O movimento feminino nacional do Partido Liberal – PL Mulher realizará encontro no estado do Rio Grande do Norte, no dia 02 de dezembro de 2023 (sábado), às 10h (abertura dos portões às 8h), no Hotel Holliday Inn Natal, próximo à Arena das Dunas.

Os encontros do PL Mulher têm sido realizados em todos os estados com o objetivo de inspirar e encorajar as mulheres, alinhadas aos valores conservadores, a ingressarem efetivamente nas esferas políticas do país para auxiliar na construção de um Brasil mais justo e com mais igualdade de acesso às oportunidades para os brasileiros.

Estarão presentes no encontro a equipe do PL Mulher, liderada pela presidente nacional, Michelle Bolsonaro, e pela vice-presidente nacional, deputada Amália Barros (MT), as quais serão recebidas pela presidente estadual do PL Mulher RN, Dra. Roberta Lacerda.

Como tem ocorrido nos últimos encontros, o evento deste sábado poderá ter a participação do ex-Presidente da República, Jair Bolsonaro, que tem levado mensagens de incentivo à participação das mulheres no processo de transformação da política nacional.

Detalhes do Evento

Data: 02 de Dezembro de 2023
Horário: 10h (abertura dos portões às 8h)
Local: Hotel Holliday Inn
Endereço: Av. Sen. Salgado Filho, 1906 – Lagoa Nova, Natal – RN, 59075-000.

Os jornalistas e membros da imprensa interessados em cobrir este evento podem se credenciar neste link https://www.sympla.com.br/encontro-estadual-do-pl-mulher-do-rio-grande-do-norte__2255489?token=9203e9c7bad4b3a62abb9e41e8b8fb75

Certifique-se também de enviar uma confirmação via WhatsApp para garantir sua presença no evento.

Contato para Imprensa
Anna Karinna
Telefone/WhatsApp: 98809.8428.

Via CNN

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, afirmou à CNN que a intenção de Jair Bolsonaro é ter o deputado federal Alexandre Ramagem como candidato do PL à prefeitura do Rio de Janeiro. “Bolsonaro escolheu Ramagem e é o Bolsonaro quem decide. É a terra dele”, afirmou o presidente da legenda neste sábado (11).

Ex-delegado da Polícia Federal e ex-chefe da Abin (Agência Brasileira de Inteligência), Ramagem passou a ser a escolha de Bolsonaro desde que o general Walter Braga Netto teve a inelegibilidade decretada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Ex-ministro da Casa Civil, ele era o nome do PL para a eleição municipal no Rio.

O senador Flávio Bolsonaro, filho mais velho do ex-presidente, havia dito que o martelo ainda não havia sido batido e que nomes como o do senador Carlos Portinho, líder do partido no Senado, estavam sendo considerados. De acordo com Valdemar, porém, a indicação de Bolsonaro é de que Ramagem é o nome mais adequado. O presidente do PL disse que concorda com a escolha.

“Também acho ótimo nome. Devemos aprovar em breve uma lei que vai transformar as guardas municipais em verdadeiras polícias. E o Ramagem poderia fazer um grande trabalho no Rio para a segurança. Ele é muito qualificado e acho que é o melhor candidato”, afirmou à CNN.

Segundo integrantes do PL fluminense, a decisão de lançar um nome próprio para rivalizar com o atual prefeito, Eduardo Paes, está consolidada. A ideia do partido é explorar a ideia de que é preciso reforçar a segurança na cidade. Braga Netto, que foi interventor na segurança do Rio, era o nome visto como ideal.

A decisão da Justiça Eleitoral, no entanto, levou a sigla a buscar um plano B. Visto com um quadro preparado e egresso da Polícia Federal, além de ser um nome de confiança de Bolsonaro, Ramagem passou a ser a escolha natural, dizem integrantes da legenda.

28
out

Allyson Bezerra participa de evento do PL

Postado às 17:40 Hs

A presença do prefeito Allyson Bezerra (União Brasil) nesta sexta-feira (27), durante inauguração da sede do PL em Mossoró, mostrou que o gestor segue alinhado com o senador Rogério Marinho e abraça os ideais do partido. A parceria tem como objetivo as eleições de 2024.

