O baque da pandemia do novo coronavírus deve deixar um saldo ainda mais cruel para a economia brasileira: ela pode deixar de figurar entre as dez maiores do mundo este ano, sendo ultrapassada por Canadá, Coreia do Sul e Rússia. Os dados são de um levantamento dos pesquisadores do Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) Marcel Balassiano e Claudio Considera, a partir de projeções feitas em outubro pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo antecipou o jornal Valor Econômico. De acordo com as projeções feitas em outubro pelo FMI para este ano, com a crise da Covid-19 e seus impactos na economia mundial, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil passaria de US$ 1,8 trilhão no ano passado para US$ 1,4 trilhão até o fim deste ano – o que levaria a economia brasileira a ser ultrapassada por canadenses, sul-coreanos e russos. A crise econômica provocada pela pandemia deve levar a maior parte do mundo a uma forte retração da atividade econômica este ano. No Brasil, os efeitos da Covid-19 se somam ao desempenho do real, que foi uma das moedas que mais se desvalorizaram este ano. Do começo do ano até o fim do mês passado, o câmbio se desvalorizou 40% em relação ao patamar em que o dólar estava no fim de 2019.
22
jan

Projeção

Postado às 20:20 Hs

FMI eleva projeção de crescimento global e para o Brasil em 2018 e 2019.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou a projeção de crescimento do Brasil para 2018 e 2019. O Produto Interno Bruto (PIB) do país deve crescer 1,9% este ano, 0,4 ponto percentual acima que foi estimado em outubro. Para 2019, a previsão foi revisada para 2,1%, um aumento de 0,1 ponto percentual.

Divulgado hoje (22), o relatório World Economic Outlook destaca que a atividade econômica global registrou crescimento previsto de 3,7% em 2017, 0,1 ponto percentual acima do projetado em outubro, quando a última versão do documento foi divulgada. O FMI também prevê crescimento global de 3,9% para 2018 e 2019, o que representa aumento de 0,2 ponto percentual sobre a projeção do relatório anterior.

FMI reduz crescimento do Brasil em 2017 e eleva o de EUA e China

A recuperação da economia brasileira será ainda mais lenta do que se pensava, segundo relatório divulgado nesta segunda (16) pelo FMI (Fundo Monetário Internacional). A estimativa do Fundo é que o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2017 será de 0,2%, menos que os já modestos 0,5% previstos em outubro. Depois de dois anos em queda (-3,8% em 2015 e -3,5% em 2016), o PIB brasileiro começa o ano sob a expectativa de melhora em desaceleração, mesmo entre os mais otimistas.

No fim de 2016 o ministério da Fazenda já havia baixado de 1,6% para 1% a estimativa de expansão do PIB neste ano.

Projeções de economistas consultados pelo Banco Central no Boletim Focus apontam para crescimento de 0,50% da economia brasileira neste ano, segundo Marceli Ninio, da Folha de São Paulo em Washington. De acordo com o relatório Panorama Econômico Global, uma retomada mais robusta deve acontecer em 2018, quando o Fundo prevê crescimento do PIB brasileiro de 1,5%.

A saída mais lenta da recessão no Brasil puxou para baixo o crescimento como um todo da América Latina em 2017, para 1,2%.

Via: ISTOÉ

O Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou em meio ponto percentual sua previsão sobre o desempenho econômico do Brasil este ano e em 2017, alegando uma contração em 2016 “menos drástica” do que o esperado, informou a entidade financeira nesta quarta-feira. De acordo com o FMI, o Brasil deverá fechar 2016 com o PIB em contração de -3,3%, previsão meio ponto melhor que a de -3,8% anunciada pela mesma entidade em abril. Para 2017, o Fundo adotou uma previsão de crescimento de 0,5%, também superior em meio ponto à expectativa de aumento nulo do PIB previsto em abril.

Esta revisão se deve, segundo o Fundo, ao fato de o desempenho da economia brasileira no primeiro semestre retroceder menos que o previsto, e com isso a contração anual deve “ser menos drástica do que foi concebido”.  Para 2017, o Fundo adotou uma previsão de crescimento de 0,5%, também superior em meio ponto em relação à expectativa de aumento nulo do PIB previsto em abril.

