06
jun

Convivência com o Semiárido

Postado às 12:00 Hs

A estiagem que assola o Sertão nordestino há dois anos trouxe conseqüências negativas para os pequenos produtores que vivem na região. Somente no Rio Grande do Norte, a seca foi responsável por dizimar quase a metade do rebanho bovino do estado, que tem 94% dos municípios inseridos na região do semiárido. Para estimular o fortalecimento dos pequenos negócios rurais e disseminar tecnologia e boas práticas de gestão na área afetada, o SEBRAE está elaborando um projeto de convivência com o semiárido que sirva de referência para ser adotado pelos estados do Nordeste.

O projeto deve somar esforços ao Sertão Empreendedor, desenvolvido pela Confederação Nacional da Agricultura (CNA). A proposta foi discutida por técnicos do Sistema Sebrae no Nordeste, sobretudo Rio Grande do Norte, Ceará, Paraíba e Bahia. A ideia é contemplar os segmentos de apicultura, bovinocultura leiteira, mandiocultura e ovinocaprinocultura. “O intuito é apresentar um posicionamento regional, comum a todos os estados, visando a construção de projetos estaduais que possam direcionar as iniciativas. Queremos adensar as soluções já existentes para ampliar o público atendido e repassar novas tecnologias”, explica o gerente da Unidade de Agronegócios do Sebrae, Enio Queijada, que participou da reunião.

A iniciativa deve unificar ações que já vêm sendo desenvolvidas isoladamente nos estados. No Rio Grande do Norte, o projeto Sebrae no Semiárido está sendo implementado há mais um ano e nesse período ultrapassou a meta de atender 1,8 mil produtores rurais. Hoje, já são mais de 2,2 mil inseridos na iniciativa, que oferece diagnóstico da situação de cada produtor atendido, plano de desenvolvimento individual da propriedade, noções de gestão, tecnologias sociais para convivência com a seca e apoio ao crédito.

fonte: Assessoria

27
Maio

Informes

Postado às 17:08 Hs

Sistema Faern/Senar no Enel 2013 Produtores rurais e pecuaristas de todos os estados da região Nordeste participam durante os dias 05 e 08 de junho, no Parque Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, do XI Encontro Nordestino do Setor de Leite e Derivados (Enel). De acordo com os organizadores do evento, um público de mais de 15 mil pessoas é esperado durante os dias do encontro. “No Enel 2013 serão promovidos cursos, minicursos, palestras e leilões. Na área de cursos, o evento terá a participação de técnicos da maior escola de laticínios do Brasil, o Instituto Cândido Tostes, situado em Minas Gerais”, explicou José Álvares Vieira, presidente do Sistema Faern/Senar (instituição participante do Enel 2013).
23
Maio

Informativo

Postado às 11:54 Hs

CNA e Federações de Agricultura apresentam projetos para ministro dos Transportes


Nesta quarta-feira (22), o ministro dos Transportes, César Borges, recebeu da direção da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e das Federações da Agricultura dos estados, uma lista de bons projetos que poderão ser postos em prática no País e que melhorarão a infraestrutura dos transportes em nossas rodovias, ferrovias e portos.

O encontro do ministro com a direção da Confederação da Agricultura e Federações aconteceu em Brasília, na sede da CNA. “Fizemos uma apresentação das potencialidades das nossas instituições e nos colocamos inteiramente a disposição do Ministério dos Transportes para ajudar no que for preciso para alavancar o nosso crescimento. Mostramos os trabalhos desenvolvidos pela casa. As pesquisas e projeções da CNA e Federações para desafogar gargalos em nossas rodovias, ferrovias e portos”, ressaltou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, que esteve na reunião.

No encontro em Brasília, o presidente da Faern, José Vieira, pediu que o ministro e o Governo Federal analisassem a situação do porto de Natal. “Não podemos mais aceitar a situação do porto de Natal. Não podemos acreditar que ele é viável para a nossa economia. Ele não é. Precisamos estudar novas formas para escoar a nossa produção, e tudo isso passa pela construção de um novo porto no Rio Grande do Norte. Outro ponto que temos que analisar e pedir agilidade é a duplicação da BR 304. Ou fazemos essas obras estruturantes ou o estado ficará para trás em desenvolvimento”, finalizou o presidente da Federação da Agricultura.