Do segmento evangélico, Allyson entende que caminhar ao lado do progressismo (socialismo/comunismo) que defende aborto e a liberação das drogas, não é o caminho. Neste cenário, a nova formação do PL será importante para o projeto de reeleição do prefeito. Hoje o partido é presidido pelo ex-vereador Genivan Vale, que ajudou no projeto vitórioso de Allyson em 2020.

Durante seu discurso na inauguração do diretório, o prefeito fez vários elogios ao senador, destacando, por exemplo, a liberação de recursos para importantes obras no município enquanto era ministro do Desenvolvimento Regional do Governo Bolsonaro.

Allyson precisa do apoio do  para enfrentar a coalização esquerdista composta por Isolda, Tony e o que restou do rosalbismo, e Rogério da força e popularidade de Allyson para 2026, caso tenha seu nome homologado como candidato ao Governo. Caminhar separados só será vantajoso para a esquerda.

Fonte: Ismael de Souza

O Partido Liberal em Mossoró (PL), inaugura sua sede na sexta-feira, dia 27 de outubro, a partir das 18h. Além disso, durante o evento terá a posse o novo presidente da executiva municipal, o empresário Genivan Vale, e de outros membros da direção do partido. O partido está instalado na Avenida Dr. João Marcelino, 93, bairro Abolição, próximo ao Assaí Atacadão.

O empresário Genivan Vale assume a liderança do partido na cidade com a responsabilidade de conduzir a legenda visando as eleições municipais de 2024. Além do presidente, o empresário Stênio Max assumirá o cargo de vice-presidente, fortalecendo a equipe diretiva do partido. A presidência do PL Jovem ficará sob a responsabilidade do estudante universitário José Eduardo, enquanto a ex-vereadora por Grossos e ex-candidata ao Governo, Clorisa Linhares, presidirá o PL Mulher.

O evento de inauguração contará com a presença confirmada de figuras políticas de destaque, como o senador e presidente estadual do partido, Rogério Marinho. Os deputados federais General Girão, Robinson Faria e Sargento Gonçalves, além dos estaduais Coronel Azevedo e Terezinha Maia. Lideranças nacionais do Partido Liberal também estarão presentes.

O presidente municipal, Genivan Vale, aproveita a ocasião para convidar todos os cidadãos que compartilham das bandeiras do Partido Liberal a comparecerem ao evento. Além disso, ele reforça o convite àqueles que desejam se filiar ao partido e contribuir com sua missão política e ideológica.

“Convidamos a todos os cidadãos que defendem as bandeiras do Partido Liberal a se fazerem presentes, bem como convidamos aqueles que desejam se filiar e participar do partido. Durante a inauguração, teremos uma pessoa responsável para filiação, e também durante a semana. Quem tiver interesse em se somar e defender os valores do PL, nós desde já abrimos as portas e desejamos boas-vindas aos que queiram se filiar”, ressaltou Genivan.

O PL no Rio Grande do Norte conta hoje com uma das maiores bancadas, com três deputados federais, dois estaduais e um senador, e tem como seus pilares a defesa das bandeiras da família, da liberdade e do conservadorismo.

O PL RN encaminhou, neste sábado (26), comunicado informando que o ex-vereador e empresário, Genivan Vale, aceitou convite para presidir o Diretório Municipal do PL no município de Mossoró.

O principal objetivo do partido é construir uma nominata forte e comprometida com os princípios da direita conservadora. O trabalho também terá a participação dos empresários Tião Couto e Stenio Max, que é também presidente da CDL Mossoró.

Em conversa com o Blog Carol Ribeiro, no início desta semana, Genivan Vale afirmou que não há intenção de se candidatar a nenhum cargo eletivo.

Veja nota encaminhada pelo PL RN:

Comunicado

O presidente Estadual do PL – Partido Liberal do RN, senador Rogério Marinho, comunica que o empresário e ex- vereador Genivan Vale aceitou o convite e assumirá o Diretório Municipal do PL na cidade de Mossoró.

Genivan Vale é o idealizador do Projeto Mossoró Melhor, que resultou em profundas mudanças no cenário político do município.

O convite foi feito após diversas reuniões com lideranças comprometidas com a direita conservadora, com a defesa dos valores da família, da propriedade, da livre iniciativa e empreendedorismo, da liberdade religiosa, liberdade de imprensa, a favor da vida, contra a legalização das drogas e implantação da ideologia de gênero nas escolas.

