29
ago

Mais dinheiro circulando

Postado às 9:53 Hs

A liberação de recursos do PIS/Pasep para idosos deve representar uma injeção relevante de recursos no comércio, na avaliação do secretário de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcelo Maia. Durante o Latam Retail Show, evento que reúne varejistas em São Paulo, o secretário afirmou que o governo avançou em agendas de interesse dos comerciantes este ano. O governo anunciou na última quarta-feira (23), a liberação de R$ 15,9 bilhões em recursos do PIS/Pasep para homens com mais de 65 anos e mulheres com mais de 62 anos. São recursos que foram depositados em nome dessas pessoas pelos seus empregadores, num programa que durou até 1988. Até agora, os recursos só podiam ser sacados quando o cotista completava 70 anos.
02
ago

Proposta

Postado às 16:43 Hs

Ministro do Desenvolvimento apoia proposta de Henrique Alves para criação de áreas especiais de turismo. Em audiência realizada no Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, pediu ao ministro Armando Monteiro apoio para a criação de Áreas Especiais de Turismo. O projeto, em estudo pelo Ministério do Turismo, prevê a definição de áreas com benefícios econômicos e facilidades no processo de licenciamento para atração de investidores. “Seria um grande passo para conseguirmos atrair investidores para áreas que possam ser exploradas de maneira sustentável. Poderíamos atrair divisas, gerar empregos e movimentar a economia dessas regiões”, afirmou Henrique Eduardo Alves, em cerimônia de assinatura de um acordo entre os dois ministérios, com o objetivo de compartilhar informações para investidores.
03
mar

Em destaque

Postado às 10:15 Hs

A balança comercial brasileira fechou o mês de fevereiro com déficit de US$ 2,84 bilhões. É o pior resultado para o mês desde o início da série histórica, implantada a partir de 1980 pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Os dados foram divulgados pelo MDIC nesta segunda-feira (2). O deputado federal Rogério Marinho (PSDB) disse que a situação é resultado da incapacidade gerencial e das escolhas equivocadas para a política externa praticadas pelo governo do PT. “A economia brasileira vive uma inércia há muito tempo. Não aproveitamos a janela de oportunidades que se abriu com o crescimento da China e de outros países. O governo deveria ter diversificado a economia e aumentado a produtividade, com investimentos em infraestrutura, mas nada disso aconteceu”, disse o parlamentar.Rogério lembrou que as más notícias recentes da economia nacional têm motivado especulações de que o Brasil poderia perder seu grau de investimento – um certificado, concedido por agências internacionais, de que o país tem uma situação financeira sólida.

A rotação na economia da cidade no mês de setembro apresenta saldos positivos nas exportações e importações. Os dados levantados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) apontam que as exportações alcançaram em setembro de 2014 um aumento de 28,41% frente ao mesmo período de 2013. O montante exportado em setembro foi o maior nos últimos doze meses. No acumulado do ano, Mossoró já exportou US$ 43,594 milhões. O saldo no mês de setembro foi positivo em relação ao mesmo período de 2013.

Os produtos que mais se destacam entre as exportações são ligados à fruticultura e cera de carnaúba. E nas importações destacam-se as bombas elétricas e o trigo.

O volume das importações em setembro de 2014, registrou uma alta de 36,8% em relação ao mês de agosto. O volume dos importados em setembro de 2014 teve crescimento de 84% frente ao mesmo período de 2013. De janeiro a setembro, Mossoró registrou uma redução de 27,09% em relação ao acumulado dos nove primeiros meses de 2013, quando somavam UU$ 24,620 milhões.

Com esses resultados, no mês de setembro o saldo da Balança Comercial mossoroense foi positivo em US$ 8,645 milhões, representando um aumento de 242,47% quando comparado ao saldo de agosto do mesmo ano. Com relação ao mesmo período do ano passado, o saldo da Balança Comercial registra aumento de 20,61%, quando foi registrado US$ 7,168 milhões.

02
ago

Balança comercial em déficit…

Postado às 9:52 Hs

Nos sete primeiros meses de 2013, o déficit da balança comercial do Brasil é de US$ 4,989 bilhões, mostram dados divulgados nesta quinta-feira, 1.º, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O resultado é o pior da históra. Supera os dados de 1995, quando o acumulado dos sete primeiros meses foi deficitário em US$ 4,224 bilhões. No mesmo período de 2012, foi registrado superávit de US$ 9,927 bilhões. A série histórica do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) tem início em 1990, mas os dados estão disponíveis na internet a partir de 1993.
01
fev

Desempenho ruim !!

Postado às 18:15 Hs

Deu na  Folha.com

A balança comercial teve o pior deficit para um mês de janeiro da história, com as importações superando as exportações em US$ 1,291 bilhões no mês passado, informou há pouco o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic).

No mesmo mês do ano passado, a balança comercial registrou superavit de US$ 398 milhões.Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, divulgados nesta quarta-feira (1º), as exportações no período foram de US$ 16,14 bilhões (média diária de US$ 733,7 milhões), enquanto as importações somaram US$ 17,43 bilhões (média diária de US$ 792,4).

“O exportador saiu da zona de conforto”, resumiu a secretária de Comércio Exterior do Mdic, Tatiana Prazeres.Em 2011, as exportações bateram recorde ao atingir a marca de US$ 256,04 bilhões, um crescimento de 26,8% na comparação com 2010. Já as importações tiveram alta de 24,5%, registrando US$ 226,25 bilhões, também o maior número da história.

Com esses resultados, o saldo comercial ficou positivo em US$ 29,7 bilhões, um crescimento de 47,8% na comparação com o ano retrasado. Foi o maior saldo dos últimos quatro anos. A corrente de comércio, pela primeira vez na história, ultrapassou os US$ 300 bilhões, atingindo US$ 482,29 bilhões.

