A avaliação positiva do governo de Jair Bolsonaro cresceu 9,2 pontos percentuais, no período de maio a outubro, segundo revela a pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgada nesta segunda-feira (26).

Segundo a 146ª Pesquisa CNT de Opinião, para 41,2% dos entrevistados o governo Bolsonaro é (ótimo/bom); para 30,3% é regular; 27,2% avaliam como (ruim/péssimo) e 1,3% não souberam, ou não quiseram opinar. Em maio, o governo registrava apenas 32% de avaliação positiva e 43% de avaliação negativa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em relação ao desempenho pessoal do presidente, Bolsonaro tem aprovação de 52% (contra 39,2% em maio); desaprovação de 43,2%, já 4,8% não souberam, ou não quiseram opinar.

DIÁRIO DO PODER

26
fev

Avaliação

Postado às 17:54 Hs

A avaliação positiva do governo de Jair Bolsonaro está em 39%, conforme pesquisa divulgada nesta terça-feira (26) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte).  A avaliação negativa ficou em 19%.De acordo com a pesquisa CNT/MDA, a proporção de pessoas que considera a atual gestão ótima é de 11%. Outros 28% avaliaram o início de governo como bom.

O levantamento mostra ainda que o governo é considerado péssimo para 12% dos entrevistados e ruim para 7%.

A avaliação “regular” ficou em 29%. Do total, 13% dos entrevistados não souberam responder.A pesquisa CNT/MDA ouviu 2.002 pessoas entre quinta-feira (21) e sábado (23) em 137 municípios de 25 unidades federativas.

Pesquisadores da CNT/MDA chegaram à seguinte conclusão ao analisar os números da pesquisa sobre o desempenho de Jair Bolsonaro.

“Os resultados da 143ª pesquisa CNT/MDA mostram avaliação positiva do presidente Jair Bolsonaro, com 57,5% dos entrevistados aprovando seu desempenho pessoal, maior índice obtido por um presidente desde novembro de 2013. Há ainda a percepção de que seu governo está sendo melhor do que de seus antecessores, Michel Temer e Dilma Rousseff.”

 

 

30
set

Pesquisa CNT/MDA mostra Bolsonaro na frente

Postado às 10:31 Hs

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito Fernando Haddad (PT) seriam os candidatos que disputariam o segundo turno para a eleição presidencial caso a votação do primeiro turno fosse hoje, segundo os resultados de pesquisa CNT/MDA divulgadas no início da madrugada deste domingo (30). Bolsonaro aparece com 28,2% da preferência do eleitorado, seguido por Haddad, que aparece com 25,2%. Em seguida estão Ciro Gomes (PDT) com 9,4%, e Geraldo Alckmin (PSDB) com 7,3%. De acordo com a pesquisa, o capitão reformado e o ex-prefeito de São Paulo são os candidatos cujos eleitores estão mais decididos em relação à opção de voto. Nos dois casos, mais de 80% dos eleitores declaram ter certeza sobre a decisão.
17
set

Eleições 2018: Mais uma pesquisa…

Postado às 12:39 Hs

O candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) lidera a disputa ao Palácio do Planalto com 28,2% das intenções de voto, afirma pesquisa do instituto MDA encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgada nesta segunda-feira (17).

Em segundo lugar, aparece Fernando Haddad (PT), com 17,6% da preferência dos entrevistados. A margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Ciro Gomes (PDT) vem em terceiro, com 10,8%.

Intenção de voto estimulada para presidente: 

Jair Bolsonaro (PSL): 28,2%
Fernando Haddad (PT): 17,6%
Ciro Gomes (PDT): 10,8%
Geraldo Alckmin (PSDB): 6,1%
Marina Silva (Rede): 4,1%
João Amoêdo (Novo): 2,8%
Alvaro Dias (Podemos): 1,9%
Henrique Meirelles (MDB): 1,7%
Cabo Daciolo (Patriota): 0,4%
Guilherme Boulos (PSOL): 0,4%
Vera (PSTU): 0,3%
José Maria Eymael (DC): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Branco/Nulo: 13,4%
Indeciso: 12,3%

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre 12 e 15, em 137 municípios de 25 unidades da federação. Ela está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-04362/2018 e tem nível de confiança de 95%.

Este é o primeiro levantamento do instituto desde que a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi indeferida pelo TSE e Fernando Haddad foi oficialmente indicado em seu lugar.