Líderes empresáriais como Stênio Max, presidente do CDL Mossoró e Tião Couto, também trabalharão juntos com o novo presidente na sua missão de lutar por uma Mossoró próspera, justa e com uma sociedade livre.

Genivan Vale terá a missão de conduzir o partido na Capital do Oeste e formar uma nominata de pré-candidatos a vereador forte e comprometida com os valores defendidos elo Partido Liberal, como o objetivo de fortalecimento e protagonismo do partido nas eleições de 2024 e 2026.

Senador Rogério Marinho

Presidente Estadual do Partido Liberal/RN

Fonte: Blog Carol Ribeiro

Bolsonaro e Valdemar Costa Neto na filiação do prefeito de Jundiaí (SP), Luiz Fernando Machado – Foto: Reprodução;Redes sociais

Atualmente com 339 prefeituras, o PL (Partido Liberal) projeta chegar a 1.500 prefeitos nas eleições de 2024, afirmou neste sábado (17.jun.2023) o presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto. A meta equivale a um crescimento de pouco mais de 4 vezes quando comparado ao montante atual, alcançado com o pleito de 2020, conforme o site institucional da legenda.

Costa Neto fez a declaração ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro, presidente de honra da sigla. “Hoje, na cidade paulista de Jundiaí, os nossos presidentes do PL Nacional, Valdemar Costa neto, e de Honra, Jair Bolsonaro, reuniram um time de peso para mais um evento de filiação de prefeitos e ex-prefeitos ao Partido Liberal. Somos a legenda que mais cresce no Brasil, e com a força dos nosso parlamentares e de Bolsonaro, iremos fazer mais de 1500 prefeitos nas próximas eleições”, publicou em perfis do PL nas redes sociais um vídeo com a fala.

A projeção de Costa Neto supera a anunciada em março deste ano, quando o dirigente afirmou que o objetivo para 2024 era chegar a 1.000 prefeitos. Com a afirmação, o partido sinaliza que pretende realizar uma guinada com relação às eleições do ano passado, quando o foco de Costa Neto, Bolsonaro e outros caciques da sigla foi pulverizar o número de deputados em todo Brasil, ou seja, os quadros da proporcional. A investida rendeu ao partido a maior bancada da Câmara, com 99 federais.

No Senado, o PL chegou a ser a maior, mas acabou sofrendo revés, com o crescimento de filiações do PSD, que passou a ser então a maior bancada da Casa Alta em fevereiro deste ano.

Poder 360

Foto: Isac Nóbrega/PR

 

A ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro foi confirmada, nesta quarta-feira (15), como a nova presidente nacional do PL Mulher. O nome dela no cargo foi anunciado pelo presidente da sigla, Valdemar Costa Neto.

O PL Mulher é um braço interno do PL voltado às mulheres e a políticas em favor da população feminina. Michelle deverá viajar pelo país para atrair mais filiadas ao PL e manter o nome do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que permanece nos Estados Unidos, em voga.

“A mulher tem um olhar especial. Ela pode estar onde quiser. Ela consegue ser mãe, trabalhar na política e realizar várias atividades. Mas, antes de qualquer coisa, minha prioridade é minha filha Laurinha, que precisa de mim”, disse Michelle Bolsonaro, de acordo com nota do partido.

Ela deve ainda continuar com o trabalho em prol da comunidade surda e pessoas com doenças raras, por exemplo. Michelle chegou a ser cotada para eventualmente disputar a presidência da República nas próximas eleições, caso Jair Bolsonaro fique impedido por algum motivo.

“Quero agradecer o apoio das deputadas, para mim é algo novo. Se Deus viu graças em mim para ter a oportunidade de construir um Brasil melhor, estou disposta a colaborar com o crescimento do PL Mulher, seguir na Luta pela comunidade surda, e agregar a pauta da mulher com acessibilidade.”

Michelle se reuniu com Costa Neto, deputadas da bancada feminina da sigla, o ex-candidato a vice-presidente de Jair Bolsonaro, general Braga Netto, e o líder do PL na Câmara, deputado Altineu Côrtes (PL-RJ), na sede do PL em Brasília.

“Michelle vai ter toda a estrutura no partido. Vai percorrer o país realizando encontros com mulheres nos estados das deputadas da legenda”, afirmou Costa Neto, segundo a assessoria do PL. A ex-primeira-dama vai suceder a deputada federal Soraya Santos (PL-RJ) no cargo.

CNN Brasil

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) bloqueou R$ 13.599.298,26 encontrados na conta do PL, em razão da multa de R$ 22,9 milhões aplicada ao partido por questionar resultados do 2º turno de mais da metade das urnas eleitorais. A informação foi confirmada pelo Poder360.

O bloqueio da conta do PL no Banco do Brasil foi realizado na manhã de sexta-feira (25.nov.2022), antes do presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, definir que a sigla deve arcar sozinha com a penalidade.

Inicialmente, Moraes havia aplicado a multa contra toda a coligação do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em seguida, o ministro entendeu que a iniciativa do PL não contou com a adesão do PP e do Republicanos, que ficaram isentos da multa e voltaram a ter acesso ao Fundo Partidário.

Poder360

O presidente do TSE, Alexandre de Moraes, excluiu nesta sexta-feira (25) os partidos Republicanos e Progressistas da ação sobre os questionamentos ao resultado do segundo turno das eleições presidenciais. Na decisão, o ministro atendeu a um pedido das legendas e limitou o processo ao PL.

As legendas, que compõem a coligação de Jair Bolsonaro, tinham sido condenadas por litigância de má-fé a pagar uma multa de R$ 22,9 milhões e submetidas a um bloqueio do fundo partidário até que efetuassem o pagamento.

Na terça-feira (22), o PL protocolou um pedido, em nome da coligação, para que votos do segundo turno fossem anulados com base em um relatório que apontou supostas irregularidades em seis modelos de urnas eletrônicas.

Moraes pediu que a legenda incluísse no documento dados sobre o primeiro turno, já que as urnas usadas nas duas etapas do pleito foram as mesmas. Após o PL se recusar a fazer isso, Moraes condenou os três partidos, apontando uma série de falhas na argumentação.

Na quinta-feira (24), Progressistas e Republicanos pediram para ser retirados da ação, alegando que reconheceram o resultado do pleito presidencial desde o início.

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), cobrou que o PL apresente dados que englobem o resultado do primeiro turno em até 24 horas. Mais cedo, o partido do presidente Jair Bolsonaro apresentou pediu a invalidação de votos nas eleições, mas somente na disputa presidencial, que deu vitória a Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O PL elegeu 99 deputados federais e oito senadores no primeiro turno.

Segundo Moraes, os mesmos equipamentos questionados pelo PL foram nos dois turnos da eleição e, por isso, o questionamento ao funcionamento das urnas também deve incluir o primeiro turno. O ministro deu prazo de 24 horas para o PL enviar as informações sob pena da ação ser indeferida no tribunal.

”As urnas eletrônicas apontadas na petição inicial foram utilizadas tanto no primeiro turno, quanto no segundo turno das eleições de 2022. Assim, sob pena de indeferimento da inicial, deve a autora aditar a petição inicial para que o pedido abranja ambos os turnos das eleições, no prazo de 24 (vinte e quatro) horas”, disse Alexandre de Moraes, presidente do TSE.

Na prática, a decisão obriga o PL a dizer se também questionará o primeiro turno das eleições, na qual o partido elegeu uma forte bancada para o Congresso, além de comprometer a vitória de aliados de Bolsonaro nos governos estaduais.

Em coletiva de imprensa, o presidente do PL, Valdemar da Costa Neto, anunciou que o partido questionou no TSE uma suposta falha nos chamados “logs de urnas” — registros com dados dos equipamentos — em cinco dos seis modelos de urnas usados na votação.

UOL

15
nov

O PL vai pedir anulação das eleições

Postado às 19:49 Hs

Foto: Divulgação/PL

O PL de Valdemar Costa Neto vai pedir ao Tribunal Superior Eleitoral, nos próximos dias, a anulação das eleições de 2022. A ação, que está sendo finalizada, leva em conta ao menos duas auditorias sobre urnas e questiona suposta parcialidade do TSE.

Um desses relatórios de fiscalização, obtido em primeira mão por O Antagonista, conclui não ser “possível validar os resultados gerados em todas as urnas eletrônicas de modelos 2009, 2010, 2011, 2013 e 2015”.

