A quarta-feira de Cinzas é o início de um tempo de reflexão para os católicos. É quando começa a Quaresma, período de preparação para a Páscoa, principal celebração para os cristãos. E também quando é lançada a Campanha da Fraternidade, que este ano tem como tema “Fraternidade e Amizade Social” e como lema, “Vós sois todos irmãos e irmãs”.

2024 marca os 60 anos da Campanha da Fraternidade e o tema este ano foi inspirado na Ecíclica do Papa Francisco, Fratelli Tutti, em que ele fala da importância da amizade social, aquela que nasce a partir do amor ao próximo e nos incentiva a buscar o melhor da vida, sem exclusões e com fraternidade.

Ao todo, serão cinco semanas de mobilização terminando, no dia 24 de março – Domingo de Ramos – com a Coleta Nacional da Solidariedade. A ideia, nesse período, é reunir a comunidade em ações e atividades de ajuda ao próximo. Uma rede de solidariedade em busca de uma mudança pessoal e das pessoas ao redor.

 

Começa nesta quarta-feira (22), a Campanha da Fraternidade 2023 e, pela terceira vez, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) traz a fome como tema de reflexão durante a quaresma – período entre o carnaval e a Páscoa. De acordo com a CNBB, “a emergência sobre o assunto” foi o que motivou a escolha.

Conforme uma pesquisa da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, divulgada em junho do ano passado, 33,1 milhões de pessoas não têm o que comer diariamente no país. O número é quase o dobro do contingente estimado em 2020 e representa 14 milhões de pessoas a mais passando fome no Brasil.

Com o tema “Fraternidade e Fome”, e o lema bíblico “Dai-lhe vós mesmo de comer!” – extraído de Mateus 14,16 – a CNBB pretende fomentar ações para minimizar os impactos da fome da vida dos brasileiros. O lançamento da campanha está marcado para 10h desta quarta, em Brasília.

“Um dos objetivos é propor aos fiéis um caminho de conversão para não ceder à cultura da indiferença frente ao sofrimento humano conforme pede o Papa Francisco”, diz a CNBB. A Campanha da Fraternidade surgiu em 1964 como uma proposta da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) à igreja Católica para celebrar a Quaresma. Além das orações e do jejum, o objetivo é “exercitar a caridade associada à reflexão e ação sobre um tema específico”.

Divulgação

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou na manhã desta quarta-feira, 18 de janeiro, uma nota na qual manifesta reprovação a toda e qualquer iniciativa que sinalize para a flexibilização do aborto a exemplo das últimas medidas do Ministério da Saúde, constantes da Portaria GM/MS de nº 13, publicada no último dia 13.

A portaria permitiu a desvinculação do Brasil com a Convenção de Genebra e a revogação de outra portaria que determina a comunicação do aborto por estupro às autoridades policiais. A Nota da CNBB pede esclarecimento do Governo Federal considerando que a defesa do nascituro foi compromisso assumido em campanha.

No documento, a CNBB reitera que a “a hora pede sensatez e equilíbrio para a efetiva busca da paz e reforça que é preciso lembrar que qualquer atentado contra a vida é também uma agressão ao Estado Democrático de Direito e configura ataques à dignidade e ao bem-estar social”.

Um grupo de 152 arcebispos, bispos e bispos eméritos da Igreja Católica assinaram uma carta se posicionando contra o governo de Jair Bolsonaro. O texto estava em análise por um conselho da Confederação Nacional dos Bispos do brasil (CNBB), mas vazou este domingo (26/7). Na carta, os signatários pedem uma união por um diálogo antagônico às ações do governo.

Especificamente, chamam para “um amplo diálogo nacional que envolva humanistas, os comprometidos com a democracia, movimentos sociais, homens e mulheres de boa vontade, para que seja restabelecido o respeito à Constituição Federal e ao Estado Democrático de Direito, com ética na política, com transparência das informações e dos gastos públicos, com uma economia que vise ao bem comum, com justiça socioambiental, com “terra, teto e trabalho”, com alegria e proteção da família, com educação e saúde integrais e de qualidade para todos”.

Na carta, os sacerdotes acusam Bolsonaro de usar o nome de Deus para difundir mensagens de ódio e preconceito. “Como não ficarmos indignados diante do uso do nome de Deus e de sua Santa Palavra, misturados a falas e posturas preconceituosas, que incitam ao ódio, ao invés de pregar o amor, para legitimar práticas que não condizem com o Reino de Deus e sua justiça?”, questionam. Em outros dois trechos da carta, os bispos falam do desprezo do governo pelos direitos humanos e, também, “pela educação, cultura, saúde e pela diplomacia”.