Pesquisa CNT/MDA, divulgada hoje, mostra a maioria dos entrevistados (51%) considerou a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como “justa”, enquanto 38,6% consideraram a detenção do ex-presidente como injusta. Para 49,9% dos entrevistados, Lula não conseguirá disputa as eleições presidenciais deste ano. Esse porcentual é maior do que o dos que acreditam que, mesmo preso, o petista conseguirá participar do pleito de outubro, de 40,8%.

O levantamento foi feito entre 9 e 12 de maio, pouco mais de um mês depois da prisão de Lula, em 7 de abril. Condenado na Lava Jato, ele cumpre pena carceragem da Polícia Federal em Curitiba após condenação na segunda instância.

A pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira também questionou a opinião dos entrevistados em relação à confiança na Justiça brasileira. A maioria (52,8%) avaliou o judiciário brasileiro como “pouco confiável” e 36,5% como “nada confiável”. Os que consideraram os magistrados do País como “muito confiáveis” ficaram em 6,4%.

Após quase um mês do afastamento da presidente Dilma Rousseff, a maioria dos brasileiros (54,5%) considera que o desempenho do governo interino de Michel Temer está igual ao da petista, aponta pesquisa CNT (Confederação Nacional de Transportes) /MDA divulgada nesta quarta-feira (8). A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Para essa parcela da população, a troca no comando não produziu nenhuma mudança significativa no país. Outros 20,1% dos entrevistados afirmaram que o governo melhorou, enquanto para 14,9%, ele piorou. A avaliação da gestão Temer é positiva para apenas 11,3% dos entrevistados e negativa para 28% deles. Cerca de 30,2% consideram o governo do peemedebista como regular, e 30,5% não souberam opinar. A impressão sobre o desempenho pessoal do interino também é majoritariamente negativa: 33,8% dos brasileiros o aprovam, contra 40,4% que o reprovam. Outros 25,8% não opinaram. Além disso, para 46,6%, a corrupção no governo Michel Temer será igual ao do governo Dilma. Para 28,3% será menor e para 18,6%, será maior.

Via Portal TERRA

Ainda que tenha apresentado números menos ingratos para a presidente Dilma Rousseff, a pesquisa da CNT/MDA de fevereiro mostra que a disputa da eleição presidencial não será fácil para o PT em 2018. Em um cenário estimulado – quando os nomes dos candidatos são apresentados aos entrevistados -, Aécio Neves, do PSDB, conta com 24,6% das intenções de voto, seguido por 19,1% do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e por 14,7% de Marina Silva, da Rede.

Ainda neste cenário, Jair Bolsonaro, do PP, soma 6,1% dos votos, Ciro Gomes (PDT) tem 5,8% das intenções de voto. Enquanto isso, a taxa de brancos e nulos totaliza 19,6%, e a de indecisos chega a 10,1%.

Na leitura que considera Geraldo Alckmin como presidenciável do PSDB, Lula aparece com 19,7%, seguido por Marina Silva, com 18%, e pelo governador de São Paulo, com 13,8%. Neste cenário, Ciro Gomes tem 7,4%, Bolsonaro, 6,3%. Já brancos e nulos somam 24,2% e indecisos, 10,6%.

Em um terceiro cenário proposto pelo levantamento, que inclui José Serra como candidato ao Planalto pelo PSDB, Lula soma 19,7%, seguido por Marina (17,8%) e Serra (14,5%). Já Ciro tem 7,2% e Bolsonaro soma 6,4%. Os que devem anular ou votar em branco totalizam 24,1% e os indecisos, 10,3%.

Cenário adverso para Lula

Em cenários estimulados de segundo turno, Aécio Neves venceria Lula com 40,6%, frente a 27,5% do petista. Votos brancos e nulos totalizam 25,7% e indecisos, 6,2%.

Em outros cenários com o Lula no segundo turno, o ex-presidente também ficaria atrás de Ciro Gomes (29,1% contra 28,2%; brancos e nulos: 34,3% e indecisos 8,4%) e de Marina Silva (36,6% contra 26,3%, branco e nulo 30% e indecisos 7,1%).

24
jul

FIQUE SABENDO…

Postado às 11:30 Hs

# PARCELAS DO FIES TERÃO JUROS MAIS ALTOS

Os estudantes que fecharem novos financiamentos pelo Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) pagarão parcelas mais altas. O Conselho Monetário Nacional (CMN) regulamentou o reajuste das taxas de juros dos novos contratos de 3,4% para 6,5% ao ano. O reajuste havia sido anunciado no fim do mês passado pelo ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro. As novas taxas haviam sido publicadas no edital com as novas regras do Fies, no início do mês, mas precisavam ser regulamentadas pelo CMN para entrar em vigor. O aumento vale apenas para os 61,5 mil contratos previstos para o segundo semestre deste ano. Quem já é beneficiado pelo programa e precisa renovar os financiamentos continuará pagando as taxas atuais, porque os contratos em vigor não podem ser alterados por apenas uma das partes.

# PETROBRAS SE MANTÉM ENTRE AS MAIORES DO MUNDO

Apesar de ser o centro de um dos maiores escândalos de corrupção no País, a Petrobras permanece entre as 500 maiores empresas do mundo. A companhia estatal brasileira de petróleo é a 28ª do ranking anual da revista “Fortune”, com receita de US$ 143,657 bilhões em 2014. Mesmo assim, após mais de um ano de Operação Lava Jato e o longo desdobramento de denúncias originadas em delações premiadas à Justiça, a Petrobras é companhia mais endividada do mundo e busca cortar custos, embarcando num plano para vender US$58 bilhões em ativos até 2018 para financiar o desenvolvimento dos projetos em águas profundas (pré-sal). A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e Federação Única dos Petroleiros (FUP), faz objeção ao Plano de Negócios e Gestão da Petrobras, que inclui a venda de ativos da empresa, divulgado pelo presidente da estatal, Bendine, e decidiram paralisar suas atividades por 24 horas desde meia-noite desta sexta-feira (24). O Sindicato dos Petroleiros de Pernambuco (Sindipetro-PE) também aderiu à greve nacional.

 

# MERCADO VÊ IMPEACHMENT COMO SAÍDA ‘POSITIVA’

Um relatório divulgado pela consultoria Eurasia no início desta semana passou despercebido – apesar de conter um dado importante. O texto repercutia a última pesquisa CNT/MDA, em que 63% dos entrevistados disseram querer a saída da presidente, e afirmava que o risco de impeachment havia avançado para 30% – o que é considerado alto pelos analistas. O dado curioso revelado pela consultoria é que o comportamento dos investidores com a divulgação desses números foi atípico: em vez de a confusão política assustar, tanto no mercado de dívida quanto o de ações e câmbio reagiram positivamente. “Os dados da pesquisa não eram surpresa, mas o comportamento dos preços de ativos foi revelador: houve uma retomada na Bovespa”, escreveram os analistas da Eurasia. “Esse episódio revela uma premissa entre alguns investidores de que um cenário de impeachment seria positivo para o mercado”. (Veja/Da redação)

# DÓLAR SEGUE EM ALTA NESTA SEXTA-FEIRA E BATE OS R$ 3,34

O dólar abriu em alta nesta sexta-feira e ultrapassou a barreira dos 3,30, ainda pressionado por preocupações com a situação fiscal do país após o corte nas metas do governo. Por volta das 9h50, a moeda subia 0,91%, negociada aos 3,32 reais na venda. Na máxima, no entanto, chegou a atingir os 3,34 reais, maior nível desde 1º de abril de 2003, quando foi a 3,35 reais no intradia. Na quinta-feira, o dólar fechou em alta de mais de 2% e terminou em R$ 3,29, maior nível em quatro meses. Na quarta-feira, o governo reduziu a meta de superávit primário deste ano para 8,74 bilhões de reais, ou 0,15% do Produto Interno Bruto (PIB), contra 66,3 bilhões de reais (1,1% do PIB), previstos até então. Após o corte, o mercado teme que o país perca o grau de investimento – selo de bom pagador – dado por agências de classificação de risco. Na classificação das três principais agências internacionais de classificação de risco – Fitch, Moodys e Standard and Poor’s -, o Brasil segue com grau de investimento. No mercado, agentes têm como certa uma redução do rating soberano do Brasil pela Moody’s para o último patamar dentro do grau de investimento, assim como já se situa nas outras duas agências.

Via Folha Press

A redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para qualquer tipo de crime é apoiada por 70,1% da população, de acordo com pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira (21). Apenas 18% dos entrevistados acreditam que a redução deve valer somente para crimes mais graves, como homicídio e latrocínio (roubo seguido de morte). Dos entrevistados, 10,2% consideram que a maioridade penal deve ser mantida e 1,7% das pessoas não souberam ou não quiseram responder ao questionamento. Para quase todos os entrevistados (92,6%) o fato de o menor saber que não pode ser preso torna mais fácil que os adolescentes cometam crimes.

Apenas 6,5% foram contrários à tese, e 0,9% não souberam ou não quiseram responder. Já para 40,2% das pessoas, a redução pode contribuir muito para a diminuição da violência no país e 37,4% acreditam que ela contribuíria muito. Para 20,6%, a mudança não resolveria o problema. A pesquisa ouviu 2.002 pessoas em 137 municípios de 25 Estados nas cinco regiões do país. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com 95% de nível de confiança. Das medidas consideradas mais eficazes para se combater a violência no país, estão o investimento na educação de crianças e adolescentes (68,3%), policiamento nas cidades (36,8%), redução da maioridade penal (34,9%), maios investigação de crimes e prisão dos culpados (26,4%) e construção de presídios (10,6%).

 

INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE (ESPONTÂNEA)

Aécio Neves (44,4%), Dilma Rousseff (43,3%)

 

2º TURNO – INTENÇÃO DE VOTO PARA PRESIDENTE (ESTIMULADA)

Aécio Neves (PSDB) – 45,3%

Dilma Rousseff (PT) – 44,7%

 

VOTOS VÁLIDOS

(percentual calculado excluindo os percentuais de branco, nulo e indecisos)

Aécio Neves (PSDB) – 50,3%

Dilma Rousseff (PT) – 49,7%

 

LIMITE DE VOTO

DILMA ROUSSEFF: é a única em que votaria (37,9%); é uma candidata em que poderia votar (17,3%); não votaria nela de jeito nenhum (43,3%); não conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar (0,1%).

AÉCIO NEVES: é o único em que votaria (38,4%); é um candidato em que poderia votar (16,3%); não votaria nele de jeito nenhum (42,8%); não conhece/não sabe quem é/ nunca ouviu falar (1,1%). A 126ª Pesquisa CNT/MDA mostra que Aécio Neves está numericamente à frente de Dilma Rousseff. Importante ressaltar que Aécio inverteu a curva de queda e voltou a subir.

Provavelmente, o debate da Rede Globo definiu as eleições, com grandes possibilidades de Aécio ser eleito presidente da República neste domingo.

A Pesquisa realizada 23 e 24 de outubro de 2014 e divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR – 01199/2014. Foram entrevistadas 2.002 pessoas de 137 municípios de 25 Unidades da Federação.

23
set

Dilma e Marina tecnicamente empatadas…

Postado às 12:16 Hs

Dilma tem 36%, Marina 27,4% e Aécio 17,6%, diz pesquisa CNT/MDA

Pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira mostra que a presidente Dilma Rousseff ampliou a vantagem que tinha em relação à Marina Silva no primeiro turno da corrida ao Palácio do Planalto. Dilma oscilou de 38,1% para 36% das intenções de voto, mas Marina caiu de 33,5% para 27,4% na comparação para a sondagem divulgada do dia 9 de setembro. O candidato do PSDB, Aécio Neves, subiu de 14,7% para 17,6%.

No principal cenário de disputa para segundo turno, Dilma tem 42% contra 41% de Marina, empatadas tecnicamente. No levantamento anterior, Marina e Dilma também estavam tecnicamente empatadas, a candidata do PSB tinha 45,5% contra 42 7% da petista. Na disputa entre Dilma e Aécio, a presidente se reelegeria com 45,5% contra 36,5% do tucano. Na última pesquisa, Dilma tinha 47,5% e o tucano, 33,7%.

Segundo a CNT, foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades federativas das cinco regiões do País, nos dias 20 e 21 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00753/2014.

09
set

Disputa federal…

Postado às 11:25 Hs

A pesquisa MDA, divulgada nesta terça-feira, 9, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), apontou que a presidente Dilma Rousseff fica à frente de Marina Silva no primeiro turno da corrida ao Palácio do Planalto. A presidente Dilma Rousseff está com 38,1% das intenções de voto e Marina, 33 5%. O candidato do PSB, Aécio Neves, oscilou para baixo e tem 14 7%. Em relação à sondagem passada, a diferença entre as duas caiu no primeiro turno. Dilma tinha no primeiro turno com 34,2%, e Marina, 28,2%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, alcançara 16%.Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 25 unidades da Federação das cinco regiões entre os dias 5 e 7 de setembro. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos.
27
ago

