26
jan

Anúncio

Postado às 11:43 Hs

Governador anuncia fechamento do presídio de Alcaçuz. Durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) na Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, realizada na noite desta quarta-feira (25), o governador Robinson Faria destacou que o presídio estadual de Alcaçuz será desativado em breve. O fim das operações na detenção ocorrerá tão logo as prisões de Ceará-Mirim, Afonso Bezerra e Mossoró estejam prontas, medidas que serão de médio/longo prazo. Juntas, as unidades prisionais terão capacidade para concentrar cerca de 2.200 apenados, número que reduz o déficit de vagas no regime. Ainda na reunião foram tratados temas como a fixação do muro de contêineres marítimos que separa os pavilhões 1, 2, 3 das alas 4 e 5, realidade que impede um novo conflito entre facções e que garante a retomada do controle do presídio pelas forças de segurança. O muro dos contentores foi erguido em caráter emergencial uma vez que um muro feito concreto pré-moldado de 90 metros de extensão será erguido, com 6,40 metros de altura e 80 centímetros de largura. Além disso, será feita a concretagem do perímetro externo de Alcaçuz para evitar fugas.
25
jan

@ @ É NOTÍCIA … @ @

Postado às 12:10 Hs

  • Um novo sistema de liquidação e compensação de boletos bancários irá permitir que as cobranças vencidas sejam pagas em qualquer banco. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que desenvolveu o mecanismo, diz que ele trará mais controle e segurança ao meio de pagamento, que agora terá no comprovante detalhes como os juros, as multas, os descontos e as informações do beneficiário e do pagador. A mudança vai ser implantada de maneira gradual. A partir de março, cobranças iguais ou superiores a R$ 50 mil poderão ser pagas em qualquer banco e até o fim do ano o sistema valerá para boletos de qualquer valor. A principal diferença do novo sistema será que todas as informações do boleto deverão est ar em uma plataforma online. Dessa forma, os bancos poderão controlar melhor os boletos que foram postados e qualquer instituição poderá checar digitalmente os dados para realizar os pagamentos.
  • A crise econômica não poupou nem o setor de planos de saúde. Em 2016, cerca de 1,37 milhão de pessoas ficaram sem convênio, aponta levantamento divulgado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Em dezembro do ano passado, a autarquia contabilizou 47,89 milhões de beneficiários. No mesmo período de 2015, eram 49,26 milhões. O recuo é ainda maior do que o observado entre 2015 e 2014, quando 1,04 milhão de beneficiários perderam o plano de saúde. Ou seja, em dois anos de crise, 2,41 milhões de consumidores foram expulsos do setor de saúde suplementar. Com a retração da economia, o aumento do desemprego e a queda real dos rendimentos – ou seja, já descontada a inflação –, as famílias ficaram com menor poder de compra para honrar até mesmo compromissos essenciais, como os convênios de saúde.
  • Os 10,1 milhões de trabalhadores que possuem saldo em contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) poderão sacar os recursos a partir de março. A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador. A Caixa propôs que a retirada seja feita até julho. O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse ao “Estado” que esse cronograma foi aprovado pelo presidente.
  •  A Arena das Dunas volta a ser palco de um jogo do Flamengo. No próximo sábado (28), o clube do Rio de Janeiro faz sua estreia no Campeonato Carioca 2017 em terras potiguares. O duelo será contra o Boavista e está marcado para 18h30 (horário local). Desde o fim de semana que os ingressos já estão disponíveis para serem adquiridos através do site da Arena das Dunas (www.arenadunas.com.br). As vendas em pontos físicos tiveram início hoje (23) na Bilheteria 1 da Arena das Dunas (lado Prudente de Morais – Portão T). Os ingressos também estarão à venda na Sport Master (Midway Mall, Norte Shopping e Natal Shopping) e também no Pittsburg da Prudente de Morais. As entradas variam de R$ 40 a R$ 130 para os anéis Leste, Sul e Noroeste e entre R$ 120 a R$ 180 para o Hospitalidade Open Bar, ou seja, cadeiras premium.