“Esse desprezo é visível nas demonstrações de raiva pela educação pública; no apelo a ideias obscurantistas; na escolha da educação como inimiga; nos sucessivos e grosseiros erros na escolha dos ministros da educação e do meio ambiente e do secretário da cultura; no desconhecimento e depreciação de processos pedagógicos e de importantes pensadores do Brasil; na repugnância pela consciência crítica e pela liberdade de pensamento e de imprensa; na desqualificação das relações diplomáticas com vários países; na indiferença pelo fato de o Brasil ocupar um dos primeiros lugares em número de infectados e mortos pela pandemia sem, sequer, ter um ministro titular no Ministério da Saúde (…)”, argumenta o grupo.

O texto foi revelado pela Folha de São Paulo. Após o vazamento, a CNBB se isentou do conteúdo da carta, que disse ser “de responsabilidade dos signatários”. Por e-mail, o Planalto informou que não comentará a carta dos bispos.

Blog do Magno 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança, nesta quarta-feira (26), a campanha da fraternidade de 2020, com o tema “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”. No ano passado, o foco foram as políticas públicas.
A cerimônia ocorre na sede da CNBB, no Setor de Embaixadas Sul, às 10h. Santa Dulce dos Pobres e o Papa Francisco serão apresentados como exemplos de bons samaritanos – referência a uma parábola da Bíblia.
Segundo o texto-base da campanha, o objetivo é “conscientizar, à luz da palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso”. Já com o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” – extraído de um versículo bíblico – a campanha quer incentivar as “relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta”.
Criada em 1962, a campanha da fraternidade é apresentada todo ano na quarta-feira de cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa.

06
mar

Campanha da Fraternidade 2019

Postado às 12:07 Hs

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lança nesta quarta-feira, 6, em Brasília, a Campanha da Fraternidade 2019, com tema “Fraternidade e Políticas Públicas”. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, participa do evento realizado na sede provisória da CNBB no período da manhã. Na abertura do evento, o bispo auxiliar e secretário-geral, Dom Leonardo Steiner, leu a mensagem enviada pelo Papa Francisco para a campanha no Brasil.

“Todas as pessoas e instituições devem se sentir protagonistas das iniciativas e ações que promovam o conjunto das condições de vida social que permitem aos indivíduos, famílias e associações alcançar mais plena e facilmente a própria perfeição”, diz a mensagem vinda do Vaticano.

Steiner reforçou que o tema da campanha foi escolhido há mais de dois anos, entre 80 sugestões. “Para que nós todos nos preocupássemos com o Brasil, com as pessoas que vivem quase à margem da nossa sociedade”, afirmou o bispo auxiliar. “Sabemos que as políticas são responsabilidade de Estado e governos”, ressaltou. “Queremos dar nossa contribuição com a nossa reflexão A sociedade brasileira está necessitada de diálogo e de paz”, disse.

A representante do Conselho Nacional de Saúde Vânia Lúcia Ferreira Leite fez uma crítica ao sucateamento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Ela citou a Emenda Constitucional 95 que pode comprometer o financiamento do sistema. A mesma emenda também foi criticada por Gilberto Vieira dos Santos, secretário-adjunto do Conselho Indigenista Missionário, que citou a necessidade de políticas públicas para os povos indígenas.

Estadão Conteúdo

08
fev

Acontece

Postado às 8:51 Hs

A cerimônia de abertura da Campanha da Fraternidade 2018, agendada para a Quarta-feira de Cinzas, 14, na sede provisória da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), poderá ser acompanhada de todo o Brasil, ao vivo. Emissoras de inspiração católica e a página da CNBB no Facebook farão a transmissão do evento em tempo real. O grupo de emissoras de inspiração católica organizado pela Signis Brasil mobilizou os profissionais para que uma das TVs disponibilizasse o sinal para que o conteúdo seja transmitido para todo o Brasil. A equipe da Rede Vida, em Brasília, se dispôs a fazer a captação das imagens e a geração do sinal via satélite.

Está em fase final a preparação para a Cerimônia de Lançamento da Campanha da Fraternidade (CF) 2018 a ser realizada na Quarta-Feira de Cinzas, dia 14/02, às 10h, no auditório da sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Brasília-DF.

A edição da CF deste ano tem como tema “Fraternidade e superação da violência” e lema “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8). A Cerimônia de Lançamento será transmitida ao vivo em todas as emissoras de inspiração católica, na Rede Católica de Rádios e também na página da entidade no facebook (cnbbnacional).

Na solenidade, serão apresentadas histórias de pessoas que lutam para superação de violência. Como o trabalho do padre Vilson Groh apresentado no vídeo-documentário da Campanha da Fraternidade.

24
out

CNBB apresenta texto-base da CF 2017

Postado às 7:53 Hs

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicou o texto-base da Campanha da Fraternidade (CF) de 2017. Com o tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida” e o lema “Cultivar e guardar a criação” (Gn 2.15), a iniciativa alerta para o cuidado da criação, de modo especial dos biomas brasileiros.

Segundo o bispo auxiliar de Brasília (DF) e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner, a proposta é dar ênfase a diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente à luz do Evangelho. Para ele, a depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “Ao meditarmos e rezarmos os biomas e as pessoas que neles vivem sejamos conduzidos à vida nova”, afirma.

Ainda de acordo com o bispo, a Campanha deseja, antes de tudo, que o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. “Cultivar e guardar nasce da admiração! A beleza que toma o coração faz com que nos inclinemos com reverência diante da criação. A campanha deseja, antes de tudo, levar à admiração, para que todo o cristão seja um cultivador e guardador da obra criada. Tocados pela magnanimidade e bondade dos biomas, seremos conduzidos à conversão, isto é, cultivar e a guardar”, salienta.

 Além de abordar a real

idade dos biomas brasileiros e as pessoas que neles moram, a Campanha deseja despertar as famílias, comunidades e pessoas de boa vontade para o cuidado e o cultivo da Casa Comum. Para ajudar nas reflexões sobre a temática são propostos subsídios, sendo o texto-base o principal.

Dividido em quatro capítulos, a partir do método ver, julgar e agir, o texto-base faz uma abordagem dos biomas existentes, suas características e contribuições eclesiais. Também traz reflexões sobre os biomas e os povos originários, sob a perspectiva de São João Paulo II, Bento XVI e o papa Francisco. Ao final, são apresentados os objetivos permanentes da Campanha, os temas anteriores e os gestos concretos previstos durante a Campanha 2017.

Cartaz

Para colocar em evidência a beleza natural do país, identificando os seis biomas brasileiros, o Cartaz da CF 2017 mostra o mapa do Brasil, em imagens características de cada região. Compõem também o cenário, como personagens principais, os povos originários; os pescadores e o encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, acontecido há 299 anos. Além da riqueza dos biomas, o cartaz quer expressar o alerta para os perigos da devastação em curso, além de despertar a atenção de toda a população para a criação de Deus.

Adquira o material da CF 2017 no site das Edições CNBB.

(Fonte: CNBB)

Por Jamil Chade / Estadão

O papa Francisco apelou nesta quarta-feira, dia 10, para o “diálogo” no Brasil e para que o País “caminhe pelas sendas da harmonia e da paz”. Ao final de sua audiência semanal no Vaticano, o pontífice argentino decidiu fazer uma referência especial à crise brasileira, aproveitando-se da presença de peregrinos do País no local.

“Ao saudar vocês, peregrinos brasileiros, o meu pensamento vai à sua amada nação”, disse. “Nesses dias em que nos preparamos para Pentecostes, peço ao Senhor que derrame abundantemente os dons do Espírito Santo para que, nesses momentos de dificuldade, o país caminhe pelas sendas da harmonia e da paz com a ajuda da oração e do diálogo. Que a proximidade de Nossa Senhora Aparecida, que como uma boa mãe jamais abandona seus filhos, seja defesa e guia no caminho”, disse.

ACOMPANHANDO A CRISE

O argentino tem acompanhado de perto a crise brasileira e, a interlocutores na Santa Sé, já indicou que está preocupado com a instabilidade social no maior país católico do mundo. Um dos canais de informação tem sido a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que tem municiado os conselheiros mais próximos de Francisco sobre os desdobramentos no Brasil. Ainda na semana passada, o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, chegou a conversar sobre o assunto com o papa, indicando sua preocupação.

Francisco fez sua primeira viagem internacional justamente ao Brasil e indicou de forma inequívoca a necessidade de o País agir tanto para estabilizar crises internas como sendo uma ponte para o diálogo em diversas regiões do mundo

09
fev

Campanha

Postado às 12:46 Hs

Campanha da Fraternidade Ecumênica alerta para desafios do saneamento básico

Realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016 terá como tema “Casa comum, nossa responsabilidade” e lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5.24), com foco no saneamento básico, desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida aos cidadãos.

