Grande do Norte (Sinte/RN), que adianta que se as aulas presenciais forem obrigatórias, não está descartada a possibilidade de uma greve. As informações são do Saiba Mais – Agência de reportagem.

“Não é o momento para retornar presencialmente porque a pandemia, inclusive, vem apresentando números crescentes no país e no estado. Sabemos que muitas escolas não estão preparadas porque não receberam os recursos necessários para fazer as adequações. As escolas não estão devidamente equipadas e é preciso ter segurança nesse retorno, por isso defendemos que o retorno presencial seja feito com a vacinação”, explica Bruno Vital, que faz parte da diretoria do Sinte.

A reportagem ainda destaca que segundo o sindicato dos professores, a categoria não se opõe ao retorno às aulas remotas, o problema é a obrigatoriedade das aulas presenciais que, com um calendário de vacinação incerto em todo o país, colocaria a vida de professores, funcionários e estudantes em risco:

“Não há clareza sobre a vacinação no país e não sabemos por quanto tempo isso vai se prolongar. A única certeza é que a vida das pessoas devem estar em primeiro lugar. Mas, se o Governo estabelecer que o retorno presencial é obrigatório, vamos deflagrar uma greve em defesa da vida, para que as aulas retornem após a vacinação”, reforça.

Matéria na íntegra AQUI.

Apesar das resistências, o Ministério da Economia já discute uma nova rodada do auxílio emergencial, mas com uma condição: a realização de um acordo com o Congresso para aprovação rápida de medidas de corte de gastos. A decisão só deve ser tomada depois das eleições para o comando da Câmara e do Senado – marcadas para 1.º de fevereiro –, quando o ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende abrir diálogo para a aprovação das medidas. Até lá, a estratégia é “segurar a respiração e esperar a eleição”, como definiu ao Estadão um integrante da equipe econômica. A posição dos quatro principais candidatos à presidência de Câmara e do Senado, favoráveis à nova rodada do auxílio em meio ao avanço da covid-19, está forçando o governo a rever os planos, ao mesmo tempo que cresce a pressão para o governo acelerar as negociações para adquirir vacinas para imunizar a população e destravar a economia. Como revelou o Estadão no sábado, o ministro quer aproveitar o momento de pressão dos parlamentares, governadores e prefeitos para tentar “fazer do limão uma limonada” e aprovar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) com medidas de ajuste que não avançaram em 2020, incluindo cortes em gastos com os servidores.
26
jan

Avançando…devagar

Postado às 8:12 Hs

O Brasil iniciou a imunização contra o coronavírus quase um mês depois dos países da rica Europa, como Dinamarca, Bélgica, Suíça Portugal etc. Mas, desde o dia 17, início da vacinação por aqui, o Brasil já é o 5º país que mais imuniza no mundo. Apenas Estados Unidos, Reino Unido, Índia e Israel vacinaram mais habitantes, no mesmo período, segundo a plataforma Our World in Data. No total, o Brasil é o 15º país com mais imunizados (mais de 700 mil). EUA estão em 1º, com 21,3 milhões. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Em toda a América do Sul, cerca de um milhão de pessoas foram vacinadas. Desse total, 70% já são brasileiros. A Argentina, muito elogiada na imprensa brasileira, iniciou a imunização no dia 29 de dezembro. Até ontem, imunizou menos da metade do Brasil.

O Canadá, primeiro país a iniciar a vacinação no mundo, mais de um mês antes do Brasil, em 14 de dezembro, tem 816 mil imunizados.

DIÁRIO DO PODER

26
jan

@@@ O dia de hoje na História… @@@

Postado às 7:05 Hs

26 de janeiro:
Dia da Gula.
Dia de Santo Timotéo e Santa Paula
Nesta data em:

1654 – Insurreição Pernambucana, na imagem, terminam as Invasões holandesas no Brasil.
1788 – Dia da Austrália: a First Fleet (“Primeira Frota”) chega ao território australiano e inicia-se a colonização britânica, com a instalação de uma colônia penal na área da atual Sydney.
1950 – É proclamada a República da Índia.

