Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo; Agustin Marcarian/Reuters

A cerimônia de posse do novo presidente da Argentina, o ultraliberal Javier Milei, vai marcar a primeira vez em quatro décadas que o Brasil não será representado por seu presidente ou por seu vice. Trata-se de uma situação inédita após a redemocratização nos dois países, processo que se deu nos anos 1980. A última vez que um presidente brasileiro ou seu vice não foi a Buenos Aires para celebrar o início de um governo eleito no país vizinho foi na posse de Raúl Alfonsín, em 1983.

Javier Milei toma posse neste domingo (10), em meio a um clima de turbulência e desconfiança do lado brasileiro. Isso porque o então candidato atacou em seus discursos acordos e instituições que são caros ao Brasil, como o Mercosul, além de ter adotado uma retórica hostil contra o presidente Lula (PT).

Milei disse na campanha que não negociaria com o líder brasileiro e o chamou de “corrupto” e “comunista”. Após a eleição, o argentino baixou o tom. O maior gesto de conciliação aconteceu quando Milei enviou a futura chanceler argentina, Diana Mondino, a Brasília para entregar um convite para que o brasileiro comparecesse à posse.

Mesmo com o gesto, Lula decidiu que o representante brasileiro seria o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira. A escolha se deu após a avaliação de que o clima ainda será hostil ao brasileiro, além de colocar num mesmo ambiente o petista e o seu antecessor e rival, Jair Bolsonaro (PL) –que foi convidado por Milei para a cerimônia e já está em Buenos Aires.

A decisão de enviar Mauro Vieira também visa enviar um recado ao novo governo, de que uma relação pragmática é possível, mas deixando claro o desconforto do Brasil com a situação. Em termos diplomáticos, a presença de um chefe de Estado ou mesmo de seu vice em cerimônias de posse de um país estrangeiro dá uma sinalização da importância para a relação entre as nações.

Folhapress

Foto: HEULER ANDREY/DIA ESPORTIVO/ESTADÃO CONTEÚDO

A Argentina venceu a França nos pênaltis neste domingo (18), após empate por 3 a 3 no tempo normal, e se tornou campeã da Copa do Mundo do Catar. Os argentinos não ganhavam um mundial desde 1986, há 36 anos, quando bateram a Alemanha na final por 3 a 2 na Copa do México.

O triunfo diante da França levou a Argentina ao terceiro título em Copas do Mundo. Agora, “os hermanos” ultrapassam França e Uruguai, que têm dois troféus cada, e ficam atrás apenas de Brasil, com cinco, e de Alemanha e Itália, ambas com quatro conquistas.

O título da Argentina também marca a volta da taça para a América do Sul. O último campeão do continente havia sido o Brasil, quando ganhou o penta em 2002. Desde então, os europeus emplacaram cinco Copas do Mundo seguidas – a última em 2018, com a França.

CNN Brasil

As primeiras pesquisas de boca de urna deste domingo, anunciadas após o fechamento dos centros de votação na Argentina, apontam vitória do candidato opositor, Mauricio Macri, líder da aliança Mudemos. As pesquisas indicam a tendência, mas não divulgam o percentual de votos por causa da proibição eleitoral que vigora no país. Os percentuais só poer ser divulgados depois que saem os primeiros resultados oficiais provisórios.

Macri partia como favorito nas pesquisas contra Daniel Scioli, da governista Frente para a Vitória. Ambos foram os mais votados no primeiro turno, no dia 25 de outubro, quando Scioli venceu com 37% dos votos, três pontos a mais que Macri. Como nenhum alcançou os 45% do votos válidos, ou 40% mais dez pontos de diferença percentuais em relação ao segundo colocado, as eleições presidenciais não puderam ser definidas no primeiro turno.

No primeiro turno, Macri elegeu seu sucessor na prefeitura de Buenos Aires e conquistou as maiores províncias – inclusive Buenos Aires, governada há 28 anos pelos peronistas. Mas a aliança Cambiemos (Mudemos), que apoia a candidatura de Macri, vai ter de negociar com a oposição para governar. Os partidos da coligação governista Frente para a Vitória, de Scioli, têm maioria própria no Senado e é a primeira minoria na Câmara dos Deputados. “Macri, se for presidente, vai precisar do apoio do Partido Peronista. O novo presidente argentino – se assim for confirmado – presidiu também o clube de futebol Boca Juniors, antes de fundar o partido conservador Proposta Republicana (PRO), pelo qual foi eleito prefeito de Buenos Aires em 2007 e reeleito em 2011.(Portal IG)

O candidato governista de centro-direita à Casa Rosada, Daniel Scioli, vai disputar o segundo turno das eleições na Argentina com Mauricio Macri, apontam dados oficiais das votações realizadas neste domingo (25), segundo a Direção Nacional Eleitoral da Argentina. A segunda etapa das votações vai acontecer em 22 de novembro.

 

Em disputa acirrada, o candidato governista lidera com ligeira vantagem, com 95,37% das urnas apuradas. Scioli, apoiado pela presidente Cristina Kirchner, e tido como favorito pelas pesquisas, tem 36,66% dos votos.O prefeito de Buenos Aires e candidato pelo Pro, Mauricio Macri, tem 34,52% dos votos.

O advogado e deputado Sergio Massa, da Frente Renovador, está em terceiro lugar na contagem de votos.A atual presidente Cristina Kirchner deve entregar a presidência a seu sucessor em 10 de dezembro próximo, com uma aprovação de cerca de 50% a seu governo, de acordo com pesquisas recentes. (G1)

Hoje, domingo, dia de eleição, dia de festa democrática na Argentina, povo nas ruas, principalmente em Buenos Aires, que concentra quase 40% do eleitorado, última etapa dos candidatos buscando os votos nas urnas. São três os principais candidatos, de acordo com os institutos de pesquisas, acentuam as repórteres Mariana Carneiro e Sílvia Colongo, Folha de São Paulo, sexta-feira. Todos se afirmam peronistas: Daniel Scioli, apoiado por Cristina Kirchner, Maurício Macri, também peronista, porém moderado, que conta com o apoio do antiperonismo, e Sérgio Massa, peronista ortodoxo, frontal adversário da atual presidente. As pesquisas convergem quanto às colocações, mas divergem em relação aos percentuais registrados para cada um. O Poliarquia aponta 37 para Scioli, 26 para Macri, 20 pontos para Massa. O Managent Fit assinala 34 para Scioli, 25 para Macri, 17% para Sérgio Massa. E o Giacobe Associados aponta Scioli atingindo 40, Macri 28 e Massa com 20% das intenções de voto. Portanto para Giacobe, Scioli venceria no primeiro turno, uma vez que atingiria 40 pontos com uma diferença e mais de dez degraus para o segundo colocado. Vamos ver qual deles mais acerta.
31
jul

* * * Quentinhas… * * *

Postado às 9:21 Hs

* * *Joaquim Barbosa deixará formalmente o STF nesta quinta-feira (31). Ele havia anunciado a aposentadoria em 29 e maio. Mas saiu em férias. A seu pedido, o ato de desligamento só será publicado no Diário Oficial da União agora, na véspera do encerramento do recesso do Judiciário. Vai à poltrona de presidente do STF o ministro Ricardo Lewandowski, atual vice-presidente da Corte. A ascensão já está acertada. Mas não é automática. Terá de ser ratificada pelos ministros do Supremo em votação secreta a ser realizada na sessão desta sexta-feira (1º).(Josias de Souza) * * * 

* * * A agência de classificação de riscos Standard & Poor’s declarou nesta quarta-feira a dívida da Argentina em categoria de moratória seletiva (Selective Default, no termo em inglês), rebaixando-a de sua posição anterior, CCC-. Até às 18h30 desta quarta (horário de Brasília), o país não havia depositado o pagamento aos detentores de seus títulos renegociados em 2005 e 2010, e que haviam sido alvo de calote em 2001. Segundo a S&P, a Argentina não honrou o pagamento de 539 milhões de dólares em juros sobre os bônus reestruturados que vencem em 2033. O pagamento deveria ter sido feito em 30 de junho, mas o país recebeu prazo extra de 30 dias para conseguir renegociar a dívida com seus credores. O prazo termina, na prática, às 19 horas (horário de Brasília), que corresponde à hora de fechamento dos bancos americanos que devem receber os pagamentos. Os representantes da Argentina estão em reunião com o mediador do impasse, Daniel Pollack, desde meio-dia, mas ainda nenhum acordo foi anunciado. Com a nota de default, o país perde acesso aos mercados internacionais e pode ter seus bens no exterior confiscados por credores. * * *

* * * O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse ontem  (30), em entrevista coletiva, que, se for eleito, reduzirá pela metade o número de ministérios em seu governo e extinguirá pelo menos um terço dos cargos comissionados existentes hoje. Segundo ele, isso não significa que todas as áreas atendidas pelos 39 ministérios atuais não sejam importantes, mas sim que precisam ser “desburocratizadas”. “Existe um grupo trabalhando no redesenho do Estado brasileiro, comandado por aquele que eu considero o mais eficiente gestor público, o ex-governador de Minas Gerais Antonio Anastasia. Estamos conversando para redesenhar o Estado brasileiro”, disse o candidato, sem antecipar quais ministérios serão cortados. Segundo Aécio, pelo menos um terço dos ministérios pode ser extinto “imediatamente”, de modo a reduzir “o gigantismo do Estado” e melhorar a gestão pública. Além disso, ele disse que, nas áreas em que for possível, vai estabelecer regime de metas aos funcionários públicos para estimular a melhor prestação de serviços públicos. “O meu governo será o da meritocracia e da eficiência.” * * *

22
fev

Tragédia ferroviária na Argentina

Postado às 20:39 Hs

Equipes resgatam ferido após descarrilamento de trem em Buenos Aires; ao menos 550 se feriram

Ao menos 49 pessoas morreram e mais de 600 ficaram feridas nesta quarta-feira na estação terminal Once de Buenos Aires, depois que um trem descarrilou ao chegar em alta velocidade–aparentemente após perder os freios– e se chocou contra a plataforma.

De acordo com os jornais argentino “Clarín” e “La Nación” e a agência de notícias France Presse, que citam o porta-voz da Polícia Federal, ao menos 49 pessoas morreram. Anteriormente, Alberto Crescenti, chefe dos serviços sanitários de emergência da cidade, havia dito em coletiva de imprena que os mortos no acidente poderiam passar de 40.

Equipes de bombeiros continuam trabalhando para retirar os passageiros presos aos metais retorcidos dos primeiros vagões. Cerca de 30 pessoas permanecem presas nas ferragens.(Folha)

24
out

Vitória de Cristina…

Postado às 8:57 Hs


Deu na BBC Brasil

Os primeiros resultados oficiais deste domingo confirmam que a presidente argentina Cristina Kirchner foi reeleita para mais quatro anos de mandato, informou o ministro do Interior, Florêncio Randazzo.

“A partir do total de 15,5% das urnas apuradas, podemos informar que Cristina Kirchner foi consagrada presidente da Argentina”, disse Randazzo.

O ministro afirmou que, segundo as projeções oficiais naquele momento da apuração, a presidente teria recebido 53,04% dos votos e o segundo colocado, Hermes Binner, governador da província de Santa Fé, teria 16,98%.

Em pronunciamento na televisão, Cristina Kirchner disse que vários presidentes da região lhe telefonaram para lhe parabenizar.

“Agradeço à companheira Dilma Rousseff pelas palavras que me disse.”

Cristina tambem agradeceu ao marido, Nestor Kirchner, morto há quase um ano. “Sem ele, sua valentia e sua coragem teria sido impossivel chegar aqui”, afirmou.

Leia na íntegra

abr 13
sábado
00 57
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
13 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.953.204 VISITAS