 

19
jan

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 17:10 Hs

  • A Confederação Nacional de Municípios (CNM) informa aos gestores que será creditado nesta quarta-feira, 20 de janeiro, nas contas das prefeituras brasileiras, o repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 2º decêndio do mês de janeiro de 2016. O valor do montante será de R$ 942.202.685,11, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, isto é, incluindo a retenção do Fundeb, o montante é de R$ 1.177.753.356,39. Em comparação com o segundo decêndio de janeiro de 2015, o presente decêndio teve uma queda expressiva de 20,29%, isso em termos brutos e reais. Se for considerado o valor nominal dos repasses e ignorando as consequências danosas da inflação no poder de compra do dinheiro, a queda é de 12,86%.
  • O cenário não poderia ser pior para o Brasil. As novas perspectivas globais do Panorama Econômico Mundial (WEO, na sigla em inglês), do Fundo Monetário Internacional (FMI), divulgadas na manhã desta terça-feira, indicam que a economia do país se retraiu em 3,8% em 2015 e deverá sofrer outra queda de atividade, de 3,5%, neste ano. O FMI ainda afirma que o país terá crescimento zero em 2017, ou seja, a tão esperada retomada do ficaria para 2018. Na previsão de outubro, a expectativa era de recessão de 3% em 2015 e de nova queda de 1% neste ano. Assim, o Brasil tem as piores perspectivas entre as nações destacadas pelo Fundo, superando a Rússia, que até a previsão de outubro tinha piores previsões para 2015 — por causa dos problemas econômicos após o embargo com a incorporação da Crimeia e sentindo fortemente a queda do preço do petróleo. O Brasil é apontado pelo Fundo como um dos responsáveis pela redução da expectativa de crescimento global para os dois anos. Segundo o FMI, depois de ter um crescimento de 3,4% em 2014, a economia global avançou 3,1% em 2015 e terá expansão de 3,4% neste ano e de 3,6% em 2017 — os valores de 2016 e de 2017 foram cortados, cada um, em 0,2 ponto percentual, na comparação com as expectativas de outubro.
  • O custo total do ciclo eleitoral vai além dos gastos com campanhas e o Fundo Partidário. Neste ano, quando irão acontecer eleições municipais, o governo federal prevê o ressarcimento de R$ 576 milhões para as emissoras de tv e rádio que transmitem o horário eleitoral. O benefício às emissoras que veiculam o horário eleitoral obrigatório é garantido pela legislação eleitoral (Lei 9.504/2007). O valor deduzido em imposto de renda corresponde a 80% do que as empresas receberiam caso vendessem o espaço para a publicidade comercial. Enquanto as emissoras arcam com 20% dos custos, é como se cada brasileiro pagasse, indiretamente, R$ 2,88 para receber informações sobre candidatos e partidos políticos no rádio e na TV. Entre 2002 e 2015, R$ 5,5 bilhões deixaram de ser arrecadados pela União por conta das deduções fiscais, em valores correntes. No ano passado, a isenção foi de R$ 218,3 milhões.
  • As inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni), no primeiro semestre de 2016, já estão abertas, exclusivamente na internet. Os estudantes têm até as 23h59 do dia 22 para se inscrever e concorrer a uma bolsa de estudo em cursos de instituições privadas de ensino superior. Nesta edição o ProUni vai ofertar 203.602 bolsas para 30.931 cursos. Para fazer a inscrição, o candidato deve ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015, obtido no mínimo 450 pontos na média das notas e não ter tirado nota 0 na redação. Apenas estudantes que não tenham diploma de curso superior podem concorrer às vagas. No momento da inscrição, será necessário informar o número da inscrição e a senha usados no Enem e o Cadastro de Pessoa Física (CPF). Ao se inscrever, o candidato pode fazer até duas opções de curso e instituição. Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada. O ProUni oferece a estudantes brasileiros de baixa renda bolsas de estudos integrais e parciais (50% da mensalidade). Podem concorrer às bolsas os alunos que cursaram o ensino médio em escolas públicas ou, na condição de bolsistas, em escolas particulares.
  • As operadoras de telefonia TIM e Vivo terão que pagar nos próximos 30 dias as multas aplicadas pela Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, por causa de irregularidades em promoções. As penalidades haviam sido aplicadas às duas empresas em 2013, mas elas recorreram da determinação. Após análise, o governo manteve as multas. A decisão foi publicada hoje (19) noDiário Oficial da União. A TIM recebeu uma multa de R$ 1,6 milhão por “suposta enganosidade” na promoção Namoro a Mil. A empresa não demonstrou de forma adequada as condições para o consumidor obter os minutos e torpedos promocionais, segundo o Ministério da Justiça. A multa da Vivo foi R$ 2,2 milhões, por irregularidades nas promoções Vivo de Natal e Final de Semana Grátis. Segundo o despacho publicado hoje, as duas empresas violaram os princípios da boa-fé e da transparência previstos no Código de Defesa do Consumidor. Em nota, a TIM disse que aguarda ser intimada para tomar as medidas cabíveis e esclareceu que a multa aplicada pela Secretaria Nacional do Consumidor refere-se a uma promoção realizada pela operadora em 2004. “A operadora aproveita para reiterar seu compromisso com a transparência no relacionamento com os clientes e com o cumprimento das normas consumeristas [entre a empresa e os consumidores”. A Vivo não se manifestou.
O Fundo Monetário Internacional (FMI) aumentou a expectativa de encolhimento da economia do Brasil em 2015. Segundo relatório divulgado nesta quinta-feira (9), a previsão passou para contração de 1,5%, uma piora em relação à estimativa anterior, de redução de 1%. Para 2016, a expectativa ainda é de crescimento, porém a previsão de expansão diminuiu de 1% para 0,7%.O Fundo vem reduzindo as expectativas para o crescimento da economia brasileira para 2015 consecutivamente. No relatório de janeiro, a previsão era de crescimento de 0,3% para 2015 e de 1,5% para 2016. Em outubro de 2014, a previsão para 2015 era de crescimento de 1,4%. Em julho de 2014, de crescimento de 2%. Em abril de 2014, de 2,7%.