26
abr

Em debate…

Postado às 15:45 Hs

Nesta quinta-feira (25), os presidentes de Federações da Agricultura do Nordeste se reuniram, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), com o presidente Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, senador Benedito Lira. Capitaneado pela presidente da CNA, senadora Kátia Abreu, a reunião tratou sobre ações de combate aos efeitos da seca, suspensão de execuções fiscais entre outros assuntos. De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, a reunião foi proveitosa e terá efeitos práticos em breve. “Discutimos sobre a suspensão das execuções fiscais, as que estão em andamento e as que poderão entrar. Também pedimos ao senador uma cobrança maior com relação ao milho disponibilizado pelo Governo Federal para os estados nordestinos e os seus produtores rurais”, ressaltou Vieira.
Depois do fraco crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, decidiu se reunir com os representantes do setor produtivo para traçar uma estratégia para impulsionar a atividade este ano. Mantega receberá nesta quarta-feira em seu gabinete pesos pesados da economia, os presidentes de seis confederações patronais. A intenção é fazer um balanço dos setores no primeiro bimestre e apresentar as perspectivas para o restante do ano. É uma tentativa de evitar que 2013 repita o tímido crescimento de 0,9% do ano passado. O resultado foi apresentado na sexta-feira (01), quando Mantega avaliou que, apesar de ser um ano de crise externa, 2012 mostrou “nítida recuperação” da atividade. Ele previu que a expansão da economia brasileira este ano será de 3% a 4%. O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, já confirmou presença. O setor manufatureiro teve queda na produção no ano passado e registrou contribuição negativa de 0,8% para o PIB de 2012. Também estará presente a presidente da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a senadora Kátia Abreu (PSD-TO). O setor foi o que levou o maior tombo no ano passado: 2,3%.
27
fev

Em Brasília…

Postado às 23:46 Hs

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, esteve nesta quarta-feira (27) na Confederação Nacional da Agricultura (CNA). Na reunião ele ouviu a posição dos empresários do campo, representados pelos presidentes das federações estaduais de agricultura, sobre a Medida Provisória 595/13, que moderniza a operação dos portos brasileiros. A presidente da CNA, senadora Kátia Abreu, fez uma análise sobre a situação dos portos brasileiros e a necessidade de competir com portos internacionais. Kátia Abreu defendeu a maioria dos dispositivos da MP. Como sugestão de mudança, a CNA sugeriu o fim do Órgão Gestor de Mão de Obra, cuja manutenção vem sendo defendida pelos sindicatos dos trabalhadores portuários. Os presidentes das Confederações Nacionais dos Transportes (CNT), senador Clésio Andrade, e do Comércio, Antônio Santos, reforçaram os pontos defendidos pela presidente da CNA. Henrique Alves lembrou que, assim como já ouviu os dirigentes sindicais, estava ali para ouvir as sugestões dos empresários de diferentes segmentos da economia brasileira diretamente envolvidos com a utilização dos portos. Ele reforçou a posição de independência do Poder Legislativo para avaliar a matéria e de neutralidade dele, como presidente da Câmara, na hora de decidir. “O nosso dever é: onde houver impasse nós entrarmos para dirimir conflitos. Eu posso ser neutro e imparcial na votação, mas jamais serei omisso sobre esse assunto que não é do governo, nem da oposição. É do Brasil”, disse o deputado.
23
jan

Informativo

Postado às 12:59 Hs

Resolução do Banco Central pode afetar negativamente produtores rurais

A Resolução do Banco Central n° 4.181de 07.01.2013, que define os novos encargos financeiros e o Bônus de adimplência das operações realizadas com recursos dos Fundos Constitucionais de Financiamento, das operações contratadas entre o período de 01 de janeiro a 30 de dezembro de 2013, poderá afetar negativamente os produtores rurais do Nordeste.

No texto, é informado que o bônus de adimplência é igual a 15% independente do tomador de crédito esteja situado na região do semiárido ou em qualquer localidade fora dessa área. No artigo 1° e 2° é comunicado que a taxa de juros é igual para todos os setores. “Um verdadeiro absurdo os encargos financeiros para o crédito rural serem os mesmos para os créditos, comerciais, industrias e de serviço”, explica o assessor técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Edvaldo Santos Brito.