Nasceram neste dia…

1917 – Antônio Callado, jornalista e escritor brasileiro, membro da ABL (m. 1997).
1925 – Paul Newman, ator norte-americano (m. 2008).
1963 – José Mourinho, treinador de futebol português.

Morreram neste dia…

1823 – Edward Jenner, médico britânico, inventor da vacina da varíola (n. 1749).
1824 – Théodore Géricault, pintor francês (n. 1791).

1931 – Graça Aranha, escritor e político brasileiro (n. 1868)
1993 – Robert Jacobsen, escultor e pintor dinamarquês (n. 1912).

2009 – Renato Consorte, ator brasileiro (n. 1924).

2011 – John Herbert, ator, diretor e produtor brasileiro

2012 — Djaci Falcão, jurista e magistrado brasileiro (n. 1919).

2019 — Wagner Montes, apresentador de televisão e político brasileiro (n. 1954).

2020 – Kobe Bryant, jogador de basquete americano (n. 1978).
2020 – Tunai, cantor e compositor brasileiro (n. 1950).

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Juventude da Prefeitura de Mossoró dispõe de três postos de atendimento do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). Os postos continuam funcionando durante a pandemia da Covid-19 com horário diferenciado, respeitando as normas sanitárias. Durante a pandemia os atendimentos do CadÚnico em Mossoró acontecem das 7h às 14h, de segunda a sexta-feira. Os postos estão localizados no Centro Administrativo Alcides Belo, no bairro Aeroporto; na Avenida Alberto Maranhão, no Centro da cidade; e no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) Barrocas, na Avenida Alberto Maranhão, S/N, em frente à Escola Municipal Antônio da Graça Machado. Em breve os atendimentos retornam ao horário normal.
25
jan

Números da Covid

Postado às 20:27 Hs

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta segunda-feira (25):

– O país registrou 627 óbitos nas últimas 24h, totalizando 217.664 mortes;

– Foram 26.816 novos casos de coronavírus registrados, no total 8.871.393 pessoas já foram infectadas.

– O número total de recuperados do coronavírus é 7.709.602, com o registro de mais 55.832, pacientes curados. Outros 944.127 pacientes estão em acompanhamento. O número de pessoas curadas já representa 86,9% do total de casos acumulados.

A Prefeitura de Mossoró anunciou, hoje (25) o calendário de pagamento do servidor público municipal de 2021. Conforme o cronograma anual, o funcionalismo receberá salário no último dia útil de cada mês. Ou seja, salário base e adicionais dentro do mês trabalhado.

Sobre vencimentos atrasados de 2020, a Prefeitura estuda medidas administrativas e legais para fazer o pagamento. A dívida supera R$ 11 milhões e diz respeito à insalubridade, horas extras, 13º salário, diárias e outros direitos. A gestão anunciará, em breve, como será esse pagamento.

Em relação ao terço de férias dos professores, a gestão municipal garante que também será pago ainda este mês. Sobre décimo terceiro salário, a Prefeitura iniciou levantamento financeiro para verificar se consegue pagá-lo no mês do aniversário do servidor ou em dezembro.

Segundo o prefeito Allyson Bezerra, o servidor público agora é ouvido e prestigiado. “Apesar de tantas dificuldades administrativas, honraremos compromisso com o servidor e manteremos em dia o salário dos trabalhadores. Tudo está sendo feito com muita responsabilidade”, assegura.

O calendário anual propicia planejamento e mais segurança financeira ao funcionalismo, na avaliação do chefe de Gabinete e secretário interino da Administração, Kadson Eduardo. “Ao saber a data do recebimento, o servidor pode se organizar ao longo do ano”, observa.

Fonte: Portal RN e Anna Ruth Dantas

O deputado federal Chiquinho Brazão (Avante-RJ) não enxerga outra opção a não ser a volta do auxílio emergencial. Não por acaso, ele é o autor do projeto de lei 5650/20, que determina a extensão do benefício de R$ 600 até abril. Segundo ele, a volta do auxílio significa um “compromisso dos deputados com o povo.”

