24
fev

Na China

Postado às 13:22 Hs

Robinson se reúne com empresários e investidores em Hong Kong. Cumprindo agenda de trabalho na China, o governador Robinson Faria se reuniu hoje, 24, com empresários e investidores na sede da Câmara de Comércio da cidade de Hong Kong. Na reunião o governador tratou da instalação de uma fábrica de placas coletoras de energia solar, de novos investimentos em energia eólica, construção de um porto privado e exportações de frutas. “Nos reunimos com alguns dos maiores investidores do mundo em energia eólica e solar. Apresentamos estudo sobre as potencialidades econômicas e oportunidades de investimentos”, afirmou o Governador. A próxima reunião de trabalho na China será em Xangai, onde o governador irá assinar protocolo de intenções para instalação da fábrica de placas coletoras de energia solar com a Chint Eletrics Co. A Chint possui instalações na Índia, Alemanha e Estados Unidos e agora deseja atingir o mercado da América do Sul, a partir de uma fábrica no RN, cuja posição geográfica permitirá acesso aos mercados da África e América Central. “A Chint é uma das maiores empresas do mundo no setor e o protocolo permitirá o início do investimento em nosso Estado, o que vai gerar emprego e renda para o nosso povo”, explicou Robinson.

Por Valdo Cruz – Folha de S.Paulo

Ao voltar da China, Michel Temer começará, de fato, seu governo. Sem as incertezas da interinidade, terá de mudar de estilo. Governar e não ser governado é o que muitos esperam dele. Sua fala na reunião ministerial, logo depois que tomou posse definitivamente do comando do país, indicou sua maior disposição de governar do que ser governado pelas circunstâncias e pelos apoiadores.

Mandou recados duros aos aliados que flertam com a infidelidade, como os que deram um doce à petista Dilma Rousseff no julgamento do impeachment ao poupar seus direitos de ocupar funções públicas. Foi além. Disse aos insatisfeitos que desembarquem logo na saída. Temer, se não quiser repetir o final de mandato melancólico de Sarney, não poderá ficar apenas no discurso. Terá de enfrentar temas espinhosos: limitar gastos e fazer as reformas da Previdência e trabalhista.

Iniciativa de propor, ele já indicou que tem. O difícil será convencer seus aliados no Congresso, que ainda parecem sonhar com a fantasia do período dilmista, quando se gastava sem conexão com a realidade. O fato é que a arte de governar demanda firmeza, algo que andou um pouco em falta na interinidade, mas Temer sinalizou, antes de zarpar para China, que está disposto a vestir este figurino a partir de agora.

Enfim, o destino e a repulsa de boa parte da classe política à petista Dilma Rousseff entregaram a Temer a missão de governar o Brasil. Não é tarefa fácil, num país tomado por corporações, minorias que sugam a maior parte dos recursos dos contribuintes em detrimento da maioria.Mas governar é isto. Colocar o essencial como inegociável e mostrar a todos sua coragem de defender o interesse da maioria, sem desprezar toda e qualquer minoria.

Uma boa dica, nesta largada, é evitar o risco de tropeçar nas palavras. Mais de 40 foram às ruas neste domingo. E eles fazem parte do Brasil que Temer terá de governar.

26
jan

Mais ações…

Postado às 15:40 Hs

O Prefeito Francisco José Júnior participou, na manhã desta terça-feira, 26, da recepção a uma missão chinesa que veio conhecer o potencial da fruticultura de Mossoró. A reunião, organizada pelo Comitê Executivo de Fitossanidade (COEX) com apoio do Executivo Municipal, foi realizada na Sala de Conselhos da Reitoria da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). As condições climáticas favorecem o desenvolvimento da cultura do melão na cidade, que hoje responde por 95% da produção brasileira. Confiante nesse potencial, o prefeito destacou a importância de consolidar parceria com o país asiático. “Esse momento é muito importante para a cidade, uma vez que a China vem a Mossoró certificar nossas frutas, derrubando as barreiras sanitárias. A China é um mercado promissor e a oficialização de uma parceria deverá triplicar a produção de melão e aumentar a geração de empregos. Essa exportação será muito importante para o desenvolvimento da cidade”, disse o chefe do Executivo Estadual, ressaltando o alto consumo de melancia por pessoa na China, que chega a 42 quilos anuais, ante 50 quilos, somadas todas as frutas, consumidos por cada brasileiro.

O ambiente internacional menos tenso favoreceu a queda de 1,03% do dólar à vista, que fechou cotado a R$ 3,9929 nesta terça-feira (5/1). Na véspera, o estresse com números negativos na China havia levado a moeda norte-americana a uma alta de 1,88%, com a cotação de volta ao patamar dos R$ 4. A queda de hoje foi atribuída principalmente à redução dos exageros da segunda-feira.

A desvalorização do dólar frente ao real aconteceu na contramão da tendência internacional, uma vez que a moeda americana subiu frente à maioria das moedas de países emergentes e exportadores de commodities. Esse comportamento é explicado, pelo menos em parte, pelo fato de o real ter tido uma das maiores perdas ontem, quando os mercados reagiram aos dados negativos da economia da China. A notícia da intervenção governamental na economia chinesa, por meio da injeção de aproximadamente US$ 20 bilhões na economia, melhorou os ânimos nos mercados e favoreceu uma recuperação do real ante o dólar no Brasil.

As bolsas asiáticas despencaram nesta segunda-feira diante da incerteza sobre a economia da China, enquanto os principais mercados europeus também abriram em baixa. O resultado reflete a preocupação de que a economia chinesa estaria desacelerando mais rápido do que o previsto pelos analistas. O pessimismo aumentou diante da falta de novas medidas de estímulo de Pequim no fim de semana.O Xangai Composto, principal índice chinês, despencou 8,49% – o pior resultado desde 2007 – e acumula perdas de 38% desde junho. O outro índice chinês, o Shenzhen Composto, de menor abrangência, caiu 7,7%. Em outras partes da Ásia, as perdas foram igualmente pesadas. A bolsa de Tóquio fechou em queda de 4,6% e Seul caiu 2,47%. Em Hong Kong, com o pregão ainda em andamento, a bolsa recuava mais de 4,6% às 5h50 de Brasília.

Na Oceania, a bolsa australiana teve baixa de 4,1% e terminou o dia no menor nível em dois anos, influenciada pelo fraco desempenho dos mercados asiáticos e também pela queda nos preços de commodities, como o petróleo e metais.A incerteza também contamina os mercados europeus. Na manhã desta segunda, a bolsa de Londres operava em baixa de 2,5%, enquanto os índices em Frankfurt e Paris caíam mais de 3%.

Um dos fatores para o pessimismo foi a ausência de novas iniciativas, ao longo do fim de semana, do governo chinês para estimular a segunda maior economia do mundo. Fontes do Banco Central chinês, no entanto, disseram ao Wall Street Journal que a instituição planeja anunciar em breve novas medidas de injeção de liquidez no sistema financeiro.Os últimos indicadores comprovam que a China de fato atravessa um período de desaceleração. Na indústria, por exemplo, a atividade se contraiu em agosto no ritmo mais intenso em seis anos e meio. A inesperada desvalorização do yuan, anunciada pelo BC chinês há duas semanas, é outro fator que alimentou suspeitas de que a economia do país está em pior estado do que se imaginava.

O sentimento nos mercados também é afetado pela possibilidade de as dificuldades da China comprometerem a perspectiva da política monetária nos Estados Unidos. Existe a avaliação de que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderá adiar para o final do ano – ou talvez para 2016 – o planejado primeiro aumento dos juros básicos em quase uma década. Anteriormente, muitos apostavam que o início do aperto monetário viria na reunião de setembro. (Veja/Com Estadão Conteúdo)

23
mar

Inovação

Postado às 8:00 Hs

Uma companhia aérea chinesa completou no sábado (21), o primeiro voo comercial do país abastecido com um biocombustível feito à base de óleo de cozinha. A iniciativa ocorre em um momento em que o governo busca promover ações de sustentabilidade ambiental mais ampla. O voo da Hainan Airlines, de Xangai para Pequim, utilizou biocombustível fornecido pela companhia China National Aviation Fuel e pela gigante da energia Sinopec, de acordo com um comunicado da fabricante de aviões americana Boeing. O avião, um Boeing 737, usou uma mistura composta por 50% de querosene de aviação convencional e 50% de biocombustível feito de óleo de cozinha usado, coletado de restaurantes na China. O óleo de cozinha usado tem sido alvo da imprensa chinesa, que critica a forma como o rejeito algumas vezes é reutilizado ilegalmente para consumo humano.
14
jul

Made in China…

Postado às 23:06 Hs

 

Henrique Alves recebe presidente da China em visita ao Congresso nesta quarta-feira


O presidente da China, Xi Jinping, visita o Congresso Nacional nesta quarta-feira (16), após participar da 6ª Cúpula do Brics em Fortaleza. O Brics é um grupo de países em desenvolvimento formado por Brasil, China, Rússia, África do Sul e Índia.

Jinping irá ao Congresso a convite do presidente da Câmara, Henrique Alves. Em abril, uma comitiva de deputados, composta pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e mais seis parlamentares, estive na China para visita oficial de sete dias a convite do governo chinês.

No encontro com Henrique Alves, em Beijing, o presidente chinês afirmou que seu país quer estabelecer uma parceria estratégica com o Brasil que se torne um sinal especial para o mundo, ressaltou a importância dos parlamentos e disse que gostaria de falar aos parlamentares e políticos brasileiros.

Henrique Alves lembra que há uma vontade real dos dois países de estreitar relações, e a visita do presidente chinês ao Brasil é a prova desse esforço para ampliar a cooperação nas áreas econômica, acadêmica, cultural, política e de turismo.

 

Em Brasília, Xi Jinping deve inaugurar uma exposição fotográfica no Salão Verde da Câmara sobre as relações diplomáticas entre o Brasil e a China, que completam 40 anos em agosto. Às 15 horas, ele participará de sessão solene do Congresso, no Plenário Ulysses Guimarães.

A China tornou-se em 2009 o maior parceiro comercial do Brasil, ultrapassando os Estados Unidos. Em 2013, o comércio entre os dois países somou quase US$ 90 bilhões, 5,1% a mais do que no ano anterior.

O Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, e a comitiva de seis parlamentares brasileiros que estão na China conheceram nesta segunda-feira (14) projetos de mobilidade urbana desenvolvidos no país. Eles visitaram a sede da empresa China Railway Construction e se reuniram com diretores da companhia. A empresa atua na construção de ferrovias, rodovias e pontes e é a quinta maior no setor de logística da China e uma das maiores do mundo. Participaram da reunião com os parlamentares brasileiros, o presidente e o secretário do conselho de administração da empresa, Meng Fengchao e Yu Xinxi, respectivamente; e o vice-diretor do departamento internacional do grupo, Liao Jun; entre outros. No encontro, Henrique Alves afirmou que a mobilidade urbana se tornou nas últimas décadas um dos principais desafios do setor publico brasileiro. “O Brasil ainda tem, por exemplo, uma rede ferroviária muito tímida”, disse o presidente da Câmara, assinalando que os investimento nessa área têm sido uma preocupação permanente do Legislativo.
10
Maio

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 10:26 Hs

  • O emprego na indústria cresceu 0,2% na passagem de fevereiro para março, na série livre de influências sazonais, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com março de 2012, no entanto, o emprego industrial caiu 0,6% em março deste ano. No acumulado de 2013, os postos de trabalho na indústria recuaram 1,00%. Enquanto, em 12 meses, o emprego industrial acumulou queda de 1,4%. O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria caiu 0,5% de fevereiro para março, pelo indicador ajustado sazonalmente. No ano, a taxa acumulada é de 1,9% e, em 12 meses, de 3,7%. Em comparação a março de 2012, a folha de pagamento avançou 2,5%. Foram registradas altas em dez dos 14 locais pesquisados, com destaque para São Paulo (3,2%), Rio de Janeiro (8,9%), Minas Gerais (2,2%), Rio Grande do Sul (2,4%), Região Norte e Centro-Oeste (2,2%) e Paraná (1,7%). Em contrapartida, as principais influências negativas partiram da região Nordeste (-1 7%) e também isoladamente de Pernambuco (-6,7%).
  • O embaixador brasileiro Roberto Azevêdo deve entregar um dos postos-chave na Organização Mundial do Comércio (OMC) à China, assegurando, pela primeira vez, um cargo de alto escalão na entidade para Pequim e a influência dos chineses no futuro desenho das regras do comércio mundial. A negociação faz parte dos acordos entre Brasil e China para garantir que o maior exportador mundial pusesse todo o peso em defesa de Azevêdo na eleição. Pragmático, o brasileiro que venceu a eleição para diretor-geral da OMC nesta semana também distribuirá cargos aos Estados Unidos e à Europa, regiões que não votaram nele, mas se comprometeram a não bloquear o nome. A África, de onde veio mais de um terço dos votos de Azevêdo, também ganhará um cargo. Na OMC, o embaixador brasileiro terá de nomear quatro vice-diretores-gerais que serão responsáveis por determinadas áreas da negociação e da estrutura da organização. Negociadores revelaram que Azevêdo teria, informalmente, indicado a China, Europa, EUA e África que eles ocupariam os quatro cargos estratégicos. Oficialmente, não há nada definido.
  • O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, defendeu nesta quinta-feira a execução da pena imposta ao ex-deputado José Tatico, condenado a sete anos de prisão, logo depois do julgamento dos primeiros embargos de declaração. Se esse entendimento for transposto para o caso do mensalão, Barbosa pode defender a prisão dos réus antes do trânsito em julgado do processo, logo após o julgamento dos 25 embargos de declaração. No caso julgado nesta quinta-feira em plenário, os embargos à condenação de Tatico foram classificados como protelatórios por Barbosa. Ele argumentou que a defesa do ex-deputado pretendia rediscutir no recurso pontos já debatidos pelos ministros ao longo do processo. Além disso, como o ex-deputado foi condenado de forma unânime, não poderia pedir novo julgamento por meio de embargos infringentes. No caso do mensalão, algumas das condenações ainda podem ser mudadas se o tribunal aceitar os embargos infringentes. Nesse caso, os ministros teriam de julgar novamente as acusações contra réus que foram condenados mesmo com os votos de quatro ministros pela absolvição.
  • A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) publicou nesta sexta-feira, 10, no Diário Oficial da União os procedimentos comerciais para a aplicação do sistema de bandeiras tarifárias, que passará a trazer na conta de luz um quadro com bandeiras verde, amarela ou vermelha indicando se a energia daquele mês custará mais ou menos, em função do nível dos reservatórios da região onde mora o consumidor. As bandeiras tarifárias começarão a valer, de fato, em 1º de janeiro de 2014, mas entre 1º de junho e 31 de dezembro deste ano, o sistema terá um “ano-teste”, decisão aprovada pela Agência em meados de abril. Os objetivos desse teste é simular os resultados obtidos com a aplicação hipotética das bandeiras amarela e vermelha e divulgar aos consumidores o novo sistema. Nesse período, as concessionárias devem incluir nas faturas mensagens informando o significado e o custo de cada bandeira.(Informações da Agência Estado)
  • O presidente do PT, Eraldo Paiva, declarou há pouco, na FM 96, que o deputado estadual Fernando Mineiro (PT) poderá disputar a eleição para governador do Rio Grande do Norte no ano que vem. Segundo o dirigente estadual do PT, o partido está trabalhando para se posicionar no cenário da sucessão 2014 e para tanto tem mantido conversas com os parceiros preferenciais, que são o PDT, o PSB, o PC do B e o PSD. “Quanto ao PMDB, não podemos esperar. O PMDB é aliado do governo Rosalba. O PT vai se posicionar. Na hora que o PMDB se posicionar e quiser conversar com o PT, nós conversaremos. Nós vamos fazer a nossa parte”, afirmou.
19
jan

Saiba Também…

Postado às 20:49 Hs

# # Trem bala de Dilma

O BNDES informou nesta sexta-feira as regras para o financiamento da primeira fase do trem de alta velocidade, que pretende ligar Rio, São Paulo e Campinas. Para a fase da escolha de tecnologia e operação, o banco estatal poderá financiar até R$ 6,7 bilhões, com juros equivalentes a TJLP (atualmente em 5% ao ano) mais 1% ao ano e prazo total de até 30 anos. O banco financiará até 70% do total do investimento desta fase. O leilão desta primeira fase está previsto para agosto e, segundo fontes do banco, esta etapa demanda cerca de 20% dos investimentos totais do trem-bala, que terá 511 km.

# # China diminui seu crescimento

Mesmo tendo sido um resultado bastante expressivo, principalmente se comparado com o da grande maioria dos países, o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da China de “apenas” 7,8% em 2012 foi o pior desde 1999. A segunda maior economia do mundo se ressentiu sobretudo do enfraquecimento da atividade na Europa, um dos principais destinos dos produtos manufaturados chineses. Especialistas alertam para os reflexos dessa desaceleração no Brasil, já que o gigante asiático é o maior parceiro comercial do país. No ano passado, as exportações brasileiras para a China caíram quase 7% e o saldo comercial despencou à metade de 2011, somando US$ 6,9 bilhões. O dado positivo é que a economia chinesa ganhou impulso no último trimestre, sinalizando uma retomada do ritmo mais forte.

# # Unidas …

A TIM e a Oi decidiram construir uma única rede para explorar o serviço de quarta geração de serviços móveis (4G) no país. O modelo é inédito do ponto de vista de engenharia de rede. Pela primeira vez no mercado brasileiro, duas operadoras de telefonia concorrentes se unem para operar uma só rede, sobre a qual as duas terão acesso, num modelo que vai além do compartilhamento da infraestrutura. Com essa aliança, estima-se que as operadoras terão economia de 40% a 60% do custo combinado para implantar a tecnologia Long Term Evolution (LTE), de 4G, além de somar a quantidade de espectro, o que dá vantagem competitiva em relação às operadoras que mantiverem a operação individual. Isso porque a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) estabelece um teto para a quantidade de espectro de cada uma. De acordo com estudo da Tendências Consultoria, entre 2011 e 2015, as teles desembolsarão R$ 72,9 bilhões em telecomunicações no Brasil, o que inclui 4G. Por isso, a divisão dos custos entre concorrentes é vantajosa.

17
jun

Chinesa no espaço…

Postado às 16:51 Hs

 

A China enviou às 7h37 (horário de Brasília) deste sábado (16) sua primeira mulher e outros dois astronautas para o espaço. O foguete saiu do Centro de Lançamento de Satélites Jiugquan, no Deserto de Gobi, no norte do país.

 

Essa é a primeira tentativa de acoplagem tripulada realizada por chineses, a bordo da nave Shenzhou 9, que vai se juntar ao módulo espacial Tiangong 1, a 343 quilômetros da Terra.

Os astronautas devem trabalhar em uma estação espacial provisória por sete a dez dias. A missão pode ser fundamental para a China se tornar o terceiro país a estabelecer uma base permanente em órbita, depois dos EUA e da Rússia.

Liu Yang, de 34 anos, é piloto da Força Aérea chinesa e, segundo o porta-voz do programa espacial chinês, Wu Ping, a presença de uma mulher no espaço é consequência do desenvolvimento dos voos tripulados e também efeito da expectativa do público.(G1)

28
Maio

@ @ É Noticia… @

Postado às 15:30 Hs

  • A presidente Dilma Rousseff decidiu antecipar a meta para ampliar o acesso à internet de banda larga no país. A determinação é que, até o fim do mandato, 70% dos domicílios brasileiros estejam conectados, objetivo inicialmente previsto somente para um ano depois. Hoje, 40% das residências têm serviço de internet via banda larga fixa. No início do governo Dilma, eram 27%. Para atender a vontade da presidente, o ministro Paulo Bernardo (Comunicações) conta com a entrada em vigor, ainda neste ano, de uma série de medidas que devem elevar os investimentos em telecomunicações de R$ 104,5 bilhões para R$ 139,4 bilhões até 2016. A expectativa é que, de 2012 para 2016, a geração de novos postos de trabalhos no segmento suba de 19,5 mil para 46,1 mil por causa dos incentivos fiscais que o governo concedeu ao setor.
  • O grupo britânico de bebidas Diageo, dono de marcas como Smirnoff e Johnnie Walker, anunciou nesta segunda-feira (28) a compra da cachaça brasileira Ypióca por R$ 900 milhões. A aquisição faz parte da estratégia da empresa de alcançar em mercados emergentes metade de sua receita até 2015. A previsão é que o negócio seja concluído em um mês. Segundo a fabricante, o negócio expande a presença do grupo no Brasil e dá mais acesso ao “número crescente de consumidores de classe média que estão puxando a elevação das marcas premium”. Na avaliação da compra, a companhia estrangeira considerou a força da cachaça no país e a posição da Ypióca (3º no geral da categoria) entre as suas concorrentes. De acordo com a Diageo, a Ypióca registrou vendas líquidas de R$ 177 milhões em 2011. O grupo também destaca a estrutura de distribuição da empresa pelo país, em especial na região Nordeste. A ideia é que essa rede seja usada para acelerar o crescimento das outras marcas do grupo no Brasil. Entre os mais de dez nomes administrados pela britânica estão bebidas como a tequila José Cuervo e o licor Baileys.
  • O Norte da Argentina foi atingido na manhã de hoje (28) por um terremoto de magnitude 6,4 graus na escala Richter. A principal área afetada foi a de Matara, região agrícola. De acordo com dados oficiais, não há registros de danos e vítimas. Os tremores estão sendo monitorados pelo Instituto Nacional de Prevenção Sísmica (Inpres) e pelo Instituto Geológico dos Estados Unidos (cuja sigla em inglês é USGS). O pior terremoto registrado na Argentina ocorreu em 1949, na região da Terra do Fogo, de 7,8 graus na escala Richter. Em Matara, a maior parte da população se dedica à exploração de bens naturais, como o carvão vegetal. O local fica a cerca de 800 quilômetros da capital argentina, Buenos Aires. A região costuma sofrer tremores de terra com frequência devido à sua localização sob placas tectônicas.
  • Em três anos, a China deve se tornar o maior mercado mundial de consumo, segundo avaliação do ministro do Comércio chinês, Chen Deming, feita na abertura da 1ª Feira Internacional de Comércio e Serviços de Pequim (cuja sigla em inglês é Ciftis). De acordo com ele, essa tendência ocorre devido ao “acelerado processo de urbanização” e ao “aumento do nível de vida da população”. Chen Deming disse que um dos principais indicadores internos na China mostra que o consumo no país deve chegar a mais de US$ 5 bilhões em 2015. Pelos dados oficiais, o setor de serviços representa 75,7% da economia de Pequim. Em 2009, a China superou os Estados Unidos tornando-se o principal parceiro comercial do Brasil. Em 2011, o comércio bilateral cresceu 35,2% ao alcançar US$ 84,5 bilhões, com um saldo de US$ 20,79 bilhões favorável ao Brasil.

A China tinha mais residentes em áreas urbanas do que rurais no ano passado pela primeira vez na história, segundo dados oficiais. Um marco demográfico que também aponta para tensões na oferta de trabalho na segunda economia mundial.

Um total de 51,27 por cento do 1,347 bilhão de habitantes na porção continental chinesa vivia em cidades no final de 2011, afirmou o Agência Nacional de Estatísticas da China.

Globalmente, em torno de 51 por cento dos 7 bilhões de habitantes do planeta vivem em cidades, de acordo com a Organização das Nações Unidas.

Em contraste, 30 por cento dos habitantes da Índia, o segundo país mais populoso do mundo depois da China, vivem em cidades, enquanto 82 por cento dos americanos moram em áreas urbanas.

A rápida urbanização na China nas últimas três décadas sustentou o seu desempenho econômico estelar à medida que milhões de pessoas trocavam as residências rurais por povoados e cidades, à procura de melhores salários e empregos.A população rural da China decaiu 14,5 milhões somente em 2011, o mesmo tamanho do Camboja, de acordo com os dados.

Mas a taxa de urbanização está mais devagar e arrastando a oferta de trabalho, apesar de que a grande mudança das pessoas do interior para as cidades está longe de acabar e ainda deve continuar guiando a economia chinesa nos próximos anos.O rápido envelhecimento da população eleva as tensões no país. O número de chineses acima de 65 anos é quase o tamanho de toda a população do Japão, de 122,9 milhões.

Fonte: Reuters

27
ago

China disparando

Postado às 10:49 Hs

Deu no  O Estado de S.Paulo

A economia brasileira depende cada vez mais da parceria comercial com a China e das políticas formuladas em Pequim. Mais que isso: o comércio bilateral segue o velho padrão Norte-Sul, com o lado mais fraco fornecendo matérias-primas em troca de produtos manufaturados. Essa descrição, familiar aos brasileiros atentos à evolução da economia global, já é assunto de comentários e de análises no mercado financeiro. A relação entre os dois países – com referência ao padrão do comércio – foi tema de um relatório do Banco Nomura, de Nova York, ligado a um dos maiores conglomerados financeiros do mundo, com sede no Japão. Também nesta semana, um artigo apresentado no site da Forbes foi aberto com a sugestiva pergunta: é o Brasil um derivativo da China? Preços de derivativos, lembrou o autor, dependem do valor de outro ativo – neste caso, a economia chinesa. Se essa economia fraquejar e seu apetite por matérias-primas diminuir, quais serão as consequências para os brasileiros?

A China é hoje a principal fonte de receita comercial para o Brasil. No ano passado, o País ganhou US$ 30,8 bilhões com as vendas ao mercado chinês, 15,2% do valor total das exportações. O comércio com os Estados Unidos, em outros tempos o comprador mais importante, proporcionou US$ 19,5 bilhões, 9,6% do total faturado. A China ficou em segundo lugar como fornecedor do mercado brasileiro, com 14,1% do valor vendido ao País. Os Estados Unidos mantiveram o primeiro lugar, com participação de 15%.

Mas a diferença entre o comércio com os Estados Unidos e o intercâmbio com a China vai muito além dos valores totais. A relação com os chineses de fato reproduz o padrão Norte-Sul, embora os dois países sejam classificados como emergentes.

A China vende ao Brasil quase exclusivamente produtos manufaturados. Parte das vendas é de peças e componentes para a indústria brasileira. Isso resulta em deslocamento de empresas nacionais, incapazes de competir com produtores chineses favorecidos pelo câmbio desvalorizado e por mecanismos obscuros de formação de preços.

05
jul

Investimento chinês

Postado às 20:39 Hs

A China irá investir este ano cerca de nove bilhões de dólares (R$ 14 bilhões) no Brasil, metade desta quantia na indústria de alta tecnologia, anunciou o secretário-executivo do ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Alessandro Teixeira, ao jornal “China Daily”.

O Brasil vende sobretudo matérias-primas para a China, principal sócio comercial do país e maior investidor estrangeiro em 2010, e quer diversificar suas exportações para produtos com alto valor agregado.

No fim de 2009, 95% dos investimentos chineses acumulados no Brasil, que chegavam a 12,67 bilhões de dólares, foram feitos nas áreas de energia (45%), agricultura (20%), minas (20%) e siderurgia (10%), segundo o banco Bradesco, em dados citados pelo jornal chinês.

28
jun

Mais investimentos

Postado às 8:51 Hs

A China tem 174 aeroportos comerciais em ótimas condições, limpos, organizados e modernos. Mesmo nos horários de maior fluxo, é difícil se deparar com longas filas. Trens e esteiras rolantes ajudam no deslocamento de um terminal a outro e não há tumulto para pegar as bagagens. “Na China, qualquer aeroporto pequeno tem oito pistas de bagagem,” comenta Tang Wei, diretor da Câmara Brasil China de Desenvolvimento Econômico (CBCDE). Apenas como comparação, Congonhas, o segundo mais movimentado do Brasil, tem apenas cinco esteiras para a retirada das malas.