De acordo com o assessor, embora a taxa de juros tenha ficado reduzida no primeiro semestre de 2013 para 3,53% ao ano e no segundo foi ampliada a 4,12% ao ano, ela não contempla as operações antigas dos Fundos Constitucionais, ou seja, aqueles produtores que contraíram empréstimos com taxas mais elevadas permanecerão com os encargos pactuados. “Essa resolução fere as diferenças regionais e faz com que os mutuários que obtiveram crédito antigo dos fundos sejam menos competitivos, pois os novos mutuários obterão financiamentos com encargos financeiros 50% com menor valor”, afirma o consultor da CNA.

Mobilização da classe política

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, essa resolução precisa ser levada ao conhecimento da classe política nordestina. “Temos a obrigação de comunicar a nossa bancada política os pontos dessa resolução do Banco Central. Somente assim é que levaremos ao conhecimento do grande público esse problema que poderá afetar os produtores e empreendimentos localizados na região do semiárido”, finalizou Vieira.

29
out

Informativo

Postado às 23:59 Hs

Presidente da Faern debate endividamento rural em Brasília

 

Nesta quarta-feira (31), o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, participa em Brasília, na sede da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), de reunião com os presidentes de Federações de Agricultura do Nordeste. Na pauta, o endividamento rural na região e os seus efeitos para os produtores rurais.

Na ocasião, Vieira e os demais presidentes debaterão alternativas para o problema e tentarão pedir a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu, uma junção de forças para discutir a temática no Congresso Nacional. “Iremos analisar a questão das dívidas rurais e pedir um apoio da senadora para levarmos esse importante pleito ao conhecimento do Congresso”, ressaltou o presidente da Faern.

O problema é antigo. Há 23 anos o Governo Federal tenta, sem sucesso, solucionar a questão da dívida dos produtores rurais nordestinos. Até o início da década de 1990, o índice usado para correção dos empréstimos era a Taxa Referencial (TR), que girava em torno de 2,89% ao mês. Mais tarde, em 1994, o índice foi trocado pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), por ser mais baixa, cerca de 1,86% ao mês. O problema é que, com o passar dos anos, a situação se inverteu. Enquanto a TR caiu para 0,59% ao mês, a TJLP, embora também tenha decrescido, manteve-se num patamar superior ao da TR, em torno de 1,41% ao mês.

 Boas notícias

De acordo com José Vieira, da Federação da Agricultura do RN, toda essa problemática será debatida na reunião de quarta-feira. “Tenho certeza que traremos boas notícias de Brasília. E com o apoio da CNA, esse pleito terá encaminhamento certo”, finalizou Vieira.

12
set

Novo gestor…

Postado às 10:49 Hs

César Militão é eleito vice-presidente da Federação da Agricultura Na noite da última segunda-feira (10), a nova diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) tomou posse em evento prestigiado pela classe política e econômica do estado. Com mandato de setembro de 2012 a setembro de 2016, a nova direção da Entidade rural será comandada pelo atual presidente, José Álvares Vieira, e pelo vice, César Militão (atual presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Lajes). No evento, o vice-presidente César Militão falou sobre os trabalhos desenvolvidos pela Faern e os pleitos dos próximos anos. “Iremos priorizar o trabalho em favor dos grandes pleitos de nossos produtores rurais. Temas como segurança no campo, combate a desertificação, incentivos para a bovinocultura e caprinovicultura e outros temas recorrentes ao homem do campo”, ressaltou César Militão. Ainda de acordo com o vice-presidente, a Federação da Agricultura tomou novo fôlego nesses últimos anos e mostrou para toda a sociedade potiguar o seu trabalho.
11
set

Informativo

Postado às 9:49 Hs

Incentivos para o produtor rural, melhoria na assistência técnica e segurança nas zonas rurais do estado. Foram esses e outros temas apresentados pela nova diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) na posse ocorrida na noite de segunda-feira (10), em Natal, e que contou com a participação de diversas autoridades do setor agropecuário e político do estado. Com mandato de setembro de 2012 a setembro de 2016, a nova composição da Faern, encabeçada pelo atual presidente, José Álvares Vieira e pelo vice-presidente, César Militão, promete mudanças ao longo dos próximos anos. “Queremos reafirmar a nossa luta em favor dos produtores rurais do RN e em favor de uma economia rural pujante, segura e que traga benefícios para todo o estado. Para isso, continuaremos na busca de um maior respeito ao homem do campo e uma ação continua em favor dos pleitos de toda uma classe”, ressaltou o presidente empossado, José Vieira. O vice-presidente, César Militão, reafirmou as palavras do presidente e explicou que todas as ações da Federação da Agricultura passam pela integração com os sindicatos rurais e com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). “Para atingirmos satisfatoriamente as nossas reivindicações, que são muitas e justas, precisamos andar de mãos unidas e participando ativamente das decisões e trabalhos organizados pelos sindicatos dos produtores no interior e os pleitos mais abrangentes, que são capitaneados pela CNA e a nossa presidente, senadora Kátia Abreu”, comentou Militão.
04
set

Informativo FAERN

Postado às 6:03 Hs

Na próxima segunda-feira (10), a nova diretoria da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) tomará posse para um mandato de quatro anos (Setembro de 2012 a setembro de 2016). O evento será no Versailles Recepções, no bairro do Tirol, às 20h. Na ocasião, os convidados serão apresentados à nova diretoria (encabeçada pelo atual presidente, José Álvares Vieira e pelo vice-presidente César Militão, atual presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Lajes). “Será uma noite muito especial para toda a diretoria. Um evento que marcará a nossa luta dos últimos anos em favor do produtor rural e do agronegócio potiguar. Um trabalho que não se faz sozinho e que somente ganha forças com os novos participantes da diretoria”, afirma o presidente José Vieira. De acordo com o vice-presidente eleito, César Militão, a noite será especial para todos os produtores rurais. “Será o coroamento do sério trabalho desenvolvido pela Federação da Agricultura em favor do produtor potiguar. Um trabalho que se observa nos quatro cantos do Rio Grande do Norte, com ações responsáveis voltadas para o bem estar e a saúde financeira do setor rural”, afirmou Militão.
21
ago

Chineses exigentes…

Postado às 21:45 Hs

China exige registro para exportadores e importadores de produtos alimentícios


Em outubro, entram em vigor as novas determinações impostas pelo governo chinês no que diz respeito às importações e exportações de produtos alimentícios para o país. Uma exigência que foi divulgada pelo seu órgão de controle e qualidade de alimentos em abril deste ano.

De acordo com o comunicado oficial, publicado no dia 04 de abril, a Administração Geral para Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena da China (AQSIQ), informa que a partir de 01 de outubro as regras já entrarão em vigor.

O Ministério da Agricultura do Brasil publicou memorando explicando que o novo regulamento aplica-se a “Qualquer exportador estrangeiro ou agente de exportação de alimentos para a China continental e a qualquer destinatário de alimentos importados dentro das fronteiras da China continental”. Essas regras não se aplicam, entretanto, às exportações destinadas a Hong Kong e Macau.

Enquanto isso, a China importa mais e mais


Considerando-se que há cinco anos Hong Kong é apenas uma região administrativa especial da China e, portanto, território chinês, pode-se concluir que a China foi, no primeiro semestre de 2012, o segundo maior importador da carne de frango brasileira, ficando atrás, somente (mas por diferença pequena), da Arábia Saudita e deixando para trás o Japão, durante muito tempo principal adquirente do produto brasileiro.

Isoladamente, Hong Kong e China colocam-se (no tocante à receita cambial) na quarta e quinta posições. Mas a soma das duas receitas chega a US$513,4 milhões (93% da receita propiciada pela Arábia Saudita), enquanto em volume as importações chinesas (290,1 mil/t), ficaram apenas quatro mil toneladas aquém das importações sauditas.

Com relação à soja, a China deverá importar, em agosto, 4,5 milhões de toneladas. O volume, de acordo com o CNGOIC (Centro Nacional de Informações sobre Grãos e Óleos da China), é bem menor do que o registrado em julho, quando a nação asiática importou 5,87 milhões de toneladas. Já em setembro e outubro, as compras podem somar 7 milhões de toneladas, segundo a instituição.

A estimativa do CNGOIC é de que as importações chinesas de soja, no segundo semestre deste ano, somem 25,5 milhões de toneladas. No primeiro semestre, totalizaram 29,05 milhões.

