O Ministério da Educação (MEC) ampliou o prazo da pesquisa com a comunidade acadêmica sob a nova rotina de aulas e estudos diante da pandemia de Covid-19. Alunos e professores de todas as instituições de ensino superior, das redes pública e privada, que estavam matriculados ou lecionaram no primeiro semestre deste ano em cursos presenciais, têm até o dia 14 de agosto para participar, respondendo a um questionário on-line a respeito das experiências com as aulas nesta época de restrições e isolamento social. A iniciativa é um desdobramento da publicação da Portaria nº 544, de 16 de junho de 2020, que trata da substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais durante a circulação do novo coronavírus. O objetivo é entender a percepção dos alunos e professores sobre a nova rotina de aulas e estudos, bem como obter informações sobre as ferramentas e tecnologias utilizadas no caso das substituições ocorridas nos cursos presenciais com a utilização dos meios digitais, além de utilizar as informações para melhorar as políticas regulatórias e de supervisão do sistema federal de ensino superior

O Ministério da Educação editou uma portaria que autoriza as instituições federais de educação profissional técnica de ensino médio a suspenderem as aulas presenciais ou substituí-las por aulas à distância até 31 de dezembro de 2020 por conta da pandemia. A portaria foi publicada na edição da madrugada desta terça-feira (4) do “Diário Oficial da União” (DOU).

A medida determina que as instituições possam combinar as duas alternativas, suspendendo apenas parte das atividades e realizando as demais de forma não-presencial, “sempre que for possível e viável do ponto de vista estrutural, pedagógico e financeiro“. O MEC determinou que os institutos que escolherem suspender o calendário de atividades devem repor integralmente a carga horária perdida.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) agora oferece um simulado oficial do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para ajudar na preparação dos inscritos. O simulado utiliza conceitos de gamificação e pode ser acessado pelo aplicativo do Enem, em celular ou tablet. Quem já tem o app precisa atualizá-lo. O aplicativo do Enem está disponível nas plataformas Android e iOS. Com o simulado, o Inep ampliou as opções de preparação dos participantes, que poderão estudar em uma plataforma do próprio instituto. A proposta é que o usuário tenha em mãos uma ferramenta simples, com informações de qualidade, certificada pelos profissionais da área pedagógica do Inep.

O Ministério da Educação (MEC) publicou uma retificação ao edital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em que afirma que os candidatos terão que usar máscaras desde a entrada nos estabelecimentos da prova até a saída, tanto na prova impressa quanto na digital. Os participantes poderão levar máscara reserva para trocar durante a aplicação. Caso se recuse a usar máscara, o candidato poderá ser eliminado. A publicação está no “Diário Oficial da União” desta sexta-feira (31).

Ao todo, 5,8 milhões de candidatos estão inscritos. Destes, 96 mil farão a prova digital. Além do uso de máscaras, o edital cita o respeito ao distanciamento quando o candidato for apresentar-se na sala de aplicação da prova. O edital do Enem foi atualizado para alterar a data de realização do exame, já divulgada anteriormente. Em vez de novembro, como estava previsto antes da pandemia, a prova será feita em janeiro e fevereiro, com resultados divulgados em março.

Cronograma do Enem

Adiado após pressão de estudantes e parlamentares por causa da pandemia de Covid-19, o novo cronograma do Enem prevê:

  • Provas impressas: 17 e 24 de janeiro, para 5,7 milhões inscritos
  • Prova digital: 31 de janeiro e 7 de fevereiro, para 96 mil inscritos
  • Reaplicação da prova: 24 e 25 de fevereiro (para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura)
  • Resultados: a partir de 29 de março
O Comitê Setorial da Educação do Governo do RN está elaborando três áreas de protocolos para quando for possível retomar as aulas presenciais na rede pública de ensino. O Secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Getúlio Marques, disse nesta quinta-feira, 30, que os protocolos são para as áreas pedagógica, normativa e de biossegurança. “As aulas não foram suspensas, estão acontecendo por meios eletrônicos e via material impresso enviado para as comunidades rurais. O ano está comprometido, mas não perdido. Estamos fazendo todos os esforços para que não se perca o ano letivo de 2020”, afirmou o secretário na entrevista coletiva para atualização de dados e prestação de contas das ações da gestão estadual no enfrentamento à Covid-19.
30
jul