Nos próximos cinco anos, a China planeja investir R$ 360 bilhões para construir outros 56 novos aeroportos, disse Li Jiaxiang, diretor da Administração Geral da Aviação Civil (CAAC) da China, em uma conferência, em março deste ano. Os aportes levarão o número atual a 230. Enquanto isso, os investimento do Brasil na área devem ser 40 vezes menores, somando cerca de R$ 9 bilhões, até 2014, segundo informações da Infraero.

18
abr

De portas abertas aos chineses…

Postado às 16:24 Hs

Deu no G1

A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira (18), em seu programa de rádio “Café com a Presidenta”, que a visita feita por ela à China na semana passada novas oportunidades para o fortalecimento da economia brasileira. “Nós alcançamos os nossos principais objetivos, o de abrir as portas para que mais produtos brasileiros”, disse.

“São investimentos que, além de trazer dinheiro e novas tecnologias, também vão gerar emprego para milhares de trabalhadores”, afirmou. A viagem de Dilma ao país asiático resultou na venda de 35 novos aviões e na assinatura de 20 acordos comerciais, principalmente na área de ciência e tecnologia.

Dilma também afirmou que é preciso investir em capacitação para atender às novas demandas. “Nós vamos ter muito trabalho pela frente, vamos ter de formar brasileiros e brasileiras capacitados para trabalhar nesta área de tecnologia de informação”.

A presidenta valorizou a reunião com os países que compõem o Brics, o grupo de países emergentes formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Para ela, as discussões foram importantes na luta contra a pobreza, por um comércio mundial mais equilibrado e pelo controle da especulação financeira.

Viagem à China

A comitiva brasileira realizou uma viagem de seis dias à China. Dilma e o presidente chinês, Hu Jintao, assinaram uma série de acordos de cooperação nas áreas de política, defesa, ciência e tecnologia, recursos hídricos, inspeção e quarentena, esporte, educação, agricultura, energia, telecomunicações e aeronáutica.

Em um comunicado conjunto, Dilma e Hu Jintao reiteraram o compromisso de promover “o desenvolvimento das relações bilaterais com visão estratégica e de longo alcance”.

14
abr

China em cash…

Postado às 21:27 Hs

Na China tudo é grande e, para nós, do outro lado do mundo, tudo meio estranho. Na visita da presidente Dilma Rousseff à China, essas duas características chinesas marcaram presença.

Esse investimento de US$ 12 bilhões em cinco anos, na montagem de displays digitais, com a absorção de 100 mil novos empregos, divulgado pelo ministro Aloizio Mercante, é muito grande e muito estranho.

Leva um jeito de negócio da China – na verdade, um negócio de Taiwan, pois a empresa que supostamente fará os investimentos, a gigante Foxconn, maior fabricante mundial de componentes eletrônicos, com quase 1,5 milhão de empregados, em 14 países, tem sede em Taiwan, embora empregue mais de 250 mil trabalhadores na China e seja a maior exportadora chinesa.

A ver, então, no que vai dar esse negócio – que, aliás, nada tem com a anunciada produção de IPads no Brasil, pela mesma Foxconn, já a partir de novembro, desde que sejam superados alguns nós tributários, envolvendo, inclusive, o processo produtivo básico (PPB), que exige contrapartidas de aquisição local em troca de benefícios fiscais.

Mesmo sem considerar esses lances mais espetaculares, os resultados comerciais da visita são, numa primeira olhada, positivos. A começar do destravamento, já na prorrogação do tempo de jogo, da produção na fábrica chinesa da Embraer.

Sócia, na China, de uma concorrente, a Embraer só tinha autorização para produzir um avião de pequeno porte, sem demanda no mercado local, e enfrentou dificuldades até para manter um contrato de exportação, atropelado por sua sócia-concorrente (algo só compreensível numa “economia de mercado” como a chinesa).

Agora, além da liberação da exportação de 10 aeronaves E-190, de 120 lugares, fechadas em janeiras, mas bloqueadas até aqui pelas autoridades chinesas, a Embraer obteve licença para produzir, na fábrica de Harbin, nordeste da China, seus jatos executivos Legacy.

abr 19
segunda-feira
06 52
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
67 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.865.858 VISITAS