“A curto prazo, não temos outra escolha. A Câmara como um todo é favorável pela extensão dos R$ 600 para que tenhamos uma luz no fim do túnel”, disse o deputado ao CNN Business. “Devido ao momento, mesmo com o avanço da vacina, eu acredito que a votação pode ser em fevereiro.”

Desde o início da pandemia, o governo já gastou mais de R$ 288 bilhões em pagamentos do benefício. Entre abril e setembro, o valor do benefício era de R$ 600 por pessoa ou R$ 1,2 mil para mães provedoras da família. De outubro até dezembro, pagamento da última parcela, o valor cairia pela metade.

No valor cheio do benefício, a média de dinheiro dispendida pelo governo foi de R$ 50 bilhões por mês. Montante este que caiu pela metade nos últimos meses do ano.

O grande problema – e que preocupa economistas e investidores – é de onde vai sair todo esse dinheiro. A dívida pública do governo está cada vez mais próxima de 100% do PIB, o que não permite que o governo gaste o dinheiro como bem entender.

Para completar, há o Teto de Gastos, regra que limita os gastos do governo aos mesmos do ano anterior, somada a inflação. No ano passado, por causa da aprovação do estado de calamidade pública, o teto não precisou ser cumprido.

Fonte:  CNN

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou filiação a um novo partido político em março. Após não conseguir tirar o Aliança pelo Brasil do papel, o chefe do Planalto passou a negociar a filiação a uma outra legenda para tentar a reeleição em 2022 e também levar aliados a uma nova sigla. Nesta segunda-feira, 25, Bolsonaro foi questionado sobre o partido em conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada. “Em março eu decido, ou decola o partido ou vou ter que arranjar outro”, disse o presidente. “Se não decolar, a gente vai ter que ter outro partido, se não, não temos como nos preparar para as eleições de 2022”.
25
jan

Registros

Postado às 12:33 Hs

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (25). Foram mais 357 casos confirmados, totalizando 136.131. No domingo (24) eram 135.774 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 3.240 no total. Foram 3 (três) mortes ocorridas nas últimas 24 horas, (Parnamirim, São Tomé e Equador).

A Sesap também registrou 2 (dois) óbitos ocorridos em dias ou semanas anteriores, após a confirmação de exames laboratoriais. Até domingo (24), eram contabilizados 3.235 mortos. Óbitos em investigação são 559.

Casos suspeitos somam 74.937 e descartados são 313.196. Recuperados são 95.604. 

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 62%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (25). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 313. Até o momento desta publicação são 93 leitos críticos (UTI) disponíveis e 152 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 143 disponíveis e 161 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região Seridó apresenta 85,7% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 62,5% e a Região metropolitana de Natal 55,4%.

Poder360

A história dos grandes jornais diários brasileiros durante os 2 primeiros anos de mandato de Jair Bolsonaro (2019 e 2020) é de sobrevivência. Passados 24 meses, 10 dos principais veículos do país conseguiram juntos manter sua circulação, quando se somam os exemplares pagos impressos e digitais.

Em dezembro de 2018, a circulação total (impressa e digital) desses 10 jornais tradicionais era de 1.444.104 exemplares. Em dezembro de 2020, segundo o  IVC (Instituto Verificador de Comunicação), o número foi de 1.428.073. Uma queda ínfima de 1,1%, que pode ser entendida como estabilidade.

Para esta reportagem a respeito do setor de mídia, o Poder360 selecionou estes 10 veículos: Folha de S.Paulo, O Globo, O Estado de S.Paulo, Super Notícia (MG), Zero Hora (RS), Valor Econômico, Correio Braziliense (DF), Estado de Minas, A Tarde (BA) e O Povo (CE).

Cabe destacar que, quando analisados separadamente, esses 10 veículos contam histórias diferentes nos 2 primeiros anos do governo Bolsonaro. Folha, Globo, Valor e A Tarde tiveram desempenhos positivos em suas tiragens pagas. Os demais enfrentaram uma queda global de circulação.

O segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 teve 55,3% de faltas, abstenção recorde no exame, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Do total de 5.523.029 inscritos no exame, menos da metade, 2.470.396, compareceu aos locais de prova. O índice foi maior que no primeiro dia, quando 51,5% dos inscritos não compareceram às provas.  A média histórica de abstenção no Enem, segundo o Inep, é de cerca de 27%. O recorde anterior havia sido registrado em 2009, com 37,7% de abstenção. Foram eliminados no segundo dia 1.274 participantes por descumprirem as regras do exame, além de 14 emergências médicas. No primeiro dia, 2.967 candidatos foram eliminados. De acordo com o presidente do Inep, Alexandre Lopes, o número de faltosos foi maior do que o esperado, mesmo assim, a realização do exame foi vitoriosa. “
25
jan

Mais vacinas

Postado às 10:28 Hs

O Governo do Estado informa em suas redes sociais que o Rio Grande do Norte recebe na manhã desta segunda-feira (25) mais um lote de vacinas contra a Covid-19.

Serão 14.500 doses da Coronavac para finalização da vacinação dos profissionais da saúde e início da imunização em idosos acima de 75 anos.

Na terça-feira 19 o Estado já havia recebido 82.400 doses da Coronavac.

Diante da crescente pressão por uma nova rodada de auxílio emergencial para ajudar os mais vulneráveis à crise da covid-19, o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, disse neste domingo, 24, esperar do governo e do Congresso a “sensibilidade necessária” para encontrar o melhor caminho. Ele destacou, porém, que será necessário definir, durante a votação do Orçamento de 2021, qual será a prioridade dada a essa iniciativa, respeitando as condições fiscais da União.

“Teremos votação do Orçamento, espero, entre fevereiro e março. Esse será o momento de definir qual prioridade que governo dará, dentro de sua condição orçamentária, a um novo programa ou à manutenção do que aí está. Tem muito a ver com essa sinergia necessária entre Parlamento e governo federal e com o apelo da própria sociedade. Agora, essa é uma missão do ministro Onyx (Lorenzoni, da Cidadania), junto com o presidente (Jair Bolsonaro)”, disse Marinho em entrevista à GloboNews. “Espero que haja sensibilidade necessária para encontrarmos o melhor caminho”, afirmou.

Estadão

Via G1

Nem aproximação do governo de Jair Bolsonaro com o ex-presidente americano Donald Trump impediu uma queda expressiva do comércio entre Brasil e Estados Unidos em 2020, em meio à pandemia do coronavírus.

Levantamento da Amcham Brasil com base nos dados do Ministério da Economia dá conta de que o intercâmbio comercial entre os países teve o pior resultado em 11 anos, desde o desenrolar da crise do subprime.

Além de uma pauta comercial baseada em produtos mais trabalhados, as barreiras tarifárias impostas por Trump, que não puderam ser revertidas, prejudicaram a indústria brasileira, segundo a entidade.

De acordo com dados oficiais, a corrente de comércio em 2020 — soma entre exportações e importações — foi de US$ 45,6 bilhões, redução de 23,8% em relação a 2019. Foram vendidos US$ 21,5 bilhões (-27,8%), enquanto as compras somaram US$ 24,1 bilhões (-19,8%). Houve, portanto, déficit de US$ 2,6 bilhões.

O resultado destoa da média da balança comercial brasileira. A somatória das movimentações foi de US$ 368,847 bilhões em 2020 contra US$ 401,4 bilhões em 2019, uma redução de 9%.

O Brasil exportou US$ 209,9 bilhões e importou US$ 158,9 bilhões, quedas de 6,1% e 9,7%, respectivamente. No agregado, houve superávit de US$ 50,9 bilhões.

“O setor siderúrgico foi muito afetado. Há restrições em vigor desde 2018, que tiveram efeito nos dois anos passados, mas foram ainda mais negativas em 2020”, afirma Abrão Neto, vice-presidente executivo da Amcham Brasil.

jan 26
terça-feira
12 08
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
116 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.845.943 VISITAS