Morreu nesta quarta-feira (27), aos 91 anos, o escritor e jornalista Murilo Melo Filho, membro da Academia Brasileira de Letras.

Segundo a ABL, Murilo Melo Filho morreu de manhã no Hospital Pró-Cardíaco, vítima de falência múltipla de órgãos. O sepultamento será no mausoléu da Academia Brasileira de Letras. Diante da recomendação de se evitar reuniões e aglomerações por conta do coronavírus, não haverá velório.

Murilo Melo Filho foi um dos grandes jornalistas brasileiros da segunda metade do século XX. Acompanhou de perto a política nacional, a construção de Brasília e a guerra do Vietnã. Conheceu inúmeros chefes de Estado, a quem dedicou páginas antológicas, dos mais variados espectros políticos. Foi também um acadêmico exemplar, assíduo, com a disposição de emprestar seu talento aos mais diversos cargos e serviços na Academia. Guardo a imagem de um homem bom, de uma alta sensibilidade humana, voltada sobretudo para os mais vulneráveis e desprovidos. Um momento de tristeza.”, afirmou o Presidente da ABL, Acadêmico Marco Lucchesi.

Trajetória

Murilo Melo Filho nasceu em Natal no dia 13 de outubro de 1928 e foi o mais velho de sete irmãos. Já aos 12 anos de idade começou a trabalhar no Diário de Natal, com Djalma Maranhão, escrevendo um comentário esportivo. Posteriormente passou por outras publicações da região.

Aos 18 anos, foi para o Rio, onde estudou no Colégio Melo e Souza e foi aprovado em concursos públicos para datilógrafo do IBGE e do Ministério da Marinha, ingressando a seguir no Correio da Noite, como repórter de polícia.

Trabalhou também na Tribuna da Imprensa, com Carlos Lacerda; no Jornal do Commercio, com Elmano Cardim, San Thiago Dantas e Assis Chateaubriand; no Estado de S. Paulo, com Júlio de Mesquita Filho e Prudente de Moraes Neto; e na Manchete, com Adolpho Bloch.

Estudou na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e na Universidade do Rio de Janeiro, pela qual se formou em Direito. Chegou a advogar durante sete anos.

Como repórter free-lancer, entrou para a Manchete, criando a seção “Posto de Escuta”, que escreveu durante 40 anos. Nessa mesma época, dirigiu e apresentou na TV-Rio, com Bony, Walter Clark e Péricles do Amaral, o programa político Congresso em Revista, que ficou no ar ininterruptamente durante sete anos, sendo a princípio produzido e apresentado no Rio e, depois, em Brasília.

Viveu em Brasília de 1960 a 1965, que testemunhou em centenas de reportagens. Construiu ali a sede de Bloch Editores e da Manchete e foi, a convite de Darcy Ribeiro e de Pompeu de Souza, professor de Técnica de Jornalismo na Universidade de Brasília.

Em trabalhos jornalísticos, acompanhou os ex-presidentes Juscelino Kubitschek a Portugal; Jânio Quadros a Cuba; João Goulart aos Estados Unidos, ao México e Chile; Ernesto Geisel à Inglaterra e à França; e José Sarney a Portugal e aos Estados Unidos.

Cobriu a Guerra do Vietnã, com o fotógrafo Gervásio Baptista, em 1967, e foi o primeiro jornalista brasileiro a cobrir a Guerra do Camboja, com o fotógrafo Antônio Rudge, em 1973, tendo chegado a Saigon e Phnom-Penh, via Tóquio.

Sexto ocupante da Cadeira nº 20 da ABL, foi eleito em 25 de março de 1999, na sucessão de Aurélio de Lyra Tavares e recebido em 7 de junho de 1999 pelo Acadêmico Arnaldo Niskier.