Convite

Postado às 11:10 Hs

CONVITE PARA O LANÇAMENTO DA PRÉ-CANDIDATURA A VEREADOR DO PROFESSOR TALES
Você já ouviu ou leu a frase “Eduquem as crianças, e não será necessário punir os adultos”?
É baseando-se nela, que analiso o quanto A EDUCAÇÃO É A BASE DE TUDO. Sou Professor, Educador, falo sobre Educação por a conhecer, a entender, a explicar, penso nela e escolhi fazer dela, minha Profissão, parte significa de toda minha vida.
Certa vez, um pensador falara que, “Escolha uma profissão que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”. Ser Professor não é fácil, mas só o é quem ama a Profissão, quem compreende que a Educação não acaba na sala de aula, que todos os espaços são de aprendizagem, que a Educação é um processo dialético e dialógico.
Para uma Educação de Excelência, todo país, estado e cidade deve a ter como PRIORIDADE. Aonde aprendemos as primeiras noções do que é correto ou errado? O que é legal ou crime? É a partir da Educação que sabemos dos nossos Direitos e Deveres.
Então, por isso afirmo, EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA caminham juntas e devem ser complementares para termos uma Cidadania real.
A aguardo, o aguardo no dia 9 de agosto, as 3 horas da tarde no Facebook TALES AUGUSTO OLIVEIRA e no Instagram, no perfil @PROFESSORTALES. DEUS ABENÇOE.A TODOS VOCÊS!
UM ABRAÇÃO VIRTUAL E ATÉ LÁ!
A mudança de regras na escolha de reitores das universidades públicas, que tanto levantou polêmica na gestão do ex-ministro Abraham Weintraub, continua a mobilizar funcionários do Ministério da Educação, que aguardam o retorno do ministro Milton Ribeiro para tocar o assunto. Em julho e agosto, não há indicações de reitores previstas, o que é visto como uma “feliz coincidência” para que o ministro, que está afastado de suas funções, se recupere da Covid-19 e tome pé deste e outros temas sensíveis da pasta. Há uma avaliação interna de que o governo deve propor novamente ao Congresso mudança no processo de escolha dos reitores. O tema já levou o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a devolver MP que aumentava os poderes do ministro da Educação durante a pandemia, quando o gestor ainda era Weintraub.

NOTA À IMPRENSA

Em razão de solicitações que recebeu durante todo o dia de pais, professores e gestores preocupados com as possíveis consequências que a volta às aulas poderia ocasionar na saúde dos seus filhos e alunos, embora tenha tido um posicionamento, com base em dados estatísticos e epidemiológicos, a princípio favorável do comitê científico municipal, o prefeito Álvaro Dias, sensível aos apelos lhe foram dirigidos, decidiu postergar a definição da data de retorno das aulas presenciais. Até lá, seguem em observação os dados epidemiológicos na cidade e a definição de protocolos para a volta às atividades escolares, sempre com a máxima preocupação com a preservação da vida humana, como tem sido pautada a atuação da Prefeitura no enfrentamento à Covid-19 desde o início da pandemia.