Marina é favorita em nova pesquisa

Postado às 21:29 Hs

Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT)/MDA divulgada hoje (27) mostra a candidata Dilma Rousseff (PT) liderando a corrida presidencial com 34,2% das intenções de voto para a Presidência da República. Em segundo lugar está a candidata pelo PSB, Marina Silva, com 28,2% das intenções de voto, e, em terceiro, Aécio Neves (PSDB), com 16%. De acordo com a pesquisa, no caso de um segundo turno, Marina Silva venceria um embate contra Dilma Rousseff, obtendo 43,7% das intenções de voto, ante 37,8% da adversária. Nesse cenário, votos brancos e nulos somam 12,4%, e não sabem ou não responderam à pesquisa 6,1%.Os resultados são semelhantes à pesquisa do Instituto Ibope divulgada ontem (27).
29
abr

Aécio cresce em pesquisa…

Postado às 12:29 Hs

A avaliação do governo Dilma Rousseff e sua aprovação pessoal pioraram em abril e a presidente perdeu terreno na disputa eleitoral, enquanto o senador Aécio Neves (PSDB) ganhou fôlego, mostrou pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira. As intenções de voto de Dilma caíram para 37,0 por cento, ante 43,7 por cento em fevereiro, e Aécio subiu para 21,6 por cento (ante 17,0 por cento). O terceiro colocado na disputa, Eduardo Campos (PSB) avançou para 11,8 por cento (9,9 por cento), mas dentro da margem de erro da pesquisa, de 2,2 pontos percentuais. No levantamento espontâneo, quando o nome dos candidatos não é mencionado, Dilma oscilou para baixo a 20,5 por cento (21,3 por cento), enquanto Aécio subiu para 9,3 por cento (5,6 por cento).
18
fev

Dilma disparada…

Postado às 16:40 Hs

CNT: Dilma venceria eleição no primeiro turno. Eduardo mais perto de Aécio

A avaliação do governo Dilma Rousseff (PT) teve uma leve piora em fevereiro, mas a presidente segue na liderança folgada da corrida presidencial. Os dados são de uma pesquisa CNT/MDA, divulgados nesta terça-feira (18).

De acordo com o levantamento, a avaliação positiva do governo caiu para 36,4%, ante 39% em novembro. A avaliação negativa passou para 24,8%, ante 22,7%, enquanto a regular oscilou para 37,9%, contra 37,7%.A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Na disputa pela Presidência da República, Dilma Rousseff segue liderando com 43,7% das intenções de voto, ante 43,5% na sondagem anterior, realizada em novembro do ano passado.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) soma agora 17% da preferência do eleitorado, contra 19,3%, e o governador Eduardo Campos (PSB) foi para 9,9%, ante 9,5%.Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 24 Unidades da Federação, entre os dias 9 e 14 de fevereiro.A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número 12/2014.

16
jul

Dilma cai mais ainda…

Postado às 16:00 Hs

Se as eleições de 2014 fossem hoje, a presidente Dilma Rousseff disputaria o segundo turno, de acordo com pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, 16. No primeiro levantamento, realizado em junho, antes da intensificação dos protestos pelo País, Dilma venceria no 1º turno.

Segundo os dados divulgados nesta terça pela Confederação Nacional dos Transportes, Dilma aparece com 33,4% das intenções de voto, seguida pela ex-senadora Marina Silva (sem partido), com 20,7%; pelo senador Aécio Neves (PSDB), com 15,2%, e pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), com 7,4%. A pesquisa foi realizada entre 7 a 10 de julho, em 134 municípios brasileiros. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

No levantamento feito em junho, Dilma aparecia com mais de 50% das intenções de voto nos dois cenários apresentados. Na mesma comparação, o índice de Aécio Neves (PSDB) oscilou de 17% para 15,2%; a de Marina Silva aumentou de 12,5% para 20,7%; e de Campos passou de 3,7% para 7,4%.

E as eleições de 2014 ?

A avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff caiu de 54,2% para 31,3%, segundo pesquisa CNT/MDA divulgada nesta terça-feira, 16. O levantamento foi feito entre os dias 7 e 10 de julho, após a onda de protestos ocorrida no País. A avaliação negativa do governo subiu de 9% em junho para 29,5%. Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 134 municípios de 20 Estados, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. A última pesquisa CNT/MDA, divulgada em 11 de junho, registrou oscilação negativa na avaliação do governo e ficou em 54,2%, ante 56,6% do levantamento anterior. Segundo o levantamento atual, a aprovação do desempenho pessoal de Dilma também caiu de 73,7% e para 49,3%. Já o índice de desaprovação saltou de 20,40% em junho para 47,3%.

nov 24
terça-feira
14 24
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
102 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.840.985 VISITAS