19
jan

Quem é que entende ?

Postado às 20:48 Hs

Desde o ano passado, na área política local, já se ouviu muito petista torcendo o nariz para o governador Eduardo Campos, reclamando de suas boas relações com o tucano Aécio Neves, em Minas Gerais, e com os democratas de São Paulo, que acabaram criando depois o PSD, com o prefeito de São Paulo Gilberto Kassab.

O ex-ministro José Dirceu, no ano passado, chegou a criticar o líder socialista pelas alianças, em um congresso nacional. Pois bem. Passou-se o tempo e, ante a necessidade de viabilizar o ex-ministro da Educação  Fernando Haddad como candidato viável em São Paulo, o pavão Lula, pragmático como sempre, depois de defenestrar Marta da disputa paulistana, deflagou uma campanha para convencer o PT a aceitar uma aliança, antes impensável, com o PSD, aquele que não é de direita, de esquerda nem de centro. No caso, Kassab não prestava antes e presta agora?

Eduardo não prestava antes e presta agora? Nenhum nem outro. Quem presta são só os petistas, sempre.

fonte: Blog do Jamildo

06
dez

Kassab o político do ano

Postado às 22:09 Hs

O presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD) e prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, recebe nesta terça-feira (dia 6/12) o título de Brasileiro do Ano na Política, atribuído pela revista Isto É, em função do sucesso registrado na criação do partido.

De acordo com a revista, o PSD, além da robusta bancada no Congresso, já conta com dois governadores, seis vice-governadores, 600 prefeitos, 200 deputados estaduais e quase seis mil vereadores.

Para definir o resultado da empreitada, a revista usou uma frase do ex-presidente Lula, quando informado sobre a criação da sigla: “Tacada de mestre”.

A homenagem ao presidente nacional do PSD ocorre em evento organizado pela publicação para entrega de troféus a cinco personagens que, segundo os organizadores, “empunham a bandeira da construção de um Brasil melhor”.

Além de Kassab, são eles: a presidente da República, Dilma Rousseff (Brasileira do Ano), o secretário da Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame (Brasileiro do Ano na Cidadania), o professor Antonio Candido (Brasileiro do Ano na Cultura) e o lutador Anderson Silva (Brasileiro do Ano no Esporte).

28
nov

Acordos…

Postado às 13:00 Hs

A direção do PT já começa a articular uma estratégia eleitoral na capital paulista que evite confrontos diretos com o prefeito Gilberto Kassab e deixe as portas abertas para uma eventual aliança com o PSD num segundo turno. A hipótese foi discutida neste fim de semana por dirigentes petistas e leva em conta um cenário de ruptura entre o PSDB e o partido de Kassab.

O tom da campanha, porém, já divide o PT. Correntes do partido que concordaram em apoiar a candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad, à Prefeitura de São Paulo exigiram que o petista critique a atual gestão de Kassab na capital. A saída para o imbróglio seria atacar programas e ações da Prefeitura sem mencionar diretamente o nome de Kassab nos ataques.

A preocupação da direção do PT é preservar alianças com Kassab em todo o Estado de São Paulo, sobretudo no ABC paulista. Em cidades como Osasco e Guarulhos, consideradas estratégicas para a sigla, a aliança entre os dois partidos já foi acertada.

Além da preocupação com o segundo turno, os petistas deram largada às negociações para as alianças que vão garantir a Haddad o maior tempo de TV possível na propaganda eleitoral. A prioridade, no momento, é assegurar o apoio do PR e evitar qualquer proximidade do partido com os tucanos.

Em relação ao PC do B, o senso comum petista aposta que uma intervenção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pode levar à desistência da candidatura do vereador Netinho de Paula. A condição seria oferecer ao partido a vaga de vice e fechar alianças em capitais exigidas pelo PC do B, como Porto Alegre (RS).

“Estamos abertos às alianças”, frisou o presidente nacional do PT, Rui Falcão, para em seguida emendar: “O PT não abre mão de ter candidato próprio, temos candidato”.

Fonte: Estadão

27
nov

Controlar continua na Devassa Paulista

Postado às 8:30 Hs

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, disse ontem (26), que vai manter o contrato da administração municipal com a empresa Controlar para realização de inspeções veiculares, obrigatórias na cidade. Kassab disse também que a decisão da Justiça de bloquear seus bens devido à contratação da Controlar será questionada pela Procuradoria-Geral do Município.

“Tenho respeito pelo Poder Judiciário, pelo MP [Ministério Público], mas estou muito tranqüilo em relação às nossas ações”, disse Kassab, durante visita ao Autódromo de Interlagos, onde neste fim de semana acontece o GP Brasil de Fórmula 1. “A prefeitura tem certeza que está correta“, disse.

Kassab e outros 22 réus, incluindo o secretário de Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, são acusados de improbidade administrativa por fraudes no sistema de inspeção ambiental veicular do município. Sexta-feira (25), uma liminar da 11ª Vara da Fazenda Pública determinou, além do bloqueio dos bens do prefeito, a realização de nova licitação para escolha de uma nova empresa para a inspeção.

Kassab, porém, disse que a Justiça não determinou que o atual contrato seja interrompido. Por isso, a Controlar continuará prestando serviços à prefeitura. “Existe uma decisão do juiz para que seja feita [uma nova licitação], não uma determinação para que se suspenda o programa, nem as atividades da Controlar”, justificou o prefeito.

Em nota, a Controlar informou sexta-feira que está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos sobre o caso. “A empresa reitera que toda sua atuação tem sido baseada em princípios de honestidade, ética, transparência e respeito à população”.

Fonte: Agência Brasil

25
nov

Kassab enrolado na Devassa Paulista

Postado às 13:03 Hs

O Ministério Público Estadual (MPE) pediu hoje o afastamento de Gilberto Kassab (PSD) do cargo de prefeito de São Paulo. Kassab, o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, seis empresas – entre elas a CCR e a Controlar – e 13 empresários são acusados de participar do que seria uma fraude bilionária: o contrato da inspeção veicular em São Paulo.

A ação da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social pede o bloqueio dos bens dos envolvidos, a perda dos direitos políticos e a condenação por improbidade administrativa dos acusados. O valor da causa dado pelos promotores Roberto de Almeida Costa e Marcelo Daneluzzi é de R$ 1,05 bilhão. A ação pede a suspensão imediata da inspeção veicular, a devolução dos valores de multas cobradas dos moradores de São Paulo, além de indenização por danos morais aos proprietários de veículos.

O problema, segundo o MPE, não é a ideia da inspeção, mas a forma como ela foi executada na cidade. Desde a constituição da empresa Controlar até as sucessivas prorrogações do contrato teriam sido feitas por meio de fraudes, como a apresentação de garantias falsas, documentos e informações falsas e, além de possíveis fraudes tributárias e fiscais. A ação foi apresentada no Fórum Helly Lopes Meireles, sede das Varas da Fazenda Pública de São Paulo.

Outro lado

A Controlar diz que ainda não foi notificada sobre a ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público. Segundo a empresa, a concessionária prestou todos os esclarecimentos solicitados pela Promotoria e teria assim comprovado a “lisura na implementação e no cumprimento do contrato de concessão.” Entre os benefícios do contrato declarados pela Controlar estão uma economia de R$ 78 milhões para o sistema de saúde municipal por causa da redução da poluição veicular.

24
nov

Sinal Fechado para Kassab em SP

Postado às 18:45 Hs

O Ministério Público de São Paulo pediu nesta quinta (24) o afastamento do prefeito, Gilberto Kassab (PSD). De acordo com o site do “Estado de S. Paulo”, Kassab, o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Eduardo Jorge, seis empresas (entre elas a CCR e a Controlar) e 13 empresários são acusados de participar de uma fraude bilionária no contrato do serviço da inspeção veicular na cidade.

A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social pediu o bloqueio dos bens dos envolvidos, a perda dos direitos políticos e a condenação por improbidade administrativa dos acusados. A ação pede a suspensão imediata da inspeção veicular, a devolução dos valores de multas cobradas dos moradores de São Paulo, além de indenização por danos morais aos donos de veículos.

De acordo com o MPE, o problema é a forma como a inspeção foi executada em São Paulo. A criação da empresa Controlar e as sucessivas prorrogações de contrato teriam sido fraudadas com apresentação de garantias, documentos e informações falsos.

13
ago

Festa do PSD em São Paulo

Postado às 21:38 Hs

Em convenção nacional neste sábado (13) em São Paulo, o Partido Social Democrático (PSD) elegeu a Executiva do diretório nacional. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, fundador do partido, foi eleito presidente nacional.