Prefeitura de Natal

As secretarias estaduais e municipais de Educação interessadas em aderir ao programa devem preencher o formulário com o e-mail e o CPF do respectivo secretário da pasta. Os dados cadastrais do secretário municipal, estadual ou distrital de Educação devem estar atualizados no sistema PDDE Interativo, ferramenta do MEC utilizada para o repasse de recursos às secretarias e para apoio à gestão escolar.
Alfabetização
O programa tem ações estruturadas em quatro eixos: formação continuada de profissionais da alfabetização, apoio pedagógico para a alfabetização, aprimoramento das avaliações da alfabetização e valorização dos profissionais da alfabetização.
O Tempo de Aprender disponibiliza um curso online de formação continuada em práticas de alfabetização, com estratégias de ensino para o primeiro e o segundo ano do ensino fundamental. Ele é destinado a professores, coordenadores pedagógicos, diretores escolares e assistentes de alfabetização, que, neste caso, não dependem da adesão do ente federativo ao programa em si para se inscrever e participar do curso online.
O curso também é aberto a gestores de redes educacionais, pais de alunos ou a qualquer pessoa interessada no tema e que queira ter acesso ao conteúdo de formação. O acesso é gratuito e a carga horária é de 30 horas.
Agência Brasil

A incubadora Tecnatus divulgou na semana passada o primeiro edital de pré-incubação e incubação de 2020. De fluxo contínuo, as inscrições para os interessados iniciam nesta segunda-feira, 27, e podem ser realizadas até 27 de julho de 2021. As áreas contempladas são de Engenharia, Arquitetura e Ciências Exatas e da Terra. A Tecnatus é uma incubadora situada no Centro de Tecnologia (CT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e oferece orientação para a criação e desenvolvimento de empreendimentos inovadores de base tecnológica.

“O edital foi concebido para empreendedores que possam desempenhar suas atividades também de forma não-presencial, atendendo todas as normativas e resoluções vigentes tanto a nível da UFRN, como a nível estadual. Nesse sentido esperamos acolher empresas e empreendedores, que tenham ideias de produtos ou processos em Engenharia, Arquitetura e Ciências Exatas e da Terra, e necessitem de apoio para desenvolvê-los e transformá-los em negócio, em um momento difícil e diferenciado, que está nos dando a chance de reinventar atividades, desenvolver novas habilidades e criar oportunidades para o surgimento de produtos e processos inovadores, que busquem a sustentabilidade e que possam cada vez mais trazer bem-estar à sociedade como um todo”, explicou a gerente geral executiva da Incubadora, Carla Wilza Souza de Paula Maitelli.

A unidade dispõe de espaço físico e recursos tecnológicos, de uso individual e coletivo para o desenvolvimento das atividades empresariais, como também apoio gerencial e consultorias. O edital com todas as condições se encontra disponível no endereço https://tecnatus.ct.ufrn.br/documentos.

Fonte: Assessoria

As escolas privadas que funcionam em Natal poderão retomar suas atividades dia 10 de agosto. E a rede pública municipal dia 14 de setembro. A decisão foi tomada na noite de terça-feira (28) pelo prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), após reunião com o comitê científico municipal. Os especialistas recomendaram a retomada com base nos índices relativos à covid que atualmente estão sendo registrados na capital do Rio Grande do Norte. Ainda não há data prevista para a publicação de decreto ou portaria oficializando a data de retorno das aulas.

Isso será feito após definidos todos os detalhes dos protocolos sanitários para que o retorno ás aulas seja feito com toda a segurança possível. Uma dessas medidas previstas será a testagem de professores e funcionários para garantir que não haja nenhuma contaminação na retomada de atividades escolares em Natal. Ainda não está definido se haverá rodízio de alunos. Antes do anúncio da decisão de Álvaro Dias, que se restringe a Natal, a previsão de possível retorno das aulas no Rio Grande do Norte era para dia 17 de agosto, de acordo com o decreto nº 29.794, de 30 de junho. Mas em postagem numa rede social, a governadora Fátima Bezerra (PT) informou que essa dia ainda não era uma data oficial. E que isso dependeria de avaliação da situação. A postagem foi feita dia 25 de julho.

Antes mesmo do anúncio oficial de retorno feito por Álvaro Dias, as escolas particulares de Natal já vinham se preparando para um eventual retorno antecipado. Para isso estavam preparando os espaços físicos e protocolos de biossegurança visando a segurança do retorno de alunos e funcionários. Um dos motivos para essa preparação antecipada, era uma recomendação do Conselho Nacional de Educação (CNE) que previa a retomada das aulas no ambiente  físico dos órgãos privados antes das escolas públicas, dependendo do que definissem as autoridades de saúde.