“Em sintonia com o Conselho Mundial das Igrejas e com o papa Francisco, sobretudo depois que ele lançou a encíclica Laudato Si’, a Campanha da Fraternidade chama a atenção sobre o atual modelo de desenvolvimento que está ameaçando a vida e o sustento de muitas pessoas, sobretudo dos mais pobres”, explica o bispo de Barra do Piraí-Volta Redonda (RJ) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-Religioso da CNBB, dom Francisco Biasin. Ele destaca que o atual modelo econômico, baseado no lucro, deve mudar, pois não favorece a biodiversidade e o desenvolvimento sustentável para a humanidade.

18
fev

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 13:04 Hs

  • A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realiza hoje (18), a abertura da Campanha da Fraternidade 2015, que este ano terá o tema “Fraternidade: Igreja e Sociedade” e o lema “Eu vim para servir”. Segundo a CNBB, a cerimônia terá início às 10h45 e será transmitida ao vivo, direto da sede da instituição, em Brasília, pelas emissoras católicas de rádio e televisão. Durante a cerimônia, será divulgada a mensagem do papa Francisco para a Campanha da Fraternidade 2015. Segundo a CNBB, a campanha da fraternidade 2015 buscará recordar a vocação e a missão dos cristão e das comunidades de fé a partir do diálogo e colaboração entre a Igreja e a sociedade, propostos pelo Concílio Ecumênico Vaticano II. Quem presidirá a cerimônia do anúncio da Campanha da Fraternidade 2015 será o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, dom Leonardo Ulrich Steiner.
  • O horário de verão que teve início no terceiro domingo de outubro de 2014, termina no próximo final de semana, precisamente no dia 22 de fevereiro, data em que os relógios terão de ser atrasados nas regiões que aderiram à medida. A economia prevista é de e aproximadamente R$ 278 milhões, em função da diminuição de geração térmica.
  • Depois de descansar por cinco dias na Base Naval de Aratu, na Bahia, a presidente Dilma Rousseff (PT) retorna à Brasília nesta quarta-feira (18) e, de cara, reunir o Conselho Político do Palácio do Planalto. A informação é do jornal O Globo. O tema da reunião não foi divulgado pelo Palácio, mas a expectativa é que o grupo discuta a relação do governo Dilma com o Congresso. Desde o início da nova legislatura, o governo perdeu várias votações e viu o desafeto Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ser eleito presidente da Câmara. No Congresso, a oposição também tem trabalhado para criar novas CPIs da Petrobras, para investigar as denúncias apuradas pela Operação Lava Jato da Polícia Federal. Além disso, há cada vez mais adversários falando em um possível impeachment para a petista. O Conselho Político é formado pelos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil); Pepe Vargas (Secretaria de Relações Institucionais); Jaques Wagner (Defesa); José Eduardo Cardozo (Justiça); e Miguel Rosseto (Secretaria-Geral da Presidência).
  • Quando passar o carnaval, o prefeito Carlos Eduardo terá que definir quem será seu líder na Câmara Municipal. Logo na quinta-feira pós-cinzas, Carlos vai à Câmara para, na abertura da legislatura de 2015, fazer a leitura da mensagem anual. Carlos está sem líder na Câmara desde que, alegando dificuldade de garantir o entrosamento entre a Casa e o chefe do Executivo Municipal, o vereador Júlio Protásio abdicou da função. Protásio sugeriu dois nomes: dos vereadores Felipe Alves e Júlia Arruda. Aguardemos…
  • Mossoró arrecada R$ 23 mi com IPTU em 2014 e imposto 2015 pode ser pago até 31 de março.O dinheiro arrecadado com o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) é uma das principais fontes de renda do município. O valor que chega até a Prefeitura é investido em todos os segmentos, principalmente em educação e saúde.A manutenção das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), das Bases Integradas Cidadãs (BICs) e a reforma nas praças e escolas municipais são feitas com o dinheiro arrecadado com o IPTU. O prazo final para o pagamento do imposto é no dia 31 de março.
  • O ex-governador do Estado, Fernando Antônio da Câmara Freire, foi condenado a pena de 13 anos e quatro meses de reclusão e 400 dias-multa pelo crime de peculato. O regime inicial para cumprimento de pena é o fechado. No mesmo processo, também foi condenado Pio Marinheiro de Souza Filho. O período da prática dos delitos foi o de fevereiro a novembro de 2002, quando o primeiro era vice-governador e depois, governador do Rio Grande do Norte, e o segundo, exercia mandato de vereador do município de Natal.As denúncias contra os dois foram baseadas em inquérito policial e exame grafotécnicos. A decisão foi proferida pelo juiz da 7ª Vara Criminal de Natal, José Armando Ponte Junior. No caso do réu Pio Marinheiro, a pena foi estipulada em seis anos e dez meses de reclusão e 166 dias-multa. O regime inicial de cumprimento da pena é semiaberto.No curso da ação penal, o acusado Fernando Freire tomou rumo incerto e ignorado, o que tornou impossível a realização válida de seu interrogatório, levando o magistrado a decretar a sua revelia e a ordenar a sua prisão preventiva, nos termos da decisão acostada às fls. 756/757, estando o ex-governador atualmente foragido. O juiz fixou o valor do dia-multa em um décimo do salário mínimo vigente em dezembro de 2002. Para Fernando Freire, o valor do dia-multa fixado é correspondente a dois salários mínimos, em valores vigentes em dezembro de 2002. O ex-chefe do Executivo foi condenado ao pagamento de metade das custas processuais, as quais devem ser calculadas em momento oportuno.
16
set