Enquanto a Europa se recupera da crise, a América Latina e o Caribe devem registrar, em 2015, o quinto ano seguido de desaceleração econômica. Segundo relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), o Produto Interno Bruto (PIB) do bloco deve crescer só 0,9% neste ano enquanto a economia mundial deve se expandir em 3,5%. Para o Brasil, a previsão é de queda de 1% no PIB e de inflação em 7,8%.

Parte considerável do resultado fraco da região é responsabilidade do Brasil. Se confirmada a previsão do FMI de “encolhimento” da economia brasileira, será o pior resultado desde a queda de 4,2% registrada em 1990. Em janeiro, o fundo previa um crescimento de 0,3% em 2015.

Entre os países da América do Sul, apenas a Venezuela deve ter um resultado pior que o Brasil, com contração de 7% – mas a economia venezuelana tem menos de um décimo do tamanho da brasileira, em dólares.

A Argentina, que também vive uma crise econômica, deve ter queda de 0,3% no PIB. A América do Sul, como um todo, deve “encolher” 0,2%, tendo Bolívia e Paraguai como destaques positivos, com expansões de 4,3% e 4%, respectivamente. (Agências)

08
out

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 8:56 Hs

  • Os celulares potiguares devem ganhar um nono dígito até 31 de dezembro de 2015, segundo a Agência Nacional de Telecomunicação. A inclusão tem como objetivo ampliar os recursos de numeração para o Serviço Móvel Pessoal. A partir da mudança, o dígito 9 (nove) será acrescentado à esquerda dos atuais números de celular, que passarão a ter o seguinte formato: 9xxxx-xxxx.
  • Em reunião realizada na noite desta terça-feira (07), a Executiva da Rede, o grupo político de Marina Silva, deu aval para que a ex-senadora confirme a tendência anunciada de apoio à candidatura do tucano Aécio Neves. A informação é da Folha de São Paulo. Nesta quarta-feira (08), o PSB irá decidir, em Brasília, qual rumo irá tomar. Mas mesmo que opte pela neutralidade, a ideia de Marina é apoiar o tucano, anúncio que deve ocorrer na quinta.
  • Já temos programado o primeiro confronto entre os governadoráveis Henrique Alves e Robinson Faria. O debate será amanhã, às 22h, na TV Band/Natal, com mediação do jornalista Diógenes Dantas. Um confronto direto que não foi permitido no primeiro turno.
  • O Ministério Público do Rio Grande do Norte, através da Promotoria de Justiça de Pendências, do Procurador-Geral de Justiça, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e do Grupo de Atuação Regional de Defesa do Patrimônio Público (GARPP), com apoio da Polícia Militar, deflagrou na manhã desta terça-feira, dia 07 de outubro, a Operação Sanctus, destinada a desarticular uma associação de pessoas formada por agentes públicos e empresários cujo escopo era fraudar procedimentos licitatórios de construção civil no município de Pendências/RN. Cerca de 24 policiais militares, juntamente com nove Promotores de Justiça cumprem oito mandados de busca e apreensão nos municípios de Pendências, Assu e Parnamirim.
  • O Fundo Monetário Internacional apontou para o Brasil o que o próprio governo de Dilma Rousseff já reconhece. O crescimento da economia este ano será de menor do que 1%. Segundo o FMI, a expectativa é de um avanço de 0,3%, enquanto o ministério do Planejamento prevê 0,9%. Os números do fundo são uma revisão da análise feita pela instituição anteriormente, que previa um crescimento de 1,3% do PIB este ano. O informe divulgado ontem aponta que os dois primeiros trimestres estiveram negativos e isso determinou a expansão mais tímida neste ano. A tentativa de uma retomada em 2015 é vista como frágil, uma vez que depende do controle da inflação e que a incerteza política depois das eleições se dissipe. O órgão prevê expansão de 1,4% no ano que vem.
  • O destino político do PHS nas eleições do segundo turno no Rio Grande do Norte será decidido em reunião na próxima terça-feira (14). O presidente estadual da sigla Leandro Prudêncio convoca o diretório para participar da reunião que ocorrerá na própria sede do partido, no centro da capital potiguar. Em tempo: o PHS que tinha em Caicó a candidatura de Cição Bandido para deputado federal, dentre outros candidatos, não conseguiu elegeu nenhum representante no Rio Grande do Norte.