G1

 

15
mar

O Brasil perde Affonso Arinos

Postado às 16:57 Hs

O acadêmico Affonso Arinos de Mello Franco, de 89 anos, sexto ocupante da cadeira 17 da Academia Brasileira de Letras (ABL) morreu, na manhã deste domingo, em casa, no Rio.

Affonso Arinos faleceu, por volta das 10h deste domingo. Segundo a família, o acadêmico foi vítima de problemas respiratórios. Detalhes sobre o sepultamento ainda estão sendo definidos.

“O embaixador Affonso Arinos de Mello Franco foi um memorialista de águas cristalinas. Dotado de profunda intuição, compreendeu, como poucos, o sentimento do tempo: a longa duração diante da impermanência. Foi também um ensaísta primoroso, arguto e sutil. Escreveu sobre dois amigos notáveis: Vinicius de Moraes e Guimarães Rosa. Affonso foi um historiador atento às raízes do Brasil, com larga erudição, além de profundo italianista. Conhecia bem Dante e Varnhagen, Machado e Manzoni. Perco um amigo querido. Um homem probo e severo. Um grande brasileiro”, afirmou o presidente da ABL, acadêmico Marco Lucchesi.

Affonso Arinos fez curso de bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, em 1949-1953.

Em 1952 iniciou a carreira de Diplomata como cônsul de terceira classe e em 1953 fez estágio na Divisão de Questões Jurídicas do Departamento Jurídico das Nações Unidas, em Nova York. Às suas funções e cargos, no Brasil e no exterior, somam-se atividades jornalísticas e de divulgação cultural, legislativas e docentes.

Entre 1960 e 1962, Affonso Arinos foi deputado à Assembleia Constituinte e Legislativa do Estado da Guanabara. Neste período integrou a Comissão de Constituição e Justiça, em 1961. No ano seguinte presidiu a Comissão de Educação. De 1964 a 1966, foi deputado federal pelo Estado da Guanabara, tendo sido, em 1965-66, membro da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados.

No jornalismo, foi colaborador da revista Manchete nos anos de 1955-1956; correspondente do Jornal do Brasil em Roma, em 1957-58; colaborador da Tribuna da Imprensa, 1960-61; colaborador de Fatos e Fotos / Gente, em 1976; colaborador da TV Educativa, 1976; colaborador da Enciclopédia do Brasil Ilustrada, 1977; comentarista da TV Manchete, 1995-1999.

Eleito em 22 de julho de 1999 em substituição a Antonio Houaiss, Afonso Arinos foi o sexto ocupante da cadeira 17. Em 26 de novembro de 1999, ele foi recebido na ABL pelo acadêmico José Sarney. Entre 2002 e 2003, Affonso Arinos foi colaborador do Jornal do Commercio.

G1

09
mar

Mossoró é detaque na ABL

Postado às 10:30 Hs

Diplomata João Almino é eleito para a vaga de Ivo Pitanguy na ABL.

João Almino tem 66 anos e nasceu em Mossoró, no Rio Grande do Norte. Além de romances, ele é autor de obras de história e filosofia política.O diplomata João Almino é o mais novo imortal da Academia Brasileira de Letras.Ele foi eleito nesta quarta-feira (8), por unanimidade, para a cadeira de número 22, vaga do médico Ivo Pitanguy, morto em agosto do ano passado.

Votaram 23 Acadêmicos presentes e 10 por cartas.Além de Pitanguy, os ocupantes anteriores da cadeira 22 foram: Medeiros e Albuquerque (fundador) – que escolheu como patrono José Bonifácio, o Moço –, Miguel Osório de Almeida e Luís Viana Filho.

João Almino tem 66 e nasceu em Mossoró, no Rio Grande do Norte, em 1950. Além de romances, ele é autor de obras de história e filosofia política.

O autor é conhecido sobretudo pelos seguintes seis romances, aclamados pela crítica e cujas histórias se passam em Brasília: Ideias para onde passar o fim do mundo; Samba-Enredo; As cinco estações do amor; O livro das emoções; Cidade Livre e Enigmas da Primavera.Todos esses livros, à exceção do segundo, receberam prêmios ou foram finalistas de prêmios literários.

Entre os prêmios recebidos, incluem-se o Casa de las Américas 2003 (para As Cinco Estações do Amor) e o Zaffari & Bourbon 2011 (para Cidade Livre, que também foi finalista do Jabuti e do Portugal-Telecom).Parte da obra de ficção está traduzida para o inglês, o francês, o espanhol, o italiano e outras línguas. Almino também autor de livros de ensaios de filosofia política ou de história, considerados referência para os estudiosos da democracia e do autoritarismo: Os democratas autoritários, Era uma vez uma constituinte, A Idade do Presente, O Segredo e a Informação e Naturezas Mortas. Entre os ensaios literários incluem-se: Balanço Poético: Brasil-Estados Unidos; Escrita em Contraponto e O Diabrete Angélico e o Pavão.

Via G1

04
dez

O Brasil perde Ferreira Gullar

Postado às 12:42 Hs

O poeta, escritor e teatrólogo maranhense Ferreira Gullar morreu, há pouco, no Rio, aos 86 anos. Gullar é um dos maiores autores brasileiros do século XX e foi eleito “imortal” da Academia Brasileira de Letras (ABL) em 2014, ocupando a cadeira nº 37.

Segundo o jornal “O Globo”, o escritor estava internado no Hospital Copa D’Or, na Zona Sul do Rio, por complicações pulmonares. A partir de um quadro de pneumotórax, Gullar desenvolveu uma pneumonia.

Nascido José de Ribamar Ferreira em São Luís (MA), em 10 de setembro de 1930, Ferreira Gullar cresceu em sua cidade natal e decidiu se tornar poeta na adolescência. Com 18 anos, passou a frequentar os bares da Praça João Lisboa e o Grêmio Lítero-Recreativo da cidade. Aos 19 anos, descobriu a poesia moderna depois de ler Carlos Drummond de Andrade e Manuel Bandeira.

O perfil de Gullar no site da ABL informa que, inicialmente, o escritor “ficou escandalizado com esse tipo de poesia”, mas mais tarde aderiu ao estilo, tornando-se “um poeta experimental radical”. Certa vez, ao comentar o período, afirmou: “Eu queria que a própria linguagem fosse inventada a cada poema”. Nessa época, trabalhou no volume de poesia “A luta corporal” (1954), que o lançou no cenário nacional. Essa obra que resultou de “uma implosão da linguagem poética” é associada ao surgimento da poesia concreta. Gullar, porém, romperia com o grupo mais tarde, passando a fazer parte do movimento neoconcreto, ao lado de artistas plásticos e poetas do Rio.

Foi Gullar quem escreveu o manifesto que marcou o marcou a aparição, em 1959, do movimento neoconcreto, do qual também foram expoentes artistas como Lygia Clark e Hélio Oiticica. No mesmo ano, saiu o ensaio “Teoria do não-objeto”, outro texto fundamental do movimento. Ferreira Gullar relembra origens na obra “Autobiografia poética” Dentre as obras neoconcretas de Gullar, destacaram-se o “livro-poema”, o “poema espacial” e “poema enterrado”.

11
set

SAIBA TAMBÉM…

Postado às 9:11 Hs

# # Empossados

A prefeita Cláudia Regina empossou vinte novos guardas civis, na manhã desta terça-feira, 10, em solenidade no Salão dos Grandes Atos, no Palácio da Resistência. Os guardas municipais empossados reforçarão as atividades desenvolvidas na Base Integrada Cidadã (BIC), instalada no bairro Santo Antônio. Cláudia Regina afirmou que o momento é de grande importância para o município, que começa a reescrever a história da segurança na cidade. “A Prefeitura reafirma o compromisso com os novos guardas e com toda a Mossoró, garantindo o cumprimento de suas obrigações com responsabilidade e planejamento”, declarou. A prefeita reforçou que os novos guardas atuarão na BIC, fortalecendo as ações de segurança pública realizadas no Santo Antônio. “Trabalhando de forma planejada e integrada, estamos devolvendo a comunidade o sentimento de pertencimento e garantindo que a população possa circular sem medo em seu bairro”, disse.

# # Brasil vence Portugal em jogo amistoso

Com direito a porradas dos defensores rivais, virada e golaço de Neymar, a seleção brasileira venceu Portugal, nesta terça-feira, nos Estados Unidos, por 3 a 1. O amistoso teve cara de partida de competição, com rivalidade entre os jogadores e superação dos brasileiros. O jogo começou tenso, com os defensores portugueses irritando os brasileiros. Bruno Alves deu um pisão em Bernard e uma cotovelada em Neymar. Apesar disso, não levou cartão amarelo nos lances. A seleção brasileira iniciou praticamente com a mesma formação da goleada sobre a Austrália. A única diferença foi a ausência de Marcelo, lesionado, que deu lugar a Maxwell. No meio campo, Ramires fazia a função de armador. Com um jogo equilibrado, os dois times tentavam tirar vantagens dos erros do rival. Portugal teve mais sorte no início. Aos 17 minutos, Maicon tentou atrasar uma bola de cabeça para Júlio César e deu um presente para Raul Meireles, que aproveitou o equívoco do lateral e tocou para o gol. O Brasil, aparentemente, não se abalou com o gol e foi para cima dos portugueses. Após uma tentativa de ataque, o time teve um escanteio. Neymar cobrou e Thiago Silva subiu mais que todo mundo e cabeceou com força para dentro do gol.

# # PSB na chapa majoritária

Depois da reunião da presidente estadual do PSB, vice-prefeita Vilma de Faria, com a bancada de deputados estaduais do partido saiu a definição de integrar a chapa majoritária, mas ainda sem o anúncio de qual o cargo a disputar. O discurso oficial é comum entre os deputados que participaram da reunião. Eles defendem um fortalecimento da legenda. Depois do encontro, pessoas ligadas à vice-prefeita garantem que a disposição dela é concorrer ao Governo do Estado ou ao Senado. Embora o PSB potiguar já tenha deflagrado conversas com partidos integrantes da oposição ao Governo Rosalba, como PSD, do vice-governador Robinson Faria; e o PT, da deputada federal Fátima Bezerra, a indefinição do governador de Pernambuco Eduardo Campos, presidente nacional do PSB, dificulta as negociações. Caso dispute a Presidência da República, a candidatura de Campos vvai criar barreiras aos projetos de aliança do PSB no Rio Grande do Norte. Liderados de Vilma de Faria garantem que essa é uma das preocupações da vice-prefeita. Já que ela teme que Eduardo Campos possa impor um palanque próprio para o PSB no Rio Grande do Norte.

# # O imortal da ABL

Começou pontualmente, às 21h desta terça-feira (10), a cerimônia de posse do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) na cadeira 36 da Academia Brasileira de Letras (ABL), no Centro do Rio. Com 82 anos, o sociólogo e escritor foi eleito na sucessão do acadêmico e jornalista João de Scantimburgo (1915-2013), no dia 27 de junho deste ano, com 34 dos 39 votos. “A ABL funciona como uma tocha olímpica. Ao passar uma cadeira para outro, os membros mostram continuidade. Agradeço o convite e a honra de me sentar nessa cadeira. Não foram poucas as vezes que participei de momentos cheios de significados”, disse Fernando Henrique, em discurso. Ainda em seu discurso, o ex-presidente mencionou as manifestações que começaram no Brasil em junho deste ano. “Cabe a todos nós, políticos, artistas, escritores, cientistas ou, simplesmente, cidadãos que prezam a liberdade, passarmos da escuta à ação. Eu fui presidente da república e eu não queria que confundissem minha posição política e meu status de presidente com a minha qualidade de intelectual”, afirmou.

