O vereador mossoroense João Gentil estará à frente do partido Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte. Em nota, a executiva estadual da legenda informou a sua filiação. O parlamentar esteve recentemente com a porta-voz nacional do partido, ex-senadora Marina Silva, em Brasília. Ele deve ser nomeado oficialmente após a legenda, em nível de estado, superar problemas com a Justiça Eleitoral, como a falta de prestação de contas de gestões anteriores.

João Gentil foi eleito vereador pela primeira vez pelo Partido Verde, depois presidiu o Patriota no RN por apenas quatro meses em 2019 e agora chega ao seu terceiro partido.

 

Nota aos filiados e simpatizantes da REDE Sustentabilidade no Rio Grande do Norte

A Executiva Nacional da REDE Sustentabilidade, diante de informações incorretas divulgadas por membros do partido no Rio Grande do Norte sobre o atual estágio de organização e de adesão de novos membros, se faz obrigada a esclarecer e expressar a posição do partido sobre os fatos abaixo:

No Rio Grande do Norte a Direção Estadual da REDE Sustentabilidade não está legalizada em decorrência de pendências legais administrativas com a justiça eleitoral, como a falta de prestação de constas de gestões anteriores (anos 2015, 2016. PC nº 98-62.2016.6.20.0000 e n.º 43-77.2017.6.20.0000 respectivamente). Vários esforços estão sendo realizados pela Executiva Nacional para superar este problema, inclusive a assunção de dívida junto a justiça eleitoral.
Após superação das pendências administrativas junto a Justiça Eleitoral, a Executiva Nacional nomeará uma Comissão Provisória Estadual para uma retomada da construção partidária.
Neste sentido, não há no Rio Grande do Norte uma direção estadual e nem responsáveis que possam falar em nome da REDE neste momento. Inclusive alguns filiados que estão divulgando notas em redes sociais, blogs e meios de comunicação como Direção Executiva Estadual, com informações incorretas e de má fé, prejudicando a imagem do partido no Estado, serão submetidos à Comissão de Ética Nacional.
Ao mesmo tempo que estão sendo realizados esforços para superação destes desafios, a REDE Nacional tem a grata satisfação de anunciar a sociedade Potiguar a entrada do vereador João Gentil de Mossoró na REDE Sustentabilidade, juntamente com um conjunto de novos filiados em todo o estado.
A Direção Nacional reafirma seu compromisso para reorganização da REDE no Rio Grande do Norte, a altura da importância que este Estado do Nordeste Brasileiro tem para política nacional e a construção de uma sociedade socialmente justa, economicamente viável e ambientalmente sustentável.
Brasília, 11 de setembro de 2019.

Executiva Nacional da REDE Sustentabilidade

Informes: Blog Saulo Vale & Heitor Gregório

A Rede Sustentabilidade lançou oficialmente neste sábado (7) a pré-candidatura da ex-senadora e ex-ministra Marina Silva à Presidência da República. A pré-candidatura de Marina foi aprovada no congresso nacional do partido.
Ainda não há definições sobre chapa e coligações, que serão feitas na convenção partidária prevista para o final de julho.
Em seu discurso, Marina lembrou que é a terceira vez que se coloca como candidata à Presidência e que o momento político do Brasil torna sua decisão necessária.
“Nunca foi tão necessária a decisão de estar aqui hoje, pelo momento que estamos vivendo. Momento que não é de celebração, mas de tristeza por um lado. Um ex-presidente da República, que poderia estar apto para fazer o que quisesse na política, estar sendo interditado pela Justiça por erros que cometeu”, disse.

Para ela, a decretação de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é uma esperança de que, agora, a lei passará a valer para todos.
“Isso não deve ser motivo de celebração, mas por outro lado é uma sinalização de que podemos começar a ter esperança de que está se iniciando um tempo de que a lei será igualmente para todos”, afirmou.
A ex-ministra também criticou nominalmente alguns políticos e o foro privilegiado, que permite a autoridades e congressistas serem julgados somente no Supremo Tribunal Federal (STF).
“Que não se permita mais que os Renans, os Aécios, os Padilhas e os Temers fiquem impunes sob o manto do foro privilegiado. Não podemos ter uma justiça que tenha dois pesos e duas medidas”, disse.

