Via Blog do Primo

O primo Cláudio Porpino resolveu colaborar com à reeleição do prefeito Álvaro Dias. Cláudio é um profundo conhecedor de Natal e wilmista histórico, ele participou ativamente de todas as lutas da guerreira.
Observando o bom desempenho do prefeito Álvaro Dias, primo Porpa resolveu deixar de apoiar à candidatura a prefeito do deputado Hermano Morais e colaborar também com a gestão de Álvaro assumindo à Secretaria de Esporte e Lazer.
Cláudio Porpino está no lugar certo, além de desportista , ele agitador cultural e carnavalesco.

Ele substitui o vereador de Mossoró João Gentil que ocupou o cargo recentemente.  Cláudio teve o nome cotado para disputar uma cadeira na Câmara, pelo PSB, partido ao qual é filiado, e do qual inicia o processo de desfiliação.

“Se eu for convocada vou tentar de alguma forma a liberação na Justiça Eleitoral ou cobrar dos cartórios medidas de proteção”, disse a publicitária Mariana Marcondes, de 28 anos. Mesária na eleição municipal de 2012, ela se recorda dos momentos de concentração de pessoas quando os eleitores vão às urnas. “Depois de encerrada a votação se forma uma aglomeração para devolver livros, urnas e imprimir os boletins.” Diante do cenário incerto da pandemia do coronavírus para os próximos meses, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está especialmente preocupado com o possível “apagão” em uma etapa-chave do processo das eleições municipais deste ano: a convocação de mesários. NO RADAR – O processo, que será deflagrado na primeira semana de agosto, precisa reunir um exército de 2 milhões de pessoas, entre voluntários e convocados. Os nomes que já atuaram na função em eleições passadas são os primeiros no radar dos tribunais regionais eleitorais, mas especialistas e ex-desembargadores temem que uma onda de atestados médicos e a judicialização das convocações abram um vácuo sem precedentes na função.

A praticamente quatro semanas da largada das convenções partidárias para homologações dos nomes de candidatos a prefeito e vereador nos 167 municípios do Rio Grande do Norte, o quadro político indica que pelo menos 45% dos 33 partidos políticos com registros na Justiça Eleitoral do Estado têm pré-candidatos a prefeito de Natal, a começar do PSDB, que tem o prefeito Álvaro Dias como postulante à reeleição no pleito de 15 de novembro.

Somente após a oficialização das candidaturas nas convenções que se realizarão entre os dias 31 de agosto e 15 de setembro, os partidos poderão iniciar a campanha e a propaganda eleitoral propriamente dita, mas a maioria dos 15 pré-candidatos declarados ou não a prefeito de Natal, já usa as redes sociais e até entrevistas na mídia tradicional pra falar da plataforma politico-administrativa ou se lançar como eventual candidato majoritário.

São pré-candidatos:

ÁLVARO DIAS – PSDB
KELPS LIMA – SOLIDARIEDADE
CORONEL HÉLIO – PRTB
JEAN PAUL PRATES – PT
SANDRO PIMENTEL – PSOL
HERMANO MORAIS – PSB
CORONEL AZEVEDO – PSC
DELEGADO SÉRGIO LEOCÁDIO – PSL
FERNANDO PINTO – NOVO
PROFESSOR CARLOS ALBERTO – PV
AFRÂNIO MIRANDA – PODEMOS
FERNANDO FREITAS – PCDOB
FREITAS JUNIOR – REDE
ROSÁLIA FERNANDES – PSTU

TN

O diretório municipal do PT definiu neste sábado (1) que o senador da República Jean Paul Prates será o pré-candidato a prefeito de Natal da sigla. Ele disputou o posto com o infectologista Alexandre Motta, preferido das bases.