 

Com informações da CNA

19
abr

Informativo

Postado às 22:02 Hs

Faern se reúne com presidente da Conab e pede medidas para o RN

 

Na última  quarta-feira (18), o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira, participou de cerimônia sobre a nova Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA), que vai proporcionar ainda maior confiabilidade, entre outras vantagens, à carne bovina produzida no Brasil, realizada na sede na Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), e que foi capitaneada pela presidente da Instituição, senadora Kátia Abreu, e contou com a presença do Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro.

José Vieira aproveitou para conversar com o presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rubens Rodrigues dos Santos, sobre a questão da seca no interior potiguar e sobre a abertura do armazém da Entidade, no município de Umarizal. “Aquele armazém é fundamental para os produtores rurais da região”, enfatizou Vieira. “Também conversamos sobre a possibilidade da Conab diminuir o preço da saca de milho vendida ao produtor (que no RN já ultrapassa os R$ 30) para o preço mínimo de R$ 21. Com essa medida nos balcões da Conab, os pequenos produtores terão um fôlego a mais para suportar essa seca terrível que assola o RN”, lembrou José Vieira.

Foi confirmado que a Companhia Nacional de Abastecimento ofertará 75.365,126 toneladas de milho em grãos nesta sexta-feira (20). “Esperamos que uma boa parte venha para o Rio Grande do Norte e que possa ser adquirido pelos nossos produtores”, desejou Vieira.

 

 Números

A produção de grãos no estado, de acordo com levantamento realizado pela Conab em março, deve cair 3,5%. No caso do algodão em pluma, a queda chega a 37,5%, a maior da região Nordeste. Com essa queda, o Rio Grande do Norte, um dos grandes importadores de grãos do Brasil, ficará mais dependente das safras de outros estados. “E com isso, também mais atingido pelas mudanças de preços praticados”, finalizou o presidente da Federação da Agricultura do RN.

30
jan

Não poupou críticas a DNOCS e a SUDENE

Postado às 21:40 Hs

A presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (PSD-TO), disse nesta segunda-feira (30), no Rio de Janeiro, que a insegurança jurídica e a logística no país, que considerou “impraticável”, são desafios que o Brasil terá de vencer para que o agronegócio possa prosperar ainda mais.

“O grande desafio é planejar o agronegócio para 2020, tentar minimizar os gargalos para que nós possamos chegar lá como o maior produtor e maior exportador de alimentos do mundo. E nós temos condições para isso, de forma sustentável, sem precisar desmatar uma árvore. Basta nós implementarmos fertilização nas nossas áreas, elaborarmos grandes planos de negócios, direcionarmos os produtores para as atividades corretas, que nós podemos aumentar a produção”.

A senadora participou de solenidade comemorativa dos 115 anos da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), que foi o berço da CNA.

A senadora aproveitou a solenidade para criticar alguns órgão do governo federal que, na opinião dela, não cumprem o papel que a sociedade espera e acabam se envolvendo em escândalos. Para ela, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) e a Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), entre outros, servem apenas “para desvio de recursos” e para nomeação de pessoas que não têm projetos nem compromissos com o país.

18
jan

Informativo

Postado às 23:50 Hs

Federação da Agricultura informa sobre prazo para Contribuição Sindical Rural

No dia 31 de janeiro termina o prazo para o pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Rural, exercício 2012. Nessa data, os produtores que empreendem atividades econômicas enquadrados como empresários ou empregadores rurais terão que quitar suas guias de pagamento ou poderão sofrer com as multas previstas em Lei.

As guias de pagamento foram enviadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), via Correios, aos produtores – Pessoa Jurídica, e ainda disponibilizou pelo site oficial da instituição, o Canal do Produtor.com, a segunda via para emissão da contribuição sindical, em caso de perda, extravio ou de não recebimento da guia de recolhimento pelos Correios.

De acordo com o Diretor Financeiro da Federação da Agricultura e Pecuária do RN (Faern), Ubirajara Lopes de Araújo Filho, esse pagamento da contribuição é a garantia para os empresários do campo que os seus direitos como produtores serão respeitados. “Com o pagamento, os nossos trabalhos de assessoria jurídica serão ampliados e disponibilizados para um maior número de produtores. Com o pagamento da Contribuição Sindical, outro importante beneficio que terá continuidade é a emissão da Certidão de Atividades Rurais (Fundamental para empresas que pretendem obter redução de impostos pela Agência de Desenvolvimento do Nordeste-Adene)”, ressaltou Ubirajara Lopes.

