A celeridade dada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para viabilizar a implantação da internet de quinta geração (5G) no Brasil poderá fazer do país um hub de tecnologias que posteriormente serão utilizadas por outros países.ebcebc A afirmação foi feita pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria, durante a solenidade de posse de Carlos Baigorri na presidência da Anatel, em Brasília. Segundo o ministro, o feito é ainda mais relevante levando em conta as dificuldades e burocracias naturais do setor público brasileiro. “Temos muita burocracia [no setor público] e um tempo diferente do [habitual no] setor privado”, disse Faria.
Um mês após a entrada em vigor da norma que obriga as empresas de telemarketing a usarem números de telefone móvel com o prefixo 0303, para permitir que os consumidores identifiquem a chamada e decidam se querem atendê-la, apenas 324 códigos já cadastrados junto na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foram ativados. “Temos sentido um empenho das empresas para implantar a regra”, disse o assessor da Gerência de Certificação e Numeração da Anatel, Secundino da Costa Lemos, à Agência Brasil. “Mas ainda estamos na fase de implementação do código não geográfico”. Ele lembrou que, embora o uso do prefixo tenha se tornado obrigatório em 10 de março para as chamadas feitas de celulares, as empresas que usam telefones fixos têm até 8 de julho para se adequar à nova regra. “Começamos pela rede móvel, mas a maior parte dos serviços de telemarketing ativo ainda é oferecida pelas plataformas de telefonia fixa, cujo prazo para migração só termina daqui a quase dois meses”, frisou o assessor, explicando que a agência reguladora não têm dados que permitam verificar se, com a obrigação de ativar o código para os serviços de telefonia móvel, mais empresas de call center passaram a usar a telefonia fixa para ganhar tempo antes de se ajustar à mudança.
A compra dos ativos de telefonia móvel do grupo Oi pelas operadoras Tim, Claro e Telefônica Brasil, que detém a marca Vivo, foi autorizada, com restrições, pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A aprovação foi condicionada ao cumprimento de medidas que diminuam os riscos concorrenciais e que estarão contidas em um Acordo em Controle de Concentrações (ACC). A Oi vendeu a rede móvel em 2020 para pagar dívidas. A transação precisava de confirmação pelo órgão antitruste. A decisão foi tomada em reunião da tarde dessa quarta-feira (9). As análises da operação mostraram que a saída da Oi do mercado de Serviço Móvel Pessoal (SMP) reduziria de quatro para três as operadoras que atuam no segmento, levando a uma concentração na oferta do serviço.
A partir de questionamentos apresentados pela Copel Telecom, ao anunciar prévia da venda da Oi Móvel para Claro, TIM e Vivo pode ser anulada pela a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A notícia foi dada pela agência O Globo, após relatos de quem acompanha a tramitação deste processo. Esta negociação é chave na recuperação judicial da Oi, que tem prazo de conclusão até o final do trimestre. De acordo com O Globo, o conselheiro Emmanoel Campelo – então presidente interino da agência – deixou de convocar pessoas que teriam assento nestes encontros nos dias 28 e 31 de janeiro, entre eles Wilson Diniz Wellisch, já nomeado como novo presidente interino da Anatel.

Foto: Alan Santos/PR

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou nesta 6ª feira (10.dez.2021) que Natal (RN) deverá ser a 1ª capital com cobertura 5G. A Brisanet, que arrematou R$ 1,46 bilhão em lotes regionais no leilão do 5G, deve iniciar a implementação da tecnologia já na próxima semana na capital do Rio Grande do Norte, disse o ministro durante evento da Abrint (Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações).

A expectativa é de que as cidades de Uberaba (MG), Uberlândia (MG) e Franca (SP) também já tenham o 5G antes das festas de fim de ano. De acordo com o edital da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), Natal deveria instalar 10 antenas em 2022 para viabilizar a implementação do 5G, mas a expectativa é que cerca de 250 antenas sejam instaladas apenas no 1º semestre de 2022, meta que deveria ser cumprida até 2028.

“Se colocar apenas o que está no edital, vai cobrir, por exemplo, 2 bairros. Quando a pessoa sair daquele bairro, não funciona, cai o sinal. Os provedores regionais devem colocar de uma vez só”, afirmou Fábio Faria.

O leilão do 5G somou R$ 46,8 bilhões em arrecadação. O valor é referente a R$ 7,4 bilhões das outorgas (montantes que as vencedoras pagarão ao governo federal) e de R$ 39,4 bilhões em investimentos obrigatórios na área de infraestrutura, a partir dos compromissos assumidos pelas empresas.

