Levantamentos feitos pelas pastas da assistência social dos estados do Nordeste estimam que 1.681 jovens estejam nessa situação no Rio Grande do Norte; 26.543 no NE e 130 mil no Brasil. A governadora Fátima Bezerra envia à Assembleia Legislativa o Projeto de Lei (PL) que cria o Programa Estadual de Proteção às Crianças e Adolescentes Órfãos de Vítimas da Covid-19, denominado “RN ACOLHE”. O projeto segue as diretrizes definidas na Resolução nº 03/21, publicada pelo Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste – Consórcio Nordeste, aprovada na Câmara Temática da Assistência Social, presidida pelo Estado do Rio Grande do Norte. Levantamentos elaborados pelas pastas de assistência social dos estados da região Nordeste estimam em 1.681 o total de jovens nessa situação no Rio Grande do Norte

Os gestores dos fundos geridos por conselhos municipais, estaduais, distrital e nacional dos direitos da criança e do adolescente devem preencher formulário digital de cadastramento ou recadastramento, se verificarem incorreções nos dados, até dia 15 de outubro. O alerta consta da Portaria 2.006/2021 do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).

Os Fundos da Criança e do Adolescente (FDCA) têm como objetivo financiar projetos que garantam os direitos da criança e do adolescente. Foi criado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) – Lei 8069/90 – no seu artigo 260. É de responsabilidade dos gestores municipais e estaduais manter atualizados os dados cadastrais relativos aos Fundos. Quem recebe esses dados é o MMFDH, por meio do cadastramento de fundos. Os Fundos que não têm cadastro ou os que apresentam inconsistências em seus dados, devem preencher o formulário de cadastramento disponível aqui para regularizar essa situação. A Secretaria da Receita Federal, de posse desses dados repassados pelo MMFDH, procederá a análise e o repasse dos recursos aos Fundos.

Os Municípios que já fizeram o cadastramento e não têm informações para atualizar ou corrigir não precisaram refazer o procedimento. A Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (SNDCA) disponibilizou um Manual de Cadastramento com Perguntas e Respostas para auxiliar os Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e Adolescente (CMDCA) com a demanda, bem como canal exclusivo de comunicação com os gestores pelo e-mail: cadastro.fdca@mdh.gov.br e pelo telefone(61) 2027-3104.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) ressalta que é importante que os gestores realizem o cadastramento de fundos dos direitos da criança e do adolescente para somar possibilidades de acesso e garantia de direitos desse público, que é prioritário.

Formulário de cadastramento para regularizar essa situação disponível aqui.

Agência CNM de Notícias

O presidente Jair Bolsonaro promulgou a lei que suspende, até 31 de dezembro de 2021, a comprovação de vida para os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A medida havia sido vetada por Bolsonaro na Lei nº 14.199, de 2 de setembro de 2021 que prevê meios alternativos para prova de vida, mas o veto foi derrubado pelo Congresso.

O trecho, agora em vigor, foi publicado ontem (6) em edição extra do Diário Oficial da União. A prova de vida é uma exigência para manutenção do benefício, e o não cumprimento leva a sanções que podem chegar à suspensão do pagamento por falta de atualização cadastral.

Em 2020, a exigência da prova de vida foi suspensa em razão da pandemia de covid-19, mas retomada em junho deste ano. A medida afeta a vida de mais de 7,3 milhões de aposentados e pensionistas do INSS que, agora, não terão seus benefícios suspensos caso não façam o procedimento.

11
out

De volta ao passado

Postado às 12:18 Hs

Reprodução

Brasileiros usam mais lenha do que gás na cozinha

O uso de lenha como fonte de energia já ocupa o 2º lugar entre as principais fontes de energia nas casas dos brasileiros, com 26,1% de participação –atrás apenas da energia elétrica. O GLP (gás liquefeito de petróleo) aparece em seguida, com 24,4%.