Sem mencionar o apoio no segundo turno da eleição de 2014 à candidatura de Aécio Neves, atualmente investigado na Operação Lava Jato, Marina Silvaa firmou que neste ano o Brasil sabe a “verdade” que não sabia em 2014.
“A sociedade vai votar conhecendo a verdade, e o nosso grande desafio é o que fazer com essa verdade. Agora, nós sabemos quem é quem. Ética não é para ser usada como bandeira, é obrigação”, disse.

Fonte: G1

Enquanto as principais forças políticas do País já se movimentam objetivamente para a disputa presidencial de 2018, a Rede Sustentabilidade, partido da ex-ministra Marina Silva, terceira colocada na eleição de 2014, enfrenta dificuldades financeiras, uma crise ideológica e se vê diante da ameaça de debandada de filiados. Esse é o quadro apresentado ao Estado por militantes, assessores e dirigentes do partido, que falaram em caráter reservado. Após ter o registro aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral em setembro de 2015, a Rede ainda tem estrutura de partido “nanico”, o que ficou evidenciado também no fraco desempenho de seus candidatos nas eleições municipais do ano passado.

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso determinou nesta segunda-feira (9) a concessão de mais 30 dias para que parlamentares possam se filiar à Rede Sustentabilidade, partido liderado pela ex-senadora Marina Silva, sem o risco de perderem o mandato.

O ministro acolheu, em parte, uma ação apresentada pela Rede ao STF questionando a legalidade de uma regra recém aprovada pelo Congresso e sancionada pela presidente Dilma Rousseff que alterou o prazo de filiação de deputados para novas legendas.Pela nova “janela”, os deputados só poderiam mudar de partido sete meses antes da eleição, portanto, a troca só poderia ser feita em março de 2018.

A decisão do ministro pode aumentar o tempo de TV e recursos do Fundo Partidário, benefícios vitais para a sobrevivência das legendas e que são calculados de acordo com a bancada de deputados.Até agora, a Rede filiou cinco deputados e teria direito neste ano R$ 196 mil do fundo partidário, fatia do benefício que é dividido entre todas as agremiações com registro na Justiça Eleitoral. (Agência de Notícias)

Presidente da REDE Sustentabilidade, Marina Silva, esteve em Natal cumprindo agenda profissional, e aproveitou a oportunidade para se reunir com a Executiva Estadual do partido no Rio Grande do Norte.

Na ocasião, ela também se encontrou com Francielle Lopes, ex-candidata a prefeita de Caicó, que, recentemente, assinou sua ficha de filiação ao novo partido.Francielle Lopes falou de sua trajetória política para Marina Silva e do seu desejo em construir uma nova política no Rio Grande do Norte, agora filiada à REDE Sustentabilidade.

“A REDE chega com o propósito de fazer uma política diferente do que está aí. E a trajetória de lutas de Marina Silva tem muito a ver com os ideais do nosso grupo político”, afirmou Francielle, que recebeu total apoio de Marina em seu desejo de se candidatar à prefeitura de Caicó.

Ao lado da ex-ministra Marina Silva, o senador Randolfe Rodrigues oficializou nesta segunda-feira (28/9) seu ingresso na Rede Sustentabilidade, partido fundado por Marina e que obteve registro na semana passada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Randolfe anunciou ontem sua saída do PSOL. Único senador eleito pelo partido, Randolfe destacou sua admiração pela trajetória de Marina e afirmou que sua escolha “não é um outro caminho” e sim “um novo jeito de caminhar”.