  • Foi publicado no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (25), um contrato entre o Estado, por meio do Departamento de Estradas e Rodagens, e a firma M H Construtora Ltda-EPP, para serviços emergenciais de instalação de barreira provisória de contêineres marítimos, construção de muro pré-moldados em concreto e reforço do sub-leito na faixa de terra existente entre a perimetral externa e o muro do Sistema Penitenciário de Alcaçuz. O valor que será pago pelos contêineres e muro será 794.028,00 (setecentos noventa e quatro mil e vinte e oito reais). O objetivo dos contêineres e do muro é separar as facções dentro do presídio, que estão em rebelião desde o dia 14 de janeiro.
  • O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve assinar nesta quarta-feira (25) decretos determinando a construção de um muro na fronteira com o México e estabelecendo barreiras para a entrada de refugiados sírios e imigrantes provenientes de países propensos ao terror. Com isso, o presidente transforma em realidade a mais polêmica promessa de sua campanha eleitoral, que é a construção do muro na fronteira sul do país. “Grande dia planejado para a segurança nacional, amanhã”, disse Trump em mensagem no Twitter no fim da noite de ontem (24). “Entre muitas outras coisas, vamos construir o muro”, acrescentou. Os decretos devem ser assinados durante uma visita que Trump fará ao Departamento de Segurança Interna, em Washington. O muro será erguido de forma prioritária nos locais que fazem fronteira com cidades mexicanas, onde as autoridades locais se recusam a entregar aos Estados Unidos imigrantes ilegais para serem deportados e pessoas acusadas de transportar drogas para o mercado americano. O presidente deverá reafirmar também, nesta quarta-feira, que a imigração está fora de controle e que a entrada de potenciais criminosos ameaça a segurança dos Estados Unidos. Os decreto devem restringir a entrada de imigrantes originários do Iraque, Irã, da Líbia, Somália, do Sudão, da Síria e do Iêmen.
O odor de todos os presídios é uma mistura nauseante de fezes, urina, esgoto, suor, roupas sujas e emboloradas, doenças de pele e do couro cabeludo, corpos sujos e comida azeda. É assim em todos eles, embora distantes quilômetros um do outro. Talvez os detentos e agentes penitenciários não sintam mais esse odor. Suas narinas já se acostumaram. Na verdade, diante de tanto horror nos presídios, esse odor nauseante torna-se um detalhe insignificante. Para os detentos, por exemplo, pior é a tortura, a falta de qualquer expectativa ou oportunidade dentro do presídio e, principalmente, a possibilidade concreta de morrer a qualquer momento. Apesar disso, esse odor não deixa de ser absurdamente nauseante e de impregnar as roupas e o corpo inteiro de quem visita um presídio. O vômito se prepara várias vezes. As “quentinhas” com comida azeda se espalham por toda parte. Detentos suados, sujos, feridentos, um calor insuportável, o mau hálito daqueles que insistem em lhe falar de perto. É preciso segurar o vômito. Detentos com todos os tipos de doenças, dentes podres, pés descalços, frieiras entre os dedos e até com bolsas de colostomia abarrotadas de fezes. O estômago embrulha e a cabeça também. É impossível sair incólume de um presídio brasileiro. Eu não saí!
21
jan

Registro

Postado às 17:52 Hs

ITEP já identificou 22 corpos de detentos de Alcaçuz

 

O Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) já identificou 21 dos 26 corpos recolhidos pelo órgão até o momento da Penitenciária Estadual de Alcaçuz. Todos foram identificados através de exame de papiloscopia, que realiza a comparação de impressões digitais.