# # Um novo partido o PROS

A maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) votou ontem (10), a favor da criação do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), fundado no dia 4 de janeiro de 2010. O julgamento foi suspenso por um pedido de vista da ministra Luciana Lóssio. De acordo com o site do partido na internet, a legenda teve origem em Planaltina de Goiás (GO), região do entorno do Distrito Federal. A principal proposta é a redução de impostos. No pedido de registro feito ao TSE, o partido informou ter cumprido todas as exigências da Justiça Eleitoral, como o número de assinaturas mínimas de apoiadores em nove estados. O PROS pediu ao tribunal que a legenda seja identificada com o número 90. O partido conseguiu reunir mais de 515 mil assinaturas. Se o registro for aprovado, o Brasil terá 31 partidos registrados no TSE.

# # Fim da greve

Aos poucos, o serviço público vai se normalizando no Rio Grande do Norte com o fim das greves que vinham paralisando o Estado. Nesta quarta-feira (12) mais uma categoria profissional volta ao trabalho. Os policiais civis retornam às atividades, depois que o Tribunal de Justiça determinou ao trabalho de ao menos 70% da categoria. O fim da paralisação foi definida em assembleia, ontem à noite. A normalização do serviço público é um alívio para a governadora Rosalba Ciarlini.

# # Vacine seu bichinho…

O próximo sábado (14), será o Dia “D”de maior mobilização da Campanha Nacional de Vacinação Antirrábica 2013. A vacina é indicada para animais a partir dos três meses de idade, não tem contra indicação e é gratuita.

# # O Brasil pode ficar de fora da F1

Com o anúncio desta terça-feira de Felipe Massa de que ele não irá continuar na Ferrari em 2014, o Brasil corre o risco de não ter pilotos na categoria pela primeira vez desde 1969. Além do próprio paulista, Felipe Nasr, hoje na GP2, é quem procura uma vaga, mas a situação não é das mais fáceis. A Ferrari deve confirmar nos próximos dias a contratação de Kimi Raikkonen, que retornaria à equipe quatro anos após ter sido demitido. Imediatamente, a vaga que ele estaria deixando na Lotus se tornaria a melhor entre as que ficariam abertas no mercado de pilotos. Para os dois brasileiros seria um sonho. Para Massa, seria a chance de correr por uma equipe que tem um bom carro, briga por pódios e às vezes até por vitórias, sem a sombra de um primeiro piloto como Fernando Alonso. Para Nasr, uma chance de entrar na F1 podendo mostrar resultados logo de cara e com estrutura para ele se desenvolver. Só que o cenário não é dos melhores. Massa não teve bons desempenhos nas últimas temporadas que justifiquem sua contratação por uma equipe que tenta se tornar grande, como a Lotus. Além disso, o chefe do time já disse publicamente, que na falta de Kimi Raikkonen, gostaria de contar com o alemão Nico Hulkenberg, que já fez bons trabalhos por Williams, Force India e agora Sauber.

28
jun

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 9:24 Hs

  • O ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou nesta quinta-feira (27) que o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) dos produtos da linha branca e dos móveis, reduzido no ano passado, terá alta abaixo da prevista em julho. A previsão, anunciada em dezembro, era que os produtos voltassem a ter as alíquotas originais a partir da próxima segunda-feira. O governo, no entanto, vai “fatiar” essa alta, com uma elevação menor do IPI até setembro. “A partir de setembro, vamos ver. A ideia é a recomposição das alíquotas [para o patamar normal]. Podemos calibrar o tempo disso dependendo da arrecadação, da inflação e das vendas do setor. Por enquanto, está definido que está alíquota vale para setembro. Provavelmente, em setembro vamos elevá-la para o patamar normal”, disse Mantega. Em dezembro do ano passado, o governo federal anunciou um reajuste gradual das alíquotas do IPI de produtos da linha branca (com exceção de máquinas de lavar, que permanece em 10%) no decorrer deste ano. Para fogões, por exemplo, a alíquota de IPI, que estava em zero no ano passado, subiu para 2% em fevereiro e a programação é que ela avançaria para 4% a partir de julho deste ano, ou seja, já na próxima segunda-feira (1). Neste caso, porém, ela subirá para 3% entre julho e setembro deste ano.
  •  Mossoró fica sem  o jornal Correio da Tarde, o jornal vespertino tem sua última edição. Não resistiu aos novos tempos.O jornalismo impresso enfrenta dificuldades hoje no mundo todo. Uma pena.
  • Presidentes de dez partidos da base aliada e de líderes na Câmara e no Senado disseram à presidente Dilma Rousseff que apoiarão a convocação de um plebiscito sobre a reforma política, mas provocaram mal-estar ao propor um debate sobre o fim da reeleição e mandato de cinco na consulta popular e ao enfatizar que mudanças no sistema só devem vigorar em 2018. Dilma e o PT vão insistir numa reforma que vigore em 2014. Embora a sugestão dos aliados tenha sido para que o fim da reeleição comece a valer a partir de 2018, não afetando a campanha de Dilma pelo segundo mandato, a simples referência ao assunto constrangeu o governo. O Estado apurou que, mesmo com a garantia de que eventual mudança não vai valer para ela, Dilma é contra incluir questões sobre o fim da reeleição no plebiscito. (Informações de O Estado de S.Paulo – Vera Rosa, Tânia Monteiro e Ricardo Brito)
  • O Conselho Nacional de Justiça decidiu nesta quinta-feira (27), por unanimidade, aposentar compulsoriamente dois desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN) suspeitos de desviar R$ 18 millhões em precatórios. A aposentadoria compulsória é a pena máxima que o CNJ pode aplicar na esfera administrativa. O magistrado deixa o cargo, mas continua recebendo o salário. Precatórios são títulos emitidos pelo poder público para pagar dívidas reconhecidas pela Justiça. O Judiciário é quem faz os pagamentos independentemente de que órgão público é o devedor. O plenário do CNJ entendeu que os ex-presidentes do TJ Osvaldo Soares da Cruz e Rafael Godeiro Sobrinho tiveram participação em esquema que desviou verba pública.
  • A cadeira de número 36 da Academia Brasileira de Letras já tem um novo dono: Fernando Henrique Cardoso. O ex-presidente da República tornou-se imortal na tarde de hoje (27) – obtendo 34 votos entre os integrantes da instituição. A eleição aconteceu no Petit Trianon, sede da ABL, no centro do Rio de Janeiro. A vaga agora ocupada por FHC estava aberta desde a morte do escritor e jornalista João de Scantimburgo – morto em 22 de março, aos 97 anos. Outros 11 concorrentes disputavam a cadeira – entre eles, o poeta capixaba Eloi Ghio e o colunista social Jeff Thomas. No pleito, foram registradas 4 abstenções e 1 falta. “A grande obra de Fernando Henrique Cardoso de sociólogo e cientista dá ainda mais corpo à Academia”, afirmou Marcos Vinicios Villaça, ex-presidente da ABL. Após a eleição, Fernando Henrique comemorou a escolha na Fundação Eva Klabin.
  • A Espanha se classificou para a decisão da Copa das Confederações na tarde desta quinta-feira. Na semifinal, disputada no Estádio Castelão, a seleção campeã do mundo penou e precisou dos pênaltis para eliminar a Itália (7 a 6) depois de um empate sem gols até a prorrogação. Atual campeã do mundo e bi da Eurocopa, a Espanha alcança a decisão da Copa das Confederações de maneira inédita. O duelo com o Brasil, marcado para as 19 horas (de Brasília) do próximo domingo, no Maracanã, será o primeiro encontro entre seleções da Europa e da América do Sul na final do campeonato.
A 16 dias de completar 70 anos, a escritora Ana Maria Machado foi eleita nesta quinta (8) presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL) para o exercício de 2012. Além de Ana Maria, a nova diretoria terá Geraldo Holanda Cavalcanti como secretário-geral, Domício Proença Filho como primeiro-secretário, Marco Lucchesi no posto de segundo-secretário e Evanildo Bechara como tesoureiro. Eles tomarão posse no dia 16, em solenidade na sede da ABL, no centro do Rio.
“Daremos continuidade à linha de atividades voltadas para a promoção dos melhores valores da cultura nacional e da língua portuguesa. Dirigiremos nossa ênfase para duas celebrações em particular: o centenário de morte do Barão do Rio Branco e a celebração do centenário de nascimento de Jorge Amado”, disse a escritora.
Ao longo deste ano, a ABL foi dirigida por Marcos Vinicios Vilaça, e Ana Maria desempenhou a função de secretária-geral. Ela ingressou na Academia em 24 de abril de 2003, substituindo Evandro Lins e Silva na cadeira 1. Em 40 anos de carreira dedicada à literatura infantil e adulta, Ana Maria escreveu mais de cem livros, publicados no Brasil e em mais de 18 países, e vendeu mais de 18 milhões de exemplares.
Nascida no Rio, ela inicialmente se dedicou à pintura, mas se formou em Letras na atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e começou a escrever artigos, fazer traduções e dar aulas. Exilou-se na Europa em 1969, durante o governo militar. Quando voltou ao Brasil, em 1972, começou a trabalhar no “Jornal do Brasil”. Passou por diversos veículos de comunicação até 1980 quando decidiu se dedicar exclusivamente à literatura.
17
Maio