“O Brasil será o 1º país operando o 5G. Nós tivemos um leilão sem nenhuma ação judicial, mostrando que ele foi muito bem feito desde o começo. Foi conversado com o Congresso, Judiciário, TCU e Supremo para que compreendessem o que estávamos fazendo. Sabíamos que uma ação judicial poderia atrapalhar todo esse ecossistema que queremos desenvolver no Brasil”, disse.

Enquanto algumas cidades do Brasil recebem o 5G, outras 9.800 localidades não possuem internet. Segundo Fábio Faria, o ministério planeja levar o 4G até comunidades com menos de 1.000 habitantes.

“Depois do 5G, a gente vai poder buscar empresas e indústrias para que possamos trazê-las para o nosso país, gerando empregos. O Brasil vai ter condições de virar um grande hub de inovação de Telecom na América Latina”, afirmou.

Em nota enviada ao Poder360, o ministério das Comunicações disse que haverá “degustação” de 5G em Natal na próxima semana e que tecnologia já foi testada em Uberaba (MG), Rondonópolis (MT), Sorocaba (SP) e Londrina (PR).

Eis a íntegra da nota:

“De acordo com o que foi informado pela operadora Brisanet ao ministro das Comunicações, Fábio Faria, haverá a degustação de 5G via Wi-Fi na capital do Rio Grande do Norte na próxima semana. Já foram conduzidos testes com a tecnologia de quinta geração em Uberaba (MG), Rondonópolis (MT), Sorocaba (SP) e Londrina (PR).”

Poder 360

 

A partir do próximo ano, empresas que oferecem serviços por telemarketing ativo deverão exclusivamente utilizar o código 0303. A regra foi estabelecida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta sexta-feira, 10, e as prestadoras de telefonia móvel terão prazo de 90 dias para implantar a norma, período que será de 180 dias para as operadoras de telefonia fixa.

O órgão afirma que a padronização será uma ferramenta importante para o consumidor na identificação das chamadas de telemarketing. O código 0303 será de uso exclusivo e obrigatório para atividades de telemarketing ativo e as redes de telecomunicações deverão permitir a identificação clara, no visor do aparelho do usuário, desse número. De acordo com a Anatel, o telemarketing ativo é a prática de oferta de produtos ou serviços por meio de ligações ou mensagens telefônicas, previamente gravadas ou não.

Para o consumidor que fizer a solicitação, as operadoras precisarão realizar o bloqueio preventivo de chamadas originadas de telemarketing ativo.

Estadão

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realiza nesta quinta-feira (4/11) a maior licitação da história das telecomunicações no Brasil, o leilão do 5G, a quinta geração da internet móvel. Superando as expectativas do setor, 15 empresas se inscreveram para o certame. A quantidade significativa de candidatos pode fazer com que a sessão termine apenas na sexta-feira (5/11).

De acordo com o edital publicado pelo órgão, a licitação deve movimentar R$ 49,7 bilhões. O evento ocorre na sede da Anatel, em Brasília (DF), com presença do ministro das Comunicações, Fábio Faria, do presidente da Anatel, Leonardo de Morais, e de conselheiros da agência. O chefe do Executivo federal, presidente Jair Bolsonaro (sem partido), também participa da solenidade.

Estarão presentes o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL); o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães; e os ministros Paulo Guedes (Economia); Tarcísio Gomes (Infraestrutura); Ciro Nogueira (Casa Civil); e Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência).

A cerimônia de abertura com a presença do mandatário do Executivo federal atrasou o início do leilão, marcado para ocorrer a partir das 10h. Agora, não há horário previsto para a abertura das propostas de cada lote.

A primeira etapa do leilão foi realizada no último dia 27, com a entrega dos documentos por parte de empresas e consórcios. A expectativa do governo é de que o 5G comece a ser ofertado até julho de 2022, chegando primeiramente às capitais brasileiras.

Metrópoles

Reprodução

Depois de mais de um ano de atraso, a maior licitação da história das telecomunicações no Brasil, o leilão do 5G, será realizada nesta quinta-feira (4/11), a partir das 10h, no auditório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Superando as expectativas do setor, 15 empresas se inscreveram para o certame. A quantidade significativa de candidatos pode fazer com que a sessão termine apenas na sexta-feira (5/11).

Depois de mais de um ano de atraso, a maior licitação da história das telecomunicações no Brasil, o leilão do 5G, será realizada nesta quinta-feira (4/11), a partir das 10h, no auditório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Superando as expectativas do setor, 15 empresas se inscreveram para o certame. A quantidade significativa de candidatos pode fazer com que a sessão termine apenas na sexta-feira (5/11).

“Já imaginávamos um número parecido. Mas, dos 15 proponentes, só cinco são empresas que já prestam serviços [de grande porte]. É algo completamente inédito um leilão com 10 novos proponentes. O modelo do leilão foi bem-sucedido no estímulo à competição”, disse o superintendente de Competição da Anatel, Abraão Balbino, em entrevista coletiva na semana passada.