O Senado definiu que será votada até a primeira semana de agosto a PEC que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). O relator da proposta, Flávio Arns (Rede-PR), disse que o Senado vai reafirmar que a educação é uma prioridade absoluta, sobretudo no pós-pandemia. “A aprovação da PEC do Fundeb na Câmara dos Deputados representou, naquela Casa, um grande consenso, também com a sociedade, prefeitos, governadores, secretários de Educação, movimentos sociais. E agora a proposta chega ao Senado Federal, muito bem recebida. É o que o Brasil precisa, uma proposta bem estruturada. A gente espera que, com toda a sociedade, possa dizer: educação é prioridade absoluta, principalmente no pós-pandemia”, disse Flávio Arns.

A tendência entre os senadores é manter o texto aprovado na Câmara. Ele prevê um aumento gradual da participação da União no Fundeb, nos próximos seis anos, dos atuais 10% para 23%, com a destinação de 5% para a educação infantil. Outra mudança é a elevação, de 60% para 70%, do mínimo a ser aplicado no pagamento dos profissionais da educação.

O Fundeb responde por 63% do financiamento da educação básica. Os recursos são aplicados, por estados e municípios, na remuneração dos profissionais de educação, no transporte escolar, na aquisição de equipamentos e material didático, na construção e manutenção das escolas, conforme o artigo 70 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.  No ano passado, os recursos do fundo foram de 170,64 bilhões, incluindo R$ 14,34 bilhões da complementação do governo federal.

O Fundeb precisa da aprovação do Congresso para não expirar no fim do ano. A votação da PEC na Câmara teve apenas sete votos contrários, todos de deputados bolsonaristas. Para o presidente da Comissão de Educação do Senado, Dário Berger (MDB-SC), o baixo número de votos contrários à matéria “é uma prova de que a educação precisa estar acima das disputas partidárias e ideológicas”.

Correio Braziliense

Começam nesta terça-feira (28) e seguem até 31 de julho, pelo site as inscrições no processo seletivo do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), para o 2º semestre de 2020. O resultado será divulgado no dia 4 de agosto. Pelo cronograma, o período para complementação da inscrição dos candidatos pré-selecionados será do dia 4 até 6 de agosto.

Inicialmente, as inscrições no programa eram esperadas para a semana passada, mas foram adiadas depois que o Ministério da Educação (MEC) identificou inconsistências no processamento da distribuição das vagas ofertadas pelas instituições de ensino superior. Segundo o MEC, a medida foi importante para assegurar “a lisura e a transparência do processo seletivo”.

Lista de espera

Os candidatos não pré-selecionados na chamada única do Fies podem disputar uma das vagas ofertadas por meio da lista de espera. Diferentemente dos processos seletivos do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade Para Todos (Prouni), para participar da lista de espera do Fies não é necessário manifestar interesse. Todos os não pré-selecionados na chamada única serão, automaticamente, incluídos na lista de espera. O prazo de convocação por meio da lista de espera é do dia 4 até às 23h59 de 31 de agosto.

Requisitos

Pode se inscrever na seleção do Fies o candidato que tenha participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir da edição de 2010, e que tenha alcançado média das notas nas provas igual ou superior a 450 pontos. O interessado não pode ter zerado a redação e deve ter renda familiar mensal bruta, por pessoa, de até três salários mínimos.

Programa

O Fies é um programa do MEC que concede financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos em instituições de educação superior particulares que participam do programa.O Fies é um modelo de financiamento estudantil moderno, divido em diferentes modalidades, podendo ter juros zero a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato.