O documento é assinado por Carlos Rocha, presidente do Instituto Voto Legal (IVL); seu vice Márcio Abreu, engenheiro eletrônico, e o membro associado Flávio Gottardo de Oliveira, engenheiro aeronáutico, ambos formados no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Eles partem da premissa de mau funcionamento das urnas eletrônicas antigas. Segundo eles, estudos estatísticos teriam identificado “interferência indevida nos percentuais de votação dos candidatos”.

“Para encontrar evidências de que este grupo de urnas não teria funcionado corretamente, foi realizada uma análise inteligente dos dados contidos nos arquivos Log de Urna de todos os modelos de urna eletrônica, utilizados nas eleições de 2022.”

Para defender a tese de que houve fraude eleitoral, a equipe do IVL, contratada pelo PL, diz que adotou procedimentos preconizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU), como auditoria de conformidade, auditoria operacional, inspeção, acompanhamento e monitoramento.

Em parceria  com a Gaio.io, um empresa de TI, construiu-se uma base de dados com todos os arquivos de Boletim de Urna e Log de Urna dos mais de 472 mil equipamentos usados na votação. 

“Do ponto de vista técnico, quando gera um arquivo de Log de Urna inválido, a urna eletrônica apresenta falha de funcionamento e confirma que utilizou uma versão de código dos programas diferente da versão utilizada nas urnas eletrônicas modelo UE2020, lacrada em cerimônia pública no TSE. Códigos iguais de programas de urna eletrônicas geral arquivos válidos de Log de Urna.”

Na ação que está sendo finalizada, o PL também deverá atacar a decisão de Alexandre de Moraes de arquivar as denúncias do “radiolão” e a atuação do TSE no combate às fake news, sob o argumento de que houve parcialidade do tribunal.

Na semana passada, o Ministério da Defesa informou ao TSE não ter encontrado evidências de fraude eleitoral na fiscalização realizada pelas Forças Armadas nas urnas eletrônicas e pediu a criação de uma comissão técnica, alegando não ter tido acesso a todos os dados necessários.

Por Cláudio Dantas/O Antagonista

O Partido Liberal, que abriga o atual presidente Jair Bolsonaro (PL), visa conquistar a presidência do Senado Federal e barrar a reeleição de Rodrigo Pacheco, do PSD de Minas Gerais.

O PL, presidido por Valdemar Costa Neto, também terá a maior bancada Senado Federal a partir do próximo ano. Nestas eleições, o PL conseguiu eleger oito senadores. A legenda já havia sinalizado preferência por cinco nomes que poderiam disputar com Pacheco. Entre eles: Carlos Portinho, Eduardo Gomes, Magno Malta, Rogério Marinho e Tereza Cristina. Sendo os três últimos eleitos no último pleito. As informações são do Metrópoles.

No entanto, os favoritos à corrida são Portinho e Marinho. Isso porque, parlamentares e aliados de Valdemar ouvidos pelo Metrópoles afirmaram que os perfis dos dois cotados são semelhantes: ambos são considerados “mais moderados” e com maior abertura para negociar com outros partidos e senadores.

Carlos Portinho, além de ser líder do PL na Casa, é também líder do governo atual no Senado. Portinho assumiu a vaga deixada pelo senador Arolde Oliveira (PL-RJ), do qual era suplente. Arolde morreu em outubro, após complicações causadas pela Covid-19. Eleito em 2018, seu mandato vai até 2027.

Também aliado de Bolsonaro, Rogério Marinho foi ministro do Desenvolvimento Regional entre 2020 e 2022. Entre 2019 e 2020 também atuou como secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Foi eleito no pleito realizado em 2 de outubro e terá mandato até 2030.

Oposição

Na última semana, Costa Neto reafirmou seu desejo de manter, no Congresso, uma oposição ao governo eleito. Além do Senado, a sigla também reúne a maior bancada na Câmara dos Deputados. Com isto, pretendem ser “oposição ferrenha” a Luiz Inácio Lula da Silva (PT), vencedor das eleições presidenciais, e seus aliados.

Em coletiva de imprensa, Valdemar informou que o partido apoiará a candidatura de Arthur Lira (PP-AL) à reeleição para presidente da Câmara dos Deputados: “Vamos apoiar o Arthur Lira, mas com a garantia de que ele nos ajude e trabalhe para eleger o nosso candidato do Senado. Nós queremos ter o presidente do Senado. Não é possível que o PL não tenha a presidência de uma das casas”, disse.

