O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) teve abstenção de mais de 50%, um recorde histórico. Em coletiva de imprensa neste domingo (17), o ministro da Educação, Milton Ribeiro, culpou “o medo a respeito da contaminação” e a “mídia”, que, segundo ele, fez um trabalho contrário ao Enem. Faltaram ao primeiro dia de provas 2,8 milhões de candidatos. O presidente do Inep, Alexandre Lopes, e Ribeiro, realizaram coletiva com o balanço do primeiro dia de aplicação do Enem, que ocorreu neste domingo em todo País, à exceção do estado do Amazonas, em que as provas foram adiadas por causa do estado de calamidade pública causado pela pandemia de Covid-19. Os candidatos fizeram as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação.

Candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 que tiveram sintomas de Covid-19 e diagnóstico comprovando a infecção terão novo prazo para pedir a reaplicação do exame.

Segundo o Inep, autarquia do Ministério da Educação (MEC) responsável pela prova, candidatos diagnosticados após 16 de janeiro poderão entrar na Página do Participante entre 25 e 29 de janeiro para enviar o laudo médico. O endereço da página do participante é: https://enem.inep.gov.br/participante/

A informação foi divulgada neste domingo (17), primeiro dia de provas desta edição. O segundo dia está programado para o próximo domingo (24).

Mais de 5 mil já pediram reaplicação

Mais de 5 mil candidatos inscritos do Enem em todo o país pediram reaplicação da prova por apresentarem sintomas de doenças respiratórias antes do exame, segundo informou o ministro da Educação, Milton Ribeiro, em Curitiba.

“Foram quase 5 mil alunos que fizeram esse pedido com essa alegação de estarem doentes”, afirmou o ministro.

Os pedidos foram enviados entre 11 e 16 de janeiro. Neste sábado, às 12h (horário de Brasília), o sistema foi fechado para que os pedidos fossem avaliados e os participantes recebessem a resposta antes da aplicação, informou o Inep.

G1

O tema da redação do Enem 2020 é ‘O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira’. A informação foi divulgada pelo ministro Milton Ribeiro em suas redes sociais. Os candidatos terão que fazer um texto dissertativo-argumentativo, apresentar opiniões e organizar a defesa de um ponto de vista.
As redações são avaliadas de acordo com cinco competências, segundo o Inep. A nota pode chegar a 1.000 pontos, mas há critérios que podem zerar a redação, como fuga ao tema, escrever menos de sete linhas, entre outros. Em 2019, o tema foi ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’.

Milhões de estudantes de todo o país fazem hoje (17) a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Os portões serão abertos às 11h30. Os estudantes podem entrar no local de prova até as 13h, no horário de Brasília. Por causa da pandemia do novo coronavírus, a recomendação é que seja mantido o distanciamento entre as pessoas, mesmo fora dos locais de aplicação.

Quem for diagnosticado com covid-19, ou apresentar sintomas dessa ou de outras doenças infectocontagiosas até o momento do exame, não deverá comparecer ao local de prova e sim entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161. Esses estudantes terão direito a fazer a prova na data de reaplicação do Enem, nos dias 23 e 24 de fevereiro.

As provas começam a ser aplicadas às 13h30. Neste domingo, os participantes fazem as provas objetivas de linguagens e ciências humanas, com 45 questões cada, e a prova de redação. Os estudantes terão cinco horas e 30 minutos para resolver as questões. A prova termina às 19h.

A Prefeitura de Mossoró, através da Secretaria Municipal de Cultura, reuniu na tarde da quarta-feira, 13, servidores da pasta para debater o funcionamento da Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, que se encontra fechada desde março do ano passado. Com a pandemia da covid-19, o equipamento parou de receber o público externo, que em média girava em torno de 1.600 usuários por mês, composto em sua maioria por estudantes dos mais diversos níveis de ensino. Diálogo Diante da situação, o secretário municipal de Cultura, Etevaldo Almeida, convocou os servidores para dialogar acerca de propostas para que o equipamento volte a operar ainda em janeiro. “Era comum sempre no mês de janeiro a biblioteca fechar para o atendimento para o público, uma vez que os servidores estavam de férias. Contudo, a pretensão da atual gestão é que possamos mudar essa realidade criando condições para que o espaço seja aberto já neste mês”, ressaltou.