Pessoa jurídica

Desde o exercício de 1998, está sendo lançada uma única guia por contribuinte, contemplando todos os imóveis de sua propriedade declarados à Receita Federal. “Para pessoa jurídica, o valor base para o cálculo corresponde à soma das parcelas do capital social (PCS), atribuída ao imóvel.”, explicou o diretor da Faern.

São considerados pessoa jurídica os produtores rurais que possuem imóvel rural ou empreendem, a qualquer título, atividade econômica rural, enquadrados como “empresários” ou “empregadores rurais”. A contribuição é um tributo obrigatório, previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), regulamentada pelo Decreto nº 1.166/1971.

09
jan

Informativo

Postado às 14:25 Hs

Sistema Faern/Senar inicia as suas atividades de 2012 e apresenta novo superintendente


Nesta segunda-feira (09), em uma reunião promovida entre a diretoria e os seus funcionários, o Sistema Faern/Senar iniciou os trabalhos de 2012. Na oportunidade, o presidente da Instituição, José Álvares Vieira, comentou sobre os projetos realizados em 2011 e as metas que deverão ser atingidas nesse novo ano.

Na ocasião, Vieira apresentou para os funcionários o novo superintendente do Senar/RN, o advogado e atual Gerente financeiro da entidade, Luiz Henrique Medeiros Paiva. O novo superintende assume o posto e já indicou os projetos que pretende iniciar neste mês de janeiro. “Iremos publicar, já neste mês, a chamada pública (edital) para o credenciamento de novos educadores do Senar. Com isso, daremos continuidade ao projeto de ampliar os nossos quadros e atingirmos uma maior gama de cursos”, explicou Luiz Henrique Paiva.

Ainda em janeiro, a partir do dia 20, o Senar/RN irá começar a formalização de novas parcerias com municípios e empresas que desejem receber os cursos da Instituição em 2012. “Estamos organizando toda a documentação para no dia 20 de janeiro já iniciar os trabalhos de novas parcerias. Acredito que em fevereiro os cursos irão começar efetivamente nas cidades e empresas credenciadas”, ressaltou o superintendente.

Novo sindicato e projetos nacionais

O presidente do Sistema Faern/Senar, José Vieira, comentou na reunião desta segunda-feira que um novo sindicato rural se filiou à Instituição. “Foi com alegria que filiamos o sindicato de Mossoró, presidido por Francisco de Paula Segundo (Segundo de Paula). Com mais esse parceiro, representante da pujante fruticultura do Rio Grande do Norte, novos projetos se concretizarão”, informou Vieira.

O presidente da Faern/Senar também comentou sobre os programas nacionais da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) para esse ano. “em 2012, acredito que bons projetos serão promovidos no RN. Programas como o Útero é Vida, Sindicato Forte e Negócio Certo Rural serão os carros-chefes. Com todos esses trabalhos em ação, o produtor rural pode ter certeza que 2012 será de muitas vitórias”, finalizou José Vieira.

16
set

Medalha Moacir Duarte

Postado às 13:45 Hs

Nomes dos agraciados com “Medalha Moacir Duarte” foram definidos

Comenda criada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) e que levará o nome do seu primeiro presidente

Nesta quinta-feira (15), diversos representantes de entidades agropecuárias e acadêmicas se reuniram na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern) para definir os três nomes que dentro do campo político, acadêmico e empresarial, serão agraciados com a medalha do Mérito Rural Senador Moacir Duarte (Comenda criada pela Faern e que levará o nome do seu primeiro presidente) em reconhecimento aos serviços prestados a agricultura potiguar ao longo dos anos.

Na reunião, promovida pela direção da Faern, os representantes da Emparn, Emater, UFRN, Anorc, Ancoc, Sebrae, Ufersa, Sape e Senar, puderam debater e logo depois definir os nomes que receberão a medalha em data ainda a ser estabelecida.

De acordo com o presidente da Faern, José Álvares Vieira, esse inédito prêmio é a prova do respeito das entidades com o trabalho desenvolvido por personalidades que carregam consigo a força do campo. “A medalha Moacir Duarte é um reconhecimento da garra e do sonho dessas pessoas. Três personalidades que na política, na área acadêmica e no meio empresarial, representam toda a inteligência e o trabalho em favor da agricultura e da pecuária no RN”, explicou Vieira.