Em 2020, o consumo de restos de madeira em residências aumentou 1,8% na comparação com 2019, segundo a Epe (Empresa de Pesquisa Energética). A lenha ultrapassou o GLP nas cozinhas brasileiras a partir de 2017, quando começou a disparada do preço do gás, depois que a Petrobras mudou a política de preços e passou a reajustar o GLP toda vez que a cotação do petróleo e o câmbio subiam.

A Petrobras já reajustou o preço do GLP em 47,53% somente em 2021. Desde o começo de 2020, a alta acumulada é de 81,5%. O último reajuste, de 7,2%, foi anunciado na última 6ª feira (8.out.2021).

Com o aumento crescente do valor do gás de cozinha – que tem o preço médio de R$ 97,73 reais e já chega a R$ 135 em alguns lugares – e com a crise econômica, várias famílias passaram a recorrer à lenha. Devido à disparada de preços, a Petrobras vai destinar R$ 300 milhões para um programa social de subsídio que ajudará famílias de baixa renda a comprar o gás de cozinha.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta terça-feira (5) o projeto que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021 com o objetivo de viabilizar o Auxílio Brasil, o novo programa social do governo federal que substituirá o Bolsa Família. O texto autoriza a criação de programas de transferência de renda para enfrentamento da pobreza e da extrema pobreza, tendo como medida compensatória proposições legislativas ainda em tramitação, como é o caso do projeto de alteração do Imposto de Renda e da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que parcela o pagamento de precatórios (dívidas do governo com sentença judicial definitiva). Na prática, a nova redação da LDO permite a criação do programa antes que os recursos para custeá-lo tenham fonte certa.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República informou que sanção da mudança na LDO 2021 não terá impacto no cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e que as medidas compensatórias deverão estar aprovadas no momento em que o novo programa social entrar em vigor.

“Salienta-se que a presente alteração não afasta o cumprimento da LRF, inclusive quanto à necessidade de efetiva aprovação de medidas compensatórias, as quais deverão estar em vigor no momento do aumento da despesa. O que a presente alteração possibilita é que os projetos que aumentem a despesa sejam propostos ao Poder Legislativo antes da aprovação final das respectivas medidas compensatórias, possibilitando que as duas propostas tramitem em paralelo e sejam votadas pelas duas Casas de forma independente. Essa alteração dará, portanto, maior agilidade à discussão e tramitação dos dois projetos no âmbito do Legislativo, o que permitirá, conforme expectativa do governo federal, que ambas as medidas estejam aprovadas até o final do corrente ano”, diz a pasta.

Atualmente, o Bolsa Família atende cerca de 14,5 milhões de famílias com um benefício médio de R$ 190. O novo programa social pretende expandir o número de beneficiários para cerca de 17 milhões e aumentar o valor médio do benefício para cerca de R$ 300.

Agência Brasil

Uma alta fonte do governo federal garantiu: “Vamos retomar as conversas”, referindo-se à prorrogação do auxílio emergencial, que termina no fim do mês. Integrantes da ala política defendem a ideia de aumentar o valor, que hoje varia de R$ 150 a R$ 375, e prorrogar o benefício até o fim de 2022. A intenção é evitar que o benefício termine antes das eleições e tentar dar um fôlego eleitoral à disputa da reeleição do presidente Jair Bolsonaro. Nesse contexto, os integrantes do governo defendem até um aumento do valor do benefício para algo em torno de R$ 400 a R$ 500. O problema é que, na visão da equipe econômica, a medida aceleraria ainda mais a inflação, que já está na casa dos dois dígitos. “A inflação vai continuar subindo. Aí, quem pegar o país vai pegar todo complicado. É incrível a falta de patriotismo, de responsabilidade de quem está defendendo. Na verdade vai ser ruim para todo mundo, vai ser ruim para o governo, vai ser ruim para o Brasil, vai ser ruim para todo mundo”, afirma fonte.

A partir de sexta-feira (1º), o consumidor de baixa renda poderá ter sua luz cortada ou interrompida se não pagar a conta. Durante a pandemia, o corte de energia havia sido suspenso pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), mesmo que a conta de luz não tivesse sido paga. Agora, o corte da energia volta a ser permitido.