Por que o 5G é tão importante

A tecnologia representa um salto gigantesco para uma nova forma de uso da internet móvel. A proposta é tornar tudo conectado, como celulares, carros, geladeiras, máquinas de lavar e câmeras de segurança, entre outros eletrônicos, fazendo deslanchar a chamada Internet das Coisas. A base do sistema é uma velocidade muito maior para downloads e uploads.

O 5G deve facilitar diversas novas aplicações, com melhor desempenho, permitindo avanços que vão de sistemas de pagamento mais rápidos e variados até a viabilização de carros autônomos (sem motoristas), de sensores e monitoramento em fábricas a serviços públicos aperfeiçoados (como acompanhamento de consumo de água ou de lâmpadas de postes).

METRÓPOLES

O Brasil dará um importante passo para a implantação da tecnologia 5G. A diretoria da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) realiza nesta semana o leilão das faixas a serem exploradas pelas operadas. A oferta atrai investidores de todo o mundo e dita as tendência no mercado de comunicação. Ao todo, 15 operadoras apresentaram propostas para os lotes disponíveis no certame. O engenheiro especializado em telecomunicações e presidente da Consultoria Teleco, Eduardo Tude, explica que a quinta geração de internet móvel irá favorecer conexões com qualidade superior a todas as anteriores. “No 5G vai acontecer algo que a gente ainda não espera, vídeo HD, aplicações de realidade aumentada em que você vai ter uma comunicação muito mais pessoal e também uma interação com o que você está olhando”, afirma.
A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou, em reunião extraordinária nesta sexta-feira (24), o edital com as regras para o leilão do 5G, que venderá frequências de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. De acordo com o texto final, o certame será realizado no dia 4 de novembro. A análise pela Anatel do edital do leilão havia sido adiada em 13 de setembro após pedido de vistas do processo por conselheiro da autarquia. Em reunião extraordinária nesta sexta-feira, a agência liberou o andamento do processo. O presidente da Anatel, Leonardo de Morais, destacou que os investimentos previstos no edital contribuirão para a retomada e desenvolvimento da atividade econômica nos próximos anos, bem como fortalecerá a economia digital no país.
A diretoria da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) marcou para a próxima sexta-feira (24) a reunião para concluir a votação da proposta de leilão para a exploração de serviços de acesso móvel usando a tecnologia 5G, que amplia a velocidade da conexão móvel. A agência havia marcado a votação para a semana passada. Mas a decisão foi adiada por um pedido de vista do conselheiro Moisés Moreira. Os ministros ainda discutem algumas adequações sobre o texto da proposta para concluir a votação.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, concedeu uma entrevista coletiva no início da noite desta segunda-feira (13) e pediu pressa da Anatel, para liberação do leilão 5G no país. Fábio destacou que o Ministério já respondeu todos os questionamentos técnicos e fez um apelo para que o prazo do leilão, estimado em outubro, seja cumprido. O ministro Fábio destacou que cada dia de adiamento do leilão representa um prejuízo estimado de R$ 100 milhões ao Brasil.

A coletiva ocorreu logo após o pedido de vista do conselheiro Moisés Queiroz Moreira, da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), durante votação do processo que discute o edital do leilão do 5G. O argumento foi que o processo precisa de mais tempo de discussão e análise. O Conselheiro afirmou ainda que retornará com o processo o “mais breve possível” em reunião extraordinária.

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou o leilão de faixas de frequência para a implementação do 5G no Brasil. A proposta  tinha sido aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em fevereiro deste ano. No último dia 18, o ministro Aroldo Cedraz tinha pedido vista, ou seja, mais tempo para análise. Nesta quarta-feira (25), o plenário do TCU registrou sete votos a favor e um contra. Agora, o edital pode se tornar público. Em síntese, o 5G é uma arquitetura de rede que vai fornecer conectividade de banda larga, ultra robusta, com baixa latência e massiva, para pessoas e coisas. O leilão vai promover a concessão de uso de radiofrequências nas faixas de 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz, que serão destinadas à implementação de redes 5G.

Disposta a endurecer as regras para as ligações de telemarketing, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) abriu nesta segunda uma consulta pública sobre a proposta de criar um número exclusivo para as chamadas do tipo.

Dentro da agência se discute a ideia de encontrar uma solução mais eficaz do que as tentativas de plataforma do tipo “não perturbe”, que está voltada, principalmente, a setores como telecomunicações e bancário, com uma nova onda de aumento no número de reclamações.

Pela nova proposta, o prefixo 0303 deveria ser usado para iniciar os números usados por todas as empresas que oferecem serviços por telemarketing. Desse modo, o consumidor poderia identificar a chamada antes de atender.

A consulta pública sobre o código 0303, que fica aberta até 29 de setembro, é uma tentativa da Anatel de atuar no caso por meio de uma padronização capaz de expandir a abrangência atingindo o telemarketing dos setores que não são de telecomunicações.

Painel

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) afirmou que o país não corre risco de corte no fornecimento de energia este ano, apesar de o país passar pela “pior crise hidrológica desde 1930”. A ONS divulgou uma nota técnica com a avaliação das condições de atendimento energético do Sistema Interligado Nacional (SIN). Nessa nota, a entidade afirma que o nível das chuvas, “significativamente abaixo da média histórica”, motivou uma série de recomendações.

As medidas propostas, segundo a ONS, já foram postas em prática. “Entre as ações em curso destacam-se a flexibilização das restrições hidráulicas dos aproveitamentos localizados nas bacias dos rios São Francisco e Paraná; aumento da geração térmica e da garantia do suprimento de combustível para essas usinas; importação de energia da Argentina e do Uruguai, além de campanha de uso consciente da água e da energia”, explicou a entidade.

Segundo ela, as providências estão sendo tomadas para garantir o fornecimento de energia. “Sendo assim, diversas medidas foram aprovadas pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) e já estão em curso, o que faz com que esse cenário não se concretize e se garanta o fornecimento de energia e potência em 2021”.

A proposta de edital do leilão do 5G, em análise pelo Tribunal de Contas da União (TCU), traz uma série de obrigações que as operadoras de celular vencedoras do certame terão de cumprir como contrapartida, entre as quais o fornecimento de internet móvel em rodovias federais.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a proposta prevê que as operadoras terão de ofertar sinal de internet 4G em aproximadamente 27 mil quilômetros de rodovias federais que atualmente não contam com a tecnologia. O prazo é até 2029, com 50% dos trechos indicados no edital cobertos até 2025.

As rodovias selecionadas para receber o sinal foram as consideradas estratégicas para o transporte de passageiros e para o escoamento da produção agropecuária. A seleção foi feita pelo Ministério das Comunicações, com o apoio da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Muito mais do que uma internet mais rápida, a tecnologia  que deverá chegar ao Brasil até o fim do ano, irá revolucionar toda a sociedade e os meios produtivos. “Não se trata de mais um G e sim de um guarda-chuva que envolve e potencializa outras tecnologias”, afirma o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo Euler de Moraes, em entrevista ao programa Brasil em Pauta que vai ao ar neste domingo 2, às 19h30, na TV Brasil.

De acordo com Moraes, a tecnologia 5G será a catalisadora de outras tecnologias como a Internet das Coisas, inteligência artificial, robótica, inteligência mista e aumentada. Tudo graças à sua baixa latência, que é o tempo que os dados demoram para trafegar. “No caso do 5G, esse tempo é menor do que um piscar de olhos”.

O edital do leilão 5G está no Tribunal de Contas da União (TCU) para análise e deve ser lançado até o fim deste ano. “Vamos liberar a outorga do direito de uso da frequência, que são essas vias por onde os sinais trafegam”, diz o presidente da Anatel.

Segundo ele, esse não será um leilão arrecadatório. Isso porque além da implantação do 5G, as empresas terão compromissos de investimentos como a cobertura de internet em estradas brasileiras e em localidades que ainda não contam com internet nenhuma. “Espera-se que, em 20 anos, sejam de mais de R$ 40 bilhões em investimentos”, diz.

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, anunciou nesta sexta-feira, 19, que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) enviou o edital do leilão do 5G para a análise do Tribunal de Contas da União (TCU).

“Anatel envia ao TCU o edital do  com a precificação do direito de uso das radiofrequências que receberão a tecnologia. Também enviou os preços referentes aos investimentos que serão exigidos como contrapartida. Vamos dar celeridade ao processo!”, escreveu o ministro em publicação no Twitter.

No fim de fevereiro, a Anatel já havia aprovado o leilão, que deve acontecer em agosto. Antes disso, o TCU deverá analisar o edital e dar aval aos cálculos a respeito do valor da faixa e dos investimentos que as teles deverão como contrapartida.
O prazo acordado com a Anatel para a devolução do edital é de 60 dias. A previsão é que a versão final seja aprovada e publicada pela agência em junho. Já a operação comercial da rede, que deve começar pelas capitais e Distrito Federal, terá início, no máximo, em julho de 2022.

A tecnologia do 5G, que é a quinta geração das redes de comunicação móveis, promete velocidades até 20 vezes superiores à rede 4G. Será a maior licitação de espectro da história do País.

 Estadão Conteúdo

jul 5
terça-feira
03 28
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
56 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.903.397 VISITAS