Prates venceu por 28 a 10. Apenas a corrente Articulação de Esquerda (AE), liderada no Estado pela deputada federal Natália Bonavides, apoiou Motta, único dos dois que já disputou uma eleição. Prates será testado pela primeira vez. A indicação dele foi apresentada pela direção do Partido

O infectologista Alexandre Motta foi candidato ao Senado em 2018, quando obteve 242.465 votos, ficando na 6º colocação. Já Jean Paul herdou a vaga no Senado com a vitória de Fátima Bezerra para o Governo do Rio Grande do Norte. Ele era o primeiro suplente da ex-senadora.

Natural do Rio de Janeiro, tem 52 anos e foi secretário de Estado de Energias e Assuntos Internacionais do Rio Grande do Norte na gestão Wilma de Faria (PSB). É formado em direito e economia, com mestrado em gestão ambiental pela Universidade da Pensilvânia (EUA) e em economia da energia, pela Escola Superior de Petróleo, Energia e Motores da França. Antes de ocupar o Senado, presidiu o Sindicato das Empresas de Energia do Rio Grande do Norte e o Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia.

Também atuou na regulação dos setores de petróleo, energia renovável, biocombustíveis e infraestrutura nos governos Fernando Henrique Cardoso e Lula.

Eleições

As eleições municipais foram adiadas para novembro de 2020 em razão da pandemia. Até o momento estão confirmadas as pré-candidaturas do atual prefeito Álvaro Dias, pré-candidato à reeleição, Kelps Lima (Solidariedade), Hermano Moraes (PSB), professor Carlos Alberto (PV), Sérgio Leocádio (PSL), Coronel Hélio (PRTB) e Fernando Freitas (PCdoB).

Saiba Mais – Agência de Reportagem

Ipanguaçu (RN) também está nos planos do PSDB potiguar. Cidade com quase 16 mil habitantes, Ipanguaçu hoje está entre os 35 maiores municípios do Rio Grande do Norte. A importância geográfica para a região do Vale do Açu também desperta interesse do PSDB, que vem crescendo e atraindo nomes jovens e com novas ideias. O odontólogo Thales Marinho, vice-prefeito é o pré-candidato da sigla para as Eleições 2020.

A maior parte da população de Ipanguaçu, ou seja, quase 9 mil habitantes residem em assentamentos, distritos e comunidades rurais. Por isso que Thales Marinho tem planos também para desenvolver essa parte da cidade. “Tenho o sonho de olhar para uma Ipanguaçu mais justa, de pleno emprego e oportunidades para seus filhos. Nesses últimos anos, tenho feito o que gestores responsáveis e comprometidos com nosso futuro devem fazer. Estudado, buscado alternativas e me cercando de pessoas da cidade para ouvir suas ideias. Não existe mágica, existe responsabilidade. Acredito que a mudança se faz mantendo a palavra. E a esperança se faz tendo atitude”, explica o jovem, que reúne forças para enfrentar o desgaste do prefeito Valderedo Bertoldo.

Nos últimos dias, Thales Marinho também teve sua primeira vitória. Ele se recuperou em 16 dias da Covid-19. Distante de casa, das pessoas que ama e da cidade. “Retorno para o meu aconchego curado depois de receber tanto apoio, carinho e amor dos familiares, amigos e de todo o povo de Ipanguaçu”, comentou em suas redes sociais.

Ipanguaçu tem uma pandemia forte. De acordo com o último Boletim Epidemiológico da Prefeitura, o município teve 10 mortes e 171 casos confirmados. 85 pessoas foram consideradas suspeitas.  “Já enfrentei tantos desafios, que hoje eu não desisto de tentar, pelo contrário, busco sempre forças para se superar. Na minha trajetória política e profissional foi assim, e agora diante da pandemia onde a luta é contra um inimigo invisível, tenho aprendido mais ainda o quanto minha vontade, as ideias que nascem do coração e o desejo genuíno de trabalhar pelo bem comum podem mudar a realidade das pessoas”, comentou Thales Marinho

Fonte: Assessoria 

As pesquisas de opinião pública relativas às Eleições 2020 ou aos seus pretensos candidatos devem ser previamente registradas na Justiça Eleitoral até cinco dias antes de sua divulgação, por meio do Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais (PesqEle). A regra, que começou a valer no dia 1º de janeiro, é disciplinada pela Resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nº 23.600/2019, que regulamenta os procedimentos relativos ao registro e à divulgação de pesquisas.