“Estou fazendo um encontro de velhos companheiros que há muito tempo escolheram uma jornada para caminhar”, disse. “Estou apostando muito no que virá a ser a Rede.” Randolfe disse ainda que não tem mágoa com o PSOL e reafirmou que o partido é “irrepreensível do ponto de vista ético e de prática parlamentar irretocável”. Desde o anúncio da criação a Rede Sustentabilidade, o partido já conta com pelo menos quatro adesões de políticos com mandato no Congresso Nacional.

Além de Randolfe, os deputados Miro Teixeira (ex-Pros/RJ); Aliel Machado (ex-PCdoB/PR); e Alessandro Molon (ex-PT/RJ) já anunciaram sua adesão. A ex-senadora Heloísa Helena, que hoje atua como vereadora em Maceió, também deixou o PSOL e foi para a Rede. Também já aderiam ao partido os deputados distritais Chico Leite, que deixou o PT, e Luzia de Paula, de saída do PEN. A expectativa é que o partido anuncie a adesão de mais um nome, provavelmente um deputado federal, ainda hoje.

23
set

Mais um partido…

Postado às 11:48 Hs

TSE REGISTRA REDE SUSTENTABILIDADE, PARTIDO FUNDADO POR MARINA SILVA

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou nesta terça-feira (22) a concessão de registro para a Rede Sustentabilidade, partido idealizado pela ex-ministra e ex-senadora Marina Silva.Com a decisão, a legenda fica apta a receber filiados e lançar candidatos para as eleições de 2016. É o 34º partido do país – no último dia 15, o TSE tinha autorizado o 33º, o Partido Novo.

Os fundadores da Rede tentaram obter o registro em 2013, a fim de lançar Marina candidata à Presidência pela legenda no ano passado, mas tiveram o pedido negado por falta do apoio mínimo necessário na ocasião. A ex-senadora acabou disputando a eleição presidencial porque se filiou ao PSB e integrou, como vice, a chapa encabeçada pelo ex-governador Eduardo Campos. Ela se tornou candidata a presidente após a morte de Campos em um acidente aéreo – obteve 22,1 milhões de votos e ficou em terceiro lugar, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

Em 2013, a Rede havia apresentado assinaturas de 442 mil eleitores validadas pelos cartórios eleitorais, mas a lei exigia 492 mil, o equivalente a 0,5% dos votos dados para os deputados federais nas eleições de 2010.Em maio deste ano, Marina apresentou outras 56,1 mil assinaturas, somando apoio de 498 mil eleitores, acima do exigido atualmente (486,6 mil eleitores). (G1)

A Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) encaminhou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um parecer favorável ao registro da Rede Sustentabilidade como partido político. A agremiação política foi idealizada pela ex-senadoraMarina Silva, que disputou as eleições presidenciais de 2014 pelo PSB após a morte de Eduardo Campos, há um ano.

No documento encaminhado ao TSE, o vice-procurador-geral eleitoral, Eugênio Aragão, entende que o grupo conquistou a quantidade mínima necessária de assinaturas e que, por isso, deve ter o pedido de registro aceito pela Corte. Para o procurador, a Rede não se enquadra na nova legislação, válida a partir deste ano, que dificultou o processo de criação e fusão de partidos. A partir de agora, devem ser aceitos apenas os apoios apresentados por eleitores que não possuem filiação partidária.

27
jan

* * * Quentinhas … * * *

Postado às 10:35 Hs

* * * Mesmo que se tenha como certa a indicação do ex-deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB) para ocupar a pasta do ministério do Turismo no governo da presidente Dilma Rousseff (PT) não está descartado o nome do senador Garibaldi Alves Filho (PMDB) na disputa pela presidência da Casa. Embora ele negue. Mas, se tiver chance de vencer ele entra. Aposte. Há uma movimento no senado para derrotar Renan Calheiros da presidência. * * *