Debate

Postado às 19:44 Hs

Hoje, 16 de setembro, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promove o debate com presidenciáveis, com início às 21h30, no Centro de Eventos Pe. Vítor Coelho, no Santuário Nacional de Aparecida. Organizado pela TV Aparecida, o debate será transmitido por oito emissoras de inspiração católica, 230 rádios e portais católicos. Oito candidatos confirmaram presença. São eles: Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT), Eduardo Jorge (PV), José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Luciana Genro (PSOL), Marina Silva (PSB) e pastor Everaldo (PSC). De acordo com o arcebispo de Aparecida (SP) e presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis, o debate é uma oportunidade para que as pessoas conheçam as propostas e projetos dos candidatos à presidência do Brasil. “Desta forma, o evento oferecerá elementos para que o eleitor possa discernir em quem vai votar, não apenas pensando em seus benefícios pessoais, mas no bem comum. Desejamos que o nosso eleitor exerça seu direito de cidadania com liberdade, responsabilidade e consciência, pensando no bem do país”, explicou.
15
set

Encontro

Postado às 9:01 Hs

Mais tolerante, igreja católica cobra compromissos de candidatos

A cúpula da Igreja Católica promove debate com oito presidenciáveis nesta terça-feira (16) em Aparecida (SP), tentando se equilibrar entre a orientação do papa Francisco, mais tolerante em assuntos polêmicos como o homossexualismo, e a oportunidade de cobrar dos candidatos posições sobre esses temas.

Será a segunda vez que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) recebe candidatos a presidente. Nas eleições de 2010, ainda no papado de Bento 16, o encontro ocorreu em meio a mal estar entre a entidade e o Planalto.A informação foi publicada na Folha de São Paulo.Editoria de Arte/Folhapress.

05
mar

Campanha da Fraternidade 2014

Postado às 13:29 Hs

Tráfico Humano é o tema da Campanha da Fraternidade lançada nacionalmente nesta quarta-feira

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil realiza nesta quarta-feira de Cinzas (05) a abertura oficial da Campanha da Fraternidade de 2014, que tem neste ano o tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou”.

O lançamento nacional da CF 2014 ocorre em Brasília, e conta com a presença de representantes de diversas entidades, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e a Executiva do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic). Na ocasião, também será divulgada a mensagem do papa Francisco para a campanha.