Agraciados

Em 2011, os agraciados serão o deputado federal Henrique Eduardo Alves, no campo político, o superintendente do Sebrae do RN, Zeca Melo, no campo acadêmico, e o agropecuarista José Bezerra Júnior, no campo empresarial. “Três pessoas que muito dignificam a nossa atividade e que batalham por uma agropecuária mais forte e competitiva”, ressaltou o representante do Senar, Humberto Concentino.

Defesa do Código Florestal e datas

Na reunião desta quinta-feira, o presidente da Faern lembrou os três nomes escolhidos e também comentou sobre as possíveis datas para a entrega da medalha. “Acredito que os três nomes foram muito bem escolhidos. Três personalidades fortes em nosso Estado pelo bom trabalho que cada um realiza em sua área de atuação. Zeca Melo com a força do Sebrae em promover cursos e elevar o conhecimento do produtor rural, José Bezerra com toda a sua História em favor dos agropecuaristas, e o deputado Henrique Alves, que foi um dos pilares na defesa do texto do novo Código Florestal. Tenho certeza que todos eles já mereciam esse reconhecimento a mais tempo, mas agora chegou a vez de homenageá-los. E a Faern se alegra em poder conceder essa medalha aos três”, ressaltou Vieira.

Sobre a data da entrega da medalha José Vieira falou. “Muito provavelmente na abertura da Festa do Boi 2011 ou no dia 28 de outubro, em evento que será realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)”.

Estiveram presentes na reunião desta quinta-feira (15), o presidente da Emparn, José Geraldo Medeiros, o presidente da Anorc, Marcos Teixeira, o representante do Senar, Humberto Concentino, o secretário adjunto da Sape, José Simplício de Holanda, o representante do Sebrae, José Ronil Fonseca, o representante da Ancoc, Alexandre Confessor, o representante da UFRN, professor Gerbson Azevedo de Mendonça, o representante da Ufersa, professor Francisco de Queiroz Porto e o representante da Emater, Emmanoel Mateus Costa.

23
ago

Informativo

Postado às 13:14 Hs

Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária pede ao Incra para ampliar prazo da identificação georreferencial de imóveis rurais

A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, solicitou junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), a ampliação do prazo estabelecido para o início do processo de identificação georreferenciada de imóveis rurais com menos de 500 hectares.

No seu pedido, a presidente da CNA argumentou que o Governo Federal não conseguiu, até o presente momento, garantir aos inúmeros produtores rurais brasileiros as necessárias condições ao processo de certificação dos imóveis com mais de 500 hectares. “Este quadro se agravará em 21 de novembro, quando a regra passar a valer também para os imóveis com menos de 500 hectares, conforme fixa o Decreto 5.570/2005”, lembrou Kátia Abreu.

De acordo com o presidente do Sistema Faern/Senar, José Álvares Vieira, esse pedido mostra o respeito da CNA com os produtores rurais do Brasil e alerta: “Para registrar em cartório uma transação ou mudança de titularidade de imóvel rural, deve-se obter a identificação das coordenadas dos limites da propriedade rural pelo Sistema Geodésico Brasileiro, devidamente certificado pelo Incra. Observando as condições e prazos fixados nos decretos”.

Aprimoramento

Na sua solicitação, a presidente da CNA ainda lembrou o aprimoramento dos trabalhos geodésicos feitos pelo Instituto de Reforma Agrária para que ele não se torne um entrave às titularidades de terra. “O processo de certificação dos trabalhos geodésicos pelo Incra deverá ser revisto. Afinal, sem essa ampliação dos prazos, os entraves as transferências de titularidade das propriedades e obtenção de financiamentos rurais poderá prejudicar muitos produtores brasileiros”, ressaltou a presidente da CNA.

O presidente do Sistema Faern/Senar, José Vieira, completou: “Para você ter uma idéia, no estado do Tocantins, de um total de 4.000 processos protocolados, apenas 1.340 estão devidamente certificados. E sem esse prazo estendido, como ficará essa questão nos outros estados? Por isso, temos que rever alguns pontos dessa identificação georreferenciada”, finalizou Vieira.

dez 8
quarta-feira
18 30
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
35 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.886.845 VISITAS