Os portões dos locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 serão abertos 30 minutos antes do previsto para evitar aglomerações, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame. Antes, a abertura dos portões ocorreria às 12h; agora, será às 11h30 (horário de Brasília).

Alexandre Lopes, presidente do Inep, afirmou em entrevista nesta terça-feira (5) que descarta adiar mais uma vez o Enem 2020, frente ao aumento do número de casos de coronavírus, e que a instituição está preparada para a realização das provas em plena pandemia. O Enem 2020 estava previsto para ocorrer em novembro, mas, em maio do ano passado, foi remarcado para 17 e 24 de janeiro (versão impressa) e 31 de janeiro e 7 de fevereiro (versão digital).

Os horários do Enem são:

  • Abertura dos portões: antes, 12h; agora será às 11h30 (horário de Brasília)
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Término das provas 1º dia (17/1): 19h
  • Término das provas 2º dia (24/1): 18h30
Serão abertas nesta segunda-feira as inscrições para o Encceja 2020, Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos . A inscrição no exame é voluntária e gratuita, e deve ser feita até 22 de janeiro, pela internet, no Sistema Encceja. Os interessados em concluir o ensino fundamental devem ter, no mínimo, 15 anos de idade completos na data da prova. Já para o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é 18 anos. Caso necessário, o participante poderá solicitar, durante a inscrição, atendimento especializado para o dia da prova.

A Secretaria Municipal de Educação deu início as articulações que podem trazer benefícios para o ensino público municipal. A titular da pasta, Hubeônia Alencar, recebeu em audiência, no seu gabinete, o presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Norte (UNDIME/RN), Alexandre Soares. Esse foi o primeiro encontro da atual secretária municipal de Educação de Mossoró com a UNDIME/RN.

“Recebemos com muita satisfação a visita do presidente da UNDIME. A gentileza do presidente deixou em evidência o desejo de construir uma educação pública de qualidade. Esse foi o nosso primeiro encontro e iremos fortalecer as relações que objetivam garantir a melhoria na promoção da educação”, disse a secretária municipal de Educação.

A principal pauta da reunião entre as duas instituições foi avaliar as dificuldades enfrentadas em 2020 em virtude da pandemia do Coronavírus que inviabilizou a continuidade do ano letivo passado, e dar início as estratégias de retorno das atividades pedagógicas de 2021. Na oportunidade a secretária municipal de Educação recebeu o convite para integrar a direção da UNDIME/RN no biênio 2020/2021.

“Nossa primeira visita a nova secretária de Educação de Mossoró foi de cortesia. Tratamos das consequências causadas pela pandemia e dos desafios que precisaremos enfrentar para retomar as atividades presenciais neste ano de 2021. Aproveitamos o momento para convidar a professora Hubeônia para integrar a direção da UNDIME. Acreditamos que Mossoró tem protagonismo na educação estadual e que poderá contribuir com o nosso objetivo que é fortalecer a educação em nosso estado”, destacou Alexandre Soares.

Fonte: ASCOM/ PMM

 

O Inep, que organiza o Enem, defendeu na Justiça Federal de São Paulo a manutenção das datas da prova impressa para os dias 17 e 24 de janeiro. De acordo com a autarquia, a realização “na data marcada é perfeitamente possível e segura para todos os envolvidos, não havendo riscos de ordem sanitária”.
Nesta sexta-feira (8), a Defensoria Pública da União acionou a Justiça Federal para pedir o adiamento da aplicação do exame sob o argumento de que não há forma segura de para realizar o exame em meio ao aumento de casos da doença.

Por meio de advogados da União, o Inep se manifestou na noite da sexta e rebateu os argumentos da defensoria. Declarou que o exame já foi adiado por conta da pandemia e, neste período, foram adotadas “todas as medidas sanitárias para que o mesmo seja realizado com segurança”

As instituições particulares de ensino superior que aderiram ao Programa Universidade para Todos (ProUni) ofertam 162.022 bolsas de estudo na primeira seleção de 2021. Gestor do programa, o Ministério da Educação (MEC) informou que, deste total, 76.855 serão bolsas integrais e 85.167, parciais, com 50% de desconto sobre o valor do curso. No Rio Grande do Norte serão ofertadas 729 bolsas integrais e 463 bolsas parciais, totalizando 1.192 bolsas de estudo. A relação das instituições e dos cursos disponíveis pode ser consultada na página do programa, na internet. Também é possível pesquisar as opções ofertadas por cidades e por tipo de bolsa (integral e parcial), modalidade (presencial e a distância). As inscrições começam na terça-feira (12) e se encerram na sexta (15). De acordo com o MEC, os estados com o maior número de bolsas ofertadas são: São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.
08
jan

Datas do Enem devem ser mantidas, diz Inep

Postado às 9:18 Hs

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, disse hoje (7) que o cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deve ser mantido e que as provas não serão adiadas por causa da pandemia do novo coronavírus.

“Nós nos preparamos para fazer uma prova em ambiente de pandemia”, afirmou Lopes, em entrevista. “Temos a segurança [de] que a prova deve ser feita e que as condições de aplicação são adequadas, são as que precisam ser tomadas.” Lopes explicou que foram adotadas as medidas necessárias para a aplicação das provas.

O número de casos e de mortes por covid-19 vem aumentando no Brasil. De acordo com o Ministério da Sáude, ontem (6) foram notificadas 1.242 novas mortes. Foi o maior número diário desde 25 de agosto, quando foram registrados 1.271 óbitos. Ainda há 2.552 mortes em investigação. Até o momento, o Brasil contabiliza 198,9 mil mortes e 7,87 milhões de casos.

O Ministério da Educação publicou portaria que trata sobre o retorno às aulas presenciais nas Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e Instituições Privadas de Ensino Superior  .

As aulas presenciais deverão ocorrer a partir de 1º de março de 2021, observando-se os protocolos de segurança para o enfrentamento da pandemia de Covid-19.

A portaria  também prevê que vão poder  ser utilizados, em caráter excepcional, recursos educacionais digitais a fim de garantir o atendimento escolar essencial durante o período em que houver restrições quanto à presença física de estudantes na unidade educacional para a integralização da carga horária dos componentes curriculares.

Essa utilização poderá ocorrer de forma complementar, desde que haja orientação do Ministério da Saúde ou órgãos de saúde locais que não recomendem a forma presencial para a realização de aulas, ou de forma integral, para os cursos que ainda não tenham encerrado as atividades letivas referentes ao ano de 2020.

Outras informações no site mec.gov.br

O MEC editou portaria que regulamenta a implantação do Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (Ecim) nos municípios, estados e Distrito Federal em 2021. Esses colégios são uma das apostas de Jair Bolsonaro. Segundo texto publicado no Diário Oficial nesta segunda-feira, a previsão é de implantar 54 escolas neste modelo no ano que vem. A meta do governo é completar 216 até 2023.

O cronograma prevê a divulgação dos estados e municípios interessados em aderir ao modelo em 25 de janeiro. Para 2021, segundo o MEC, a prioridade é será priorizada a implantação de duas Ecim em cada um dos estados e no Distrito Federal que manifestarem interesse.

Pelas normas, os entes federativos serão orientados a considerar, para seleção e escolha das escolas que adotarão o modelo, entre outros, alunos em situação de vulnerabilidade social e desempenho abaixo da média estadual no Ideb.

Lauro Jardim – O Globo

Via Saulo Vale

Com o nome da professora Cicília Maia certo como candidata à sucessão na reitoria da Uern, os apoios a ela começam a se intensificar na comunidade universitária. Dos 15 diretores e diretoras de unidades acadêmicas da universidade (faculdades e campi), Cicília já conta com apoio da maioria. Com boa circulação na comunidade acadêmica e atendimento às demandas das unidades, a professora conquistou a confiança de seus pares e tem tido forte adesão entre estudantes, técnicos e docentes.

Sobre Cicília

Ela é chefe de gabinete da reitoria e nome da reitora em exercício, Fátima Raquel, para a sucessão. O reitor Pedro Fernandes, que encontra-se licenciado do cargo, também endossa a candidatura. Formada em Ciência da Computação pela Uern e Pós-Doutora pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Cicília é professora do Departamento de Informática, no Campus Central.