Para firmar a escolha, o postulante terá que passar pelo crivo dos diretórios do Partido Liberal. O escolhido terá como adversário na disputa o senador Rodrigo Pacheco, atual presidente e candidato à reeleição. Para isso, o senador mineiro espera contar com o apoio do governo eleito para ser reconduzido à presidência.

Blog do Magno

25
out

Notificação

Postado às 19:27 Hs

A Justiça Eleitoral do RN notificou a Reitoria da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o PL (partido do presidente Jair Bolsonaro) e as deputadas petistas Isolda Dantas (estadual) e Natalia Bonavides (federal) para não realizarem mais eventos político eleitorais dentro do campus universitário. Parte das notificações foram feitas nesta terça-feira (25), mesmo dia que o PL programou um evento dentro da UFRN em apoio a Bolsonaro e as deputadas, uma manifestação pró-lula também no Campus – a segunda em poucos dias.

Isso porque, no dia 20, já havia sido realizado o “Luladay”, o evento político-eleitoral petista contou com a entrega de adesivos. Por isso, o Tribunal decidiu agir e solicitar a Reitoria da UFRN para disciplinar a realização de propaganda eleitoral dentro da Instituição. Ou seja: veda-la. “No exercício do poder polícia conferido aos juízes eleitorais, vimos por meio desta notificar Vossa Magnificência para, nos termos do art. 11 do Provimento nº 03/2022-CRE/RN, regularizar a realização de propagandas eleitorais no ambiente universitário a teor do disposto no art. 19 da Resolução TSE nº 23.610/2019, que dispõe ser vedada a veiculação de propaganda de qualquer natureza em bens públicos”, assinou o juiz da 3ª zona eleitoral, Cleanto Fortunato da Silva.

O TRE também enviou notificações para a deputada Isolda Dantas, Natália Bonavides e para o PL. O partido de Bolsonaro e o movimento “Endireita RN” agendaram, para hoje, o chamado BolsonaroDay, no setor IV da UFRN. As parlamentares petistas marcaram outro evento pró-Lula, mas que seria no Anel Viário e não dentro da UFRN – diferente do Luladay ocorrido no dia 20.

Como, mesmo assim, a informação é que os eventos foram realizados, o Cartório Eleitoral encaminhou cópias das denúncias e dos termos de constatação para o Ministério Público Eleitoral para fins de representação.

96 FM Natal

O PL foi o partido que mais registrou candidaturas para as eleições de 2022, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A atual legenda do presidente Jair Bolsonaro passou de 721 candidatos, em 2018, para 1.591 neste ano, somados todos os cargos da disputa. O valor representa aumento de 120%.

Até esta quinta-feira (25), o TSE já havia contabilizado mais de 28,8 mil candidaturas no total, valor inferior aos 29 mil de 2018. Os registros ainda serão analisados antes de serem deferidos ou indeferidos.

Em 2018, o partido que apresentou mais candidatos havia sido o PSL, com 1.543 (destes, 1.454 foram considerados aptos). A legenda se fundiu ao DEM, criando o União Brasil, que lançou 1.500 candidaturas neste ano. O União Brasil ocupa o segundo lugar entre os partidos com mais candidatos

O PT do ex-presidente Lula lançou individualmente duzentos candidatos a menos nesta eleição. No entanto, como o partido está em uma federação junto com PV e PC do B, a soma dos três deve ser equivalente à de um só partido.

reprodução – g1

De acordo com a lei eleitoral, o limite de cada legenda para lançamento a cargos proporcionais é equivalente a 100% do número de vagas disponíveis mais um. Ou seja, se houver 70 vagas para deputado federal, caso de São Paulo, um partido pode lançar 71 candidatos.

Os partidos de direita lideram a lista dos que mais ganharam candidatos no comparativo entre eleições, com exceção de Patriota, Podemos e União, que estão entre os que mais perderam candidatos. Já os partidos de esquerda que se uniram em federações tiveram enxugamento de quadros.

O PC do B foi o partido que mais perdeu candidatos entre as duas últimas disputas gerais, com 85% candidatos a menos. Em 2019, se fundiu ao PPL para superar a cláusula de barreira. Neste ano, disputará ao lado do PT e PV em uma federação partidária.

20
mar

* * * QUENTINHAS… * * *

Postado às 10:25 Hs

* * * A partir deste domingo (20) faltam quatro meses para o início das convenções partidárias, que vão definir candidatos a Presidente, Governador, Senador, Deputados federal e Estadual. Eleições 2022 nos bastidores fervendo * * *

* * * O deputado federal Eduardo Bolsonaro e a deputada federal Bia Kicis (DF) assinaram neste sábado, 19, suas filiações ao PL, partido escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para disputar a reeleição ao Planalto neste ano. O presidente acompanhou o evento de filiação do filho e da aliada na sede do PL, em Brasília. Ambos deixaram o União Brasil, sigla que uniu o PSL e o DEM. O deputado Coronel Armando (SC) também deixou a legenda. O lançamento da pré-candidatura de Bolsonaro ao Palácio do Planalto será no próximo domingo, 27. * * *

* * *Quem conversou com a Governadora Fátima Bezerra (PT) garante que está animada com as últimas conversas para bater o martelo com o MDB na chapa majoritária. Fátima Bezerra viu que a possibilidade de enfrentar a chapa Ezequiel Ferreira como Governador poderá lhe custar a renovação do mandato e, finalmente, acordou. Vamos aguardar os próximos dias que serão decisivos… * * *

 

O presidente Jair Bolsonaro filiou-se ao Partido Liberal (PL), na manhã de hoje, durante evento no Complexo Brasil 21, em Brasília. A pedido de Bolsonaro, a cerimônia no auditório foi reservada para pessoas próximas, diretores regionais da sigla, ministros, filhos e amigos. “Confesso prezado Valdemar [Costa Neto, o presidente do PL], a decisão não foi fácil”, afirmou Bolsonaro. “Uma filiação é como um casamento. Não seremos como marido e mulher, mas seremos como uma família”, disse o chefe do Executivo. Em seu discurso, Jair Bolsonaro defendeu sua gestão, falou sobre as eleições de 2022 e criticou a esquerda. A congressistas, disse que veio do mesmo meio: “Eu vim do meio de vocês, fiquei 28 anos dentro da Câmara dos Deputados”, disse. “Mas há uma semelhança muito grande entre nós. Ninguém faz nada sozinho”.

O Partido Liberal (PL) informou, há pouco, que o presidente Jair Bolsonaro se filiará ao partido no próximo dia 30, às 10h30, em Brasília. Com a filiação, Bolsonaro deverá disputar a reeleição pelo partido. A data foi definida após uma conversa entre Bolsonaro e o presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto.

Eleito presidente pelo PSL em 2018, Bolsonaro deixou o partido em 2019, em meio a divergências com a cúpula da legenda. Na ocasião, chegou a articular a criação de uma nova sigla, a Aliança Pelo Brasil, que não passou da fase de coleta de assinaturas.

Presidente do PL (Partido Liberal), Valdemar Costa Neto se reúne nesta quarta-feira (17), às 15h, com os líderes regionais da legenda para discutir a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao partido. A reunião vem depois de um desentendimento entre o chefe do Executivo e o presidente da sigla, que resultou no cancelando do evento de filiação, previsto para o dia 22 deste mês.

Os impasses sobre a filiação surgiram por causa do apoio do PL à candidatura de Rodrigo Garcia, o atual vice-governador de São Paulo, ao posto de governador do estado na eleição do ano que vem. Bolsonaro quer que o partido apoie o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. Além disso, o atual governador de São Paulo, João Doria, está na disputa para ser o candidato do PSDB à Presidência em 2022.

Conversas com o Progressistas

Questionado sobre manter o diálogo com outros partidos até que o impasse seja sanado, o presidente admitiu que continua conversando com o Progressistas (PP). “O PP ainda me quer lá. Depois que apareceu essa notícia falsa de troca de farpas entre o Valdemar, conversei com o Ciro [Nogueira], com o Fábio Faria, com o Rogério Marinho, pessoas que estão lá no Brasil ajudando a conduzir.”

“A possibilidade existe. Como eu disse pra você, eu tenho um limite. O Republicanos também continua conversando comigo agora depois desse caso”, completou. Ainda assim, a expectativa é continuar o acordo com o PL.

R7

fev 22
quinta-feira
19 21
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
14 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.950.559 VISITAS