A Lenovo anuncia a construção de um novo centro de pesquisa e desenvolvimento voltado ao estudo da conexão 5G em parceria com o Instituto Metrópole Digital (IMD), no Parque Tecnológico Metrópole Digital (Metrópole Parque), dentro do campus da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. O espaço, para o qual a Lenovo aplicará R$ 60 milhões, abrigará o quarto centro de pesquisas em 5G da companhia no mundo – os outros estão localizados na China, Estados Unidos e França – e deve ficar pronto em aproximadamente 18 meses. Além da estrutura física de cerca 8,6 mil m² no terreno destinado ao Metrópole Parque e aquisição de equipamentos, a assinatura do contrato prevê, ainda, a execução de dois projetos que visam estudar maneiras de otimizar o uso de redes de 5G, contando com a produção de conhecimento e a criação de softwares capazes de controlar e gerenciar dois aspectos fundamentais desse tipo ecossistema: as redes de núcleo e as redes de rádio.
A obrigatoriedade de apresentação do passaporte vacinal na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi derrubada. Após decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), a UFRN deixará de exigir a apresentação do comprovante de vacinação tanto para a circulação de pessoas quanto para a matrícula através da Internet. O desembargador Paulo Roberto de Oliveira Lima acatou o agravo impetrado pelo advogado André Santana. O advogado havia acionado a Justiça Federal no Rio Grande do Norte com o objetivo de suspender a obrigatoriedade do passaporte vacinal, que é cobrado até para que os estudantes possam ingressar no sistema eletrônico de matrículas da UFRN. O juiz Janilson Bezerra de Siqueira havia negado o pedido e, então, o advogado acionou o TRF-5, buscando reverter a decisão.
O Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI) concedeu nesta terça-feira, 29, o reconhecimento intelectual para um programa de computador que permite uma vigilância epidemiológica mais efetiva. O Salus permite o monitoramento ativo de pacientes na Atenção Primária em Saúde (APS), realizando o processamento e auxiliando na curadoria dos dados epidemiológicos.  Assim, apresenta-se como uma possível importante ferramenta, pois ainda que parte substancial do cuidado à saúde de uma pessoa seja realizado em outros níveis de atendimento, o nível primário tem a incumbência de organizar, coordenar e integrar esses cuidados, já que freqüentemente são realizados por profissionais de áreas diferentes ou terceiros, na maior parte das vezes com pouco diálogo entre si.

Foto: Reprodução

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) retomou nesta segunda-feira (28) as aulas presenciais depois de dois anos. As aulas haviam sido suspensas em 17 de março de 2020 em função da pandemia da Covid. Entre as medidas preventivas para esse retorno está a exigência do comprovante vacinal contra a Covid por parte de alunos, professores e demais servidores. A decisão foi aprovada a em dezembro do ano passado por unanimidade dos Colegiados Superiores, condicionando quem quiser ter acesso às dependências da instituição à vacinação.

“Todas as pessoas que vão circular na UFRN precisam estar vacinadas e precisam comprovar essa vacinação”, reforçou a pró-reitora adjunta de graduação, Elda Melo em entrevista ao Bom Dia RN. Quando precisou suspender as atividades presenciais em 2020, a UFRN não parou com as aulas, mas as adaptou ao formato remoto, que estava sendo utilizado até este último momento.

“Estamos retomando hoje, embora não tenhamos parado em nenhum momento, ficamos no formato remoto. Mas hoje é o dia que os servidores, técnicos, professores e alunos estarão de volta à universidade no formato presencial”, pontuou a pró-reitora Elda Melo.

Ao todo, segundo ela, são cerca de 30 mil alunos apenas nas graduações. “É um dia muito importante, nós vemos muitos alunos que entraram na faculdade, estão cursando, mas nunca vieram aqui no campus”. Segundo a UFRN, para esse retorno também houve a criação do auxílio para aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs).

G1 RN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou o Calendário Universitário de 2022, com a retomada da regularidade das aulas presenciais. A decisão foi ratificada, nesta quinta-feira, 13 de janeiro, pelo Conselho de Administração (Consad) e também havia sido aprovada, por unanimidade de votos,  pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), na última terça-feira, 11 de janeiro.

Conforme a proposta aprovada, o período letivo de 2022.1 acontecerá de 28 de março a 30 de julho de 2022. Já o período de 2022.2 será realizado de 22 de agosto a 23 de dezembro de 2022. O documento prevê ainda que o 2023.1 ocorrerá de 27 de fevereiro a 1° de julho de 2023. O período de 2023.2 será de 7 de agosto a 9 de dezembro de 2023.

O pró-reitor adjunto de Gestão de Pessoas (Progesp) e relator da proposta no Consad, Joade Cortez, contextualizou que o retorno presencial gradual acadêmico e administrativo vem ocorrendo nos últimos meses. Nesse sentido, a Universidade aprovou, no final de dezembro, o atestado de esquema vacinal contra a covid-19, para acesso às dependências físicas da instituição de ensino. O gestor  explicou ainda que a Universidade está finalizando normas complementares sobre o tema, com regras específicas para estudantes, docentes e técnicos. Outra iniciativa que está em fase de finalização é a atualização do Protocolo de Biossegurança, conforme a situação atual da pandemia da covid-19.

Retorno acadêmico presencial

Para a retomada presencial das atividades acadêmicas, a pró-reitora de Graduação (Prograd) e relatora da proposta no Consepe, Maria das Vitória de Sá, ressalta a importância de seguir os protocolos de biossegurança, como o uso de máscaras e o distanciamento social. A gestora lembra também que os colegiados superiores da UFRN aprovaram, recentemente, resoluções sobre o atestado de esquema vacinal contra a covid-19, para acesso às dependências físicas da instituição de ensino.

Os colegiados superiores decidiram ainda que, para o ano letivo de 2022, o cancelamento de cursos de graduação não será realizado por abandono de curso, decurso de prazo máximo ou insuficiência de desempenho, levando em consideração o atual cenário da pandemia da covid-19.

O aumento dos casos da covid-19 e da gripe no Brasil, relatado neste início de ano, levou algumas instituições de ensino superior a adiar o retorno das aulas presenciais neste mês de janeiro. No Rio Grande do Norte, o Instituto Federal do RN (IFRN) suspendeu o retorno a partir desta segunda-feira, 10. A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) mantêm os calendários por enquanto. Na semana passada, ao menos três instituições de ensino federal do país já haviam suspendido o retorno: as universidades do Rio de Janeiro (UFRJ), de Santa Catarina (UFSC) e de Lavras (UFLA), em Minas Gerais. As decisões foram anunciadas em uma semana em que o Brasil viveu uma pressão de atendimentos nos hospitais, apesar do apagão de dados do Ministério da Saúde. Segundo a decisão do IFRN, a suspensão do retorno atendeu a uma análise do comitê científico da instituição que julgou o cenário epidemiológico do estado como um risco de contaminação tanto pela covid-19 quanto pelo vírus da gripe. “[São] doenças com alto impacto de contaminação, que tem causado a sobrecarga dos sistemas de saúde do Estado nos últimos dias”, avaliou o comitê do IFRN.
Amplamente procurados pelo público externo, os cursos técnicos em Tecnologia da Informação do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN) abriram, nesta quinta-feira, 30, seleção para a formação de novas turmas em 2022. O certame oferece ao todo 1.580 vagas, distribuídas para os municípios de Natal, Angicos, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. As inscrições, feitas por meio do site da Comperve, estarão abertas entre os dias 10 e 23 de janeiro. Os cursos são oferecidos na modalidade semipresencial – Ensino a Distância (EAD) e encontros presenciais semanais. Atualmente, o programa oferece ênfases em seis áreas diferentes: Automação Industrial, Eletrônica, Programação de Jogos Digitais, Informática para Internet e Redes de Computadores, além Internet das Coisas, novidade deste ano. Segundo o coordenador dos cursos técnicos do IMD, professor Marcel Oliveira, a oferta das novas turmas representa o retorno de uma das principais ações de ensino do Instituto. “Após quatro anos, o IMD volta a ofertar mais de mil vagas para a formação técnica e com abrangência em todos os polos de ensino”, comemora o coordenador
O Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (Consepe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aprovou na manhã desta quarta-feira, 22 de dezembro, o atestado de esquema vacinal contra a covid-19 para acesso às dependências físicas da instituição de ensino. Na tarde do mesmo dia, a proposta será avaliada também pelo Conselho de Administração (Consad). A decisão aplica-se aos estudantes; servidores docentes e técnico-administrativos (efetivos e aposentados); professores substitutos, temporários, visitantes, colaboradores e voluntários; pensionistas; pesquisadores ou bolsistas de agências de fomento; trabalhadores terceirizados; além do público em geral. Já o ingresso de pessoas com contraindicação da vacina ocorrerá somente mediante apresentação de atestado médico. Nesse sentido, ao acessar as dependências da Universidade, as pessoas deverão portar a cópia do comprovante do esquema vacinal, conforme normatização do Ministério da Saúde, ou do atestado médico, físico ou digital, podendo este ser solicitado a qualquer momento. A aprovação do Colegiado Superior tomou como base os termos da Constituição Federal de 1988 relativos à autonomia das universidades públicas e à proteção dos direitos fundamentais à vida e à saúde; as normativas e legislações referentes ao enfrentamento da pandemia da covid-19; bem como as solicitações das representações estudantis e sindicais dos servidores técnico-administrativos e docentes da UFRN.
07
out