Pesquisa eleitoral é a indagação feita ao eleitor, em um determinado momento, sobre a sua opção a respeito dos candidatos que concorrem em uma eleição. De acordo com a resolução, o concorrente cujo registro de candidatura tenha sido indeferido, cancelado ou não conhecido somente poderá ser excluído da pesquisa quando cessada a condição sub judice, ou seja, quando houver um julgamento definitivo sobre o seu pedido de registro.

A resolução prevê a aplicação de sanção às empresas responsáveis pela divulgação de pesquisas sem o prévio registro das informações constantes de seu artigo 2º, entre elas: o nome do contratante; o valor e a origem dos recursos despendidos; a metodologia e o período de realização do levantamento; e o questionário completo aplicado ou a ser aplicado. A multa prevista é de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00.

A Justiça Eleitoral pretende ser mais rígida com partidos que fraudam candidaturas femininas para cumprir a determinação de que 30% dos concorrentes a vagas no Legislativo sejam mulheres. As eleições de novembro deste ano serão as primeiras em que estará valendo uma resolução que permite ao juiz derrubar uma lista inteira de candidatos a vereador antes mesmo da votação, caso a irregularidade seja constatada. Para acelerar este processo, partidos terão de apresentar autorização por escrito de todas as candidatas, o que não vinha acontecendo desde que o registro foi informatizado. A assinatura é uma forma de garantir que aquela candidata tem mesmo interesse em concorrer e não foi indicada pelo partido apenas para cumprir a cota feminina.
Dia 20 de julho seria o início da contagem de 14 prazos previstos no Calendário Eleitoral de 2020. Contudo, essa e outras datas deste e de outros meses terão de ser alteradas em conformidade com a Emenda à Constituição nº 107/2020, que adiou o pleito para 15 e 29 de novembro (1º e 2° turnos), em razão da pandemia de Covid-19. O Congresso Nacional modificou de forma expressa algumas datas importantes de julho, como o período para a realização das convenções partidárias. A deliberação sobre coligações e a escolha de candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereador – que aconteceriam de 20 de julho a 5 de agosto – passaram para o período de 31 de agosto a 16 de setembro. Já o prazo para o registro de candidaturas, que acabaria em 15 de agosto, terminará no dia 26 de setembro. A partir das escolhas em convenção, os candidatos já podem apresentar os pedidos de registro à Justiça Eleitoral.

Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Fiocruz e os hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein firmaram um acordo de consultoria para garantir que todos cuidados necessários sejam adotados durante as eleições municipais de 2020. Conforme a emenda constitucional promulgada pelo Congresso Nacional, o primeiro turno será no dia 15 de novembro, e o segundo turno no dia 29 do mesmo mês.

Em função da pandemia do novo coronavírus, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, decidiu excluir a necessidade de identificação biométrica na eleição municipal deste ano.
A decisão de Barroso ainda precisa ser analisada pelos demais ministros do tribunal. Neste ano, 119,7 milhões de eleitores estariam aptos a votar pelo sistema de biometria. A exclusão do procedimento segue recomendação apresentada pelos infectologistas que prestam consultoria sanitária para a realização pleito e considera dois fatores:

  • a identificação pela digital pode aumentar as possibilidades de infecção, já que o leitor não pode ser higienizado com frequência;
  • o aumento de aglomerações, uma vez que a votação com biometria é mais demorada do que a votação com assinatura no caderno de votações. Muitos eleitores têm dificuldade com a leitura das digitais, o que aumenta o risco de formar filas.
14
jul

Acontece: Lançamento de candidatura

Postado às 18:02 Hs

Deputado Allyson Bezerra realizará evento virtual no próximo dia 15 de julho

No próximo dia 15 de julho, o Deputado Estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) realizará evento virtual através das redes sociais para tratar de diversos temas de interesse da população potiguar, em especial, de Mossoró. Será às 20h no Facebook e Instagram do deputado.

Entre os assuntos a serem discutidos está a possibilidade de pré-candidatura de Allyson a prefeito de Mossoró.

“Nesse momento de pandemia é preciso sempre estar conectado as pessoas e as redes sociais nos proporciona isso. Faremos esse evento para um bate-papo com a população e para falar de temas importantes como a política local”, disse Allyson

Fonte: Assessoria

O primeiro turno das Eleições 2020 está marcado para o dia 15 de novembro e deve levar às urnas cerca de 146 milhões de eleitores que escolherão os novos vereadores, prefeitos e vice-prefeitos dos 5.568 municípios do país. Para votar consciente e poder cobrar ações concretas dos eleitos, é relevante saber quais são as principais funções dos representantes eleitos para esses cargos. Eleger um prefeito, por exemplo, é fazer uma escolha de extrema importância e de grande responsabilidade por parte de cada eleitor, pois o futuro da cidade estará nas mãos de quem vencer a disputa.

Via Heitor Gregório

O prefeito de Assu, Gustavo Soares (PL), reuniu seu grupo político na cidade e comunicou a decisão de não disputar a reeleição na eleição que se aproxima.

Gustavo tem um perfil mais de administrador do que político. E nunca perdeu a ligação com a sua profissão de médico.

“É uma decisão pessoal dele que optou pela medicina”, declarou ao blog. Segundo George, a definição dos candidatos a prefeito e vice será do grupo político ao qual lidera no município.

“Nosso grupo tem excelentes nomes para disputar a eleição e ganhar. Esse grupo vai escolher a chapa”, complementou. Pela oposição, o candidato será o ex-prefeito Ivan Júnior.

Na pesquisa divulgada desde ontem (1) pelo Instituto Consult (leia dados mais abaixo) revela que o nome mais rejeitado para disputar a Prefeitura de Natal (RN) é o da deputada federal Natália Bonavides. O segundo mais rejeitado é o deputado estadual Sandro Pimentel.

O atual prefeito tucano e candidato à reeleição Álvaro Dias vai para a disputa da reeleição deste ano com a perspectiva de vencer o pleito ainda no primeiro turno, de acordo com a pesquisa:

Ele obteve 32,5% das intenções de voto contra: Natália Bonavides (PT) de 4,9%, seguida por Kelps Lima (SDD) com 4,8%. Hermano Morais (PSB) tem 4,3%, Eudiane Macedo (PRP) aparece com 3,1%, Sandro Pimentel (PSOL) com 2,8%, professor Carlos Alberto (PV) com 1,8% e Fernando Pinto (PCdoB) com 0,1%.

De acordo com o levantamento, 63,4% dos entrevistados desaprovam a gestão de Fátima Bezerra.

A pesquisa foi feita com mil pessoas distribuídas nas quatro regiões da cidade. Os resultados têm uma margem de erro de 3,1% para mais ou para menos e confiabilidade de 95%. O número de registro no TSE é RN01510/2020.

01
jul

TSE pode retirar biometria das eleições

Postado às 12:52 Hs

Luís Roberto Barroso avalia a possibilidade de excluir necessidade da identificação biométrica dos eleitores no pleito deste ano.  Ele encomendou aos técnicos do TSE um estudo que revele quanto tempo um cidadão leva para votar com e sem a biometria.

Em outra ponta, vem consultando médicos para saber o que é mais seguro, em termos sanitários, a identificação por meio da digital ou, à moda antiga, na base da assinatura. Quando tiver essas informações em mãos e a depender do estágio da pandemia, Barroso baterá o martelo.

Participar de uma eleição como mesário voluntário é a chance que muitos brasileiros têm de se envolver diretamente no processo democrático de escolha dos novos representantes do país. A participação voluntária no processo eleitoral é permitida, obedecendo aos requisitos exigidos no Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965). Aqueles que trabalham como mesário voluntário têm direito às seguintes vantagens:

O plenário do Senado Federal aprovou em primeiro turno nesta terça-feira (23) a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 18/2020, que trata do adiamento das eleições municipais de 2020 em decorrência da pandemia do novo coronavírus.