Não da ABL…

Postado às 16:20 Hs

5t2iwgbg092yrbztnyjlb7u0A Academia Brasileira de Letras (ABL) criticou, em nota, o livro didático distribuído pelo Ministério da Educação (MEC) que defende erros de português. No comunicado, a ABL diz que “estranha certas posições teóricas dos autores” do livro polêmico.

– Todas as feições sociais do nosso idioma constituem objeto de disciplinas científicas, mas bem diferente é a tarefa do professor de língua portuguesa, que espera encontrar no livro didático o respaldo dos usos da língua padrão que ministra a seus discípulos – diz a nota.

Apesar das críticas de educadores e escritores, o MEC não pretende retirar das escolas o livro com graves erros gramaticais distribuído pelo Programa Nacional do Livro Didático.

Ao todo, 485 mil estudantes jovens e adultos receberam a publicação Por uma Vida Melhor, de Heloísa Ramos, que defende uma suposta supremacia da linguagem oral sobre a linguagem escrita, admitindo a troca dos conceitos “certo e errado” por “adequado ou inadequado”. A partir daí, frases com erros de português como “nós pega o peixe” poderiam ser consideradas corretas em certos contextos.

Entenda o caso

– O Programa Nacional do Livro Didático, do Ministério da Educação (MEC), distribuiu a cerca de 485 mil estudantes jovens e adultos dos ensinos Fundamental e Médio uma publicação que faz uma defesa do uso da língua popular, ainda que com incorreções.

– Para os autores do livro, deve ser alterado o conceito de se falar certo ou errado para o que é adequado ou inadequado. Exemplo: “Posso falar ‘os livro’?’ Claro que pode, mas dependendo da situação, a pessoa pode ser vítima de preconceito linguístico”, diz um dos trechos da obra “Por uma vida melhor”, da coleção Viver, aprender.

– Outras frases citadas e consideradas válidas são “nós pega o peixe” e “os menino pega o peixe”.

Fonte:  Zero Hora

jul 7
terça-feira
07 17
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
28 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.828.281 VISITAS