* * * O número de partidos com pedido de criação nos tribunais regionais eleitorais dos estados ultrapassa 40. Mas a soma pode ser ainda bem maior. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nem todos os tribunais disponibilizam esses dados na internet. Além disso, algumas siglas estão registradas em cartório, mas ainda colhem assinaturas para a legalização, fase anterior ao protocolo do pedido de registro nos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). Legendas como PMB (Partido Militar Brasileiro) e Rede Sustentabilidade já contam com mais de 400 mil assinaturas de eleitores em pelo menos um terço dos estados, conforme exige o TSE. * * *

* * * A ex-senadora Marina Silva afirmou ontem, em evento da Rede Sustentabilidade no Rio, que o partido vai entrar com um novo pedido de registro no Tribunal Superior Eleitoral até a segunda quinzena de março. A legenda quer recolher mais cem mil assinaturas, com o objetivo de validar ao menos 42 mil. E a Rede Sustentabilidade tentou se oficializar ainda em 2013, mas o TSE negou a solicitação. São necessárias quase 500 mil assinaturas para conseguir o registro. Marina Silva reclamou que a sigla não terá direito a tempo de TV e ao Fundo Partidário, o que não aconteceria se o registro tivesse sido aprovado em 2013.

Passado o primeiro turno, a turma de Marina Silva volta a pensar na criação da sua Rede. O futuro partido comemora a queda do número total de votos válidos recebidos pelos deputados – somados, 96 833 929 de votos. A informação é de Lauro Jardim, na Veja Online. Segundo o colunista, o montante serve como base de cálculo para a quantidade de assinaturas exigidas para se criar um partido.

Com isso, segundo as contas dos aliados de Marina, a Rede já tem 451 524 assinaturas e faltam outras 32 654 para o partido sair do papel. A coleta será retomada após Marina definir se fecha ou não com Aécio Neves.

Marina Silva faz suspense sobre sua posição no segundo turno das eleições à Presidência. Seu atual partido, o PSB, já declarou apoio a Aécio Neves, assim como a Rede Sustentabilidade, que tenta criar. Ela, no entanto, parece sem rumo. Derrotada no 1° turno, após decolar na campanha embalada pela comoção nacional com a trágica morte de Eduardo Campos, a ex-senadora pode deixar o PSB até o final da eleição.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, a escolha de Carlos Siqueira para a presidência do PSB deve precipitar sua saída e a volta ao projeto da Rede. Não existe espaço para convivência entre os dois.

Assim que assumiu a vaga de Campos na disputa, Siqueira, militante histórico e secretário-geral do PSB, acusou Marina de tratá-lo de modo ‘grosseiro’ e deixou a campanha presidencial. ‘Se ela comete uma deselegância no dia em que está sendo anunciada candidata, imagine no resto. Com ela não quero conversa. Não estou e não estarei em hipótese alguma na campanha desta senhora’, disse ele na época.(BR 247)

08
out

Eleições 2014

Postado às 11:03 Hs

O diretório da Rede Sustentabilidade não chegou a um consenso quanto ao apoio ao candidato Aécio Neves (PSDB), mas firmou posição em não apoiar Dilma Roussef (PT) no segundo turno das eleições à Presidência. De acordo com Walter Feldman, porta-voz da Rede Sustentabilidade, cerca de 20 integrantes do diretório se reuniram na noite desta terça-feira (7), por meio de teleconferência. O não apoio à reeleição de Dilma deverá ser ratificado em nova reunião do diretório, a partir das 19h desta quarta-feira (8), de acordo com Feldman. “Eu diria que são posições já firmadas, o ‘não’ à continuidade do atual governo, porque a Rede (Sustentabilidade) entende que a alternância de poder é fundamental na democracia. E ficaria dificultada (a alternância) com a vitória do atual governo”, afirmou Feldman, já na madrugada desta quarta-feira.