A matéria foi aprovada por 67 senadores, recebeu oito votos contrários e duas abstenções. Os senadores irão votar a matéria em segundo turno ainda nesta terça.

De relatoria do senador Weverton (PDT-MA), a matéria prevê o adiamento para os dias 15 e 29 de novembro. Oficialmente, as eleições estão previstas para 4 e 25 de outubro.

Se as condições sanitárias, por causa do coronavírus, não permitirem realizar as eleições nesses dias (15 e 29/11), o TSE poderá alterar as datas até o dia 27 de dezembro.

Por se tratar de uma PEC, o projeto de adiamento do pleito só passará a valer caso alcance 49 votos favoráveis à mudança no Senado e 308 na Câmara, em dois turnos de votação.

Apesar do adiamento, o fato de as eleições continuarem previstas para este ano garante que o período dos atuais mandatos e a data da posse dos eleitos permaneçam inalterados. Prefeito, vice-prefeito e vereadores têm mandato de quatro anos e tomam posse em 1º de janeiro.

A proposta torna sem efeito, somente para as eleições municipais deste ano, o artigo 16 da Constituição, segundo o qual qualquer lei que alterar o processo eleitoral só se aplicará à eleição que ocorrer após um ano de sua vigência.

Prazos

 a partir de 11 de agosto: vedação às emissoras para transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato;

– entre 31 de agosto e 16 de setembro: realização das convenções para escolha dos candidatos pelos partidos e a deliberação sobre coligações;

– até 26 de setembro: partidos e coligações solicitem à Justiça Eleitoral o registro de seus candidatos;

– após 26 de setembro: início da propaganda eleitoral, inclusive na internet;

– a partir de 26 de setembro: que a Justiça Eleitoral convoque os partidos e a representação das emissoras rádio e de televisão para elaborarem plano de mídia;

– 27 de outubro: para que partidos políticos, as coligações e os candidatos, obrigatoriamente, divulguem o relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha;

– até 15 de dezembro: encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativamente ao primeiro e, onde houver, ao segundo turno das eleições;

*Com informações da Agência Senado e Agência Estado

O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Luís Roberto Barroso, propôs ao Congresso Nacional o alongamento da campanha eleitoral para candidatos a prefeito e vereador neste ano. Em função da pandemia do novo coronavírus, o ministro sugeriu que o início da campanha seja mantido em agosto, mesmo que o dia da votação seja adiado.

A sugestão é que o primeiro e o segundo turno das eleições municipais sejam adiadas para um período entre 15 de novembro e 20 de dezembro.

Na prática, a manutenção das datas para convenções partidárias e registro de candidaturas nos dias 5 e 15 de agosto, respectivamente, levaria a campanha eleitoral a durar um período superior a dois meses do prazo original.

20
jun

Opinião: Num pântano de incertezas

Postado às 13:25 Hs

Apressado em marcar a eleição para final de novembro e princípio de dezembro ou os dois turnos em novembro, como parece a proposta mais consensual, o Congresso não quer ouvir falar em prorrogação de mandatos de prefeito e vereador, nem mesmo por apenas um ano. Mas mantida a curva crescente da pandemia do coronavírus, como se observa hoje, o Brasil caminha para a eleição do ineditismo, sem campanha de rua, sem convenções presenciais, sem aperto de mão nem abraços, o primeiro pleito online de fato. Uma perguntinha que não quer calar: se a eleição fosse para a renovação do mandato das excelências congressuais, não já estaria prorrogada para 2021? “Elementar, meu caro Watson”, diriam os mais fervorosos defensores hoje da eleição a qualquer custo. Não se pode fazer mais nada neste País envolto na maior crise sanitária da sua história, mas votar, pode. Vereadores entram para o livro dos recordes como cobaias duplos em uma única eleição.
ago 6
quinta-feira
07 47
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
161 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.831.229 VISITAS