Em dezembro, as vendas para outros países também foram recordes para o mês: atingiram US$ 22,1 bilhões, alta de 10,6% em relação ao mesmo período de 2010. As importações também foram recorde, de US$ 18,3 bilhões, crescimento de 22,9% ante mesmo mês do ano retrasado.A corrente de comércio atingiu US$ 33,5 bilhões no mês passado, o maior valor da história e expansão de 6,7% em relação a janeiro do ano passado.

31
jan

Sem aumento de IPI

Postado às 14:28 Hs

produção carros (Foto: Arquivo/TV Globo)

O governo divulgou nesta terça-feira (31) a lista das 18 montadoras instaladas no Brasil que estão livres do pagamento de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) mais alto na produção de veículos no país até dezembro deste ano. Conforme estudo realizado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), elas cumprem as regras de produção nacional e de investimento em inovação, o que inclui ter 65% de peças nacionais na montagem do veículo.

A lista é a definitiva e foi publicada no “Diário Oficial da União” (veja aqui a nota oficial) — a lista anterior que vigora desde dezembro era provisória e só garantia o benefício fiscal até esta quarta-feira (1º). As montadoras são as seguintes: Agrale, Caoa (Hyundai), Fiat, Ford, GM, Honda, Iveco, MAN, Mercedes-Benz do Brasil (caminhões), MMC Automotores (Mitsubishi), Nissan, Peugeot, Renault, Scania, Toyota, Volkswagen, Volvo (caminhões) e International Indústria Automotiva da América do Sul.(G1)

01
set

Só para área essenciais

Postado às 9:13 Hs

Deu na Agência Brasil:
Em 2012, o governo só vai autorizar novos concursos públicos para áreas consideradas essenciais. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, informou ainda que o reajuste dos salários do funcionalismo será limitado a algumas categorias que o governo considera que houve perda do poder aquisitivo. As limitações estão previstas na proposta de Orçamento para o ano que vem, enviada ontem (31) pelo governo ao Congresso. O Orçamento de 2012 prevê R$ 1,6 bilhão para criação e provimento de cargos no setor público.
Desse total, R$ 1,23 bilhão serão destinados ao Poder Executivo; R$ 305 milhões para o Poder Judiciário; R$ 61 milhões para o Ministério Público da União; e R$ 58 milhões para o Poder Legislativo (Senado, Câmara dos Deputados e Tribunal de Contas da União). De acordo com a ministra, a contratação de servidores ocorrerá apenas em áreas essenciais, como no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que precisa de pessoal para implementar o Plano Brasil Maior, a nova política industrial do governo. “Pretendemos reequipar o MDIC para fazer o acompanhamento das denúncias de práticas nocivas ao comércio”, explicou a ministra.
Para Belchior, o fato de o governo ter restringido a promoção de concursos este ano fez o Brasil se antecipar a outros países que, agora, estão sendo obrigados a cortar gastos por causa do agravamento da crise econômica internacional. “Nós estamos em melhores condições de evitar os efeitos do repique da crise externa.” Em relação às negociações salariais, a ministra disse que o aperto nos reajustes continuará no próximo ano. “O valor [dos reajustes] já está incorporado na proposta de Orçamento, mas em áreas localizadas. A maior parte dos aumentos representa correções de erros em legislações anteriores”. Entre as categorias que receberão aumentos, a secretária de Orçamento Federal, Célia Corrêa, informou que está a dos professores universitários. O reajuste de até 28% para o Judiciário, no entanto, está excluído da proposta. Segundo Célia Corrêa, representantes do Executivo ainda negociarão com o Poder Judiciário os reajustes salariais. Segundo a proposta de Orçamento, a proporção dos gastos com o funcionalismo público em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) cairá de 4,7% em 2011 para 4,13% em 2012. Em valores absolutos, no entanto, essas despesas subirão de R$ 182,8 bilhões para R$ 187,6 bilhões. De acordo com a ministra Miriam Belchior, o crescimento econômico do país permitirá a redução dessa relação. O Orçamento estima expansão de 5% do PIB no próximo ano.
27
dez

Balança Comercial é Recorde

Postado às 16:32 Hs

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou que as exportações brasileiras em 2010 até a quarta semana de dezembro bateram recorde histórico. Segundo o Ministério, o saldo acumulado no período de US$ 197,999 bilhões já supera o recorde histórico das exportações que foram registradas em 2008, quando as vendas externas totalizaram US$ 197,942 bilhões. As exportações pela média diária apresentam no ano um crescimento de 31,9%.

As exportações brasileiras no acumulado do ano até a quarta semana dezembro (20 a 26) atingiram US$ 197,999 bilhões, batendo a meta de US$ 195 bilhões fixada pelo governo para 2010. As exportações ganharam fôlego na quarta semana de dezembro, chegando a US$ 5,421 bilhões contra US$ 3,247 bilhões de importações. Com esse resultado, a balança comercial brasileira apresenta um superávit de US$ 2,174 bilhões na quarta semana do mês.

Dados divulgados há pouco pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostram que a balança comercial no mês até a quarta semana registra um superávit de US$ 3,950 bilhões, resultado de exportações de US$ 17,002 bilhões e de importações US$ 13,052 bilhões.

No acumulado do ano, a balança comercial registra um saldo positivo de US$ 18,860 bilhões. As importações no ano até a quarta semana de dezembro somam US$ 179,139 bilhões e a corrente de comércio (soma das exportações e importações no período), US$ 377,138 bilhões.

nov 28
domingo
14 52
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
42 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.886.098 VISITAS