21
jul

Diminuiu número de católicos no Brasil

Postado às 18:15 Hs

O número de brasileiros que se declaram católicos caiu de 64% em 2007, quando houve a última visita de um Papa ao país, para 57% em 2013, segundo pesquisa Datafolha publicada pelo jornal “Folha de S. Paulo” neste domingo (21). Os dados foram divulgados na véspera da chegada do Papa Francisco ao Brasil para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, que será iniciada nesta segunda-feira d(22). No mesmo período, a população de evangélicos pentecostais passou de 17% para 19%, a de evangélicos não pentecostais de 5% para 9% e a de espíritas kardecistas se manteve em 3%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi realizada nos dias 6 e 7 de junho. Foram feitas 3.758 entrevistas em 180 municípios brasileiros.
Em uma semana, o Papa Francisco desembarca no Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Ele ficará quatro dias no Brasil – de 22 a 28 deste mês. É a primeira viagem ao exterior do papa, que passará um dia em Aparecida, no interior de São Paulo. A programação de Francisco é intensa: visita aos moradores da comunidade da Varginha, conversa com presos e bênção para os doentes de uma instituição mantida por doações. Francisco será recebido pela presidenta Dilma Rousseff, pelo governador do Rio, Sérgio Cabral, pelo prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes, pelo arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta, e pelo arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Raymundo Damasceno Assis. O papa ficará hospedado na residência do Sumaré e fará os deslocamentos em um helicóptero.
25
jun

FIQUE SABENDO…

Postado às 11:55 Hs

 

# # FHC foi ouvido…

Dilma Rousseff fez uma série de consultas antes de propor um plebiscito para convocar Constituinte exclusiva sobre reforma política. O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) foi à casa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para propor uma reforma política ampla, pactuada com a oposição. FHC disse ser favorável, mas que teria de consultar outros líderes tucanos. Quando Cardozo falou em plebiscito, o ex-presidente disse ser contrário, e o ministro concordou com ele. A informação é de Vera Magalhães, na sua coluna de hoje, na Folha de S.Paulo. Diz a colunista que, em reunião no Alvorada, no domingo, ministros defenderam a Constituinte exclusiva diante da dificuldade do Congresso em aprovar a reforma. Dilma falou sobre o plebiscito, mas não bateu o martelo. ”Já Michel Temer não foi consultado. O vice-presidente, que escreveu artigo contra a proposta em 2007, foi surpreendido pelo anúncio na reunião com governadores e prefeitos.”

# # OAB, CNBB e MCCE se unem em prol da reforma política

A reforma política, uma das bandeiras mais presentes nos protestos, foi encampada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE), que iniciaram ontem (24) a coleta de assinaturas para emplacar mais uma lei de iniciativa popular, nos moldes da Ficha Limpa. De acordo com o presidente do MCCE, o juiz Márlon Reis, o objetivo é coletar de forma presencial e eletrônica 1,6 milhão de assinaturas, ou seja, 1% do eleitorado brasileiro, para encaminhar a proposta ao Congresso Nacional. Durante ato na sede da OAB, em Brasília, Márlon Reis afirmou que o atual sistema político “não nos representa” mais. “Não estamos falando de reivindicações que precisam se tornar majoritárias. Estamos falando de questões que estão maduras na sociedade”, disse ele. A proposta de reforma política estabelece, entre outras coisas, a proibição de doações de campanha por parte de pessoas jurídicas e limita doações de pessoas físicas ao valor máximo de R$ 700.

# # Mais reunião…

A presidente Dilma Rousseff receberá autoridades e representantes da sociedade civil em seu gabinete nesta terça-feira (25), um dia depois de propor cinco pactos nacionais por responsabilidade fiscal, reforma política, saúde, transporte e educação. Os encontros desta terça-feira começam às 10h, com o presidente da OAB, Marcus Vinícius Coêlho. Às 15h, haverá reunião com o presidente do STF, Joaquim Barbosa. Às 16h30, a presidente receberá representantes de movimentos sociais urbanos e, às 17h30, o presidente do Senado, Renan Calheiros.

# # MOSSORÓ mais segura

A prefeita de Mossoró, Cláudia Regina, reuniu na noite desta segunda-feira (24) os integrantes do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para debater ações sobre a segurança pública na cidade. O GGI foi criado para reunir entidades importantes ligadas ao combate à violência e à insegurança. Uma das pautas do encontro foi a reestruturação do Centro Integrado de Operações Segurança Pública (CIOSP) em Mossoró. Um ponto amplamente discutido na reunião foi a reestruturação do CIOSP no município. O Major Macêdo, comandante do CIOSP apresentou um projeto especificando os equipamentos necessários para a ampliação da central de monitoramento. O projeto prevê a instalação de 19 câmeras de monitoramento, em diversos pontos da cidade, inclusive em entradas do município. A ideia é que seja estabelecida uma parceria entre o poder público e a iniciativa privada, para montar a estrutura física, de transmissão e captação de imagens e as câmeras. Cláudia sugeriu a formatação de uma matriz de responsabilidades para que cada instituição assuma suas competências diante da reestruturação do CIOSP. “

abr 13
sábado
00 39
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
12 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.953.204 VISITAS