UFRN no topo

Postado às 9:11 Hs

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) é a instituição de ensino do país com mais registros de programas de computador no ano de 2020. O número foi divulgado nesta quarta-feira, 6, e está inserido no Ranking 2020 de Maiores Depositantes, documento do Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), órgão cuja finalidade principal é executar, no âmbito nacional, as normas que regulam a propriedade industrial. Ao todo, os cientistas da UFRN foram responsáveis por 58 registros de PCs, o que representa um aumento superior a 40%, tomando como parâmetro o ano de 2019. Um hipotético top 5 nacional das instituições de ensino seria formado pela Universidade Federal de Uberlândia, Universidade Federal de Alagoas, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Ceará e Universidade Federal Rural de Pernambuco. Considerando todos os depositantes, sem categorizar, a UFRN fica em segundo lugar nacional, atrás apenas da Fundação CPQD Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações.
25
ago

Variante Delta é identificada no RN

Postado às 10:03 Hs

O Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) identificou a variante delta do novo coronavírus em duas amostras coletadas no dia 8 de agosto em Natal, no Rio Grande do Norte. O resultado final do sequenciamento foi finalizado na última segunda-feira, 23, quando foi possível confirmar a presença dessa variante no Estado. De acordo com a diretora do IMT, Selma Jerônimo, a identificação de variantes é frequente, em virtude da fácil mutação do RNA do vírus, motivo pelo qual as pessoas devem manter os cuidados na prevenção e tomar a vacina contra a covid-19. “A diminuição da presença do vírus entre as pessoas é via de controlar o surgimento de novas variantes”, afirma.

A variante delta do novo coronavírus atualmente é a prevalente nos Estados Unidos e no Reino Unido. No Brasil, já foi encontrada em outros estados, entre eles Rio de Janeiro, Ceará e Pernambuco. A identificação da variante foi realizada por meio do sequenciamento das amostras coletadas, trabalho desenvolvido pelo IMT/UFRN com recursos de projeto de pesquisa e colaboração do laboratório Getúlio Sales Diagnósticos. Atualmente, a unidade sequenciou e está analisando 64 genomas do SARS-CoV-2 provenientes de amostras do Rio Grande do Norte.

A análise é feita por pesquisadores e pós-graduandos do IMT, que atuam desde o início da pandemia no combate à covid-19. A UFRN já realizou 160 mil testes PCR, sendo 148 mil pelo IMT e 12 mil pela Faculdade de Ciências da Saúde (Facisa), além de 13 mil testes sorológicos. O IMT também realiza um estudo de soroprevalência em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS), para avaliar a quantidade de pessoas com resposta de defesa ao vírus, entre vacinadas e as que tiveram infecção natural pela covid-19.

O Rio Grande do Norte está com 24 municípios em zona de risco para a taxa de transmissibilidade [R(t)] da covid-19, com valor maior que 1,03 e menor ou igual a 2,00. O número indica uma melhor no índice levando-se em consideração que, há 15 dias, eram 72.

De acordo com o Laboratório de Inovação tecnológica em Saúde (LAIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o estado não tem municípios com taxa maior do que 2,00, que são considerados em zona de risco. Por outro lado, 139 cidades possuem a taxa menor ou igual a 1,00. Além deles, quatro estão em zona neutra.

A maior taxa é registrada em Taboleiro Grande, com 1,50. A mais baixa é em Ouro Branco, com 0,40. A população em zona de risco é de apenas 130.474. Em contrapartida, 3.357.001 estão área de segurança para a transmissibilidade da covid-19.

De acordo com o Lais, a taxa de transmissibilidade é um indicador importante para analisar a pandemia do coronavírus. No entanto, o laboratório destaca que os dados não podem ser utilizados separadamente. “É preciso considerar outros indicadores nas avaliações dos contextos epidemiológicos”, apontou.

 

Imagem: reprodução/LAIS/UFRN

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) iniciará no próximo dia 7 de junho mais um período em meio letivo. As aulas deverão se estender até 18 de setembro, de forma virtual. Os graduandos veteranos podem realizar a solicitação de matrícula no Sistema de Gestão Acadêmica (SIGAA) até o dia 21 de abril. Os alunos ingressantes terão a matrícula realizada de forma automática e devem ficar atentos aos prazos de confirmação de vínculo com a instituição de ensino. Desde 2020, por causa da pandemia, a UFRN adotou o modelo remoto de aulas. A nova realidade mudou o modelo de cadastro e matrícula, por exemplo, de novos ingressantes, que irá acontecer nesse novo semestre de forma automática. Os aprovados pelo SISU em primeira chamada foram convocados a enviar a documentação para a UFRN entre 19 a 22 de abril. Nos dias e 5 e 6 de maio, para aqueles em de segunda chamada. Esses calouros foram cadastrados e, até o fim desta semana, os que irão ingressar no primeiro semestre (2021.1), serão matriculados pelas Coordenadorias no SIGAA.
04
Maio

UFRN divulga 2ª Chamada do SiSU

Postado às 16:21 Hs

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) disponibilizou na noite da última segunda-feira, 3 de maio, a 2ª Chamada dos candidatos que optaram por participar da lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), divulgada no site www.sisu.ufrn.br. A recepção dos documentos para cadastro dos convocados acontecerá entre 5 e 6 de maio no endereço www.sigps.ufrn.br, onde deverão enviar os documentos exigidos em edital, com oportunidade de retificação no dia 10. Caso haja cadastro de um número maior de candidatos que a quantidade de vagas em aberto, haverá a formação de cadastro de reserva.

“Os candidatos que compõem a convocação da 2ª. Chamada, inclusive os suplentes interessados em participar do cadastro de reserva, devem enviar os documentos neste período, pois as vagas não preenchidas após a segunda chamada serão direcionadas aos estudantes que tenham realizado o cadastro”, ressalta a pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias Vieira de Sá. A divulgação das listas com os nomes dos candidatos que irão preencher as vagas ociosas acontecerá nas datas definidas no edital, onde também está disponível a relação de documentos necessários para o cadastro.

Assim como na primeira chamada, o cadastro e matrícula da segunda chamada do SiSU serão 100% remotos, em virtude da pandemia da Covid-19. Os convocados que não enviarem a documentação correta serão eliminados do processo seletivo e não serão incluídos em cadastro de reserva para nova convocação. Pedidos de cadastramento em prazos, horários e locais diferentes dos indicados no edital não serão aceitos.

Um programa de computador que auxilia no tratamento de pessoas que tenham diminuído seus movimentos motores em virtude de acidentes, traumas e paralisia, acaba de receber o registro do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). A invenção é fruto de parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e o Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IIN-ELS) do Instituto Santos Dumont (ISD) e tem aplicação direcionada para a área da saúde, neuroengenharia e reabilitação.

Foto: Cícero Oliveira

Denominado Tempo de Reação, o Programa de Computador foi projetado para medir quanto tempo os pacientes, a partir do acionamento exclusivo dos membros superiores, demoram para reagir ao impulso. Nele, o usuário responde com um acionamento de botão quando um estímulo visual for apresentado. Com a medida, o tratamento pode ter melhores parâmetros, ajustando as estratégias.

Além desse PC, a UFRN também recebeu o registro do GERIFES.net, cuja ideia de uso gira em torno de sistematizar o processo de gestão de riscos nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES). O funcionamento se baseia no registro de todas as etapas do processo, desde o cadastro dos objetivos organizacionais, passando pelos eventos que podem comprometer o alcance desses objetivos, classificação dos riscos inerentes, definição da resposta ao risco, estabelecimento de atividades preventivas e, por fim, classificação dos riscos residuais. O Gerifes possibilita a emissão de diversos relatórios gerenciais, tornando ainda mais seguro o processo de tomada de decisão e, consequentemente, o alcance dos objetivos organizacionais. O registro foi realizado em parceria com o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN).

A lista com os autores dos programas de computador está disponível no portal da AGIR, www.agir.ufrn.br, enquanto que as orientações a respeito dos procedimentos para realizar o pedido de registro de PCs são feitas na UFRN através da Agência de Inovação, pelo e-mail pc@agir.ufrn.br.. Com esses novos registros, a UFRN alcança 260 concessões de programas de computador. Dessas, quase uma centena aconteceu no último biênio.

O quadro de recrudescimento da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Norte é evidenciado pelo monitoramento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) em parceria com a Universidade Federal do RN (UFRN) por meio do indicador composto. O resultado mais recente do acompanhamento técnico, que reúne dados como casos confirmados, ocupação de leitos e óbitos e dá uma pontuação entre 1 e 5 para cada cidade, aponta que entre os dias 11 e 23 de março o quadro da pandemia piorou em 59,3% dos municípios potiguares, o que representa 99 cidades.  Em outras 52 localidades (31,1%), a situação manteve-se estável, o que também representa uma situação de alerta, e em apenas 16 cidades (9,6%) os indicadores evoluíram positivamente. No levantamento anterior, 59 tinham apresentado uma piora no indicador, 81 estavam em estabilidade e 27 passavam por uma melhora. Em termos populacionais, o indicador aponta que 86,9% dos moradores do RN – aproximadamente 3,07 milhões de pessoas – vivem em municípios que estão na faixa amarela ou vermelha, que representam situação de alerta.
A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Instituto Metrópole Digital (IMD), lançou edital com a abertura de 6.900 vagas para dois cursos gratuitos na área de tecnologia. As inscrições começam nesta segunda-feira (8), e seguem abertas até o dia 21, sendo destinadas para as formações de Programador de Dispositivos Móveis e Programador Web, que serão realizadas na modalidade de Ensino a Distância. A iniciativa está integrada ao Programa Novos caminhos, estruturado pelo Ministério da Educação e realizado em parceria com diversas instituições de ensino no país. Os interessados em se inscrever nos cursos oferecidos pelo IMD devem fazê-lo através de formulário disponível no site novoscaminhos.imd.ufrn.br, onde também se encontra disponível o edital 02/2021. A formação de Programador de Dispositivos Móveis oferece 2.700 vagas e tem carga horária 200 horas, enquanto a de Programador Web disponibiliza 4.200 vagas e também possui carga horária de 200 horas. Os interessados devem cumprir, como requisitos principais, as condições de ter pelo menos 16 anos de idade e possuir a escolaridade mínima requerida por cada curso.

Pelo menos 10 tremores de terra foram registrados no município de Caraúbas, na região Oeste potiguar, entre o sábado (20) e a madrugada desta segunda-feira (22). De acordo com o Laboratório de Sismologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, um dos tremores atingiu a magnitude de 2.5.

O primeiro tremor de magnitude 2.3 foi sentido pela população por volta das 17h18 do sábado (20). E o último por volta das 2h15 desta segunda-feira (22), que atingiu a marca de 1.9 de magnitude. O mais forte ocorreu por volta das 10h33 do domingo (21), atingindo 2.5.

Desde janeiro, essa é terceira vez que o município registra eventos relacionados a tremores de terra.

Com a chegada das festas do fim de um ano marcado pela pandemia de covid-19, reunir familiares para as tradicionais ceias natalinas e de réveillon, segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), pode ser uma atividade perigosa. A avaliação se dá, sobretudo, pelo novo perfil de infectados identificado, que hoje é quatro anos mais jovem do que o apresentado em julho de 2020. Segundo os dados da PNAD Contínua do terceiro trimestre de 2020, em cerca de 147 mil domicílios potiguares (12,2% do total), há idosos residindo com jovens de 18 a 35 anos. Isso aumenta o risco de contaminação, especialmente pelo fato de que, segundo relatórios da Secretaria Estadual de Saúde do RN (Sesap/RN), a população jovem corresponde a quase a metade de casos de covid-19 atualmente (46,5%).
ago 13
sábado
00 33
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
54 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.911.105 VISITAS