A medida da Aneel, que determinava a suspensão no corte no fornecimento de luz, passou a valer em abril do ano passado. Entre abril e julho, ela funcionou para todas as unidades residenciais. De julho até dezembro, ficou mantida a suspensão apenas para famílias de baixa renda.

Neste ano de 2021, entre abril e setembro, a Aneel voltou a suspender o corte de energia por falta de pagamento, mas a medida funcionou apenas para famílias de baixa renda.

Segundo a Aneel, antes que o corte seja feito, a distribuidora de energia deve encaminhar a notificação por escrito para o consumidor com antecedência de 15 dias. No caso das famílias de baixa renda, a distribuidora pode negociar o parcelamento do débito em, no mínimo, três parcelas.

Foto: Wilson Moreno/PMM

As obras de pavimentação realizadas pela Prefeitura de Mossoró em ruas dos Pereiros, no Alto da Conceição, colocam fim a problemas históricos enfrentados há décadas pela população. Além do calçamento, a Secretaria de Infraestrutura, Meio Ambiente, Urbanismo e Serviços Urbanos (SEIMURB) modernizou o sistema de iluminação pública com a substituição de lâmpadas de vapor de sódio por luminárias LED.

A poeira, lama e buracos não fazem mais parte do dia a dia dos moradores das ruas Almirante Barroso e Francisco Valdo Filgueira, ambas contempladas com as obras. Além das melhorias em infraestrutura, o calçamento e tecnologia em iluminação trazem à comunidade mais segurança.  São melhorias visíveis e quem passa pelas ruas contempladas constata a qualidade dos serviços realizados.

Na manhã desta quarta-feira, 8, o prefeito de Mossoró Allyson Bezerra retornou aos Pereiros para averiguar a conclusão das obras e condições das ruas entregues aos moradores. “Nós estivemos há algumas semanas e verificamos um cenário de lama, poeira e assumimos o compromisso de retornar para entregar as ruas calçadas, com a drenagem feita e ainda com a iluminação de LED. Nós temos a satisfação de entregar à população, pois as obras representam o retorno dos tributos pagos pelo contribuinte. É o dinheiro retornando ao povo através dos serviços”, destacou o prefeito.

Foto: Wilson Moreno/PMM

O corpo técnico de engenheiros da Secretaria de Infraestrutura também vistoriou as ruas recém-calçadas na zona Sul de Mossoró. “Em pouco tempo conseguimos realizar a obra e estamos voltando para entregar as ruas calçadas. São benefícios diretos para os moradores que há muitos anos solicitavam os serviços. É o município promovendo melhorias na qualidade de vida da população com mais segurança, acessibilidade, mobilidade por meio de obras. São obras que estamos realizando na cidade inteira”, frisou Rodrigo Lima, secretário municipal de Infraestrutura.

Quem mora na região beneficiada relata a mudança que a chegada da pavimentação trouxe para a vida dos moradores. “Melhorou muito para nós, pois era tão ruim quando não tinha calçamento e a Prefeitura fez isso pra gente. Antes era só barro e quando chovia ficavam as poças de lama com os carros deixando a situação bem crítica. Quem passa por aqui elogia muito”, disse Maria do Socorro Batista, moradora da Rua Francisco Valdo Filgueira.

Foto: Wilson Moreno/PMM

A comerciária Zélia Amorim também aprovou as obras promovidas pela Secretaria de Infraestrutura em sua comunidade. “É um sonho que estava muito longe da realidade e que agora finalmente foi concretizado. Olhe, porque quando chovia era um verdadeiro lamaçal e agora está aí a rua modificada. Nós fomos contemplados, presenteados com a obra que só trouxe benefícios para a gente”, contou.

Fonte: Assessoria

Com a previsão de atender até 16 milhões de famílias a partir de novembro, o Auxílio Brasil, programa que pretende substituir o Bolsa Família, exigirá inscrição ou atualização no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) para os trabalhadores informais de baixa renda. Segundo a Medida Provisória 1.061/2021, esse é um dos critérios para ter direito ao benefício.

Além dos dados atualizados no CadÚnico, a família deve ter renda mensal de meio salário mínimo por pessoa (R$ 550, atualmente) e renda mensal total de até três salários mínimos (R$ 3,3 mil, em valores atuais). A exigência não vale para quem recebe o Bolsa Família. Nesse caso, a migração para o novo programa será automática, segundo o Ministério da Cidadania.

Os valores das parcelas não foram definidos e só serão informados em meados de outubro. Isso porque parte dos recursos para o Auxílio Brasil dependerão da aprovação de um fundo que consta da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios.

Chamado de Auxílio Brasil, o novo programa social que pretende substituir o Bolsa Família tem três modalidades de benefício básico: para primeira infância, para famílias com jovens de até 21 anos de idade e para a complementação para famílias que não conseguirem sair da extrema pobreza mesmo após receber os benefícios anteriores. Os valores só serão definidos no fim de setembro.

Além do benefício básico, o programa social terá seis benefícios acessórios, que poderão se somar ao valor recebido. Eles funcionarão como bônus para quem se cumprir determinados requisitos adicionais. A intenção, segundo o governo, é de iniciar os pagamentos desse novo programa em novembro. Os novos valores ainda não foram anunciados e geram queda de braço entre a ala política e a ala econômica do governo. O presidente Jair Bolsonaro prometeu um aumento de, no mínimo, 50% no valor médio do Bolsa Família, que atualmente é de R$ 189, poderia ir para R$ 283,50.

O presidente Jair Bolsonaro confirmou hoje o lançamento de um novo programa social que deve substituir o Bolsa Família. Segundo Bolsonaro, ele se chamará “Auxílio Brasil” e terá valor 50% superior ao atual programa de complementação de renda.

O anúncio foi feito durante a cerimônia de posse do novo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Estamos aprofundando de modo que tenhamos um novo programa, Auxílio Brasil, de pelo menos 50% maior que o Bolsa Família”, disse o presidente.

Bolsonaro, porém, não deu muitos detalhes sobre como será o novo programa e brincou dizendo que deixará os outros 50% para o ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciar.

Hoje, o valor médio do Bolsa Família é de R$ 192. O presidente já havia se manifestado sobre o novo programa afirmando que ele seria de no mínimo R$ 300, mas que tinha intenção de aumentar o valor para até R$ 400.

O governo federal já preparou uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) para instituir o Auxílio Brasil. A proposta prevê a distribuição de recursos provenientes do Fundo de Precatórios e bonificações em outras frentes, ligadas por exemplo ao desempenho escolar.

O no entanto, pode ser ameaçado pelos precatórios, as dívidas da União decorrentes de ações judiciais. O valor a ser pago pelo governo em 2022 já está próximo de R$ 90 bilhões, o que pode tirar espaço no Orçamento tanto do novo programa quanto de outras despesas do Estado.

UOL

O governo deve enviar ao Congresso nas próximas semanas uma medida provisória criando um novo programa social, afirmou nesta quarta-feira (28) o ministro da Cidadania, João Roma.

Ainda segundo o ministro, o novo programa vai reformular o Bolsa Família. A ideia é de que o valor do benefício seja de cerca de R$ 300 e atinja 17 milhões de famílias. O novo programa deve começar em novembro, um mês após acabar o pagamento do auxílio emergencial.

Roma falou com a imprensa ao lado do ministro da Economia, Paulo Guedes, após uma reunião entre os dois. “A reunião com o ministro Guedes foi justamente para tratar da finalização da reformulação dos programas sociais do governo Bolsonaro, que nós pretendemos apresentar até início do mês de agosto através de uma medida provisória”, disse Roma.

O governo já vinha anunciando a criação de um novo programa social. A definição da data para a MP é mais um passo. Roma explicou que o governo busca será fortalecer a transferência de renda e propiciar novas ferramentas para que a população em situação de vulnerabilidade possa alcançar maior qualidade de vida.

Além do Bolsa Família, o novo benefício social vai reformular o programa de aquisição de alimentos.

“Já em novembro entraremos com a reformulação dos programas sociais do governo, que visa o quê? O Bolsa Família, o programa de aquisição de alimentos, outras ferramentas que iremos estruturar para apresentar à população um programa fortalecido e ampliado”, completou o ministro.

Guedes afirmou que o novo programa vai respeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e o teto de gastos, mecanismo que limita as despesas do governo à inflação. “Não há violação do teto”, resumiu Guedes. Questionados sobre a fonte de financiamento do programa em 2022, os ministros não detalharam. Apenas afirmaram que serão com “os orçamentos da União”.

G1

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou hoje, em entrevista a uma rádio, que o novo Bolsa Família terá valor médio de R$ 300, acima dos R$ 250 previsto inicialmente pela equipe econômica. De acordo com o presidente, em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais, o novo valor será pago a partir de novembro deste ano, como era esperado.

Atualmente o valor médio pago aos beneficiários está em 192 reais. O reajuste seria de pouco mais de 50%.

O governo, no entanto, ainda não tem a previsão dos recursos. Parte viria da reformulação do imposto de renda, previsto no envio da reforma tributária, que ainda está sendo discutida no Congresso. Na entrevista, Bolsonaro disse ainda que pode vetar o projeto de reforma se houver aumento da carga tributária.

Fonte: Portal Grande Ponto

Foto: Allan Phablo/PMM

O município de Mossoró iniciou neste domingo, 11, em 10 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19 em pessoas de 36 anos mais sem comorbidades. O anúncio desta nova faixa etária foi feito pelo prefeito Allyson Bezerra no último sábado, 10.

Movidos pela esperança de ter chegado a hora de tomar a primeira dose, muitos mossoroense se deslocaram para os postos de vacinação espalhados pela cidade. Uma dessas pessoas foi Tiago Henrique. Morador do bairro Sumaré, o homem de 36 anos disse que acompanhava diariamente as redes sociais no intuito de que chegasse sua vez de receber o imunizante.

“Estava bastante ansioso para tomar a primeira dose da vacina. Sempre estava acompanhando nas redes sociais para chegar a minha idade e eu viesse tomar. (Ao tomar a primeira dose) eu senti que é uma dose de esperança por tudo que a gente já passou nesse período e serve também para incentivar as pessoas a vir tomar a vacina porque é muito importante”, disse Tiago que tomou a primeira dose da vacina da Pfizer na UBS Vereador Durval Costa, no bairro Walfredo Gurgel.

Flávio Fernando e Diego Menescal foram bem cedo a UBS Francisco Pereira Azevedo, no bairro Liberdade 1. Os dois também tomaram a primeira dose do imunizante da Pfizer e sentiram felizes pela oportunidade de serem vacinados contra o novo coronavírus e alertaram as pessoas para que tomem a vacina disponível no momento.

Foto: Allan Phablo/PMM

“Foi bem tranquilo tomar a primeira dose da vacina. O pessoal está bem organizado conduzindo aqui a vacinação com excelência e a espera lá fora também está sendo pouca e tudo saindo bem graças a Deus. Estava muito ansioso para tomar a primeira dose da vacina e independentemente de qual vacina for todos nós temos que vir se vacinar para poder se livrar logo dessa pandemia”, falou Diego que mora no bairro Dom Jaime Câmara.

“Uma nova oportunidade e uma esperança. Hoje tem muita gente escolhendo e o principal é a gente tomar (vacina) com fé e acreditar porque Deus deu sabedoria ao homem para que criasse medicamentos. A gente em tudo que for fazer tem de ter fé. Estava também muito ansioso para tomar a vacina. Era o que todo mundo estava esperando. Graças a Deus deu certo (tomar a primeira dose da vacina), frisou Flávio, morador do Sumaré.