Agência Brasil

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) expediu uma recomendação para as prefeituras de Florânia, Tenente Laurentino Cruz e São Vicente sobre a necessidade de revisarem a frota escolar de seus municípios quando fixarem a data de retorno às atividades de ensino. O documento com as orientações está publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira (24).

Para emitir a recomendação, a Promotoria de Justiça de Florânia, que atende os três municípios, levou em consideração o provável retorno eminente das atividades escolares presenciais na rede estadual e municipal de ensino, após a suspensão das aulas por conta do novo coronavírus (Covid-19).

Assim, há o fato de que os veículos que integram a frota escolar ficaram sem uso por um longo período devido o estado de isolamento social para enfrentar a pandemia. Desse modo, as prefeituras deverão proceder com todas as adequações necessárias, de acordo com as diretrizes do Código de Trânsito Brasileiro, para fazer a revisão em toda a frota.

O Município é obrigado a fornecer transporte escolar de qualidade para a educação básica de sua respectiva rede de ensino. A prestação irregular desse serviço configura ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública.

Uma iniciativa que pretende facilitar a incorporação da nanotecnologia no portfólio de produtos já disponíveis na indústria farmacêutica, bem como contribuir para a criação de novas formulações que impactem o setor. Sob esses caminhos, estudos vinculados ao Laboratório de Tecnologia e Biotecnologia Farmacêutica do Departamento de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) resultaram na criação da startup ISNANO: Inovação e Soluções em Nanotecnologia, uma das empresas que conseguiu êxito na seleção final do Projeto Centelha no Rio Grande do Norte, iniciativa promovida pelo Sebrae.

“O nosso estado tem um parque industrial reduzido e muito diversificado, o que torna um desafio atuar no setor de insumos para a saúde humana e animal. No entanto, quando olhamos para o setor de Farmácias de manipulação temos uma matriz muito ampla, com centenas de empresa que cobrem quase todo o estado. Além disso, temos empresas pioneiras no setor que foram criadas aqui em nosso estado e já possuem uma rede de franquias em todo o Brasil. Quando olhamos para este segmento, as empresas muitas vezes recorrem às empresas de consultoria de fora do estado para incorporar treinamentos e inovação em sua realidade”, explicou o professor Arnóbio Antônio da Silva Júnior.

Ao lado de Daniele Cavalcante Gomes, Lannya Clara Santos Tavares Pessoa e Ednaldo Gomes do Nascimento, todos com vínculo com a UFRN, seja administrativo ou acadêmico, ele forma o grupo que está envolvido na criação da empresa, que a princípio ficará vinculada à incubadora BioInova, unidade dos centros de Biociências e de Ciências da Saúde.

Embora esta seja a primeira experiência em uma iniciativa similar ao do projeto Centelha, o docente enfatizou que a ideia vem sendo estruturada há mais tempo. “Nos últimos anos, começamos a pensar em uma forma mais interativa e efetiva para transmitir o conhecimento germinado na linha de pesquisa em Nanotecnologia Farmacêutica para o setor produtivo, principalmente devido ao crescente número de depósito de patentes do grupo. Percebemos que éramos quase que diariamente procurados por outros pesquisadores, inclusive de fora do país, para parcerias no desenvolvimento de produtos e protótipos em nanotecnologia, mas não pelo setor produtivo”, colocou Arnóbio.

Foi então que surgiu aquele que o grupo considera o primeiro “potencial” cliente. Foi o momento em que uma farmácia de manipulação procurou a equipe para desenvolver insumos com essa abordagem e que estava disposta a investir para que o projeto tivesse sucesso. Arnóbio Júnior acrescentou, ainda, que procurou na época a Agência de Inovação (AGIR) e o setor de empreendedorismo da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), “para trocar ideias”, e teve a sugestão de incubar um projeto ou empresa. O grande salto acabou acontecendo no início deste ano, quando, em conversa com a equipe da AGIR para saber quais das incubadoras da UFRN poderiam abraçar o projeto, surgiu o Edital do Centelha. O projeto empolgou pois supre uma lacuna na área de serviços.