Antes de assumir a chefia de gabinete da reitoria, já foi pró-reitora de recursos humanos e assuntos estudantis e assessora técnica da reitoria. A eleição da Uern está marcada para 14 de abril. O período de campanha será de 22 de março a 13 de abril.

Quem estiver com Covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas nos dias de realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 poderá participar da reaplicação das provas nos dias 23 e 24 de fevereiro de 2021. As provas do Enem serão nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021 (versão impressa) e em 31 de janeiro e 7 de fevereiro de 2021 (versão digital).
São doenças infectocontagiosas para fins de solicitação de reaplicação do Enem 2020: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, varicela e Covid-19. Os candidatos que estiveram com essas doenças deverão comunicar a condição por meio da Página do Participante antes da aplicação do exame.

As aulas presenciais na rede municipal de ensino de Natal serão retomadas no dia 3 de fevereiro de 2021. Os encontros presenciais fazem parte do modelo híbrido adotado para concluir o ano letivo de 2020. A medida foi oficializada nesta quinta-feira (24), em publicação de portaria no Diário Oficial do Município (DOM). Vale ressaltar que o retorno às atividades presenciais não é obrigatório. O estudante maior de idade ou o responsável legal do aluno menor de idade que optar por não retornar às aulas no local de ensino deverá assinar um termo se comprometendo a desenvolver todas as atividades pedagógicas propostas pela escola onde o estudante está matriculado.

Será cumprida a carga horária mínima de 800 horas, sendo 400h presenciais (aulas até o dia 4 de junho de 2021) e 400h remotas. Os resultados serão divulgados no dia 7 de junho, com a progressão (aprovação para série superior) ocorrer mediante 75% das atividades presenciais e não presenciais ofertadas. Na educação infantil e 1º e 2º anos do ensino fundamental, a progressão é automática.

Com a chegada das festas do fim de um ano marcado pela pandemia de covid-19, reunir familiares para as tradicionais ceias natalinas e de réveillon, segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pode ser uma atividade perigosa. A avaliação se dá, sobretudo, pelo novo perfil de infectados identificado, que hoje é quatro anos mais jovem do que o apresentado em julho de 2020. Segundo os dados da PNAD Contínua do terceiro trimestre de 2020, em cerca de 147 mil domicílios potiguares (12,2% do total), há idosos residindo com jovens de 18 a 35 anos. Isso aumenta o risco de contaminação, especialmente pelo fato de que, segundo relatórios da Secretaria Estadual de Saúde do RN (Sesap/RN), a população jovem corresponde a quase a metade de casos de covid-19 atualmente (46,5%).

Nomeação publicada neste segunda (21) atende decisão da 4ª Vara Federal. Instituto tinha Josué Moreira como reitor pro tempore desde abril.
O professor José Arnóbio de Araújo Filho foi nomeado nesta segunda-feira (21) para o cargo de reitor do Instituto Federal do Rio Grande do Norte, após oito meses de espera. Eleito em dezembro de 2019 no primeiro lugar para o comando da instituição, ele aguardava ser nomeado desde 20 de abril.
A nomeação publicada pelo Ministério da Educação nesta segunda-feira (21) foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Milton Ribeiro e atende a uma decisão da juíza Gisele Leite, da 4ª Vara Federal.
O professor foi o vencedor das eleições em consulta acadêmica em dezembro de 2019, mas o governo federal nomeou o professor Josué Moreira Oliveira, que não participou das eleições, como reitor pro tempore (temporário), alegando que José Arnóbio respondia a um processo administrativo.
A decisão judicial expedida no dia 11 de dezembro também suspendeu a portaria n.º 405/2020, do Ministério da Educação (MEC), que nomeou o professor Josué Moreira de Oliveira como reitor pro tempore (temporário) em abril deste ano. Josué sequer participou do pleito.
O processo na Justiça Federal foi movido pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Profissional.

G1

jan 18
segunda-feira
16 56
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
81 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.845.019 VISITAS