  • A presidenciável do PSOL nestas eleições, Luciana Genro, anunciará em entrevista coletiva nesta quarta-feira (8), às 14h30, em São Paulo, o posicionamento do partido com relação ao segundo turno. A decisão será anunciada após reunião da Executiva Nacional do PSOL.O pronunciamento ocorrerá no Hotel São Paulo Inn (Largo Santa Efigênia, 44) no centro da capital paulista e contará com a presença de Luiz Araújo, presidente do PSOL e coordenador-geral da campanha e Jorge Paz, vice na chapa de Luciana Genro.
01
jul

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 10:05 Hs

  • Joaquim Barbosa não fará qualquer discurso, declaração ou balanço hoje, quando presidirá pela última vez uma sessão do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele já anunciou que se aposenta neste mês. “O que eu fiz em 11 anos de Supremo é público e está disponível para quem quiser pesquisar”, afirma Barbosa. Ele deve abrir a sessão pela manhã e encerrá-la no máximo ao meio-dia. A formalização da aposentadoria de Barbosa depende de decreto da presidente Dilma Rousseff, conforme as regras que regem o funcionamento do STF. Num primeiro momento, o ministro pretende entrar de férias. E deve ficar no Brasil pelo menos até o fim da Copa do Mundo.
  • O governo federal decidiu prorrogar até o fim deste ano as alíquotas reduzidas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos novos e móveis, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. O IPI voltaria à alíquota normal hoje, 1º de julho. O anúncio foi feito depois de reunião com representantes de ambos os setores. A renúncia fiscal do governo pela prorrogação em automóveis será de R$ 800 milhões só no segundo semestre, calculou o ministro. Já por conta do setor moveleiro, a renúncia será de R$ 161,6 milhões no mesmo período.
  • Há exatos 20 anos, no dia 1º de julho de 1994, eram colocadas em circulação as primeiras cédulas do real. Ao completar 20 anos, o Plano Real conseguiu vencer a sua principal batalha: acabar com a hiperinflação. Antes de a nova moeda entrar em circulação, em junho de 1994, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) estava em 47,43% ao mês. Em julho daquele mesmo ano, a inflação caiu para 6,84%. A estabilização permitiu avanços: o mercado de trabalho se formalizou, a desigualdade social diminuiu, o Brasil passou de devedor a credor do Fundo Monetário Internacional (FMI) e a economia brasileira foi elevada a grau de investimento pelas principais agências internacionais de classificação de risco. Apesar da estabilidade, que colocou o País num novo patamar de desenvolvimento, a economia ainda tem diversos desafios, como a manutenção dos índices de inflação e a até redução deles para patamares similares aos de países desenvolvidos. O Brasil não conseguiu, por exemplo, resolver um dos eternos dilemas: conjugar alto crescimento com uma baixa inflação.
  •   O Google anunciou ontem o que muitas pessoas já esperavam há algum tempo. A rede social Orkut, que fez muito sucesso no Brasil até ser ultrapassada pelo Facebook, será desativada. O Orkut funcionará apenas até o dia 30 de setembro deste ano. Segundo o Google, até esta data nada mudará para os usuários. Eles poderão usar a ferramenta Google Takeout para baixar informações de perfil, fotos e outros dados da rede social para seus computadores. Mas a criação de novas contas já não é mais possível a partir desta segunda-feira. Nem todo o conteúdo do site será tirado do ar. Um arquivo com as comunidades criadas no Orkut será mantido no ar mesmo após o fim do fechamento do Orkut. Quem não quiser que seus posts ou informações sejam exibidos nas comunidades deve remover o Orkut permanentemente de sua conta do Google. (IG)
  • Com a realização das convenções e definição das coligações, os partidos do Rio Grande do Norte lançaram cinco candidatos ao Governo do Estado para as eleições de 2014. A primeira convenção foi no dia 18 de junho, do PSOL, que definiu como candidato ao Governo do Estado Robério Paulino e Ronaldo Garcia como vice. No dia 26 foi a vez do PSTU homologar a candidatura de Simone Dutra ao Executivo Estadual, tendo Socorro Ribeiro como vice. Na sexta-feira (27) aconteceu a convenção do PMDB que definiu Henrique Eduardo Alves como candidato ao Governo do Estado e João Maia (PR) como vice. No sábado (28), o PSL homologou a candidatura de Araken Farias para o Governo do Estado, e Paulo Roberto (PSL) como vice. A última convenção aconteceu neste domingo (29) e lançou a candidatura de Robinson Faria (PSD) ao governo do estado com Fábio Dantas (PCdoB) como vice.
11
abr