“Em nossa busca e consulta inicial com parceiros e clientes, verificamos que não existe ainda empresa que ofereça o que pretendemos para este setor de farmácia de manipulação, o qual é tão faminto por inovação. Esperamos consolidar nosso plano de negócios neste primeiro triênio como a empresa de maior impacto neste setor, o qual permitirá abraçar outros setores da indústria”, relatou Daniele Cavalcante Gomes.

Com o caráter de ser uma empresa de Pesquisa & Desenvolvimento em Nanotecnologia, a ISNANO está em fase de incubação, criação e regularização da empresa junto aos órgãos competentes. Após esses tramites, começa a receber  aporte financeiro do programa Centelha. “Esta fase também envolve transformar nossa plataforma de serviços em uma plataforma de negócios e produtos a serem oferecidos para os nossos clientes. Já temos os primeiros clientes e esperamos celebrar os primeiros contratos tão logo estejamos regularizados”, finalizou o professor Arnóbio.

Fonte: Assessoria

Em postagem nas redes sociais na manhã deste sábado (25), a governadora Fátima Bezerra não confirma o retorno das aulas presenciais no dia 17 de agosto, conforme prevê o atual decreto em vigor.

Leia abaixo o conteúdo da postagem da chefe do poder executivo no RN:

“Bom dia, meus amigos e minhas amigas.

Em que pesem todos os protocolos de biossegurança adotados no Rio Grande do Norte, as escolas só poderão retomar suas atividades presenciais em um ambiente seguro, e isso depende ainda da evolução das condições da pandemia.

A preocupação dos(as) estudantes, pais e professores(as) é mais do que legítima. Nós estamos lidando com vidas!

Grande parte da rede de escolas públicas estaduais do Rio Grande do Norte está promovendo atividades não-presenciais, atendendo pelo menos àqueles e àquelas que possuem condições de acessar. São professores utilizando rádio, tv, internet e material impresso para dar continuidade a aprendizagem dos estudantes.

Embora o decreto estadual nº 29.794, de 30 de junho, fixe o dia 17 de agosto como data de uma possível retomada das aulas presenciais, não existe ainda a confirmação plena de tal ação. O cenário vigente da pandemia será decisivo para a manutenção da suspensão, assim como ocorreu nos demais decretos.

De forma que, a suspensão das aulas pode ser estendida novamente, consoante a orientação do Comitê Científico, que deverá se reunir novamente na próxima segunda-feira.

Toda e qualquer decisão do nosso Governo no tocante à pandemia será sempre pautada na ciência e no diálogo”.

A PEC (Proposta de Emenda Constitucional) do Fundeb (Fundo Nacional de Educação Básica), aprovada pela Câmara na noite de ontem, não é o texto da preferência do ministro da Economia, Paulo Guedes. Mas os próprios líderes dos governistas no Congresso avaliam que será aprovada também pelo Senado “tranquilamente” no início de agosto. O Fundo é responsável por R$ 4 de cada R$ 10 gastos pelas redes públicas de educação básica. Sua vigência expira no fim deste ano. O novo Fundeb prevê mais que o dobro de gastos da União na educação básica, passando a complementação dos atuais 10% para 23%.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou em primeiro turno, por 499 votos a 7, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 15/15, que torna permanente o Fundo de Desenvolvimento e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e aumenta a participação da União no financiamento da educação infantil e dos ensinos fundamental e médio. Falta analisar destaques que podem alterar o texto.

Segundo o substitutivo da relatora, deputada Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), a complementação da União para o Fundeb crescerá de forma gradativa ao longo de seis anos, de 2021 a 2026, passando dos atuais 10% do total para 23%.

Pelo menos metade do dinheiro extra deverá ser destinado à educação básica, conforme negociado com o governo. Segundo a relatora, a medida terá grande impacto, já que a educação infantil concentra a maior demanda não atendida pela rede pública no País.

ago 6
quinta-feira
07 07
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
22 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.831.227 VISITAS