Via Magno Martins

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) disse, hoje, em discurso no Senado, que a presidente da República, Dilma Rousseff (PT) e o seu partido, estão tomados pelo desespero e tentam desqualificar Marina Silva (PSB).“O PT começou a campanha de desqualificação da candidata à presidência, Marina Silva. Depois que as pesquisas de intenções de votos apontaram o empate entre Marina e Dilma, o Partido dos Trabalhadores e a própria presidente não fazem outra coisa”, afirmou.

Para Jarbas não há a “intenção de transformar Mariana em ‘Salvadora da Pátria’, mas sim a intenção de promover mudanças com responsabilidade, compromisso e respeito ao povo brasileiro.”.

Ainda segundo o senador o modelo petista se esgotou e “não tem a capacidade de encontrar novas soluções para problemas que se arrastam há uma década. O país não aquenta mais quatro anos de governo do PT”, concluiu Jarbas Vasconcelos.

Marina e a Rede

A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, continua evitando responder diretamente se irá migrar para a Rede Sustentabilidade, caso seja eleita, mas deu uma sinalização de que ficaria no PSB. “Vou continuar como presidente da República eleita pelo PSB, porque não quero instrumentalizar esse lugar”, disse, hoje, em entrevista ao G1. Marina repetiu que a Rede não é um projeto de partido seu, mas de um grupo de pessoas e que tem semelhanças com movimentos vistos em países como Portugal e Itália, em um esforço para contribuir com o processo de renovação política.

A plataforma online disponibilizada pelo PSB e pela Rede para recolher propostas para o programa de governo da candidatura presidencial do governador Eduardo Campos recebe a opinião de internautas até esta segunda-feira (20). O anúncio de que este é o último dia para enviar as sugestões foi realizado pela ex-senadora Marina Silva através de sua página no Facebook.

Intitulada “Mudando o Brasil”, o mecanismo foi lançado no final de novembro. A previsão inicial era que a plataforma, ficasse no ar até o dia 1º de fevereiro.

As sugestões enviadas pelos internautas serão analisadas pelo time do PSB e da Rede que irá organizar o plano de governo da candidatura presidencial. A intenção é que essas ideias possam se transformar em propostas dentro do plano.

06
jan

Marina Silva acelera luta…

Postado às 9:57 Hs

A Rede Sustentabilidade, de Marina Silva, coletou mais de 100 mil novas assinaturas de apoio à criação do partido e pretende levar seu processo de registro novamente ao Tribunal Superior Eleitoral ainda em 2014. O grupo vai enviar as fichas aos cartórios em pequenos lotes ao longo do ano e estuda formalizar o pedido de fundação da legenda em outubro ou novembro. A Rede precisa de 50 mil novas assinaturas validadas para chegar às 492 mil exigidas pela legislação eleitoral.

A cúpula da Rede decidiu também que vai acionar o Supremo Tribunal Federal para questionar a lei sancionada por Dilma Rousseff em 2013 que restringe o acesso de novos partidos à distribuição de tempo de TV e a cotas do fundo partidário.

O comitê jurídico da legenda ainda discute se vai apresentar ao Supremo uma ação para tentar derrubar a lei ou um mandado de segurança para evitar que a Rede se enquadre nas restrições da nova legislação. (Folha de S.Paulo – Vera Magalhães)

27
nov

SAIBA TAMBÉM…

Postado às 15:13 Hs

 

# # Pagamento do funcionalismo sai dia 29

A Secretaria de Planejamento do Governo do Estado comunica que os salários de 97% do funcionalismo serão pagos nesta sexta-feira, dia 29. Nesta data, receberão todos os funcionários da Saúde, Educação, Segurança, UERN, Detran e órgãos com receita própria, independente do valor do contra cheque, e todos os outros funcionários de outras secretarias que recebem até R$ 4.000,00 líquidos. Isso corresponde a 97% do total do funcionalismo estadual. Os 3% restantes receberão seus salários no dia 10 de dezembro (terça-feira). Quanto ao 13º salário ainda será reprogramado

# # Adiada

Prevista para ocorrer na quinta-feira, 28, a reunião da Mesa Diretora da Câmara em que seria discutido um possível pedido de cassação do mandato do deputado licenciado José Genoino (PT-SP) foi adiada para a próxima terça-feira. A alegação para o adiamento é de que parte dos integrantes da Mesa, composta por sete deputados, não estará em Brasília na quinta. Na semana passada, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), havia dado um prazo de duas sessões, que deve se encerrar na quinta, para que a discussão sobre a perda do mandado do petista fosse iniciada pelos integrantes da Mesa. Condenado no processo do mensalão, Genoino se encontra, atualmente, na residência de uma filha em Brasília onde aguarda uma decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a possibilidade de ele cumprir a pena em regime domiciliar. O petista apresentou no último mês de setembro pedido de aposentadoria por invalidez na Câmara, após ser submetido a uma cirurgia cardíaca no meio do ano.

# # Operação Pecado Capital

O deputado Gilson Moura (PROS) aparece mais uma vez nas investigações da Operação Pecado Capital, que investiga suposto esquema de desvio de dinheiro no Instituto de Pesos e Medidas do RN (Ipem). Deputado já havia sido citado em outras ocasiões pelo Ministério Público, autor das denúncias. Em depoimentos, prestados ontem (26), onze dos acusados optaram pela delação premiada e Gilson Moura foi citado por cinco réus que agora o acusaram de ter usado dinheiro do Ipem para pagar contas de sua campanha nas eleições em que disputou a prefeitura de Parnamirim em 2008. Grupo afirmou que foi pressionado por advogados do deputado a mentirem em depoimento anterior, quando afirmaram que eram funcionários do instituto, a fim de disfarçar o desvio do dinheiro do órgão. Eles tiveram seus nomes envolvidos na ação ilícita quando, com as investigações da Operação Pecado Capital, observou-se os pagamentos em suas contas. Um dos réus afirmou que Gilson Moura alugou três carros de som que ele possuía para a divulgação da campanha. O serviço era oferecido por um preço abaixo do mercado. O dinheiro seria pago antecipadamente, razão pela qual o valor contratado foi menor. De acordo com o réu, Rychardson de Macedo e Gilson Moura teriam negociado o pagamento em dinheiro e antecipadamente, mas precisariam de outras quatro contas bancárias. Com a Operação Pecado Capital, os nomes dos donos das contas apareceram e, mais ainda, começaram a ser investigados como funcionários fantasmas do órgão.

# # Everaldo Rodrigues canta com André da Mata

O próximo domingo, 01, será de muita música no Espaço Nobre. O cantor Everaldo Rodrigues é um dos convidados especiais de André da Mata que reunirá diversos artistas da música local num só evento. O cantor e compositor, Everaldo Rodrigues, chega à festa do amigo trazendo toda sua musicalidade contagiante, com destaque para sua canção de trabalho “Pagando pra Ver”. A festança começa a partir do meio dia. Um super encontro que marca a despedida de André da Mata de Mossoró e início de seu novo projeto fora do estado. Imperdível!

# # Na Internet

A Rede Sustentabilidade e o Partido Socialista Brasileiro (PSB), por meio dos seus representantes, a ex-senadora Marina Silva e o Governador de Pernambuco, Eduardo Campos, lançam nesta quinta-feira, 28 de novembro, em São Paulo, a plataforma digital que auxiliará o desenvolvimento do Programa de Governo da coligação. A plataforma tem por objetivo viabilizar a interação com internautas, que poderão contribuir com sugestões, nesta primeira etapa, até o dia 1º de fevereiro. O cronograma completo de elaboração do programa de governo será apresentado na coletiva. A apresentação será às 11h, com transmissão ao vivo nos sites da Rede Sustentabilidade (redesustentabilidade.org.br), Fundação João Mangabeira (tvjoaomangabeira.com.br) e Portal PSB40 (www.psb40.org.br).

# # Participando

Acontece, nesta quarta e quinta-feira, 27 e 28, na capital do Estado, Natal, o II Seminário de Articulação Interfederativa e a cidade de Rafael Fernandes segue representada neste evento. Este encontro visa debater as dificuldades e buscar as soluções dos problemas da Saúde no Estado e municípios, e com isso, apresentar novas alternativas e programas que busquem um melhor atendimento, assim como, melhores resultados na saúde pública das cidades potiguares. Com o tema “Desenvolvimento Regional da Saúde: relações interfederativas na construção do Contrato Organizativo de Ação Pública (COAP) no RN”, o evento é organizado em parceria com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (COSEMS), Conselho Estadual de Saúde (CES) e Federação dos Municípios do RN (FEMURN), com o apoio do Ministério da Saúde. O Prefeito de Rafael Fernandes, Nicó Júnior, que participa do evento, destacou a importância na participação de eventos como este, assim como, o seu permanente compromisso em buscar alternativas que possam ampliar a qualidade do atendimento e dos serviços em saúde de Rafael Fernandes. Nicó Júnior ainda destacou a importância do evento e as muitas informações que serão possível absorver e levar até Rafael Fernandes. Ao lado do jovem prefeito rafaelenses, participaram também a Secretária de Saúde do município, Desiree Ferreira e o Assessor Jurídico, José Nery Fernandes. O evento prossegue até amanhã, no Salão de eventos do Praia Mar Hotel, onde acontece toda a programação.

A presidente Dilma Rousseff (PT) sancionou na íntegra o projeto de lei complementar que restringe aos novos partidos o acesso ao fundo partidário e ao tempo de televisão, com o intuito de inibir a proliferação de novas siglas. A sanção foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (31). O texto foi aprovado no Senado Federal no início de outubro após muita polêmica, porque, apesar de a ex-senadora Marina Silva (PSB) não ter conseguido criar o seu Rede Sustentabilidade a tempo de disputar as eleições do próximo ano, ela afirmou que ainda pretende viabilizar sua legenda. O Solidariedade e o PROS, criados antes da aprovação da regra, foram beneficiados com fundo partidário e tempo de tevê integral dos deputados que migraram para essas bancadas. Já o partido de Marina, o Rede Sustentabilidade, se for criado, fica esvaziado desses dois componentes eleitorais.
Os partidos Rede Sustentabilidade e Partido Socialista Brasileiro decidiram neste sábado, 5 de outubro, formar uma coligação política e eleitoral em torno de um programa para a disputa das eleições de 2014. Os partidos reafirmam a legitimidade da integridade e da identidade partidária do outro. Nas circunstâncias criadas por recente decisão da Justiça Eleitoral, o caminho para construir essa coalizão é a filiação democrática e transitória de lideranças e de militância da Rede ao PSB. A filiação democrática e transitória é uma tradição brasileira nas situações em que correntes políticas são impedidas de se organizar formalmente e de participar com sua própria legenda dos processos políticos e eleitorais. O objetivo central da aliança entre o PSB e a Rede é aprofundar a democracia e construir as bases para um ciclo duradouro de desenvolvimento sustentável, os dois pilares da verdadeira soberania nacional.
03
out

Eleições 2014: Emaranhado de Marina

Postado às 18:38 Hs

Decisão do TSE sobre Rede Sustentabilidade ganha importância num cenário com poucos candidatos competitivos na oposição Julgar a criação da Rede Sustentabilidade, partido da ex-senadora Marina Silva, já não se mostrava tarefa comezinha para o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Basta dizer que o Ministério Público Eleitoral, ao recomendar que o registro da legenda não seja autorizado, manifestou certo pesar por posicionar-se contra uma agremiação marcada pela lisura dos procedimentos –e representante legítima de parcela expressiva da população, seria o caso de acrescentar.
abr 18
domingo
09 16
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
97 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.865.808 VISITAS