12
mar

Sem culpados

Postado às 16:47 Hs

O laudo do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo aponta que  não há culpados pelo acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quattrucci.

Um acidente. O motorista do caminhão que bateu no helicóptero, João Adroaldo Tomackeves, trafegava a aproximadamente 40 km/h no momento da batida ao sair da praça de pedágio do Rodonel em direção à Rodovia Anhanguera, velocidade compatível para o trecho.

Para a Polícia Civil, que investiga o acidente, não há elementos para responsabilizar alguém criminalmente pela colisão e pelas mortes, apontando o caso como “fatalidade”.

Exames toxicológicos do Instituto Médico Legal (IML) feitos nas vítimas não acusaram nenhuma substância nelas durante o acidente.

Partes do helicóptero ainda estão sendo periciados. Hoje faz um mês que o jornalista e o piloto morreram.

Fonte: G1

O corpo do jornalista Ricardo Boechat será velado a partir das 22h de hoje (11) no Museu da Imagem e do Som (MIS), no bairro Jardim Europa, na capital paulista. O local estará aberto ao público. O jornalista do Grupo Bandeirantes morreu na queda de um helicóptero na Rodovia Anhanguera, quando retornava de uma palestra em Campinas. O velório segue até as 14h desta terça-feira (12). A Band não divulgou o local do sepultamento, que será em cerimônia reservada para a família.

O acidente ocorreu no início da tarde de hoje (11). O piloto da aeronave, Ronaldo Quatrucci, também morreu. A pedido do presidente Jair Bolsonaro, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, irá representá-lo no velório do jornalista. Bolsonaro disse que ele e Boechat eram amigos “há mais de 30 anos” e que ele apelidou o jornalista de “Jacaré”.

Boechat tinha 66 anos, era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e tinha uma coluna semanal na revista ISTOÉ. O jornalista nasceu em Buenos Aires, na Argentina, quando o pai Dalton Boechat, diplomata, estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores. Dono de um humor ácido, usava essa característica para noticiar fatos e criticar situações. O tom era frequente nos comentários de rádio, televisão e também na imprensa escrita.

Políticos, magistrados e organizações vieram a público para lamentar a morte do jornalista. Boechat deixa mulher, cinco filhas e um filho

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Boechat morreu no início da tarde de hoje, aos 66 anos, em São Paulo. O jornalista estava em helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. Leia abaixo alguns relatos sobre a morte de Boechat reunidos pelo portal G1.

Davi Alcolumbre (DEM-AP), senador e presidente do Senado: “Foi em estado de consternação e tristeza que recebi a notícia da morte inesperada do jornalista Ricardo Boechat. Era um profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado revelado nos principais meios de comunicação do país. Envio meu sentimento de solidariedade e apoio fraterno aos seus colegas de trabalho e a toda sua família. Tenho certeza que os brasileiros lamentam a morte desse argentino que escolheu o Brasil como lar. Fica a saudade e o respeito pelo homem e jornalista que sempre demonstrou ser. Meu apoio fraterno também aos parentes e amigos dos demais ocupantes do helicóptero que fatalmente caiu em São Paulo”.

Eduardo Suplicy (PT-SP), vereador: “Lamento profundamente as mortes do jornalista Ricardo Boechat, bem como as do piloto e do copiloto do helicóptero que caiu hoje na Grande São Paulo”.

Ivan Valente (Psol-SP), deputado federal: “Lamentamos profundamente a morte do jornalista Ricardo Boechat. A imprensa brasileira perde um grande polemista e comunicador. O acidente com o helicóptero provocou a morte dele, do co-piloto e do piloto. Nossas condolências à família de todos”.

João Doria (PSDB-SP), governador de São Paulo: “Com o falecimento de Ricardo Boechat, o Brasil perde um dos maiores jornalistas da sua história. Sua atuação diária demonstrava sensibilidade em defesa do interesse público e do jornalismo de qualidade. Toda a solidariedade a seus familiares, amigos e colegas da Rede Bandeirantes”.

Marina Silva (Rede-AC), ex-senadora: “É com profunda tristeza que recebi a notícia da morte trágica do jornalista Ricardo Boechat. Boechat fará uma falta enorme ao jornalismo, ainda mais nesse momento do país. Que Deus conforte sua família, amigos e colegas de trabalho nesse momento de perda e dor”.

Onyx Lorenzoni (DEM-RS), deputado federal e Ministro-chefe da Casa Civil: “Meus sentimentos à família e amigos de Ricardo Boechat”.

Rodrigo Maia (DEM-RJ), deputado federal e presidente da Câmara: “Recebo com tristeza a informação sobre a trágica morte do jornalista Ricardo Boechat e outras duas pessoas. Boechat foi um dos grandes comunicadores do nosso país e uma referência de bom jornalismo e independência. Presto minha solidariedade a seus familiares e amigos”.