Foram eleitos para vice-presidente a senadora Kátia Abreu; o governador do Amazonas, Omar Aziz; o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo; e o ex-ministro da Previdência Social Roberto Brant. Kassab, Kátia Abreu, Raimundo Colombo e Brant deixaram o Democratas (DEM).

De acordo com o ex-deputado federal Indio da Costa (RJ), que foi candidato pelo DEM a vice-presidente na chapa de José Serra (PSDB) em 2010, a eleição da Executiva foi o último passo para o pedido de formalização da legenda no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que deve acontecer na próxima quinta-feira (18).

“Hoje foi um passo importante para a gente poder fundar efetivamente o partido”, disse Costa ao G1. O ex-deputado também terá um cargo na Executiva do partido será presidente do PSD no Rio de Janeiro.

Indio da Costa informou que a legenda não teme questionamentos de outros partidos. “Eles tem o direito de espernear, mas isso não quer dizer que isso vai atrapalhar a formação do partido. Eles podem criticar, reclamar, mas isso não atrapalha. Pelo contrário, vai mostrando que o partido nasce forte.”

Segundo Indio da Costa, o PSD deve ter cerca de 40 deputados “e tem mais uma turma dizendo que tem interesse” em entrar no partido. Ele explicou que muitas pessoas que devem integrar a legenda ainda não se desfiliaram de seus partidos pois aguardam a formalização oficial da legenda na Justiça Eleitoral.

Para o prefeito Gilberto Kassab, tudo tem sido feito “dentro da lei, com muito cuidado e transparência”.

“A Justiça Eleitoral vai se manifestar. Não temos dúvida nenhuma em relação à manifestação da Justiça Eleitoral. O partido deve ser criado em poucos dias. A lei define nove estados para que sejam feitas convenções. Fizemos convenções em 20 estados. A lei define um mínimo de 480 mil assinaturas de apoiamento, e já ultrapassamos esse nível de assinaturas. Em poucos dias, teremos definitivamente o partido implantado no país”, declarou Gilberto Kassab à CBN.

Eleição municipal
Segundo a Agência Estado, Kassab disse que a disputa municipal em São Paulo deve polarizada entre PSD e PT. Para ele, o PSDB não está preparando uma candidatura forte para 2012. “Eu não vejo o PSDB preparando uma candidatura com conhecimento da cidade e conhecimento de gestão.”

Kassab afirmou que não há indicações sobre a possibilidade de o ex-governador José Serra (PSDB) ou de o senador Aloysio Nunes (PSDB) saírem como candidatos. “Se fossem, teriam o nosso apoio”, disse.

Fonte: G1

20
jun

PSD em fase de criação

Postado às 17:21 Hs

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirmou nesta segunda-feira (20) que paga do próprio bolso as viagens que faz pelo país para promover a criação do seu novo partido, o PSD.

Questionado durante sabatina da Folha e do UOL como financia a nova sigla, que ainda não foi registrado, o prefeito alegou que a coleta de assinaturas “não tem custos”.

“O trabalho [de coletar assinaturas] não tem custo nenhum. São feitos por vereadores e pela militância”, disse Kassab. “As viagens foram pagas com recursos pessoais”, completou.

Durante duas horas, Kassab respondeu a perguntas de quatro entrevistadores, da plateia e dos internautas.

09
Maio

PSD continua crescendo…

Postado às 8:57 Hs

1874257-3576-atm14O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, afirmou hoje em Teresina, onde esteve para fundar o PSD no Piauí, que o partido adotará uma linha de independência política pela miscigenação e o número de adesistas. “Vamos conviver com uma transição, aqueles que apoiaram a presidenta Dilma continuam. Aqueles não apoiaram terão liberdade para dar apoio em alguns momentos ou não dar apoio, de acordo com sua convicções”, afirmou Kassab, ainda numa linha liberal.

Kassab disse que não acredita em possíveis retaliações de quem estaria saindo do PSDB ou aliados do governo de São Paulo para o PSD. “Não acredito que o governador de São Paulo, um político experiente, um homem público, um democrata que sabe da importância, na democracia, da convivência de todos entre si, faça isso. Não acredito nisso.”, comentou o prefeito.

Falando sobre a fundação do PSD, Kassab disse que “a prioridade zero é fundar o partido e depois disputar as eleições em 2012.” Para isso, ele tem viajado todo o Brasil e mantido entendimento com políticos dos mais variados partidos. “O partido é independente pela peculiaridade da sua formação. No ano seguinte às eleições presidenciais, não tem sentido um partido nascer com uma visão de trazer incoerência com seus membros. No Piauí, por exemplo, uns membros tiveram conduta na eleição presidencial e outros membros outra conduta. Então vamos conviver com esta transição. Cada um segue as suas convicções”, acrescentou.

O prefeito de São Paulo pousou no aeroporto de Teresina e foi recepcionado por uma comitiva de vários políticos, de vários partidos entre deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e o prefeito de Teresina, Elmano Ferrer (PTB), que foi filiado ao PSD. Depois o governador do Piauí, Wilson Martins (PSB), integrou a comitiva no ato político realizado no teatro da Assembléia Legislativa do Piauí.

Fonte: Estadão

01
Maio

Mais sobre o Encontro do PSD

Postado às 10:20 Hs

Tá em Robson Pires:

O deputado Fábio Faria, durante a solenidade de fundação do PSD, anunciou o número da legenda do partido: 30

Ele será usado pelos integrantes em todo o Brasil e falou da criação do grupo no Rio Grande do Norte.

“Vamos lhe entregar (Kassab) mais de 20 mil assinaturas para a fundação do partido”, garantiu.

As assinaturas devem ser encaminhadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nas próximas semanas.

Quando começava a surgir o PSD, do prefeito paulista Gilberto Kassab, falava-se numa fusão com PSB, comandado nacionalmente pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos .

Depois de uma série de entendimentos entre as duas correntes, foi preferível trocar o termo “fusão” por “composição” de uma aliança ampla desde o nível nacional até os municípios.

Resposta de Kassab:

Em Natal, o líder paulista optou pela ironia ao responder às recentes críticas feitas pelo senador do DEM (ex-legenda de Kassab), que disse ser o PSD “um partido a serviço do Palácio do Planalto”. Ao ser questionado sobre a acusação feita pelo senador José Agripino, Kassab afirmou: “Eu desejo muita sorte ao senador José Agripino. Sei que ele vive um momento difícil, de angústia”.

30
abr

PSD nasce forte no RN

Postado às 19:34 Hs

O vice-governador Robinson Faria disse que o PSD nasce no Rio Grande do Norte em total harmonia com o grupo político liderado pela governadora Rosalba Ciarlini.
Segundo Robinson, o PSD será fiel, leal e parceiro do projeto político da governadora. “O PSD não nasce de nenhum ato de rebeldia, não nasce de nenhum ato de discórdia. Pelo contrário, nasce em total harmonia com o projeto e a caminhada política da governadora Rosalba Ciarlini”, enfatiza o vice-governador.
Em relação aos planos eleitorais para o futuro, Robinson Faria enfatiza que o PSD vai discutir tudo com a governadora. “Vamos discutir com a governadora Rosalba o que será melhor para o nosso grupo. Tudo será discutido com ela. O PSD não vai competir em nenhum momento com o grupo de Rosalba, porque é um grupo só. Vice-governador e governadora formam um corpo só. Não são corpos separados. É um só pensamento, um só sentimento”, assinala Robinson.
As declarações do vice-governador foram dadas ao jornalista Aldemar de Almeida e publicadas na edição desta sexta-feira(29) do jornal Metropolitano.
Encontro do PSD em Natal

Na tarde deste sábado (30), em evento realizado no Praiamar Hotel, em Natal, foi lançado o Partido Social Democrático (PSD) no Rio Grande do Norte. Lideranças de todo o Estado participaram do lançamento, ao lado do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, do vice-governador Robinson Faria, do deputado federal Fábio Faria e de deputados estaduais Ricardo Motta, presidente da Assembleia, Gesane Marinho, Raimundo Fernandes, José Dias e Vivaldo Costa

Para Fábio Faria , a nova legenda traz possibilidades de mais recursos e obras para o Rio Grande do Norte. “Estou aqui por acreditar no futuro, no futuro do Estado, no futuro do país, que será desenhado pelo Partido Social Democrático. Esse grupo vai estar unido, e trará muitos benefícios ao povo norte-rio-grandense, ampliando a atuação do governo de Robinson e Rosalba, e contando também com o apoio do governo federal”, afirmou Fábio.

O deputado federal também enalteceu a liderança de Robinson Faria e a confiança de tantos representantes do RN na orientação do vice-governador. “Ele lidera o nosso grupo e arregimenta um grupo imenso de lideranças. Cada um aqui é líder no seu município. Estamos diante de uma classe política forte, bem representada”, ressaltou. Informações de Robson Pires.

27
abr

@ @ É Noticia… @

Postado às 21:43 Hs

  • O evento de sábado(30) em Natal, com a presença do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, dará uma idéia dos políticos que irão ingressar no PSD. O vice-governador Robinson Faria e os seus correligionários com certeza arregimentarão um grande número de prefeitos, vereadores e lideranças políticas para participar do encontro com Kassab. Resta saber se alguma liderança do DEM irá participar do evento.Será a tarde e não mais pela manhã, o prefeito de Assú Ivan Júnior trocará de partido indo para o PSD.
  • O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf (PSB-SP), foi convidado hoje para ingressar no PMDB pelo deputado federal Henrique Alves, líder do partido na Câmara.
    Henrique recebeu Skaf na liderança do PMDB e fez o convite em nome do partido. Skaf não respondeu afirmativamente a Henrique, mas também não descartou seu ingresso no PMDB.
  • A decisão do Supremo Tribunal Federal dando às coligações as vagas deixadas por parlamentares titulares mexe novamente com a composição da Câmara Municipal de Natal. Deixarão as cadeiras os suplentes Dinarte Torres (PV) e Rejane Ferreira (PMDB) – que eram os suplentes dos partidos – para dar lugar aos suplentes das coligações, Fernando Lucena (PT) e Assis Oliveira (PR).
  • O deputado Leonardo Nogueira (DEM) atribuiu o aumento do índice de homicídios em Mossoró ao avanço do consumo de crack. O parlamentar afirmou, nesta quarta-feira, 27, que a insegurança é um problema herdado do governo passado e apresentou algumas ideias da Secretaria de Defesa Social da cidade para serem implantadas pelo governo atual.
  • O bispo diocesano Dom Mariano Manzana vai inaugurar mais duas paróquias em Mossoró até o mês de setembro. A sétima será oficializada no próximo dia 13 de maio, data de Nossa Senhora de Fátima, que dá o nome à capela do Abolição II que após 32 anos finalmente ganha a condição de paróquia.
  • Foi lançada oficialmente na manhã desta quarta-feira (27) a campanha de vacinação contra a febre aftosa. A solenidade, realizada no Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim-RN, teve a presença da governadora Rosalba Ciarlini, que, simbolicamente, vacinou um animal do rebanho potiguar. A vacinação acontecerá entre os dias 1° e 30 de maio, com a expectativa de imunizar cerca de 90% do rebanho do estado. De acordo com o presidente da Associação Norte-rio-grandense de Criadores – Anorc, Marcos Teixeira, o objetivo da campanha é erradicar a doença mo RN.
  • Chuvas trazem de volta a proliferação do mosquito da dengue, é preciso muita vigilância não só na nossa casa como na dos outros. olho vivo.
13
abr

PSD já nasce um partido grande e forte

Postado às 19:15 Hs

Perguntado se a nova legenda apoiará o governo da presidente Dilma Rousseff, o prefeito paulista saiu pela tangente: “O partido nasce independente”, respondeu, explicando que os parlamentares que fizeram campanha ao lado da petista “terão total liberdade para continuar apoiando o governo dela”. Quem não a apoiou, está liberado para votar a favor dos projetos “que estiveram de acordo com suas convicções”, resumiu.

No discurso de lançamento da nova sigla, Kassab disse aos cofundadores que o PSDB está disposto a ajudar a presidente Dilma: “Queremos ajudá-la a governar, torcemos para que o seu governo dê certo. Mas isso não significa atrelamento. Campanha é campanha, governo é governo”, avisou o prefeito, sinalizando que o PSD já nasce de olho nas eleições de 2012 e, principalmente, 2014.

O vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, disse que a expectativa é recolher as 500 mil assinaturas em até 90 dias. O objetivo é registrar o partido junto à Justiça Eleitoral até julho, quando se pretende eleger a Executiva Nacional.

Kassab adiantou que não será o presidente nacional da sigla, porque considera a função “incompatível” com seu mandato à frente da Prefeitura de São Paulo. Mas afastou especulações de que o cargo estaria reservado para a senadora Kátia Abreu (TO), de saída do DEM. “Seria um desrespeito definir isso sem ouvir os demais companheiros”, afirmou.

Com a adesão inicial de 31 deputados federais, o PSD já nasce com uma bancada maior que a de legendas de médio porte, como PDT e PPS. A expectativa é atingir 40 deputados federais. A sigla nasce, ainda, com um governador (Omar Aziz, do Amazonas), cinco vice-governadores, dois senadores (Kátia Abreu e Sérgio Petecão, do Acre), dezenas de prefeitos e deputados estaduais.

07
abr

Retaliações dos Democratas

Postado às 15:33 Hs

Tá na Folha de São Paulo:

O comando nacional do DEM decidiu nesta quinta-feira abrir processo disciplinar contra o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, por ter utilizado a estrutura do partido para registrar na internet o domínio de seu novo partido, o PSD (Partido da Social Democracia).

A Executiva Nacional do DEM, a pedido do deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), abriu o processo por considerar que Kassab infringiu o estatuto da sigla.

“Estando fora do partido, ele usou uma estrutura que é do DEM. Mas será dada a oportunidade dele se defender”, disse o presidente da sigla, senador José Agripino Maia (RN).

O processo disciplinar prevê penalidades que vão da advertência à expulsão. O gesto, segundo lideranças do DEM, é um recado para mostrar a Kassab que não poderia ter utilizado a estrutura do partido depois de já ter anunciado a sua desfiliação.

O objetivo da Executiva não seria expulsar o prefeito, já que Kassab deve nos próximos dias assinar a ata de criação do PSD, mas sim dar uma resposta pública ao gesto do prefeito.

Segundo ACM Neto, o prefeito descumpriu um dos artigos do estatuto do DEM ao realizar atividade política “contrária aos interesses partidários”.

Kassab, por ainda estar na presidência dos diretórios regional e municipal do Democratas, também teria deixado de cumprir os “deveres atinentes às funções partidárias” –como previsto no estatuto.

RELATOR

Agripino designou o deputado Mendonça Filho (DEM-PE) para relatar o caso. O prefeito vai ter o prazo de oito dias para apresentar a sua defesa à Executiva Nacional que, em seguida, vai decidir a penalidade a ser aplicada.

Kassab se apossou das iniciais JK, do presidente Juscelino Kubitschek, e registrou na internet o domínio jk.org.br.

O PSD, legenda que tem o prefeito como idealizador, carrega o mesmo nome da legenda em que Juscelino Kubitschek foi candidato na década de 50. O site está em nome de uma comissão provisória do DEM, mas Kassab aparece como “responsável” pelo domínio.

Segundo Agripino, o partido já tomou providências para devolver o domínio à família de JK.

Na reunião da Executiva, o senador leu carta da neta de Juscelino Kubitschek, Ana Cristina, agradecendo o gesto ao partido. O DEM vai fazer um ato oficial de entrega do domínio à família.

01
abr

Robinson Faria vai comandar PSD no RN

Postado às 22:01 Hs

O vice-governador do Estado, ex-deputado estadual Robinson Faria (PMN) esteve ontem em São Paulo, oportunidade em que se reuniu com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, fundador do Partido Social Democrático (PSD), nova agremiação partidária no Brasil e que tem recebido membros dissidentes dos Democratas (DEM).

Entrevistado ontem no Jornal do Dia (TV Pontanegra), o atual presidente do Partido da Mobilização Nacional confirmou que foi convidado pelo prefeito paulista para conversar a respeito da criação do PSD no Rio Grande do Norte.
Robinson Faria revelou ainda que participaram da reunião ocorrida ontem à tarde com Gilberto Kassab, o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado estadual Ricardo Motta (PMN), além do deputado estadual Raimundo Fernandes.

O vice-governador do Estado disse ainda que outros parlamentares e lideranças políticas em nível de Estado não puderam participar do encontro, mas o autorizaram a falar em nome deles a respeito do ingresso a nova agremiação partidária do país.
“O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, nos convidou para ingressar no Partido Social Democrático e assumir o controle do partido no Rio Grande do Norte e nós viemos eu, os deputados estaduais Ricardo Motta, Raimundo Fernandes, além do deputado federal Fábio Faria. E nós viemos a São Paulo para ouvir quais as intenções do PSD com relação ao Rio Grande do Norte. O prefeito de São Paulo quer nos entregar o comando do PSD no Rio Grande do Norte e viemos com esse objetivo”, explicou Robinson.

19
mar

Bahia será o local do lançamento do PSD

Postado às 12:28 Hs

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (no momento no DEM), marcou para domingo (20.mar.2011) o lançamento do seu novo partido político. Será às 10h, em Salvador, na Bahia.

É uma decisão relevante do ponto de vista político-geográfico. A nova sigla terá pouca presença no Nordeste. Será uma forma de tentar nacionalizar a iniciativa.

O ato em Salvador terá a presença do vice-governador da Bahia, Otto Alencar (hoje no PP). São esperadas as adesões de mais 5 deputados federais baianos, 7 ou 8 deputados estaduais e cerca de 100 prefeitos.

O primeiro ato de lançamento do partido seria no sábado (19.mar.2011), mas a visita do presidente dos EUA, Barack Obama, atrapalhou os planos de Kassab.

Estava pré-agendado um evento na capital do Amazonas com a presença do governador daquele Estado, Omar Aziz (PMN), e do prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB). Mas os governadores foram convidados para estar em Brasília no sábado –e o ato de Kassab com esses dois novos aliados ficou adiado para os próximos dias.

Chamada previamente de PDB (Partido da Democracia Brasileira), a agremiação de Kassab será batizada de PSD (Partido Social Democrático). Essa legenda já existiu no Brasil, de 1945 a 1965, quando foi extinta pela então ditadura militar em vigor no país.

Assessores de Kassab fizeram uma pesquisa e descobriram que o nome PSD está livre e pode ser adotado do ponto de vista legal. Foi o partido de políticos famosos, como Juscelino Kubitschek e Ulysses Guimarães. Kassabistas dizem que a marca da nova sigla será o desenvolvimentismo e uma homenagem a JK.

Na realidade, o nome provisório, PDB, acabou sendo massacrado pelos adversários de Kassab nas últimas semanas. Muitos usaram o acrônimo para fazer uma anedota, dizendo se tratar do “partido da boquinha”.

Diferentemente dos sinais emitidos nos últimos dias, Kassab esteve sempre decidido a fazer o novo partido –um assunto que vem sendo ventilado há meses nos bastidores políticos. O prefeito paulistano crê num esgotamento do Democratas, sigla nascida da Arena (que deu suporte à ditadura militar), depois transmutada em PDS, PFL até chegar ao atual nome.

Entre os kassabistas, o argumento para montar o novo partido é o seguinte: “Não se trata de indagar que poucos vão aderir agora –e não serão poucos. Mas é o caso de perguntar quantos políticos de bem e com potencial eleitoral pretendem se filiar ao DEM. Possivelmente ninguém vai aderir ao DEM nos próximos meses. Pelo contrário, haverá saída de políticos. Esse movimento vai existir com ou sem partido novo”.

Para viabilizar o PSD, Kassab anunciará seu desligamento da direção da seção do Democratas no Estado de S.Paulo. Ele hoje é o presidente da legenda no Estado. Continuará filiado, mas deixará já oficializada na 2ª feira (21.mar.2011) sua intenção de criar uma nova legenda. Haverá um ato na Assembleia Legislativa de São Paulo para marcar o lançamento da legenda em solo paulista.

Para montar um partido há algumas regras as serem seguidas, mas uma das principais é viabilizar a entidade em pelo menos 9 Estados (ou em 9 Estados e no Distrito Federal, como explica o post abaixo).

Os noves Estados nos quais serão coletadas assinaturas para criação da nova legenda são os seguintes: Acre, Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins.

Kassab e seus aliados esperam ter as assinaturas necessárias –pouco menos de 500 mil –até a metade deste ano.

Em 2012, o PSD vai disputar prefeituras municipais. Em 2014, pode se fundir com outras siglas ou continuar seguindo carreira solo, a depender do primeiro teste do ano que vem.

p.s.: alguns internautas apontam erro em dizer que a Arena virou PDS, PFL e DEM. Não há erro. A Arena é o partido-mãe. Virou PDS. Do PDS, nasceram vários, inclusive o PFL.

Fonte: Blog de Fernando Rodrigues

O vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, confirmou nesta sexta-feira que deixará o DEM para fundar um novo partido ao lado do prefeito Gilberto Kassab.

“Vou conversar com o Kassab hoje para fazer as confirmações finais. Mas a decisão é esta [sair para criar um novo partido]“, disse Afif.

No dia 24 de fevereiro, a Folha revelou que o prefeito deixaria o DEM para fundar um novo partido e que levaria o vice de Geraldo Alckmin com ele.

Com a movimentação, Kassab espera consolidar uma terceira via política no Estado e viabilizar sua candidatura ao Palácio dos Bandeirantes em 2014. O plano incomoda o palácio, já que Kassab desponta para a sucessão de Alckmin, que poderá concorrer à eleição.

Apesar disso, Afif garante que a “aliança” com o governador será mantida. “Sou o vice-governador do Estado e vou cumprir até o fim a minha aliança com o Geraldo Alckmin”, disse.

Afif e Kassab almoçarão hoje para acertar os últimos detalhes. Eles deverão formalizar o anúncio do novo partido na segunda-feira. Kassab já reservou um auditório na Assembleia Legislativa para um “ato político” na data.

O partido fundado por Kassab, até então chamado de PDB (Partido da Democracia Brasileira), terá o nome definitivo decidido hoje.

Em ato na Assembleia Legislativa na segunda-feira, 21, às 12:30, o prefeito paulistano, Gilberto Kassab (DEM), anuncia a criação do PSD (Partido Social  Democrático). Será feita uma entrevista para a imprensa e a leitura de um manifesto de lançamento da sigla.

Acompanham o prefeito no ato o vice-governador Guilherme Afif Domingos (DEM), o secretário de Negócios Jurídicos, Cláudio Lembo, deputados federais e prefeitos.

Nas contas do grupo ligado a Kassab, migram para a nova legenda nas próximas três semanas cerca de dez deputados federais. Também são esperados para ingressar nas fileiras do partido os prefeitos de Itu, Herculano Castilho Passos Júnior (PV), de Mogi das Cruzes, Marco Bertaiolli (DEM), e de Ribeirão Preto, Dárcy Veras (DEM) – apesar de o grupo de Kassab contar com a vinda da prefeita, ela tem emitido sinais de que ainda não decidiu o futuro político.

Há também a expectativa de que os deputados Arnaldo Jardim e Dimas Ramalho, ambos do PPS, entrem na nova legenda.

Conforme revelou o Estado na última terça-feira, os planos de fusão com o PSB ou PMDB estão fora da pauta no momento. O PSD buscará as legendas para se coligar na eleição de 2012 e, assim, contar com tempo de TV na campanha eleitoral.

Fontes:  Folha Online/Estadao

16
mar

Kassab é alvo de críticas…

Postado às 9:26 Hs

Antes de confirmar nessa terça-feira, 15, o senador José Agripino Maia (RN) como seu novo presidente, o comando do Democratas deflagrou uma operação para frear as dissidências do partido, provocadas pela iminente desfiliação do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Em troca de permanência e fidelidade, a cúpula do DEM ofereceu espaços e oportunidades para aliados do prefeito, como o deputado Rodrigo Garcia (SP), que pode até ser candidato à sucessão de Kassab

Ex-líder da bancada do Democratas, o deputado federal Onyx Lorenzoni (RS) aumentou nessa terça-feira, 15, o tom crítico contra o movimento dissidente aberto pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Depois de apelidar o PDB de “Partido da Boquinha”, Onyx afirmou que não aceitará que permaneçam no DEM parlamentares que ajudem o prefeito a criar a nova legenda.

Por que o senhor adotou esse discurso duro contra os chamados “dissidentes” do DEM?
Minha preocupação é com a criação de uma figura inexistente no Parlamento. Não só no meu partido, mas em todos os outros, que é o deputado zumbi: um morto vivo. Quem não estiver na ata de criação, não é fundador. Então, o cara vai lá assinar e fica no DEM? No PSDB? No PT?

Esse deputado pode, então, ficar no DEM, mas não vai ter vida partidária?
Ele vai para a Sibéria. E todos os partidos vão congelar o sujeito.

O que explica o recuo dos integrantes do partido que anunciavam seguir Kassab no PDB?
Ele já iludiu o que chega. No DEM, estamos mega vacinados contra Cavalo de Troia. Nosso maior foi ele (Kassab). Como ele não tem compromisso partidário ideológico, achou que todo mundo ia lhe acompanhar.

Fonte: Estadão

set 18
sábado
07 18
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
41 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.879.123 VISITAS