Os corpos foram identificados como Jefferson Pedroza Cardozo, George Santos de Lima Júnior, Willian Anden Santos de Souza, Antônio Barbosa do Nascimento Neto, Carlos Clayton Paixão da Silva, Jonas Victor de Barros Nascimento, Marcos Aurélio Costa do Nascimento, Anderson Barbalho da Silva, Cícero Israel de Santana, Marlon Pietro da Silva Nascimento, Eduardo dos Reis, Jefferson Souza dos Santos, Felipe Rene Silva de Oliveira, Charmon Chagas da Silva, Diego Felipe Pereira da Silva, Anderson Mateus Félix dos Santos, Luiz Carlos da Costa, Tarcísio Bernardino da Silva, Francisco Adriano Morais dos Santos, Lenilson de Oliveira Melo Silva, Diego Melo de Ferreira e França Pereira do Nascimento.

O trabalho de identificação tem contado com o apoio de familiares das vítimas e o empenho intenso dos profissionais do ITEP, que também tem contado com o auxílio de uma equipe da Polícia Federal.

20
jan

Atuação

Postado às 20:34 Hs

Governador e ministro da Defesa tratam da atuação das Forças Armadas no RN. O governador Robinson Faria discutiu com o ministro da Defesa, Raul Jungmann, como funcionará o trabalho de cooperação das Forças Armadas com as polícias do RN no reforço à segurança da capital e região metropolitana. O encontro aconteceu no início da noite desta sexta-feira, 20, na sala de reuniões da Governadoria. Cerca de 650 homens do Exército, Marinha e Aeronáutica já estão reforçando o patrulhamento das principais vias, corredores, pontos turísticos, hospitais e aeroporto da capital potiguar. A previsão é de que amanhã (21) este número chegue a 1.500 e, no domingo (22), a quase 2 mil.
20
jan

Equívoco histórico

Postado às 11:05 Hs

Rogério Marinho defende erradicação de Alcaçuz e diz que presídio é “equívoco histórico”

O Rio Grande do Norte enfrenta há uma semana a pior crise prisional de sua história. Vários detentos já foram assassinados em uma verdadeira guerra de facções, que tem suas cenas exibidas ao vivo para todo o país. E o cenário principal de tudo isso tem sido a penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta, a principal do Estado.

Para o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), esta é a oportunidade que o Governo potiguar tem para erradicar o presídio, que considera um “equívoco histórico”. “A erradicação do presídio de Alcaçuz pode ser a chance de um recomeço. É preciso construir um presídio de segurança máxima em uma área do Estado longe de centros urbanos. A crise atual permite corrigir este equívoco histórico que foi a construção de um presídio em cima de dunas. É desastroso e as fugas de presos são previsíveis. Segurança nula”, disse o deputado.

Ainda de acordo com o parlamentar, recursos já foram disponibilizados pelo Governo Federal no sentido de construir novas penitenciárias no RN, permitindo, inclusive, uma construção em regime de urgência. “O Governo perdeu o controle interno do presídio que foi completamente depredado pelos próprios detentos, só existe uma solução possível: construção de um novo”, completa. Para Rogério Marinho, a retirada do presídio de Alcaçuz da região onde foi construído ainda traria benefícios econômicos para o Rio Grande do Norte, já que a penitenciária está localizada em uma área com forte apelo turístico. “Seria uma ajuda à economia, ao turismo, e dificultaria a atuação do crime organizado”, finalizou.

O deputado colocou seu mandato à disposição do governo do Estado no sentido de unir esforços para enfrentar a onda de violência. Rogério enfatiza ainda que confia no trabalho das forças de segurança e aproveitou para parabenizar os policiais civis e militares, além dos agentes penitenciários, que têm trabalhado sem descanso desde o início da atual crise no sistema prisional potiguar.

Fonte: Assessoria

Blog do Camarotti

O governo federal ficou em alerta depois que a briga de facções fugiu do controle nos presídios do Rio Grande do Norte, principalmente no de Alcaçuz. Para integrantes do Palácio do Planalto, começa a acontecer o que mais se temia: a guerra entre grupos pelo comando do tráfico passou a ter reflexo fora dos presídios, atemorizando a população nas ruas de Natal. Também preocupam, dentro desse contexto, as imagens de ônibus incendiados na capital do Rio Grande do Norte.

O temor no governo é de que a cena de caos em Natal se repita em outras cidades brasileiras, num efeito dominó da disputa entre facções. O próprio governador Robinson Faria (RN) admitiu que a situação está fora de controle em Alcaçuz. A decisão desta semana do presidente Michel Temer de o governo federal assumir protagonismo no combate à crise da segurança do país foi tomada para evitar que o ambiente de caos se instalasse em cidades brasileiras.

Os presos da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, voltaram a subir nos telhados dos pavilhões quinto dia consecutivo. A Polícia Militar está na área externa do presídio. Agentes penitenciários precisaram atirar balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo para conter um possível confronto entre os detentos.

 Há fumaça na parte interna, barulhos de tiros e de quebra-quebra no local. Por volta das 10h o helicóptero Potiguar I chegou ao local para auxiliar na operação.

Barricadas, clima de guerra e verdadeira batalha campal. Um presídio praticamente destruído e ameaças e confrontos sucessivos. A Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, na Grande Natal, na manhã desta quinta-feira(19), registra o seu momento mais tenso depois da rebelião sangrenta do sábado(14), em que 26 presos foram mortos, contagem do Itep, até o momento.

 A situação sem controle em Alcaçuz já registra vários feridos. A Polícia não se encontra na área interna. Detentos do Pavilhão 5 avançaram em território até então ocupado por presos do Pavilhão 4, e o confronto foi iniciado. Barricadas frágeis separam presos. Guariteiros realizam disparos de balas de borracha.

Fontes :G1 / Blog do BG

18
jan

Transferência

Postado às 20:12 Hs

Operação transfere 220 presos da Penitenciária de Alcaçuz

A operação de hoje tem como objetivo evitar conflitos entre as facções e conta com as forças especiais da Polícia Militar e da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc). Houve a necessidade de liberar vagas em Parnamirim para receber os presos que estavam amotinados, principalmente, nos pavilhões 1 e 3. Os detentos do PEP foram encaminhados à Cadeia Pública de Natal e a Alcaçuz.

O secretário de Segurança Pública, Caio Bezerra, considerou a operação exitosa até o momento da coletiva. “Não houve resistência por parte dos presos, fizemos revistas em todos os pavilhões e estamos concluindo a transferência dos presos. Foram localizadas armas de fogo, um colete balístico e uma grande quantidade de armas brancas”, destacou.

 Cerca de 400 policiais e agentes penitenciários trabalharam na trânsferência, que está sendo realizada em dez ônibus, 60 viaturas, um veículo blindado Centurion do Choque e a Aeronave Potiguar I, que ainda contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal.

 Sobre as recentes ocorrências na capital, o secretário explicou que ainda está sendo investigada a relação dos crimes com a transferência dos presos. “As nossas forças de segurança estão mobilizadas para garantir a normalidade nas ruas e as investigações sobre possíveis retaliações já estão sendo feitas”, frisou Caio.

Fonte: Assessoria

No dia da transferência de presos em Alcaçuz, presídio onde houve rebelião com 26 mortos no último final de semana, quatro veículos – três ônibus e um carro – foram incendiados, na tarde de hoje, em Natal. Devido à insegurança, o Sindicato dos Trabalhadores e Transportadores Rodoviários do Rio Grande do Norte orientou que os motoristas encerrem as viagens e recolham os ônibus para as garagens. A partir das 18h (horário local) não haverá mais transporte rodoviário em Natal e cidades da região metropolitana, como São Gonçalo do Amarante, Parmamirim e Nísia Floresta. A STTU (Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana) de Natal liberou táxis e vans para o transporte de passageiros durante o período que os ônibus não circularem na capital e região metropolitana. Três ônibus foram incendiados. Um deles na avenida 25 de Setembro, na praia do Meio, totalmente destruído pelo fogo. O outro ônibus foi incendiado na avenida Maranguape. O veículo foi atacado no terminal de ônibus da linha 5. Um terceiro ônibus foi incendiado no conjunto Vale Dourado, em Brasília Teimosa, zona norte de natal. Em todos os ataques, ninguém ficou ferido e nenhum dos passageiros ou dos rodoviários teve pertences roubados. O dinheiro do caixa dos ônibus também não foi levado.
18
jan

Ameaça

Postado às 17:49 Hs

Facção manda carta com ameaças ao governo do Rio Grande do Norte.

A facção Sindicato do Crime do RN mandou hoje ao Secretário de Segurança do Rio Grande do Norte, Caio Bezerra, uma carta com ameaças. A mensagem foi entregue à cúpula de segurança do estado no início da tarde.

No texto, procuram intimidar o governo falando em “atacar todos os tipo de õrgãos públicos” e “matar policiais”.

Eis alguns trechos:

*”Não estamos aqui para medir forças com o governo do Estado, mas também nois (sic) não iremos aceitar perde (sic) pra os vermes do PCCU (sic) nem um prédio nosso”

*”(…) Se vinherem (sic) mexer com algum (sic) de nossos prédios iremos reagir, pois somos mais fortes ainda na rua. Temos integrantes dispostos (…). Iremos atacar todos os tipos de órgãos públicos. Iremos causar o caus (sic) no Estado do Rio Grande do Norte”.

*”De início iremos tocar fogo em ônibus, delegacias, carros do governo (…), tomar armas de vigias, matar policiais e agentes penitenciários até vcs nos ouvir (sic)”.

Os bandidos tenrminam a mensagem com um “atenciosamente conselho do SDCRN”.

Fonte : Lauro Jardim, O Globo

17
jan

Em Brasília

Postado às 11:58 Hs

Robinson Faria solicita apoio da Força Nacional ao Governo Federal.

O governador Robinson Faria se reuniu na manhã desta terça-feira (17) com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em Brasília, para formalizar pedidos para reforço das operações nas missões referentes ao sistema de segurança pública, entre elas o emprego da Força Nacional para intervenção na penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta. As tropas devem atuar em apoio ao Batalhão de Polícia de Choque (BP Choque) nas ações no sistema prisional.

De pronto, o ministro atendeu ao pedido do governador de disponibilização de uma aeronave do ministério para a transferência dos cinco chefes de facções criminosas retirados do presídio na tarde de ontem, em operação conduzida pela polícia do RN. Os detentos serão transferidos para presídios federais.

Ao ministro, Robinson ainda pediu reforço de equipamentos e a disponibilização do helicóptero do Departamento da Força Nacional ao RN, por um período de 30 dias, em ações relacionadas ao sistema de segurança pública, aeromédicas e outras solicitadas durante a operação. “O ministro foi extremamente atencioso e receptivo. Desde o início ele está acompanhando as medidas e estratégias adotadas para debelar a crise em Alcaçuz, com muita boa vontade, auxiliando o RN”, declarou o governador.

Amanhã, Robinson participará de reunião com o presidente Michel temer, às 15h, no Palácio do Planalto, para tratar do Plano Nacional de Segurança.

16
jan

Em Alcaçuz

Postado às 20:17 Hs

Chefes da rebelião são transferidos de Alcaçuz

 

O Governo do Estado detalhou, nesta segunda-feira (16), o andamento das investigações sobre a rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz ocorrida no último final de semana. A Polícia Militar, com apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Grupo de Escolta Penal (GEP), adentraram na unidade prisional e retiraram cinco detentos apontados como chefes da rebelião.

Eles foram levados para a Polícia Civil, onde serão ouvidos pelas autoridades competentes.

Os presos foram identificados como: Paulo da Silva Santos; João Francisco dos Santos; José Cândido Prado; Paulo Márcio Rodrigues de Araújo; e Tiago Souza Soares.

Durante a ação, também foram retiradas do presídio armas brancas e armas de fogo de fabricação caseira.

“Todos os dias estamos realizando operações em Alcaçuz. Primeiro fizemos a retirada dos corpos. Agora fizemos a retirada das lideranças da organização criminosa que comandou a rebelião. Depois vamos fazer a recontagem dos presos da penitenciária”, explicou o secretário da Justiça e Cidadania do RN, Wallber Virgolino. Esses apenados devem responder por crimes como organização criminosa e homicídio.

Além disso, nesta segunda o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) confirmou a identificação de quatro dos 26 corpos retirados da penitenciária, são eles: Jefferson Pedroza Cardoso; Anderson Barbalho da Silva; George Santos de Lima; e Diogo de Melo Ferreira.

Todos foram identificados por comparação de digital através dos exames papiloscópicos.

“Tivemos um apoio importante da Polícia Federal, que nos enviou papiloscopistas para ajudar nesse processo. Em conjunto com as nossas equipes, estamos trabalhando para fazer a liberação desses corpos o mais rápido possível”, destacou o secretário da Segurança do RN, Caio Bezerra.

A Arquidiocese de Natal considerou ‘urgente’ a necessidade de ‘reflexão’ sobre a atual situação do sistema prisional do Rio Grande do Norte. Em nota enviada na manhã deste domingo (15), o arcebispo Dom Jaime Vieira Rocha, se manifestou sobre a rebelião do Presídio de Alcaçuz.

O motim iniciado no final da tarde de ontem, teve 14 horas de duração e as informações extraoficiais dão conta de que pelo menos 24 detentos foram assassinados.

Veja Nota abaixo:

Irmãos e irmãs,

Acompanhamos, com muito pesar e tristeza, os últimos acontecimentos ocorridos na Penitenciária Estadual de Alcaçuz. Nossa prece e atenção por esses momentos trágicos de violência e de morte. Sem dúvida, é necessária uma urgente reflexão sobre as condições dos nossos presídios. Suplicamos ao bom Deus para que apazigue os ânimos daqueles nossos irmãos a fim de que renunciem à violência, e a sociedade e o Estado busquem o diálogo e encontrem caminhos para enfrentar a problemática que envolve o nosso sistema prisional. Em todas as missas, hoje, no momento da Oração da Assembleia, coloquemos nas intenções a súplica implorando a compaixão do nosso Deus por aqueles que perderam a vida e por todos os que se encontram nos presídios que, como bem disse o Papa Francisco, devem ser lugares de humanização e de esperança de mudança. Deve ser ideal de todos os brasileiros construir uma Pátria de cidadãos com oportunidades de vida digna, direitos e deveres para todos, e não uma Pátria de excluídos e marginais.

 

 

 

Via  Nominuto

A rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz pode ter mais de 30 detentos mortos, de acordo com informações preliminares. O Gabinete de Gestão Integrada Estadual (GGI-E), mesmo após o fim do motim, permanece ativado, levantando informações e comandando as ações em andamento. O governador Robinson Faria entrou em contato com ministro da Justiça, Alexandre de Morais, para que o Governo Federal acompanhasse a situação do Estado, e pediu reforço da Força Nacional no lado externo do presídio, o que foi autorizado prontamente.

Os detentos, que se rebelaram na tarde de ontem (14), se renderam na manhã deste domingo (15) após a Tropa de Choque da Polícia Militar entrar nos pavilhões. Segundo a Secretaria de Segurança, não houve troca de tiros. Segundo o Instituto Técnico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep) será montada uma força tarefa para a identificação dos corpos com a vinda de legistas de outros estados para acelerar os trabalhos.