Romário (Podemos-RJ), senador: “Triste demais com essa notícia da morte de Ricardo Boechat, vítima da queda de um helicóptero que o transportava. Um dos jornalistas mais sérios e competentes e também um dos mais queridos pela população. Meus sentimentos aos familiares do jornalista e do piloto do helicóptero”.

Wilson Witzel (PSC-RJ), governador do Rio de Janeiro: “Lamento profundamente a morte do jornalista Ricardo Boechat. Referência no jornalismo brasileiro, respeitado pela coragem e veemência na denúncia da má gestão pública e privada, Boechat com certeza deixará saudade em tantos ouvintes, telespectadores, leitores e admiradores”.

José Luiz Datena, apresentador: “Ele diria que a vida vale a pena pra caramba, em todos os seus minutos e segundos. Ele sempre usou esse tempo que teve de uma forma honesta”.

Marcelo Adnet, comediante: “Que tragédia a morte inesperada do grande jornalista, genial e incansável Ricardo Boechat. Que nós jornalistas nos inspiremos sempre nele, na sua luta e na sua voz sempre presente. Vai fazer muita falta”.

Vera Magalhães, jornalista: “Estou passada com essa notícia do Ricardo Boechat. Tive o privilégio de conhecê-lo pessoalmente há dois anos, num almoço delicioso e cheio de risadas com amigos queridos. Mas a admiração profissional era anterior e só se confirmou após o contato pessoal. Tô muito triste”.

Miriam Leitão, jornalista: “Meu querido amigo Ricardo Boechat. Não posso acreditar. Eu lhe devo tantos favores, tantas palavras generosas em momentos difíceis. Você foi pessoa linda, jornalista maravilhoso. Ai Boechat, tão cedo, tão cedo amigo”.

Milton Jung, radialista: “Meu Deus do Céu … deixa o cara com a gente, vai. Nos dá essa chance. Tá difícil de segurar a onda por aqui. Um dia choro por centenas, noutro por dezenas, agora choro por um colega:  Ricardo Boechat, agora não! O jornalismo precisa de você.  A gente precisa de você, camarada!”.

Padre Marcelo Rossi: “Amados, Orando pelo Ricardo Boechat. Querido jornalista, conceituado e respeitado. Que a família seja confortada por Deus”.

Serginho Groisman, apresentador: “Boechat: tuas opiniões, teu bom humor, tuas indignações, teu amor por tua família e a aula de jornalismo que você nos deu vão fazer muita falta. Força para as famílias que estavam no helicóptero”.

José de Abreu, ator: “RIP Boechat, amigo de longo tempo”.

Danilo Gentili, apresentador: “Por coincidência sempre entrávamos na maquiagem da Band no mesmo horário. A gente se divertia muito conversando. Ríamos bastante enquanto nos maquiavam. Tive a alegria de deixar uma das entrevistas mais divertidas que vc verá com ele: https://youtu.be/_DQ05_MXHlo

Chico Pinheiro, jornalista: “Conheci Boechat quando ele trabalhou no Bom Dia Brasil, no fim da década de 90. Eu participava de São Paulo e ele interagia com o Renato Machado, no RJ. Cheguei a apresentar o jornal com ele no estúdio. Sempre admirei seu trabalho. Sentiremos sua falta. R.I.P”.

Rafael Cortez, apresentador: “Ano triste pro Brasil. Política e seus escândalos e burrices. Morte do Caio Junqueira. Brumadinho. Flamengo. E agora a queda do helicóptero com o Boechat. O país não merece isso. Desolado. Boechat era um dos maiores jornalistas do país.

Tico Santa Cruz, músico: “O tempo, o amor e a morte, ninguém controla! Muito triste com a partida do Jornalista Ricardo Boechat! Um dos melhores jornalistas desse país! Vai deixar um vazio enorme! Que Deus conforte a família e os amigos!”.

Tino Marcos, jornalista: “Ri muito em redação e camarim com o Boechat, alma leve, bom humor.  E um monstro na profissão.  Sou ouvinte quase diário, sou fã. Ética, coragem, clareza. O jornalismo perde muito. O mundo anda triste demais”.

A assessoria do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) enviou, há pouco, à imprensa, uma nota com o pesar pela morte do jornalista Ricardo Boechat após a queda de um helicóptero na Rodovia Anhanguera, em São Paulo. Confira a íntegra da nota.

“A Presidência da República expressa seu pesar e condolências em razão do falecimento do jornalista Ricardo Boechat, vitimado em um acidente aéreo, neste dia.

O País perde um dos principais profissionais da imprensa brasileira. Sentiremos a falta de seu destacado trabalho na informação da população, tendo exercido sua atividade por mais de quatro décadas com dedicação e zelo.”

Jair Messias Bolsonaro

Presidente da República

O jornalista, apresentador e radialista Ricardo Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo. Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista IstoÉ. Ele também trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil” e foi comentarista no Bom Dia Brasil, da TV Globo. Ele estava dando uma palestra em Campinas, no interior do estado, e retornava a São Paulo nesta segunda, de acordo com jornalistas da TV Band.
abr 18
quinta-feira
12 01
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
21 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5774920 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram