Depois de ver sua bancada na Câmara diminuir de 65 para 51 parlamentares no ano passado, na esteira do discurso da “antipolítica”, o MDB vai promover em seu congresso, marcado para 6 de outubro, uma “repaginação” da sigla para evitar um novo encolhimento nas disputas municipais do ano que vem. A composição das novas executivas emedebistas em todos os níveis terá, obrigatoriamente, 30% de mulheres, e o novo comando nacional da sigla será integrado majoritariamente por jovens. Pelo acordo costurado nos bastidores pelo ex-senador Romero Jucá (RR), que substituiu o ex-presidente Michel Temer no comando do MDB, o deputado Baleia Rossi (SP), líder do partido na Câmara, será seu sucessor.

Hoje, a Executiva Nacional do MDB bateu o martelo em torno da data em que realizará a convenção para escolher o novo diretório nacional da legenda. Será no dia 6 de outubro, um domingo. Atualmente presidida pelo ex-senador Romero Jucá, a sigla passa por um momento delicado, depois do encolhimento que sofreu nas eleições de 2018. A definição do diretório soará como uma lufada de ar fresco para que emedebistas tentem recuperar o fôlego e, talvez, o protagonismo no cenário político brasileiro.

Na Câmara, o MDB perdeu praticamente metade das cadeiras, passando de 66 deputados para 34. No Senado, a legenda manteve o maior número de parlamentares, mas foi reduzida em 7 cadeiras, passando a ocupar 12 a partir deste ano de 2019.

Também em outubro de 2018, o MDB elegeu três governadores, menos da metade do que conseguiu na eleição passada, quando conquistou sete estados. A redução foi de 57%, na comparação entre as eleições de 2014 e de 2018.

10
maio

MDB chama prisão de Temer de despropósito

Postado às 13:19 Hs

O MDB classificou a nova prisão do ex-presidente, que se entregou à PF em São Paulo ontem, como um “despropósito”. O partido já foi presidido por Temer em três ocasiões: entre setembro de 2001 e março de 2009, quando era deputado; entre janeiro e junho de 2010, também quando fazia parte da Câmara Federal; e entre janeiro de 2014 e abril de 2016, quando era vice-presidente da República.

“O MDB considera um despropósito o pedido de prisão determinado ao presidente Michel Temer sob o argumento de que ele representa um perigo à ordem pública. O MDB continua acreditando na justiça brasileira e espera que os excessos sejam contidos e que a verdade prevaleça no andamento das investigações”, diz a nota publicada no site do partido.

27
jul

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 10:49 Hs

  • Depois de fincar bandeira ao lado dos últimos cinco presidentes da República, o MDB pode ser levado a um exercício de desapego em 2019. Isolado na disputa e confrontado pela massa de partidos do centrão, a sigla incluiu em suas contas a possibilidade de adotar postura independente ou até integrar a oposição no início do próximo governo. O movimento seria mais uma migração forçada do que um auto exílio purificador. O partido foi ofuscado nas negociações eleitorais com o fortalecimento do bloco liderado por DEM, PP e PR. Para dirigentes dos dois campos, o MDB perdeu poder de barganha e chegará mais frágil à posse do próximo presidente.
  • O deputado federal Rafael Motta (PSB) desembarcou no estado nesta quinta-feira (26), procedente de Brasília. Está angustiado. Tem pressa para resolver um impasse. Não conseguiu fechar ainda composição do seu partido numa aliança que viabilize sua reeleição e a do pai e deputado estadual Ricardo Motta (PSB). Com o PT da senadora Fátima Bezerra, há muitas resistências devido sua atuação na Câmara Federal e o peso negativo da imagem de Ricardo. Ele está envolvido com caudalosas denúncias de corrupção na Assembleia Legislativa e Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA). No palanque de Carlos Eduardo Alves (PDT), nada avançou. Existe veto do PP do deputado federal Beto Rosado. Não entra mais ninguém. Podem terminar ao lado do governador Robinson Faria (PSD) Blog Carlos Santos *
  • A CBF renovou os contratos com o treinador Tite e com o coordenador de Seleções, Edu Gaspar, até o final da Copa do Mundo de 2022, no Catar. Com isso, a Seleção Brasileira tem assegurada a continuidade do projeto por todo o próximo ciclo. Os profissionais já atuam na preparação para os dois próximos jogos amistosos, marcados para os dias 7 e 11 de setembro, nos Estados Unidos. – A CBF está investindo em um projeto de longo prazo ao garantir à Comissão Técnica seis anos e meio à frente da Seleção. Acreditamos que planejamento cuidadoso e execução criteriosa conduzirão o futebol brasileiro aos resultados que esperamos – afirma o diretor Executivo de Gestão da entidade, Rogério Caboclo.
  • O diretor geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Luís Eduardo Barata, informou nesta quinta-feira (26) que a bandeira tarifária deverá continuar vermelha em agosto, uma vez que o país enfrenta adversidades climáticas em razão da falta de chuva, predominante agora em julho. A bandeira tarifária vermelha (patamar 2) tem o custo adicional na conta de luz de R$ 5 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. A repetição da bandeira do mês de junho deve-se à manutenção das condições hidrológicas desfavoráveis e à tendência de redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN). “A bandeira vermelha deve continuar em agosto e a tendência é de que ela deva permanecer até o final do período seco. A situação hidrológica encontra-se em situação adversa de norte a sul do país e a chuva não cai”, explicou.
  • O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luiz Fux, disse ontem (26) que o tribunal será inflexível com candidatos ficha-suja que pretendem disputar as eleições de outubro. Segundo o ministro, quem estiver inelegível pela Lei da Ficha Limpa “está fora do jogo democrático”. “Com relação à Lei da Ficha Limpa, o tribunal demonstrou e demonstrará ser inflexível com aqueles que são considerados fichas-sujas, ou seja, aqueles que já incidiram nas hipóteses de inelegibilidade. O Tribunal Superior Eleitoral sintetiza sua atuação em um binômio: não à mentira e ficha suja está fora do jogo democrático”, afirmou. As declarações foram feitas durante evento no qual o TSE recebeu uma lista, do Tribunal de Contas da União (TCU), com nomes de 7,4 mil gestores públicos que tiveram as contas rejeitadas por tribunais de contas por irregularidades insanáveis. Com base nas informações, a Justiça Eleitoral poderá rejeitar os registros de candidatura dos citados.

Caciques do MDB definiram, em reunião na tarde desta segunda-feira, que será no dia 4 de agosto a convenção nacional do partido, onde será definido se o ex-ministro Henrique Meirelles, que tem 1% nas pesquisas de intenções de votos, será ou não candidato da legenda à Presidência da República. A data foi definida em encontro do presidente do MDB, senador Romero Jucá (RR), com os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia) e o coordenador político da campanha de Meirelles, João Henrique de Sousa.

Além de marcar a data, a estratégia definida pelos caciques em conjunto com Meirelles é que ele ligue para todos os 443 convencionais, aqueles que votam na convenção do MDB, para pedir votos. Integrantes da equipe do pré-candidato lembram que o gesto aos emedebistas é importante e é uma forma de agir que lembra a do presidente Michel Temer, que se dirige pessoalmente a parlamentares e dirigentes quando precisa de apoio, como quando enfrentou duas denúncias de corrupção.

São 443 convencionais com direito a voto. Quanto mais cargos o convencional ocupa, mais votos tem à disposição. Romero Jucá, por exemplo, vota quatro  vezes. O presidente Michel Temer tem ao menos três votos, assim como Moreira Franco.

  O Globo

Pessoas ligadas ao senador Garibaldi Alves estão percebendo que ele terá dificuldades de enfrentar uma campanha para o Senado em decorrência do seu estado de saúde.

Visivelmente pode-se constatar sua debilidade que se manifesta cada vez com mais intensidade.

Familiares e amigos preocupados com Garibaldi, estão aconselhando ele a disputar um mandato de deputado estadual e colocar seu filho Walter Alves na disputa do Senado. Garibaldi sendo candidato a deputado estadual e Walter Alves ao Senado, abre vaga para filha de Henrique Alves, Andressa Alves ser candidata a deputada federal.

Uma candidatura de Garibaldi Alves a deputado estadual fortaleceria a chapa do MDB para Assembleia Legislativa já que ele seria um grande puxador de votos.

Carlos Eduardo Alves tem tido dificuldades em receber apoios das lideranças do MDB.

Via Blog do Primo

Pelo menos nove diretórios regionais não querem que o MDB apresente candidato próprio à sucessão do presidente Michel Temer. O cálculo foi apresentado em jantar na quarta-feira, na casa do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), com políticos do MDB e outros partidos. Embora Temer tenha dito, ao Broadcast Político, que apenas “dois ou três diretórios” têm essa posição, a estratégia planejada pela cúpula da legenda consiste em evitar que uma aliança nacional atrapalhe as negociações nos Estados. O receio do comando emedebista é de que a impopularidade de Temer grude nos candidatos e prejudique o resultado nas urnas. Eunício conversou ontem com o presidente para tratar de votações no Congresso, mas, à saída, disse que ele o deixou “completamente liberado” para fazer coligações no Ceará, seu reduto eleitoral. Lá, o senador articula uma dobradinha para se reeleger em composição com o PT.
24
abr

Buscando apoio do Planalto

Postado às 12:16 Hs

Flávio Rocha busca apoio no MDB para disputa ao Planalto.

CEO das Lojas Riachuelo, Flávio Rocha, que é o pré-candidato do PRB à presidência da República, está em busca do apoio no MDB. A informação foi publicada pela coluna Expresso, da revista Época, nesta terça-feira, 24.

Na semana passada, Rocha afirmou que o partido dele estava negociando uma aliança com o MDB e que o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, presidenciável da sigla, seria um “bom vice”.

Nessa segunda-feira, 23, Flávio Rocha almoçou com o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, também do MDB. O encontro na residência oficial do chefe do Executivo capixaba foi registrado em postagem do próprio presidenciável em uma rede social.

De acordo com a Época, Rocha conta com um aliado entre os emedebistas, nome dado aos integrantes do que antes era o PMDB. Se trata de Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pré-candidato ao governo paulista, sendo o segundo colocado em pesquisa do instituto Datafolha, atrás de João Doria, do PSDB.

“O acordo proposto pelo presidente do PRB, pastor Marcos Pereira, é o de que quem estiver à frente nas pesquisas em agosto, ou Rocha ou o candidato do MDB, encabeça uma chapa, tendo o outro como vice”, revelou o jornalista Nonato Viegas, que assinou o texto.

set 19
quinta-feira
22 52
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
8 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5798784 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram