25
jun

Charge: Muita balela e pouca ação…

Postado às 11:59 Hs

19
jun

Saiba também…

Postado às 16:40 Hs

# # Rosalba na Rio+20

Cumprindo a agenda de participação em reuniões e debates na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a RIO+20, a governadora Rosalba Ciarlini visitou no final da manhã desta terça-feira (19) o estande do Rio Grande do Norte montado na Conferência.

”É sempre muito gratificante ver como o nosso estado desperta as melhores referências nos visitantes que vêm ao nosso estande. A nossa meta agora é continuar trazendo o desenvolvimento através de ações que proporcionem um meio ambiente cada vez mais saudável para o potiguar, como o que já estamos fazendo através da ampliação do saneamento básico, uma prática que beneficia a população e diminui a emissão de poluentes em nossos mananciais aquíferos”, afirmou a governadora Rosalba Ciarlini.

Rosalba Ciarlini participa das discussões, debates e mesas-redondas na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, Rio +20, até esta sexta-feira (22).

# # Frustações e muita balela

O documento final da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, acordado hoje (19) entre as delegações de 193 países, frustrou ambientalistas presentes às discussões no Riocentro. Para Carlos Rittl, da organização não governamental WWF-Brasil, faltou clareza sobre onde se quer chegar.

“É uma grande frustração. Os processos se iniciam, a gente sabe onde é o começo, mas não sabe o caminho que eles tomam, nem onde eles chegam. A reação lá fora já é de frustração. A gente só espera que, logo depois da Rio+20, a gente tenha mais clareza de como vão se estabelecer esses processos”, disse.

Rittl espera que, na próxima Assembleia Geral das Nações Unidas, que vai acontecer em setembro deste ano, os países demonstrem mais compromisso com os processos e tragam mais clareza, como onde se vai avançar, com que velocidade e o que se pretende atingir.

19
jun

Sem explicar como…

Postado às 8:45 Hs

A representante da Petrobras na rede brasileira do Pacto Global, Sue Wolter não soube explicar por que a estatal reduziu os investimentos em biocombustíveis no plano de negócios para o período 2012-2016, que foi divulgado na semana passada.

Wolter, que é gerente de avaliação do desempenho da gerência executiva de responsabilidade social, assinou hoje (18) um documento com dez compromissos para a promoção da economia verde e inclusiva durante a Rio +20.

“A empresa está sempre revendo o seu portfólio e os diretores vão explicar o plano a partir do dia 25″, disse ao ser perguntada sobre a redução de investimentos em energia limpa.

O dia 25, quando a Rio +20 já tiver terminado, foi estipulado pela Petrobras como o prazo para comentários sobre o plano de negócios, que aumentou o investimento em energia suja (fóssil) e reduziu em biocombustíveis.

A representante da estatal defendeu a companhia afirmando que desde 2006 a Petrobras está na lista de sustentabilidade do índice Dow Jones.“Estamos no Pacto Global e nossa presidente [Graça Foster] faz parte do board da rede internacional [Global Compact]“, disse Wolter durante sua apresentação.

O grupo Global Compact Corporate, composto de cerca de 7.000 empresas no mundo, foi criado pela ONU para estimular as empresas a promoverem ações sustentáveis em suas operações. No Brasil, são 400 empresas do conglomerado.

A executiva não deu números sobre as metas de redução de emissões da companhia, afirmando que em breve o relatório de sustentabilidade será divulgado. “Já está pronto (o relatório) e será divulgado em breve”, disse. (Folha)

A dois dias do início da cúpula da Rio+20, em que mais de cem chefes de Estado discutirão o futuro do planeta, o IBGE divulgou nesta segunda-feira, 18, a pesquisa Indicadores de Desenvolvimento Sustentável 2012. Entre outros dados, traça o retrato do desmatamento no País. Pela primeira vez o IBGE apresenta os dados de devastação de todo o território, para além da Amazônia.

Os indicadores revelam que estão preservados apenas 12% da área original da Mata Atlântica, o bioma mais devastado do País. De 1,8 milhão km², sobraram 149,7 mil km². A área desmatada chega a 1,13 milhão km² (88% do original) _ quase o Estado do Pará e mais que toda a região Sudeste. Os dados se referem ao ano de 2010. Depois da Mata Atlântica, o Pampa gaúcho é o mais desmatado: perdeu 54% de sua área original, de 177,7 mil km² até 2009.

A devastação do Cerrado, segundo maior bioma do País, chegou a 49,1% em 2010. Na edição anterior dos IDS, divulgada há dois anos, o IBGE havia apontado devastação de 48,37% do Cerrado. Em dois anos, foram desmatados 52,3 mil km² _ quase o Estado do Rio Grande do Norte. A caatinga perdeu 45,6% de seus 826,4 mil km² originais. O Pantanal é o menor e mais preservado bioma: perdeu 15% da área total de 150,4 mil km². As informações referem-se a 2009.

 

18
jun

Brasil pode se tornar uma liderança verde

Postado às 17:34 Hs

Brasil responde por 3% das emissões de gases de efeito estufa. Mesmo numa posição relativamente equilibrada no mercado internacional país se propôs a reduzir em 80% o desmatamento até 2020

Para reduzir a emissão de gases de efeito estufa precisa haver um compromisso de que o planeta vai mudar seu comportamento nos próximos anos. A afirmação é de Tasso Azevedo, consultor e empreendedor social nas áreas de florestas e mudanças climáticas e revela a complexidade que envolve as discussões sobre mudanças climáticas.

De acordo com cálculos de Azevedo, este ano a concentração de todos os gases de efeito estufa na camada de ozônio soma 400 partes por milhão (ppm). “Os níveis históricos oscilam entre 280 e 400 ppms e para que a temperatura média global não suba 2 graus Celsius, não podemos ultrapassar os 450 ppms”, diz Azevedo.

De acordo com ele, atualmente cada habitante produz em média 7 toneladas de carbono. No Brasil, este índice é maior e se situa em 9 toneladas. “Em 2050 o mundo terá que emitir 10,5 toneladas por pessoa, o que significa que teremos reduzir o ritmo”, diz Azevedo acrescentando que o Produto Interno Bruto (PIB) ainda é muito baixo. No mundo é de US$ 1,2 mil e no Brasil não passa de US$ 900. “Para uma economia ser considerada de baixo carbono ela deve emitir 1 tonelada de gases por pessoa e ter PIB de US$ 20 mil para cada tonelada”, explica.

O Brasil, que representa 3% da população mundial, responde por 3% das emissões de gases de efeito estufa e apesar de estar numa posição relativamente equilibrada no mercado internacional se propôs a reduzir em 80% o desmatamento até 2020, “o que evitará a emissão de 15 bilhões de toneladas de carbono”, diz André Guimarães, diretor-executivo da Conservação Internacional.

18
jun

Isto é Brasil…Precisando melhorar

Postado às 12:45 Hs

O pesquisador da Universidade das Nações Unidas, Pablo Munoz, afirmou nesta sexta-feira que o crescimento dos investimentos em educação impulsionou o resultado do Brasil no Relatório de Riqueza Inclusiva, um novo indicador para medir o desenvolvimento dos países divulgado pela ONU durante a Rio+20.

No entanto, segundo ele, houve retrocesso em termos de proteção ambiental. O relatório, elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e pela Universidade das Nações Unidas sobre Mudança Ambiental Global, é mais amplo que o Produto Interno Bruto (PIB) e o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), pois leva em conta o capital fabricado, o capital humano e o capital social.

Em ranking baseado num novo cálculo que associa riqueza dos países com uso dos recursos naturais, divulgado neste domingo (17) pelo programa das Nações Unidas para o Ambiente (Pnuma), braço da ONU, o Brasil ficou em quarto lugar, empatado com Índia, Japão e Reino Unido e na frente dos Estados Unidos.

A China foi a primeira colocada, seguida da Alemanha. O indicador foi apresentado neste domingo na Rio+20. O resultado, porém, não indica um cenário otimista – China, Estados Unidos, África do Sul e Brasil aparecem com tendo esgotado parte significativa de seu capital natural – a soma de um conjunto de recursos renováveis e não renováveis, como combustíveis fósseis, florestas e pesca.

17
jun

Charge: Jogando para a platéia…

Postado às 18:38 Hs

16
jun

Carro elétrico é lançado

Postado às 21:15 Hs

No momento em que o desenvolvimento sustentável leva cientistas, governantes e ambientalistas ao Rio de Janeiro, para a Rio+20, as duas maiores cidades brasileiras começam a experimentar a tecnologia que, em breve, poderá ser o padrão nos automóveis urbanos. Em São Paulo, começaram a circular este mês os dois primeiros táxis elétricos do país. E, no Rio, durante a conferência da ONU, estarão em operação 15 veículos elétricos da Nissan e da Renault, uma ação promocional que se soma aos muitos exemplos sustentáveis em exibição nesse período. A reportagem do site de VEJA experimentou, ao longo de um dia no trânsito da cidade, como é a vida sem gasolina, a bordo do Nissan Leaf – o primeiro veículo 100% elétrico comercializado em larga escala no planeta.

A primeira surpresa vem com o motor ainda desligado. O “carro elétrico” em nada se parece com um brinquedo, não é um arremedo de automóvel. O Leaf tem porte, aparência, espaço e conforto condizentes com os sedãs e hatchbacks vendidos no mercado. Elimina-se aqui, para os viciados em gasolina, o medo de ser confundido na rua com alguém em um carrinho de golfe.

O espanto continua com o motor ligado – o que se percebe, essencialmente, pela luz que indica que o acelerador, a partir de agora, faz o Leaf se deslocar. Não há barulho. Antes de ganhar a rua, um engenheiro avisa: “O motor elétrico não ter curva de aceleração. Cem por cento da potência estão disponíveis desde o primeiro momento”. Para leigos, significa que o acelerador responde rápido – mais rápido que um automóvel a gasolina “econômico”. “Nós o comparamos a um automóvel com motor 2.4”, afirma Carlos Murilo Moreno, diretor de marketing da Nissan no Brasil.(Veja)

16
jun

Charge: Insegurança no Brasil todo…

Postado às 10:32 Hs

15
jun

@ @ É Noticia… @ @

Postado às 20:37 Hs

  • O Ministério da Fazenda publicou nesta sexta-feira no Diário Oficial da União (DOU) portaria que reajusta em 7,571% as tarifas dos serviços postais prestados exclusivamente pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). De acordo com a portaria, um novo reajuste será aplicado apenas daqui a um ano.
  • Este número representa 95% do público alvo no RN, formado por 241.152 mil crianças menores de cinco anos. Amanhã (16) será realizado o Dia de Mobilização. A campanha se estende até o dia 06 de julho, e será realizada em parceria com estados e municípios. A meta é imunizar, contra a paralisia infantil, 95% do total de 14.1 milhões de crianças menores de cinco anos de idade, o que representa 13,5 milhões.
  • O Governo do Estado paga na próxima segunda-feira (18) primeira parcela do 13º salário, beneficiando servidores estaduais ativos, inativos e pensionistas do Rio Grande do Norte. Serão aproximadamente R$ 145 milhões pagos aos servidores do Executivo, Legislativo e Judiciário, correspondendo a 40% do valor do 13º salário. Já os vencimentos relativos ao mês de junho serão pagos nos dias 28 e 29. Os primeiros a receber são os servidores com matrículas de 0 a 5. No segundo dia recebem os servidores com matrículas de 6 a 9.
  • Devido ao início da conferência Rio+20, o Congresso Nacional deverá passar ao menos uma semana sem ser palco de votações polêmicas ou abrigando comissões nas duas Casas, o chamado “recesso branco”. Vinte e quatro senadores, o equivalente a um terço do Senado, e pelo menos 80 deputados têm presença confirmada no evento, o que dificulta a obtenção do quórum necessário para formar uma bancada viável para iniciar a votação de projetos. Além disso, o calendário de festas juninas deve aumentar o número de ausências, principalmente na bancada nordestina, já que os festejos da época são considerados palanques de peso na corrida pelas Prefeituras da região. O recesso deve afetar também o andamento da CPI do Cachoeira, que até o momento não tem agendados depoimentos ou votações de requerimentos. O esvaziamento do Congresso obrigou o Senado a empurrar para depois do período junino a votação das Propostas de Emenda Constitucional (PECs) que pretendem extinguir o voto secreto no Congresso. Com esse adiamento, a expectativa é de que a votação do processo de cassação contra o senador Demóstenes Torres ainda seja secreta.
  • O Nordeste tem 1.013 municípios em situação de emergência por causa da estiagem, segundo levantamento do Ministério da Integração Nacional. Com isso, são quatro milhões de pessoas afetadas diretamente pela seca na região. E não há previsão de chuva para o sertão nordestino nos próximos dias. No litoral, chove desde quarta-feira (13).A Bahia é o estado mais afetado pela seca, com 230 cidades em estado de emergência, uma situação que afeta mais de 500 mil pessoas, de acordo com a Defesa Civil do estado. A Paraíba tem 197 cidades na mesma situação, seguida do Rio Grande do Norte, com 139.
  • O PP de São Paulo decidiu apoiar o pré-candidato do PT à Prefeitura da capital, Fernando Haddad. A decisão foi confirmada depois que o presidente estadual pepista, Paulo Maluf, conseguiu emplacar um aliado na Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, segundo o Estadão. A pasta é controlada pelo PP, por meio do ministro Aguinaldo Ribeiro, que conduziu as articulações com os petistas.

    Maluf, que dará uma entrevista na segunda-feira, 18, para formalizar sua decisão, indicou para a secretaria o engenheiro Osvaldo Garcia – que é ligado, mas não filiado, ao PP paulista. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 15. Garcia assume a vaga de Leodegar da Cunha Ticoski, que passará a ocupar a Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos da pasta. O partido de Maluf pleiteava a Secretaria das Cidades, mas, por enquanto, ficou com Saneamento Ambiental.

14
jun

Adiando participação

Postado às 15:02 Hs

Internado desde a noite de quarta-feira (13), no Hospital Sírio Libanês (SP) para realização de exames e retirada de um cateter, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou sua participação neste sábado na conferência Rio+20, no Rio de Janeiro, em atendimento à recomendação médica. A informação é do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

De acordo com Gilberto, Lula adiou a ida ao evento para a próxima quarta-feira (20). “Ele não vai mais no sábado. Foi adiada para semana que vem, para quarta-feira, a presença dele lá”, disse Gilberto Carvalho após participar de evento no Palácio do Planalto.

Segundo aliados de Lula, os médicos pediram que ele preservasse a voz, após ser submetido a um exame de endoscopia –que consiste na introdução de um tubo pela garganta– e que debilitou sua laringe.

Segundo boletim divulgado pelo hospital, Lula vai fazer uma reavaliação da laringe e, hoje, retirará o cateter que servia para que tomasse medicação. O procedimento já estava previsto. A retirada do cateter requer, segundo interlocutores do presidente, repouso.(Folha)

13
jun

Começa hoje…

Postado às 13:10 Hs

 

Começou oficialmente na manhã desta quarta-feira a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. Uma sessão solene, no Riocentro, presidida pelo secretário-geral da ONU para a Rio+20, Sha Zukang,marcou o início dos trabalhos. Mas, antes mesmo do início “oficial”, o bloco da União Europeia já fazia reuniões internas de negociação.

O encontro, que ocorre 20 anos depois da Rio 92, deve reunir cerca de 130 chefes de Estado em sua fase final, para debater propostas sobre como aliar o desenvolvimento econômico à proteção ao meio ambiente e à inclusão social.

De hoje (13) até a próxima sexta-feira (15) ocorrem as últimas negociações sobre o documento que será levado aos chefes de governo. Trata-se da “Reunião do Comitê Preparatório da Rio+20″. Entre os dias 16 e 19, o governo brasileiro organiza mesas de debate sobre temas ligados à sustentabilidade com especialistas na área, nos “Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável”. A fase final, chamada de “Segmento de Alto Nível”, com presidentes e líderes de governos, vai de 20 a 22 de junho.

Em entrevista ao Bom Dia Brasil, nesta segunda-feira (11), o embaixador Luiz Alberto Figueiredo falou sobre a importância de se estabelecerem metas globais para o desenvolvimento sustentável.

“Nós queremos que da Rio+20 saiam objetivos de desenvolvimento sustentável, que seriam metas globais de comportamento dos países para buscarmos finalmente a plena sustentabilidade do ponto de vista econômico, ambiental e social. Esse legado já será importantíssimo”, ressaltou Figueiredo, que é o negociador-chefe do Brasil na Rio+20.

O embaixador ressaltou também que o objetivo da Rio+20 é discutir a agenda sustentável dos próximos 20 anos. Segundo ele, o desenvolvimento sustentável é necessário porque os atuais modelos de produção não estão conseguindo resolver as crises globais que estão surgindo.

“Essa Conferência é sobre desenvolvimento sustentável. Parece muito claro hoje que os modelos de desenvolvimento que estão sendo usados estão mostrando a sua incapacidade de resolver a crise e também estão gerando outras crises. Então, temos que ter um olhar mais abrangente sobre o que queremos para os próximos anos. Rio+20 não é apenas 1992 mais 20 anos, mas principalmente 2012 mais 20 anos”, destacou.

 

 

12
jun

Informativo

Postado às 15:28 Hs

Palco do agro na Rio +20 já está quase pronto, afirma a Faern

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e parceiros do agronegócio montaram o Espaço Agro Brasil numa área de 1.750 metros quadrados, no píer Mauá, na cidade do Rio de Janeiro, onde nesta quarta-feira, dia 13, começa a Rio +20. É o que afirma o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Norte (Faern), José Álvares Vieira. “Mil e 200 pessoas produziram a estrutura do estande e as ambientações que vão receber os modelos de agropecuária sustentável, como o túnel virtual que vai mostrar o Projeto Biomas ao mundo”.

De acordo com os idealizadores do projeto, o túnel autoexplicativo, com 300m², começa com uma propriedade rural degradada que recebe a visita dos técnicos e pesquisadores do Projeto Biomas para transformar a fazenda em uma propriedade sustentável. O túnel multisensorial do Projeto Biomas, com o conjunto de ecossistemas, será uma das atrações do espaço Agro Brasil. Agora 100 pessoas estão concluindo a montagem.

No Espaço Agro Brasil serão apresentados os avanços da agropecuária brasileira e os caminhos que o País escolheu para multiplicar a produção de alimentos na mesma área, aliando preservação à produção.

Projetos

Os produtores rurais e demais visitantes também vão conhecer detalhes sobre a proposta de criação da Área de Preservação Permanente (APP) Mundial, Projeto Biomas, que busca alternativas para a produção sustentável, com benefícios ambientais, econômicos e sociais aos produtores rurais brasileiros e Projeto Agricultura de Baixo Carbono – Capacitação, que orienta o produtor rural brasileiro a buscar recursos do Programa ABC, do Governo Federal, para adotar sistemas de produção com baixa emissão de gases de efeito estufa. Os programas sociais Minha Casa, Minha Vida, Escola Viva, EaD/Senar, Programa Útero é Vida, Negócio Certo Rural e Senar Rondon, desenvolvidos em todo o país pelo Sistema CNA Brasil, que envolve o Senar e o Instituto CNA, também estarão no Espaço Agro Brasil.

O Sistema CNA/Senar criou um site especial para a Rio+20 para que os produtores rurais e demais interessados possam acompanhar a programação do Espaço Agro Brasil, da CNA e dos parceiros do setor agropecuário brasileiro: www.canaldoprodutor.com.br/rio20

10
jun

Economia verde já emprega milhões

Postado às 22:48 Hs

Com a Rio+20, conferência da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre desenvolvimento sustentável que começa nesta quarta, o Brasil reforça que convive, cada vez mais de perto, com desafios e oportunidades típicos de uma economia em plena transição e à procura de um modelo sustentável. A face mais visível dessa etapa de mudanças aparece no mercado -não somente o brasileiro. Segundo dados recentes divulgados pela OIT (Organização Internacional do Trabalho), metade da força de trabalho global -um exército de cerca de 1,5 bilhão de pessoas- será afetada pela economia verde. Nas contas da Iniciativa Verde, ONG que reúne especialistas da ONU e da OIT, a passagem para uma economia sustentável pode gerar até 60 milhões de vagas no mercado mundial ao longo dos próximos 20 anos. BENEFICIADOS Parte considerável das oportunidades surgirá em países de economias emergentes. Hoje, mais de 3 milhões de brasileiros têm empregos verdes, o equivalente a 7% do total de trabalhadores com carteira assinada no país. Cerca de 890 mil estão na área de biocombustíveis, no setor de energia renovável. A OIT projeta que oito setores econômicos deverão ser os maiores beneficiados: agricultura, silvicultura, pesca, energia, indústria manufatureira, reciclagem, construção e transporte. Isso não significa que os chamados empregos verdes serão limitados a essa área. No Brasil, segundo especialistas, as oportunidades estarão espalhadas por todos os ramos, inclusive o financeiro. “Um dos grandes desafios do momento é integrar o relatório financeiro, hoje o principal indicador de saúde de uma empresa, ao de sustentabilidade”, afirma Mariana Grossi, presidente-executiva do CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável). Contabilistas, auditores, advogados e especialistas em relações com investidores puxam a fila entre as carreiras mais promissoras em um futuro que deve ser desenhado com menos impacto ambiental. Outra figura cujo passe está valorizado nessa seara do emprego sustentável é o gestor ambiental. Um profissional da área ganha cerca de R$ 15 mil. Para se especializar, é preciso cursar uma pós-graduação. “Essa é uma carreira com oportunidades para diversos profissionais, já que o gestor ambiental pode ser alguém com formações diversas, desde que esteja disposto a trabalhar com as demandas sustentáveis”, explica Sandra Quinteiro, consultora do Instituto EcoSocial.
10
jun

FIQUE SABENDO…

Postado às 20:44 Hs

# # Tem outro significado

O Tribunal de Contas do Estado irá emitir a lista dos gestores que tiveram suas contas desaprovadas e poderão ficar inelegíveis nas eleições de outubro, na próxima terça-feira, 12. Nesta semana, o Tribunal Superior Eleitoral irá analisar a representação impetrada por 18 partidos políticos com a finalidade de suspender a resolução do TSE que proíbe candidaturas de políticos com contas rejeitadas nos pleitos anteriores. A lista será votada no plenário da Corte de Contas e, em seguida, encaminhada para o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, e após, será publicada pelo TE. Para o advogado Erick Pereira, a lista é a “notícia de inelegibilidade”, mas quem diz se o candidato está inelegível ou não é a Justiça Eleitoral. Em recente levantamento feito pelo Tribunal Regional Eleitoral, cerca de 90 políticos do estado estão enquadrados na restrição do TSE, ou seja, com contas desaprovadas.

# #  Alguns não ligam…

Apesar dessa exigência legal alguns políticos ainda desconhecem a lei A Legislação Eleitoral a partir das eleições 2012 passa a requerer de todo candidato a ocupar cargo executivo um plano básico de governo a ser registrado em Cartório. Não sabemos se os candidatos gostaram, mas achamos uma boa ideia. Já vimos muitas campanhas mirabolantes de enganação com poucas propostas e assim mesmo evasivas. Agora para ser obrigatório registrar, junto com sua candidatura, um plano básico de governo antes do início da campanha.

# # RIO + 20

Faltando poucos dias para o início da Rio+20, a conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, alguns pré-candidatos já programam agendas no evento para angariar apoios dos aliados da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva. Sem partido, Marina é a personalidade mais disputada depois de ter surpreendido a maioria dos analistas políticos ao abocanhar quase 20% dos votos no primeiro turno das eleições presidenciais de 2010.

O petista Fernando Haddad, que disputa a prefeitura de São Paulo, já confirmou que vai participar da Rio+20, que começa na quarta-feira e vai até o dia 22 de junho, no Rio de Janeiro. O ex-ministro da Educação vai tentar quebrar a residtência dos principais aliados de Marina, que saíram do PT juntamente com ela.

 

 # # FORA do AR

Embora a propaganda de candidatos só seja autorizada a partir do dia 6 de julho, a legislação permite que os pré-candidatos façam propaganda entre seus correligionários 15 dias antes da convenção do partido. A propaganda deve se limitar a faixas e cartazes perto do local da convenção, sem o uso de outdoors ou inserções em rádio e televisão, e deve ser retirada assim que a convenção terminar, sob pena de multa aos envolvidos.

O calendário eleitoral também determina que a partir deste domingo e até o final das eleições, candidatos que concorrerão a um cargo eletivo em 2012 não podem mais apresentar programas de rádio e de televisão, nem participar como comentaristas. O prazo para desincompatibilização varia de acordo com o cargo ocupado e o pretendido pelo candidato.

 

03
jun

Triste realidade

Postado às 20:17 Hs

 

Triste realidade o nosso rio Mossoró esperando ajudar para sua despoluição,enquanto isso a água deve ficar cara e rara no mundo todo. Temos que acordar as autoridades para que algo seja feito o quanto antes. Pois sua importãncia é vital.

Enquanto isso…

A poluição, o crescimento urbano desordenado e as mudanças climáticas estão tornando a água doce do Brasil — recurso do qual o país é líder mundial — a protagonista de uma crescente contradição econômica.

Especialistas, empresários e agentes de governo já temem o cenário de um apagão hídrico nas principais regiões metropolitanas até o fim desta década. Além do constrangimento na oferta, as projeções também mostram uma curiosa perspectiva, que está tornando a produção da água bombeada para torneiras até 60% mais cara do que a das garrafas PET de água mineral. O produto engarrafado só chega mais caro ao consumidor porque suporta uma alta carga de impostos, já que o sistema tributário classifica a água mineral como minério e não como item básico de consumo.

Um dos temas na agenda da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável — a Rio+20 —, que será aberta na próxima semana no Rio de Janeiro, o encarecimento da água potável pressiona hoje o Estado a agilizar investimentos em infraestrutura de saneamento básico e estimula empresas a implementar programas de gestão racional do uso de recursos hídricos. Segundo Sérgio Ayrimoraes, coordenador de pesquisas da Agência Nacional de Águas (ANA), a diferença de valor entre águas pública e privada decorre de diferentes fatores, sobretudo eventos climáticos extremos (cheias ou estiagem) e a dificuldade cada vez maior em se tratar água de rios, lagos e outras fontes.

jul 30
sexta-feira
11 03
ENQUETE

Você acha que o brasileiro acostumou-se com a Corrupção ao longo do tempo ?

Ver resultado parcial

Carregando ... Carregando ...
PREVISÃO DO TEMPO
INDICADOR ECONÔMICO
60 USUÁRIOS ONLINE
Publicidade
  5.875.098 VISITAS