Brasil precisando de ajustes…

Postado às 11:44 Hs

Com inflação elevada, contas públicas em mau estado e investimento insuficiente para eliminar gargalos, o Brasil é destaque na lista de países necessitados de ajustes e mais sujeitos a riscos, na agenda política divulgada ontem pela diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde. Inflação de menos pode frear a recuperação ainda frágil na Europa. O Japão continua em busca de inflação mais alta para destravar a economia e já conseguiu algum sucesso. Em contrapartida, inflação demais em alguns emergentes – Brasil, Índia e Indonésia são citados – deve impedi-los de usar políticas monetárias mais brandas para sustentar a atividade. “A economia mundial está virando a esquina, mas a recuperação é ainda muito fraca e muito lenta”, disse Lagarde. “Ainda temos 200 milhões de pessoas desempregadas. Portanto, ações audaciosas são necessárias para gerar crescimento mais rápido, forte e sustentável, como indicado em nossa agenda política.”
18
Maio

Missão oficial

Postado às 16:41 Hs

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, viaja aos Estados Unidos, em missão oficial, às cidades de Washington e Nova York. Na capital americana Henrique Alves terá um encontro com o presidente da Casa dos Representantes dos Estados Unidos, John Boehner. O presidente fará palestra no Woodrow Wilson Center for International Relations, participa de reunião com parlamentares estadunidenses do Grupo Parlamentar de Amizade Estados Unidos-Brasil. Ele encerra a visita com um encontro de trabalho na Americas Society & Council of the Americas, em Nova York. A comitiva embarca na noite deste sábado (18), em voo comercial, saindo de São Paulo com chegada prevista, em Washington, na manhã do domingo (19). A delegação conta ainda com os deputados: Arthur Lira (PP/AL), líder do Partido Progressista, Nelson Pellegrino (PT/BA), presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, Vieira da Cunha (PDT/RS), e Luciana Santos (PCdoB/PE).
24
abr

@ @ É Notícia… @ @

Postado às 10:00 Hs

  • A Espanha é favorita para vencer a Copa do Mundo de 2014, na opinião de Ronaldo. Em entrevista publicada no site oficial da Fifa, o ex-jogador afirmou que o elenco dos espanhóis, formado essencialmente por atletas de Real Madrid e Barcelona, credencia o país à conquista do bimundial no Brasil. “A Espanha tem o estilo que os jogadores que o mundo inteiro gostaria de ter. Eles têm a base de atletas de Real Madrid e Barcelona, que são os dois melhores clubes do mundo”, disse o Fenômeno. “Neste momento, a Espanha é a grande favorita ao título. Eles são os atuais campeões mundiais e europeus”, completou o ex-camisa 9 da seleção brasileira. No entanto, Ronaldo não crava que os espanhóis levariam a melhor sobre o Brasil em uma eventual final. Na visão do ex-jogador, atuar em casa poderá ser decisivo para o time de Luiz Felipe Scolari. “Uma final entre Brasil e Espanha seria espetacular para todo mundo. Embora a Espanha seja melhor que o Brasil, jogar em casa iria ajudar”, falou o Fenômeno.(IG)
  • As medidas anunciadas pelo governo para estimular o setor sucroalcooleiro pretendem “reforçar o etanol” e não há compromisso de redução imediata no preço do combustível para o consumidor, afirmou a presidente Dilma Rousseff. “Não creio que seja uma decisão que eu possa tomar aqui. Eu chego e digo aqui para vocês: Olha, o preço vai ser assim ou assado”, esquivou-se a presidente. “Tem de ver como está o mercado. Eu não tenho como adiantar para vocês”, afirmou a presidente, em entrevista no Planalto, nesta terça-feira, 23, ao ser questionada se o preço do etanol cairia com as medidas. Dilma citou que o governo vai aumentar o porcentual de mistura de álcool anidro à gasolina, de 20% para 25%, lembrando que isso é possível porque a produção de etanol aumentou. “Esse é um mecanismo muito tranquilo de regulação. Quando aumenta a produção, você consome mais.”
  • Por 178 votos a 74, a Câmara rejeitou emenda do líder da Mobilização Democrática (MD), Rubens Bueno (PR), que adiava para 2015 a entrada em vigor das normas que dificultam o acesso de novos partidos ao tempo de propaganda na TV e ao fundo partidário. Desse modo, as regras que asfixiam as novas legendas, como a que está sendo formada pela ex-ministra Marina Silva, já valem para a eleição do ano que vem. O projeto segue agora para votação no Senado. Com a rejeição da emenda de Bueno e mais quatro destaques que procuravam mudar o projeto do deputado Edinho Araújo (PMDB-SP), a Câmara encerrou a polêmica votação, atacada pelos partidários das candidaturas à Presidência do tucano Aécio Neves, de Marina e do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). O PMDB, o PT, o DEM e o Palácio do Planalto apoiaram a emenda. Os contrários, sob a liderança do PSB do Senado, anunciaram que vão recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) porque o projeto seria inconstitucional. O PSB alega que, ao decidir pelo acesso do PSD ao fundo partidário e ao tempo de TV, o STF já decidiu a questão e as normas não poderão valer para a próxima eleição. (Estadão)
  • O Brasil caiu 25 posições em um ranking que mede o ritmo de crescimento do PIB (produto interno bruto) de 166 países, elaborado com dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) Com uma expansão de apenas 0,9% na economia no ano passado, o país ficou em 128º lugar. Em 2011, estava em 103º, após uma alta de 2,7% no PIB. Nos últimos 20 anos, somente três vezes o Brasil esteve em uma colocação pior do que a atual: em 1998 (quando ficou em 141º lugar), em 1999 (138º) e em 2003 (141º). O ranking considerou apenas os países que forneceram os dados para todo o período examinado (1993 a 2012). Os números se referem ao crescimento econômico real, ou seja, descontada a inflação.
  • O técnico Luiz Felipe Scolari orienta o posicionamento de Ronaldinho Gaúcho e Neymar durante o treino da seleção brasileira O técnico Luiz Felipe Scolari terá nesta quarta-feira a última oportunidade de observar os jogadores da seleção brasileira para a Copa das Confederações. Às 22 horas (de Brasília), no estádio do Mineirão, o treinador dirige uma equipe caseira no amistoso contra o Chile. Este é o último jogo do Brasil antes da convocação para o torneio, pois a lista oficial está prevista para ser divulgada em 14 de maio. Depois disso, a seleção ainda disputará amistosos, mas já com o grupo definido para a Copa das Confederações. “Ninguém tem cadeira cativa na Seleção. É uma oportunidade para todos que estão aqui”, afirmou Neymar, apesar de ser nome certo na lista para o torneio, que será realizado entre 15 e 30 de junho.(IG)
26
nov

PIB muito baixo

Postado às 18:27 Hs

A presidente Dilma Rousseff deverá encerrar os dois primeiros anos de seu mandato com a segunda pior média de crescimento da história recente do Brasil, só perdendo para o período Collor. No biênio 2011-2012, o crescimento médio anual do Produto Interno Bruto (PIB) do País deverá ser da ordem de 2,1%, considerando uma expansão de 1,52% prevista para este ano pela mediana do mercado financeiro na pesquisa do Boletim Focus, do Banco Central (BC). Nos dois primeiros anos do primeiro e do segundo mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, essa média foi de, respectivamente, 3,4% e 5,6%, e nos de Fernando Henrique Cardoso, de 3,2% e 2,3%. Já no de Fernando Collor de Mello, ficou em 0,25%. Economistas alertam para o risco de 2013 piorar o prognóstico para o governo, caso não mude o foco da política de crescimento – hoje baseada no aumento do consumo – passando a incentivar mais o investimento e melhorar a produtividade.
04
set

Em curso…

Postado às 9:49 Hs

O artigo em que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que a presidente Dilma Rousseff recebeu “uma herança pesada” de Lula segue repercutindo no meio político. No início da noite desta segunda-feira, o presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), divulgou nota para rebater Dilma, que já havia respondido às críticas de FHC. Segundo ele, a situação do PT na corrida eleitoral “vai muito mal” e, por isso, “Lula está correndo atrás do prejuízo”.

Para Guerra, a presidente “faz questão de deixar claro que não tem nada a ver” com as dificuldades enfrentadas pelo partido. “Apesar de ter demitido quase metade dos ministros, de ter chacoalhado a Petrobras, ela faz de conta que não aconteceu nada. Faz de conta que os ministros que vieram do governo passado eram bons, que as práticas de antes eram limpas e que foi a força da gravidade que a fez mudar a diretoria da Petrobras, não a constatação de que a empresa ia e continua muito mal”, declarou Guerra.

Domingo, FHC publicou em jornais um artigo, intitulado Herança Pesada, em que afirma que Dilma recebeu de Lula “o fardo de um estilo bombástico de governar que esconde males morais e prejuízos materiais comprometedores”. Em nota, a presidente Dilma rebateu as críticas e disse ter recebido uma “herança bendita” do antecessor. “Não recebi um País sob intervenção do FMI (Fundo Monetário Internacional) ou sob ameaça de apagão”, escreveu.

Fonte: Terra

10
jun

Espanha querendo escapar da crise

Postado às 16:45 Hs

O ministro de Finanças da Espanha, Luis de Guindos, pediu neste sábado ajuda financeira à zona do euro para fazer o resgate aos bancos do país, em entrevista coletiva após a reunião do grupo de ministros da área econômica em videoconferência. Guindos afirma que as condições e as taxas de juros serão “favoráveis” e que “as exigências de austeridade serão feitas apenas ao setor financeiro”, sem afetar a sociedade espanhola. O representante do governo diz que o valor pedido é suficiente para conseguir recuperar as instituições financeiras e ter uma margem caso a crise financeira nos bancos piore. Guindos nega que a Espanha tenha pedido um resgate. “O que se pede é um apoio financeiro e não tem nada a ver com um resgate em absoluto. Irá dirigido ao FROB [Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária] e este injetará nas entidades que o requiserem. Nem todos os bancos precisam de capitalização”. O ministro ainda afirmou que o FMI (Fundo Monetário Internacional) prestará um apoio “estritamente de assessoramento do setor financeiro, de apoio e de implementação do programa”.
24
Maio

Crise pode ainda ser pior…

Postado às 7:47 Hs

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, disse hoje que o mundo enfrenta um dos momentos econômicos mais desafiadores desde os anos 1930.

Em palestra para estudantes universitários da Universidade de Harvard, Lagarde alertou que a crise na zona do euro ameaça espalhar outra crise financeira global e destacou a incapacidade de “75 milhões de jovens para encontrarem empregos decentes, aumentando as desigualdades que impedem que a sociedade permaneça unida”. “(isso gera) um temor de que o motor da economia global não funcione mais como sempre funcionou no passado”, explicou.

Lagarde disse aos estudantes da John F. Kennedy School of Government que a geração deles “enfrenta provavelmente a pior insegurança econômica em décadas, possivelmente pior até do que a da Grande Depressão”.

“Eu realmente desejo que nossa geração possa deixar um legado melhor para vocês. Vamos nos concentrar nisso”, afirmou Lagarde. As informações são da Dow Jones.(Estadão)

Tensão nos mercados é reflexo do temor de que o país deixe a zona do euro

A decisão que pode ser tomada até o fim de junho implicará não apenas o fim da ajuda financeira da União Europeia (UE), mas terá efeitos catastróficos sobre a zona do euro.Muita incerteza e tensão. Esse será o cenário que o mundo viverá se a Grécia deixar a zona do euro, alertam economistas ouvidos pelo site de VEJA. Nesta quarta-feira, agências de notícias internacionais apontaram que os líderes do Eurogrupo concordaram num pacto para que cada nação da união monetária prepare um plano de contingência ante a saída iminente dos gregos do bloco. A informação foi negada por Atenas, mas, de qualquer forma, dá o tom de nervosismo que toma conta das finanças internacionais.

16
fev

Cortes na Saúde…

Postado às 12:13 Hs

O governo anunciou nessa quarta-feira um corte de R$ 55 bilhões no Orçamento deste ano, 10% maior do que a tesourada de R$ 50 bilhões feita no ano passado. Apesar de o ministro avisar que áreas prioritárias como investimentos, educação e saúde foram poupadas, no papel, a realidade foi outra. Saúde foi a pasta com a maior redução dos gastos previstos para este ano no Orçamento: R$ 5,473 bilhões.

Em segundo lugar ficou a pasta das Cidades, com corte de R$ 3,322 bilhões, e, em terceiro, a Defesa, com R$ 3,319 bilhões de contenção de despesas. Além disso, o governo anunciou o bloqueio de todas as emendas parlamentares previstas no Orçamento no valor de R$ 20,3 bilhões, provocando reação no Congresso.

O objetivo do bloqueio dos gastos públicos, de acordo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, é garantir o superávit primário das contas públicas, de R$ 139,8 bilhões este ano, que é a poupança que o governo faz para pagar a dívida. Mas, para que isso ocorra, será necessário que a economia brasileira avance 4,5% este ano, bem acima dos 3% de taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma de tudo que é produzido no país) estimada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Mantega e a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, procuraram o impacto em áreas prioritárias comparando os cortes com as propostas do Executivo e do Legislativo, alegando que no fim das contas, educação e saúde ainda ficaram, respectivamente, 33,8% e 13%, respectivamente, acima da proposta inicial enviada pela presidente Dilma Rousseff ao Congresso. Logo, a maior parte dos cortes acabou mesmo nas emendas parlamentares adicionadas no meio do caminho. Do total de cortes, R$ 35 bilhões serão em despesas discricionárias (gastos de custeio e investimentos não obrigatórios) e a maior parte delas – R$ 20 bilhões – são emendas.

A ministra do Planejamento destacou que a maior parte dos cortes serão de despesas administrativas e que não haverá corte de pessoal.

15
jan

Custo de vida ainda é elevado no Brasil…

Postado às 20:09 Hs


O custo de vida do Brasil superou o dos Estados Unidos em 2011, quando medido em dólares, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre o PIB dos 187 países-membros. Este fato é extremamente anormal para um país emergente.

Em uma lista do FMI de 150 países em desenvolvimento, o Brasil é praticamente o único cujo custo de vida supera o americano em 2011, o que significa dizer que é o mais caro em dólares de todo o mundo emergente.

Na verdade, há outros quatro casos semelhantes, mas referentes a São Vicente e Granadinas, um arquipélago minúsculo; Zimbábue, país cheio de distorções, onde a hiperinflação acabou com a moeda nacional; e Emirados Árabes Unidos e Kuwait, de população muito pequena, gigantesca produção de petróleo e renda per capita de país rico.

Há uma explicação para isso. O preço da maioria dos produtos industriais tende a convergir nos diferentes países, descontadas as tarifas de importação.

Isso ocorre porque eles podem ser negociados no mercado internacional, e, caso estejam caros demais em um país, há a possibilidade de importar. Mas a maioria dos serviços, de corte de cabelo a educação e saúde, não fazem parte do comércio exterior. Assim, eles divergem muito em preço entre os países.

Maio 27
sexta-feira
09 17
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
44 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.899.832 VISITAS