Alguns documentos são necessários para recebimento da primeira dose. Pessoas incluídas na faixa etária 36 anos ou mais devem apresentar originais e cópias de documento oficial com foto, comprovante de residência e cartão de vacina (se houver).

Mossoró também começou no sábado a vacinação das pessoas com 37 anos mais. Na última sexta-feira, 9, o prefeito Allyson Bezerra havia anunciado o início da vacinação dos trabalhadores da limpeza urbana e hospitalar a partir dos 30 anos ou mais. Esses profissionais devem apresentar originais e cópias dos seguintes documentos: carteira de trabalho ou cópia de contrato de trabalho ou declaração da empresa, além do documento de identidade.

É importante que a pessoa esteja cadastrada no portal RN + Vacina para dar agilidade à vacinação. (https://maisvacina.saude.rn.gov.br/cidadao/). Caso, não tenha o cadastro, o mesmo será feito no local de vacinação.

Fonte: Assessoria

O novo programa social que Jair Bolsonaro pretende lançar em substituição ao Bolsa Família vai custar R$ 53 bilhões em 2022, ano de eleições e no qual o presidente pretende concorrer à reeleição. A cifra será 51,4% maior que a reservada ao programa neste ano.

A verba, segundo uma fonte do alto escalão do governo, será prevista na proposta de Orçamento para a União no próximo ano, que será encaminhada ao Congresso em agosto.

Na nova versão do Bolsa Família, o valor médio do benefício, que está em R$ 189, deve ficar em torno de R$ 270. Além da mudança nas faixas de valores, o governo pretende incluir cerca de três milhões de famílias, alcançando 17 milhões no total.

A PF (Polícia Federal) vai implementar um sistema de segurança que armazena dados de reconhecimento facial e impressão digital e cruza com informações pessoais sensíveis de cerca de 50 milhões de brasileiros. O contrato para utilização da ferramenta foi assinado pelo diretor-geral da PF, Paulo Maiurino, na 2ª feira (5).

O sistema, que se chama Abis (Solução Automatizada de Identificação Biométrica), é uma evolução do Afis (Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais), usado pela instituição há 16 anos. O programa faz parte de um antigo projeto da PF que foi negado anteriormente por conta de pendências com o TCU (Tribunal de Contas da União). Até o momento, o custo do sistema não foi divulgado.

Segundo a PF, o Abis vai “proporcionar a unificação de dados” de secretarias de segurança pública estaduais. “Essa parceria proporcionará às polícias judiciárias estaduais acesso seguro e eficiente a uma base biométrica nacional”, informou em nota.

“O Afis ainda disponibiliza serviços de controle de emissão de passaportes, registros de estrangeiros, certidão de antecedentes e identificação criminal. Com o tempo, poderá haver a completa integração com outros modelos de identificação biométrica, como íris e voz”, completou.

O preço do botijão de gás de cozinha vai aumentar nesta terça-feira (6). De acordo com o Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás Liquefeito de Petróleo (Singás-RN), o botijão vai chegar a R$ 105. O valor vai sofrer novo reajuste em função do aumento de 6% no preço médio de venda de gás liquefeito de petróleo (GLP) para as distribuidoras.

Segundo a estatal, o preço passará a ser de R$ 3,60 por kg, um aumento médio de R$ 0,20 (6%) por kg. De acordo com o presidente do Singás-RN, Francisco Correia, o preço já vai ser reajustado nesta terça-feira (6).

“Importante reforçar o posicionamento da Petrobras que busca evitar o repasse imediato para os preços internos da volatilidade externa causada por eventos conjunturais”, informou a estatal em nota. “Os preços praticados pela Petrobras seguem buscando o equilíbrio com o mercado internacional e acompanham as variações do valor dos produtos e da taxa de câmbio, para cima e para baixo.”

29
jun

Por que dos festejos juninos ???

Postado às 11:20 Hs

Origem da Festa Junina.

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.

 

Festas Juninas no Nordeste

 

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.

 

fonte: Sua Pesquisa.com

out 17
domingo
21 48
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
62 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.881.804 VISITAS