 

 

15
jan

Nota

Postado às 11:30 Hs

NOTA À IMPRENSA

A respeito da rebelião em curso no presídio de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal-RN, o Governo do Rio Grande do Norte esclarece que:

1. A rebelião teve início por volta das 17h, partiu de uma briga entre presos dos pavilhões 4 e 5 e está restrita aos dois pavilhões. Estão sendo levantadas informações acerca do envolvimento de facções criminosas. A polícia está trabalhando no local para a contenção da rebelião.
2. Não há registro de fugas;
3. As informações quanto ao números de mortos e feridos estão em levantamento, com pelo menos 10 mortes confirmadas até o momento;
4. Desde o início da noite, o governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, está no Gabinete de Gestão Integrada (GGI), com o secretário de Segurança Pública, Caio César Bezerra; o secretário de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino; o presidente do Tribunal de Justiça, Expedito Ferrreira; o procurador geral de Justiça do RN, Rinaldo Reis; o comandante da PM, André Azevedo; e representantes das polícias civil e federal, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros e Força Nacional, no comando das medidas para a contenção e resolução do problema nas próximas horas;
5. O governador Robinson Faria entrou em contato com ministro da Justiça, Alexandre de Morais, para que o Governo Federal acompanhe a situação do Estado, e pediu reforço da Força Nacional no lado externo do presídio, o que foi autorizado prontamente;
6. Não há registro de nenhuma ação externa aos presídios. O problema está restrito a Alcaçuz e a população pode seguir com suas atividades dentro da normalidade.

O Secretário de Justiça, Walber Virgulino estava no estado da paraíba e já está se deslocando para Alcaçuz neste momento para pessoalmente coordenar a operação fora do presídio. O BOPE cercou todo o presídio de Alcaçuz. Sem fugas até o momento. 12 mortes já confirmadas, 4 corpos degolados e a guerra entre as facções continuam.

O Sindicato do Crime invadiu o espaço do PCC e o momento é de muito tumulto.

Policiais militares e agentes penitenciários aguardam ordem do secretário de Segurança do Estado, Walber Virgulino, para adentrar nos pavilhões da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, onde acontece uma rebelião desde a tarde deste sábado (14). A área externa de Alcaçuz já está sob o controle das autoridades, segundo a Polícia Militar. As saídas foram bloqueadas e o Corpo de Bombeiros está fazendo barricadas no local.

A rebelião que acontece desde da tarde deste sábado (14), no presídio Estadual de Alcaçuz em Nísia Floresta, é destaque no jornal Nacional deste sábado.

As palavras do prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) nesta quarta-feira (03), quando se pronunciou pela primeira vez sobre a onda de ataques criminosos na cidade após quase uma semana do início do problema, foram criticadas pelo deputado federal Rogério Marinho (PSDB). Para o tucano, “o prefeito faz o jogo do crime” ao acusar as polícias de “incompetência”. “Soluções simples no curto prazo amenizam a crise. Para quem governa a cidade, é preciso mais humildade e espírito de colaboração, menos arrogância e prepotência. Precária e ineficiente, a construção da penitenciária de Alcaçuz em terreno de dunas foi um crime de incompetência e irresponsabilidade. Carlos Eduardo, hoje prefeito e na época secretário de Justiça, mostrou que não entendia de engenharia e segurança, hoje mostra que não entende de administração”, disse Rogério por meio de seu perfil pessoal no twitter (@rogeriosmarinho). Em entrevista concedida à 96 FM, Carlos Eduardo disse que foi na sua gestão como secretário de Justiça e Cidadania do RN que Alcaçuz foi construída. O maior presídio do Estado hoje tem sido palco de seguidas fugas de presos devido ao terreno onde foi erguido, que facilita a construção de túneis. Sobre os ataques criminosos
maio 29
sexta-feira
20 04
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
46 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5824470 VISITAS

Facebook

Twitter

Instagram